SSE #102: Doenças provocadas pelo calor

Autores: Michael N. SawkaRobert CarterSamuel N. Cheuvron

P O N T O S

P R I N C I P A I S

- A intensidade das doenças provocadas pelo calor varia de leves (exantema cutâneo, síncope, cãibras) à graves (exaustão, lesões, choque térmico ou insolação). - Apesar de qualquer pessoa poder apresentar essas doenças provocadas pelo calor, há um aumento do risco associado à uma série de fatores ambientais, características pessoais, condições de saúde e medicamentos. - O risco de graves doenças provocadas pelo calor podem ser dramaticamente diminuídas por meio de várias medidas para combatê-las, como a aclimatação ao calor, controle da exposição ao estresse térmico e manutenção da hidratação. - Atletas, técnicos, equipe técnica e equipe médica devem estar atentos para os sinais e sintomas de doenças provocadas pelo calor. Se houver sinais de advertência e se o organismo for resfriado rapidamente, é possível evitar graves doenças provocadas pelo calor. - Se houver suspeita de um choque térmico, o corpo deve ser imediatamente resfriado, seja pela imersão em água fria ou envolvendo o corpo com água fria ou gelada. I N T R O D U Ç Ã O O choque térmico (ou insolação) afeta a vida de indivíduos aparentemente saudáveis de maneira trágica, como atletas (Bergeron et al., 2005), militares (Carter et al., 2005) e trabalhadores industriais. De 1995 a 2001, 21 jovens jogadores de futebol americano morreram de insolação nos Estados Unidos (Bergeron et al., 2005) e essas mortes trágicas continuam a acontecer. Fatalidades em esportes organizados, que são amplamente divulgadas na imprensa, continuam a aumentar a conscientização do choque térmico entre atletas de todos as categorias (Bailes et al., 2002; Casa et al., 2005; Roberts, 2004). Além disso, apesar da incidência do número total de hospitalizações causadas por essas enfermidades ter diminuído nos últimos anos na população militar dos EUA, a taxa de incidência de hospitalizações causadas pela insolação aumentou cinco vezes (Carter et al., 2005). O choque térmico é uma causa persistente de morbidade e mortalidade em populações de idosos e indivíduos mais propensos por diferentes motivos. Em média, aproximadamente 250 a 400 pessoas morrem anualmente por causa da insolação nos Estados Unidos, mais que 1700 pessoas morreram durante a onda de calor no verão de 1980 e 700 mortes pela mesma causa foram documentadas em Chicago em 1995 (CDC - Centers for Disease Control and Prevention, 2003). Um relatório recente indica que de 1979 a 2002, 4780 mortes foram atribuídas à exposição ao calor extremo (CDC - Centers for Disease Control and Prevention, 2005). O choque térmico é certamente um grave problema de saúde pública. É mais provável que ocorra durante a exposição aos ambientes quentes e/ou úmidos, mas isso também pode acontecer em regiões temperadas, acometendo principalmente aqueles que praticam atividade física intensa e prolongada. Populações de atletas e militares realizam atividade física extenuante de rotina (produzindo altos níveis de calor metabólico) por tempo prolongado em clima quente e são, portanto, inerentemente suscetíveis a esse problema (Epstein et al., 1 9 9 9 ) . Este artigo tem como objetivo definir as doenças provocadas pelo calor, descrever o desenvolvimento e

O quadro também costuma incluir pele quente e desidratação. Kark et al. fígado. Lesão provocada pelo calor é uma condição que pode ser moderada a grave. Exaustão pelo calor é uma condição moderada/grave que se caracteriza pela incapacidade de manter o débito cardíaco e a presença de temperatura corporal moderada (>38. É importante enfatizar que pacientes com temperatura central acima de >40°C não necessariamente apresentam a lesão ou golpe pelo calor. rins. braços e abdome. músculos) e normalmente. As cãibras provocadas pelo calor são conseqüência da redução de líquidos e sódio e é mais comum entre indivíduos que não estão completamente aclimatados para realizar um programa de atividade muscular i n t e n s a s o b c a l o r . 2005). deve-se considerar o quadro clínico como um todo. 1996). com alta temperatura c o r p o r a l ? > 4 0 ° C . Tabela 1 Fatores que predispõem graves condições provocadas pelo calor . Doenças graves provocadas pelo calor.. pode haver complicações causadas por lesões hepáticas. 1996. tipicamente nas pernas. e o segundo em indivíduos aparentemente saudáveis e em boa forma física. rabdomiólise (quebra do tecido muscular). caracterizada pela lesão a um órgão (ex. desequilíbrios hidro-eletrolíticos e insuficiência renal.5°C. que não se exercitam e que não estão aclimatados (Seto et al.fisiopatologia dessas doenças. Apesar de extremamente raras. sendo mais freqüente em indivíduos desidratados. intestinos. Além disso. As cãibras provocadas pelo calor são marcadas por intensos espasmos musculares. REVISÃO Definição das DA Doenças Provocadas LITERATURA pelo Calor Doenças leves. lesões e o choque térmico(insolação). 2002). Neste artigo. presença de coágulos amplamente distribuídos (coagulação intravascular disseminada). Essas incluem a exaustão. As doenças mais leves provocadas pelo calor incluem cãibras e síncopes. mas nem sempre. há casos de doenças graves provocadas pelo calor mesmo em indivíduos de populações de baixo risco (em boa forma física e aclimatados ao calor) que tomam as devidas precauções e que já tinham sido expostos a essas condições muitas vezes. (Gardner et al. incluindo o quadro mental e resultados laboratoriais. O choque térmico é um quadro grave caracterizado pela disfunção do sistema nervoso central (ex. marcados pelas alterações cognitivas que podem ser percebidas precocemente. indivíduos que sofreram o choque térmico apresentam comprometimentos profundos na função cerebral. Algumas vezes. 1997).. Alguns trabalhos experimentais apontam evidências de que para uma determinada exposição ao calor.5°C) a alta (>40°C).. A síncope (desmaio) caracteriza-se pela vertigem (tontura) e fraqueza durante ou após permanecer em pé por tempo prolongado ou após levantar-se depois de permanecer deitado ou sentado em ambiente quente. O choque térmico costuma ser categorizado como “clássico” ou “de esforço”. confusão.. condições de saúde. A síncope é resultado do acúmulo de sangue na circulação venosa da pele e dos músculos da perna. Há muita sobreposição das características de diagnóstico dessas condições e sugeriu-se que elas variam de acordo com uma escala contínua de gravidade (Bouchama & Knochel. o foco principal será nas doenças provocadas pelo calor em condições de esforço. sendo que o primeiro é particularmente observado em idosos ou em outros grupos populacionais comprometidos ou enfermos. desorientação. comprometimento do julgamento) e costuma ser acompanhada por um aumento da temperatura central acima de 40. Isso sugere que algumas vítimas eram inerentemente mais vulneráveis em um determinado dia e/ou que algum evento específico desencadeou aquele grave q u a d r o . Epidemiologia e Fatores de Risco Diversas características pessoais. medicamentos e fatores ambientais estão associados com graves doenças provocadas pelo calor (Tabela 1). e delinear a base científica para seu controle e tratamento. a mortalidade e a morbidade pelo choque térmico provocado ?pelo esforço? é maior que o golpe passivo (clássico) (Hubbard et al..

1997). A maioria dos casos de doenças provocadas pelo calor sob condições de esforço acontece nos meses de verão (Kark et al.. os recrutas do exército dos EUA provenientes de estados localizados na região norte são mais suscetíveis a essas doenças que aqueles da região sul (Carter et al. mas hoje há suspeitas de que um evento anterior (ex. 2005). independentemente de ser ou não verão (Sparling. apesar da queda de doenças menos graves provocadas pelo calor (Carter et al. Há evidências de que os casos de choque térmico sob condições de esforço estão aumentando. induzindo assim doenças graves e inesperadas provocadas pelo calor (Bouchama et al... mas pode incluir mais ênfase em atividades de .. doença ou lesão) pode fazer com que as vítimas sejam mais suscetíveis às doenças mais graves provocadas pelo calor (Kark et al. aumento das proteínas C-reativa na corrente sanguínea. os casos costumam acontecer principalmente com exercícios extenuantes (ex. 1996). febre e outras mudanças metabólicas na resposta à inflamação) e intensificar a hipertermia do exercício. Os motivos para este aumento no número de internações não são claras. 2005). 1996).. 1996). Essa última observação sugere que a experiência anterior de exposição contínua ao calor desempenha um papel protetor posteriormente. 2004). A falta de aclimatação ao calor é um fator importante que determina a intolerância ao calor (alta sensibilidade para o calor ou desconforto no calor) e doenças provocadas pelo calor (Armstrong et al. esses casos inesperados foram atribuídos à desidratação (que compromete a termorregulação e aumenta o esforço cardiovascular). 1993).3°. O exército americano testemunhou um aumento acentuado nas internações causadas pelo choque térmico na última década.. O risco das doenças pelo calor sob esforço nos treinos militares aumenta de maneira progressiva conforme as temperaturas do globo/bulbo úmido estão acima de 18. 2005)... Uma das teorias é que a presença de história de lesão ou de doença provocada pelo calor pode ativar a resposta de fase aguda (ou seja. 1990a).Historicamente.. Outra teoria é que essa infecção anterior pode produzir citocinas pró-inflamatórias que desativam a capacidade das células de se protegerem contra temperaturas extremamente altas (Sonna et al. A desidratação é associada a apenas 18% dos casos de choque térmico no exército (Carter et al. Da mesma maneira. corrida) e após diversos dias consecutivos de clima quente (Kark et al. mas as taxas de incidência são maiores quando o clima é quente.

Se esse calor não for dissipado. Lesões ou infecções anteriores podem provocar a doença provocada pelo calor sob condições de esforço. 1996). O uso de estimulantes (ex. 2005. 2006). da temperatura corporal na qual há um aumento do suor e da circulação sanguínea para a pele a fim de dissipar o calor. Efedra. 1996). é comprometida por altas temperaturas do ar.. na semana 14 (última semana). baixa movimentação do ar próximo à pele. Além disso. A febre é resultado do aumento do set-point de termorregulação. dados epidemiológicos coletados em três grandes áreas metropolitanas dos EUA também mostraram que o risco de óbito por causa da overdose de cocaína aumenta de maneira acentuada com o clima quente (Marzuk et al. Além disso.. Houve um aumento rápido e incomum na temperatura corporal durante . A Figura 1 mostra um estudo realizado em laboratório ? descobriu-se depois que esse indivíduo apresentava vesículas infectadas na pele (celulite). o risco aumenta em oito vezes para recrutas com IMC mais alto e que correm mais devagar (Gardner et al. se estiverem desidratados ou expostos a ambientes quentes. edifícios) e vestimentas. onde é dissipado principalmente pela evaporação do suor. aumentando assim a temperatura corporal (Crandall et al. indivíduos suscetíveis à hipertermia maligna. a temperatura central aumentará rapidamente. 2002). apenas o tempo de corrida era preditiva dessas doenças (Wallace et al. coagulação sanguínea e lesões localizadas devido ao suprimento inadequado de sangue.. radiação provenientes das superfícies quentes (ex. Transtornos genéticos podem modificar o risco das doenças provocadas pelo calor em condições de esforço. A probabilidade de negros e hispânicos serem hospitalizados por essa causa é menor que a de caucasianos. Apesar de alto IMC e corrida lenta serem importantes fatores de previsão de doenças provocadas pelo calor em situações de esforço durante a primeira semana de treinamento básico. Por exemplo. uma doença genética caracterizada por contrações musculares extremas e rápido aumento na temperatura corporal. da pele para o meio-ambiente. solo. Há relatos de casos que sugerem que a presença do traço de anemia falciforme (apresentar um dos dois genes necessários para causar produção anormal de hemoglobina e distorção das hemácias. 2002.corrida no treinamento militar (Ministério do Exército e Aeronáutica.. Os estimulantes aumentam a produção de calor metabólico e podem comprometer a dissipação do calor.. 2004. mas desde 1994 parece estar aumentando novamente. 2003). Fowkes et al. A temperatura corporal também aumenta na presença de febre. tais como as citocinas (Leon. incluindo roupas esportivas protetoras.. ou seja. tais como protetores para ombros e capacetes (Brothers et al. quando expostos a determinados anestésicos. 2002).. 2003) e possivelmente o aumento do uso de suplementos nutricionais contendo efedra (Oh & Henning. rochas. 1998). O sexo e a etnia influenciam o risco das doenças provocadas pelo calor sob condições de esforço.5 km em 12 minutos. Kulka & Kenney. Esse aumento pode envolver elevação dos níveis de prostaglandinas e outros mediadores inflamatórios. 2004). Alto índice de massa corporal (IMC) e forma física insatisfatória também são importantes fatores de risco para as doenças relacionadas ao calor. 1998). 2006). 2004) usados no futebol americano (Bergeron et al. heroína e metanfetamina) está associado ao risco aumentado de choque térmico (Crandall et al. ou quando o tempo da corrida é de aproximadamente 2. alta umidade. A temperatura corporal de indivíduos com febre aumenta durante a exposição ao calor e a prática de exercícios. As fatalidades associadas ao choque térmico no futebol americano diminuíram de maneira significativa de 1960 a 1990. 2002). Respostas ao Estresse pelo Calor e Desenvolvimento das Doenças Provocadas pelo Calor O estresse pelo calor refere-se a processos ambientais e metabólicos que aumentam a temperatura corporal. que ficam com formato de foice) podem aumentar o risco das graves doenças provocadas pelo calor (Kerle & Nishimura.. A troca de calor. Marzuk et al.. O risco de recrutas da Fuzilaria Naval de apresentar doenças provocadas pelo calor em condições de esforço aumenta três vezes quando o IMC é = 22 kg/m2. Da mesma maneira. o que pode causar danos às paredes capilares. radiação solar.. Isso pode estar parcialmente associado ao uso de alguns suplementos nutricionais (Bailes et al.. A presença do traço de célula falciforme é mais prevalente em populações de negros e asiáticos ? essas populações correm mais risco se sua condição física não for boa.. As células em foice podem diminuir o fluxo sanguíneo e a capacidade das hemácias de transportar oxigênio. 2005). as mulheres caucasianas são hospitalizadas por esse diagnóstico aproximadamente quatro vezes mais que as negras e hispânicas (Carter et al. cocaína. O calor metabólico é liberado pelos músculos esqueléticos ativos e são transferidos da parte central do organismo para a pele. podem ter risco aumentado para doenças provocadas pelo calor em condições de esforço (Muldoon et al.

O estresse pelo calor causado por fatores ambientais ou pelo exercício desafiam o sistema cardiovascular para que o fluxo sanguíneo na pele seja mais rápido onde há tendências de acúmulo. os ajustes fisiológicos de uma determinada exposição ao calor e melhora a capacidade submáxima do exercício aeróbico. a hipertermia pode causar a degradação protéica. liberação de toxinas bacterianas no sangue. Após completar a série de exercícios. A disfunção do sistema nervoso central é mediado pelo fluxo sanguíneo cerebral diminuído. Esses benefícios da aclimatação ao calor são conseguidos por meio da expansão do volume plasmático. perda da integridade da membrana celular. Os treinos de exercícios aeróbicos em clima temperado também têm efeitos benéficos na fisiologia e desempenho de exercícios sob calor.o exercício físico no calor. a lesão tecidual ou a morte celular (Gabai & Sherman. 2002). mas o treino isoladamente não substitui os benefícios da aclimatação ao calor. Esse processo induz ajustes biológicos que reduzem os efeitos adversos fisiológicos do estresse pelo calor e melhora o desempenho do exercício durante a exposição ao clima quente. que minimiza a extenuação pelo calor. no dia 3. A hipertermia (temperaturas corporais excessivamente altas) tem um efeito direto nas células. principalmente pulmões. o fluxo sanguíneo do fígado. e melhor . Essa redução do fluxo sanguíneo para as vísceras pode causar uma oxigenação insuficiente a esses tecidos. o indivíduo reclamou de uma bolha infectada. diminuindo o retorno venoso ao coração. danos teciduais causados pela geração de oxidantes e óxido nítrico e temperaturas teciduais excessivamente altas ou choque térmico (>41°C) (Lambert. Adaptação ao Estresse pelo Calor A aclimatação ao calor acontece depois da exposição repetida ao calor. o foco é a aclimatação ao calor. coagulação intravascular disseminada (coágulo sanguíneo no organismo) e disfunção de múltiplos órgãos. Vias metabólicas alteradas devido à hipertermia podem acelerar as taxas de reação químicas e contribuir para a apoptose. ou seja. FIGURA 1. o suprimento insuficiente de sangue para os tecidos e a resposta inflamatória sistêmica podem resultar em disfunção celular. 2002). Para compensar isso. não-publicado). cérebro e pulmões. No nível molecular. A hipertermia. influências do choque térmico no metabolismo do tecido nervoso e distúrbios de coagulação sanguínea. 2004). Após receber antibiótico oral por dois dias para tratar a infecção bacteriana. morte celular programada. por dias e semanas. melhora da resposta do fluxo sanguíneo na pele e do suor. O estresse deve ser suficiente para provocar sudorese profusa e aumentar a temperatura central e a da pele. fígado e rins. Esta figura representa um experimento laboratorial para um indivíduo que apresentava respostas temperaturas centrais normais a uma série de exercícios padrão em ambiente quente nos dias 1 e 2. ele apresentou respostas "anormais" na temperatura às sessões de exercício (linha cheia em negrito). A Tabela 2 apresenta uma breve descrição dos benefícios da aclimatação ao calor. Neste artigo. com a magnitude e duração do choque térmico influenciando a resposta celular. que demandou atenção médica imediata. A aclimatização ao calor refere-se às adaptações que acontecem após meses e anos de exposição ao clima quente. Lesão ou infecção anterior podem provocar doenças relacionadas ao calor provocadas pelo esforço. que pode ser a Tolerância Térmica Adquirida (ATT) (Kregel. rins e intestinos é desviado para suprir os músculos. pele. as respostas das temperaturas ao exercício voltaram aos valores normais (Day 4) (USARIEM.

. a aclimatação reduz os efeitos adversos do calor fisiologicamente. A aclimatação ao calor é específica ao clima (quente e seco x quente e úmido) e grau de atividade física.. enquanto a Tolerância Térmica Adquirida aumenta a probabilidade de o indivíduo sobreviver a uma determinada carga de calor (Kregel. i. a aclimatação ao calor em climas úmidos ou secos pode melhorar significativamente as capacidades de praticar exercícios em outro clima quente. que pode ser letal.. 2002). A Tolerância Térmica Adquirida está associada à produção de proteínas especializadas (proteínas de choque térmico) que se ligam a diversas moléculas para proteger as células e acelerar a reparação tecidual. Além das ações das proteínas de choque térmico. 2 0 0 2 ) . A Tolerância Térmica Adquirida e a aclimatação ao calor são complementares. Entretanto. aclimatação a ambiente quente e seco é melhor para adaptar um indivíduo ao exercício em um ambiente seco que a aclimatação a ambiente quente e úmido e vice-versa. Tabela 2 .Benefícios da Aclimatação ao Calor A Tolerância Térmica Adquirida refere-se às mudanças celulares após uma grave exposição não-letal ao calor que permite que o organismo sobreviva à exposição subsequente.equilíbrio hídrico e estabilidade cardiovascular.e. outras vias e sistemas celulares provavelmente contribuem para a Tolerância Térmica Adquirida (Sonna et al.

Tabela 4 . evitando a exposição ao estresse térmico excessivo e mantendo a hidratação adequada. técnicos e treinadores devem conhecer os sinais e sintomas das graves doenças provocadas pelo calor (Tabela 4).Quadro 3 - Estratégias de Aclimatação ao Calor O quadro 3 apresenta as estratégias de aclimatação ao calor que podem ser consideradas para se preparar para eventos atléticos ou tarefas ocupacionais sob clima quente..Sinais e sintomas de alerta das doenças provocadas pelo calor em condições de esforço (modificado de Binkley e col. com alguns exercícios físicos sob o calor. Aumento do tempo da exposição ao calor e da aclimatação provavelmente trarão benefícios adicionais (Sawka et al. Atletas que apresentam esses sinais e sintomas devem interromper os exercícios e ter um tempo para se recuperar em ambiente fresco. 1990b). por 8-14 dias. (2002) e do Ministério do Exército e Aeronáutica (2003) . Uma exposição mínima ao calor de 90 minutos por dia. Além disso. é necessária para adaptação adequada (Sawka et al. Prevenção e Tratamento Imediato das Doenças Provocadas pelo Calor A maioria dos casos de doenças graves provocadas pelo calor pode ser evitada induzindo-se a aclimatação ao calor e tolerância térmica adquirida.. além de repor os líquidos e eletrólitos p e r d i d o s . Os benefícios primários da aclimatação ao calor são o aumento da capacidade de trabalho físico associado à melhor função termorregulatória e cardiovascular e a diminuição do risco de apresentar doenças relacionadas ao calor. Indivíduos com história de doenças provocadas pelo calor podem precisar de mais tempo para se aclimatar (Armstrong et al. 1996).. 2001).

A intensidade dessas doenças pode variar de leve a grave. fisiológicos. o tratamento de graves doenças provocadas pelo calor incluem o resfriamento externo do corpo. -.isso deve ser conseguido por meio da ingestão ou administração intravenosa de líquidos adequados. Quando graves doenças provocadas pelo calor acontecem.5°C (Proulx.. além de massagem na pele. reposição de líquidos e eletrólitos e estratégias de exercícios/descanso e monitorando os atletas.A. Costrini. A imersão em água gelada reduz a temperatura corporal central em 0.15°-0. SUPLEMENTO EVITANDO AS DOENÇAS PROVOCADAS PELO CALOR SENDO S. . 2006). 2005. A exposição ao calor pode causar doenças graves. 1990). físicos.R. R E S U M O As pessoas que participam de atividades físicas extenuantes por longos períodos em clima quente estão sujeitas a apresentar doenças provocadas pelo calor sob condições de esforço. médicos e medicamentosos são associados a um aumento do risco de graves doenças provocadas pelo calor. O resfriamento também é um fator importante para a recuperação e o prognóstico positivo (Heled & Deuster. Apesar de menos eficaz que a água fria. Muitos fatores ambientais. até mesmo . comissão técnica e equipe médica podem atenuar os riscos identificando quem são os indivíduos que correm mais risco. 2005). e retirada de roupas desnecessárias também são eficazes para dissipar a carga de calor do organismo (Casa et al.. A imersão do organismo em água fria ou gelada na pele ou encharcá-lo com água fria ou gelada. Os déficits de líquidos e eletrólitos devem ser corrigidos. a monitoração da vítima e provavelmente a reidratação.M. 2003). O resfriamento corporal diminui as temperaturas teciduais e estabiliza a pressão arterial por meio da constrição dos vasos sangüíneos na pele. mas o uso de banhos frios ou de lençóis gelados e bolsas de gelo.Quando as medidas preventivas falham.T Proteger a sua saúde durante a atividade física em clima quente é tão simples quanto se lembrar de manter o organismo refrescado e usar o bom senso.06°C por minuto (Casa et al. 2005).. são os métodos mais eficazes. o resfriamento do organismo deve começar imediatamente. seguindo as diretrizes para aclimatação ao calor. A imersão do organismo em água resfriada ou gelada ou o uso dessa água para encharcá-lo são os métodos mais eficazes para resfriar rapidamente. o uso de ventiladores com água fria reduz a temperatura corporal central a uma taxa de 0.30°C por minuto (Casa et al. Atletas. O organismo deve ser resfriado imediatamente com o método mais eficaz disponível e continuar até que a temperatura retal seja menor que 38.

Atletas que estiveram doentes recentemente.fatais. aqueles com história de doenças provocadas pelo calor. As doenças provocadas pelo calor podem ser evitadas na maior parte dos casos! Siga as dicas básicas e evite as lesões pelo calor sendo S. Lembre-se também de beber durante o exercício para repor os líquidos e eletrólitos.T. Reserve no mínimo 8 -14 dias para a aclimatação. Use roupas claras e s o l t a s . ( i n t e l i g e n t e ) . marcando esses treinos para o horário da manhã e da tarde. os que não estão aclimatados ao exercício sob calor e aqueles que são altamente motivados para serem bem-sucedidos nos respectivos esportes correm mais risco. (2002) e do Ministério do Exército e Aeronáutica (2003). principalmente por meio da imersão do atleta em água fria ou gelada.5°C Alterações no sistema nervoso central Confusão/desorientação Agitação/agressividade O l h a r p a r a d o / a p a t i a Comportamento irracional M a r c h a c a m b a l e a n t e D e l í r i o C o n v u l s õ e s Falta de respostas. como já foi observado em mortes de atletas de elite durante treinos e competições esportivas e de centenas de pessoas durante ondas de calor no mundo todo. Sinais e sintomas de alerta das doenças provocadas pelo calor em situações de esforço (modificado de Binkley et al. evitando assim o horário de pico. Técnicos. Reduzir a intensidade do trabalho e o tempo da exposição ao calor em condições extremamente quentes e úmidas. Monitore os atletas que apresentam alto risco. preparadores físicos e atletas devem aprender quais são os sinais e sintomas das graves doenças causadas pelo calor e devem monitorar os que podem apresentar o risco. A recuperação deve ocorrer em ambiente fresco por um tempo suficiente para diminuir a temperatura corporal. Tenha planos prontos para rapidamente adotar procedimentos eficazes para resfriar o organismo.A.Pense em procedimentos de emergência para resfriar os atletas que possam sofrer as doenças causadas pelo calor. por exemplo. t r e m o r e s Sinais de Provável Choque Térmico (Insolação) P u l s o f r a c o e r á p i d o Temperatura retal geralmente >40. com gripe ou lesão muscular.0°C C e f a l é i a T o n t u r a / d e s m a i o N á u s e a s / v ô m i t o s M a r c h a i n s t á v e l F r a q u e z a C ã i b r a s m u s c u l a r e s C a l a f r i o s . atletas. coma Pele quente e úmida ou pele seca V ô m i t o s Evacuações involuntárias H i p e r v e n t i l a ç ã o < Aclimatar e Ajustar .M. aumentando gradualmente o tempo e a intensidade do exercício sob calor. Schedule (Agenda) Agende as sessões de exercícios cuidadosamente para evitar as temperaturas mais altas. Bebidas esportivas podem ajudar a repor os líquidos e minerais perdidos pelo suor. Sinais de Possível Exaustão pelo Calor Pulso (frequência cardíaca) alta Temperatura retal normalmente <40.as roupas usadas e os exercícios ao clima. (Think) . Recuperar e Repor. .R.

Department of the Army and Air Force. Knochel.N. Amoroso (2005). Stephenson. M. Sports Exerc. J. 34(3):253?262.S.W. Carter. D. J. and S. Department of the Army and Air Force (2003).. Beckett. Casa. Exercise in the heat. Train. D. (1999). Train. Ganio. N.37(8):1338-1344. Washington. L.J. Casa. Casa. Critical concepts in rehydration. Med. Heat stroke (2002). and J. Engl. 4(6):309-317.M.A. L.SUGESTÕES DE REFERÊNCIAS ADICIONAIS Binkley.. M. Kleiner . and P. Curr. Yeargin (2005). M. Exertional heat stroke in competitive athletes.pdf .mil/usapa/med/DR_pubs/dr_a/pdf/tbmed507. A. Williams. Armstrong.. Kolka.P. II. Epidemiology of hospitalizations and deaths from heat illness in soldiers. Athl.C. exertional heat illnesses. Heat stress control and heat casualty management. 346 (25):1978-1988. D. Plummer (2002). J. Bouchama. Sawka.J. D. Rep. and P.E. 3rd. Association Position Statement: Exertional Heat Illness. H.E.O.J.A. Sports Med. http://www. Med. S.:Headquarters. J.M. Athl. Cheuvront.J. National Athletic Trainers. J. D.N. and maximizing athletic performance. Sci. R. 37(3):329-343.army..