Você está na página 1de 28

A HISTÓRIA DA TECNOLOGIA NA

EDUCAÇÃO
Lápis?
• Seria uma tecnologia?
• Você sabia que a história da tecnologia na
educação começou antes mesmo da aplicação
das tecnologias de comunicação e informação
(TICs) no processo de ensino-aprendizagem?
Não?
• A história da tecnologia na educação tem
início nas civilizações antigas.
• Ficou curioso para compreender um pouco mais
da história da tecnologia na educação?
• Então continue a leitura e fique por dentro do
quanto a evolução tecnológica impactou nos
processos educacionais.
• AFINAL, O QUE PODEMOS ENTENDER POR
TECNOLOGIA?
• Quando se fala em tecnologia, o que vem
imediatamente em sua mente?
• Aposto que você pensa em celulares, tablets,
computadores, não é mesmo?
• No entanto, os especialistas definem tecnologia
como algo bem mais além do que isso.
• Segundo eles, podemos entender por tecnologia
um conjunto de métodos, técnicas, processos ou
procedimentos utilizados na atividade humana, não
se limitando, portanto, somente ao uso de
ferramentas como computadores, celulares, tablets
etc.
• Sabe quando você cria uma técnica para render
mais nos estudos?
• Pois bem. Trata-se de uma tecnologia voltada
para o aprimoramento de seus estudos.
A HISTÓRIA DA TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO: DO USO DA
MADEIRA À TECNOLOGIA DIGITAL

• Ainda que muitos estudiosos atribuam ao século XX


o início da história da tecnologia na educação,
convém ressaltar que a educação desde sua
origem sempre utilizou de alguma tecnologia, pelo
menos é o que afirma o filósofo Demerval Bruzzi,
ex-diretor do Ministério de Educação.
• De acordo com esse pesquisador, a educação
esteve cercada de tecnologias praticamente desde
1650.
• Exemplo é a tecnologia Horn-Book. Tratava-se de
uma madeira com letras impressas utilizada na
época para alfabetizar crianças, isto é, utilizada
para ensiná-las a ler e a escrever textos religiosos.
• Outra tecnologia utilizada, dessa vez entre 1850
a 1870, foi o Ferule, ferramenta usada como
apontador/indicador em salas de aula. Logo
depois, já no final da década de 1870, surgiu o
que hoje conhecemos como projetor de slides,
o Magic Lan Tern.
• NÃO PENSE QUE A HISTÓRIA DA
TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO ACABA POR
AÍ, CERTO?
• Em 1890 surgiu o quadro negro, além de outras
tecnologias como o lápis.
• A partir disso, diversas ferramentas surgiram e
passaram a fazer parte do processo de ensino-
aprendizagem de muitos alunos, como a
calculadora, a caneta esferográfica, entre
outras, até chegar finalmente à era do uso da
Tecnologia da Informação e Comunicação, nos
anos 2000, com a popularização dos
computadores.
O IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E
COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO

• O século XXI é marcado pelo uso intenso das Tecnologias de


Informação e Comunicação nos processos educacionais.
• Com o surgimento da Web 2.0, nomenclatura criada por pesquisadores
da área de comunicação para se referir à web como um
espaço dinâmico, interativo e intuitivo,
a educação foi revolucionada.
• Tanto os docentes como os discentes passaram a criar conteúdo e
compartilhar esse conteúdo através de computadores e dispositivos
móveis conectados à web.
• Os docentes passaram a criar fóruns de discussões e espaços para
debater utilizando tecnologias como grupos em sites de redes sociais e
plataformas educacionais, espaços que permitem que as pessoas se
expressem por mídias diversas, como imagens, textos e vídeos,
possibilitando que elas possam tanto aprender como ensinar.
• Sem dúvidas, o surgimento das TICs e da Web 2.0 representam um
grande avanço na área de educação e um impacto na forma de
ensinar e aprender.
• Disponível em: www.ambersistemas.com.br/historiadatecnologia.
Acesso em 08/08/2019
• Vamos ao texto: Tecnologia sem computador: como fazer muito
com pouco
PARTE II


• Tecnologia

Endereço da página:
• https://novaescola.org.br/conteudo/11897/como-as-
metodologias-ativas- favorecem-o-aprendizado
• Publicado em NOVA ESCOLA 25 de Junho | 2018

Como as metodologias ativas favorecem o
aprendizado
• “A proposta é que o estudante esteja no
centro do processo de aprendizagem”

Débora Garofalo
O principal objetivo das metodologias ativas é incentivar os alunos a
aprender de forma autônoma e participativa, a partir de situações reais
Ilustração: Getty Images
• Em nossos posts aqui em NOVA ESCOLA, já citamos muitas vezes
as metodologias ativas. Agora vamos mergulhar mais a fundo e
mostrar por que elas são tão importantes no processo de
aprendizado.

• LEIA MAIS Como usar os gêneros digitais em sala de aula

• O principal objetivo deste modelo de ensino é incentivar os alunos
para que aprendam de forma autônoma e participativa, a partir de
problemas e situações reais. A proposta é que o estudante esteja
no centro do processo de aprendizagem, participando ativamente e
sendo responsável pela construção de conhecimento.

• LEIA MAIS Como incentivar a leitura através da gamificação
• Para o professor José Moran, da Universidade
de São Paulo (USP) e pesquisador de
mudanças na Educação, a tecnologia traz hoje
integração de todos os espaços e tempos. O
processo de ensinar e aprender acontece numa
interligação simbiótica, profunda, constante
entre o que chamamos mundo físico e mundo
digital. Não são dois mundos ou espaços, mas
um espaço estendido, uma sala de aula
ampliada – que se mescla, hibridiza
constantemente.
Metodologias Ativas

• Aprendizagem baseada em problemas


• A aprendizagem baseada em problemas, project
based learning (PBL), tem como propósito fazer
com que os estudantes aprendam através da
resolução colaborativa de desafios. Ao explorar
soluções dentro de um contexto específico de
aprendizado, que pode utilizar a tecnologia e/ou
outros recursos, essa metodologia incentiva a
habilidade de investigar, refletir e criar perante a
uma situação.
• O professor atua como mediador da aprendizagem,
provocando e instigando o aluno a buscar as resoluções
por si só. O docente tem o papel de intermediar nos
trabalhos e projetos e oferecer retorno para a reflexão
sobre os caminhos tomados para a construção do
conhecimento, estimulando a crítica e reflexão dos
jovens.
• Aprendizagem baseada em projetos
• A aprendizagem baseada em projetos (que também é
fundamentada na Aprendizagem baseada em
Problemas) exige que os alunos coloquem a mão na
massa ao propor que os alunos investiguem como
chegar à resolução. Um bom exemplo disso é o
movimento maker, “faça você mesmo”, que propôs nos
últimos anos o resgate da aprendizagem mão na
massa, trazendo o conceito “aprendendo a fazer”.

Roteiro para aprendizagem baseada em projetos
As metodologias ativas possuem diversas estratégias! Descubra
qual tem mais a ver com você e seus alunos.

• Aprendizagem entre times


• A aprendizagem entre times, team based
learning (TBL), tem por finalidade a formação de
equipes dentro da turma, através do
aprendizado que privilegia o fazer em conjunto
para compartilhar ideias.
• O professor pode trabalhar essa aprendizagem
através de um estudo de caso ou projeto, para
que os alunos resolvam os desafios de forma
colaborativa. Dessa forma, eles aprendem uns
com os outros, empenhando-se para formar o
pensamento crítico, que é construído por meio
de discussões e reflexões entre os grupos.
Sala de aula invertida

• A sala de aula invertida, flipped classroom, pode


ser considerada um apoio para trabalhar com as
metodologias ativas, que tem como objetivo
substituir a maioria das aulas expositivas por
extensões da sala de aula em outros ambientes,
como em casa, no transporte.
• Nesse modelo, o estudante tem acesso a conteúdo de
forma antecipada, podendo ser online para que o
tempo em sala de aula seja otimizado, fazendo com
que tenha um conhecimento prévio sobre o
conteúdo a ser estudado e interaja com os colegas
para realizar projetos e resolver problemas. É uma
ótima maneira de fazer com que os estudantes se
interessem pelas aulas e participem ativamente da
construção de seu aprendizado, ao se beneficiarem
com um melhor planejamento de aula e com a
utilização de recursos variados, como vídeos,
imagens, e textos em diversos formatos.
• Para o professor José Moran, essa mescla entre sala de
aula e ambientes virtuais é fundamental para abrir a
escola ao mundo e, ao mesmo tempo, trazer o mundo
para dentro da escola.

• Benefícios de trabalhar com as metodologias


ativas
• São muitos os benefícios ao trazer as metodologias ativas
para dentro da sala de aula. Entre os que pontuo a
seguir, o principal é a transformação na forma de
conceber o aprendizado, ao proporcionar que o aluno
pense de maneira diferente (já ouviu falar em fora da
caixa?) e resolver problemas conectando ideias que, em
princípio, parecem desconectadas.
• É importante investir em conteúdos atrativos e interativos, sendo essencial ter esse olhar
para aprimorar os procedimentos utilizados para envolver os alunos na aprendizagem.
• Para José Moran, as metodologias precisam acompanhar os objetivos pretendidos. Se
queremos que os alunos sejam proativos, precisamos adotar metodologias em que os
alunos se envolvam em atividades cada vez mais complexas, em que tenham que tomar
decisões e avaliar os resultados, com apoio de materiais relevantes. Se queremos que sejam
criativos, eles precisam experimentar inúmeras possibilidades de mostrar sua iniciativa.
• E você, querido professor, como utiliza as metodologias ativas em sala de aula? Conte aqui
nos comentários e fortaleça as práticas docentes.
• Um abraço,

• Débora Garofalo é professora da rede Municipal de Ensino de São Paulo,
Formada em Letras e Pedagogia, Mestranda em Educação pela PUCSP,
colunista de Tecnologias para o site da Nova Escola.
• *Colaboração do Professor Doutor José Moran, realizada a partir do texto
Mudando a Educação com metodologias ativas