Você está na página 1de 1

ModeloInicial  Modelos  Jurisprudência  Legislação  Artigos Covid 1


Cível 
Ação  
de InterditoProibitório
 - Novo 
CPC    
 Baixar PRO  Ações

Petição 

Ação de manutenção da posse


Escolher conteúdos 6

Modelos relacionados 3


5Jurisprudência
avaliações  
5 Selecionada
0 COMPARTILHAR  Atualizado: 01/03/2020 às 12:51 Ver histórico (1)

Legislação
Modelo de ação possessória de manutenção da posse contendo os requisitos da petição inicial com base no Novo Código de Processo Civil, cabível
quando o possuidor
Artigos relacionados 1 tem direito a ser mantido na posse em caso de turbação. Ações possessórias.

Conteúdos   Legislação  Jurisprudência  Escolher Conteúdos 6  Modelos relacionados 3  Artigos relacionados 1

Tramitação Prioritária - Idoso


Do Direito 
Direito de Laje  Aviso: Visualizar um modelo por semana é grátis! Para baixar ou copiar o documento, assine Modelo Inicial PRO 

Retenção e indenização pelas


benfeitorias
Pedido liminar

Justiça Gratuita à pessoa física


AO JUÍZO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE
Competência territorial. 

5

 A ação deve ser proposta dentro do de ano e dia da turbação, sob pe…

nome completo  , estado civil , profissão , inscrito


no CPF sob nº CPF , endereço eletrônico ,
residente e domiciliado na Rua , na cidade de
Cidade , CEP vem à presença de Vossa
Excelência, por seu representante constituído propor

AÇÃO DE MANUTENÇÃO DA POSSE

em face de Nome completo do Réu  , profissão ,


inscrito no CPF sob nº CPF ,
endereço eletrônico , residente e domiciliado na
Rua , na cidade de Cidade , CEP
pelos fatos e motivos que passa a expor.

Tramitação Prioritária - Idoso 

PRELIMINAR - DA TRAMITAÇÃO PRIORITÁRIA

Inicialmente cumpre esclarecer que o Autor é pessoa idosa,


contando com mais de 60 (sessenta) anos conforme prova que faz em
anexo, razão pela tem direito à prioridade da tramitação da presente
demanda, nos termos da Lei nº 10.741/2013 (Estatuto do Idoso) e do art.
1.048, inciso I, do CPC.

DOS FATOS QUE AMPARAM A PETIÇÃO INICIAL


Fatos

O Autor exercia a posse do bem desde data conforme


prova  e objetiva a a manutenção de sua posse em face do Réu,
uma vez que Fatos  .

 Indispensável comprovar o exercício prévio da posse pelo Autor, a tur…

Trata-se de Descrição do imóvel , conforme matrícula nº


em que o Autor estabeleceu sua moradia desde
data. , o que se comprova por meio de provas 

O Autor passou ocupar a referida fração de terras sem


qualquer oposição. E desde então, vem utilizando a área possuída sem
qualquer impedimento.

Entretanto no dia data , iniciou-se a turbação de


sua posse, conforme fatos  . Desde então o Autor já teve cercas
danificadas, ingresso de maquinas e pessoas armadas que se dizem
proprietárias do imóvel. Imediatamente o Autor deu ciência às
autoridades policiais conforme Boletim de Ocorrência em anexo.

Previamente a interposição da ação houve a tentativa de


resolução dos fatos junto ao Réu sem êxito, pelo contrário
Interesse de agir  , razão pela qual move a presente ação.

DO DIREITO À MANUTENÇÃO DA POSSE


Direito

O direito do Autor vem primordialmente amparado no Código


Civil, em seu artigo 1.210:

"§1º O possuidor turbado ou esbulhado poderá manter-se


ou restituir-se por sua própria força, contanto que o faça
logo; os atos de defesa, ou de desforço não podem ir além
do indispensável à manutenção ou restituição da posse".

Ou seja, diante do Fato objetivo  , como já destacado


anteriormente, o Autor tem direito à MANUTENÇÃO da posse conforme
precedentes sobre o tema:

 Buscar decisões ou jurisprudência recentes do mesmo tribunal onde


correrá a ação. Dar destaque às decisões dos tribunais superiores.
Enfatizar (priorizar) as súmulas!

 Jurisprudência 

POSSE (BENS IMÓVEIS). APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE


MANUTENÇÃO DE POSSE CUMULADA COM
INDENIZAÇÃO A TÍTULO DE DANOS MATERIAIS.
PROVA DA TURBAÇÃO. EXISTÊNCIA. Comprovado o
fato constitutivo do direito que o autor alega ter,
notadamente a turbação praticada pelo réu, ônus que lhe
incumbia (arts. 373, I, e 561, II, ambos do CPC), corolário
lógico é a manutenção da sentença que julgou procedente
o pedido formulado na presente ação de manutenção de
posse. Indenização a título de danos materiais devida na
forma fixada na sentença. Majorado o valor da verba
honorária fixada ao procurador do autor, conforme o
disposto no §11 do art. 85 do CPC, levando ainda em conta
os vetores constantes do §2º, incisos I a IV, desse artigo.
Apelação desprovida. (TJ-RS; Apelação Cível, Nº
70082942228, Décima Nona Câmara Cível, Tribunal de
Justiça do RS, Relator: Voltaire de Lima Moraes, Julgado
em: 29-01-2020)

Portanto, outro não poderia ser o entendimento se não o


necessário provimento da presente ação, concedendo a manutenção de
pose ao Autor do indicar imóvel .

Direito de Laje 

DIREITO DE LAJE

Não obstante tratar-se de imóvel não regularizado e


reconhecido na matrícula, trata-se de direito de manutenção da posse da
superfície construída sobre o imóvel do autor , comumente denominado
de laje.

O direito real de laje vêm descritos no Código Civil, nos


seguintes termos:

Art. 1.510-A. (...) § 1º O direito real de laje contempla o


espaço aéreo ou o subsolo de terrenos públicos ou
privados, tomados em projeção vertical, como unidade
imobiliária autônoma, não contemplando as demais áreas
edificadas ou não pertencentes ao proprietário da
construção-base.

Trata-se de dispositivo normativo introduzido pela recente


Lei nº 13.465, de 2017, por tal razão que referida unidade imobiliária não
foi regularizada.

Mas, considerando a possiblidade da autonomia da unidade


imobiliária construída sob a superfície do imóvel do autor , bem como
demonstrado o direito de uso e construção sobre referido lote, faz-se
necessário o reconhecimento da divisão imobiliária, reconhecendo a
propriedade ao autor , conforme precedentes sobre o tema:

 Jurisprudência 

AGRAVO DE INSTRUMENTO INVENTÁRIO CO-


HERDEIRO QUE RESIDE EM EDIFICAÇÃO
AUTÔNOMA SITUADA NO IMÓVEL OBJETO DE
PARTILHA DIREITO DE LAJE MANUTENÇÃO DA
POSSE PARA FINS DE MORADIA ORDEM DE
DESOCUPAÇÃO AFASTADA RECURSO
PARCIALMENTE PROVIDO. 1- Caso concreto em que a
Inventariante obteve o deferimento, em primeira
instância, do pedido de tutela de urgência a fim de que seu
irmão (co-herdeiro) desocupasse voluntariamente o
imóvel objeto de partilha. 2- Com o objetivo de evitar o
tolhimento abrupto da posse do imóvel , ocupado por
longos anos e no qual fora realizada uma edificação
autônoma ( direito de laje ) e sem desconsiderar os
direitos hereditários das co-herdeiras, por medida de
cautela e para evitar maiores danos, mostra-se possível a
manutenção da posse somente em relação à mencionada
unidade autônoma, ocupada para fins de moradia. 3-
Recurso parcialmente provido. (TJ-ES, Classe: Agravo de
Instrumento, 0000858-98.2018.8.08.0067
(067189000192), Relator(a): ARTHUR JOSÉ NEIVA DE
ALMEIDA, Órgão julgador: QUARTA CÂMARA CÍVEL,
Data de Julgamento: 25/02/2019)

Ademais, a propriedade do direito de superfície estabelecido


sobre a laje deve ser reconhecido diante da demonstração de cessão feito
proprietário ao autor conforme provas da cessão de propriedade .

Portanto, demonstrado o direito e viabilidade da divisão,


devendo ser medida que se impõe.

DAS PROVAS - ART 561 CPC

O Autor pretende instruir seus argumentos com as seguintes


provas:

a) PROVA DA POSSE: 

b) PROVA DA TURBAÇÃO: 

c) DATA DA TURBAÇÃO: depoimento


pessoal do Réu, para esclarecimentos sobre
Indicar a necessidade do depoimento pessoal  ;

d) PROVA DA PERDA DA POSSE:

e) Requer ainda a reprodução cinematográfica a ser


apresentada em audiência nos termos do Parágrafo Único
do art. 434 do CPC;

 IMPORTANTE: Incumbe à parte instruir a petição inicial com todos os …

DAS PERDAS E DANOS

Durante o período de o Autor perdeu a posse do


bem, o que lhe causou a suspensão de sua atividade bem como a
perda de obras realizadas no local em favor de sua atividade. Além disso,
houve furto de .

Tal conduta, indubitavelmente lhe causou danos, estimados


em mais de R$ conforme provas que faz em anexo.

Portanto, é de ser reconhecido o prejuízo causado e a


consequente condenação a perdas e danos nos termos do Art. 555 do
CPC.

Retenção e indenização pelas benfeitorias 

DA RETENÇÃO E INDENIZAÇÃO DE BENFEITORIAS

Nas ações possessórias, caso não houver o deferimento da


manutenção da posse, é lícito ao demandar a proteção das benfeitorias
investidas no imóvel e a respectiva indenização (art. 538 do CPC/15),
independentemente de reconvenção.

No mesmo sentido é o teor do art. 1.219 do Código Civil:

"o possuidor de boa-fé tem direito à indenização


das benfeitorias necessárias e úteis, bem como,
quanto às voluptuárias, se não lhe forem pagas, a
levantá-las, quando o puder sem detrimento da coisa, e
poderá exercer o direito de retenção pelo valor
das benfeitorias necessárias e úteis."

No presente caso, resta incontroverso, conforme provas que


junta em anexo, o fato de ter ocupado o imóvel de forma mansa e
pacífica, em nítida boa fé, vindo a construir sua única residência sobre o
imóvel.

Neste caso foram construídas indicar benfeitorias, totalizando


um investimento de R$ valor , que agregam valor ao imóvel.

 "Em decorrência da boa-fé, o réu terá o direito de ser ressarcido pelas…

A situação fática trazida possui precedentes judiciais muito


semelhantes que amparam o presente pedido:

 Jurisprudência 

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE


POSSE. HERDEIROS. REQUISITOS DO ARTIGO 561
CPC. COMODATO VERBAL. PERMANÊNCIA NO
IMÓVEL. ESBULHO POSSESSÓRIO. CONSTITUIÇÃO
EM MORA. CITAÇÃO VÁLIDA. ALUGUÉIS.
CABIMENTO. RECONVENÇÃO. BENFEITORIAS UTEIS.
INDENIZAÇÃO. DIREITO DE RETENÇÃO.
BENFEITORIAS VOLUPTUÁRIAS. LEVANTAMENTO.
SENTENÇA MANTIDA. 1. Apelação interposta contra
sentença que julgou procedente o pedido de reintegração
de posse de imóvel e pagamento de dano material,
equivalente ao valor do aluguel do bem, a partir da citação.
Também julgou parcialmente procedente o pedido da
reconvenção para condenar os reconvindos ao pagamento
do valor da benfeitoria útil realizada e para autorizar o
levantamento das benfeitorias voluptuárias. 2. (...). 8. Em
decorrência da boa-fé, o réu terá o direito de ser
ressarcido pelas acessões e benfeitorias úteis e
necessárias realizadas no local, bem como pode
exercer o direito de retenção. (...). (TJDFT, Acórdão
n.1225706, 07050773220188070006, Relator(a): CESAR
LABOISSIERE LOYOLA, 2ª Turma Cível, Julgado em:
22/01/2020, Publicado em: 06/02/2020)

Razões pelas quais, requer desde já a manutenção até efetiva


indenização pelas benfeitorias realizadas, conforme cálculo discriminado
em anexo.

Pedido liminar 

DO PEDIDO LIMINAR

Para o deferimento da medidA liminar basta que a petição


inicial esteja devidamente instruída com as provas necessárias do direito
arguido.

No presente caso, conforme acima referido, tem-se


perfeitamente demonstrado os requisitos do Art. 561 do CPC/15, sendo
fundamento suficiente para a concessão do pedido liminar, conforme
esclarece a conceituada doutrina:

"Para a concessão de antecipação da tutela, no


procedimento especial, basta a presença dos
requisitos do art. 561, CPC, sendo dispensável a
afirmação e a demonstração de perigo. A urgência
da reintegração de posse é presumida pelo legislador
quando a ação é proposta dentro de ano e dia." (Daniel
Mitidiero, Sérgio Cruz Arenhart, Luiz Guilherme
Marinoni, Novo Código de Processo Civil Comentado -
Editora RT, 2017, e-book, Art. 558.)

Como ficou perfeitamente demonstrado, o direto do Autor é


caracterizado pela demonstração inequívoca da posse deturpada
indevidamente, sendo cabível o presente pedido liminar de manutenção
da posse nos termos do Art. 562 do CPC, conforme precedentes sobre o
tema:

 Jurisprudência 

AGRAVO DE INSTRUMENTO - EMBARGOS DE


TERCEIRO - TUTELA ANTECIPADA DE
MANUTENÇÃO DE POSSE- PRESENÇA DOS
REQUISITOS- VEROSSIMILHANÇA DAS ALEGAÇÕES
PERIGO DE DANO RECURSO PROVIDO. I - Constatados
os requisitos da aparência do bom direito e possibilidade
de ocorrência de prejuízo, impõe-se o deferimento da
tutela antecipada de manutenção de posse em
favor do proprietário/possuidor de parte ideal do
imóvel, objeto da lide. (TJMS. Agravo de Instrumento n.
1403193-38.2017.8.12.0000, Rio Verde de Mato Grosso, 1ª
Câmara Cível, Relator (a): Desª. Tânia Garcia de Freitas
Borges, j: 24/10/2017, p: 25/10/2017)

AGRAVO DE INSTRUMENTO. POSSE. REINTEGRAÇÃO


DE POSSE. AÇÃO DE REINTEGRAÇÃO DE POSSE.
REINTEGRAÇÃO DE POSSE. LIMINAR. RITO
ESPECIAL. REQUISITOS. A concessão de liminar
para manutenção ou reintegração de posse pelo
procedimento especial tem por pressuposto a
prova exigida no art. 561 do CPC/15. - Circunstância
dos autos em que presente a prova necessária impõe-se
manter a decisão que deferiu a reintegração de posse.
RECURSO DESPROVIDO. (Agravo de Instrumento Nº
70075940932, Décima Oitava Câmara Cível, Tribunal de
Justiça do RS, Relator: João Moreno Pomar, Julgado em
21/11/2017).

AGRAVO DE INSTRUMENTO - AÇÃO DE


REINTEGRAÇÃO DE POSSE - LIMINAR -
REINTEGRAÇÃO DE POSSE - REQUISITOS PRESENTES
- ART. 561 CPC - DEFERIMENTO - MANUTENÇÃO. -
Deste modo, restando comprovados, nos autos, os
requisitos exigidos pelo artigo 561 e 562 ambos do
Novo Código de Processo Civil, é de se manter a
decisão que deferiu o pedido liminar de
reintegração de posse. (TJ-MG - AI:
10024140941352004 MG, Relator: Rogério Medeiros,
Data de Julgamento: 14/09/2017, Câmaras Cíveis / 13ª
CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 18/09/2017)

Diante de tais circunstâncias, o deferimento liminar é medida


que se impõe nos termos do Art. 562 do CPC.

Justiça Gratuita à pessoa física 

DA JUSTIÇA GRATUITA

O Requerente atualmente é indicar fonte de renda  , tendo


sob sua responsabilidade a manutenção de sua família, razão pela qual
não poderia arcar com as despesas processuais.

Para tal benefício o autor junta declaração de hipossuficiência


e comprovante de renda, os quais demonstram a inviabilidade de
pagamento das custas judicias sem comprometer sua subsistência,
conforme clara redação do Art. 99 Código de Processo Civil de 2015.

Art. 99. O pedido de gratuidade da justiça pode ser


formulado na petição inicial, na contestação, na petição
para ingresso de terceiro no processo ou em recurso.

§ 1º Se superveniente à primeira manifestação da parte na


instância, o pedido poderá ser formulado por petição
simples, nos autos do próprio processo, e não suspenderá
seu curso.

§ 2º O juiz somente poderá indeferir o pedido se houver


nos autos elementos que evidenciem a falta dos
pressupostos legais para a concessão de gratuidade,
devendo, antes de indeferir o pedido, determinar à parte a
comprovação do preenchimento dos referidos
pressupostos.

§ 3º Presume-se verdadeira a alegação de


insuficiência deduzida exclusivamente por pessoa
natural.

Assim, por simples petição, sem outras provas exigíveis por


lei, faz jus o Requerente ao benefício da gratuidade de justiça:

AGRAVO DE INSTRUMENTO - MANDADO DE


SEGURANÇA - JUSTIÇA GRATUITA - Assistência
Judiciária indeferida - Inexistência de elementos nos
autos a indicar que o impetrante tem condições de
suportar o pagamento das custas e despesas
processuais sem comprometer o sustento próprio
e familiar, presumindo-se como verdadeira a
afirmação de hipossuficiência formulada nos
autos principais - Decisão reformada - Recurso provido.
(TJSP; Agravo de Instrumento 2083920-
71.2019.8.26.0000; Relator (a): Maria Laura Tavares;
Órgão Julgador: 5ª Câmara de Direito Público; Foro
Central - Fazenda Pública/Acidentes - 6ª Vara de Fazenda
Pública; Data do Julgamento: 23/05/2019; Data de
Registro: 23/05/2019

Cabe destacar que o a lei não exige atestada miserabilidade do


requerente, sendo suficiente a "insuficiência de recursos para pagar as
custas, despesas processuais e honorários advocatícios"(Art. 98,
CPC/15), conforme destaca a doutrina:

"Não se exige miserabilidade, nem estado de


necessidade, nem tampouco se fala em renda familiar ou
faturamento máximos. É possível que uma pessoa
natural, mesmo com bom renda mensal, seja merecedora
do benefício, e que também o seja aquela sujeito que é
proprietário de bens imóveis, mas não dispõe de liquidez.
A gratuidade judiciária é um dos mecanismos de
viabilização do acesso à justiça; não se pode
exigir que, para ter acesso à justiça, o sujeito
tenha que comprometer significativamente sua
renda, ou tenha que se desfazer de seus bens,
liquidando-os para angariar recursos e custear o
processo." (DIDIER JR. Fredie. OLIVEIRA, Rafael
Alexandria de. Benefício da Justiça Gratuita. 6ª ed.
Editora JusPodivm, 2016. p. 60)

Por tais razões, com fulcro no artigo 5º, LXXIV da


Constituição Federal e pelo artigo 98 do CPC, requer seja deferida a
gratuidade de justiça ao requerente.

Gratuidade dos emolumentos cartorários 

DA GRATUIDADE DOS EMOLUMENTOS

O artigo 5º, incs. XXXIV e XXXV da Constituição Federal


assegura a todos o direito de acesso à justiça em defesa de seus
direitos, independente do pagamento de taxas, e prevê
expressamente ainda que a lei não excluirá da apreciação do Poder
Judiciário lesão ou ameaça a direito.

 Atenção que a gratuidade não se estende aos impostos.


AGRAVO DE INSTRUMENTO. JUSTIÇA GRATUITA. EMOLUMENTO…

Ao regulamentar tal dispositivo constitucional, o Código de


Processo Civil prevê:

Art. 98. A pessoa natural ou jurídica, brasileira ou


estrangeira, com insuficiência de recursos para pagar as
custas, as despesas processuais e os honorários
advocatícios tem direito à gratuidade da justiça, na forma
da lei.

§ 1º A gratuidade da justiça compreende:


(...)

IX - os emolumentos devidos a notários ou


registradores em decorrência da prática de
registro, averbação ou qualquer outro ato notarial
necessário à efetivação de decisão judicial ou à
continuidade de processo judicial no qual o benefício
tenha sido concedido.

Portanto, devida a gratuidade em relação aos emolumentos


extrajudiciais exigidos pelo Cartório. Nesse sentido são os precedentes
sobre o tema:

 Jurisprudência 

PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ESPECIAL.


BENEFICIÁRIO DA AJG. EXECUÇÃO DE SENTENÇA.
REMESSA À CONTADORIA JUDICIAL PARA
CONFECÇÃO DE CÁLCULOS. DIREITO DO
BENEFICIÁRIO INDEPENDENTEMENTE DA
COMPLEXIDADE. 1. Esta Corte consolidou jurisprudência
no sentido de que o beneficiário da assistência judiciária
gratuita tem direito à elaboração de cálculos pela
Contadoria Judicial, independentemente de sua
complexidade. Precedentes. 2. Recurso especial a que se
dá provimento. (STJ - REsp 1725731/RS, Rel. Ministro OG
FERNANDES, SEGUNDA TURMA, julgado em
05/11/2019, DJe 07/11/2019)

AGRAVO DE INSTRUMENTO. JUSTIÇA GRATUITA.


EMOLUMENTOS DE CARTÓRIO EXTRAJUDICIAL.
ABRANGÊNCIA. Ação de usucapião. Decisão que
indeferiu o pedido de isenção dos emolumentos, taxas e
impostos devidos para concretização da transferência de
propriedade do imóvel objeto da ação à autora, que é
beneficiária da gratuidade da justiça. Benefício que se
estende aos emolumentos devidos em razão de
registro ou averbação de ato notarial necessário à
efetivação de decisão judicial (art. 98, § 1º, IX, do
CPC). (...). Decisão reformada em parte. AGRAVO
PARCIALMENTE PROVIDO. (TJSP; Agravo de
Instrumento 2037762-55.2019.8.26.0000; Relator (a):
Alexandre Marcondes; Órgão Julgador: 3ª Câmara de
Direito Privado; Foro de Santos - 10ª Vara Cível; Data do
Julgamento: 14/08/2014; Data de Registro: 22/03/2019)

Assim, por simples petição, uma vez que inexistente prova da


condição econômica do Requerente, requer o deferimento da gratuidade
dos emolumentos necessários para o deslinde do processo.

» Anexar: Comprovante de renda ℹ

» Anexar: Declaração de hipossuficiência ℹ

DOS PEDIDOS

Por todo o exposto, REQUER:

1. A concessão da gratuidade de justiça, nos termos do art. 98 do


Código de Processo Civil;

2. O deferimento do pedido liminar, inaudita altera pars, para fins de


determinar a imediata manutenção da posse nos termos do Art. 562
do CPC;

3. A citação do Réu para responder, querendo nos termos do Art. 564


do CPC;

4. A total procedência da ação para confirmar a medida liminar, se


deferida, com a determinação de manutenção da posse ao Autor
cumulada com perdas e danos no valor de R$ , nos
termos do Art. 555 do CPC ;

5. Cumulativamente requer seja determinado ao Réu que se abstenha


de qualquer ato atentatório à posse do Autor, sob pena de multa
diária;

6. 6. Subsidiariamente, caso assim não entenda, requer seja o Réu


condenado à indenização pelas benfeitorias úteis e necessárias no
valor de R$ ;

7. A produção de todas as provas admitidas em direito;

8. A condenação do réu ao pagamento de honorários advocatícios nos


parâmetros previstos no art. 85, §2º do CPC;

9. Desde já manifesta seu interesse na audiência conciliatória, nos


termos do Art. 319, inc. VII do CPC.

Dá-se à causa o valor de R$ 

Nestes termos, pede deferimento.


Assinatura

Cidade  , data  .

Nome completo e assinatura do Advogado 

ANEXOS

1. Documentos de identidade do Autor, RG, CPF, Comprovante de


Residência

2. Procuração

3. Declaração de Pobreza

4. Matrícula do Imóvel

5. Provas da posse

6. Provas da turbação

7. Provas da perda da posse

8. Provas da tentativa de solução do litígio

 Ao chegar ao final da inicial, revise uma, duas vezes a peça. De prefe…

 ATENÇÃO: Certifique-se sempre da vigência dos artigos legais referidos - a alteração de um dispositivo legal pode alterar
embasamentos, suportes fáticos e prazos, podendo comprometer sua atuação.

MODELOS RELACIONADOS

Copyright © Modelo Inicial - 31.102.084/0001-06 - Fone: (11) 4130.3734 -  Contato


Simple Labs T.I. Ltda. - Av. Bagé, 1199/502 - Porto Alegre - RS - Brasil.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página sem autorização prévia do autor.

 Termos de uso  Suporte  Assinar Modelo Inicial PRO