Você está na página 1de 67

Histórico do

Câncer de Mama
Mamografia;
Saúde da Mulher.
Prof.° Marco Machado
Tópicos

Introdução
Histórico Câncer de Mama
Câncer de Mama
Estruturas da Mama
Prevenção
Imagens de Mamografia
Patológicas
Mastectomia
Casos
Imagens
Conclusão
Câncer de Mama: Um Breve
Histórico
O arquivo médico mais proveniente, vem do ANTIGO EGITO.

Aonde se encontra um papiro(papyrus), intitulado como:

INSTRUÇÕES EM TORNO DOS TUMORES NAS MAMAS.

Informa que uma mama, com um tumor quente à “um toque”, é um caso
que não tem tratamento.

Normalmente este se limita a um único método disponível :

Queimar a lesão com fogo ou cortá-la mediante instrumentos cortantes.


Câncer de Mama: Um Breve
Histórico

O mais antigo registro: (Egípcios)


Hieróglifos/Folhas de papiro;
1600 A.C. (Tebas)
Câncer de Mama: Um Breve
Histórico

Santa Ágata: padroeira das


doenças de mama;
Tesouras de ferro
Resistência ao governo da
época;
Sicília, meado do século III;
Pesadelo
Feminino
Câncer de Mama: Um Breve
Histórico

Wilhelm Fabry (1560-1624)


Instrumento de mastectomia;
Comprimia e fixava a base da
mama;
Mama amputada com faca;
Maior rapidez e menos doloroso;
Final do século XVI
Câncer de Mama: Um Breve
Histórico

Amputação da mama (procedimento de


mastectomia);
Século XVII;
Câncer de Mama: Um Breve
Histórico
Mastectomia
Dr. Joseph Pancoast;
Tratado de Cirurgia
Operatória (1844)
Remoção em bloco com
drenagem linfática axilar;
Câncer de Mama Hoje (INCA)

 É o que mais causa mortes entre as


mulheres;
 Em 2008 são esperados 234.870* casos
novos para sexo feminino.
 Mama feminina (49 mil) casos novos.
 80% dos tumores de mama são
descobertos pela própria mulher;
 Porém eles já apresentam um tamanho
grande, o que dificulta o tratamento;
Câncer no Brasil (INCA)
Câncer no Brasil

Câncer no Brasil

O câncer de mama mata 10 mil mulheres por ano, no


país e atinge uma brasileira a cada 24 minutos.

Taxa de Mortalidade (28 mulher por dia),

Taxa de Mortalidade (833 mulheres por mês).


Fatores de Risco

Ser mulher;
Casos familiares;
Menarca precoce; (antes do 11 anos de idade)
Menopausa tardia; ( após 55 anos de idade)
Primeira gestação a termo após 30 anos;
Aborto antes da primeira gravidez;
Obesidade; (após a menopausa*)
Nunca ter amamentado;
Dieta rica em gordura e pobre em fibras;
Radiação ionizantes
Estruturas da Mama
Freqüência do Exame Mamográfico

 40-49: 1 x ao ano;

 Acima de 50: de 1 a 2x por ano;

 Esta freqüência depende dos fatores de


risco;

 35-40: 1x a cada 2 anos;


Exames Preventivos (INCA)

Exames mais eficazes para detecção precoce:


auto-exame;
exame-clínico; e
mamografia;
Chance de cura aumenta em 40% quando detectado
em estágio inicial;
Estruturas indicativas de câncer:
Micro calcificações;
Pequenos nódulos; e
Densidade assimétrica;
Auto-Exame
Os seios devem ser examinados em todas as direções.
Veja as orientações abaixo.
Auto Exame
As mamas mudaram de tamanho e posição?
Sua forma tem se alterado (leve cavidade ou
saliência)?
Você observa alguma alteração da pele ou auréola do
mamilo?
Os Mamilos estão retraídos ou alterados?

Ponha-se em pé, diante do Faça o mesmo


espelho com as mãos nos controle com os
quadris e faça as quatro braços levantados e
perguntas citadas acima. mantidos atrás da
cabeça.
Gire lentamente para
a direita e faça
novamente as quatro
perguntas citadas
acima.

Gire lentamente
para a esquerda e
realize o mesmo
controle.
Controle primeiro a
metade interna da mama
esquerda. Você sente
algum endurecimento,
nódulo ou algum lugar
doloroso?

Apalpe agora a metade


externa da mama
esquerda, em geral mais
dura e, por último, a
região do mamilo.
Comprima o mamilo
entre os dedos polegar
e indicador, e observe
se produz um
derrame.

Com a ponta dos dedos


da mão direita, apalpe
a cavidade da axila.
Você percebe algum
nódulo?
Câncer de Mama: Localização

QSL QSM

QIL QIM
Micro calcificações

Partículas de hidroxipatite de cálcio (Ca5(PO4)3OH);

Dimensão em torno de 100 a 500  m;

Representam câncer em 42% das lesões não palpáveis.

Cerca de 43% a 49% dos carcinomas identificados apresentam


micro calcificações;

21% são menores que 250 m de diâmetro;


Micro calcificações

São analisadas quanto à:


Forma;
Quantidade;
Tamanho;
Densidade; e
Distribuição.

Sendo classificadas como benignas, malignas e


indeterminadas.
Micro calcificações
Micro calcificações
Nódulos: Benignos
Fibroadenomas
Tumor Benigno
Fibroadenomas
Cisto Calcificado
Células : Câncer de Mama

Abaixo: Célula de câncer de


mama,
Com varias ramificações para
alimentação.

A imagem revela um grupo


de células de câncer de
mama. As partes amarelas
mostram algumas células
em colapso.
Nódulos: Formas procuradas

Benigno Maligno

Circular Oval Lobular Nodular Espiculado


Nódulos

encontrados em 39% dos casos de câncer


não palpáveis;
analisados de acordo com o tamanho,
densidade e contorno.

Nódulo circular Nódulo espiculado


Nódulos: Tumores Malignos

Carcinoma Ductal Infliltrante


Tumor Maligno Tumor Maligno
Espiculado Nodular
Tumor Maligno Nodular,
Calcificação de Ducto.
Câncer de Mama: Mastectomia

Mastectomia: é o nome da cirurgia de remoção


completa da mama.

É um dos tipos de tratamento cirúrgico para o


câncer de mama.

Mastectomia radical: É a cirurgia que retira a


mama, os músculos do peito, todos os gânglios
linfáticos da axila, alguma gordura em excesso e
pele.
Mastectomia Radical
Mastectomia: Câncer de Mama
Masculina

Poucos homens sabem que pode desenvolver o


câncer de mama;
Apesar de ser baixo o câncer de mama no homem,
cerca de (1%);
Infelizmente a incidência desta doença tem
aumentado a cada ano.
Os índices de cura estão diretamente relacionados ao
diagnóstico precoce,
Atinge a idade media de 50 a 60 anos;
E se classificam no grupo de risco.
Conseqüentemente o tratamento e a cura do
tumor são prejudicados pelo diagnóstico tardio.

Geralmente no homem o tumor é descoberto


dentro de um quadro evolutivo da doença.

Para que esta realidade seja revertida é preciso


que a população masculina preste atenção nos
primeiros indícios da doença,

procurando um oncologista ao notarem


qualquer alteração na mama.
Fatores de Risco no Homem

Médicos aconselham o auto-exame para todos os


indivíduos que apresentam fatores de risco.
São eles:
Idade avançada (acima de 50 anos);
História da doença na família;
Exposição excessiva ao hormônio feminino (Síndrome
de Kleinefelter);
Irradiação;
Obesidade;
Álcool.
Masctecomia: Masculina
Caso Verídico
"Papai, por que eles tiraram o seu peito?“

Perguntou chorando Leandro, 2, impressionado


com a cicatriz no tórax do pai.

O maquinista Renato Garcia Vieira, 35, conta


que a reação do filho (hoje com 9 anos) foi um
dos piores momentos de sua batalha contra o
câncer de mama.
"Como eu poderia explicar para uma criança algo
que nem os adultos conseguem entender?

Falar de uma coisa que é motivo para brincadeiras


maldosas...

Eu mesmo, quando descobri, não sabia que essa


doença também poderia atingir homens", diz.
A desinformação; boa parte dela fruto de
preconceito é a principal responsável pelos
diagnósticos tardios, que chegam a reduzir a 50% as
chances de sobrevivência de um paciente masculino
com câncer de mama.
"A maioria acha que é doença de mulher".
Câncer de Mama: Mastectomia
Masculina

Renato Leandro
Garcia Vieira,
35,
maquinista
aposentado.
(na foto, com a filha,
Victória)
Mastectomia Radical
Modificada
Mastectomia Radical
Modificada
Mastectomia Radical:
Modificada
Mastectomia Radical (Halsted)
Lupectomia da Mama

Clique para editar os estilos do texto mestre


Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Quadrantectomia da Mama

Clique para editar os estilos do texto mestre


Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Mastectomia Radical
Modificada
Mastectomia Segmentar
(Quadrantectomia)
Clique para editar os estilos do texto mestre
Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Lumpectomia
Linfonodolo Sentinela

Clique para editar os estilos do texto mestre


Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Linfonodolo Sentinela
Linfonodolo Sentinela

Clique para editar os estilos do texto mestre


Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Câncer de Mama

Clique para editar os estilos do texto mestre


Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Clique para editar os estilos do texto mestre
Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Conclusões
A mamografia e o auto - exame surgiu com forma
de:
Auxiliar na prevenção do câncer de mama,

Auxiliar no diagnóstico médico;

Aumentar a detecção do câncer e outras doenças de mamas


ainda em nível inicial, o que para o caso do câncer aumenta
a chance de sobrevivência da paciente;

Diminuir a necessidade de biópsias desnecessárias;

Possibilita cirurgias mais circunscritas e melhor prognóstico;

Auto - exame para ambos os sexos.


Combate ao Câncer de Mama

COMBATE AO CANCER DE MAMA: 23 DE


SETEMBRO
Mulher que se toca,

Se cuida,se
Prof.º Téc. Marco Machado
Formado Pelo Colégio São Camilo – SP ( 1985),
Experiência 23 anos na área de Diagnostico por
imagem,
Tomografia Computadorizada
Ressonância Magnética
Mamografia (Digital)
Radiologia Convencional e Especializada
Ex- Prof.º de Técnicas Radiológicas do Colégios
João Paulo I – Paschoal Dantas
Prof.º de Técnicas Radiológicas do Colégio
Ceenpro
Obrigado
!!!!