Você está na página 1de 3

DISCIPLINA: PSICOLOGIA E ATUAÇÃO PROFISSIONAL

CURSO: FISIOTERAPIA
PROFA. SYLVIA CAMILO RAMALHO

Doença psicossomática: sintomas, causas e principais exemplos

A somatização é um transtorno psiquiátrico em que a pessoa apresenta


múltiplas queixas físicas, localizadas em diversos órgãos do corpo, como dor,
diarréia, tremores e falta de ar, mas que não são explicadas por nenhuma
doença ou alteração clínica. Geralmente, uma pessoa com doença
psicossomática está frequentemente em consultas médicas ou pronto-socorros
devido a estes sintomas, e o médico costuma ter dificuldade em encontrar a
causa.
Esta situação também é chamada de transtorno de somatização, e é comum
em pessoas ansiosas e depressivas, por isso, para o adequado tratamento é
fundamental a realização de psicoterapia, além do acompanhamento com o
psiquiatra, que poderá indicar medicamentos como antidepressivos e
ansiolíticos para ajudar a aliviar o problema.

Dor no peito pode ser causada por ansiedade


Doenças psicossomáticas mais comuns
Cada pessoa pode manifestar fisicamente as suas tensões emocionais em
diferentes órgãos, podendo simular ou piorar muitas doenças. Os principais
exemplos são:
1. Estômago: dor e queimação no estômago, sensação de enjoo, piora de
gastrites e úlceras gástricas;
2. Intestino: diarréia, prisão de ventre;
3. Garganta: sensação de nó na garganta, irritações mais fáceis constantes
na garganta e amígdalas;
4. Pulmões: sensações de falta de ar e sufocamento, podendo simular
doenças pulmonares ou cardíacas;
5. Músculos e articulações: tensão, contraturas e dores musculares;
6. Coração e circulação: sensação de dores no peito, que pode, até, ser
confundida com infarto, além de palpitações, surgimento ou piora da
pressão alta;
7. Rins e bexiga: sensação de dor ou dificuldade para urinar, que pode imitar
doenças urológicas;
8. Pele: coceira, ardência ou formigamentos;
9. Região íntima: piora da impotência e diminuição do desejo sexual,
dificuldade para engravidar e alterações do ciclo menstrual;
10. Cérebro: crises de dor de cabeça, enxaqueca, alterações da visão, do
equilíbrio e da motricidade, podendo simular doenças neurológicas.
A pessoa com transtorno de somatização pode sofrer por muitos meses ou
anos com estes sintomas até que se descubra a causa. Confira mais
os sintomas que podem surgir nas doenças psicossomáticas.
Como confirmar
O diagnóstico de uma doença psicossomática deve ser feito por um psiquiatra,
mas um clínico geral ou outro especialista podem apontar esta possibilidade,
porque excluem a presença de outras doenças através do exame físico e de
laboratório.
A presença dos principais sintomas ajudam a identificar o problema, e
são coração acelerado, tremores, boca seca, sensação de falta de ar e de nó
na garganta, e podem ser mais ou menos intensos de acordo com piora ou
melhora do estado emocional de cada pessoa. Para confirmar este transtorno,
o médico irá identificar na sua avaliação a existência de pelo menos 4
sintomas, sendo que os mais comuns são os gastrointestinais, os que imitam
doenças neurológicas ou que afeta a região íntima.

O que causa a doença psicossomática


Existem diversas situações que facilitam o desenvolvimento da somatização,
como depressão, ansiedade e estresse. As pessoas mais afetas são as que
sofrem situações como:
 Desgaste profissional e carga horária de trabalho exagerada afetam,
principalmente, pessoas que trabalham com o público como professores,
vendedores e profissionais de saúde, mas estudantes e desempregados
também podem sofrer com estas complicações;
 Trauma na infância ou após acontecimentos marcantes, além de
conflitos de família são algumas situações que podem deixar a pessoa com
medo e desmotivada para seguir em frente;
 Situações de violência psicológica e de desmotivação, como acontece
nos casos de violência doméstica e bullying;
 Muita ansiedade e tristeza em pessoas que não compartilham ou
conversam sobre seus problemas.
Não procurar tratamento para estas situações, por dificuldade em buscar ajuda
ou por achar que é uma situação normal, pode agravar os sintomas ou causar
doenças físicas.
Como é feito o tratamento
O tratamento para estas doenças pode envolver o uso de medicamentos como
analgésicos, anti-inflamatórios e anti-histamínicos para aliviar seus sintomas,
no entanto, é importante o acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra,
para aprender a controlar as emoções, e tratar a verdadeira causa do
problema.
Antidepressivos, como sertralina ou fluoxetina, e ansiolíticos, como
clonazepam, por exemplo, prescritos pelo psiquiatra, ajudam a acalmar e
diminuir a ansiedade, e sessões de psicoterapia são importantes para ajudar
na resolução de conflitos internos.
Algumas medidas simples e naturais também podem ajudar a lidar com os
problemas emocionais, como tomar chás calmantes de camomila e valeriana,
tirar férias para descansar a mente e procurar resolver um problema de cada
vez. Fazer algum tipo de exercício físico como caminhada, corrida, yoga ou
pilates também pode ajudar a liberar endorfinas na corrente sanguínea
promovendo o bem-estar.

Fisioterapia Psicossomática
A Psicossomática é uma ciência que integra todos os aspectos do ser humano,
ou seja, são as exteriorizações das experiências vividas pelo indivíduo em seu
corpo.
O ser humano é constituído por quatro vertentes importantes e são elas:
Biológica: constituição do corpo levando-se em conta todo o seu funcionamento
harmônico;
Psicológica: está ligado ao comportamento e à mente;
Social: é o convívio com o meio onde vive e as pessoas;
Espiritual: é a capacidade em ligar-se a sua espiritualidade independente de
crenças ou religião.
Portanto quando o indivíduo entra em desequilíbrio em umas das vertentes
apresentadas, pode ocorrer a doença.

O trabalho fisioterapêutico com esta visão integral poderá auxiliar na


recuperação deste desequilíbrio, evitando e/ou amenizando a doença.
Esta abordagem é desenvolvida através de uma avaliação minuciosa da
postura e expressão corporal onde são identificadas as expressões simbólicas
que o corpo manifesta em decorrência do desequilíbrio da saúde. Os sintomas
também são observados e contemplados, porém a busca será sempre pela
origem do problema.

As sessões são semanais e as práticas terapêuticas serão indicadas de


acordo com cada caso avaliado, portanto esta abordagem é totalmente
diferenciada e personalizada.