Você está na página 1de 20

AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

PARA:
(NOME DO CLIENTE)

((TTIITTUULLOO DDOO TTRRAABBAALLHHOO


SUBMETIDA PELA:
(NOME DA EMPRESA DE CONSULTORIA)

Rua do ……. Matola


Maputo – Moçambique
Tel/Fax: (+258) ………..
Cell: (+258) ……..
e-mail

MAPUTO, JANEIRO 20

1
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

ÍNDICE

I. INTRODUÇÃO ................................................................................................................................... 3
II. OBJECTIVOS DA AVALIAÇÃO ........................................................................................................... 4
II.1. Objectivo Geral ..................................................................................................................... 4
II.2 .Objectivos Especificos .......................................................................................................... 4
III. APRESENTAÇÃO DA (EMPRESA DE CONSULTORIA): ESTUDOS E PESQUISAS APLICADAS ........... 5
IV. METODOLOGIA DA AVALIAÇÃO ......................................................................................................10
IV.2. Instrumentos de Recolha de Dados ...................................................................................10
IV.2.1.Entrevistas semi-estruturadas ..........................................................................................10
IV.2.2.Discussões em Grupo ......................................................................................................10
IV.2.4.Revisão da Documentação ..............................................................................................11
V.3. Área de Cobertura da Avaliação ........................................................................................12
V.4. Grupos alvos e abrangidos pelo Avaliação .........................................................................12
V.6. Recolha de Dados ...............................................................................................................14
V.8. Processamento, Tratamento e Análise de Dados ...............................................................14
V.9. Discussão dos Resultados Preliminares e Relatório Final ..................................................14
V. OUTPUTS / PRODUTOS...................................................................................................................15
VI. PERFIL DA EQUIPE & RESPONSABILIDADES ....................................................................................16
VII. CRONOGRAMA DE ACTIVIDADES & RESULTADOS ...........................................................................18

2
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

I. INTRODUÇÃO

A (Empresa de Contratante) (HI) é uma organização não governamental sem fins lucrativos, não
ligada a qualquer afiliação ou ideologia religiosa ou política. Nas suas acções opera como uma
federação constituída por uma rede de seis associações (Canadá, França, Alemanha, Suiça, Reino
Unido, Bélgica e os Estados Unidos da América ) que providenciam apoio em recursos humanos e
financeiros, gestão dos seus projectos e implementa as suas acções e missão social.

Desde a sua criação em 1982, a HI estabeleceu programas em 60 países e vem intervindo em


diferentes situações de emergência. Em Moçambique a organização iniciou as suas actividades em
1986, implementando diferentes projectos nas seguintes áreas: Prevenção da deficiência, reabilitação
física, promoção dos direitos da pessoa portadora de deficiência, acções de minas inclusiva ao
desenvolvimento local, acesso aos serviços, capacitação institucional de actores da sociedade civil . A
HI começou a contribuir à resposta nacional na área HIV em 2002 como parte da mitigação dos
efeitos da pandemia nas crianças órfãs e vulneráveis. Tendo-se afirmado como um actor na resposta
nacional, expandiu a cobertura das suas actividades em termos geográficos ( em direcção à região sul
do país) e em termos temáticos (com mais projectos nas áreas de prevenção, advocacia ,
coordenação e outras áreas relevantes).

A Estratégia da HI em Moçambique para o período de 2006 a 2010, na componente de HIV e


SIDA, almejava três objectivos principais, nomeadamente: 1) Melhorar a inclusão social das
pessoas afectadas directa ou indirectamente pelo HIV e SIDA; 2) Desenvolver e implementar uma
estratégia de HIV e SIDA com e para pessoa portadora de deficiência e 3) Integração do HIV e
SIDA em todas as acções da HI no país.

É nesse âmbito que é apresentada, pela (EMPRESA DE CONSULTORIA) – Estudos e Pesquisas


Aplicadas Lda, a presente proposta técnica para a realização de uma avaliação externa final do
projecto “Empoderamento Da Pessoa Portadora De Deficiência E Parcerias Estratégicas Para
Redução Da Sua Vulnerabilidade Ao HIV E SIDA”, co-financiado pela Agência Irlandesa para o
Desenvolvimento Internacional (Irish Aid ) e pela Agência Suiça para Cooperação e
Desenvolvimento e (SDC).

3
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

II. OBJECTIVOS DA AVALIAÇÃO

De acordo com os Termos de Referência pretende-se alcançar os seguintes objectivos:

II.1. OBJECTIVO GERAL

A avaliação “deverá documentar a eficácia e eficiência do projecto com relação aos recursos
alocados no sentido de endossar o seu desempenho e como mecanismo de prestação de contas
perante os doadores e outros actores interessados”

II.2 .OBJECTIVOS ESPECIFICOS

Três objectivos específicos guiam a presente avaliação:


Analisar a relevância e o impacto do projecto com relação a avaliação inicial das
necessidades e os objectivos especificos do projecto, assim como as políticas e programas
sectoriais (PEN, PNAD, CSF-IrishAid, ACHR, etc.);
Determinar o impacto a longo prazo, incluindo a sustentabilidade do projecto e a
valorização dos seus resultados pelos beneficiários, particularmente as pessoas portadoras de
deficiência;
Consolidar as lições aprendidas geradas pelo projecto que poderão servir de guião e
recomendações para outros projectos, assim como um meio de desenvolvimento de políticas
e programas relevantes.

No entendimento da (Empresa de Consultoria), proponente da proposta técnica, o exercício deste


género deverá igualmente permitir:

Avaliar se o projecto foi implementado de acordo com as linhas estratégicas previamente


definidas;

Verificar em que medida o projecto alcançou os resultados e objectivos esperados em


termos de relevância, eficácia, eficiência, sustentabilidade e impacto junto dos
destinatários das suas acções;

Identificar os factores mais importantes que constituiram constrangimentos ou


contribuiram negativamente no alcance dos resultados;

Identificar alguns desafios e constragimentos que emergiram no âmbito da implementação


do projecto;

Identificar e documentar boas práticas com potencial de réplica;

Avaliar o nível de participação das Contrapartes em termos de planificação,


implementação, coordenação, colaboração e monitoria e avaliação.

4
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

III. APRESENTAÇÃO DA (EMPRESA DE CONSULTORIA): ESTUDOS E


PESQUISAS APLICADAS
A (EMPRESA DE CONSULTORIA): Estudos & Pesquisa Aplicadas, Ltd, é uma empresa
vocacionada à prestação de serviços e realização de estudos e pesquisas operacionais,
assessoria técnica e programática na área de desenvolvimento socio-económico, primando pelo
uso de recursos técnicos e metodológicos, com padrão internacional de qualidade, ao mesmo
tempo que capitaliza o conhecimento e as experiências locais e contextuais.

A (EMPRESA DE CONSULTORIA): Estudos & Pesquisa Aplicadas, Lda., foi estabelecida em


2005, num contexto de institucionalização e profissionalização competitiva do capital e
experiências de um grupo de profissionais independentes que já prestavam serviços de
consultoria e assessoria técnica em Moçambique e na região há mais de 10 anos.

A (EMPRESA DE CONSULTORIA): Estudos e Pesquisas Aplicadas reúne competência técnica e


especialização profissional em diversas áreas, que incluem, mas não se limitam a:

Estudos e pesquisas nas áreas Social, Política e Económica;


Monitoria e avaliação de programas e projectos;
Planificação estratégica;
Gestão de projectos de referência;
Gestão e disseminação de conhecimento;
Capacitação institucional;
Participação comunitária;
Mainstreaming de aspectos de género e HIV/SIDA;
Desenvolvimento de materiais educativos.

A (EMPRESA DE CONSULTORIA) é composta por uma equipe multidisciplinar de pesquisadores


altamente qualificados em termos académicos, técnicos e metodológicos (estatísticos,
antropólogos, demógrafos, economistas, juristas, especialistas em saúde pública), com uma vasta
experiência pragmática em várias esferas de intervenção socioeconómica.

Além do seu leque permanente de pesquisadores seniores e juniores, a (EMPRESA DE


CONSULTORIA) dispõe de uma ampla e diversificada rede de especialistas nacionais e
internacionais igualmente comprometidos e familiarizados com os princípios norteadores da
(EMPRESA DE CONSULTORIA) e seus elevados parâmetros de qualidade e excelência nos
serviços prestados.

A (EMPRESA DE CONSULTORIA) tem uma vasta experiência na condução de avaliações intermédias


e finais a projectos/programas. A tabela abaixo representa uma pequena amostra das actividades que
contaram com o envolvimento desta empresa:

5
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

DURAÇÃO CLIENTE DESCRIÇÃO


Nov 2009/ Maio OIM Mapeamento de Risco de Infecção pelo HIV nos corredores da Beira e de Tete A
2010 pesquisa tem como objectivo mapear os diversos factores que influenciam para os altos
níveis de infecção ao longo dos corredores da Beira e de Tete. Procurou especificamente
aumentar o entendimento das interconexões existentes entre a mobilidade populacional e o
risco de infecção ao HIV baseando-se em estudos casos de 14 locais de concentração de
trabalhadores dos transportes de estradas, especialmente camionistas, seus ajudantes e
aqueles com quem interagem de modo informar organizações que desenvolvem e
implementam programas relevantes de resposta ao HIV nos corredores de transporte

Pesquisa Etnográfica sobre Práticas Culturais e Comunitárias de Promoção de Saúde


Sexual e Reprodutiva Esta pesquisa tinha como objectivo principal, identificar, descrever e
analisar as crenças, tabus, atitudes e práticas relativas a saúde sexual e reprodutiva, os
Jan/Abril 2010 principais intervenientes na educação ao nível da comunidade, escolas e unidades sanitárias
UNESCO e informar a UNESCO e Governo moçambicano num programa conjunto que visa promover
uma maior integração da cultura nos planos e processos de desenvolvimento nacionais.

Levantamento de Base sobre a Situação do HIV e SIDA em Mandimba-Niassa ). O


estudo encomendado pela Family Health International (FHI) tinha como objectivo fazer uma
análise da situação do HIV e SIDA e padrões comportamentais que favorecem a infecção por
Family Health HIV no distrito de Mandimba com visita a informar o processo de desenvolvimento
Dez/2008 a International intervenções de prevenção ao HIV relevantes e adequados ao contexto local.
Janeiro 2009
Modos de transmissão de HIV e SIDA e Estudo de Prevenção em Moçambique.
Encomendada pela ONUSIDA a pesquisa visa contribuir para a compressão da epidemia e a
resposta em Moçambique de modo a melhorar a resposta ao HIV e SIDA sobretudo nas
áreas de prevenção e mitigação envolvendo vários actores. A (Empresa de Consultoria)
Maio a Agosto inventariou e mapeou as actividades de prevenção na área de HIV e SIDA implementadas
2008 ONUSIDA em Moçambique

Assistência Técnica para Avaliação Conjunta do Desempenho do Sector da Saúde


(ACA VII). O trabalho incluía a moderação dos debates, revisão dos relatórios do sector e
compilação do relatório final.
2008 Ministério da
Fevereiro/Março Saúde (MISAU)

Fevereiro 2008- COMUTRA Facilitação do seminário de apresentação de resultados de avaliação final do projecto “Apoio
Março 2008 à Luta das Mulheres Trabalhadoras Contra o SIDA em Moçambique”

Fev 2008 COMUTRA Reforço das Capacidades em Monitoria e Avaliação: O seminário para além de promover
um treinamento tinha como objectivo a apresentação dos resultados do relatório de avaliação
do projecto da COMUTRA.
Janeiro- Março TEAR FUND- Análise contextual sobre VIH e SIDA, Água e Saneamento, gestão de Desatares
2008 Luanda-Angola Naturais, Advocacia e Mudanças Climáticas. O estudo tem como objectivo uma revisão de
literatura para a análise da pobreza em Angola enfatizando os principais indicadores
macroeconómicos, caracterização do perfil dos mais pobres com foco especial para as áreas
de água e saneamento, VIH e SIDA, Saúde, educação desastres naturais e mudanças
climáticas

6
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

Jan. 2008 Até a World Vision Compilação das Boas Práticas, do Programa de Advocacia para a Criança Órfã e
data Vulnerável (Mugeba e Namcurra): avaliação e compilação das boas práticas da fase piloto
do programa. Os resultados do trabalho para além de contribuir para melhorar a performance
do mesmo, serão utilizados como referências para capitalização de iniciativas similares em
outras províncias.

Jan. 2008/Abril JICA Avaliação, Produção e Disseminação de Material de IEC sobre HIV e SIDA (Sofala): A
2008 avaliação teve como guião os resultados do CAP administrado pela JICA entre os meses de
Agosto e Outubro na província de Sofala e pretendia-se com o trabalho avaliar os materiais
de IEC existentes e veiculados pelo ICS de Sofala e outras organizações, de modo a
clarificar os problemas desses materiais e identificar as necessidades específicas para a
produção de novos materiais.

Behavioural, Surveillance Survey (BSS): conduzir a primeira fase do estudo, consiste na


Jan. 2008/Maio CDC identificação dos principais grupos de risco.
2008

Dez. 2007/Março BCEOM Avaliação do Impacto Sócio-Económico da Reabilitação da Estrada Mocuba-Milange. o


2008 estudo tinha como objectivo fazer análise da situação e o levantamento dos possíveis
impactos, assim como, traçar recomendações para mitigação dos mesmos.

Novembro 2007- Federação dos Avaliação do projecto de Apoio à Comutra-OTM. Avaliação Final do Projecto “Apoio à
Março 2008 Sindicatos da Luta das Mulheres Trabalhadoras Contra o SIDA em Moçambique” implementado pelo
Dinamarca (3F) e Comité da Mulher Trabalhadora (COMUTRA) da Organização dos Trabalhadores de
COMUTRA Moçambique – Central Sindical (OTM-CS) com apoio da Federação dos Sindicatos da
OTM-CS Dinamarca (3F)

Novembro 2007 – Fundo de Estudo CAP nas organizações do sistema das Nações Unidas. O estudo visou fazer
Março 2008 População das uma avaliação sobre conhecimentos atitudes e práticas relacionados ao HIV e SIDA entre
Nações Unidas os trabalhadores das organizações do sistema das Nações Unidas em Moçambique
(UNFPA)
Nov. 2007/Jan. IRISH AID Análise Situacional dos Cuidados Domiciliários nas Províncias de Inhambane e
2008 Niassa. O trabalho tinha como objectivo fazer mapeamento das ONGs e OCBs que prestam
CDs nas duas províncias e recomendar acções de intervenção.
Out. 2007/Março UN Moçambique Estudo Sobre Conhecimentos Atitudes e Práticas entre os funcionários das Nações
2008 Unidas. O trabalho tinha como objectivo avaliar a eficácia dos programas relacionados com
o HIV e SIDA nas agências das Nações Unidas e elaborar um estudo de base sobre os
conhecimentos, comportamentos, atitudes e práticas dos funcionários.

2007 Outubro/ Alumínio de Estudo Sobre Conhecimentos Atitudes e Práticas entre os funcionários da Mozal. O
Dezembro Moçambique trabalho incluía fazer uma avaliação das intervenções da Mozal e traçar recomendações
(MOZAL) específicas para acções futuras no âmbito do combate ao HIV e SIDA no local de trabalho.

Julho/Nov 2007 Intermón Oxfam Elaboração da Linha de Base do Programa de Educação em Moçambique. Esta
assistência técnica a Intermon Oxfam consistiu na realização de um estudo de base nas
províncias de Niassa e Cabo Delgado, que acolhem o programa e estabelecimento de
indicadores que permitam visualizar os progressos do programa. O programa possui um
enfoque de direitos e de género, voltado sobretudo para a facilitar o acesso da escolarização
da rapariga

7
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

Julho/Out 2007 Ministério do Estudo CAP no Ministério do Interior. A pesquisa tinha como foco trabalhadores do
Interior Ministério nas províncias de Maputo, Gaza, Inhambane, Sofala, Manica, Nampula e Cabo
Delgado. Como resultado, para além do relatório da pesquisa foi produzida uma matriz
orientadora para o desenho de uma estratégia sectorial de combate ao HIV/SIDA

Junho/Outubro Rede Diagnóstico da Situação do HIV e SIDA e TARV em Moçambique: Avaliação das
2007 Moçambicana de Actividade Realizadas: fazer uma linha de base sobre a situação do HIV e SIDA em
Organizações Moçambique com enfoque especial para a questão do acesso ao TARV
contra o SIDA
(MONASO)

2007 UNICEF Estudo de base sobre sobrevivência da criança e desenvolvimento, educação e


Abril-Novembro protecção nos distritos da Maganja da Costa (Zambézia), Búzi (Sofala) e Mossurize
(Manica). A UNICEF requereu uma análise da situação da criança e da mulher nos distritos
seleccionados com ênfase particular para os indicadores de saúde e nutrição da criança,
HIV/SIDA, agua e saneamento, educação e protecção.
2007 Março/Abril Family Health Facilitação do workshop Regional sobre Monitoria e Avaliação de programas para
International COV promovido pelo. O Workshop em Moçambique fazia parte de três agendados para a
(FHI) Escritórios região. Os outros tiveram lugar na Africa do Sul, Tanzania.
Regionais

2007 Fevereiro Fundação para o Indicadores sócias, económicos e populacionais ao nível do distrito: consistiu num
Desenvolvimento levantamento e compilação de dados de 66 distritos de Moçambique, de modo a se
da Comunidade sistematizar a informação sobre indicadores básicos de saúde, segurança alimentar,
(FDC) nutrição, água, saneamento, educação, HIV e SIDA, economia e população.

2007 Ministério da Assistência Técnica para Avaliação Conjunta do Desempenho do Sector da Saúde
Fevereiro/Abril Saúde (MISAU) (ACA VI). O trabalho incluía a moderação dos debates, revisão dos relatórios do sector e
compilação do relatório fina

Estudo de avaliação dos Bancos Comunitários de Saúde em Moçambique


2007 Project HOPE
(VHB) do Project HOPE nos distritos de Milange, Mocuba e Quelimane na
Maio/Junho
província da Zambézia.

2006 UNICEF / ICS /


Avaliação de meio – termo do projecto de Unidades Móveis nas províncias de
Outubro – GESOM
Gaza, Sofala, Manica e Zambézia. Esta avaliação procurou analisar os processos
Dezembro e desempenho do projecto das Unidades Móveis e produzir recomendações para a

Novembro 2006- Save the Children Pesquisa etnográfica sobre “Crenças e atitudes a práticas sócio culturais sobre
Fevereiro 2007 US – cuidados ao recém-nascido” Este estudo pretendia informar a Save the Children
Moçambique Americana para o desenho de uma nova estratégia de intervenção denominada Saving New
Born Lives. O estudo decorreu nos distritos de Chibuto (Gaza), Búzi (Sofala) e Angoche
(Nampula).

8
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

2006 Fundação para o Análise situacional do distrito de Matutuine (Maputo) de modo a informar sobre a
Agosto -Outubro Desenvolvimento implementação de um programa de desenvolvimento de quatro anos da FDC e FCEAR (
da Comunidade Espanha ).
(FDC) e
Fundácion CEAR
(FCEAR)

2006 Empresários Desenho de um Toolkit sobre HIV e SIDA para o sector Privado. Para além do desenho
Junho/Fevereiro Contra o SIDA de materiais de IEC sobre HIV e SIDA para o local de trabalho, a consultoria incluía também
2007 (ECOSIDA) o desenho de um plano estratégico e concepção de um modelo de Advocacia e M&A.

2006 Ministério dos Estudo de impacto do HIV/AIDS e estudo CAP no Ministério dos Transportes e
Maio – Setembro Transportes e Comunicação. A pesquisa tinha como foco trabalhadores do Ministério nas províncias de
Comunicação Maputo, Inhambane, Sofala, Tete, Nampula e Cabo Delgado. O Plano Estratégico do
(MTC) Maputo – Ministério para luta contra o HIV/SIDA foi desenhado com base nos resultados deste estudo
Moçambique CsAP.

2005 Save the Children Estudo de Base sobre Herança e Sua Transmissão as Crianças órfãs Vulneráveis. O
Outubro/Maio Aliança- trabalho incluía avaliar a situação da Mulher viúva em Moçambique e cobriu as províncias de
2006 Moçambique Gaza (Chókwe), Manica (Barué, Morrumbala (Zambézia) e Nampula (Nacala

2005 Ministério da Desenvolvimento da Estratégia de Combate ao HIV/SIDA para o Sector da Agricultura


Agosto-Outubro Agricultura (2006-2009). O trabalho inclui o diagnóstico de necessidades de capacitação dos recursos
(MINAG) humanos e desenvolvimento institucional para a implementação da estratégia.

Outubro 2005 – Swedish Agency Estudo de base para a identificação de necessidades sobre saúde pública (higiene e
Marco 2006 for International saneamento) e HIV nos dois distritos que ligam a ponte sobre o rio Zambeze: Chimuara na
Development Zambézia e Caia em Sofala. O estudo também incluiu o desenvolvimento de um Plano
(SIDA) como Estratégico de luta contra o HIV/SIDA e promoção de saúde pública na região.
parceiro da
Administração
Nacional de
Estradas (ANE)

9
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

IV. METODOLOGIA DA AVALIAÇÃO


Para melhor alcançar os objectivos pretendidos, a avaliação será desenvolvida com recurso a
metodologias combinadas, que integram abordagens qualitativas, quantitativas e participativas
com vista a apreender as principais percepções dos intervenientes sobre o desempenho do
projecto. Pretende-se acima de tudo colocar um conjunto completo de métodos de recolha e
análise de dados que mantendo um alto nível de participação de todas as partes interessadas,
não deixe de estar focalizado na Relevância, Eficácia, Eficiência, Impacto, Sustentabilidade e
Replicabilidade; pilares considerados fundamentais para o examinar da intervenção em presença.

IV.2. INSTRUMENTOS DE RECOLHA DE DADOS

Considerando a natureza diversificada dos objectos da avaliação em presença será aplicada uma
abordagem que privilegie o uso de técnicas variadas e complementares, como forma de poder
levantar a maior quantidade de dados que facilitarão o exercício. O desenvolvimento destas
ferramentas de avaliação vai ocorrer de forma participativa, paralelamente ao processo de revisão
bibliográfica. Este processo será feito de forma interactiva e colaborativa com a equipa/comissão
gestora designada pela HI, de modo a que estes e o respectivo relatório final reflictam de forma
harmoniosa as questões sugeridas pelos TORs, assim como todas as expectativas da HI e
contrapartes em relação aos objectivos e forma final da avaliação. Os dados quantitativos serão
obtidos através dum questionário/inquérito contendo perguntas fechadas e semi-abertas enquanto
que os dados qualitativos serão obtidos através de entrevistas individuais semi-estruturadas,
assim como debates com pequenos grupos.

IV.2.1.ENTREVISTAS SEMI-ESTRUTURADAS

Estas vão assegurar a obtenção de informação dos principais intervenientes sobretudo


informantes chaves, nomeadamente: as contrapartes de implementação, representantes das
direcções provinciais envolvidos no projecto, staff da HI responsável pela implementação do
mesmo, líderes tradicionais envolvidos, representantes de ONGs com intervenções similares. No
presente contexto elas são valiosas para se aferir opiniões, percepções sobre o processo de
implementação do projecto, desafios, constrangimentos identificados. Em função do aspecto que
estará a ser investigado serão conduzidas entrevistas semi-estruturadas individuais e com grupos
de discussão focal.

IV.2.2.DISCUSSÕES EM GRUPO

Os grupos focais de discussão são definidas como sendo discussões em colectivo, orientadas por
um facilitador, em que os membros do grupo falam livre e espontaneamente, sobre tópicos
específicos constantes num guião previamente elaborado. Neste exercício elas são importantes
para se aferir das comunidades beneficiárias a sua percepção do alcance do projecto que ao
longo do tempo foram sendo dirigidas e, as opiniões em relação a potenciais e futuras áreas e
oportunidades de intervenção que se apresentem no seu horizonte.

Os grupos de discussão são igualmente importantes para se aferir junto destes a sua percepção
sobre a eficácia, resultados e impacto do projecto da HI e os factores que realçaram e impediram
o desempenho do mesmo. Estas discussões serão aplicadas principalmente a beneficiários que

10
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

tiveram fundo e experiências semelhantes em relação ao projecto e parceiros da sociedade civil


envolvidos no projecto. No sentido de levantar a sensibilidade de genero do projecto serão
efectuados grupos de mulheres e de homens nas referidas discussões. Contudo, a decisão da
pertinência da realização destes grupos será tomada em consenso com a equipa/comissão
gestora da HI.

IV.2.3.QUESTIONÁRIO / INQÚERITO

O questionário / Inquérito é um instrumento de recolha de dados que providencia respostas


fechadas e, por isso, quantificáveis. Através dele será possível quantificar entre outros,
indicadores como a experiência de beneficiários e intervenientes em relação ao projecto. A
administração de inquéritos será dirigida aos Técnicos das direcções provinciais e os beneficiários
do projecto-PPD nas três províncias. Esta ferramenta da avaliação irá privilegiar aspectos
qualitativos e de análise do processo.

IV.2.4.REVISÃO DA DOCUMENTAÇÃO

A revisão da documentação permite refinar as questões a serem colocadas na avaliação do


projecto. Com esta revisão permitir-se-á analisar, resultados e progressos da intervenção
(incluindo lições aprendidas e boas práticas) a nível da HI e contrapartes. Deste modo, a parte
inicial deste processo de avaliação deverá ser dedicada à revisão da documentação, que resulte
na produção de uma análise bibliográfica e documental que permita maximizar a compreensão
dos aspectos a priorizar nas entrevistas e discussões com os vários intervenientes.

No processo de revisão da documentação atenção especial será dada ao Estudo de Base e à


Avaliação de Meio Termo realizados no âmbito da mesma intervenção. A equipa de avaliação
acredita que uma análise aprofundada sobre esses dois instrumentos será fundamental para se
aferir o progresso alcançado na implementação do projecto.

De modo complementar a revisão documental irá igualmente abarcar os relatórios de progresso e


o documento e quadro lógico do projecto, entre outros documentos produzidos durante a sua
implementação. A revisão do documento do projecto e os relatórios de progresso (anuais, semi-
anuais, trimestrais) vai permitir analisar até que ponto as actividades pré-definidas foram
realizadas tal como se pretendia.

Os documentos de base para a revisão documental são os seguintes:


Documento 1: Relatório do Estudo de Base do Projecto
Documento 2: Relatório da Avaliação de Meio Termo do Projecto
Documento 3: Políticas e programas relevantes tais como:PEN II/III, PNAD, CSF-IrishAid,
ACHR, etc ;
Documento 4: Relatório final do projecto;
Documento 5: Quadro Lógico;
Outros documentos considerados relevantes.

11
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

V.3. ÁREA DE COBERTURA DA AVALIAÇÃO

A avaliação será conduzida nas províncias de Maputo, Manica e Sofala. Esses constituem os
locais onde foi implementado o projecto cuja proposta pretende avaliar. A definição dos sites
específicos alvo da avaliação em cada província, será realizada em coordenação com a equipa de
gestão da HI e a equipa de coordenação da FAMOD.

V.4. GRUPOS ALVOS E ABRANGIDOS PELO AVALIAÇÃO

Para o alcance dos objectivos da avaliação serão abrangidas as seguintes categorias de actores
nas três províncias:

Representantes (Director/gestor/) das Direcções provinciais capacitadas no âmbito do


projecto;
Técnicos das direcções provinciais afectos às áreas de planeamento e orçamento;
Representantes da sociedade civil envolvidos no projecto;
Pessoas portadoras de deficiência beneficiárias do projecto;
Líderes comunitários
Staff da HI

Adicionalmente na cidade de Maputo serão envolvidos os seguintes actores:

Representante da Direcção Nacional de Acção Social;


Representante do Ministério da Saúde;

IV.5. DEFINIÇÃO DA AMOSTRA QUANTITATIVA DA AVALIAÇÃO


A componente quantitativa da avaliação que consiste essencialmente na administração de
questionários, será direccionada primariamente aos beneficiários do projecto. Sendo assim serão
seleccionados 200 beneficiários por cada província através de uma amostra probabilística
sistemática que tente ao máximo garantir a equidade de género (Tabela 1).
TABELA 1: A DISTRIBUIÇÃO DA AMOSTRA QUANTITATIVA NAS TRÊS PROVÍNCIAS, POR GENERO.
Amostra
Provincia Grupo Alvo Homens Mulheres Total
Maputo Beneficiários do projecto 100 100 200
Manica Beneficiários projecto 100 100 200
Sofala Beneficiários do projecto 100 100 200
Total 300 300 600

MÉTODOS DE SELECCIONAR

Para seleccionar uma amostra aleatória dos grupos alvos (com a excepção dos grupos onde todas
as mulheres serão entrevistadas ou onde um censo será feito), a selecção sistemática será feita
da seguindo maneira:
i. Solicitar uma lista completa do grupo alvo por sexo (cada pessoa terá um número a
começar com número 1);

12
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

ii. Usando o total de cada grupo alvo ou universo do grupo alvo, calcular amostragem
fracção por divisão do total do universo pelo tamanho da amostra;

iii. Seleccionar um número aleatoriamente entre 1 e amostragem fracção determinada em ii;

iv. Este número a começar será a primeira pessoa que será incluída na amostra;

v. As pessoas seguintes serão escolhidas somando o número de pessoas escolhidas


anteriormente com amostragem fracção até chegar ao tamanho da amostra do respectivo
grupo.

IV.6. DEFINIÇÃO DA AMOSTRA QUALITATIVA DA AVALIAÇÃO

Tratando se de aplicação de instrumentos qualitativos a amostragem não se define a priori. Ainda


que uma lista prévia possa ser elaborada de actores-chave a serem incluídos, as circunstâncias
no terreno podem determinar a inclusão de informantes não previstos à partida e a exclusão de
categorias não existentes em determinadas situações (Tabela 2).

TABELA 2: A DISTRIBUIÇÃO DA AMOSTRA QUALITATIVA NAS TRÊS PROVÍNCIAS


Entrevista Semi Discussões em
Provincia Grupo Alvo Estruturada Grupo
Representantes do Ministério da Saúde 1
Representantes do Ministério da Mulher e da Acção Social 1
Gestores/directores das direcções provinciais 5
Líderes comunitários 3
Staff do HI 2
Beneficiários do projecto PPD 2
Representantes da sociedade civil 2
Maputo Total 12 4
Gestores/directores das direcções provinciais 5
Líderes comunitários 3
Staff do HI 2
Beneficiários do projecto PPD 2
Representantes da sociedade civil 2
Manica Total 10 4
Gestores/directores das direcções provinciais 5
Líderes comunitários 3
Staff do HI 2
Beneficiários do projecto PPD 2
Representantes da sociedade civil 2
Sofala Total 10 4

13
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

V.6. RECOLHA DE DADOS

A recolha de dados nas três províncias objecto da presente avaliação será efectuada durante um
período aproximado de quinze dias. O processo irá envolver dois pesquisadores séniores da
(Empresa de Consultoria), um responsável pela componente qualitativa e quantitativa da
avaliação. Cada um dos integrantes da equipa de pesquisa responsabilizar-se-á pela colecta de
uma série de dados através de levantamentos interactivos, que irão incluir inquéritos, entrevistas,
discussões em grupos e observação directa. Estes serão acompanhados de assistentes locais
que auxiliarão o processo de recolha de dados. Dados complementares, secundários serão
igualmente recolhidos, sobretudo estatísticos.

V.8. PROCESSAMENTO, TRATAMENTO E ANÁLISE DE DADOS

Os dados recolhidos serão devidamente codificados, transcritos e processados em banco de


dados de modo a que todo o material bruto recolhido durante a pesquisa de campo esteja
disponível para análise. Esta tarefa deverá ser realizada num período aproximado de uma
semana.

O processamento e a análise dos dados serão realizados na semana subsequente à finalização


da recolha de dados nos locais de implementação do programa. O processo de análise de dados
deverá procurar classificar e observar as tendências, variações e características das informações
fornecidas, interpretar os seus significados e as implicações mais específicas e as mais gerais em
relação ao contexto avaliado.

Este exercício de análise qualitativa das informações fornecidas deverá ser realizado em
permanente diálogo com os resultados da pesquisa quantitativa, de modo a que a análise produza
uma reflexão mutuamente complementar sobre o desempenho do programa, tanto em termos
qualitativos como em termos quantitativos.

V.9. DISCUSSÃO DOS RESULTADOS PRELIMINARES E RELATÓRIO FINAL

Os resultados preliminares e final da avaliação deverão ser discutidos com a equipa/comité de


avaliação a designar pela HI. De acordo com os TORs esta equipa irá entre outras
responsabilidades, dar o feedback do primeiro rascunho da avaliação e partilhar os resultados da
avaliação dentro da organização e com os beneficiários. A partilha do relatório preliminar irá
fornecer contribuições a serem consideradas na redacção do relatório final da avaliação a ser
elaborado em até 7 dias após a discussão dos resultados preliminares. O relatório deverá ser
escrito em português seguindo a estrutura e as componentes indicadas pelos termos de
referência.

14
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

V. OUTPUTS / PRODUTOS
1. Um relatório da avaliação final do projecto providenciando uma imagem do estágio final
do projecto, espelhando uma descrição clara das experiências e contribuições do projecto para
resolver as necessidades identificadas, assim como uma análise de impacto de longo prazo,
recomendações para outros projectos, programas e políticas que deverão ser submetidos como
indicativos e comprovativos do trabalho realizado. O relatório será ser enviado na versão
electrónica e em dois exemplars da versão impressa.

2. Um sumário do relatório

3. Uma apresentação oral dos resultados da avaliação .

15
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

VI. PERFIL DA EQUIPE & RESPONSABILIDADES

Para responder às necessidades dos Termos de Referência para a elaboração da avaliação final
do projecto “Empoderamento da pessoa portadora de deficiência e parcerias estratégicas para
redução da sua vulnerabilidade ao HIV e SIDA em Maputo, Manica e Sofala ” a (EMPRESA DE
CONSULTORIA): Estudos e Pesquisas Aplicadas Lda. seleccionou um conjunto de profissionais
qualificados, que congrega pesquisadores com larga experiência e conhecimentos em estudos do
género. Conforme atestam os CVs (em anexo) as competências e especialidades profissionais
reunidas na equipe constituída irão, certamente, contribuir para a condução deste
empreendimento a bom termo. Os membros propostos para a equipe chave são Nome 1, nome 2
e nome 3.

A estratégia de envolver 3 consultores não somente segue a indução dos Termos de Referência
como também visa assegurar que o trabalho seja feito com a máxima qualidade, integrando as
diferentes perspectivas de análise pese embora o facto de que ambos estarão implicados da
mesma forma em todas as fases da realização do trabalho. Em caso de necessidade serão
incluídos outros membros da (Empresa de Consultoria) para a realização do trabalho

NOME 1 – ESPECIALISTA DE GÉNERO E HIV (LÍDER DA EQUIPA)

Nome 1, possui uma licenciatura em Economia e Gestão e Mestrado em Economia Gestão e


Administração, formada pela Universidade Católica de Moçambique. Desde 2005 é docente da
Universidade Eduardo Mondlane-Faculdade de Economia. ……. possui diferentes diplomas de
especialidade na área de género e empoderamento da mulher, HIV e SIDA para grupos de alto
risco, assim como em diversas áreas de consultorias viradas para pequenas e médias empresas,
incluindo organizações da sociedade civil sem fins lucrativos. Possui diversas experiências nas
áreas de desenvolvimento institucional, planificação estratégica, ciclo de gestão de projectos
sobretudo na área de HIV e SIDA, questões de género com grupos vulneráveis, levantamento de
linha de base e pesquisas formativas e de conhecimento. Paralelamente possui vasta experiência
na formulação de instrumentos de recolha de dados qualitativo e qualitativo e de análises dos
mesmos fazendo o uso dos pacotes STATA e SPSS e na aplicação de métodos quantitativos
tanto em instituições de pesquisa como em ONGs. A sua inclusão no estudo pretende dar uma
maior visibilidade e precisão a todas as etapas do processo de avaliação até a elaboração do
relatório final. Como consultora participou em diversas actividades de pesquisa, formação,
avaliações finais e de meio termo em diferentes áreas programáticas em vários contextos de
Moçambique, tendo se notabilizado na dinamização do processo de desenvolvimento de
metodologias, sobretudo na facilitação e aplicação de técnicas e processos participativos (CV em
anexo A).

NOME 2 – ESPECIALISTA EM MONITORIA E AVALIAÇÃO E TÉCNICAS PARTICIPATIVAS


Licenciado em Antropologia e Mestrado em Ciências Sociais (Sociologia) pela University College
Dublin, (………) é um consultor que ao longo dos últimos anos acumulou igualmente experiência
em processos de avaliação do mais diversificado tipo de intervenções. A sua inclusão na equipa

16
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

tem como objectivo garantir uma abordagem participativa efectiva e o alinhamento dos
procedimentos de avaliação com as normas e padrões internacionais (CV no Anexo B).

NOME 3 – ESPECIALISTA EM MÉTODOS QUANTITATIVOS


Kátia Ngale possui uma licenciatura em Geografia e um Mestrado em Epidemiologia. Ao longo dos
seus anos de trabalho como consultora Kátia foi aprimorando o seu nível de proeficiência no
maneio de técnicas de recolha e análise de dados quantitativos, tendo sido líder dessa
componente em vários exercícios de avaliação (CV no Anexo C).

17
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

VII. CRONOGRAMA DE ACTIVIDADES & RESULTADOS

Mês Fevereiro Março


Semana Semana1 Semana2 Semana3 Semana4 Semana1 Semana2
ITEM ACTIVIDADE Resp. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 # 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Produto

Fase zero:Preparação & questões administrativas


Preparação dos contratos HI Contrato assinado

HI/(Empresa
Discussão dos TdR’s em encontros da equipa da HI e a equipa dos de
consultores Consultoria)

Apresentação, discussão e revisão do plano de trabalho HI

HI/(Empresa
de
Identificação do grupo de referência do estudo Consultoria)

(Empresa
de Acordos de trabalho
Apresentação e aprovação da proposta final. Consultoria) estabelecidos

Fase I: Trabalho de Pré-pesquisa:


(Empresa
1 de
Revisão de Literatura Consultoria)

(Empresa
2 Consulta documentos nacionais e internacionais relevantes sobre HIV e de
pessoa portadora de deficiencia Consultoria)
(Empresa
de
3 Política Nacional accao Social Consultoria)
(Empresa
de
4 Planos e documentos relevantes do projecto Consultoria)

(Empresa
5 Boas practicas de programas de prevencao do HIV nas pessoas com de
deficiência Consultoria)
HI/(Empresa
de Documentos da
6 Preparação das listas das pessoas a entrevistas/grupos focais Consultoria) revisão literária
(Empresa aprovados/Consenso
7 de das pessoas a
Elaboração dos Modelos: Consultoria) entrevistas

FASE II: TRABALHO DE CAMPO


(Empresa Instrumentos de
8 de recolha de
Pre-Teste: Testagem dos modelos Consultoria) informação validados

PROPOSTA TÉCNICA (EMPRESA DE CONSULTORIA): ESTUDOS E PESQUISAS APLICADAS, LDA


AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

(Empresa
9 Ajustamentos dos modelos de
Consultoria)
(Empresa
10 de
Recolha de informação Consultoria)
(Empresa
11 Condução de entrevistas directas de
Consultoria)
(Empresa
12 Condução de grupos de discussão de
Consultoria)

13
Condução de entrevistas directas a gestores de programas da HI e (Empresa
DPOs de Dados brutos da
Consultoria) avaliação

(Empresa
14 de
Processamento e Validação da Informação Consultoria)

FASE III: ANÁLISE DE DADOS E ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO


(Empresa
de
15 Análise dos dados e draft da primeira versão do relatório Consultoria) Relatório preliminar

(Empresa
de
16 Apresentação primeira versão do draft do relatório em ppt Consultoria)
(Empresa
de Comentários
17 Refinamento do relatório baseado nos inputs colhidos Consultoria) incorporados
(Empresa
de
18 Entrega do relatório final a HI Versão ( impressa e eletrônica) Consultoria)

FASE IV: DIVULGAÇÃO DO RELATÓRIO E AVALIAÇÃO DO Relatório Final da


PROJECTO avaliação
(Empresa
de
19 Apresentação dos resultados da avaliação aos parceiros e actores Consultoria)
Divulgação
resultados da
20 Fim do projecto HI avaliação

19
PROPOSTA TÉCNICA (NOME EMPRESA CONSULTORIA)
AVALIAÇÃO FINAL “EMPOWERMENT OF PEOPLE WITH DISABILITIES AND STRATEGIC PARTNERSHIPS TO REDUCE THEIR VULNERABILITY TO HIV AND AIDS “

ANEXOS:

Anexo A – CV Nome 1
Anexo B – CV Nome 2
Anexo C- CV Nome 3

PROPOSTA TÉCNICA (EMPRESA DE CONSULTORIA): ESTUDOS E


PESQUISAS APLICADAS, LDA