Você está na página 1de 3

Feudos

No feudalismo, um Feudo é a terra ou uma fonte de renda concedida por um suserano ao vassalo,
em troca de fidelidade e ajuda militar. Essa prática desenvolveu-se na alta Idade Média, no governo
de Carlos Magno após o fim do Império Romano e foi a base para o estabelecimento de uma
aristocracia fundiária. O feudalismo era a base rural desenvolvida na idade média. Do feudo nasceu o
chamado feudalismo, que consistia numa organização política e social que se baseava na relação
entre suseranos e vassalos. No feudo se produzia apenas o que seria consumido nele mesmo. Nele
estavam:

Manso Senhorial - terras de domínio do senhor feudal como o moinho e o castelo;

Manso Servil - área de produção de subsistência dos camponeses (servos);

Terras Comunais - lugar onde os servos podiam coletar madeira, fazer pastagens, e onde ficavam os
rios.

A organização do feudo

A organização dos feudos baseou-se em duas tradições: uma de origem germânica, o


comitatus, e a outra de origem romana, o colonato. Pelo comitatus, os senhores da terra,
unidos pelos laços de vassalagem, comprometiam-se a ser fiéis e a honrar uns aos outros. No
colonato, o proprietário de terras dava proteção e trabalho aos colonos que, em troca,
entregavam ao senhor parte de sua produção.

Não é possível avaliar com precisão o tamanho dos feudos, quando estes eram em terras,
mas estima-se que os menores tinham pelo menos 120 ou 150 hectares, algumas fontes
citam que a Manor (território senhorial) possuía uma área que variava entre 1200 e 1800
acres (de 485 a 728 hectares). Cada feudo compreendia uma ou mais aldeias, as terras
cultivadas pelos camponeses, as florestas e as pastagens comuns, a terra pertencente à
igreja paroquial além da casa senhorial (Manor), que ficava na melhor terra cultivável.

Pastos, prados e bosques eram usados em comum. A terra arável era divida em duas partes.
Uma em geral a terça parte do todo, pertencia ao senhor; a outra ficava em poder dos
camponeses.

Nos feudos plantavam-se principalmente cereais (cevada, trigo, centeio e aveia). Cultivavam-
se também favas, ervilhas e uvas.

Os instrumentos mais comuns usados no cultivo eram a charrua ou o arado, a enxada, a pá,
a foice, a grade e o podão. Nos campos criavam-se carneiros que forneciam a lã; bovinos,
que forneciam leite e eram utilizados para puxar carroças e arados; e cavalos, que eram
utilizados na guerra e transporte.
Cálculos

Área total da maquete: 485 Hectares


Manso Senhorial: Equivale a 60% deste território
Manso Comunal: Equivale a 25% deste território
Manso Servil: Equivale a 15% deste território

Fazendo os devidos cálculos temos:

Manso Senhorial: 2.910.000 metros quadrados (291 Hectares);


Manso Comunal: 1.212.500 metros quadrados (121,25 Hectares);
Manso Servil: 725.000 metros quadrados (72,5 Hectares).

Resto dos cálculos á mão:


Maquete
De
História
Ifpb- Campus Itaporanga
Componentes:
Pedro Victor José Klebson
Larissa Bastos Milenna Maria
Jheison Marcos
1ºano “Vespertino”
Tema escolhido:
Feudos