Você está na página 1de 8

TÊMPERA SUPERFICIAL POR

FEIXE DE ELETRÓNS
IVAN PICCHI
01 FEIXE DE ELÉTRONS
• O tratamento térmico por feixe de elétrons é um processo seletivo de
endurecimento, em que a superfície de uma liga de ferro endurecível
é aquecida rapidamente acima da temperatura de transformação da
liga, através do bombardeamento ou colisão direta de uma corrente
de elétrons acelerados;
• No final do ciclo de aquecimento, entre 0,5 e 2,5 s, o fluxo de elétrons
é parado inesperadamente para permitir que a região trabalhada
resfrie, formando uma estrutura martensítica.
02 FEIXE DE ELÉTRONS
• No tratamento térmico com feixe
de elétrons, um feixe altamente
concentrado de elétrons, com alta
velocidade é usado para áreas de
aquecimento seletivo;
• O feixe é extremamente energizado
pela aceleração entre os catodos e
os anodos;
• O feixe concentrado é controlado
através de uma bobina de foco.
03 FEIXE DE ELÉTRONS
• A energia cinética dos elétrons é
transformada para o aquecimento da
peça no momento do impacto dos
elétrons na superfície da mesma;
• Com a ajuda de oscilação de alta
velocidade e com o controle digital o feixe
de elétrons pode varrer a superfície de
forma determinada possibilitando
endurecimento superficial em áreas
minúsculas e em peças com paredes finas
e em peças com formas complexas.
TÊMPERA SUPERFICIAL POR
LASER
IVAN PICCHI
04 LASER
• O endurecimento superficial por laser utiliza um feixe de laser de alta
energia e bem definido como fonte de calor;
• Quando o feixe de laser atinge a superfície, parte da energia é
absorvida na forma de calor;
• Se a densidade da força do feixe de laser é suficientemente alta 
Calor pode ser gerado na superfície mais rapidamente do que a
condução de calor ao interior pode removê-lo  Temperatura na
camada de superfície aumentará rapidamente.
05 LASER
• Em um tempo muito curto, uma
camada fina da superfície terá
alcançado a temperatura de
austenitização  Enquanto o
interior do componente ou da
peça estará frio;
• A concentração da energia é
tipicamente entre 1000 e 2000
W/cm² e o gradiente da
temperatura obtido 500°C/mm.
06 LASER
• Movendo o feixe de laser sobre a superfície do componente ou
peça, um ponto na superfície dentro do trajeto do feixe é
aquecido rapidamente enquanto o feixe passa;
• Esta área é subsequentemente resfriada rapidamente pela
condução do calor ao interior depois que o feixe passou;
• Selecionando a força de densidade e a velocidade correta do
ponto do laser, o material pode endurecer até a profundidade
desejada  Profundidade depende da resposta ao
endurecimento do material, mas será raramente maior do que
2,5 mm;
• Profundidades:
• Baixo Carbono  0,25 mm;
• Médio Carbono  1,3 mm.

• Para formar uma camada superficial de martensita, o metal


deve ser aquecido a ~ 900°C (em caso de aços – liga até
temperaturas mais altas).