Você está na página 1de 19

ASSOCIAÇÃO

HORTOLANDENS
E DE JUDÔ
2019

1
SENSEI: REINALDO NAIA
SENSEI: SERGIO MATOS
Associação Hortolandense de Judô
(Fundada em 19 de Maio de 1996)

NOÇÕES DE HISTÓRIA E FILOSOFIA


O Judô teve sua origem quando o professor Jigoro Kano procurou sistematizar as técnicas de uma arte
marcial japonesa, conhecida como “Jujistu” e fundamentar sua prática em princípios filosóficos bem
definidos, a fim de torná-la um meio eficaz para o aprimoramento do físico, do intelecto e do caráter, num
processo de aperfeiçoamento do ser humano.
Jigoro Kano, um jovem franzino, graduado em filosofia pela Universidade Imperial de Tóquio, tendo
conhecimento do jujistu, observou que suas técnicas poderiam ter valor educativo na preparação dos jovens,
no sentido de oferecer ao individuo oportunidade de aprimoramento do seu autodomínio para superar a
própria limitação. Assim, passou a ter como meta transformar aquela tradicional arte marcial, num esporte que
pudesse trazer benefícios para o homem, ao invés de utilizá-la como arma de defesa pessoal simplesmente.
Aprofundou seus estudos, pesquisando e analisando as técnicas conhecidas; o professor Kano
organizou-as de forma a constituir um sistema adequado aos métodos educacionais, como uma disciplina de
educação física, evitando as ações que pudessem ser lesivas a sua prática por qualquer leigo. Com esse intuito,
em 1882, fundou sua própria escola e, para distinguir, de maneira evidente das formas que identificavam o
antigo Jujistu, denominou de JUDÔ KODOKAN (Instituto do Caminho da Fraternidade), destinada a
formação e preparação integral do homem através das atividades físicas de luta corporal e do aperfeiçoamento
moral, sustentada pelos princípios filosóficos e exaltação do caráter. Jigoro Kano transformou a arte marcial
do antigo Jujitsu no “Caminho da Suavidade” (JUDÔ) em que através dos métodos de ataque e defesa
podem-se adquirir qualidades mais favoráveis à vida do homem, sob três aspectos: condicionamento físico,
espírito de luta e atitude moral autêntica.
Na transformação do Jujitsu para o Judô, há um significado profundo segundo Jigoro Kano. Ele
próprio explica que, no antigo Jujitsu, o treinamento se resumia ao sistema de ataque e defesa, mas no Judô,
embora os exercícios livres e pré-combinados (KATAS) fossem iguais aos do Jujitsu, a base de tudo estava no
DÔ (caminho ou moral), dando ênfase especial a isso. Portanto, no Judô, o Jitsu (técnica ou arte) não passa de
um meio para se ingressar num grande caminho. Para deixar isso bem claro, frisou ele, propôs o nome de
Judô.
O judô fundado Poe ele difere fundamentalmente do Jujitsu, constituindo no grande caminho com as
três metas: educação física, competição e aperfeiçoamento espiritual. É o caminho para a formação de pessoas
educadas integralmente, como esporte ao mesmo tempo competitivo, educação física racional e treinamento
do espírito e do corpo. Pode ser bem expresso nas seguintes palavras de Jigoro Kano: “O Judô é o

2
caminho para o uso ideal da força espiritual e física. Esse treino,
através da prática da defesa e do ataque, aperfeiçoa não só o
corpo e o espírito, mas também a moral. Assim pelo
aperfeiçoamento próprio, tornar-se útil a humanidade é o objetivo
capital do Judô”.
PRINCÍPIOS FILOSÓFICOS

A aquisição daquelas qualidades citadas anteriormente tem como alicerce os três princípios filosóficos
definidos por Jigoro Kano que, como ditado por ele mesmo evidenciam a principal diferença entre o JUDÔ
KODOKAN e o antigo Jujitsu: “O Judô pode ser resumido como a elevação de

uma simples técnica a um princípio de viver” (Jitsu = técnica; Dô = princípio).


Esses princípios, mesmo não sendo conscientemente esclarecidos e compreendidos, estão presentes em todos
os atos e atividades do praticante de Judô. Por outro lado, quando o praticante tiver fixado e tomar consciência
dos princípios que norteiam o Judô, pode-se verificar que não são restritos ao Dojô (local de treinamento),
mas são igualmente válidos em qualquer atividade da vida diária, quando se pretende atingir um determinado
objetivo.
Os três princípios do Judô são:
JU = Suavidade
SEIRYOIKU-ZEN-YO = Máxima eficiência com mínimo esforço
JITA-KYOEI = Bem estar e benefícios mútuos
O principio da máxima eficiência e aplicado a elevação ou perfeição do espírito e do corpo na ciência
do ataque e da defesa, exige primeiramente ordem e harmonia de todos os membros de uma coletividade e isto
pode ser atingido com o auxilio e as concessões entre si para atingir a prosperidade e os benefícios mútuos.
O espírito final do Judô, por conseguinte, é de incluir no intimo do homem o respeito pelos princípios
da máxima eficiência, da prosperidade e benefícios mútuos e da suavidade, para poder atingir,
individualmente e coletivamente seus estados mais elevados e ao mesmo tempo mais desenvolvidos na arte de
ataque e defesa.
O professor Kano afirma o seguinte: “Ainda que eu considere o Judô

dualisticamente, a prosperidade e benefícios mútuos podem ser


vista como sua finalidade ultima e a máxima eficiência como meio
para atingir esse fim. Essas doutrinas são aplicáveis a todas as
condutas do ser humano”.

REI-HO (SAUDAÇÃO)
3
O Judô começa e termina com a saudação e, é ela que o diferencia de outros esportes, ela é um sinal de
respeito e humildade, deve ser feita sempre corretamente, em todos os detalhes.

DADOS BIOGRÁFICOS DO PROFESSOR JIGOTO KANO

18/10/1860 - Data de Nascimento.


1877 - Ingressa na Universidade Imperial de Tóquio.
- Torna-se aluno do Mestre Fukuda (Jujitsu).
1878 - Funda o primeiro clube de basebol do Japão.
1881 - Licenciado em Letras.
- Torna-se aluno da escola de Kito (Jujitsu).
1882 - Forma-se em Ciências Estéticas e Morais.
- Em Fevereiro, funda sua escola da qual deu o nome de Judô Kodokan.
- Em Agosto é nomeado professor no Colégio dos Nobres.
1884 - Nomeado Adido do Palácio Imperial.
1886 - Nomeado Vice-Presidente do Colégio dos Nobres.
1889 - Viaja à Europa como Adido da Casa Imperial.
1899 - Torna-se Presidente do Butokukai (Centro de Estudo de Artes Militares).
1907 - Elabora os três primeiros KATAS do Judô.
1909 - Torna-se membro do Comitê Olímpico Internacional, como primeiro
representante do Japão.
1911 - Eleito Presidente da Federação Desportiva do Japão.
1922 - Passa a ter assento na Câmara Alta do Parlamento Japonês.
1924 - Nomeado Professor Honorário da Escola Normal Superior de Tóquio.
1928 - Participa da Assembléia Geral dos Jogos Olímpicos de Amsterdã.
04/05/1938 - Morre aos 78 anos, a bordo do navio que o transportava ao Cairo, onde se realizava a
Assembleia Geral do Comitê Internacional dos Jogos Olímpicos.

4
EVOLUÇÃO CRONOLÓGICA DO JUDÔ

1882 - Fundação do Judô KODOKAN.


1886 - Histórica competição entre artes marciais, inclusive o Judô; da qual vence o Judô
Kodokan, passando assim, a ser praticado pela polícia japonesa.
1902 - O Judô chega aos Estados Unidos.
1905 - O Judô chega à França.
1909 - Jigoro Kano torna-se colaborador do Barão Pierre de Coubertein no movimento
Olímpico, permanecendo até sua morte.
1947 - Primeira Competição entre frança e Inglaterra.
1948 - Fundação da União Européia de Judô.
1949 - Fundação da União Asiática de Judô.
1951 - Primeira Competição na Inglaterra, com a participação da Argentina.
1952 - Fundação da União PA-Americana de Judô.
1954 - Primeiro Campeonato Brasileiro de Judô.
1956 - Primeiro Campeonato Mundial de Judô, em Tóquio.
- Primeira participação do Brasil em um Campeonato Internacional.
- Segundo Campeonato Pan-Americano de Judô.
1957 - Fundação da Oceânica de Judô.
1958 - Fundação da Federação Paulista de Judô.
1963 - Fundação da União Africana de Judô.
1964 - O Judô é aceito nos Jogos Olímpicos de Tóquio, com apenas três categorias.
1969 - Fundação da Confederação Brasileira de Judô (até então, o Judô era regido pela
Confederação Brasileira de Pugilismo).
1972 - O Judô passa a ser definitivamente esporte Olímpico.
19/05/96 - Criada a Associação Hortolandense de Judô

5
FUNDAMENTOS

JUMBI TAISÔ – (AQUECIMENTO / PREPARAÇÃO)

Deve-se tomar cuidado para não entrar “frio”, em um treino ou competição, pois tem todas as chances
de sofrer um estiramento, uma torção, etc.
É indispensável uma preparação, na qual o aluno (atleta) vá, gradativamente se aquecendo e
preparando o corpo para uma carga de esforço maior e mais prolongada.

UKEMI – (AMORTECIMENTO DE QUEDAS)

Quando estava na preparação para o lançamento de seu estilo de luta, Jigoro Kano deu especial atenção
à integridade física do aluno (atleta), já que os outros estilos de luta, mostravam-se negligentes nessa área e,
mesmo assim, incentivavam golpes perigosos. Na impossibilidade de eliminar as quedas, consequências dos
golpes de arremesso, o mestre Jigoro Kano, aperfeiçoou técnicas que praticamente anulam as possibilidades
de acidente. A prática do UKEMI, proporciona um excelente senso de equilíbrio e proteção, mesmo uma
queda fora do tatame, terá seus efeitos sensivelmente diminuídos.
Quando praticar o UKEMI, devemos oferecer a maior área possível para o impacto (as costas) e fazer
o batimento de mãos e braços para emitir uma corta-onda de choque, a fim de atenuar a batida das costas no
tatame.
Quanto as quedas com rolamentos, o ideal é tornar o corpo tanto quanto possível uma “bola”, que
aproveite o impulso e role, diminuindo o impacto.

KUMI KATA – (PEGADA)

O Kumi Kata pode ser pela direita ou esquerda (Migui ou Hidari), dependendo do braço que segura na
gola do Kimono do parceiro (adversário), o outro braço, fica por fora e segura a parte externa da manga
(Sodê).
Para uma boa pegada é necessário base e força nos braços, nos pulsos nas mãos e nos dedos. A base é o
posicionamento dos pés, pernas e tronco, que quando em posição de defesa tornam-se um bloco firme, coeso e
resistente.

KUZUSHI / TSUKURI / KAKE


(DESEQUILÍBRIO / POSICIONAMENTO / ARREMESSO)

O Kuzushi deve-se ser feito com um mínimo de esforço com a máxima de eficiência.
6
Na aplicação de um golpe, há duas possibilidades. Uma é escolher a técnica para depois preparar o
adversário para recebe-la; a outra é aproveitar um eventual desequilíbrio para aplicar a técnica mais
conveniente e oportuna. Em ambos os casos, pode ser direcionada para qualquer um dos pontos cardeais ou
colaterais, tendo, portando, oito direções possíveis.

GEIKO
(TREINAMENTO)

TENDOKU RENSHIU – Sombra ou treinamento, com ou sem espelho ou aparelhos, em que se procura
lapidar os golpes e melhorar a rapidez.

UCHI-KOMI – É possível aos pares e também em trio, visando o aprimoramento das técnicas, da rapidez e
da força localizada. Dá-se o nome de entrada de golpes, porque faz o kuzushi e o tsukuki, para e volta ao
inicio, sem completar o arremesso.

YAKO-SOKU-GEIKO – Treino aos pares livre e bem leve, sem defesa e movimentando-se “solto”,
explorando-se toda e qualquer chance de golpe. Visa principalmente condicionar os sentidos para o
aproveitamento das oportunidades que vierem a se oferecer, durante o combate.

KAKARI-GEIKO – É o ataque consecutivo de esquerda e direita, com leve defesa do companheiro, que
apenas utiliza-se do TAI-SABAKI. Este treinamento também é excelente para o condicionamento físico.

RENRAKU-RENKA-WAZA – Este treinamento permite o estudo e aperfeiçoamento das técnicas que se


completam, se combinam.

KAESHI-WAZA - É o Treinamento dos contragolpes.

RANDORI – É o treinamento livre e completo, onde o aluno emprega todo o seu conhecimento e capacidade.
É onde se testa a própria eficiência para conhecer os pontos negativos e possibilidades. Pode-se dizer que é a
prova final, antes do SHIAI.

SHIAI – É o combate, a meta final para qual o atleta se prepara por longos períodos. É onde em poucos
minutos ou mesmo segundos, todo o esforço pode ser coroado de êxito, ou momentaneamente posto por terra.
No caso da derrota, o atleta deve raciocinar, procurar a falha e corrigi-la. Para na próxima tentativa, obter a
vitória almejada.

O JUDOGI (UNIFORME DO JUDÔ)

O Professor Jigoro Kano, observou que não existia uma vestimenta específica para a prática do antigo
Ju Jitsu, então, em meados de 1906, criou uma vestimenta que atendesse as especificações do Judô, nascendo
assim o Judogui.
O JUDOGI, representa nossa mente, por isso deve ser branco, puro e imaculado; a faixa corresponde
ao nosso caráter, nossa formação judoística, ela nos envolve de muita responsabilidade em nossos atos dentro
e fora do tatame; o nó, é a nossa fé, nosso respeito, nosso compromisso, por isso nunca devemos desamarrar
nossa faixa.
7
O Judogui é composto por: Wagi – Blusa ou Casaco
Obi – Faixa
Shitabaki – Calça
Zori – Chinelo
*Obs.; Apenas as mulheres, usam uma camiseta por baixo do Wagi (casaco).

O JUDOGI AZUL

O JUDOGUI Azul, foi aprovado pela Federação Internacional de Judô para facilitar as
transmissões pela televisão, para facilitar ao publico leigo, em diferenciar os lutadores e para deixar a luta
mais atraente para quem assiste.

EXAME DA FAIXA BRANCA PARA FAIXA AZUL


6º KYU

1. AMARRAR CORRETAMENTE A FAIXA

2. CONTAR ATÉ 10, EM JAPONÊS:

1 – ITI 5 – GÔ 9 – KIU
2 – NI 6 – RÔKU 10 – JU
3 – SAN 7 – SHITI
4 – SHI 8 – HATI

3. UKEMI (QUEDAS)
 CAMBALHOTA PARA FRENTE
 CAMBALHOTA PARA TRÁS
 USHIRO UKEMI (QUEDA DE COSTA)
 YOKO UKEMI (QUEDA DE LADO)

4. NAGUE WAZA (TÉCNICA DE ARREMESSO)


 O SOTO-GARI
 DE ASHI HARAI
 O GOSHI
 IPON SEOI NAGUE

5. OSSAE WAZA (TÉCNICA DE IMOBILIZAÇÃO)


 HON KEZA GATAME
 YOKO SHIRO GATAME
 KAMI SHIRO GATAME
 KUZURE KEZA GATAME

6. RENRAKU WAZA (COMBINAÇÃO TÉCNICA)


 DE ASHI HARAI – O SOTO-GARI

8
7. DEMONSTRAR 02 VIRADAS: Quando UKE está de barriga para baixo

8. Vocabulário:
 Professor em Japonês: Sensei
 Nome do criador do Judô: Jigoro Kano
 Uniforme do Judô: Judogui ou Kimono
 Colchão para treinamento do Judô: Tatame
 Matê = Parar
 Hajimê = Começar
 Soremadê = Terminar
 Kiotsukê = Atenção

9. PRINCÍPIO DO JUDÔ: QUEM TEME PERDER JÁ ESTÁ VENCIDO

APENAS PARA MAIORES DE 15 ANOS


1. SHIME WAZA (TÉCNICA DE ESTRANGULAMENTO)

 OKURI ERI JIME


 NAMI JUJI JIME

2. KANSETSU WAZA (TÉCNICA DE CHAVE DE BRAÇO)

 UDE GATAME
 JUJI GATAME

9
EXAME DA FAIXA AZUL PARA FAIXA AMARELA
5º KYU
Idade Mínima: 9 anos / tempo de treino: 6 meses na faixa anterior

1. ZEMPÔ KAITEM UKEMI

2. NAGUE WAZA (TÉCNICA DE ARREMESSO)

 SASSAE TSURI KOMI ASHI


 OUCHI GARI

3. OSSAE WAZA (TÉCNICA DE IMOBILIZAÇÃO)

 TATE SHIRO GATAME


 KATA GATAME

4. RENRAKU WAZA (COMBINAÇÃO TÉCNICA)

 DE ASHI HARAI – KO SOTO GAKE


 DE ASHI HARAI – KIBISU GAESHI
 IPON SEOI NAGUE – KOUCHI MAKI KOMI
 KOUCHI GARI – OUCHI GARI

5. KAESHI WAZA (TÉCNICA DE CONTRA GOLPE)

 O SOTO-GARI – O SOTO GAESHI


 HARAI GOSHI – USHIRO GOSHI
 HANE GOSHI – USHIRO GOSHI

6. DEMONSTRAR 3 VIRADAS: Quando UKE está de barriga para baixo

7. Vocabulário:

10
 Entrada de Golpes = Uchikomi
 Treino Livre = Randori
 Competição = Shiai
 Academia = Dojô
 Local de Competição = Shiai Jô
 Judoca Ativo (O que aplica): Tori
 Judoca Passivo (O que recebe): Uke

8. TIPOS DE POSTURA:
 Postura Natural = Shizen Hontai
 Postura Natural a Direita = Migui Shizentai
 Postura Natural a Esquerda = Hidari Shizentai
 Postura Defensiva = Jigo Hontai
 Postura Defensiva à Direita = Migui Jigotai
 Postura defensiva à Esquerda = Hidari Jigotai

9. DESLOCAMENTO SOBRE O TATAMI:

 Passo Normal em Todas as Direções: Ayumi Ashi


 Passo Normal Arrastado: Tsuri Ashi
 Passo Sobre Passo: Tsugui Ashi

10. PRINCÍPIO DO JUDÔ:


 O Judoca não se aperfeiçoa para lutar, luta para se aperfeiçoar.

APENAS PARA MAIORES DE 15 ANOS


1. SHIME WAZA (TÉCNICA DE ESTRANGULAMENTO)

 GIAKU JUJI JIME

2. KANSETSU WAZA (TÉCNICA DE CHAVE DE BRAÇO)

 UDE GARAMI
11
EXAME DA FAIXA AMARELA PARA FAIXA LARANJA
4° Kyu
Idade Mínima: 10 anos / tempo de treino: 12 meses na faixa anterior

1. NAGUE WAZA (TÉCNICA DE ARREMESSO)

 HIZA GURUMA
 KOUCHI GARI
 UKI GOSHI
 KO SOTO GARI
 KOSHI GURUMA
 TSURI KOMI GOSHI
 OKURI ASHI HARAI
 TAI OTOSHI
 HARAI GOSHI
 UCHI MATA

2. OSSAE WAZA (TÉCNICA DE IMOBILIZAÇÃO)

 USHIRO KEZA GATAME


 KUZURE YOKO SHIRO GATAME

3. RENRAKU WAZA (COMBINAÇÃO TÉCNICA)

 HARAI GOSHI – UCHI MATA


 KOUCHI GARI – IPON SEOI NAGUE
 MOROTE SEOI NAGUE – SEOI OTOSHI
 KOSHI GURUMA – OUCHI GARI
 DE ASHI HARAI – SODÊ TSURI KOMI GOSHI
 IPON SEOI NAGUE – SEOI OTOSHI
12
 HARAI GOSHI – O SOTO-GARI
 KOUCHI GARI – KIBIZU GAESHI

4. KAESHI WAZA (TÉCNICA DE CONTRA GOLPE)

 HARAI GOSHI – TÊ GURUMA


 KO SOTO GAKE – UCHI MATA
 O GOSHI – TSURI GOSHI
 OUCHI GARI – OUCHI GAESHI
 SASSAI TSURI KOMI ASHI – KO SOTO GAKE
 UCHI MATA – SUKASHI NAGUE

5. DEMONSTRAR 5 VIRADAS: Quando UKE está de barriga para baixo

6. VOCABULÁRIO

 JUDÔ = Caminho da Suavidade

7. DEMONSTRAR TAISSABAKI: Movimento Rotatório

8. DEMONSTRAR UMA DEFESA (FUSSEGUI) DE TATI WAZA (Técnica em pé)

9. DEMONSTRAR 8 TIPOS DE KUZUSHI: DESEQUILÍBRIO

10. PRINCÍPIO DO JUDÔ: Somente se aproxima da perfeição, quem a procura


com constância, sabedoria e, sobretudo a humildade.

11. DEMONSTRAR 2 ESCAPADAS DE OSSAE KOMI (Imobilização)

APENAS PARA MAIORES DE 15 ANOS


1. SHIME WAZA (TÉCNICA DE ESTRANGULAMENTO)

 KATA JUJI JIME


 KATAHA JIME

2. KANSETSU WAZA (TÉCNICA DE CHAVE DE BRAÇO)

 WAKI GATAME
 HIZA GATAME

13
EXAME DA FAIXA LARANJA PARA FAIXA VERDE
3° Kyu
Idade Mínima: 12 anos / tempo de treino: 12 meses na faixa anterior

1. NAGUE WAZA (TÉCNICA DE ARREMESSO)

 KO SOTO GAKE
 TSURI GOSHI
 YOKO OTOSHI
 ASHI GURUMA
 HANE GOSHI
 HARAI TSURI KOMI ASHI
 TOMOE NAGUE
 KATA GURUMA

2. OSSAE WAZA (TÉCNICA DE IMOBILIZAÇÃO)

 MAKURA KEZA GATAME

3. RENRAKU WAZA (COMBINAÇÃO TÉCNICA)

 DE ASHI HARAI – TANI OTOSHI


 HIZA GURUMA – O SOTO GARI
 KO SOTO GARI – TANI OTOSHI
 KOUCHI GARI – UCHI MATA
 MOROTE SEOI – KATA GURUMA
 O SOTO-GARI – HARAI GOSHI

4. KAESHI WAZA (TÉCNICA DE CONTRA GOLPE)


14
 UCHI MATA – TE GURUMA
 O SOTO-GARI – TE GURUMA
 O GOSHI – TANI OTOSHI
 HARAI GOSHI – HARAI GOSHI GAESHI
 HIZA GURUMA – KIBISU GAESHI

5. DEMONSTRAR 6 TIPOS DE VIRADA: Quando UKE está de barriga para


baixo.

6. DEMONSTRAR A 1ª SÉRIE DO NAGUE NO KATA

7. VOCABULÁRIO:

 RANDORI: Treino Livre


 SHIAI: Competição

8. DEMONSTRAR UMA PASSAGEM DE GUARDA DE PERNAS

APENAS PARA MAIORES DE 15 ANOS


1. SHIME WAZA (TÉCNICA DE ESTRANGULAMENTO)

 HADAKA JIME
 SODE GURUMA JIME

2. KASETSU WAZA (TÉCNICA DE CHAVE DE BRAÇO)

 HARA GATAME

15
EXAME DA FAIXA VERDE PARA FAIXA ROXA
2° Kyu
Idade Mínima: 13 anos / tempo de treino: 12 meses na faixa anterior

1. NAGUE WAZA (TÉCNICA DE ARREMESSO)

 SUMI GAESHI
 TANI OTOSHI
 HANE MAKIKOMI
 SUKUI NAGUE
 UTSURI GOSHI
 Ô GURUMA
 SOTO MAKIKOMI
 UKI OTOSHI

2. OSSAE WAZA (TÉCNICA DE IMOBILIZAÇÃO)

 KUZURE KAMI SHIRO GATAME

3. RENRAKU WAZA (COMBINAÇÃO TÉCNICA)

 UCHI MATA – KOUCHI GARI


 OUCHI GARI – KUCHIKI TAOSHI
 O SOTO-GARI – O SOTO OTOSHI
 HARAI GOSHI – HARAI MAKIKOMI
 KOUCHI GARI – HARAI GOSHI
 O SOTO-GARI – O SOTO GURUMA
 OUCHI GARI – MOROTE SEOI NAGUE

16
4. KAESHI WAZA (TÉCNICA DE CONTRA GOLPE)

 KOUCHI GARI – KOUCHI GARI GAESHI


 KOUCHI GARI – HIZA GURUMA
 O GOSHI – TSURI GOSHI
 O SOTO-GARI – USHIRO GOSHI
 O SOTO-GARI – KO SOTO GAKE

5. DEMONSTRAR 7 TIPOS DE VIRADA: Quando UKE está de barriga para


baixo.

6. DEMONSTRAR A 1ª e 2ª SÉRIE DO NAGUE NO KATA

7. CLASSIFICAÇÃO DAS TÉCNICAS

 NAGUE WAZA (TÉCNICA DE PROJEÇÃO)

 Tati Waza: Técnica Em pé


 Tê Waza: Técnica de Braço
 Koshi Waza: Técnica de Quadril
 Ashi Waza: Técnica de Pé ou Perna

APENAS PARA MAIORES DE 15 ANOS


1. SHIME WAZA (TÉCNICA DE ESTRANGULAMENTO)

 MAE SANKAKU JIME


 KATATE JIME
 USHIRO SANKAKU JIME

17
EXAME DA FAIXA ROXA PARA MARROM
1° Kyu
Idade Mínima: 14 anos / tempo de treino: 12 meses na faixa anterior

1. NAGUE WAZA (TÉCNICA DE ARREMESSO)

 O SOTO GURUMA
 UKI WAZA
 YOKO WAKARI
 USHIRO GOSHI
 URA NAGUE
 SUMI OTOSHI
 YOKO GAKE

2. RENRAKU WAZA (COMBINAÇÃO TÉCNICA)

 OUCHI GARI – TAI OTOSHI


 OUCHI GARI – UCHI MATA
 SASSAE TSURI KOMI ASHI – DE ASHI HARAI
 SASSAE TSURI KOMI ASHI – O SOTO-GARI
 SODE TSURI KOMI GOSHI – HARAI GOSHI
 TSURI KOMI GOSHI – HARAI GOSHI
 UCHI MATA – TAI OTOSHI
 UKI GOSHI – O GOSHI

3. KAESHI WAZA (TÉCNICA DE CONTRA GOLPE)

 OUCHI GARI – IPON SEOI NAGUE


 OUCHI GARI – TOMOE NAGUE
 OKURI ASHI HARAI – TSUBAME GAESHI
18
 TAI OTOSHI – KO SOTO GARI
 UCHI MATA – TAI OTOSHI

4. DEMONSTRAR 8 TIPOS DE VIRADA

- Quando UKE está de barriga para baixo

5. DEMONSTRAR A 1ª, 2ª e 3ª SÉRIE DO NAGUE NO KATA

6. DEMONSTRAR NOÇÕES BÁSICAS DE ARBITRAGEM

- Voz de Comando
- Gestos
- Avaliação
- Atuar como oficial de mesa em duas competições

APENAS PARA MAIORES DE 15 ANOS


1. SHIME WAZA (TÉCNICA DE ESTRANGULAMENTO)

 JIGOKU JIME
 TSUKOMI JIME
 YOKO SANKAKU JIME
 RIOTE JIME

19