Você está na página 1de 5

Dra.

Ana Flávia Amorim Scholze

Biodisponibilidade da curcumina

Curcumin bioavailability

Resumo
A curcumina é um composto polifenólico derivado da cúrcuma (açafrão-da-terra) e possui diversos efeitos farmacológicos,
incluindo anti-inflamatórios, antioxidantes e anticarcinogênicos. No entanto, sua aplicabilidade clínica é dificultada por
sua baixa solubilidade em água, rápido metabolismo e baixa biodisponibilidade após a administração oral. Uma variedade
de abordagens têm sido estudadas para superar estas limitações, as quais incluem a utilização de calor, a formação de
complexos com íons metálicos e fosfolipídios, o emprego de adjuvantes como a piperina ou, ainda, nanopartículas. Estudos
que forneçam subsídios para melhorar a biodisponibilidade dessa substância são de grande importância, pois possibilitam
seu melhor aproveitamento na profilaxia e no tratamento de diversas patologias na área clínica.
Revista Brasileira de Nutrição Clínica Funcional - ano 14, nº60, 2014

Palavras-chave: curcumina, cúrcuma, biodisponibilidade.

Abstract
Curcumin is a polyphenol derived from turmeric and has many pharmacological effects, including anti-inflammatory,
antioxidant and anticarcinogenic. However, its clinical applicability is hampered by its low water solubility, rapid me-
tabolism and low bioavailability after oral administration. A variety of approaches have been studied to overcome these
limitations, which include the use of heat, formation of complexes with metal ions and phospholipids, the use of adjuvants
such as piperine or nanoparticles. Studies providing grants to improve the bioavailability of the substance are of great
importance, as they allow an optimized utilization in the prophylaxis and treatment of many diseases in the clinical area.

Keywords: curcumin, turmeric, bioavailability.

20
Biodisponibilidade da curcumina

A
Introdução geralmente consiste de açafrão, cravo, páprica,
gengibre, cardamomo, coentro, cominho, pimenta
A curcumina, um composto fenólico e canela)1.  Quimicamente, a curcumina (figura
naturalmente amarelo, é o principal composto 1) é um diferuloilmetano [1,7-bis(4-hidroxi-
ativo da Curcuma longa L. (açafrão-da-terra) e tem 3-metoxifenil)-1,6- heptadieno-3,5-diona],
sido utilizada há séculos nas medicinas tradicionais sendo um composto pouco absorvido no trato
indiana e chinesa.  Como um tempero, ajuda a gastrointestinal, devido à sua baixa solubilidade
fornecer cor e sabor a diferentes preparações, em água2.
como o curry (uma mistura de especiarias que

Figura 1. Estrutura química da curcumina.

HO OH

H 3C CH3
O O

O O

Fonte: Adaptado de Naksuriya et al.4

Evidências clínicas têm mostrado que essa inibição da atividade da glutationa S-transferase,
substância apresenta uma vasta gama de atividades protege contra lesões hepáticas, formação
farmacológicas contra muitas doenças crônicas, de catarata, toxicidade pulmonar e fibrose.
incluindo diabetes tipo II, artrite, esclerose Finalmente, sua atividade anticâncer tem sido
múltipla, doença de Alzheimer e aterosclerose. extensivamente investigada, sugerindo um papel
Também inibe a agregação de plaquetas, suprime potencial tanto para a prevenção quanto para o
a trombose e inibe a replicação do vírus da tratamento de uma grande variedade de cânceres,
imunodeficiência humana (HIV). Além disso, incluindo gastrointestinal, geniturinário, de mama,
melhora a cicatrização de feridas, auxilia no de pulmão e neurológico3. A figura 2 resume
processo de destoxificação do fígado por meio da algumas das ações biológicas da curcumina.

Figura 2. Ações biológicas da curcumina descritas na literatura.

Revista Brasileira de Nutrição Clínica Funcional - ano 14, nº60, 2014


CÂNCER
INFLAMAÇÃO
Câncer de mama
Artrite reumatoide
Câncer de pele
Colite ulcerativa
Câncer renal
Pancreatite
Câncer colorretal
Alergia
DESORDENS ESTILO DE VIDA
NEUROLÓGICAS Diabetes mellitus
Doença de Parkinson Curcumina Infarto de miocárdio
Doença de Alzheimer Alcoolismo
Epilepsia Disfunção hepática
INFECÇÃO Aterosclerose
Infecção bacteriana
Infecção fúngica
HIV

Fonte: Adaptado de Naksuriya et al.4

21
Dra. Ana Flávia Amorim Scholze

A presente revisão teve como objetivo investigar pacientes com câncer em que foi administrada
a base molecular, aspectos relacionados à absorção, uma dose inicial de 500mg/dia, aumentada
distribuição e biodisponibilidade da curcumina. gradativamente para 1, 2, 4, 8 e 12g/dia, e não
A busca de artigos científicos foi realizada em houve toxicidade relacionada com doses de até
revistas indexadas nas bases de bases de dados 8g/dia durante 3 meses, visto que 12g foi uma
PubMed, LILACS e Scielo, em sua grande maioria dose inaceitável para muitos pacientes. Lao et al.8
internacionais, devido à escassez de estudos conduziram um estudo piloto em 24 indivíduos
nacionais relevantes publicados relacionados ao saudáveis em
​​ que somente foi detectada a presença
tema. Os descritores utilizados foram curcumin, de curcumina no soro daqueles que receberam 10
turmeric e bioavailability. Foram incluídos estudos ou 12g/dia do composto bioativo. Sharma et al.9
clínicos e experimentais, de revisão e originais. relataram em seu estudo que uma dose diária de
3,6g pode ser preconizada para a avaliação da fase
Base molecular II para a prevenção ou tratamento de câncer do
trato gastrointestinal.
A base molecular dos efeitos terapêuticos de
curcumina está ligada a sua capacidade de modular Biodisponibilidade
algumas moléculas de sinalização.  Estudos
experimentais têm relatado que a curcumina não Estudos realizados em roedores e em humanos
só inibe proliferação celular e metástase, mas mostraram que a curcumina administrada via
também induz a apoptose, inibindo diversos oral possui baixa biodisponibilidade. Entretanto,
fatores pró-inflamatórios, como, por exemplo, estratégias podem ser adotadas para aumentá-la,
interleucina (IL)-1β (IL-1β), IL-12, fator de como a utilização de formulações alternativas
necrose tumoral-α (TNF-α) e interferon-γ como nanopartículas, micelas, lipossomas,
(IFN-γ), fatores de transcrição como fator nuclear complexos de fosfolipídios ou, ainda, a aplicação
kappa-B (NF-κB) e transdutor de sinal e ativador de adjuvantes como a piperina, que, quando
da  transcrição  3 (STAT3), além de regular a administrada concomitante com a curcumina,
atividade de proteínas quinases como proteína aumenta sua biodisponibilidade em humanos em
quinase ativada por mitógenos (MAPK), proteína até 2.000%10,11.
quinase A (PKA), proteína quinase B (PKB) e Abaixo serão discutidos aspectos relativos ao
proteína quinase C (PKC)5. aumento da biodisponibilidade da curcumina, que
poderiam proporcionar uma melhor utilização
Absorção e distribuição deste composto.

Uma das principais constatações relacionadas Fatores que afetam a biodisponibilidade


Revista Brasileira de Nutrição Clínica Funcional - ano 14, nº60, 2014

com os estudos envolvendo a curcumina é a da curcumina


observação de níveis extremamente baixos no
soro. A baixa biodisponibilidade de qualquer
Em 1980, foi relatado o primeiro estudo sobre agente dentro do corpo pode estar relacionada
absorção e distribuição da curcumina em tecido de com baixa atividade intrínseca, má absorção,
ratos. Após administração oral de 400mg, cerca de taxa elevada de metabolismo, inatividade dos
60% da dose foi absorvida, porém a presença da produtos metabólicos e/ou uma rápida eliminação
curcumina não foi detectada na urina e no sangue e depuração do organismo. A curcumina é instável
arterial, sendo observados apenas vestígios no ao pH intestinal, tem rápido metabolismo, é
sangue portal (< 5μg/ml) e quantidades pouco conjugada no fígado e excretada nas fezes. Por
significantes ​​no fígado e nos rins (< 20ng/tecido). isso, tem limitada a biodisponibilidade sistêmica12.
Ao final de 24 horas, sua concentração no intestino Além disso, como muitos outros polifenóis, é
grosso totalizou 38% da quantidade ingerida6. pouco solúvel em água. É bem documentado que
Cheng et al.7 realizaram um estudo com 25 a principal limitação do uso de formulações com

22
Biodisponibilidade da curcumina

essa substância é a sua fraca solubilidade e sua 3 vezes por dia. Todos os pacientes tiveram
rápida metabolização. Portanto, com o objetivo de uma diminuição do número (60,4%) e tamanho
aumentar sua solubilidade, estabilidade e atividade (50,9%) de pólipos após uma média de 6 meses
farmacológica, estudos têm aplicado diferentes de tratamento com curcumina e quercetina sem
técnicas para possibilitar que a curcumina exerça toxicidade significativa. No entanto, esse estudo
seu efeito terapêutico13. não comparou a administração com curcumina
Várias técnicas clássicas, baseadas em isoladamente.
parâmetros físicos tais como calor, pH e formação A nanoformulação da curcumina foi
de complexos com íons metálicos, polímeros desenvolvida para superar obstáculos associados
ou soro, podem ser aplicadas para uma melhor como sua baixa absorção e biodisponibilidade,
solubilidade da curcumina. Nesse sentido, parece além do rápido metabolismo sistêmico. Muitos
que o calor aumenta em 12 vezes a solubilidade materiais estão sendo explorados para serem
dessa substância, bem como a formação de utilizados como transportadores de nanopartículas,
complexos com íons metálicos tais como Zn2+, tais como ácido poli (láctico-co-glicólico)
Cu2+, Mg2+ e Se2+, ou ligação com a albumina do (PLGA), albumina do soro humano, quitosana,
soro14,15. entre outros. O PLGA é o mais comumente
Um fator importante no aumento da utilizado, devido a sua solubilidade em estado
biodisponibilidade da curcumina é o uso de sólido, compatibilidade, biodegradabilidade e
adjuvante que bloqueia suas vias metabólicas. cinética de degradação versáteis. A curcumina
A biodisponibilidade deste polifenol pode ser encapsulada em nanopartículas nestes materiais
limitada por glucuronidação intestinal e hepática. pode ser preparada por várias técnicas, tais como
A piperina (um alcaloide presente na pimenta emulsão, precipitação e técnicas de evaporação
preta) é capaz de inibir a glucuronidação da de solventes19.
curcumina e seu consequente metabolismo pela Xie et al. 20  mostraram que a utilização de
fase II, sendo assim, pode ser administrada nanopartículas de PLGA (de 200nm) é capaz
concomitantemente com a curcumina para de elevar a biodisponibilidade oral relativa de
aumentar a biodisponibilidade16,17. Shoba et al.11 curcumina em cinco a seis vezes em ratos. Além
evidenciaram a viabilidade desta abordagem em disso, outros estudos com nanopartículas de PLGA-
ratos e seres humanos. No ensaio com humanos, curcumina (158nm) em animais relataram um
quando 20mg de piperina foram administrados por aumento superior a 20 vezes na biodisponibilidade
via oral com 2g de curcumina, os níveis séricos relativa de curcumina por via oral21. Em outro
foram significativamente maiores em até 1 hora estudo experimental, o encapsulamento da
após a ingestão, aumentando a biodisponibilidade curcumina, em lipossomas de lecitina (tamanho
total em 2.000%. Não foi observada toxicidade nos de partícula de aprox. 220nm), também levou a

Revista Brasileira de Nutrição Clínica Funcional - ano 14, nº60, 2014


animais ou nos indivíduos que participaram deste um aumento da biodisponibilidade deste composto
estudo. No entanto, aumentar a biodisponibilidade bioativo22. A administração oral de complexos
da curcumina por meio da inibição do metabolismo de curcumina-fosfolípido ou complexos de
de fase II deve ser um fator cuidadosamente curcumina-fosfatidilcolina também parece
avaliado, uma vez que diferentes xenobióticos são aumentar sua absorção23. As micelas e complexos
metabolizados por essa via1. de fosfolipídios podem melhorar a absorção
A quercetina é um flavonoide que parece gastrointestinal de drogas naturais, aumentando
aumentar a biodisponibilidade da curcumina por seus níveis plasmáticos e reduzindo sua cinética
meio da inibição da glicoproteína P e enzima de eliminação17.
metabolizadora CYP3A4 na mucosa intestinal.
Cruz-Corrêa et al. 18 avaliaram a eficácia da Conclusão
combinação de curcumina (480mg) e quercetina
(20mg) na regressão de adenomas em doentes Para melhorar a biodisponibilidade da curcumina,
com polipose adenomatosa familiar por via oral, várias abordagens têm sido empreendidas. Estas

23
Dra. Ana Flávia Amorim Scholze

abordagens envolvem o uso de adjuvantes, como câncer, doenças cardiovasculares, diabetes, artrite,
piperina e quercetina, o uso de lipossomas, doenças neurológicas e doença de Crohn, tem
nanopartículas, ou, ainda, a utilização de sido documentada. Melhorar a biodisponibilidade
complexos de fosfolipídios-curcumina. Apesar de deste composto fenólico irá trazer benefícios para
sua baixa biodisponibilidade, a eficácia terapêutica a redução do risco e o tratamento de diversas
da curcumina contra várias doenças, incluindo patologias.

Referências

1. ESATBEYOGLU, T.; HUEBBE, P.; ERNST, I.M.A et al. Curcumin — From Molecule to Biological Function. Angew Chem Int; 51: 5308-5332, 2012.
2. TONNESEN, H.H.; MASSON, M.; LOFTSSON, T. Studies of curcumin and curcuminoids. XXVII. Cyclodextrin complexation: Solubility, chemical and
photochemical stability. Int J Pharm; 244: 127-135, 2002.
3. GOEL, A.; KUNNUMAKKARA, A.B.; AGGARWAL, B.B. Curcumin as ‘‘curecumin’’: from kitchen to clinic. Biochem Pharmacol; 75: 787-809, 2008.
4. NAKSURIYA, O.; OKONOGI, S.; CHIFFELERS, R.M. et al. Curcumin nanoformulations: a review of pharmaceutical properties and preclinical studies and
clinical data related to cancer treatment. Biomaterials; 35: 3365-3383, 2014.
5. GUPTA, C.S.; PATCHVA, S.; KOH, W. et al. Discovery of Curcumin, a Component of the Golden Spice, and Its Miraculous Biological Activities. Clin Exp
Pharmacol Physiol; 39 (3): 283-299, 2012.
6. RAVINDRANATH, V.; CHANDRASEKHARA, N. Absorption and tissue distribution of curcumin in rats. Toxicology; 16 (3): 259-265, 1980.
7. CHENG, A.L.; HSU, C.H.; LIN, J.K. et al. Phase I clinical trial of curcumin, a chemopreventive agent, in patients with high-risk or pre-malignant lesions.
Anticancer Res; 21: 2895-900, 2001.
8. LAO, C.D.; RUFFIN, M.T.T.; NORMOLLE, D. et al. Dose escalation of a curcuminoid formulation. BMC Complement Altern Med; 6: 10, 2006.
9. SHARMA, R.A.; EUDEN, S.A.; PLATTON, S.L. et al. Phase I clinical trial of oral curcumin: biomarkers of systemic activity and compliance. Clin Cancer
Res; 10: 6847-54, 2004.
10. ANAND, P.; KUNNUMAKKARA, A.B.; NEWMAN, R.A.; AGGARWAL, B.B. Bioavailability of curcumin: problems and promises. Mol Pharm; 4 (6): 807-
818, 2007.
11. SHOBA, G; JOY, D.; JOSEPH, T. et al. Influence of piperine on the pharmacokinetics of curcumin in animals and human volunteers. Planta Med; 64
(4): 353-6, 1998.
12. JAGER, R.; LOWERY, R.P.; CALVANESE, A.V. et al. Comparative absorption of curcumin formulations. Nutr J; 13: 11, 2014.
13. KANG, M.J.; CHO, J.Y.; SHIM, B.H. et al. Bioavailability enhancing activities of natural compounds from medicinal plant. J Med Plants Res; 3: 1204-
1211, 2009.
14. KURIEN, B.T.; SCOFIELD, R.H. Oral administration of heat-solubilized curcumin for potentially increasing curcumin bioavailability in experimental
animals. Int J Cancer; 125: 1992–1993, 2009.
15. BASNET, P.; SKALKO-BASNET, N. Curcumin: An Anti-Inflammatory Molecule from a Curry Spice on the Path to Cancer Treatment. Molecules; 16:
4567-4598, 2011.
16. PRASAD, S.; TYAGI, A.K.; AGGARWAL, B.B. Recent Developments in Delivery, Bioavailability, Absorption and Metabolism of Curcumin: the Golden
Pigment from Golden Spice. Cancer Res Treat; 46 (1): 2-18, 2014.
17. SURESH, D.; SRINIVASAN, K. Studies on the in vitro absorption of spice principles – Curcumin, capsaicin and piperine in rat intestines. Food Chem
Revista Brasileira de Nutrição Clínica Funcional - ano 14, nº60, 2014

Toxicol; 45 (8): 1437-42, 2007.


18. CRUZ-CORREA, M.; SHOSKES, D.A.; SANCHEZ, P. et al. Combination treatment with curcumin and quercetin of adenomas in familial adenomatous
polyposis. Clin Gastroenterol Hepatol; 4: 1035-1038, 2006.
19. YALLAPU, M.M.; GUPTA, B.K.; JAGG, M. et al. Fabrication of curcumin encapsulated PLGA nanoparticles for improved therapeutic effects in metastatic
cancer cells. J Colloid Interface Sci; 351: 19-29, 2010.
20. XIE, X.I.; TAO, Q.; ZOU, Y. et al. PLGA nanoparticles improve the oral bioavailability of curcumin in rats: characterizations and mechanisms. J Agric
Food Chem; 59 (17): 9280-9, 2011.
21. SHAIKH, J.; ANKOLA, D.D.; BENIWAL, V. et al. Nanoparticle encapsulation improves oral bioavailability of curcumin by at least 9-fold when compared
to curcumin administered with piperine as absorption enhancer. Eur J Pharm Sci; 37 (3-4): 223-30, 2009.
22. TAKAHASHI, M.; UECHI, S.; TAKARA, K. et al. Evaluation of an oral carrier system in rats: bioavailability and antioxidant properties of liposome-
encapsulated curcumin. J Agric Food Chem; 57: 9141, 2009.
23. MAITI, K.; MUKHERJEE, A.; GANTAIT, A. et al. Curcumin–phospholipid complex: Preparation, therapeutic evaluation and pharmacokinetic study in
rats. Int J Pharm; 330: 155-63, 2007.

24