Você está na página 1de 4

EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS

O financiamento dos recursos (activos) é assegurado pelo capital próprio e ou


pelo passivo. A conta “Financiamentos obtidos” abrange as operações
relacionadas com o financiamento da entidade, por via do passivo (capital
alheio), a entidade recebe dinheiro e passa a ser devedora perante o(s)
titular(es) de tal obrigação contratual.

O empréstimo, ou mútuo, é o contrato em que uma entidade (mutuante) cede


temporariamente dinheiro a outrem (o mutuário), obrigando-se o mutuário ao
reembolso e ao pagamento de de uma certa remuneração (juro).

Podemos considerar dois tipos de empréstimos:


i) Empréstimos de funcionamento, que tem por finalidade suprir
insuficiências temporárias de tesouraria resultantes da actividade corrente,
visam permitir à empresa continuação das suas actividades.
ii) Empréstimos de financiamento que tem o objectivo “financiar” projectos
de investimento da entidade possibilitando a expansão da sua actividade.

O movimento geral da conta “Financiamentos obtidos” enquadra-se no seguinte


esquema:
4.3. - Empréstimos obtidos
- amortização (reembolso) total ou parcial - financiamentos
dos financiamentos
   
- diferenças de câmbios favoráveis - diferenças de câmbio desfavoráveis
   

Se o financiamento é expresso em moeda estrangeira, qualquer alteração no


montante a pagar devido a alterações cambiais é reconhecida na
demonstração dos resultados, excepto se a taxa de câmbio estiver garantida.

 Empréstimo bancário
Enquadra-se nesta subconta a contratação de um empréstimo junto de um ou
mais bancos e o desconto bancário da letra.

O movimento geral enquadra-se no seguinte esquema:


4.3.1 - Empréstimos bancários
- reembolso total ou parcial dos - empréstimo ( a dívida expressa ao valor
empréstimos presente, o que corresponde ao valor liquido
recebido)
   
- diferenças de câmbios favoráveis - diferenças de câmbio desfavoráveis
   

1
Na contratação de um empréstimo há lugar ao pagamento de comissões, a
mensuração dos empréstimos bancários é feita ao custo amortizado usando o
método do juro efectivo, em que no cálculo se integram os gastos de
formalização que são deduzidos no valor da dívida e que são reconhecidos em
resultados em processo de amortização ao longo da vida do empréstimo.

CONTAS
OPERAÇÃO DÉBITO CRÉDITO COMENTÁRIO
4.3.1
1.2.1 Depósitos Empréstimos Pelo Valor nominal do
a ordem bancários empréstimo Bancário
Empréstimos
Pelo valor dos encargos de
bancários
4.3.1 formalização, a imputar nos
Empréstimos resultados ao longo do período
bancários   do empréstimo
6.9.1.1 Juros de 4.3.1
Empréstimos Empréstimos Juro imputável ao período,
bancários bancários calculados pela taxa efectiva
4.3.1 Pela imputação dos encargos
Juros do 6.9.8.1 Serviços Empréstimos de formalização (periodização
empréstimo bancários bancários económica)
4.3.1
1.2.1
Empréstimos Juro pago ao Banco,
Depósitos a
bancários_Juro calculados pela taxa nominal
ordem
s
4.3.1 1.2.1
Amortização do
Empréstimos Depósitos a Pelo reembolso total ou parcial
empréstimo
bancários ordem

Aplicação
A empresa Patinhas, Lda contraiu um empréstimo de 50.000UM, por 5 anos, a
taxa de 6%, sendo os gastos de formalização 1.125UM, com o pagaamento
anual do juro e o capital no final do período do empréstimo.

Resolução
 A luz do conceito do custo amortizado o fluxo líquido é de (50.000 – 1.215)
48.785UM;
 Os juros anuais de 3.000 sendo que a dívida é de 50.000UM e a
correspondente taxa efectiva de 6,5861%;

  Ano 0 Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5


Empréstimo 50.000,00          
Gastos de formalização 1.215,00          
Juros   3.000,00 3.000,00 3.000,00 3.000,00 3.000,00
Fluxos 48.785,00 -3.000,00 -3.000,00 -3.000,00 -3.000,00 -3.000,00
             
Taxa efectiva 6,5861%          

2
             
Empréstimo 50.000,00          
Anualização dos gastos 1.215,00 213,03 227,06 242,01 257,95 274,94
48.998,0 49.225,0 49.467,1 49.725,0 50.000,0
Dívida acumulada 48.785,00 3 9 0 5 0
Pagamento   3.000,00 3.000,00 3.000,00 3.000,00 3.000,00
Gastos por juro   -3.213,03 -3.227,06 -3.242,01 -3.257,95 -3.274,94

2.A sociedade Além Tejo, Lda, no âmbito da sua estratégia de investimento de


ampliar a sua capacidade produtiva, avaliou junto de diversas entidades
bancárias a possibilidade de um financiamento bancário. Assim, após diversas
consultas e análise de diversas propostas, optou por celebrar com o banco X
um contrato de empréstimo nas seguintes condições:
 Data de início do empréstimo: 30 de Setembro do ano N;
 Valor do empréstimo: 200.000 u.m;
 Comissão de abertura: 8% do valor nominal do empréstimo;
 O reembolso será efectuado em 20 prestações trimestrais de 12.650
u.m. cada, vencendo-se a primeira em 30 de Dezembro do ano N.
Proceda:
(a) Aos registos contabilísticos a realizar durante o ano N, à luz do
estipulado na NCRF 25, no que respeita ao reconhecimento inicial e
subsequente;
Data Conta Débito Crédito
1.2.1 Depósitos a ordem 184,000.00  
4.3.1X Empréstimos bancários 16,000.00  
30/SET/N
4.3.1 Empréstimos bancários   200,000.00
Desembolso de empréstimo bancário    
    200,000.00 200,000.00
6.9.1.1 Juros de Empréstimos bancários 4,702.75  
6.9.8.1 Serviços bancários 1,268.80  
30/Dez/N
4.3.1 Empréstimos bancários   5,971.55
Reconhecimento dos Juros da 1ª prestação    
    5,971.55 5,971.55
4.3.1 Empréstimos bancários 12,650.00  
30/Dez/N 1.2.1 Depósitos a ordem   12,650.00
Pagamento da 1ª prestação    
    12,650.00 12,650.00

(b) Ao registo do pagamento da segunda renda trimestral.


Data Conta Débito Crédito
6.9.1.1 Juros de Empréstimos bancários 4,515.88  
6.9.8.1 Serviços bancários 1,238.93  
30/Dez/N
4.3.1 Empréstimos bancários   5,754.81
Reconhecimento dos Juros da 2ª prestação    
    5,754.81 5,754.81
4.3.1 Empréstimos bancários 12,650.00  
30/Dez/N 1.2.1 Depósitos a ordem   12,650.00
Pagamento da 2ª prestação    
    12,650.00 12,650.00
3
Emp ré stimo : 20 0,00 0.0 0
Co missã o d e a b e rtura ( 8%): 16,000.00
Nº d e p re sta ç õ e s: 20
Va lo r d e c a d a p re sta ç ã o : 12,650.00
De se mb o lso / Pa g a Co missã o Fluxo d e Ca p ita l e m Juro Ga sto s Custo
Ano m e nto Cré d ito Pa g to Juro s c a ixa Dív id a e fe c tiv o d ife rid o s a mo rtiza d o
0 200 ,000.00 ( 16 ,000.00) 1 84 ,0 00.00 2 00,0 00.00 184,000.0 0
1 (7,947 .25) ( 4,702.7 5) (12,65 0.00 ) 1 92,0 52.75 ( 5,971.5 5) 1 ,2 68 .8 0 177,321.5 5
2 (8,134 .12) ( 4,515.8 8) (12,65 0.00 ) 1 83,9 18.63 ( 5,754.8 1) 1 ,2 38 .9 3 170,426.3 6
3 (8,325 .39) ( 4,324.6 1) (12,65 0.00 ) 1 75,5 93.24 ( 5,531.0 3) 1 ,2 06 .4 2 163,307.3 9
4 (8,521 .15) ( 4,128.8 5) (12,65 0.00 ) 1 67,0 72.10 ( 5,299.9 9) 1 ,1 71 .1 4 155,957.3 8
… … … … … … … …
18 (11,798.0 3) (851.9 7) (12,65 0.00 ) 24 ,4 34 .83 ( 1,155.8 1) 303 .84 2 4,11 9.58
19 (12,075.4 5) (574.5 5) (12,65 0.00 ) 12 ,3 59 .38 (782.7 8) 208 .22 1 2,25 2.36
20 (12,359.3 8) (290.6 2) (12,65 0.00 ) 0 .00 (397.6 4) 107 .02 (0.00)
0.00 16,0 00.00
IRR (e fe c t iv a ) 3 .2 45 %
IRR (No m in a l) 2 .3 51 %

3.A sociedade Além Tejo, Lda necessitou de um segundo financiamento tendo


recorrido a outra instituição bancária coma qual celebrou o seguinte contrato:
 Data de início do empréstimo 01 de Dezembro do ano N;
 Valor do empréstimo: 140.000 u.m.;
 Comissão de abertura: 5% do valor nominal do empréstimo;
 O reembolso será efectuado em 10 prestações anuais e postecipadas
de 24.050 u.m. cada, vencendo-se a primeira em 01 de Dezembro do
ano (N+1);
 Taxa de juro efectiva de 12,528%.

Proceda:
(a) Aos registos contabilísticos a realizar durante o ano N,
(b) Ao registo do pagamento da primeira renda anual.