Você está na página 1de 12

H1

%HermesFileInfo:H-1:20131013:

DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 O ESTADO DE S. PAULO


CEZAR ALVES/GAZETA DO OESTE

Frieza.
Prefeito de Caraúbas

As mortes nas disputas pelo (RN), Aguinaldo


Pereira e sua esposa
foram assassinados

poder na era democrática em emboscada numa


rodovia estadual

Levantamento inédito do ‘Estado’ revela as faces de


uma barbárie silenciosa que já provocou 1.133
mortes com motivação política desde a Lei da Anistia.
Em três décadas, um assassinato a cada 11 dias.
A escalada de crimes não ocorre apenas nos grotões.
Alcança várias esferas de poder. É ignorada
pelos caciques nacionais. Prospera devido à
impunidade e às dificuldades de se transpor
pressões políticas para iniciar ou dar
prosseguimento a investigações policiais. É um
Brasil que se esconde em plena democracia.
Reportagem de Leonencio Nossa
H2 Especial
%HermesFileInfo:H-2:20131013:

DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 O ESTADO DE S. PAULO

✽ BUSCA DE DADOS

Raio X da INVESTIGAÇÕES
JOSE PAULO LACERDA/ESTADÃO–5/11/1999
Parâmetros do
levantamento

matança A lista inclui assassinatos


ocorridos na luta por espa-
ço político-eleitoral a par-
tir de 28 de agosto de

silenciosa 1979, data da publicação


da Lei da Anistia, até 28 de
agosto de 2013. As motiva-
ções para eliminar adver-
sários, vingar a morte de
aliados ou “queimar arqui-
Foram 17 meses de apuração e vos” constam de textos
oficiais conclusivos de
pesquisas em 14 Estados do País CPIs e relatórios de enti-
dades de direitos huma-
nos, convergentes com
inquéritos policiais e pro-
investigaçãojorna- sando por vereadores, assesso- cessos judiciais, mesmo
lísticaqueapresen-
to neste caderno
mostraquea polí-
A
tica brasileira, nas
res, familiares, amigos e alia-
dos. A barbárie atingiu 200 ve-
readores e até um senador, Ola-
vo Pires (PTB-RO), executado
CARLOS MOURA/CBPRESS–20/04/2006
que inconclusivos quanto
à autoria dos crimes.

pequenas e grandes cidades, com 40 tiros em 16 de outubro


aindasemovepelaviolência.Pe- de1990,apóso1.ºturnodaselei-
lo menos 1.133 assassinatos ções para o governo de Rondô-
ocorreram na base da pirâmide nia, no qual fora o mais votado.
política nos últimos 34 anos – o
que equivale a um crime a cada Alerta. A violência que pros-
11 dias no País. pera à sombra da democracia
Ao longo de 17 meses, fiz o le- não é monitorada. Um relató-
vantamento de homicídios em rio da Justiça Eleitoral detec-
Tribunais de Justiça dos Esta- tou apenas 100 mortes políti-
dos, nos acervos de entidades cas desde 1979. No levanta- FONTES
de direitos humanos, nos arqui- mento que fiz, 13 pessoas fo-
vos de Comissões Parlamenta- ram assassinadas em disputas
resdeInquérito(CPIs),emdele- políticas só neste ano. Em ● Inquéritos policiais
gacias de polícia e em cartórios. 2012, foram 91 mortes, recor-
Percorri 14 Estados, conversei de em três décadas. ● Investigações do
comfamíliasdevítimas,advoga- Obviamente, a lista aqui Ministério Público
dos, delegados, políticos. apresentada está sujeita a
Essalongareportagemlevan- questionamentos. O objetivo ● Processos judiciais
ta uma lista de crimes provoca- jornalístico, aqui, não é com-
dospeladisputa depoder políti- pensar a ausência de uma lista ESTADO DO MARANHAO–7/12/1999
● Sindicâncias de
co. São assassinatos cometidos oficial ou estabelecer crité- direitos humanos
para garantir espaço na máqui- rios para a sua elaboração. A
na pública, vingar a morte de proposta é alertar e levantar ● Relatórios das
um aliado ou liquidar testemu- um debate público e transpa- seguintes CPIs do
nhas.Sóforamconsideradosca- rente sobre o tema, como exi- Congresso Nacional:
sos sem divergências de ver- gem as democracias. Narcotráfico I (1991),
sões dos órgãos de investigação Pistolagem (1994),
sobre a autoria e as motivações. Nem só grotões. Ao longo de Narcotráfico II (1999),
Para um raio X da política que minha apuração, ouvi parla- Extermínio no nordeste
se pratica pelo Brasil afora, co- mentares dizerem, nos corre- (2003) e
mecei a contagem da matança dores do Congresso, que a vio- Tráfico de armas (2006).
pela manhã de 28 de agosto de lência política se limita aos gro-
1979 – quando entrou em vigor tões. É fato que o último assas- ● Relatórios de CPIs
a Lei da Anistia, que facilitou o sinato ocorrido no Parlamento em Assembleias:
acesso às instituições públicas ocorreu no longínquo 1963, Mato Grosso
– e analisei casos ocorridos até quando o senador alagoano Ar- (Narcotráfico, 2000),
o final de agosto deste ano. Es- non de Mello – pai do ex-presi- Maranhão
colhi a Lei de Anistia como pon- dente Fernando Collor de Mel- (Crime Organizado e
to de partida do trabalho por se lo – apertou o gatilho contra o do Roubo de Cargas, 1999),
tratar de um marco de pacifica- conterrâneo Silvestre Péricles São Paulo
ção na nossa história recente. e acabou matando José Kaira- (Crime Organizado, 1995,
Já no primeiro dia de vigência la, do Acre, que nada tinha a ver MARCOS D'PAULA/ESTADÃO–9/9/2008
e Narcotráfico, 2000),
dalei, o vereador JoaquimEleu- com a rixa. Mas quem analisa Pernambuco
tério da Paixão, de São João do os casos de violência envolven- (Narcotráfico e
Piauí(PI),foimortopeloprefei- do a disputa política percebe Pistolagem, 1999),
to Raimundo de Souza, ambos conexões entre os confrontos Rio Grande do Sul
da então governista Arena, co- locais distantes de Brasília e o (Combate ao Crime
mo apontou a polícia na época. núcleo do poder. Não existem Organizado, 2000)
A240quilômetrosdali etrêsdé- dois sistemas sem ligação. Rio de Janeiro
cadas depois, em Pio IX, outra Assessores de políticos em (Milícias, 2008)
cidade piauiense, um vaqueiro Brasília e nas capitais se irrita-
encontrou, em 5 de fevereiro de ramcommeuspedidosdeescla-
2013, uma mão para fora da ter- recimentosobrecrimescometi-
ra. Era o corpo de Emídio Reis dos por aliados de seus chefes
(PMDB),ex-vereadordeSãoJu- no interior sob a alegação de
lião enterrado vivo a mando do que lideranças nacionais e esta-
vice-prefeito Francimar Perei- duaisnãotêm responsabilidade
ra (PP), segundo a polícia. por tais fatos. Nas eleições, no
As disputas sangrentas pelo entanto, esses mesmos líderes
poder não se limitam ao Piauí não se preocupam em associar
doex-ministroda JustiçaPetrô- sua imagem a figuras polêmicas
nio Portella (1925-1980), um e suspeitas de assassinato.
dos redatores da Anistia: atin- Constatei que a violência
gem todos os atores da política, prospera diante da cumplicida-
de prefeitos a deputados, pas- de da extensa cadeia política. O
esforço para impedir investiga-
ções abre espaço para a impuni- ANDRE DUSEK/ESTADÃO
dade. Cúpulas partidárias fe- documentos e entrevistas, feitas NA WEB
CRIME EM ALTA cham os olhos para desmandos Jornalista é autor ao longo de 17 meses. Online. Leia a
locais. Governadores perse- Na mesma linha de investigação versão digital do
● Balanço das mortes, ano a guem, muitas vezes, delegados de investigações histórica, Leonencio Nossa assi- caderno ‘Sangue
ano, aponta grande aumento e promotores, encarregados de históricas nou os cadernos ‘Guerras Desco- Político’, com mapas
dos crimes nos últimos formalizar as denúncias. nhecidas do Brasil’ e ‘Meninos interativos sobre o
seis anos Apesar de a matança relatada do Contestado’, publicados pelo levantamento
neste caderno ter como causa a ● O repórter Leonencio Nossa, Estado em 2010 e 2012, respec- inédito
disputa pelo poder, curiosa- da Sucursal do Estado em Brasí- tivamente, e o livro Mata!, o Ma- topicos.estadao.com.br/sanguepolitico
Nº DE MORTES POLÍTICAS
mente, o crime político rara- lia, percorreu pessoalmente 14 jor Curió e as Guerrilhas no Ara-
mente é ideológico. Estados e levantou fatos e núme- guaia, editado pela Cia. das Le- 36
ros em todo o País a partir de tras, no ano passado.
28 30 28
22
18 16
21
16 6 18 17 16
8 10 10 13 13
0
1979 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995

O presidente João Fundação do Eleição geral Emenda Dante de Tancredo Neves é Eleição para a Nova Constituição Fernando 1990 Eleição Collor sofre o Em plebiscito,
Baptista Partido dos (governador, Oliveira, que prevê eleito indiretamente Assembleia é promulgada; Collor de geral processo de maioria dos
Figueiredo, o Trabalhadores Senado, Câmara a eleição direta presidente da Nacional eleições municipais Mello é eleito (governador, impedimento, eleitores confirma
último do regime dos Deputados, para a Presidência República pelo colégio Constituinte, presidente da Senado e assumindo seu vice, opção pelo regime
militar, sanciona Assembleia da República, é eleitoral, mas adoece e encarregada de República pelo Câmara dos Itamar Franco; republicano e pelo
no dia 28 de agosto Legislativa) rejeitada no morre antes de estabelecer a nova voto direto Deputados) eleições sistema
a Lei da Anistia Congresso Nacional assumir; o vice José Constituição, e de municipaisa presidencialista
no dia 25 de abril Sarney é empossado; governadores
eleições municipais
Especial H3
%HermesFileInfo:H-3:20131013:

O ESTADO DE S. PAULO DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013

Dois terços dos inquéritos policiais não


apontam nem autor nem mandante
Ministérios Públicos locais sofrem flagrante intervenção política; no Supremo, tramitação é longa
a lista de assassina- Norte Nordeste
tos levantados pe-

mandante ou au-
N
lo Estado, a polí-
cia não apontou o
ONDE SE MATA
POR PODER
● Nos números
112
MORTOS
Longe dos grandes
638 MORTOS
Disputas antigas,
torintelectualem73,97%dosin- de 1.130 centros, o Pará clãs movidos por
RR
quéritosenviadosao Ministério cidades, se destaca, somando vingança,
AP
Público, embora deixasse clara o Nordeste quase metade fazem destes nove
a motivação política do crime. e o Sudeste dos mortos da região Estados a região
Dados gerais das denúncias se destacam mais
apresentadas à Justiça pelas como as regiões violenta do País
procuradoriasepromotoriasin- onde a política
dicamqueoscasosdeassassina- fez o maior
tos de poder encontram no Mi- número
nistério Público, especialmen- de vítimas AM
te noestadual, maisuma barrei- CE
ra. Relatório da instituição rela-
tivo a 2011 destaca que procura-
PA RN
dores e promotores apresenta-
ram à Justiça denúncias de ape- MA
nas 15,69% de todos os inquéri- PB
tos criminais recebidos.
Desde a entrada em vigor da PI PE
Constituiçãode1988,oMinisté-
rio Público ganhou na opinião AC
AL
pública status de “quarto po-
der”.Açõesmidiáticasdeprocu- TO SE
radores federais em Brasília de- RO
MT BA
ram projeção à instituição. As
fragilidades do Ministério Pú- PA 47
blico, porém, são mais visíveis RO 20
nos Estados e nos municípios. AC 18
A instituição que, na capital,
NORTE

AM 14
procura espaços na imprensa,
sefechanointerior.Emumavia- AP 5 DF
gem de 15 dias pelo semiárido, o TO 4 GO
Estado não conseguiu ouvir RR 4 Sudeste
promotores responsáveis por MG
um inquérito de crime político. PE 210 271 MORTOS
Ou eles se esquivaram de dar AL 114
entrevistas ou estavam na capi- Com altos números
BA 91
tal, o que é mais frequente, até MS no Rio e em São
MA 52 ES
NORDESTE

por questões de segurança. Ge- Paulo,


RN 52 região só perde para
ralmentenão hávínculo do pro- CE 40 Centro-Oeste
motor com a cidade em que tra- o Nordeste no total
PI 39
balha e atua em investigações.
PB 30 56
MORTOS
SP
RJ
de vítimas

Interesses. A falta de estrutu- SE 9


Ocupação mais
ra e condições de investigação recente
não é o único empecilho para a
CENTRO-OESTE

MT 26 faz da nova fronteira


elucidação de crimes de man- PR
MS 16 agrícola
do. Tanto delegados civis, res- uma região menos
ponsáveis pela fase inicial das GO 14

1
perigosa
investigações e subordinados DF 0
ao secretário estadual de Segu- SC MORTO

rançaPública,quantopromoto-

15
res estão vinculados às ações e RJ 110 Sul
SUDESTE

decisões do governador. Cabe a


ele confirmar o interesse em
aprofundar uma investigação.
SP
ES
63
55 56
MORTOS RS
MORTOS

A interferência do chefe do MG 43 Mesmo em região

35
Executivo local no Ministério mais
Público é mais visível nos Esta- tranquila a violência
PR 38 MORTOS OU MAIS
dos que no âmbito federal. Nos política deixa
SUL

Estados, o governador não pre- RS 13 um alto número de


cisa consultar o Legislativo pa- SC 5 vítimas
raescolher umnomedeumalis-
ta tríplice para ocupar o cargo INFOGRÁFICO/ESTADÃO

de procurador-geral de Justiça.
No âmbito regional, tampou- versários por grupos de oposi- feito de Acaraú João Jaime Fer- Aníbal Gomes ocupou a cadeira tou envolvido. O Ceará todinho da Silva, por queima de arquivo,
co há clima para ações seme- ção a governos estaduais. reira Gomes. Foram 14 anos de de deputado federal. Numa noi- sabe que sou inocente.” e do deputado e ex-governador
lhantesàsdosprocuradores-ge- tramitação na Corte, passando te de quarta-feira de julho, no Os dois casos que trami- de Mato Grosso Júlio Campos
rais da República Aristides Jun- Os políticos e os tribunais. Pro- pelos gabinetes de três minis- percurso entre o plenário da Câ- tamnoSTFsãododeputadoala- (DEM). Ele é acusado de man-
queira, que em 1992 apresentou cessos contra políticos são rari- trosrelatores.Em1998, ominis- mara e o gabinete, em Brasília, o goano Francisco Tenório dar matar, em 2004, o empresá-
denúncia contra o então presi- dades.Comaprerrogativadefo- troNelsonJobimrecebeuopro- deputadocearensefalouao Esta- (PMN),quefoipresoporsupos- rio Antonio Ribeiro Filho e o
dente Fernando Collor, e Anto- ro privilegiado, atualmente cesso e o arquivou. Antes de se do sobre a morte do primo. Ele ta participação nas mortes do geólogo Nicolau Ladislau Ervin
nio Fernando de Souza, que em doisdeputadosfederaisrespon- aposentar, Jobim reabriu o ca- nega participação no crime, pelo ex-assessor Cícero Sales Belém em meio à disputa de uma lavra
2007 foi autor da denúncia so- dem por homicídio no Supre- so, em 2004, a pedido do Minis- qual seu irmão, o então vice-pre- edo cabo da PM José Gonçalves de pedras preciosas.

91
bre o esquema do mensalão. mo Tribunal Federal, masos as- tério PúblicoFederal. Em 2008, feito Amadeu Gomes, foi conde-
AmbosacionaramaJustiçacon- sassinatos não são caracteriza- o ministro Eros Grau começou nado. “Éramos todos primos e
tra governos federais que os no- dos como crimes políticos. a analisar o processo. Também amigos.Alémdeprimo,ele (João
mearam.
Outro empecilho para a ação
Um caso emblemático no
STF, já arquivado, é o processo
seaposentou semdar umadeci-
são. Em 2012, o ministro Luiz
Jaime) era uma das pessoas
queeumais amava.Afamíliato-
80
das promotorias é que em boa que investigou o deputado Aní- Fux arquivou outra vez o caso, da me apoiava e deixou de me Eleições
parte dos municípios promoto- bal Ferreira Gomes (PMDB- que transitou em julgado. apoiar”,disse.“Quemconhe- 67 municipais
res são sempre vistos como ad- CE)nocasodamortedoex-pre- Durante todo esse período ceoassuntosabequenãoes- 65
58
55 57
48 48
38 39 37
33
31
8

26
20

1997 1998 1999 2000 2001 2002 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012

Fernando Henrique Fernando Henrique Eleições Luiz Inácio Lula da Eleições Em referendo Lula é reeleito no Eleições Dilma Rousseff é a
Cardoso vence no é reeleito no 1.º municipais Silva é eleito municipais nacional sobre a 2.º turno; eleição municipais primeira mulher
1.º turno a eleição turno; eleição geral presidente no 2.º pergunta “O geral (governador, eleita presidente da
presidencial: (governador, turno; eleição comércio de armas Senado e Câmara República; ; eleição
eleição geral Senado e Câmara geral (governador, de fogo e munição dos Deputados) geral (governador,
(governador, dos Deputados) Senado e Câmara deve ser proibido no Senado e Câmara
Senado e Câmara dos Deputados) Brasil?”, o “Não” dos Deputados)
dos Deputados) vence com 63,94%
dos votos
INFOGRÁFICO/ESTADÃO
H4 Especial
%HermesFileInfo:H-4:20131013:

DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 O ESTADO DE S. PAULO

✽ PODER LOCAL

Com mais verbas federais,


prefeituras são alvo da cobiça
Depois da Constituição de 88, que permitiu incremento de repasses, executivos locais ganharam mais poder
s mortes de pre- menos partidária e mais violen- ordemmais“pessoal” e“econô- não liberou o dinheiro ou o pre- e Maranhão é o assassinato de vernoecomunicaçãodomunicí-
feitos aumenta- ta, a ponto de superar a influên- mica”.SegundoZiulkoski,opre- feito enfrenta problemas orça- prefeitos por financiadores de pio, Edésio Lima Dantas, foi de-
ram no País a
partir da Cons-A
tituição de 1988.
Da Lei da Anistia, em 1979, até
cia dos grandes proprietários
de terras. A ligação entre a gran-
depropriedaderuraleaconcen-
traçãodevotos emredutoselei-
feito tanto pode ser morto por mentários”, completa. “O pre-
envolvimento em atos ilícitos e feito corre mais risco de morte
esquemas de desvios de recur- que a presidente.” O coordena-
sos como pode ser alvo dos en- dor da confederação de municí-
campanha. Durante a disputa,
agiotas bancam campanhas de
candidatos diante da promessa
de repasse ilegal de recursos fe-
nunciado como mandante dos
crimes. Ficou preso oito meses
e, agora, aguarda julgamento
em liberdade. Antonio Marcos
aquele momento, 13 prefeitos toraisdosgrotões,queportradi- traves que enfrenta para pios diz que o prefeito pre- derais. Um dos fundos mais vi- Carvalho, motorista do secretá-
foramassassinados, umamédia ção alimentaram as figuras do governar seu municí- cisa se preocupar com sadoséodoFundodeManuten- rio, eoutras testemunhas foram
de1,3assassinatoporano. Apar- pistoleiro,docapangaedoman- pio. “Às vezes, ele um esquema para ção e Desenvolvimento da Edu- mortosnuma“queimade arqui-
tir da nova Carta Magna, quan- dante, foram retratadas, por não consegue pa- protegê-lo de gru- cação Básica e de Valorização vo”. As mortes dos sindicalistas
do as prefeituras passaram a re-
ceber maior injeção de recursos
federais, foram 65 assassinatos
exemplo, no clássico “Corone-
lismo, enxada e voto”, de Victor
Nunes Leal.
gar dívidas ou o
funcionalismo
e entra na mira
65
Prefeitos foram
pos que tiveram
seus interesses
contrariados. O
dos Profissionais da Educação,
o Fundeb.
O uso de recursos federais
causaramrevoltana cidade.Pis-
toleiros tinham invadido o sítio
de Maria Aparecida Santos, mãe
dechefesdeExecutivosmunici- Hoje, Paulo Ziulkoski, presi- de pessoas de- mortos depois problema, ava- também é apontado como cau- de Álvaro, e que estava com o
pais, 2,6 por ano. dente da Confederação Nacio- sesperadas”, da Constituição lia,precisaserdis- sa da morte de adversários de neto Arthur Henri, uma criança
Com o repasse de dinheiro de naldosMunicípios(CNM),ava- afirma. de 1988 cutido pelos ór- prefeitos e secretários. com deficiência. Os assassinos
novos fundos federais, a caneta lia que a disputa por poder está Ziulkoski diz gãos de segurança Em setembro de 2009, os sin- obrigaram a mulher a telefonar
do prefeito se fortaleceu, tor- cada vez mais acirrada nos cer- que ouve com fre- pública.“Oproblema dicalistas e professores Álvaro para Álvaro e dizer que o meni-
nando-se um objeto desejado ca de 4 mil municípios do País quência histórias de é que se o prefeito gastar HenriqueSantoseElisneyPerei- no passava mal. Ao chegar ao sí-
como nunca, um oásis em re- com até 20 mil habitantes. “São funcionários demitidos ou dinheirocom muitos seguran- ra, em Porto Seguro, na Bahia, tioemcompanhiadeElisney,Ál-
giões onde o emprego e a indús- cidadesonde a indústria é a pre- microempresários endividados ças vai acabar condenado.” foram mortos numa embosca- varo foi recebido à bala. Elisney
tria não chegaram. A luta pelo feitura”, explica. queforamaogabinetedoprefei- da. Eles tinham denunciado um morreu no local. Álvaro ainda
controle da prefeitura e de Câ- Ele observa que os crimes po- tocom faca na mão. “As pessoas Fundeb. Um crime que se tor- esquema de desvio de recursos foi levado para o hospital e mor-
maras Municipais tornou-se líticosnessesmunicípios sãode não querem saber se Brasília nou comum no Piauí, Rondônia do Fundeb. O secretário de go- reu seis dias depois.

EPITACIO PESSOA/ESTADÃO–21/1/2002

Celso Daniel
e Toninho, os
pesadelos do PT
negam o esquema de caixa dois.
A morte dos 2 prefeitos, Cotado para o ministério do
de Santo André e de primeiro mandato de Lula, Cel-
so Daniel foi morto com 13 tiros
Campinas, ainda é foco na noite de 18 de janeiro de
de polêmicas; motivação 2002. As investigações oficiais
política não foi provada não são conclusivas quanto aos
motivos do assassinato. A Polí-
Véspera da eleição de segundo cia Civil destaca que o prefeito
turnopresidencialqueseráven- foi confundido por criminosos
cidaporDilmaRousseff.Gilber- de uma favela que pretendiam
toCarvalho,entãochefedegabi- sequestrar um comerciante. O
nete do presidente Luiz Inácio Ministério Público avalia que o
Lula da Silva, chega ao Cemité- caso teve motivação política e
rio São Miguel, em Santo An- denunciou o empresário Sérgio
dré, São Paulo, na manhã de 30 Gomes da Silva, o Sombra, ex-
de outubro de 2010. Deposita segurança que estava no carro
flores no túmulo do ex-prefeito com o prefeito, como mandan-
Celso Daniel, assassinado há tedocrime.Até omomento,po-
mais de oito anos antes, em si- lícia e MP não apresentaram ar-
tuação nunca esclarecida. “Era gumentos definitivos.
para ser ele (o sucessor de Sombra, o ex-secretário
Lula)”, se limita a di- da prefeitura Klinger
zerCarvalhoao Es- Luiz Oliveira Souza
tado na saída do Coordenador eoempresárioRo-
cemitério. político da eleição nan Maria Pinto
O hoje minis- de Lula em 2002, são investigados
tro da Secreta- Celso Daniel era por suposto es-
ria-Geral da visto como futuro quema de co-
Presidência foi candidato à brança de propi-
amigo e secretá- Presidência na em Santo An-
rio de Celso Da- pelo PT dré. O MP afirma
niel. Os irmãos de que Sombra decidiu
Celso Daniel, porém, matar o prefeito após
responsabilizam Carvalho e Celso Daniel e dirigentes do Adeus. Enterro de Celso Daniel: para polícia, petista e outros 4 prefeitos paulistas mortos não foram vítimas de crime político
o partido pela morte do petista. PT descobrirem o esquema
Afirmam que o crime foi políti- montadopelogrupo.Oex-segu- Adversário do PT, Bruno Da- tes petistas nunca esconderam gos rejeitam a versão.O assassi- não estão na lista de assassina-
co e causado por um sombrio rançaeCelsoDanieltinhamsaí- niel, irmão de Celso, acusou a o temor pela politização do ca- nato de Toninho tem contor- tos políticos deste caderno.
esquema de desvios de recur- do de uma churrascaria nos Jar- direção nacional do partido de so ea manipulação de fatos com nos de crime político pela se- A mortedo prefeito deMonte
sosde prefeituraspara financia- dins,emSãoPaulo,numaMitsu- montar um outro esquema de interesses eleitorais. quência de mortes. Numa ope- Alto, Gilberto Morgado, do PT,
mento de campanhas eleito- bishi Pajero, quando foram per- desvioderecursos,queabrange- raçãofrustradaparaprendersu- em 2006, encontrado sem vida
rais. Para a família do prefeito seguidosecercadospeloscrimi- riaasprefeituraspaulistasadmi- Campinas. Outro caso com ca- postos matadores de Toninho, em frente a um flat na Avenida
assassinado, Celso Daniel havia nosos que estavam em três car- nistradas pela legenda para ga- racterísticas de crime de man- foram mortos numa operação Rebouças, em São Paulo, tam-
descoberto o esquema de des- ros,nazonasuldacidade.Opre- rantir recursos às suas ações. do que teve versões conflitan- policial em Caraguatatuba, ain- bém não consta da lista. Morga-
vio de recursos e estava dispos- feito foi retirado do veículo. O Bruno e Celso não se falavam. tesé amortedeAntonioda Cos- da em 2001, quatro suspeitos. do tinha feito denúncias contra
to a denunciá-lo. Essa teria sido corpo apareceu três dias de- Não se apresentou um elo entre taSantos,oToninhodoPT,pre- Em razão das divergências a empresa que recolhia o lixo
a razão de sua morte. Carvalho pois, com marcas de tortura e essesupostoesquemaeoassas- feito de Campinas, em 2001. A acentuadas entre as versões da emMonte Alto.A polícia, noen-
e a cúpula petista sustentam tiros, numa estrada próxima à sinato.APolícia Federalnãoen- polícia afirma que ele foi morto polícia e do MP, as mortes de tanto, concluiu que o prefeito
que se tratou de crime comum e Rodovia Régis Bittencourt. trou na investigação. Dirigen- num assalto. A família e os ami- Celso Daniel e Toninho do PT se jogou do 23.º andar.

com um revólver e o ameaçou Biritiba Mirim, ele teve o nome com a mulher, Eliana Negrão, Mitharo Tanaka
Vítimas em de morte. A polícia concluiu
que Zamboto não usava arma
escolhido pela população para
chefiar a prefeitura. Como as
na noite de 6 de fevereiro de
1990, quando três homens enca-
Na noite do
sábado, 9 de
naquele dia e destacou no in- cédulas já estavam prontas, o puzados se aproximaram e dis- abril de 1983, o
três décadas quérito que o empresário tinha
interesse político na
Tribunal Regional Eleitoral de
São Paulo aceitou repassar os
pararam sete tiros. O vice-pre-
feito, João Pedro dos Santos, o
prefeito de
Campo Limpo
morte do prefeito. votos dele para o candidato a João Baiano, assumiu a prefeitu- Paulista, Mitha-
Os crimes contra prefeitos paulistas
vice em sua chapa, Jairo Moli- ra. Ele chegou a ser acusado de ro Tanaka (PMDB), participa-
José Oliva de Melo na. Um neto de Zezé Oliva, Car- ser o mandante do crime, pois va de um churrasco em casa
Edgard Máximo disparou um tiro em sua dire- Junior los Alberto Toina, ocupou o havia formalizado, pouco an- quando foi atender à cam-
Zamboto ção. Zamboto levantou o braço O popular José cargo de vice. tes, denúncia contra o prefeito painha. Ao abrir a porta, levou
Em 1979, o esquerdo numa reação de defe- Oliva de Melo por racismo. A Justiça, no en- quatro tiros de revólver. A polí-
prefeito de sa. O empresário deu outro ti- Junior, o Zezé Geraldo Barbosa de tanto, o absolveu em 2009, de- cia apontou Alcebíades Grandi-
Jarinu, Ed- ro que acertou a mão do prefei- Oliva, foi o úni- Almeida zenove anos depois do crime. zoli, o Pardal, candidato do
gar Máximo to e mais outro que atingiu sua co prefeito pau- O prefeito de PDS derrotado na eleição mu-
Zamboto, da veia aorta. Zamboto caiu. Cen- lista que ven- Arujá, Geraldo www.estadao.com.br/acervo nicipal do ano anterior, como
Arena-2, si ainda deu mais dois tiros. À ceu a eleição no período demo- Barbosa de Al- mandante do crime. Pardal foi
saía da prefeitura quando foi polícia, o empresário alegou crático depois de sua morte. meida visto momentos depois dos
abordado pelo empresário legítima defesa e sustentou a Assassinado num comício a (PMDB), deixa- disparos perto do corpo de Ta-
Marcos Bruno Censi, que versão de que o prefeito estava três dias do pleito de 1998, em va a prefeitura naka. À polícia, ele disse que
Especial H5
%HermesFileInfo:H-5:20131013:

O ESTADO DE S. PAULO DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013

Crime e castigo

ALTERNATIVA aliado da prefeita –, anun-


ciou num programa de rádio
na cidade vizinha de Marim-
CAMPANHA NA Gouveia. Em 1996, com a
morte do chefe político lo-
cal, José Bandeira, Cabeleira

AOS CORONÉIS, bondo que disputaria com


ela o comando de Anadia nas
eleições de 2012.
PRISÃO RENDE concorreu pela primeira vez
a prefeito e se elegeu. Voltou
a ganhar em 2000, 2008 e

SÂNIA FOI PARAR Depois da entrevista, Sou-


zavoltounumSienapratapa-
ra Anadia. Na rodovia
NOVO MANDATO 2012. A eleição mais difícil foi
em 2008, quando fez parte
da campanha preso.

NA CADEIA AL-450, perto do povoado de


Tapera, parou para atender
um pedido de socorro – uma
A LULA CABELEIRA A Polícia Civil apontou sua
participação no consórcio li-
derado pelo então deputado
pessoa estaria passando mal estadualCíceroFerro,quete-
Primeira mulher a governar o município de naestrada.Eraumaembosca- Político de Delmiro Gouveia enfrentava ria matado o vereador Fer-
da.AntesdeSouzasairdocar- nando Aldo.
Anadia, ela é acusada de mandar matar ex-aliado ro, um homem disparou 13 ti-
suspeita de participar da morte de vereador OSupremoTribunalFede-
PREFEITURA DE ANADIA
ros de pistola 9mm no vidro WILSON PEDROSA/ESTADÃO
ral rejeitou pedido de impug-
da frente, atingindo a cabeça nação da candidatura de Lu-
do vereador. la Cabeleira baseado na Lei
O crime causou comoção da Ficha Limpa. E a Justiça
em Anadia. A prefeita decre- de Alagoas avaliou que não
tou luto oficial e foi ao veló- havia prova de ligação dele
rio de Souza consolar a famí- com os matadores.
lia. Em entrevista, a prefeita A presidente Dilma Rous-
chorou. “Estamos conster- seff, o presidente do Senado,
nados com esta barbárie.” Renan Calheiros (PMDB-
Nove dias depois, a polícia AL), e o senador Fernando
prendeu Sânia e o marido, Collor(PTB-AL)jáparticipa-
Alessander Leal, o Gaúcho. ram de eventos eleitorais do
Após uma investigação, que prefeito. Foi na casa dele que
incluiu rastreamento de ce- Renan comemorou, no ano
lulares de várias pessoas, a passado, o aniversário.
polícia descobriu que o casal Em janeiro, o Estado teve
se comunicou com policiais acesso ao gabinete do prefei-
Cassada. Sânia está em prisão domiciliar em Maceió e pistoleiros no período de Poder. Lula Cabeleira está no quarto mandato de prefeito to. “É a primeira vez que eu
uma semana antes até mo- dou uma entrevista”, disse.

E L
m 2008, dois anos an- mentos depois do ataque. uiz Carlos Costa, o Lula Foi questionado sobre o su-
tes de Dilma Rousseff ● Emboscada Cabeleira, é um sertane- ● ‘Armação política’ posto envolvimento na mor-
chegar à Presidência “Estamos consternados Desvios. Dias antes do cri- jobaixinho,quefalapou- “Isso não só me prejudicou te de Aldo. Reclamou de ar-
da República, a também pe- com esta barbárie” me, a Câmara discutia a cas- co, olha desconfiado até para os politicamente, como mação política. “Isso não só
tista Sânia Tereza Palmeira Sânia Barros Teixeira sação do mandato de Sânia, mais íntimos e não sai de casa moralmente e me prejudicou politicamen-
Barros Teixeira fazia história EX-PREFEITA DE ANADIA, SOBRE A suspeita de desviar R$ 7 mi- sem fincar medalhas de santos mentalmente. Nunca tive te, como moralmente e men-
ao ser eleita prefeita de Ana- MORTE DO ALIADO LUIZ FERREIRA lhões da prefeitura, e Luiz na camisa engomada. Calvo, história de violência na talmente. Nunca tive histó-
dia, cidade de 17 mil habitan- DE SOUZA. NOVE DIAS DEPOIS DO Souza avisara que votaria herdou o apelido Cabeleira de vida. Fiquei machucado” ria de violência na vida. Fi-
tes a 94 quilômetros de Ma- CRIME, ELA E O MARIDO FORAM contra a prefeita. Presa nu- um irmão, Ernesto Cabeleira, Lula Cabeleira quei machucado.”
ceió. Primeira mulher a go- PRESOS – ELES VÃO A JÚRI COMO macela dopresídio SantaLu- que causou espanto no sertão PREFEITO SUSPEITO DE ENVOLVIMENTO Uma assessora demons-
vernar o município, ela des- MANDANTES DA MORTE DE SOUZA zia, em Maceió, Sânia teve o conservadorquando,naadoles- NA MORTE DE UM VEREADOR trou nervosismo com a con-
bancou políticos tradicio- mandato cassado, mas não cência, deixou os cabelos cres- versa, mas Lula Cabeleira
nais e tornou-se a aposta do abandonou o jogo político: cerem. O estilo introspectivo aceitoufalarsobreoquenun-
PT no agreste de coronéis. ção de desvio de verbas. lançouofilho,Raymir, candi- não impediu que Lula conquis- Ele foi motorista de táxi e ca- ca havia comentado. Na épo-
Mas os primeiros anos do Em meio ao desgaste político dato à prefeitura pelo PSD, tasse no ano passado, pelo minhoneiro. Depois de rodar o ca do crime, foi aconselhado
mandatodeSâniaforammar- de Sânia, em 3 de setembro de em coligação com PT e PMDB, o quarto mandato de Brasil, voltou ao sertão com a fugir. “Não saio de Alagoas,
cados por divergências com 2011,sábado, overeadoremédi- PMDB. O herdeiro foi eleito. prefeito de Delmiro Gouveia, uma frota de dez carretas. An- porque não devo.”
aCâmara Municipal,incluin- co Luiz Ferreira de Souza O juiz de Anadia, Heles- maior cidade do semiárido ala- tes de entrar para a política, já O prefeito não usa a ori-
do a bancada aliada, e acusa- (PPS), 61 anos – até então um tron Costa, decidiu que Sâ- goano, de 48 mil moradores. era dono de quase toda Delmiro gem pobre na política. A fal-
nia e Alessander vão a júri ta de diploma nunca foi um
popular como mandantes valor em seus raros discur-
FICHA TÉCNICA do crime. O julgamento ain- FICHA TÉCNICA sos. Na campanha passada,
da não tem data marcada. destacou a construção de
N Walemberg Wanderson N um câmpus nacidade, parce-
● A vítima: Luiz Ferreira de Torres, apontado como au- ● A vítima: Fernando Aldo, riacomogoverno federal.Pa-
Souza, vereador CE tor dos disparos, está foragi- vereador CE ra viabilizar o projeto, doou
RN RN
PI do. Foram citados no pro- PI um terreno da família. Não
● O crime: Carro de Souza PB cesso outros três pistolei- ● O crime: O vereador foi morto PB fará falta.À Justiça, eledecla-
foi atingido por tiros em 2011 ros, que admitiram ter rece- a tiros em uma festa de carnaval, rou patrimônio de R$ 8,5 mi-
PE bido R$ 5 mil pelo crime. em 2007, em Mata Grande PE lhões – foi o candidato mais
● A motivação política: Procurada, Sânia Tereza rico do interior de Alagoas.
AL Delmiro AL
Inquérito diz que crime ocor- Anadia preferiu não fazer comentá- ● A motivação política: Inves- Gouveia Tem maioria na Câmara e es-
reu pela disputa por espaço SE rios. Ela está em prisão do- tigação apontou disputa intensa SE tima-se que seja dono de 50
BA BA
eleitoral no município miciliar em Maceió. pelo poder local mil votos no sertão.

Seis anos após denunciar primos em campanha pela reeleição de


Aníbal com verba do Ministé-
Ex-aliados viram concorrentes
rio dos Transportes. e pré-candidato é eliminado
gravação, prefeito é morto no Ceará OsFerreiraGomesdomina-
vam o litoral norte do Ceará Quando um pré-candidato a José Geraldo Pereira Augusto,
JOSÉ LEOMAR /AGENCIA DIÁRIO–18/6/1998
desde 1946, quando o coronel prefeito é assassinado, é natu- reconhecidos por testemunha.
quinha e Amadeuzinho. São es- José Filomeno Ferreira Go- ralsuspeitardecrimeencomen- Faria revelou que Antonio
Líder político em Acaraú, sestrês.Sealgoacontecer,não só mes se elegeu deputado esta- dado por um dos concorrentes. Martins Vidal, o Tico Pompilho,
médico João Jaime foi comigo, mas com vocês, eles se- dual pelo PSD. Os filhos dele EmAlmiranteTamandaré,cida- segurançaemotoristadoprefei-
rão responsabilizados. Peguem se dividiram em dois grupos: de paranaense de 100 mil habi- to,ocontratouporR$300epro-
assassinado após recusar essagravaçãoelevemparaautori- “filomenos pretos” e “filome- tantes a 17 quilômetros de Curi- messa de emprego na prefeitu-
financiamento para dades confiáveis”, afirmou. Na nos brancos”. Os “filomenos tiba, a delegada Adelair Man- ra. O mandante seria Azemir
campanha de parente gravação, o médico acusa os pri- pretos”,lideradosporJoãoJai- frondesafioualógicaao investi- João de Barros, irmão do prefei-
mos de assassinarem o empresá- me Ferreira Gomes, pai de gar a morte do bancário e pré- to, como a delegada. Foi Man-
Em 1992, o médico João Jaime rioAfonsoFontes,quedisputaria Joãozinho, o prefeito morto, e candidato Miguel Siqueira Do- fron quem sugerira a entrada do
FerreiraGomes(PSDB),líderpo- o cargo de deputado federal em os “filomenos brancos”, sob o nha (PPS), em janeiro de 2000. bancário na política. A relação
lítico de Acaraú (CE), reuniu a 1986,oquedividiriaosvotoscom comando de Amadeu Ferreira Irmã do prefeito Cezar Man- entreelesdesandouquandoDo-
mulher Magna e os filhos João Aníbal Ferreira Gomes. Gomes, pai de Aníbal, Ama- fron (PTB), a policia abriu linha nha passou a ter luz própria.
Magno e Cristiano e gravou uma Em maio de 1998, dois anos deueDuquinha,serevezavam de investigação que apontava a Nove meses após o crime, o
fita cassete para denunciar três apósse elegerprefeitoeseisapós Tragédia. João Jaime levou no controle da prefeitura. viúva, Yara, como mandante do prefeito se reelegeu. Enquanto
primos por desvios de recursos, gravar o vídeo, João Jaime foi as- um tiro no olho em 1998 Comamortedoprefeito,hou- crime. Dizia estar convencida respondia a acusações de inte-
esquemadepropinaseassassina- sassinado.Eleestavanumescritó- ve a separação. O jazigo que de que Donha havia deixado grar o consórcio que mandou
tos.“Seaconteceralgocomigode rio em Fortaleza à espera do pri- menssedirigiuaJoãoJaimeeati- guardava os restos mortais da muitos seguros de vida e sua matar o adversário, Manfron
violência sejam responsabiliza- mo e vice-prefeito, Amadeu Go- rou no olho esquerdo dele. família foi aberto e os ossos de morte interessava a Yara. Tudo conseguiu uma concessão da
dos os meus primos que eu nem mes, que não apareceu. Quem O prefeito tinha recusado, se- “filomenospretos”retiradose mudoucom asprisõesdo mecâ- Caixa para abrir outra casa loté-
osconsideromais,oAníbal,oDu- chegoufoiumadupla.Umdosho- gundo a Polícia Civil, financiar a enterrados em outra tumba. nico Edson Faria, 19 anos, e de rica na cidade.

passava pelo local e foi prestar nando Ramirez (PSDB), seguia Gilberto Soares dos Santos ses de políticos e empresários José Carlos Arruda veira, foi absolvido pela Jus-
socorro. Pelas investigações, em um Fusca para buscar leite Na madrugada da cidade, envolvendo até O prefeito de tiça pelo crime.
Pardal, ex-administrador regio- em sua fazenda, no interior do de 10 de outu- acertos de dívidas. A decisão Rio Grande da
nal da Freguesia do Ó, no go- município, quando parou nu- bro de 1998, o de Giriri e Sérgio Augusto de Serra, José Car- Walderi Braz
verno Paulo Maluf, quis elimi- ma ponte de madeira cheia de prefeito de Iga- disputarem juntos a eleição los Arruda Paschoalin
nar Tanaka para forçar nova paus e pedras. Nesse momen- rapava, Gilber- municipal de 1996 causou sur- (PRP), o Car- Ao chegar
eleição. Pardal morreu em to, ele foi dominado e rendido to Soares dos presa entre os eleitores da ci- lão, foi seques- aos estú-
1994 sem ir a julgamento. Pa- por um desconhecido. O cor- Santos (PSDB), o Giriri, foi dade. Eles representavam trado na porta de casa no dia dios da Rá-
rentes de Tanaka disseram que po do prefeito, com perfura- retirado de sua casa por quatro duas famílias rivais em Igara- 1o de abril de 1998. Três dias dio Astral,
o prefeito recebera telefone- ções causadas por oito balas, homens, dois deles encapuza- pava desde o golpe militar de depois, seu corpo foi encontra- na cidade
mas com ameaças. Ele teria foi encontrado à noite em um dos, e levado para a Via Anhan- 1964. Os Santos eram ligados do com cinco perfurações e de Jandira,
sido forçado a renunciar ao car- Fusca perto de Araçatuba. O guera. À margem da pista da ao MDB e os Freitas, à Arena. ferimentos na cabeça. A polícia para gravar um programa, o
go de prefeito. vice-prefeito da cidade e escri- rodovia, ele levou 11 tiros, três Desde que assumiu o coman- chegou a prender vereadores então prefeito Walderi Braz
vão de polícia Edson Luís Viei- dos quais na cabeça. O vice- do da prefeitura de Igarapava, da cidade supostamente envol- Paschoalin (PSDB) foi fuzila-
Fernando Ramirez ra (PFL) disse em entrevista prefeito Sérgio Augusto Frei- Giriri não teria cumprido acor- vidos. O vereador Valdir Mit- do, por quatro pistoleiros.
Na manhã de que estava com medo. No en- tas (PSDB) chegou a ser apon- dos de nomeações políticas de tertein pegou 14 anos de reclu- Era o dia 10 de dezembro de
22 de setem- tanto, antes de assumir o car- tado como mandante, mas foi aliados do grupo do vice-pre- são. Outro vereador, Ramon 2010. Wellington Marins,
bro de 1998, o go, foi preso e acusado de ser o absolvido pela Justiça. A inves- feito. Um empresário, Fued Velázques, teve o processo ar- motorista do prefeito, tam-
prefeito de mandante do crime. Ficou um tigação concluiu que a morte Maluf, foi julgado pela morte quivado. O presidente da Câ- bém foi atingido e, seis me-
Monções, Fer- ano na prisão. do prefeito atendia a interes- do prefeito. mara Municipal, Ezequiel Oli- ses depois, também morreu.
H6 Especial
%HermesFileInfo:H-6:20131013:

DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 O ESTADO DE S. PAULO

✽ REVANCHES

A disputa por poder dos Araquan e


Benvindo no Polígono da Maconha
Briga de clãs começa em 1988, atravessa a década de 90 na esteira do Comando Vermelho e termina com a falência de Sequeiro, no sertão

quase sempre as- res, controlariam ações policiais merodeassassinatosporvingan- fornecia munição. Se não fizesse

tram em luta pa-


ra manter o po-
der político. Os
É
sim. Famílias en- FICHA TÉCNICA

● A vítima: Geraldo Gonçalves,


N

CE
contra os rivais.

Vereadores. Em 1994, o verea-


dor Geraldo Gonçalves, o Geral-
çadisparou.Naquelesdias,18ho- acordo, a gente corria risco de
mensarmadosdafamíliaBenvin- morrer. Se fizesse, podia dar er-
doinvadiramosítioIpuera,redu- rado e a gente morreria do mes-
to dos Araquan, e fuzilaram três mo jeito”, lembra o ex-vereador.
clãs Araquan e os Benvindo, de vereador apoiado pelos Araquan RN do da Rosa, eleito com apoio dos agricultoresdoclãrival.O inqué- Durante o processo de paz, os
Belém de São Francisco, sertão PI Araquan, teria sido assassinado rito destaca que os criminosos líderes das famílias foram mor-
pernambucano,apostamnatáti- ● O crime: Geraldo teria sido PB pela família Russo, de Cabrobó, tinham armamentos pesados e tos. Em abril de 2003, 45 homens
ca de eleger vereadores para ga- morto a mando da família Russo, ligada aos Benvindo. Um júri po- usavamcapuzesejaquetasdaPo- da tropa especial da polícia de
PE
rantir influência sobre a polícia ligada aos Benvindo, em 1994 Belém de
pular absolveu por 7 votos a 0 o lícia Federal. Após a chacina, o Pernambucoentraramnacaatin-
nacidadeeterforça numadispu- São Francisco AL pistoleiro acusado pelo crime. bando foi para Belém, onde esta- ga para caçar Chico Benvindo.
taquecomeçoucomuma discus- ● A motivação política: Uma Em 1996, os Benvindo lança- va preso Osvaldo João Após 20 dias de persegui-
SE
são de bar, em junho de 1988. briga entre famílias pelo controle BA ram a candidatura a vereador de dos Santos, o Vavá ção,Chicomorreunu-
O primeiro morto foi Clodoal- de cidades atingidas pelo tráfico OCEANO
Miguel Benvindo, pelo PFL. O Araquan, parente matrocadetirosnu-
do Gonçalves, da família Ara- ATLÂNTICO partido foi procurado pelos Ara- dosmortos.Apolí- ma ilha do São
quan, que entrou alcoolizado no
bar Asa Branca, dos Benvindo, e cia indicam que agricultores das vindo eram chamados de Negos
quan para lançar José Menezes.
Miguel venceu; Menezes ficou
cia impediu que
eles entrassem 18
Homens do clã
Francisco. Quase
seis meses de-
xingou as mulheres da família ri- duas famílias começaram a plan- pelos Araquan, que por sua vez na suplência. Miguel foi assassi- na delegacia. pois, era a vez de
val. A discussão virou tiroteio. tar maconha para comprar ar- eramapelidadosde galegos.A lu- nado. O inquérito da polícia, Benvindo Cleilton cair.
Ele foi baleado por Antonio Ma- mas e munições. As plantações ta se espalhou a outros municí- guardado no cartório de Cabro- Trégua. Chico fuzilaram 3 Acompanhado de
ximiano da Cruz, dos Benvindo. de cebola, milho e feijão foram pios e envolveu outras famílias. bó, informa: “A 24 de outubro de Benvindo, líder da do clã rival 15 homens na cida-
Antonioadmitiu à polícia a auto- abandonadas na região do Se- 1997, pelas 17 horas, perto da Fa- família, chamou o de baiana de Pilão
riadocrime: “Selevantar, euma- queiro, caatinga sem fontes de Comando Vermelho. As famí- zenda Recanto, na BR-316, os de- primo e então verea- Arcado, ele liderou as-
todenovo”.Emseguida,umagri- água que depende de irrigação. lias começaram a trocar maco- nunciados em associação crimi- dor José Neto para tentar salto a uma agência do
cultor da família Benvindo foi Logosurgiramosdoispersona- nha por armamentos com o gru- nosa, fortemente armados e costurar um acordo de paz com Bancodo Brasil. A PF o esperava.
morto por vingança. Era o início gens mais importantes da luta: po Comando Vermelho, do Rio. com armas de diferentes cali- os Araquan. “A melhor forma é Ele conseguiu entrar na agência
de uma série de mortes. JucicleiltonNascimentodosSan- Quando o governo federal man- bres,deflagraramdiversosdispa- entrar em acordo. Eu mato dez, e levar o dinheiro. Na persegui-
Nessa época, fim da década de tos, o Cleilton Araquan, que em- douoExércitodestruirasplanta- ros contra Miguel.” Os Benvin- eles matam dez. Eu mato cinco, ção, acertou um agente federal,
80, aumentaram os plantios de bora não fosse da família tornou- ções de maconha, no final dos do avisaram ao suplente que se elesmatamcinco”,teriaditoChi- mas foi baleado e morto.
maconha nas ilhas e margens do se o principal líder do clã, e Fran- anos 1990, o Comando Verme- ele assumisse a cadeira de verea- co, segundo relato de Neto. “Vo-
rio São Francisco – região que cisco José da Cruz, o Chico Ben- lho se afastou e as famílias fica- dor seria morto. A ameaça foi cê nunca sabia quem batia à por- Cabeça quente. Osvaldo João
ficou conhecida como Polígono vindo, chamado de “Novo Lam- ram sem dinheiro. Elas avalia- cumprida. As mortes de políti- ta: se a polícia ou o inimigo. To- dos Santos, o Vavá, 47 anos, é o
daMaconha.Osregistrosdapolí- pião”. Por ter pele negra, os Ben- ram que, se elegessem vereado- cos motivaram chacinas. O nú- dos vinham de colete. A polícia atual chefe dos Araquan. Passou

Dias de fúria

ASSASSINATO NO um desafio fatal.


Vanzinhofazumrelatodamor-
te do tio: “O sargento era cam-
xando no caminho um rastro de
sangue. Uma das famílias rivais
eram os Fernandes, que tiveram
FICHA TÉCNICA

MERCADO INICIA peão de tiro da Polícia Militar.


Houve um desentendimento en-
tre ele e meu tio. Eles estavam na
umdosseusfilhos,Nero Nazare-
no Fernandes, então presidente
da Câmara Municipal de Caraú-
● Uma das vítimas: Agnaldo
Pereira da Silva, prefeito
N

CE
Caraúbas

RN
Natal

PI

ONDA DE CRIMES porta do mercado municipal


quando meu tio esquentou a ca-
beça e arrastou o revólver e man-
bas, assassinado em 1981.
Nessa época, quem liderava a
família era o fazendeiro Luiz Be-
● O crime: Em 2001, o prefeito,
sua mulher e três seguranças fo-
PB

PE
dou ele arrastar o revólver tam- nevides Carneiro, o Doutor Be- ram mortos numa emboscada
Em Caraúbas, Rio Grande do Norte, vingança bém. Meu tio deu seis tiros na di- nevides, sucessor de Antoninho. AL
reção da cabeça do sargento. Foi Foi para sufocar os Fernandes e ● A motivação política: Uma
de clã descamba para assaltos e mortes violentas embora, mas voltou para confe- financiar a candidatura à prefei- antiga rixa política entre as famí-
SE
BA
rir.‘Queroolharacaradocachor- tura de Caraúbas de um aliado, lias Fernandes e Carneiro OCEANO
empos depois do assas- crânio do meu tio com as duas ro morto’, afirmou. Mas só viu Raimundo Amorim, o Zimar, ATLÂNTICO

T sinato do vereador An-


toninho Carneiro, sua
irmã, Luzia, levou os sete fi-
mãos e disse que o espírito dele
tinha de entrar no nosso corpo.
Mãe só queria vingança.”
uma poça de sangue. O sargento,
que não morrera, apertou o gati-
lhoeacertounoolhodomeutio”.
que Benevides planejou assaltar
em Mossoró, em 18 de maio de
1982,umcarroquelevavadinhei-
feito de Caraúbas. Ele entregou
os R$ 3,2 milhões (em valores de
contratados para o serviço. Dias
depois, os assaltantes voltaram a
lhos menores ao cemitério de Cinco anos antes, a 18 de outu- Com a morte do líder, os Car- ro do programa de emergência hoje)doassaltoaZimar,candida- Caraúbas com o filho de um de-
Caraúbas (RN) para ajudá-la a bro de 1967, o vereador desafiou neiro intensificaram a violência do governo federal aos atingidos to mais viável na disputa de 1982, les, de apenas 4 anos, para exigir
exumar e limpar os ossos do o poder do delegado, o sargento nas relações políticas. Começa- pela seca. Vanzinho atuou na lo- com o acordo de que, após con- mais dinheiro. Doutor Benevi-
chefedafamília.Umdosmeni- Adelson, e lavou um caminhão va a saga do clã que, em meio à gística do assalto, que envolveu cluiromandato,oeleitolhedaria des armou uma emboscada em
nos, José Vantuil Carneiro, o no açude público de Caraúbas, disputa por poder, pegou em ar- outros três homens. apoio para suceder-lhe. Uma pe- seusítio,nazonaruraldomunicí-
Vanzinho, lembra a fúria e hoje uma cidade de 19 mil habi- mas para consumar a vingança e O roubo era parte do plano de quena parte foi distribuída entre pio,efuzilouoscinco.DoutorBe-
ódio da mãe. “Ela levantou o tantes da Chapada do Apodi. Foi partiu para a criminalidade, dei- Doutor Benevides para virar pre- os quatro assaltantes cariocas nevides ainda ordenou que os
O ESTADO DE S. PAULO DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 Especial H7

WILSON PEDROSA/ESTADÃO

No Sertão, tucano
ajuda novos líderes
na velha p0lítica
Com a bênção de Sérgio FICHA TÉCNICA
Guerra, que presidiu PSDB,
ex-deputado suspeito em ● A vítima: Anilton Martins da
13 homicídios elege filhos e Silva, sem-terra
ganha absolvição política
● O crime: Anilton abastecia o
Os irmãos Juliano Martins, de 25 carro quando foi morto, em 2005
anos, e Claudiano Martins Filho,
o Cacau, de 23, eram garotos em ● A motivação política: O sem-
2000, quando viram o pai, o ex- terra fazia acusações contra o gru-
deputado estadual Claudiano po dos Martins, o que segundo
Martins,algemadoepreso,acusa- promotores causou o assassinato
do de chefiar a pistolagem no
agreste de Pernambuco. “Nunca
tive problema por causa disso”,
afirma Juliano, eleito no ano pas-
sado prefeito de Itaíba (PE), pelo N
PSDB. “Eu tive. Um professor fa-
zia piada”, diz, em tom sério, o CE
RN
tambémtucano Cacau, eleito de- PI
putado estadual em 2010.
PB
Isolado numa fazenda na re-
gião de Itaíba, o ex-deputado PE Itaiba
Claudiano Martins, hoje com 47
anos, comemora o resultado da AL

renovação em família. Contra SE


BA
eleeosirmãosNumeriano,Aure-
liano, Otaviano e Eliano Martins OCEANO
ATLÂNTICO
pesavamacusaçõesdeassassina-
tos ocorridos de 1992 a 1999, a
maioria de representantes de Martins,uma espécie deabsolvi-
uma família adversária. O clã es- ção por meio da política, o tuca-
Saga. Osvaldo João dos Santos, o tava envolvido, segundo investi- no entregou espaço político pa-
Vavá, atual chefe dos Araquan, preso gações policiais, na morte de 13 ra o aliado respirar e, também,
por envolvimento no assassinato pessoas – mas as denúncias não garantiu para si votos necessá-
de um vereador: ‘Ninguém quer foram adiante. Claudiano ainda rios à manutenção de sua atua-
perder. Na hora que perde, o responde pela morte de um líder ção parlamentar.
cabra fica com a cabeça quente’ sem-terra em 2005. Se não fosse a aliança com
Os Martins estão no agreste Guerra, os Martins estariam to-
desde o tempo do Império. Um talmente integrados ao projeto
um ano e dez meses na cadeia coroneldafamíliaescondiaLam- do governador Eduardo Cam-
pelaparticipaçãonoassassina-
todovereadorMiguelBenvin-
Raiz histórica explica violência piãonas passagens do rei do can-
gaço pela região.
pos, do PSB, que vive assediando
a família. Cacau é aliado de Cam-
do. Numa tarde de sol, Vavá A história política de Claudia- pos na Assembleia. Na eleição de
recebeu a reportagem na va- É no Estado, especificamente miu a um grande conflito en- no começa em 1988, quando foi 2010, Campos esteve em Itaíba
randa da casa e seu sítio, em ‘Banho de sangue’ vem no semiárido, que estão os dois trepecuaristasdaCasadaTor- candidato a vereador em Itaíba para confraternizar com os Mar-
Ipuera, rodeado de aliados. desde o período colonial, municípioscom osmaiores índi- reedaCasadaPonte,dosGue- pelo PPS. Foi reeleito, presidiu a tins e apoiar Cacau. O deputado
“Ninguémquerperder.Naho- ces de crimes políticos no País – des de Brito, todas com sede Câmara e, após um mandato co- diz que a relação é antiga. “Meu
ra que perde, o cabra fica com teve impulso na República BelémdoSãoFrancisco(39 mor- emSalvador,epadrescapuchi- mo prefeito, chegou à Assem- pai apoiou os dois mandatos de
a cabeça quente. Eu caçava de Velha e foi inflado pela tos) e Floresta (33). Neles, o trá- nhos e jesuítas que atuavam bleia, em 1998. Arraes(MiguelArraes, ex-governa-
não começar”, conta. “Tenho impunidade da atualidade ficoeoplantio de maconhareali- em missões indígenas.” A prisão de Claudiano, em dor e avô de Campos). Meu pai é
46 anos. Isso não foi bom. A mentaram ou criaram rixas de Eleavaliaque esseprocesso 2000, marcou a família. O então amigoparticularde Eduardo.Es-
ignorânciafoide todomundo. Háalgo deerrado emPernambu- famílias, a polícia não interferiu gerouumagaleriaricadeagen- senador e hoje deputado federal tamos juntos com Eduardo e
A polícia só inflamou.” Vavá co, terra do frevo e do maracatu, nas execuções decorrentes das tes da violência, como o ca- Sérgio Guerra (PSDB-PE) deu com o doutor Guerra.”
disse que tenta retomar a vida com 8,8 milhões de habitantes disputas e os agentes políticos bra, o capanga, o pistoleiro, o apoio na hora da turbulência. Nas duas vezes em que foi pre-
de agricultor. “Hoje, tenho 70 em 185 municípios. O Estado nos planos nacional e estadual jagunçoeocangaceiro.Nocal- Cerca de 25 mil votos de Itaíba e so, Claudiano teve apoio de
gados e 200 ovelhas. A gente que sempre se destacou no Nor- aceitaramfazeralianças comoli- doquefermentou essaviolên- cidades vizinhas, angariados pe- Guerra, ex-presidente nacional
não consegue empréstimo. deste por sua força econômica, garquias regionais sangrentas. cia há ainda a tradição de dizi- los Martins, passaram a ser sem- do PSDB. Em 2000, o então pre-
Nãotemdinheiroparaaumen- tradição política, cultura de ora- mar focos de fanatismo reli- predele.“Osenadorfoioprimei- feitodeItaíbarecebeuvozdepri-
tar a plantação e a criação. dores e história de movimentos Dependência. Mesmo se o ser- giosoeopredomíniodasgran- ro a defender o nosso pai e nos- são do deputado estadual Pedro
Aqui é lugar sequeiro. A vida revolucionários lidera a lista na- tão – palco das lutas de famílias e des propriedades de cana, no sos tios. Ele é o nosso chefe, o Eurico, do PSDB, presidente da
sempre foi cacete mesmo.” cional de homicídios motivados disputas pelo tráfico de drogas litoral, e de criação de bois, no nosso cacique”, afirma Juliano. CPI da Pistolagem da Assem-
NãohámaismoradornoSe- por disputa de poder – são 210 no Polígono da Maconha – fosse sertão. “Numa sociedade pas- Cacau ambiciona uma cadeira bleia, e, em 2006, foi preso pela
queiro.Ascasas estãoabando- crimes políticos no período de- excluído do levantamento, a vio- toril, o grande crime é o roubo no Congresso. Mas o sonho está Polícia Federal por suposto des-
nadas, os poços destruídos, as mocrático,quaseodobro deAla- lêncianoagresteelitoralpernam- do gado. O homicídio pode atrelado ao projeto de Guerra. vio de recursos. Sérgio Guerra,
bombas e canos para irrigar a goas, o segundo colocado. bucanosmanteriaoEstadoàfren- ser um crime de honra”, diz “É fidelidade.” Ao dar a mão aos segundo contam os aliados lo-
terra com a água do rio foram Parte da explicação para esse te da Bahia (95 mortos) e de São Mello. “No sertão que eu vi, o cais, telefonou para o então mi-
perdidos. Quem deixou a re- banho de sangue está na raiz his- Paulo (63). Nele, a área de Segu- ladrão de gado não era preso, nistrodaJustiçaMárcioThomaz
gião no tempo da luta de famí- tórica da violência pernambuca- rança Pública tem um grau de de- eramorto.Olitoralnãoenten- BastoseparaministrosdoSupre-
lias não tem dinheiro para re- na, ainda do período colonial. pendênciadoschefespolíticoslo- de assim. Um grande autor, o mo Tribunal Federal para liber-
começaravida.Oconflitodes- Ela ganhou impulso no começo caiscomoemnenhumoutroEsta- cearense Gustavo Barroso, tar Martins. “Acredito e confio
truiuaeconomiadesubsistên- do século 20, com a Política dos do, com dificuldade de se distin- usava uma apossínclise: ‘No em Claudiano”, afirma Guerra.
cia, a pecuária de leite, as cria- Governadores – acordo fechado guir jagunços, milícias particula- sertão,quem se nãovinga está
ções de cabras e o comércio na República Velha pelo qual o res e destacamentos policiais. moralmente morto’.”
de feijão, milho e cebola. Ago- governo federal assegurava Autordelivrossobreopassado Vemde Pernambucoumfo-
ra, são as cruzes dos mortos apoio aos governos estaduais e, sangrento do Nordeste, como co irradiador da violência, es-
que vão sendo encobertas pe- em troca, estes mobilizavam sua Guerreiros do Sol e A Guerra To- pecialmente política, no Nor-
los cactos. A vereadora Wi- baselocal(noNordeste, os coro- tal de Canudos, o historiador Fre- te-Nordeste.Éa regiãodosva-
liany Cruz, 22 anos, filha de néis) para garantir maioria nas derico Pernambucano de Mello les do Rio Pajeú e do Riacho
José Neto, do PDT, é a única Assembleias Legislativas. observaqueoprocessodecoloni- do Navio, de onde saiu a figu- Herdeiro.
representante dos Benvindo Em Pernambuco, esse jogo ge- zação do Brasil, iniciado no lito- ra do pistoleiro hoje presente Juliano
na Câmara de Belém de São roua aliançaentrenovaslideran- ral de Pernambuco, e que entrou nosconflitosagráriosnaAma- Martins, de
Francisco – os Araquan estão ças do Recife e antigos clãs vio- pelo sertão, marcou o início de zônia. “Foi ali que surgiram 26 anos,
semassento. Secretáriamuni- lentos do interior. A impunida- uma época violenta. “Essa pene- grupos de cangaço, como me- prefeito de
cipal da Juventude, ela teme, de inflou o número de assassina- tração em direção ao sertão, pelo romeiodevidaou instrumen- Itaíba
agora, a luta contra o crack. tos políticos no período recente. Vale do São Francisco, se resu- to de vingança”, afirma Mello.

WILSON PEDROSA/ESTADÃO

mais jovens do seu bando atiras- porintermédiodeZimarFernan- Novo round. Depois, os Carnei- cas. Elinaldo chamou Valdetário dama Antonia Gurgel, a Nita, e RioGrande doNorte,Garibal-
sem nos corpos até a última bala des, Doutor Benevides retomou ro se envolveram numa disputa Carneiro, primo de Vanzinho, três seguranças, na estrada di Alves Filho, sobrinho de
para“perderemomedo”.Oscor- o controle do clã em Caraúbas. E sangrenta com outro clã, os Si- para assaltar uma fábrica. Valde- RN-117, próximo a Mossoró. O Aluizio Alves, mandou o avião
pos foram queimados. passou a cobrar de Zimar o acor- meão Pereira. O chefe dos Si- tário não aceitou porque a fábri- Santana capotou e caiu numa ri- do governo do Estado buscar
do para que o prefeito o apoiasse meãoPereiraeraomédicoecapi- ca era de um amigo. A partir daí, banceira de dez metros. Os cor- o corpo de Benevides, que foi
Intervenção. A partir do desapa- na sua sucessão – o que ele não tãodaPMAgnaldoPereirada Sil- houve troca de ofensas entre os pos de Nita e dos seguranças fo- recebidocom homenagens de
recimento dos cariocas, a polícia fez, indicando outro candidato. va, que se transferiu de Pa- CarneiroeosirmãosdeAg- ramarremessadospara fora.Ho- herói em Caraúbas.
do Rio Grande do Norte eluci- Era a senha para uma nova ma- tu, sertão potiguar, pa- naldo, Elinaldo e João. mens saíram da Ranger atirando A prática de assaltos a car-
douoassalto.OgovernadorAlui- tança. Em 1992, Zimar foi acusa- ra Caraúbas, onde João,tambémmé- nos corpos. Um dos pistoleiros ros-fortes, agências de ban-
zio Alves, do PMDB, que na cam- do de executar o advogado dos começou a traba- dico, foi fuzilado percebeu que o prefeito estava cos e dos Correios pelos clãs
panha de 1982 sugerira que o en-
tão prefeito biônico de Natal Jo-
sé Agripino Maia, do PDS, hoje
Carneiro, Antonio Carneiro Fi-
lho – filho do vereador Antonio
Carneiro, morto pelo sargento
lhar no hospital
do município.
Depois chega-
3,2 mi
Foram roubados
em1999,comcer-
cade40tiros.Eli-
naldo foi morto
vivo,presopelocintodeseguran-
ça. O homem se aproximou, dis-
parou dez tiros no crânio e no
que disputavam o poder em
Caraúbas levou ramificações
das famílias a entrar no mun-
senador do DEM, estava ligado Adelson–, e a mulher dele,Maria ram os irmãos em assalto para mais tarde, em peito de Agnaldo e, por fim, ati- do da criminalidade comum.
aoassalto,passoupeloconstran- da Luz Gurgel. No ano seguinte, João, também pagar campanha 2006. O médico e rou em cada olho do prefeito. Vanzinho foi condenado pelo
gimentodeverumaliadodointe- os Carneiro mataram Zimar. médico, e Elinal- em 1982 prefeito Agnaldo Omassacre, segundoa polícia, assalto de 1982 em Mossoró e
rior, o prefeito eleito de Caraú- Em meio às acusações de cri- do, pecuarista. Pereirapregavapru- foi uma vingança de Valdetário por vários outros crimes a 142
bas, Zimar Fernandes, como o mespolíticos,os Carneiroentra- Anos depois, Agnal- dência aos parentes e pela morte, dois meses antes, de anos de prisão – cumpriu 12
principal beneficiário do roubo. ram de corpo e alma na campa- do seria eleito prefeito, aliados do município. Benevides. O chefe político dos anos e hoje é cantor evangéli-
Zimar foi preso, mas logo depois nha de Ana Catarina Alves para acirrando mais a disputa com os Carneiro havia morrido na peni- co. Tempos depois das mor-
saiuereassumiuaprefeitura,gra- deputada federal, em 1994. Ana representantes dos Carneiro. Emboscada. Na noite de 7 de tenciária de Teresina de enfarte, tes dos principais chefes polí-
ças à influência de Aluizio Alves. Catarina era filha de Aluizio Al- O desentendimento entre os novembro de 2001, uma cami- após uma bomba explodir em ticos dos clãs, parentes mais
Doutor Benevides e seus pa- ves e irmã de Henrique Eduardo clãs teria ocorrido em mais um nhonete Ranger fechou o Santa- sua cela. Os Carneiro acusaram distantes foram acusados de
rentes foram cercados pela polí- Alves, também candidato a uma assaltoparaangariardinheiropa- nabrancoemqueviajavamopre- oprefeitoAgnaldodeterplaneja- organizar assaltos e roubos –
cia em um sítio no Piauí. Solto cadeira na Câmara Federal. ra financiar campanhas políti- feitoAgnaldoPereira,aprimeira- do o atentado. O governador do sem conotações políticas.
H8 Especial
%HermesFileInfo:H-8:20131013:

DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 O ESTADO DE S. PAULO

✽ REVANCHES

Tristeza e medo ainda acompanham


a velha Exu que Gonzagão pacificou
Mediação do Rei do Baião entre famílias rivais liquidou uma guerra de 8 gerações, mas a tensão continua
CELSO JUNIOR/ESTADÃO
cidade deveria ser

A
alegre,vivernorit-
mo da sanfona
branca de Luiz
Gonzaga, o filho
maisilustre.MasExuéumatris-
teza só. Os moradores se apres-
samemlembrar quea lutaentre
as famílias Alencar e Sampaio
ficou no passado. Em 1982, ano
em que os brasileiros voltavam
às urnas para eleger governado-
res, 18 anos após o golpe militar
contra o presidente João Gou-
lart, Gonzagão ajudou a acabar
com uma disputa do tempo do
Brasil Colônia, que se transfor-
mouno maior símbolodasrixas
de clãs na política nacional.
A tragédia pode ter ficado no
passado, mas, aos poucos,
quem é de fora percebe que as
marcas do conflito sangrento,
que deixou cerca de 40 mortos
apenasno período mais recente
– da década de 1940 ao início
dos anos 1980 – ainda são fortes
na cidade de 50 mil moradores,
a 630 quilômetros do Recife.
Em Exu, o ódio moldou casas
e hábitos. As fachadas têm pou-
cas janelas, as portas ficam fe-
chadas em dias de intenso ca-
lor, as conversas e os cumpri-
mentos nas ruas são rápidos e
dificilmente se vê, nas noites
frescas do sertão, mulheres e
crianças em cadeiras nas calça-
das. Nada de muita conversa.
Tudo por causa do clima de me-
do que ainda paira no ar.
A luta política dos Alencar no
sertão teria começado em 1710,
há exatos 303 anos, quando os
irmãosportuguesesLeonel,Ale-
xandre, João Francisco e Marta, Testemunha. A cozinheira Mundica preparou os jantares que Luiz Gonzaga organizou em Exu (PE), para tentar conciliar os Alencar e os Sampaio
perseguidos pela Coroa portu-
guesa, se instalaram no pé da que passaram pelo seminário de Moreira de Alencar, parente do versar mais tarde, quando ficou
SerradoAraripe,entreascapita- Olinda. Vista como legítima re- FICHA TÉCNICA barão, com uma cabocla cearen- claro que o objetivo da entrevis-
nias do Ceará ede Pernambuco. presentantedoBrasil,semtroca- se, Efigênia. Em 1909, Santana ta era apenas falar de sua media-
A chegada deles deu início a di- dilhos, bárbaro, ela é apresenta- N casou-se com o músico Januá- ção, juntamente com o cardeal-
vergências com outras famílias. da ainda como a mulher que de- ● A vítima: Wilson Luna, vice- rio. O casal vivia numa casa de arcebispodeSalvador, domAve-
CE
Uma neta de Leonel, Bárbara safiou homens da família Sam- prefeito, e outras 22 pessoas RN taipa nas terras do barão quan- larBrandãoVilela,eLuizGonza-
deAlencar, que viriaa ser avó de paio por se opor a perseguições PI do nasceu o filho Luiz Gonzaga. ga, para pacificar a cidade.
Exu
JosédeAlencar,autor de OGua- de índios, padres e negros. ● O crime: Em 1981 Luna foi PB Ele contaque foiem 7 de agos-
Recife
rani, se destacou com seus fi- morto num tiroteio com mem-
PE
Pacificador. O Rei do Baião en- to de 1978 que sofreu uma em-
lhos na Revolução de 1817, con- Barão de Exu. A rixa entre os bros da família Sampaio tra nesta história porque, a par- boscada de quatro homens. Es-
tra a Coroa. Foi presa e tortura- Alencar e os Sampaio voltou a AL tir dos anos 1970, tentou pacifi- tavanuma caminhonetecom Ja-
da. Viveu dois anos numa cela recrudescer na manhã do dia 10 ● A motivação política: Uma car as famílias de Exu. Era aceito ciane quando os pistoleiros ati-
SE
empesteada de pulgas e ratos. de abril de 1949. Foi nesse dia rixa entre as famílias Alencar BA comomediadorgraçasaoseusu- raram. “Nunca contei quem ati-
Liberta, veria sete anos depois, que houve um tiroteio em Exu e Sampaio OCEANO
cesso como cantor no sul e por- rou em mim. O pessoal me aper-
em 1824, o filho seminarista Jo- no qual morreram o coronel Ro- ATLÂNTICO que não tinha sangue Sampaio reava. Decidi até hoje guardar
sé Martiniano proclamar a Re- mão Sampaio e Cincinato de nem era considerado um Alen- segredo”, afirma. “Meu medo
pública na praça do Crato, no Alencar. O filho de Cincinato, morreu de diabetes em 1979. ram 11. Do lado deles morreu car das duas primeiras castas – era ver um filho meu ir vingar a
Ceará. À frente do governo da Francisco Aires de Alencar, saiu FranciscoAiresdeAlencarFi- menosgente”,calculaamatriar- dos nobres e dos intermediá- emboscada e ir matar. Preferi
capitania estava um Sampaio. A ferido. “Francisco, meu marido, lho,trinetodobarão,foimanda- ca dos Alencar. “Tinha de dar rios. Gonzaga descendia dos ser chamado de covarde a ser
tropadogovernador InácioMa- ficou30anosetrêsmesesparalí- do para Recife pela mãe, Diva, uma parada. Quando entendia Alencar “misturados”. “Era só apontado como um homem
nuel Sampaio fuzilou dois fi- tico”, conta Diva de Alencar Pa- com intuito de estudar e não se que matava um do lado de cá, cheio de graça”, lembra Diva. que matou alguém.”
lhos de Bárbara – Tristão e Car- rente,79anos,emfrenteaocasa- envolver na guerra com os Sam- morria outro do lado de lá. Não Dura um dia a negociação pa- Numa sociedade regida pelas
los José –, um irmão, Leonel, e rão da fazenda Gameleira, que paio. Formado em engenharia, davajeito”,lembra.Elaserecor- ra o empresário Jusiê Sampaio leisda honra, Jusiê enfrentoure-
um sobrinho, Raimundo. pertenceu a Gualter Martiniano Francisco classifica a luta como da também de Santana, moça dar sua versão da luta de famí- sistência até mesmo dentro de
AmatriarcaBárbaraerasímbo- de Alencar, barão de Exu. O di- “fruto da ignorância”. “Quando clara, pele bem parecida com as lias. A filha dele, Jaciane, diz que casa após escapar da embosca-
lo de um mundo caboclo que re- ploma do barão está na parede o Estado está presente, a coisa dos descendentes do barão. o pai não concede entrevista por da. “Preferia ver meu filho mor-
solvia as pendências no punhal de um metro de espessura da muda”, afirma o representante “Santana, a mãe do Luiz Gonza- temer a volta do conflito. Uma to”, disse sua mãe, Rosemira, ao
e,aomesmotempo,deideiasilu- casaqueficanoaltodeumacoli- da oitava geração da família. ga, não assinava como Alencar, emboscada deformou o rosto de ver seu rosto deformado.
ministasqueconquistaramFran- na,nocomeçodaSerradoArari- JoséArêzAlencar,filhoadoti- mas dizem que era filha do ba- Jusiê – ele ainda perdeu dois ir- Rosemira é sobrinha do coro-
çaeEstadosUnidos.Essasideias pe.O barão erasobrinho de Bár- vo de Diva, levou 11 tiros numa rão”, conta Diva. mãos na guerra. Argumenta que nel Romão Sampaio, morto no
chegaram ao universo de Bárba- baradeAlencar,avôdeCincina- emboscada no Recife, mas so- AnaBatistadeJesus,conheci- falardo passado é trazê-lo parao tiroteio de 1949. Romão, por sua
ra por meio de amigos padres to e bisavô de Francisco, que breviveu.“Donossoladomorre- da por Santana, era filha de José presente. Jusiê só aceitou con- vez, era filho do coronel Romão

● ● ● ● ●
1710 1824 1949 1981 1982
TRÊS SÉCULOS DE Leonel Alencar e três José Martiniano, bisne- cio Manuel Sampaio, Em tiroteio, morrem Luiz Gonzaga pede ao Durante a interven- tantes da
RIXA FAMILIAR irmãos fogem de Por- to de Leonel, proclama do clã adversário, Romão Sampaio e Cin- vice-presidente Aure- ção, que vai até 1983, Igreja Católica conse-
tugal e se instalam a República na praça manda fuzilar quatro cinato Alencar. Caso liano Chaves interven- Jusiê Sampaio, Luiz guem firmar a paz
no sertão do Ceará. do Crato (CE). O gover- pessoas da família inaugura sequência ção federal em Exu. Gonzaga e represen- entre as famílias.
nador do Ceará, Iná- Alencar. de mortes que vai até
os anos 1980.

Drama cearense
NEYSLA ROCHA/DIÁRIO DO NORDESTE–3/2/2007

A VINGANÇA DO de 2004, o neto dele, Iramilson


Fernandes, e um grupo de jo-
vens discutiram com o seguran-
COVEIRO: ENTERRAR çaGeonesCorreiaLima,quetra-
balhava para o prefeito e candi-
datoàreeleiçãoHellosmanSam-
ASSASSINO DO NETO paio de Lacerda, do PMDB. Hel-
losman era condenado por vio-
lência sexual contra menores. A
Segurança de prefeito matou jovem após discussão discussão política chegouao ex-
tremo. Com um revólver na

O
coveiro Aloizio Fer- simplesmente,amortedoassas- mão,Geonesordenouqueosjo-
nandes, de 69 anos, sino de seu neto. “Eu disse para vens se ajoelhassem e, depois,
de Milagres (CE), re- a cidade inteira: só deixo meu disparou na nuca de Iramilson.
solveu adiar a aposentadoria trabalho no dia em que enterrar O caso foi classificado como
com que tanto sonhava. Sem o cabra”, relata. crime político pelo Tribunal de
armas, sem dinheiro para pa- Na festa da padroeira da cida- JustiçadoCeará.Em2010, omi-
gar pistoleiro nem coragem de, Nossa Senhora dos Mila- nistro Joaquim Barbosa, do Su-
para vingança, ele esperava, gres, em plena disputa eleitoral Na Justiça. Hellosman foi condenado por atentado ao pudor e crime de ameaça a um jovem premo Tribunal Federal, deci-
Especial H9
%HermesFileInfo:H-9:20131013:

O ESTADO DE S. PAULO DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013

WILSON PEDROSA/ESTADÃO
Filgueira Sampaio, intendente um desenvolvimento que só
de Salgueiro em 1867 e primeiro é realidade em cidades mé-
prefeito da cidade (1892-95), dias como Salgueiro e Petro-
que esvaziou o poder do coro- lina. Foi para lá que muitos
nel Manuel de Sá – um ex-cole- jovens das famílias Alencar
tordeimpostosdaCoroaportu- e Sampaio foram em busca
guesanoSemiárido,descenden- de trabalho no comércio for-
tede domDiniz, reidePortugal, mado em volta dos grandes
e da rainha Isabel, da Espanha. projetos do governo federal.
Neto de Romão, Alexandre
No Planalto. Os descendentes Saraiva Sampaio, 35 anos, ob-
de Bárbara de Alencar correram serva que em Exunão háagri-
o mundo e atuaram em papéis cultura forte nem indústria.
importantes na história do Bra- O comércio vive dos recur-
sil. Da matriarca descendem re- sos do Bolsa-Família e a pre-
publicanos e monarquistas, ge- feitura, do Fundo de Partici-
tulistasleaiseadversáriosferre- pação dos Municípios.
nhos de Vargas, intelectuais do Naavaliação de Alexandre,
Partido Comunista e generais a música de Luís Gonzaga,
doregimemilitar,aliadosdeLu- quenopassadoajudouapaci-
la e tucanos, gente da esquerda Repercussão. Reportagem ficar as duas famílias, agora
e da direita. Raquel de Queiroz, do ‘Estado’, em 1981, relata poderia garantir dias melho-
autora de O Quinze, não esque- o caso antes do acordo res para os moradores. “De-
ceu da matriarca ao idealizar veríamos explorar o ícone
Maria Moura, a protagonista do Na cidade, os partidos nacio- Luiz Gonzaga”, afirma. “O Dor. Maria Bahia vive na Paraíba e sofre com a morte dos três filhos, mas quer vingança
romance. Ela própria, Raquel, nais são ofuscados por dois gru- berçodoforróé aqui”,ressal-
como Bárbara, foi presa políti- pos políticos: o Boca Branca, da
ca, na ditadura Vargas, em 1937. família Alencar, e o Boca Preta,
Foi em outra ditadura, em dos Sampaio e Saraiva.
1964, que um descendente de
ta. Alexandre diz que o mu-
seu dedicado ao Rei do Baião
está nas mãos da família de
umempresáriodocantor.Re-
Sé volta a ser palco de
Bárbara chegou à Presidência. Formalidade. Em época de
Ao assumir o governo, o mare- eleição, PT, PSDB, PSB, PMDB
chal Humberto de Alencar Cas- ou DEM são siglas que só cum-
teloBrancorecebeucartadeAn- premumaformalidadenoregis-
clama que o axé e outros rit-
mos “estrangeiros” toma-
ram o espaço da sanfona do
Rei do Baião. Alega que só a
lutas entre famílias
toliano Alencar, de Exu, pedin- tro dos candidatos. Um Alencar músicade LuizGonzagaé ca-
do que intercedesse por outro ou Sampaio pode mudar do PT paz de “agregar valor” e aca- No século 17, os Pires e os Camargos se enfrentavam com adagas;
parente: o então governador de para o DEM sem traumas. Mas bar com o clima de angústia hoje, rixa é entre os Alves de Mesquita e os Batista de Mesquita
Pernambuco, Miguel Arraes de nunca passar de Boca Preta pa- do pós-guerra. “É como se
Alencar, adversário do novo re- ra Boca Branca, ou o contrário. agente vivesse perto de um
vulcão adormecido. Aqui,

A
gime. “Nunca tive, não tenho e Embora os Alencar gostem de Praça da Sé, no Maia e Suassuna, de meados do malcy Alves de Mesquita.
Deus me livre de ter tendências divulgar a história de que o Ba- uma palavra pode causar um centro de São século19 àdécada de1950, criou Para escapar da morte, Ge-
comunistas. Espírito conserva- rão de Exu libertou seus escra- impacto muito grande.” Paulo, é cenário a cultura de rixa entre grupos neton, filho de Silvino e irmão
dor, feliz herança de nossos an- vos bem antes da Lei Áurea, foi A mesa onde Luiz Gonzaga de duas lutas san- familiares e a indústria de pisto- de Grimalcy, aceitou convite
cestrais que guardo e conservo a família Sampaio que ficou as- tentavaresolveroconflitose- grentas de famílias, separadas lagem e do crime de mando que de primos para trabalhar na
como joia de valor inestimável, sociadaaoeleitoradonegro, po- cular está na antiga casa do pelo tempo e aproximadas pela ainda desafiam o Estado. venda de coco em São Paulo.
aqui estou perante o cidadão bre, de Exu. O coronel Romão, sanfoneiro, em Exu. “Ele barbárie. No século 17, Pires e O epicentro da briga entre os Instalado na Sé, Geneton Alves
Humberto de Alencar Castelo mortonotiroteiode1949,écon- sempre foi uma pessoa de Camargos, clãs tradicionais da clãs era Catolé do Rocha (PB), de Mesquita passou a juntar di-
Branco pedindo que inter- siderado o pai do Boca Preta. barriga cheia, de luxo. O luxo então Capitania de São Vicen- onde viviam as famílias. Um nheiro para contratar pistolei-
ceda a favor de Miguel Parentes do coronel di- dele era a comida”, lembra te, duelavam de punhais na Rua dos episódios mais emblemáti- rosevingarasmortesdopaiedo
Arraes de Alencar, zem que, agora, a di- Raimunda de Sale, 68 anos, a São Gonçalo, engolida em 1913 cos da disputa entre os Maia e irmão. A princípio, os Veras e os
para que se con- vergência com os Mundica, sua fiel cozinheira. para a ampliação da Praça da os Suassuna – nomes tradicio- Suassunaeramosalvos.MasGe-
serve intacta a
lealdade e a co-
ragemcomque
40
Mortos é o saldo
Alencar só ocorre
dentro das re-
gras democráti-
Ela conta que Gonzagão
convidava em separado re-
presentantes dos dois clãs.
Matriz. Hoje, a rixa é entre os
Alves de Mesquita e os Batista
de Mesquita, famílias de mi-
nais da política nordestina – neton envolveu-se numa briga
ocorreu em 9 de setembro de com os primos, o ramo Batista
1956, durante os festejos da pa- de Mesquita, por causa dos pon-
sempre agiram aproximado da cas. O atual pre- “Só na hora do jantar os Sam- grantes paraibanos que dispu- droeira, Nossa Senhora dos Re- tos de venda de coco. A luta ga-
os Alencar de rixa, apenas entre feito, Leo, do paio sabiam da presença dos tam o controle dos pontos de médios. O médico Lavoisier nhou novos contornos: os Alves
uns para os ou- os anos 40 e 80 PTB, é Saraiva. Alencar e os Alencar, dos venda de coco da área. Maia, tio do atual senador Agri- deMesquitasealiaramaosSuas-
tros”, escreveu. Se o acordo de Sampaio”, diz. No tempo dos Pires e Camar- pino Maia (DEM-RN), mandou suna para combater os Batista
“Nãopeçoadefe- paz entre as famílias A história do lento proces- gos, a vila de São Paulo do Cam- avisar que Jandhuyr deMesquitaemduasfren-
sa de Miguel político, não tivesse sido selado, so de paz, que teve Mundica po tinha 1.500 moradores, es- Suassunanãopode- tes, Catolé do Rocha e
homemdeEstado,masade- a luta poderia se exaurir por comoumadasprincipaisnar- creveu o historiador Luiz de ria entrar no clu- São Paulo.
fesa da raça Alencar no Brasil de decisões tomadas no cartório
que V. Exa. é a expressão mais de registro de civil da cidade.
legítima”, completou. “As For- Pais de família registravam os
radoras,envolveuaté opresi-
dente em exercício Aurelia-
no Chaves. Em 1981, Gonza-
Aguiar Costa Pinto, no livro Lu-
tas de Famílias no Brasil, em
1949. A origem da briga que se
be da cidade. Al-
coolizado, La-
voisier empur-
1641
Foi o ano em que
Uma das cenas
mais bárbaras da
luta ocorreu em
çasArmadas cumpremo seude- filhos com o sobrenome do clã gão surpreendeu Aureliano tornouumaviolentadisputapo- rou o amigo 2009 no velório
houve o combate
ver com independência, bravu- rival ou evitavam colocar os nosaguãodeum hotelemBe- lítica pelo controle da Câmara, Chiquinho de Ednilson Ba-
mais marcante
ra e altivez. No dia primeiro de- seus próprios sobrenomes nos loHorizonte,aotocaramúsi- da Ouvidoria e da Magistratura Suassuna, que tista de Mesquita.
entre os clãs
põem do cargo de governador recém-nascidos para garantir a caBoiadeiro.Chaves –queti- foi um caso passional. Por volta foi interceder Parentes do morto
de Pernambuco e prendem um “neutralidade” das crianças. nha fazenda em Minas Ge- de 1640, Alberto Pires foi acusa- por Jandhuyr. Na mataram ali mes-
Alencar, mas depois, por que Três irmãos de Jusiê Sampaio rais – foi cumprimentá-lo e o do de matar a mulher, Leonor confusão, Lavoisier mo, diante do caixão,
põemnaPresidênciadaRepubli- foram registrados como Alen- sanfoneiro pediu apoio para Camargo, e um parente chama- atirou em Chiquinho, HelberSuassuna–queape-
ca um Alencar? Porque os Alen- car, orientados por um tabe- acabarcom a luta de famílias. do Antonio Pedroso. Numa das atingindo mortalmente outra sar de sobrenome era amigo de
car são leais e sinceros.” lião. A filha dele, Jaciane Quei- Segundo Mundica, termi- versões,Piresestavasendotraí- pessoa, Cantidiano de Andra- Ednilson –, como vingança.
Hoje, os Alencar de Exu não róz Peixoto, hoje professora, nada a guerra de clãs, Gonza- do pelos dois. Em outra, teria de. Chiquinho acertou um tiro Numa casa centenária de pé-
veem com bons olhos a parceria não tem o sobrenome Sampaio. gão compôs Prece por Exu matado acidentalmente Leo- em Lavoisier, que ficou com se- direito alto,telhas soltas epare-
do governador de Pernambuco, Em Exu, a geração anos 1980, Novo. Essa foi uma das últi- nor e, com medo da família da quelas,masseguiunavidapúbli- des descascadas, no centro de
Eduardo Campos, neto de Ar- hoje na faixa dos 30 anos, vive mas entrevistas de Mundica. mulher,matouPedroso,forçan- ca – foi indicado governador do Catolé do Rocha, mora Maria
raes, com Zilclécio Pinto Sarai- entre a memória de sangue dos A cozinheira de Gonzagão do a versão do crime de honra. Rio Grande do Norte, em 1978. BatistadeMesquita, aMaria Ba-
va, chefe dos Sampaio-Saraiva. mais velhos e a expectativa de morreu em fevereiro. Pires foi preso. Na viagem de “Hoje, está tudo entrosado. hia, 76 anos, mãe de Ednilson,
CELSO JUNIOR/ESTADÃO
navio paraser julgado em Salva- Mas antes era umaencrenca da- Erivan e Marcelo, mortos, se-
dor, homens da escolta amarra- nada”, diz Chiquinho, 85 anos. gundo a polícia, a mando de Ge-
ram uma pedra no pescoço dele neton. Diferentemente dos ho-
eo jogaramnomar.Começavaa Novo round. Quatro décadas mensdo clã, a matriarca não de-
maior luta de famílias da histó- depois,umanovalutasurgia,na- monstra temor de ser morta.
ria do Brasil Colônia. O comba- quele clima de pistolagem e de- “Dizem que vão matar eu. Ah,
te mais marcante ocorreu na savenças, entre os Suassuna morta já sou. Quem perde um
Praça da Matriz, em 1641, quan- “ilegítimos” – como eram cha- filho está morta. Meus filhos
do os homens das duas famílias mados os peões das fazendas e eram minha vida”, diz. Ela quer
duelaram com espadas e ada- abastados pobres do clã – e ou- vingança. “Ninguém no mundo
gas. A partir daí, a rixa foi para a tra família, os Mesquita. Desta gosta daquele povo.”
Câmara Municipal da Vila de vez, a luta logo virou caso de cri- Geneton é procurado pelas
São Paulo, onde os grupos se re- minalidade comum – as mortes políciasdaParaíbaedeSãoPau-
vezavam no poder e mantive- não foram incluídas no levanta- lo.“Ninguémconsegueprendê-
ram, por duas décadas, debates mento deste caderno. lo”,afirmaSilvioRabelo,delega-
alimentados por homicídios. Em1995,SilvinoAlvesdeMes- do de Catolé do Rocha. Rabelo
Um dos tipos mais comuns quita, delegado e líder político diz que a luta de famílias passa
dessaslutascomeçanumadiver- em Brejo dos Santos, município de pai para filho. A questão polí-
gência pelo poder e se transfor- paraibano vizinho de Catolé do tica,segundoele,ficounopassa-
ma, com o tempo e a morte dos Rocha, foi morto por Pedro Ve- do.A lutase moveagoragraças à
chefespolíticos,numabrigapas- ras – cuja família era aliada dos economia da pistolagem. “O as-
sional e de vingança, próxima Suassuna“ilegítimos”.Ameaça- sassinato de pistolagem é o ho-
da criminalidade comum. Nos do pelos Mesquita, Francisco micídio mediante pagamento
sertões paraibano e potiguar, a Veras, irmão de Pedro, matou com promessa”, diz. “Se está na
Paz. Jusiê Sampaio foi alvo de emboscada, mas agiu para acabar com a guerra em Exu longevidade da luta das famílias um filho de Silvino, o cabo Gri- lista para morrer, vai morrer.”

diu transferir o julgamento de gar um menor a praticar sexo. nício Oliveira (PMDB-CE) e mas contas de energia da ca-
Geones para Fortaleza, por cau- Geones, segundo ela, foi quem FICHA TÉCNICA mantémboasrelaçõescomogo- sa. O coveiro não tinha a for-
sa da pressão política em Mila- levou o menor para o encontro Fortaleza vernador Cid Gomes (PROS). ça de outros parentes de víti-
gres. Eleito pela primeira vez com o prefeito. N “Ele (Hellosman) é um bom ges- mas da violência política pa-
em 1982, o médico Hellosman “Durante as investigações, ● A vítima: Iramilson Fernan- tor, trabalha muito para os po- ra consumar pelas armas a
está em seu quinto mandato – restou apurado que outros ado- des, de 14 anos, estudante CE bres, a população gosta dele”, vingança. Mas o ódio, limita-
RN
18 anos à frente da prefeitura. lescentes do sexo masculino PI Milagres diz Eunício. do a Geones, continuou – e
No Cariri, ele é conhecido por tambémforamvítimasdeexplo- ● O crime: Em 2004, foi executa- PB A cidade venera Hellosman. ele decidiu que só abandona-
sua capacidade de persuasão. raçãosexualporpartedosr.Hel- do por um segurança do prefeito Ele costuma pagar cestas bási- ria o trabalho após enterrar o
PE
Em 2004, a relatora da Co- losman, o qual se valia do poder cas, contas de energia e água de assassino do neto.
missãoParlamentarde Inquéri- econômico e político para man- ● A motivação política: Segu- AL parte dos 28 mil moradores. Finalmente,chegoua notí-
to da violência e das redes de tê-los em silêncio e à sua dispo- rança irritou-se ao ouvir Iramil- SE
Os santinhos de sua campa- ciadamortedeGeones.O se-
exploração sexual de crianças siçãoparalhesatisfazer osdese- son xingar o prefeito, segundo o BA nha continuam colados até na gurança teria se enforcado.
e adolescentes, Maria do Rosá- jos sexuais”, diz o texto. Tribunal de Justiça do Ceará OCEANO
parede da casa do coveiro Fer- “Os irmãos dele não vieram
rio (PT-RS) – hoje ministra da Em 2006 e 2010, Hellosman ATLÂNTICO nandes. “O prefeito é um ho- me pedir para enterrar, por-
Secretaria Especial dos Direi- foi o principal cabo eleitoral de mem bom. O problema é a tur- que estavam com vergonha.
tos Humanos –, escreveu no re- Lula em Milagres – apesar de, atentado ao pudor e crime de o prefeito pediu votos para Dil- ma de vereadores ao lado dele”, Mandaram uma velhinha. E
latório final que Hellosman em 2007, ele ter sido condena- ameaça a um jovem de 17 anos. ma Rousseff. Hellosman tam- diz Fernandes, resignado. Foi finalmente enterrei quem eu
chegou a usar arma para obri- do a oito anos e três meses por Na última eleição presidencial, bém é apoiadopelo senadorEu- Hellosman quem pagou as últi- queria”, relata Aloizio.
H10 Especial
%HermesFileInfo:H-10:20131013:

DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 O ESTADO DE S. PAULO

✽ FRIEZA E CÁLCULO

Ceci Cunha: o crime político ‘clássico’


Cléia dos Santos de Oliveira, irmã da deputada assassinada, considera o ato ‘uma covardia’ e o julgamento do caso ‘um divisor de águas’
assassinato de

O
umaautoridadepe-
losuplente é ocri-
me político mais
“clássico” e “puro”
CHACINA DA GRUTA
MARCO ANTONIO/TRIBUNA DE ALAGOAS
Desde 1979, 32
mortes a mando de
das disputas pelo poder. Rixas vices ou suplentes
pessoais e interesses econômi-
cos não costumam ser as princi- De 1979 para cá, 32 autoridades
paiscausasquemotivamohomi- foram assassinadas a mando de
cídio. A execução é encomenda- vices ou suplentes. Casos Ceci
daparaabrirumavaganoExecu- Cunha ocorrem em Estados po-
tivo ou no Legislativo. A morte bres e ricos. Em 1998, no municí-
da deputada federal eleita Ceci pio de Monções (SP), o prefeito
Cunha (PSDB), em Maceió, no Fernando Ramirez (PSDB) foi as-
início da noite de 16 de dezem- sassinado com nove tiros de pis-
bro de 1998, foi a mais célebre tola. O vice, Edson Luiz Vieira
do gênero nos últimos anos. Ela (PFL), ficou um ano preso, acusa-
e três parentes foram assassina- do de tramar a morte do titular.
dos horas depois da diploma- Anos depois, em 2006, em Fê-
ção. A polícia não demorou em Disparos. nix (PR), o prefeito Manoel Custó-
apontaroprimeirosuplente,Pe- Ceci Cunha dio Ramos foi assassinado, se-
droTalvane Gama de Albuquer- e parentes gundo a polícia, a mando do vice,
que Neto, do PFL, como autor foram mortos Aristóteles Dias dos Santos Fi-
intelectual da chacina. em Maceió, lhos; ambos eram do PMDB.
Médica em Arapiraca, no horas após ela Em Itapemirim, no Espírito
agreste alagoano, Ceci foi eleita ser diplomada Santo, a polícia acusou a vice-pre-
com 55 mil votos, a terceira deputada feita, Maria da Graça Chamon, de
maior votação. Albuquerque federal por assassinar, em 1999, o prefeito
Neto recebeu 24 mil. Ele não se Alagoas Dinovaldi Rodrigues Junior. Tam-
conformou com o resultado e GILBERTO FARIAS/GAZETA DE ALAGOAS–20/1/2012 ANDRE DUSEK/ESTADÃO-4/3/2008
bém no Estado, na cidade de Ser-
decidiu matar um deputado ra, o vice-prefeito, Adalto Marti-
eleito pela sua coligação. A pri- nelli, foi a julgamento pela morte
meira opção foi Augusto Farias, do prefeito José Maria Miguel
umpolíticoqueera alvode mui- Feu Rosa, em 1990. O caso se
tos grupos. Farias, no entanto, destaca pela série de assassina-
foi informado do plano por um tos que ocorreram na sequência.
pistoleiro. Albuquerque, então, Um total de 15 pessoas ligadas
resolveu matar Ceci. Ele mal a ao evento foram executadas, en-
conhecia. Nunca tiveram diver- tre advogados, policiais, testemu-
gências política ou pessoal. nhas de defesa e pistoleiros.
Após a diplomação no Fórum Em Niterói (RJ), o vereador
de Maceió, Ceci e o marido, Ju- eleito Lúcio Diniz Araújo, o Lúcio
venal Cunha da Silva, foram pa- do Nevada (PRP), foi assassinado
ra a casa da mãe dele, Ítala em outubro de 2012. O Ministério
Neyde Maranhão, no bairro Público denunciou o suplente,
GrutadeLourdes,nacapitalala- Julgamento. Talvane Albuquerque, suplente de Ceci, foi Na Câmara. Filhos seguram foto da deputada em reunião Carlos Macedo, do mesmo parti-
goana. Um carro escuro os se- considerado pela Justiça autor intelectual do crime da Comissão de Mulheres, em 2008, 10 anos após a morte do, e outras cinco pessoas.
guiu. O casal entrou na residên-
cia e iniciou, na varanda, uma
discretacomemoração comÍta- ram assassinados. Uma parente suspeito de ser o mandante da prir 86 anos de detenção. Mor- Ceci Cunha costuma não ocor- me. O então deputado federal
la e Iran Carlos Maranhão Pure- de Ítala que estava na sala ouviu chacina, Albuquerque Neto to- reu supostamente de infarto se- rer com frequência nem mesmo Carlos Alberto Rodrigues (PL-
za,irmãodeJuvenal.Poucosmi- os diálogos dos matadores. mou posse na Câmara em janei- manas após o julgamento. nas principais cidades do País. RJ), também da Universal, che-
nutos depois, três homens ar- Na época, tabelas de preços de ro de 1999. No começo de abril, A advogada Cléia Santos de No Rio de Janeiro, a família do gou a ser citado no inquérito,
mados entraram na casa. Eles serviços de pistoleiros eram di- foi cassado por quebra de deco- Oliveira, irmã de Ceci, avalia que deputado estadual Valdeci Paiva mas depois teve o nome retirado
dispararam contra Ítala, con- vulgadasemMaceió.Oassassina- ro. Em 2012, a Justiça o conde- o julgamento dos acusados foi de Jesus (PSL), pastor da Igreja das investigações. Naqueles
fundida com a deputada. Senta- to de um vereador no interior noua 103 anos equatromeses de um “divisor de águas” em Ala- Universal,fuziladonacapi- dias, Rodrigues e Valdeci
da numa cadeira, Ceci foi morta custava de R$ 3 mil. A morte de prisão.Ostrêsexecutoresdocri- goas. “A palavra que sintetiza a talcarioca,espera há trocaram ofensas e
em seguida com uma rajada de um deputado federal valia até R$ me receberam penas que totali- morte da minha irmã é covar- dezanosumapo- acusações de
metralhadora de cima para bai- 100 mil. zaram371anos.Umdeles,Alécio dia”, diz. sição da Justi- apropriação de
xo. Juvenal e Iran também fo- Investigado como principal César Alves, não chegou a cum- O desfecho jurídico do caso ça.Ele chega- dinheiro da
va à sede do igreja e dos

Senador é executado estadual, ele obteve 79 mil vo- ção, no entanto, não apontaram
partido.
em Benfi-
ca, Zona
103
Anos e quatro meses foi a
partidos.
Valdeci te-
ria chama-
tos. Valdir Raupp, do PMDB, re- os mandantes do crime. Norte do do Rodri-
pena de reclusão recebida
antes do segundo turno cebeu 78 mil e Osvaldo Piana,
doPTR,72mil.Comoassassina-
A trajetória de Pires, um goia-
no que mudou para a Amazônia
Rio,nama-
nhã de 19
pelo ex-deputado
Talvane Albuquerque Neto
gues de
“ditador”.
to do senador, Piana foi para a ainda jovem, é marcada por his- de janeiro AAssem-
Favorito na eleição em segundo Diante de gritos de pavor dos segunda votação e venceu a dis- tórias trágicas. Em 1982, ele foi de 2003, bleia do Rio
turnopara o governo de Rondô- simpatizantesealiados,umpis- puta, com 181 mil votos contra denunciado por envolvimento num Passat cassou o man-
nia, o senador Olavo Gomes Pi- toleiro ainda se aproximou do 145 mil de Raupp. na morte do jornalista João Ba- azul, quando foi datodeAbrahão.
res Filho, do PTB, chegava à loja corpo caído do candidato e dis- tista Alencar, em Boa Vista abordado por qua- O parlamentar, no
de máquinas agrícolas da famí- parou mais tiros. Sem autor. Em 2009, o Minis- (RR). Alencar fazia críticas e tro homens num Palio entanto, conseguiu no
lia usada como comitê de cam- Um mês antes do crime, Pires tério Público Estadual denun- acusações contra o governador branco.Oshomensdisparampis- SuperiorTribunaldeJustiçaeno
panha, no centro de Porto Ve- pediu proteção, sem sucesso, ciouassessores dePianaepisto- OttomarPinto ePires, quetam- tolas calibre 380 e 9 milímetros Supremo Tribunal Federal deci-
lho. Era o começo da noite de 16 ao governo federal. Ele dizia so- leiros de aluguel pela morte do bém tinha uma loja de máqui- no parlamentar, acertando 19 ti- são para permanecer no cargo.
de outubro de 1990 e ele ia para frer ameaças de morte e recla- senador. Cinco homens chega- nas agrícolas em Roraima. ros no tórax, na face esquerda e Os tribunais avaliaram que a vo-
um encontro com simpatizan- mavadasnotíciasdequepartici- ram a ser presos, mas foram sol- O segurança Romam Gomes no punho esquerdo. Socorrido, taçãoabertaparacassaromanda-
tes, quando recebeu uma rajada pava de um esquema de tráfico tos.ACPIdaPistolageminstala- Pereira, guarda-costas de Pires, Valdeci chegou morto ao Hospi- todeleera inconstitucional.Não
de metralhadora. de drogas na Amazônia. Ele de- da na Câmara dos Deputados, foi denunciado como autor dos tal do Exército, em Inhaúma. saiu mais do Palácio Tiradentes.
Naquele momento, a energia senvolveuumatrajetória políti- em 1994, citou a morte de Pires disparos contra o jornalista, A polícia indiciou o suplente Em 2006, Abrahão foi reeleito
elétrica tinha caído na cidade e ca com ações assistencialistas comocrimepolítico,mesmoen- morto em frente à loja, um as- doparlamentar,oex-cabodaPo- com 36 mil votos. Ele ainda ga-
olocalcontavaapenascomailu- em Porto Velho. No primeiro tendimentodepoliciaiseprocu- sassinato com características lícia Militar Marcos Abrahão nhou mais um mandato, agora
minação fraca de geradores. turno da eleição para o governo radores.Osórgãos deinvestiga- semelhantes ao do senador. (PSL)pelasupostaautoriadocri- pelo PT do B, com 52 mil votos.

ANDRE DUSEK/ESTADÃO–18/12/2008
de quadrilha e homicídio.
Para eleger vereadora, milícia Carminhafoisoltaduassema-
nas depois de conquistar a ca-
deiradevereadora.A defesaale-
mata 7 em comunidade do Rio gou que o fim do processo elei-
toral extinguia possíveis cons-
trangimentos de eleitores. Ela
de traficantes para causar me- Guimarães (PMDB) e sobrinho cumpriu seis meses de manda-
Objetivo era fingir ataque doereconquistar o apoioperdi- doex-deputadoestadualNatali- to até ser cassada.
de traficantes, espalhar do na comunidade e eleger a no Guimarães (DEM), todos O Tribunal Regional Eleito-
candidata a vereador Carmen chefes de milícias. ral (TRE) alegou que Carminha
medo na favela e, assim, Glória Guinâncio Guimarães, a arrecadou recursos para a cam-
reconquistar apoio no Carminha Jerominho, do PT do ‘Liga da Justiça’. A 30 dias das panha antes do prazo permiti-
Morro do Barbante B. Outras cinco testemunhas eleições, os quatro mem- do. Em 2011, ela conseguiu limi-
da chacina foram mor- bros da organização nar e voltou ao cargo. Os 6 mil
Na noite de 19 de agosto de tas depois pelo mes- que se intitulava votos recebidos na disputa do
2008, 17 homens encapuzados mo bando. “Liga da Justi- ano passado, porém, não lhe ga-
entraram atirando na comuni- A milícia se sus- ça” foram pre- rantiram a reeleição.
dade do Barbante, em Campo
Grande,zonaoestedoRio,ema-
tentava na região
com os serviços
143
Pessoas ligadas a
sos. O grupo
usava como
As vítimas da chacina não ti-
nham ligação com o tráfico na
taram aleatoriamente sete mo- de segurança pri- símbolo o comunidade do Barbante – ape-
milícias – entre
radoresquecruzaramseu cami- vada, transporte morcego, nu- nas tiveram a infelicidade de es-
elas 5 políticos –
nho. O que, de início, parecia coletivo irregular, maalusãoaBat- tarnolugarerrado,nahoraerra-
foram presas
maisumaaçãode terrororques- gás, máquinas caça- man, o persona- da. O funcionário da Caixa Eco-
trada por traficantes mostrou, níquel e a instalação gem da história nômica Federal Dario Leoneza,
após as investigações da Polícia da “gatonet”, como são em quadrinhos. 60 anos, foi um dos mortos no
Civil, tratar-se de uma chacina conhecidas as ligações clan- Carminha Jerominho ataque. Morador do bairro Pa-
de intenção meramente eleito- destinas de TV a cabo. foi acusada de coação eleitoral. ciência, Dario estava no Morro
ral – o massacre foi efetuado Um dos encapuzados, segun- Da cadeia de segurança máxima do Barbante para visitar ami-
porum grupo de policiais, bom- do a Polícia Civil, era o ex-poli- de Catanduvas, no Paraná, ela gos. Anos antes, perdera a mu-
beiros e ex-militares integran- cial militar Luciano Guimarães, foi eleita com 22 mil votos. O lher, Lúcia, vítima de câncer.
tes de uma milícia. irmão de Carminha Jerominho, pai, o tio e o irmão ainda estão Dario criava cinco filhos, in-
O grupo forjara uma ofensiva filho do vereador Jerominho presos, acusados de formação cluindo os que nasceram fora Eleita. A vereadora Carminha, cuja família é ligada à milícia
Especial H11
%HermesFileInfo:H-11:20131013:

O ESTADO DE S. PAULO DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013

O ESTADO DO CEARÁ/ 17/05/2013

Festa em Acaraú. A partir da esq.: o prefeito Alexandre Gomes, Manoel Duca, o ex-governador Ciro Gomes, o atual governador Cid Gomes, o aliado Marcondes Ferraz e Aníbal Gomes

Acusados se
mer (PMDB) gastou boa parte quis se pronunciar sobre o as- só o Amadeuzinho foi condena-
do tempo no estúdio para gra- ● Coisa de família sunto. Atualmente, Amadeu do.Osnomesdos demais foram
var propagandas de candidatos “Aquilo (morte do prefeito cumpre prisão domiciliar. retirados do processo”, justifi-
de seu partido. Sem filtro, Te- Joãozinho) foi caso de O Tribunal Regional Elei- ca o político cearense.
mer empostou a voz no socorro família. Pelo que eu sei, toral(TRE)indeferiua candida-

apoiam em
a Alexandre Gomes, que dispu- só o Amadeuzinho foi tura de Alexandre, por proble- Arquivado. O processo contra
tava a prefeitura de Acaraú, no condenado. Os nomes mas na sua gestão de secretário AníbalfoiarquivadopeloSupre-
litoral cearense, e representava dos demais foram de Finanças do governo do pai moTribunalFederalnoanopas-
um grupo envolvido no assassi- retirados do processo” no município, em 2007. Com sado.Sobrea facilidade defamí-
nato do ex-prefeito da cidade Eunício Oliveira uma liminar, Alexandre conti- lias envolvidas em crimes con-

caciques
João JaimeFerreira Gomes, cri- SENADOR (PMDB-CE) nuou na disputa. Na condição seguiremlegendaparasecandi-
me que ocorreu em 1998. “Ami- de candidato sub judice, o “Me- datar, Eunício diz: “Sou defen-
gos de Acaraú, venho pedir nino Vaqueiro”, como era cha- sor da Lei da Ficha Limpa. Eles
apoio à candidatura de Alexan- leição de deputado federal uma mado pela propaganda política, não foram atingidos pela lei.
dre Gomes e Edmundo, para verba de R$ 3 milhões enviada recebeu apoio de Temer, de Ci- Não vou defendê-los, mas não
prefeito e vice-prefeito. Aqui, pelo Ministério dos Transpor- ro e Cid e do senador Eunício há nada contra eles. Boato não é
em Brasília, trataremos com tes para a dragagem de um por- Oliveira (PMDB). fato.”
No vale-tudo eleitoral, até líderes nacionais atenção os pleitos de Acaraú. to do município. O prefeito não Alexandre ganhou a eleição Em nota, a Vice-Presidência
gravam nos grotões para réus e suspeitos Vote PMDB, vote 15”, afirmou, aceitou desviar a verba e foi com 16 mil votos, mil a mais que ressaltouqueMichelTemergra-
na ocasião, o vice-presidente, morto pelo grupo. o rival Pedim do Creto (PT). No vou depoimentos pedindo vo-
diante da câmera. dia da diplomação, Duquinha tos para todos os candidatos a
ideranças políti- tar contornar a repercussão ne- Alexandre é filho do deputa- Expulsos. Na época, a vítima e tomou o lugar do juiz eleitoral e prefeito do PMDB que solicita-

L
cas estaduais e na-
cionais dão apoio
e legenda para
pessoas citadas
gativa de um processo criminal
e,assim,semanternavidapúbli-
ca. O vale-tudo eleitoral inclui
gravaçõesdepropagandasderá-
do estadual Manoel Duca, o Du-
quinha, e sobrinho do deputa-
do federal Aníbal Gomes, cita-
dos em inquérito policial como
os acusados eram filiados ao
PSDB. Expulsos do partido,
Aníbal e Duquinha se abriga-
ram no PMDB. Eles consegui-
entregou ele mesmo o diploma
de prefeito ao filho.
O senador Eunício Olivei-
ra afirma que, quando entrou
ram apoio em 2012. “Quando
foi feita a gravação, o site do
TSE não registrava acusação
contra o candidato Alexandre
em casos de crime de mando. dio e TV, confecção de santi- coautoresdoassassinatodopri- ram protelar o processo na Jus- no PMDB, no final dos anos Ferreira Gomes da Silveira”,
Uma análise das mortes de pre- nhos padronizados e até a pre- mo João Jaime. Outro tio dele, tiça ao mesmo tempo em que 1990, os irmãos Aníbal e Duqui- destacouocomunicado.Duqui-
feitos e vereadores no período sença de presidentes, governa- Amadeu é único julgado e con- firmaramparceriacom o ex-mi- nha já estavam no partido. nha foi eleito em 2010 para o
democrático mostra que acusa- dores e senadores nos palan- denado pela Justiça pela morte nistro Ciro Gomes e o atual go- “Eles foram colocados pelo sexto mandato na Assembleia
dos de assassinar adversários ques montados nos grotões. do ex-prefeito. A Polícia Civil vernador do Ceará, Cid Go- Mauro Benevides”, diz. “Aquilo Legislativa do Ceará. Aníbal
acabam recorrendo a alianças Em setembro do ano passa- destacou que Aníbal queria mes, hoje no PROS. Procurado (morte do prefeito Joãozinho) foi exerce seu quarto mandato na
com grandes caciques para ten- do,ovice-presidenteMichelTe- usar em sua campanha pela ree- pelo Estado, o governador não caso de família. Pelo que eu sei, Câmara dos Deputados.

Líderes partidários reagem com surpresa políticos e grandes advogados.


O presidente do PT, Rui Fal-
cão, recusou-se a debater o as-
● Justificativas
“O que precisa é acelerar a
Líderes dos principais partidos partidárias no País não levam à nes Ferreira (PSDB-SP), esco- do Brasil) têm interesse em le- sunto. Mas o senador Humber- investigação e o processo. A
políticos reagiram com surpre- violência”. Mas concorda que lhido pela presidência do parti- var as causas para os tribunais to Costa (PT-PE) aceitou falar. grande reclamação é a
sa,silênciooucertadosedeceti- existe uma matança oriunda da do para discutir a questão, ava- superiores”, diz. Representante do Estado líder quantidade de recursos
cismoaolevantamentofeitope- disputa envolvendo dinheiro e lia que, para dar uma resposta, A proposta, inspirada numa noranking de assassinatos polí- dentro do processo, que
lo Estado, que revelou a ocor- esquemas na máquina pública. as lideranças políticas nacio- ideia de Cezar Peluso, ex-mi- ticos, Costa critica a decisão acaba levando até 20 anos”
rência de 1.133 crimes políticos O presidente nacional do nais terão de enfrentar interes- nistro do Supremo Tribunal Fe- dos partidos de dar legenda a Valdir Raupp
na era pós-Anistia, contada a PMDB, senador Valdir Raupp ses dos grandes escritórios de deral, antecipa para a segunda candidatos que estão na ca- PRESIDENTE DO PMDB
partir de 1979. Outros, porém, (RO), considera que a proposta advocacia. Ele defende a apro- instância o trânsito em julga- deia. E avalia que os casos são
admitem que o número elevado depunição interna dos partidos vação da Proposta de Emenda do, fase em que a sentença de- regionais e localizados, mas “Divergências partidárias no
vai obrigar as legendas a adotar, a supostos mandantes de assas- Constitucional (PEC) núme- ve ser cumprida e não cabem precisam ser acompanhados País não levam à violência”
daquiparaa frente, medidaspa- sinatos esbarra na falta de con- ro 15, de 2011, do senador Ri- mais recursos. pelos diretórios nacionais. “A José Agripino Maia
ra conter a matança. denação pela Justiça. “O que cardo Ferraço (PMDB-ES). A Para a OAB, o projeto – que resposta a isso tudo estará re- PRESIDENTE DO DEM
O senador Agripino Maia precisa é acelerar a investiga- PEC estabelece que só em ca- altera os artigos 102 e 105 da fletida no voto da população.”
(RN), presidente do DEM, de çãoeoprocesso.Agranderecla- sos excepcionais um processo Constituição – afeta a seguran- Para outro senador tucano, “A resposta a isso tudo
início, tentou atenuar o proble- mação é a quantidade de recur- criminal deveria chegar aos tri- ça jurídica, o amplo direito de Álvaro Dias (PR), as legendas estará refletida no voto da
ma, afirmando que o assassina- sosdentrodoprocesso,queaca- bunais superiores. defesa e o princípio da presun- devem se antecipar ao Judiciá- população”
to conceituado como político ba levando até 20 anos.” “Os grandes escritórios de ção da inocência. A PEC está rio. “Os partidos não adotaram Humberto Costa
não é preocupação das legen- advocacia que estão na cúpula parada na CCJ do Senado. A mecanismos para estabelecer SENADOR (PT-PE)
das, “porque as divergências PEC. O senador Aloysio Nu- da OAB (Ordem dos Advogados pressão para não aprová-la une sua própria Ficha Limpa.”

SEVERINO SILVA/AGÊNCIA O DIA–2/07/2009


docasamento.Elevivia a expec- do Estado. Não fico escolhendo
tativa de uma aposentadoria. FICHA TÉCNICA o alvo. Faço o que devo fazer.”
Era um homem extrovertido, Elelembraqueamilíciacome-
torcedor do Flamengo e fre- N ES çou a migrar para a política no
quentador assíduo de pagodes. ● A vítima: Sete moradores da MG começodadécadapassada.“An-
“Foi um homem que só deixou comunidade do Barbante tes, eles só tinham interesse
boas lembranças”, diz a cunha- econômico. Quando começa-
da Gilcéia de Paula Leoneza. ● O crime: Em 2008, um grupo RJ ram a ser procurados por candi-
Também foram fuzilados pe- entrou na favela atirando Campo Grande datos, eles perceberam que era
losmilicianosopadeiroArioval- SP mais vantajoso para suas ativi-
do da Silva Nunes, de 37 anos, o ● A motivação política: Milí- Rio de Janeiro dades criminosas se tivessem
motorista Bruno Sérgio Ma- cia forjou ação de traficantes pa- representantes próprios na Câ-
nhãesAyresBatista,27,ocomer- ra conquistar apoio da comunida- OCEANO
mara de Vereadores, na Assem-
ciante Francisco Rezende de de e eleger candidata a vereador ATLÂNTICO bleia Legislativa e no Congres-
Oliveira, 40, o estudante Mai- so”, afirma. “A mecânica era as-
con de Azevedo Portela, 23, e Proteção. Uma das testemunhas do massacre no Barbante sim: eles arrecadavam dinheiro
duas pessoas que não foram para fazer caixa de campanha e
identificadas pela polícia. Em seguida, o pai de Leonar- comunidade fazendo isso (mas- ção das milícias. nazonaoestedoRio.À frenteda financiar candidatos em nome
do e Leandro, o ex-pracinha da sacre)?” No ano passado, Carminha 35.ª DP, ele atuou na prisão de da milícia”, conta.
Testemunhas. No desenrolar Segunda Guerra Vicente Rodri- Ela afirma que o ex-delegado denunciou outro grupo de milí- 143 pessoas ligadas a milícias, O delegado diz que a milícia é
das investigações, testemu- gues, de 89 anos, foi levado para federal Júlio Brasil, já falecido, cia que atua em Campo Grande entreelascinco políticos–Jero- pior que o tráfico. “É porque
nhas do caso começaram a ser umestaleirodesativadoeexecu- queconcorreu em2008a verea- por prejudicar sua campanha à minho, Natalino e Carminha, o tem sustentáculos na política,
caçadas.Emjulhode2009,Leo- tado pelo bando. Também fo- dor, tinha interesse em “aju- reeleição. Chegou a ser jurada ex-bombeiro e ex-vereador na máquina do Estado e na es-
nardo Baring Rodrigues foi as- ram fuzilados a mulher e o dar” a Polícia Civil. Brasil não de morte. Dentista, mãe de dois Cristiano Girão e o ex-vereador trutura da segurança pública. O
sassinado na Vila do Céu, em cunhado de Vicente, Maria José foi eleito. “Moro há 35 anos em filhos, ela diz que não anda com Luiz Fernando da Silva, o Deco. tráfico, com raras exceções,
Cosmos. O irmão dele, Lean- e Carlos Alberto Cardoso. Campo Grande, nasci aqui, mi- seguranças. “Não posso parar a Um dos momentos mais deli- não tem essa mesma ligação.”
dro, foi escoltado e com colete à nha família é daqui. Meu tio ia minha vida.” cadosdacarreiradodelegadofoi Neves diz que o poder da “Li-
prova de balas ao enterro. Mas, Interesses. Carminha, hoje jogar bomba na delegacia do a prisão de Natalino Guimarães, ga da Justiça” entrou em declí-
no ano seguinte, Leandro tam- com 35 anos, diz que os proces- próprio bairro?”, pergunta ela, Poder paralelo. O delegado em pleno exercício do cargo de niocomaprisãodosnomespolí-
bém acabou sendo morto – os sos envolvendo a família são referindo-se à denúncia de que Marcus Neves, de 49 anos e há deputado estadual, em 2006. ticosdaorganização.“Asprinci-
irmãos foram os primeiros a “claramente políticos”. Ela se Natalino Guimarães teria sido 25 na Polícia Civil, atuou no Ele rebate a versão de que a polí- pais cabeças da milícia foram
identificar na ação os integran- defendecomumapergunta:“Al- autor de um atentado contra a combate a um poder paralelo cia agiu com interesses políti- presas. O tentáculo político
tes da milícia. guém conquista apoio de uma 35.ª DP, que investigava a atua- que se formava com as milícias cos.“Souagenteadministrativo, não existe mais.”
H12 Especial
%HermesFileInfo:H-12:20131013:

DOMINGO, 13 DE OUTUBRO DE 2013 O ESTADO DE S. PAULO

✽ PERSISTÊNCIA

Delegada vence medo e prende matador


Em Pacatuba, interior do Ceará, Milena de Moraes investiga morte de vereador, sofre pressões, evita políticos e chega aos criminosos
WILSON PEDROSA/ESTADÃO KLEBER GONÇALVES
anhãde30dejanei- garçom. Mas até agora não con-
rode2013.“Procu- seguimos abrir a investigação. ● Ajuda divina

M
ro agulha no pa- Só demos atenção para o caso
lheiro”,diza dele- Valdomiro”, afirma.
gadaMilenadeMo- Manhã de 21 de fevereiro. A
“Foi a força do Senhor
que abriu tudo”
Milena de Moraes
raes, 40 anos de idade e 13 de delegada Milena informa que DELEGADA, SOBRE A SOLUÇÃO DO CRIME
polícia, na delegacia de Pacatu- nenhuma das hipóteses de cri-
ba,regiãometropolitanadeFor- me comum no caso Valdomiro
taleza.Cincodiasantes,overea- foi confirmada. “Agora, traba- drejaram a casa do vereador Jo-
doreleitoValdomiroNascimen- lhamos com a possibilidade de sé Cleudo Costa (PTB), suplen-
to de Souza, de 35 anos, havia crime político”, afirma. Ela es- te que assumiu a cadeira de Val-
sido assassinado com seis tiros. pera a produção do retrato fala- domiro. Ainda naquele mês, a
O Estado passou a acompa- do do matador e o início de uma delegada recebeu o retrato fala-
nhar diariamente as investiga- novaaçãodeinteligência.Admi- do do matador produzido por
ções do caso. te que acha estranho que o su- meio de informações de uma
Até aquela manhã, a delegada plente José Cleudon Costa ain- mulher que disse ter presencia-
tinha interrogado 40 pessoas, da não tenha aparecido para fa- do o crime. Com o retrato nas
segundo suas próprias contas. lar de forma espontânea. ruas de Pacatuba, vieram as pri-
Nenhum assessor político, fun- meiras denúncias contra Natan
cionário da Câmara, vereador Dez dias. O Código de Proces- Investigação. A delegada da Silva Modesto, 28 anos. Na-
ou representante de partido foi so Penal estabelece que a dele- Milena: busca de suspeitos tan foi preso no dia 14 de março,
ouvido.Chegouaoconhecimen- gada tem dez dias para enviar o em Cascavel, cidade do interior
to dos investigadores inquérito de homicí- em Quixadá, interior cearense. do Ceará, com sete cápsulas de
que o vereador ha- dio para o Fórum Na Vila das Flores, ele entrou revólver no bolso. Na delegacia,
via recebido no caso de cita- para a Igreja Adventista da Pro- ele disse que era primo de Beto
ameaças do preso em messa, onde conheceu Kézia. Ribeiro, presidente do PTB.
quando as- flagrante e “Avidaentre osdoiseramaravi- Tarde de 21 de março. A equi-
sumiu o 30 dias lhosa. Ele era doente por ela e pe da delegada Milena e ho-
mandato. quando o elaera doenteporele”,diz Cele- mens da Delegacia de Homicí-
“ J o s é
Cleudon 626
Votos foram recebidos pelo
citado es-
tá solto.
ne de Souza, irmã de Valdomi-
ro, rejeitando especulações de
dio e Proteção à Pessoa
(DHPP)entramnaCâmara Mu-
Rodri- Na vida que o assassinato teria motivos nicipal de Pacatuba. Os agentes
gues Cos- comerciante Valdomiro real,osin- passionais. Cilene assegura que prendem o vereador José Cleu-
ta, suplen- Nascimento de Souza para quéritos o irmão não tinha dívidas. don. Beto Ribeiro, presidente
te do verea- seu primeiro mandato são abertos Valdomiro sempre sonhou do PTB e que filiou Valdomiro,
dor Valdomi- nas delega- ser vereador. No ano passado, e o segundo suplente, Bezaliel
ro,chegouaavi- cias e passam sefiliouaoPTBelançouacandi- Rodrigues da Costa, também
sar que daria um anos indo e vol- datura.Ele tinhaoperfilqueBe- são presos. As investigações
depoimento, mas até tandoda mesadode- toRibeiro, presidentedodiretó- apontam que os três formaram
agora não veio”, diz Milena. legado para o Fórum. riomunicipal dopartido,busca- um consórcio para assassinar o
Procurado pela reportagem, Valdomiro estava no primei- va:semchancedeganhar,arran- vereador.
Costa não aceitou conversar. ro mandato de vereador. Dono cariavotospara a legenda epara A delegada relata que a trama
Omodelo usado na investiga- de um ferro-velho e de uma loja os candidatos fortes da sigla. para matar Valdomiro come-
ção da morte de Valdomiro é o de rações, ele se tornou popular çou a ser montada após as elei-
da rotina da delegada, o do cri- naViladasFlores, umbairropo- ‘Gente do povo’. Com a música ções, quando ele se aproximou
me comum. São três assassina- bre e violento de Pacatuba, Danza Kuduro, tema da teleno- do prefeito eleito Furtado, con-
tos por mês na área, quase sem- quandotransformouocarronu- vela Avenida Brasil, no som da trariando parte do PTB. Com
pre motivados por brigas de ma ambulância. Levava mulhe- caminhonete da sucata e o slo- sua simplicidade, Milena admi-
bar, tráfico de drogas e crimes res e idosos para o hospital, e gan “Valdomiro, esse é gente do te que a elucidação de um crime
passionais.Há trêsanos nacida- distribuía balas para as crianças Viúva. Kézia afirma que marido não tinha inimigos políticos povo”, o comerciante saiu às político é algo raro. “Foi a força
de, Milena diz que esta é a pri- nos feriados. ruas.Alojaderaçõesviroucomi- do Senhorque abriu tudo”, diz a
meira morte de um político que O crime ocorreu na manhã de tê de campanha. Gastou cerca delegada.
investiga. 25 de janeiro. Às 6 horas, Valdo- FICHA TÉCNICA demil reaisem santinhos e pan- No caso Valdomiro não ocor-
Sem estrutura, a delegada sa- miro levou um morador para o Fortaleza
fletos. Ele recebeu 626 votos. reram situações típicas de uma
bequea investigaçãodoassassi- hospital. Voltou para casa às N Pacatuba Logo após a eleição, Valdomiro investigação que envolve o cri-
nato de poder é a entrada numa 6h30etornouasairàs8h30.Val- ● A vítima: Valdomiro Nasci- se aproximou do prefeito elei- me organizado. Não aparece-
seara que ela não domina, teme domiro parou o Uno vermelho mento de Souza, vereador CE to, Alexandre Furtado (PSB), ramadvogadosfamososparato-
RN
e da qual desconfia. A simples noportãodasucata,adoisquilô- PI quetinhasidoadversárioduran- marcafécomadelegadaeemba-
convocação de um presidente metros de casa. Foi abordado ● O crime: Em 2013, Valdomiro PB te a campanha. Kézia lembra ralhar a apuração. Autoridades
de Câmara ou de um prefeito por um homem de aproximada- foi assassinado com seis tiros que o marido participou de ape- não telefonaram para encerrar
PE
podelhe causar problemas,ava- mente 25 anos que havia chega- nas quatro sessões na Câmara. o inquérito e começar outro,
lia um investigador da equipe. do numcarro brancoe disparou ● A motivação política: In- AL “Não deu tempo de mexer com com uma versão diferente – no
Milenarelataque achefiada Po- seistiros–trêsatingirama cabe- quérito mostra que ele foi morto SE
ninguém grande. Ele não tinha EspíritoSanto,onde ocrime or-
lícia Civil do Ceará mandou um ça do vereador. a mando do suplente José Cleu- inimigos políticos”, afirma. ganizado dá as cartas há quatro
delegado para ajudar nas inves- Valdomiro era um dos nove don Rodrigues Costa BA Em meados de fevereiro, mo- décadas, assassinatos políticos
OCEANO
tigações. “Ontem mataram um filhos de um retirante da seca ATLÂNTICO radores da Vila das Flores ape- têm, em média, três inquéritos.

ASSASSINATOS REPUBLICANOS Crimes de uma Tiros no Senado


Revolução O senador de Alagoas
A 26 de julho de 1930, o Arnon Afonso de Mel-
Crimes que fizeram história no século 20* presidente da Paraíba, lo, pai do ex-presiden-
João Pessoa, vice de te e atualmente sena-
Getúlio Vargas na cha- dor Fernando Collor,
O ministro pa derrotada da oposi- sacou sua arma, no ple-
Na festa de recepção aos mili- ção que disputou o nário do Senado, e dis-
tares que participaram da Palácio do Catete, foi parou três tiros contra
Guerra de Canudos, no Arse- morto com dois tiros o rival Silvestre Péri-
nal de Guerra, no Rio, em 5 pelo advogado João cles, também senador
de novembro de 1897, o sol- Duarte Dantas, no por Alagoas, em Brasí-
dado Marcelino Bispo de Mi- Recife. Eles travavam lia, no dia 4 de dezem-
randa se aproximou do presi- uma disputa política bro de 1963 (ao lado).
dente da República, Pruden- regional. Dantas ha- Péricles não foi atingi-
te de Morais (ao lado). Ao via se sentido ofendi- do. Mas um dos tiros
perceber que o soldado apon- do com a divulgação atingiu o senador José
tava um revólver, o ministro de cartas que rece- Kairala, perfurando seu
da Guerra, Carlos Machado beu da namorada, coração. Arnon, que dis-
Bittencourt, entrou na frente Anayde Beiriz, tira- punha de imunidade par-
do presidente. Miranda enga- das de seu escritó- lamentar, não foi punido.
tilhou a arma, que falhou. rio. Vargas usou o Políticos influentes go-
Em segundos, o soldado ti- homicídio para le- zavam de imunidade par-
rou uma pequena faca da cin- var adiante sua re- lamentar.
tura e a enfiou no peito e na volta, que desembo-
virilha do ministro, que caiu cou na Revolução ( * ) CASOS OCORRIDOS NUM
morto. de 1930. PERÍODO ANTERIOR AO DO
O assassino foi preso. Me- O primeiro ato de violência LEVANTAMENTO DE CRIMES
ses depois, foi encontrado desse processo ocorreu cinco ro, quando seu grupo político Atentado POLÍTICOS FEITO NO CADERNO
enforcado na cela. O atenta- meses antes, em Montes Cla- entrou em choque com oposi- Gregório Fortunato, chefe da
do permitiu que Prudente de ros, Minas. O vice-presidente cionistas da Aliança Liberal. guarda pessoal do presidente
Morais decretasse estado de da República, Fernando de Me- Melo Viana levou três tiros e Getúlio Vargas, confessou ser
sítio e neutralizasse a oposi- lo Viana, participava de um co- sobreviveu. Rafael Fleury, seu o mandante do atentado da
ção e as críticas pelos gastos mício do candidato do gover- secretário, e outras cinco pes- Rua Toneleros, no Rio, na noi-
do governo no massacre de no, Julio Prestes, a 6 de feverei- soas morreram. te de 4 de agosto de 1954, que
sertanejos na Bahia. Ele po- A “Sombra” resultou na morte do major-
dia encerrar com tranquilida- Após deixar a prisão por supos- aviador Rubens Florentino
de seu mandato no ano se- ta participação no atentado Vaz. Este era segurança do jor-
guinte. A polícia prendeu di- contra Prudente de Morais, o nalista Carlos Lacerda – um
versos políticos pela suposta senador Pinheiro Machado ga- ferrenho opositor das esquer-
formação de um conluio pa- nhou destaque nos bastidores das e do governo. Ele escapou
ra matá-lo. da política. Ele criou o Partido da morte. O caso incendiou o
Entre os presos estavam o Republicano Conservador, um clima político. Vinte dias de-
senador Pinheiro Machado, dos primeiros com característi- pois, Vargas se matou com um
que foi liberado por falta de cas nacionais. A 8 de setembro tiro no peito, em seu quarto,
provas. de 1915, ele foi apunhalado pe- no Palácio do Catete.
lo padeiro Francisco Coimbra,
ao chegar ao hotel onde estava,
no Rio. O Partido Republicano
Conservador foi dissolvido.
FOTOS: ARQUIVO ESTADÃO