Você está na página 1de 8

História A 12.

º ano

O tempo da Guerra Fria

1. Analisa o documento e, considerando os pressupostos e objetivos da OTAN, seleciona as


opções corretas.

“Os Estados Partes no presente Tratado, reafirmando a sua fé nos intuitos e princípios da
Carta das Nações Unidas e o desejo de viver em paz com todos os povos e com todos os Governos.
Decididos a salvaguardar a liberdade, a herança comum e a civilização dos seus povos,
fundadas nos princípios da democracia, das liberdades individuais e do respeito pelo direito, […]
Acordam no presente Tratado do Atlântico Norte:
Art. 1º
As Partes comprometem-se, de acordo com o estabelecido na Carta das Nações Unidas, a
regular por meios pacíficos todas as divergências internacionais em que possam encontrar-se
envolvidas por forma que não façam perigar a paz e a segurança internacionais […].
Art. 3º
A fim de atingir mais eficazmente os fins deste Tratado, as Partes, tanto individualmente
como em conjunto, manterão e desenvolverão, de maneira contínua e efetiva, pelos seus próprios
meios e mediante mútuo auxílio, a sua capacidade individual e coletiva de resistir a um ataque
armado. […]”
Tratado do Atlântico Norte, Washington, 4 de abril de 1949

a) O plano Marshall constituiu o primeiro passo na contenção do comunismo e foi considerado


como o momento de institucionalização da Guerra Fria.
b) A questão do Bloqueio de Berlim veio acelerar as negociações que conduziram à assinatura
do Tratado do Atlântico Norte.
c) O Tratado do Atlântico Norte tornou-se o símbolo do bloco ocidental.
d) O pacto da OTAN revela a confiança nas relações internacionais e nega a necessidade de
consolidação da área de influência dos EUA.
e) O Tratado do Atlântico Norte formalizou-se entre os EUA, o Canadá e dez nações da Europa
de leste.

2. Associa o número do item da coluna I à letra identificativa do elemento da coluna II.

Coluna I Coluna II
1 – OTAN A – Especifica a regulação por meios pacíficos de todas as
divergências internacionais de modo a garantir a paz e a
segurança internacional, mantendo a capacidade individual
e coletiva de resistência a ataques armados no atlântico
norte.

2 – OTASE B – Prevê que os esforços individuais das partes envolvidas


sejam utilizados em benefício de todos, proibindo a reunião
de exércitos terrestres tão potentes como os que o
comunismo internacional dispõe na Ásia.

1/8
História A 12.º ano

3. Considerando a política económica e social das democracias ocidentais, associa o número do


item da coluna I à letra identificativa do elemento da coluna II.

Coluna I Coluna II
1 – Social-democracia A – Designação atribuída aos países onde o Partido
Comunista se impôs como partido único, controlando as
instituições, a economia, a sociedade e cultura.
2 – Democracia cristã B – Corrente do socialismo que, rejeitando a via
revolucionária proposta por Marx, propõe a participação
democrática como forma de atingir o poder; conjuga o
pluralismo democrático, a livre concorrência económica e o
intervencionismo do Estado, de modo a promover o bem-
estar social dos cidadãos.
3 – Democracia popular C – Corrente política inspirada na doutrina social da Igreja
que pretende aplicar à vida política os princípios da justiça,
entreajuda e valorização da pessoa humana; condena os
excessos do liberalismo capitalista propondo a subversão do
espírito laico da democracia.

4. Considera a afirmação do Estado-Providência e seleciona a opção que completa


corretamente a frase.

A estruturação do Estado-Providência efetivou-se através…

a) da ideia de que a economia deve estar ao serviço da sociedade, cabendo ao Estado garantir
o bem-estar de todos os cidadãos.
b) do conceito de intervencionismo estatal, competindo ao Estado adotar medidas de modo
a onerar as camadas desfavorecidas redistribuindo os rendimentos pela saúde pública,
educação e segurança social das populações.
c) da criação de um sistema de proteção social aplicável apenas à população empregada,
ampliando as responsabilidades estatais à habitação, ensino e assistência médica.

5. Considera as economias de direção central e classifica as afirmações em verdadeiras (V) ou


falsas (F).

a) A industrialização foi um dos maiores êxitos das economias planificadas.


b) Apesar da falta de investimento e da deficiente gestão dos kolkhoses, o setor agrícola
conseguiu manter um nível de produtividade elevado.
c) Do ponto de vista social, o nível de vida das populações não acompanhou o progresso
económico: as jornadas de trabalho continuaram excessivas, os salários subiam a um
ritmo lento e a população urbana vivia em bairros insalubres, superpovoados e periféricos.

2/8
História A 12.º ano

6. Analisa o documento e identifica dois dos argumentos de Estaline para a política


internacional da URSS no pós-guerra.

“O senhor Churchill está a incitar à guerra. […] O senhor Churchill e os seus amigos julgam que as nações
de língua inglesa […] deveriam dirigir as restantes nações do mundo… Como resultado da invasão e da
ocupação alemã e devido à deportação de cidadãos soviéticos para os campos de trabalho forçado na
Alemanha [durante a guerra], a URSS perdeu sete milhões de pessoas. […] Pode-se pois perguntar o que
há de surpreendente no facto de, com o objetivo de garantir a nossa segurança futura, desejarmos que os
países [da Europa de Leste] tenham governos cujas relações com a União Soviética assentem na lealdade?
[…] O aumento da influência do comunismo não pode ser considerado acidental. […] Cresceu porque, durante
os duros anos de domínio fascista na Europa, os comunistas foram, na luta contra os regimes fascistas em
prol da liberdade dos povos, combatentes fiáveis, audazes e com espírito de sacrifício.”
Reação de Estaline ao discurso da «Cortina de Ferro», de Churchill – entrevista no jornal Pravda (14.março.1946)

7. Identifica as razões do crescimento económico do pós-guerra na Europa Ocidental.

8. Partindo do documento, explicita o processo de expansão do comunismo na Europa.

“Os novos regimes dos anos 40, não obstante todos se tivessem tornado possíveis na Europa pela vitória do
Exército Vermelho, só em quatro casos foram impostos exclusivamente pela força desse exército: na Polónia;
na parte ocupada da Alemanha; na Roménia (…); e, substancialmente, na Hungria. Na Jugoslávia e na
Albânia foi muito mais uma criação interna; na Checoslováquia, os 40% de votos do partido comunista em
1947 refletiam quase certamente uma verdadeira força na época, e, na Bulgária, a influência comunista era
reforçada pelo sentimento russófilo tão universal naquele país. O poder comunista na China, na Coreia e na
antiga Indochina francesa – ou melhor, após a divisão da Guerra Fria, na parte norte desses países – nada
deveu às armas soviéticas, embora depois de 1949 os regimes comunistas menores beneficiassem, durante
algum tempo, do apoio chinês. Os acréscimos posteriores ao “campo socialista”, a começar por Cuba,
abriram o seu próprio caminho até lá, embora os movimentos guerrilheiros de libertação da África pudessem
contar com forte apoio soviético.”
Eric Hobsbawm, Age of Extremes, The Short Twentieth Century – 1914-1991, Michel Joseph, 1994

9. Associa o número do item da coluna I à letra identificativa do elemento da coluna II.


Considera a construção da nova ordem internacional do pós-guerra.

Coluna I Coluna II
1 – Conferência de Ialta A – Definição das fronteiras da Polónia;
B – Proposta de base das reparações de guerra a pagar pela
Alemanha.
2 – Conferência C – Julgamento dos criminosos de guerra nazis no Tribunal de
de Potsdam Nuremberga.
D – Divisão, ocupação e desnazificação da Áustria.
E – Divisão provisória da Alemanha em quatro áreas de
ocupação geridas pelos EUA, URSS, Grã-Bretanha e França.
F – Proposta de base das reparações de guerra a pagar pela
Alemanha.
G – Administração conjunta da cidade de Berlim e divisão em
quatro setores de ocupação.

3/8
História A 12.º ano

10. Resume as principais diretrizes dos acordos de Bretton Woods.

11.Seleciona as opções corretas.

A primeira vaga de descolonização foi impulsionada:


a) pelo despertar das “consciências” dos povos submetidos em relação à injustiça da sua
situação de dependência.
b) pela apologia do domínio colonial na Carta das Nações Unidas.
c) pelo desmoronamento do domínio europeu de acordo com o impacto da 2ª Guerra Mundial.
d) pela pressão exercida pelas superpotências (EUA e URSS) e pela ONU que apoiam os
movimentos independentistas.

12. Analisa o documento e, com base nos teus conhecimentos e na informação recolhida,
problematiza as consequências da criação do Estado de Israel.

“A Terra de Israel é o lugar onde nasceu o povo judeu: Foi lá que se formou a sua identidade espiritual,
religiosa e nacional, (…) foi lá que escreveu a Bíblia. (…) Em 1897, o primeiro congresso sionista, inspirado
pela visão de Estado judaico de Teodoro Herzi, proclamou o direito do povo judeu ao renascimento no seu
próprio país. O recente holocausto, que aniquilou milhões de judeus na Europa, mostrou de novo a
necessidade de resolver o problema da falta de pátria e de independência do povo judeu, pelo
restabelecimento do Estado judaico. A Assembleia-Geral da ONU adotou uma resolução recomendando a
criação de um estado judaico na Palestina. […]”
David Ben Guiron, discurso de pronunciamento da Declaração do Estado de Israel, Telavive, 1948

13. Considerando as democracias populares nas décadas de 40 e 50, descreve contestação


soviética pelo mundo socialista.

14. Define Guerra Fria.

15. Associa o número do item da coluna I à letra identificativa do elemento da coluna II.

Coluna I Coluna II
1 – Bloco de leste A – Kominform
2 – Bloco ocidental B – NATO
C – Pacto de Varsóvia
D – CIA
E – KGB
F – COMECOM
G – OECE
H – ANZUS

4/8
História A 12.º ano

16. Identifica o significado do Pacto de Varsóvia.

17. Avalia a importância da crise de Cuba.

18. Considerando em particular o setor da indústria, caracteriza sucintamente a economia


soviética do pós-guerra à década de 80.

19. Define multinacional.

5/8
História A 12.º ano

O tempo da Guerra Fria Soluções

1.
a), b) ,c)

2.
1–A
2–B

3.
1–B
2–C
3–A

4.
a)

5.
a), c)

6.
Estaline responsabiliza o ocidente pelas atitudes belicistas e pelas intenções imperialistas e
valoriza o papel da URSS na luta contra os regimes fascistas relacionando-o com o crescimento
dos regimes comunistas.

7.
Os principais fatores a considerar são:
- a reconversão da economia de guerra na economia de paz, possível através do auxílio económico
do Plano Marshall, que potenciou a rapidez desse restabelecimento;
- os países da OECE conseguem estabilizar as suas moedas e aumentar as reservas de ouro e
divisas, o que conduziria à formação de capital;
- o aumento regular do poder de compra, que se potenciou através do crédito e de apuradas
técnicas de publicidade, conduzindo ao consumo de massa;
- o desenvolvimento das indústrias de ponta, juntamente com grandes descobertas científicas e
técnicas;
- a expansão dos serviços, que permitiria reconduzir trabalhadores de outros setores.

8.
A permanência do Exército Vermelho nos territórios que ocupara durante a 2.ª Guerra Mundial
constituiu um escudo protetor contra o avanço capitalista. Paralelamente, a Europa Central e
Oriental sofreu um processo de sovietização e foram constituídas democracias populares. Na
Albânia e na Jugoslávia, verificou-se a tomada de poder pelos próprios meios do partido
comunista. Na Polónia, na Roménia e na Bulgária, a união soviética favorece a formação de
Frentes Nacionais e governos de coligação (onde ocorrem depurações). Na Hungria e na
Checoslováquia, realizam-se eleições livres a seguir à guerra. Na Checoslováquia, um partido
comunista forte procurou a via para o socialismo autónomo, a imposição da recusa do Plano
Marshall e o Golpe de Praga, colocará no poder um dirigente pró-soviético. Na zona de ocupação

6/8
História A 12.º ano

soviética da Alemanha constituiu-se uma democracia popular, a RDA. Entretanto, na Jugoslávia,


Tito, com o apoio popular, afasta os comunistas estalinistas.

9.
1 – A, B, E, F
2 – C, D, G

10.
A Conferência Monetária e Financeira de Bretton Woods, realizada em New Hampshire, em 1944,
contou com a presença de 44 países. As propostas americanas venceriam as do representante
inglês, criando um novo sistema monetário internacional, cujo objetivo seria evitar a ausência de
cooperação entre os países, as desvalorizações de moeda desordenadas e os câmbios flutuantes,
favorecendo a paridade e a convertibilidade. Assim, estabeleciam-se novas relações de troca
entre os países e a regulação do sistema monetário e de pagamentos internacionais através de
um sistema de instituições para o efeito, o FMI, BIRD, GATT. Há ainda o regresso ao Padrão
Divisas-Ouro, tendo como referência o dólar.

11.
a), c), d).

12.
A criação do Estado de Israel gerou hostilidade por parte de nações árabes. Após o fim do mandato
britânico na região, previa-se a criação de um único Estado em que os Judeus seriam o grupo
minoritário. Contudo, o reconhecimento do genocídio deste povo gerou um movimento de apoio
à criação de um Estado judaico. A solução de compromisso foi encontrada através da criação de
um Estado judaico e um Estado árabe na Palestina. Este plano foi ratificado pela Assembleia-
Geral da ONU mas recusado pelos árabes. O referido documento veicula o momento em que Ben
Guiron proclama a independência de Israel. A recusa árabe em aceitar a independência de Israel
e aquilo que consideram como uma “invasão” da sua pátria conduziria a grandes conflitos na
região, que se prolongam até aos dias de hoje.

13.
Em 1945, verificou-se um reforço dos laços entre as democracias populares com a constituição
do Pacto de Varsóvia (resposta de Moscovo à entrada na NATO da RFA). A URSS impunha um
modelo rígido sem permissão de quaisquer desvios, utilizando a força para a repressão de
protestos ao seu domínio. Na Hungria e Checoslováquia, ocorrem os dois casos mais graves: o
esmagamento militar da “Primavera de Praga”, levaria a limitar a soberania dos países do Pacto
de Varsóvia aos interesses superiores do socialismo. A construção do Muro de Berlim segue essa
mesma linha de manter intocada a hegemonia comunista.

14.
Guerra Fria – expressão que designa o clima de tensão e antagonismo entre o Bloco soviético e
Bloco ocidental; corresponde à primeira fase do afrontamento entre as duas superpotências (de
1947 a 1955, aproximadamente). Caracteriza-se pela corrida aos armamentos, nomeadamente
o nuclear, pela proliferação de conflitos localizados e crises militares em diversas zonas do mundo.

7/8
História A 12.º ano

15.
1 – A, C, E, F.
2 – B, D, G, H.

16.
O Pacto de Varsóvia é considerado como a resposta da URSS à adesão da RFA à NATO; trata-se
de um Pacto que viria reforçar os acordos bilaterais já existentes e cujos propósitos se enquadram
na cooperação e na assistência mútua, em conformidade com a Carta das Nações Unidas, dos
países signatários: Albânia, Hungria, Bulgária, RDA, Polónia, URSS, Roménia e Checoslováquia.

17.
Em 1959, revolucionários sob o comando de Che Guevara e Fidel Castro derrubam o ditador pró-
americano Fulgêncio Batista. As suas preocupações socializantes conduzem à hostilidade dos EUA.
Fidel Castro aceita o apoio da URSS e Cuba torna-se num bastião avançado na América Central,
desempenhando um papel importante na proliferação do comunismo. A influência soviética é
confirmada e, em 1962, aviões americanos comprovam a instalação de mísseis russos de médio
alcance na ilha, capazes de atingir o território americano. Este incidente colocaria o Mundo
perante a iminência de uma guerra nuclear entre as duas superpotências.

18.
Os principais pontos a considerar são:
- manutenção da centralização dos meios de produção pelo Estado e dos planos quinquenais;
- afirmação da URSS como grande potência económica, crescimento do produto social bruto com
taxas médias de crescimento elevadas, ainda que a tendência seja de desaceleração;
- cooperação da URSS com os países do bloco comunista, através do Plano Molotov, do COMECON,
como resposta ao Plano Marshall, adoção do modelo económico de direção central nos países sob
influência da URSS;
- lançamento de reformas, sob a liderança de Kruchtchev, com vista ao reforço do investimento
nas indústrias de consumo, na habitação e na agricultura;
- estagnação, sob a liderança de Brejnev.

19.
Trata-se de uma grande empresa com origem e sede num país desenvolvido com negócios e
investimentos espalhados por outros países, domina o mercado e tem uma projeção internacional.

8/8