Você está na página 1de 12

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS


MACAU/RN

DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO DE


ÁGUA OXIGENADA
Laudo N° 001/2019

Supervisor: Érico Moura Neto

Técnicos:
Alessandra Soares de Souza
Egídio Dassayeve Lima da Silva
Felipe Augusto Araújo Bezerra
José Luiz de Almeida Filho
Ricardo Luiz da Silva Lira

JANEIRO 2019
MACAU/RN

pág. 1
Sumário

1. EMPRESA SOLICITANTE ................................................................................... 3


2. OBJETIVO ........................................................................................................... 3
3. NORMAS DE REFERÊNCIAS ............................................................................. 3
4. DADOS DA AMOSTRA ....................................................................................... 3
5. REAGENTES E VIDRARIAS ............................................................................... 3
6. PROCEDIMENTO EXPERIMENTEAL ................................................................. 4
6.1 Preparo de 250 mL de solução de 𝑵𝒂𝟐𝑺𝟐𝑶𝟑, 0,1000 mol/L: ................................... 4
6.2 Padronização da solução de 𝑵𝒂𝟐𝑺𝟐𝑶𝟑, 0,1000 mol/L: ............................................ 4
6.3 Determinação da concentração de 𝑯𝟐𝑶𝟐: ................................................................ 4
7. CÁLCULOS E RESULTADOS............................................................................. 5
7.1 Padronização da solução de 𝑵𝒂𝟐𝑺𝟐𝑶𝟑, 0,1000 mol/L. ............................................ 5
7.2 Cálculo da determinação da concentração de 𝑯𝟐𝑶𝟐 .............................................. 7
8. LAUDO OU PARECER ...................................................................................... 10
9. ASSINATURA DOS TÉCNICOS ........................................................................ 11
10. REFERÊNCIAS ................................................................................................ 12

pág. 2
1. EMPRESA SOLICITANTE
Farmax – Distribuidora Amaral Ltda.
CNPJ.: 21.759.758/0001-88
Rua: Luiz Guilherme da Silva, 1001
CEP.: 35502-284

2. OBJETIVO
Determinar a concentração de uma solução de água oxigenada e comparar
com as normas de referência.

3. NORMAS DE REFERÊNCIAS
De acordo com a resolução RDC nº 79, de 28 de agosto de 2000, a
concentração máxima autorizada no produto final é de 12% 𝐻2 𝑂2 (40 volumes)
presente ou liberada para produtos para cuidado de pele; 2% 𝐻2 𝑂2 presente ou
liberada para produtos para endurecer unhas; 0,1% 𝐻2 𝑂2 presente ou liberada para
produtos para higiene oral.

4. DADOS DA AMOSTRA

Fabricante: Farmax – Distribuidora Amaral Ltda. (Água Oxigenada à 10 volumes)


Fabricação: 09/2017
Validade: 09/2020
Lote: 0586
Solução antisséptico peróxido de hidrogênio a 3%. Uso tópico.

5. REAGENTES E VIDRARIAS

-Tiossulfato de sódio pentahidratado, - Espátula


𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 5𝐻2 𝑂 PA. - Vidro de relógio
- Iodeto de potássio, 𝐾𝐼 PA. - Erlenmeyer de 125 e 250 mL
- Iodato de potássio 𝐾𝐼𝑂3PA - Proveta de 25 mL
- Amido - Bureta de 50 mL
- Ácido sulfúrico 𝐻2 𝑆𝑂4 - Pipeta volumétrica de 10 e 25 mL
- Béquer de 100 mL - Pipeta graduada de 5 mL
- Balão volumétrico de 250 mL

pág. 3
6. PROCEDIMENTO EXPERIMENTEAL

6.1 Preparo de 250 mL de solução de 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 , 0,1000 mol/L:


Medir em um béquer a massa calculada do sal e dissolver com um pouco de
𝐻2 𝑂 destilada (± 80 mL). Transferir quantitativamente com o auxílio de um bastão de
vidro para o balão volumétrico de 250 mL. Lavar com água destilada por três vezes,
transferindo todo o volume para o balão utilizando o bastão de vidro. Completar o
volume e homogeneizar.

6.2 Padronização da solução de 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 , 0,1000 mol/L:


Pesar, exatamente e em triplicata, uma massa do padrão primário (Iodato de
Potássio - 𝐾𝐼𝑂3) próxima da massa necessária para reagir completamente com um
volume de 𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 correspondente a, aproximadamente, metade da capacidade da
bureta.
Transferir, quantitativamente, para erlenmeyer de 250 mL, adicionar cerca de
100 mL de água destilada e agitar até completar dissolução do sal. Adicionar 1,0 g de
iodeto de potássio e agitar até completar a dissolução e, após, adicionar 10,00 mL de
𝐻2 𝑆𝑂4 1:8.
Preencher uma bureta de 50,00 mL com a solução preparada no procedimento 1
de 𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3. Titular rapidamente a solução, adicionando gota a gota até que a solução
se torne ligeiramente amarela. Adicionar 2,0 mL de suspensão de amido e continuar a
titulação até o desaparecimento da coloração azul. Anote o volume utilizado.
Repita o procedimento mais de duas vezes e calcule a concentração da solução
de 𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 padronizada.

6.3 Determinação da concentração de 𝑯𝟐 𝑶𝟐 :


Pipetar 10,00 mL da amostra de água oxigenada comercial a 10 volumes e
transferir para um balão de 250,00 mL. Completar o volume com água destilada e
homogeneizar.
Pipetar, em triplicata, 25,00 mL da solução do balão volumétrico e transferir para
um erlenmeyer de 125 mL, adicionar cerca de 20 mL de água destilada e 20,00 mL de
𝐻2 𝑆𝑂4 1:8. Adicionar cerca de 1,0 g de iodeto de potássio e agitar até completar a
dissolução. Adicionar 3 gotas de solução de molibdato de amônio a 3% m/v.
Preencher uma bureta de 50,00 mL com a solução preparada no procedimento 1
de 𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3. Titular rapidamente a solução, adicionando gota a gota até que a solução
se torne ligeiramente amarela. Adicionar 3,0 mL de suspensão de amido e continuar a
titulação até que a solução fique incolor.
Anote o volume utilizado. Repita o procedimento mais duas vezes e calcule a
concentração da solução da água oxigenada.

pág. 4
7. CÁLCULOS E RESULTADOS

7.1 Padronização da solução de 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 , 0,1000 mol/L.


7.1.1 Cálculo para encontrar a massa a ser pesada do 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 :
𝑚
𝐶 =
𝑀𝑀 ∙ 𝑉
𝑚 = 𝐶 ∙ 𝑀𝑀 ∙ 𝑉
𝑚 = 0,1 𝑚𝑜𝑙/𝐿 ∙ 248,21 𝑔/𝑚𝑜𝑙 ∙ 0,25 𝐿
𝒎 = 𝟔, 𝟐𝟎𝟓𝟑 𝒈 𝒅𝒆 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑
7.1.2 Cálculo para encontrar a concentração da massa pesada de 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 :
Massa pesada: 6,3032 g
𝑚
𝐶=
𝑀𝑀. 𝑉
6,3032 𝑔
𝐶=
248,21 𝑔/𝑚𝑜𝑙 . 0,25 𝐿
𝑪 = 𝟎, 𝟏𝟎𝟏𝟔 𝒎𝒐𝒍/𝑳 𝒅𝒆 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑
7.1.3 Cálculo para encontrar a massa a ser pesada de cloreto de sódio (padrão
primário).
Reação 1:6
+
𝐾𝐼𝑂3 (𝑎𝑞) + 6 𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 (𝑎𝑞) + 6 𝐻 + (𝑎𝑞) ↔ 𝐾𝐼(𝑎𝑞) + 3 𝑁𝑎2 𝑆4 𝑂6 (𝑎𝑞) + 3 𝐻2 𝑂6 (𝑎𝑞) + 6𝑁𝑎(𝑎𝑞)

 Números de mols do 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 :


𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝐶𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 . 𝑉𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3
𝑛 = 0,1 ∙ 0,025
𝒏𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 = 𝟐, 𝟓𝟎𝟎𝟎𝒙𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍
Logo;
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3
𝑛𝐾𝐼𝑂3 =
6
2,5000𝑥10−3 𝑚𝑜𝑙
𝑛𝐾𝐼𝑂3 =
6
𝒏𝑲𝑰𝑶𝟑 = 𝟒, 𝟏𝟔𝟔𝟕𝒙𝟏𝟎−𝟒 𝒎𝒐𝒍

 Cálculo da massa do 𝑲𝑰𝑶𝟑 :

𝑚𝐾𝐼𝑂3
𝑛𝐾𝐼𝑂3 =
𝑀𝑀𝐾𝐼𝑂3
214,00𝑔/𝑚𝑜𝑙
4,1667𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 =
𝑚𝐾𝐼𝑂3
𝑚𝐾𝐼𝑂3 = 4,1667𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 . 214,00 𝑔/𝑚𝑜𝑙
𝒎𝑲𝑰𝑶𝟑 = 𝟎, 𝟎𝟖𝟗𝟐 𝒈

pág. 5
7.1.4 Dados da titulação com 𝑲𝑰𝑶𝟑 :

Titulação Massa de 𝑲𝑰𝑶𝟑 Volume de 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑


1 0,0911 g 25,00 mL
2 0,0899 g 24,90 mL
3 0,0909 g 25,20 mL

7.1.5 Cálculo da concentração padronizada do 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 .


1ª Amostra
𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 𝑚 / 𝑀𝑀
𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 0,0911 𝑔 / 214,00 𝑔/𝑚𝑜𝑙
𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 𝟒, 𝟐𝟓𝟕𝟎𝒙𝟏𝟎−𝟒 𝒎𝒐𝒍

𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 4,2570𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 . 6


𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝟐, 𝟓𝟓𝟒𝟐𝒙𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍

𝐶 = 2,5542𝑥10−3 𝑚𝑜𝑙 / 0,025 𝐿


𝑪 = 𝟎, 𝟏𝟎𝟐𝟐 𝒎𝒐𝒍/𝑳
2ª Amostra

𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 𝑚 / 𝑀𝑀
𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 0,0899 𝑔 / 214,00 𝑔/𝑚𝑜𝑙
𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 𝟒, 𝟐𝟎𝟎𝟗𝒙𝟏𝟎−𝟒 𝒎𝒐𝒍

𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 4,2009𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 . 6


𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝟐, 𝟓𝟐𝟎𝟓𝒙𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍

𝐶 = 2,5205𝑥10−3 𝑚𝑜𝑙 / 0,0249 𝐿


𝑪 = 𝟎, 𝟏𝟎𝟏𝟐 𝒎𝒐𝒍/ 𝑳
3ª Amostra

𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 𝑚 / 𝑀𝑀
𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 0,0909 𝑔 / 214,00 𝑔/𝑚𝑜𝑙
𝑛𝐾𝐼𝑂3 = 𝟒, 𝟐𝟒𝟕𝟕𝒙𝟏𝟎−𝟒 𝒎𝒐𝒍

𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 4,2477𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 . 6


𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝟐, 𝟓𝟒𝟖𝟔𝒙𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍

𝐶 = 2,5486𝑥10−3 𝑚𝑜𝑙 / 0,0252 𝐿


𝑪 = 𝟎, 𝟏𝟎𝟏𝟏 𝒎𝒐𝒍/ 𝑳

pág. 6
7.1.6 Média e Desvio padrão:

 Média: 0,1015 𝑚𝑜𝑙/𝐿


 Desvio: 0,0006 𝑚𝑜𝑙/𝐿
7.1.7 Resultado:
 𝟎, 𝟏𝟎𝟏𝟓 ± 𝟎, 𝟎𝟎𝟎𝟔 𝒎𝒐𝒍/𝑳

7.2 Cálculo da determinação da concentração de 𝑯𝟐 𝑶𝟐

7.2.1 Dados da titulação com 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑 :

Amostra Volume de 𝑵𝒂𝟐 𝑺𝟐 𝑶𝟑


1 18,20 mL
2 18,10 mL
3 18,70 mL

1ª Amostra
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝐶𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 . 𝑉𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 0,1015 𝑚𝑜𝑙/𝐿 ∙ 0,0182 𝐿
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝟏, 𝟖𝟒𝟕𝟑𝒙𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍

𝑛𝐻2 𝑂2 = 𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 / 2
𝑛𝐻2 𝑂2 = 1,8473𝑥10−3 𝑚𝑜𝑙 / 2
𝑛𝐻2 𝑂2 = 9,2365𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 𝑥 25 (Fator de Diluição)
𝑛𝐻2 𝑂2 = 𝟐, 𝟑𝟎𝟗𝟏𝒙𝟏𝟎−𝟐 𝒎𝒐𝒍

𝐶𝐻2 𝑂2 = 𝑛𝐻2 𝑂2 /𝑉𝐻2 𝑂2


𝐶𝐻2 𝑂2 = 2,3091𝑥10−2 𝑚𝑜𝑙 / 0,025 𝐿
𝑪𝑯𝟐 𝑶𝟐 = 𝟗, 𝟐𝟑𝟔𝟓𝒙𝟏𝟎−𝟏 𝒎𝒐𝒍
 Considerando as CNTP, 1 mol de gás ocupa o volume de 22,4 L
1 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 22,4 𝐿
0,5 𝑚𝑜𝑙 𝑂2 − 𝑥
𝑥 = 𝟏𝟏, 𝟐 𝑳 𝒐𝒖 𝑽𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔

1 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 11,2 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠


𝑥 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 10 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠
𝑥 = 𝟎, 𝟖𝟗𝟐𝟗 𝒎𝒐𝒍

0,8929 𝑚𝑜𝑙 − 10 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠


9,2365𝑥10−1 𝑚𝑜𝑙 − 𝑥
𝒙 = 𝟏𝟎, 𝟑𝟒𝟒 𝑽𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔

pág. 7
2ª Amostra
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝐶𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 . 𝑉𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 0,1015 𝑚𝑜𝑙/𝐿 ∙ 0,0181 𝐿
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝟏, 𝟖𝟑𝟕𝟐𝒙𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍

𝑛𝐻2 𝑂2 = 𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 / 2
𝑛𝐻2 𝑂2 = 1,8372𝑥10−3 𝑚𝑜𝑙 / 2
𝑛𝐻2 𝑂2 = 9,1858𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 𝑥 25 (Fator de Diluição)
𝑛𝐻2 𝑂2 = 𝟐, 𝟐𝟗𝟔𝟒𝒙𝟏𝟎−𝟐 𝒎𝒐𝒍

𝐶𝐻2 𝑂2 = 𝑛𝐻2 𝑂2 /𝑉𝐻2 𝑂2


𝐶𝐻2 𝑂2 = 2,2964𝑥10−2 𝑚𝑜𝑙 / 0,025 𝐿
𝑪𝑯𝟐 𝑶𝟐 = 𝟗, 𝟏𝟖𝟓𝟖𝒙𝟏𝟎−𝟏 𝒎𝒐𝒍
 Considerando as CNTP, 1 mol de gás ocupa o volume de 22,4 L
1 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 22,4 𝐿
0,5 𝑚𝑜𝑙 𝑂2 − 𝑥
𝑥 = 𝟏𝟏, 𝟐 𝑳 𝒐𝒖 𝑽𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔

1 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 11,2 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠


𝑥 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 10 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒 𝑠
𝑥 = 𝟎, 𝟖𝟗𝟐𝟗 𝒎𝒐𝒍

0,8929 𝑚𝑜𝑙 − 10 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠


9,1858𝑥10−1 𝑚𝑜𝑙 − 𝑥
𝒙 = 𝟏𝟎, 𝟐𝟖𝟖 𝑽𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔
3ª Amostra
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝐶𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 . 𝑉𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 0,1015 𝑚𝑜𝑙/𝐿 ∙ 0,0187 𝐿
𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 = 𝟏, 𝟖𝟗𝟖𝟏𝒙𝟏𝟎−𝟑 𝒎𝒐𝒍

𝑛𝐻2 𝑂2 = 𝑛𝑁𝑎2 𝑆2 𝑂3 / 2
𝑛𝐻2 𝑂2 = 1,8981𝑥10−3 𝑚𝑜𝑙 / 2
𝑛𝐻2 𝑂2 = 9,4903𝑥10−4 𝑚𝑜𝑙 𝑥 25 (Fator de Diluição)
𝑛𝐻2 𝑂2 = 𝟐, 𝟑𝟕𝟐𝟔𝒙𝟏𝟎−𝟐 𝒎𝒐𝒍

𝐶𝐻2 𝑂2 = 𝑛𝐻2 𝑂2 /𝑉𝐻2 𝑂2


𝐶𝐻2 𝑂2 = 2,2964𝑥10−2 𝑚𝑜𝑙 / 0,025 𝐿
𝑪𝑯𝟐 𝑶𝟐 = 𝟗, 𝟒𝟗𝟎𝟑𝒙𝟏𝟎−𝟏 𝒎𝒐𝒍

pág. 8
 Considerando as CNTP, 1 mol de gás ocupa o volume de 22,4 L
1 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 22,4 𝐿
0,5 𝑚𝑜𝑙 𝑂2 − 𝑥
𝑥 = 𝟏𝟏, 𝟐 𝑳 𝒐𝒖 𝑽𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔

1 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 11,2 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠


𝑥 𝑚𝑜𝑙 𝐻2 𝑂2 − 10 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠
𝑥 = 𝟎, 𝟖𝟗𝟐𝟗 𝒎𝒐𝒍

0,8929 𝑚𝑜𝑙 − 10 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠


9,4903𝑥10−1 𝑚𝑜𝑙 − 𝑥
𝒙 = 𝟏𝟎, 𝟔𝟐𝟗 𝑽𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔

7.2.2 Média e Desvio padrão:

 Média: 10,420 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠


 Desvio: 0,183 𝑉𝑜𝑙𝑢𝑚𝑒𝑠
7.2.3 Resultado:
 𝟏𝟎, 𝟒 ± 𝟎, 𝟐 𝑽𝒐𝒍𝒖𝒎𝒆𝒔

pág. 9
8. LAUDO OU PARECER
Na análise realizada para a determinação da concentração de água oxigenada a
partir da amostra da fabricante Farmax – Distribuidora Amaral Ltda, o resultado
encontrado foi de 10,4 ± 0,2 Volumes. Devido o resultado obtido é possível afirmar que
o resultado é aproximadamente o valor indicado no rótulo (10 volumes). Estando de
acordo com as especificações do fabricante.
Conclui-se que o produto está de acordo com o parâmetro exigido pela
resolução RDC nº 79, onde determina que a concentração máxima autorizada no
produto final é de 12% 𝐻2 𝑂2 (40 volumes) presente ou liberada para produtos para
cuidado de pele.

pág. 10
9. ASSINATURA DOS TÉCNICOS

________________________________________________
Alessandra Soares de Souza
Técnico em química - IFRN/Macau

________________________________________________
Egídio Dassayeve Lima da Silva
Técnico em química- IFRN/Macau

________________________________________________
Felipe Augusto Araújo Bezerra
Técnico em química - IFRN/Macau

________________________________________________
José Luiz de Almeida Filho
Técnico em química - IFRN/Macau

________________________________________________
Ricardo Luiz da Silva Lira
Técnico em Química - IFRN/Macau

pág. 11
10. REFERÊNCIAS

SILVA, M. J. S. F. e TÓFANI, S. F. B. Análise Quantitativa Prática. Belo Horizonte:


UFMG, 2002.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ, Métodos Físico-Químicos de Análise de Alimentos, 4ª


Edição, São Paulo: 2008.

http://www.mppe.mp.br/siteantigo/siteantigo.mppe.mp.br/uploads/rTYJeUoyYB1R246Vf5c4ag
/vzzmiO-jnnxpD7wyu9Om0Q/RDC_79-2000_da_Anvisa.pdf

pág. 12