Você está na página 1de 1

DESCARTE DE ÓLEO LUBRIFICANTE USADO: UM

ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE MANAUS, AM.


Raineza Fonseca de Souza(1); Kleyce Fonseca Barbosa(2) ; Rômulo de Araújo
Reis(3) ; Álefe Lopes Viana(4)
(1, 2, 3) Discentes
do Curso Técnico em Meio Ambiente; Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia do Amazonas – Campus Manaus Centro; (neza.24fonseca@gmail.com;
kleyce.fonseca@gmail.com; romulo13araujo@gmail.com); (4) Docente; Instituto Federal de Educação,
Ciência e Tecnologia do Amazonas – Campus Manaus Centro; alefe.viana@ifam.edu.br
INTRODUÇÃO
RESULTADOS
O trabalho promove uma discussão  80% dos entrevistados responderam que
relevante sobre gestão de resíduos e vendem o óleo usado a uma empresa
impactos ambientais em empreendimentos específica de tratamento e 20% afirmaram que
comerciais que tem por atividade a troca de os clientes normalmente exigem levar o
óleo lubrificante na Cidade de Manaus, resíduo para utilização doméstica.
visando o entendimento dos problemas
relacionados ao seu descarte.  Somente 20% responderam que obtiveram
capacitação profissional oferecida pelo
De acordo com o Conselho Nacional do empreendimento e os demais afirmaram que
Meio Ambiente (2000), para evitar os aprenderam com a prática diária.
impactos negativos, o óleo lubrificante, após  Pouco mais da metade dos estabelecimentos
o uso, deverá ser coletado e ter uma afirmaram possuir caixa para separação de
destinação final. água/óleo, conforme a Resolução 273 do
De acordo com o CONAMA (2005), o óleo CONAMA.
lubrificante usado resulta na formação de  Cerca de 40% afirmaram que já receberam
compostos tais como ácidos orgânicos, visita dos órgãos licenciadores porém 60%
compostos aromáticos polinucleares nunca recebeu nenhuma visita ou fiscalização.
potencialmente carcinogênicos, resinas e  Foi possível perceber inconsistências nas
lacas. resposta visto que em respostas anteriores
alguns afirmaram que descartam materiais
após serem utilizados em lixo comum.

CONCLUSÕES
Existe a necessidade de uma busca maior por
orientação das empresas que trabalham com o
óleo lubrificante. A legislação não estava sendo
obedecida de forma fidedigna e a falta de
Fig. 01. Coletor de óleo no empreendimento (esq.) e fiscalização contribui para isso.
armazenamento do óleo usado (dir.). Fonte: Os Autores.

OBJETIVO REFERÊNCIAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. (2004) ABNT
Verificar como se dá o descarte de óleos NBR 10004: Resíduos Sólidos - Classificação. Rio de Janeiro/RJ.
lubrificantes veiculares e resíduos em BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio
alguns estabelecimentos comerciais na Ambiente. Resolução n˚362 de 27 de junho de 2005.
Cidade de Manaus, AM. ______. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio
Ambiente. Resolução n˚273 de 29 de novembro de 2000.

MATERIAL E MÉTODOS MUNIZ, I. BRAGA, R. O gerenciamento de óleos lubrificantes usados ou


contaminados e suas embalagens: estudo de caso de uma empresa de
1 - Levantamento bibliográfico; logística na Região Norte do Brasil. Revista Eletrônica Sistemas &
Gestão. Volume 10, Número 3, 2015, pp. 442-457.
2 - Visitas a cinco estabelecimentos.
3 - Diagnóstico do gerenciamento de AGRADECIMENTOS
resíduos com base na legislação ABNT Os autores expressam seus agradecimentos ao IFAM –
Campus Manaus Centro, pelo auxílio no desenvolvimento
NBR 10.004 por meio de um questionário
do trabalho, colaboração e publicação no 15º CNMA 2018.
com onze perguntas objetivas;
4 – Tabulação dos dados no software
Excel®.