Você está na página 1de 10

Livro: Português/Literatura/Produção

de texto e Gramática.

 Volume Único
 3ª Edição, 2000. Editora Saraiva.
 Autores: Samara Yousseff
Campedelle/Jesus Barbosa Souza.
 O livro é dividido em três partes:
• Literatura – 26 Capitulos
• Pridução de texto – 15 Capitulos
• Gramática – 21 Capitulos
 Capitulo Analisado: 07, “O Quinhentismo”.
Páginas: 73 – 78. Seculo XVI
PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES
DE LITERATURA NO BRASIL
QUINHENTISMO (SÉCULO XVI)
SITUAÇÃO HISTÓRICA

A nova terra era peculiaríssima e os


colonizadores tiveram de adaptar-se a
tudo: desde as condições climáticas
diferentes até os costumes e a linguagem
dos indigenas. Os comportamentos dos
nativos, como poligamia e o canibalismo,
eram impensáveis na visão cristã
medieval dos colonizadores. Tinhampor
missão evangelizar os gentios, mesmo
que, para isso, tivessem de aprender a
língua tupi – o que, de fato,acabou
acotecendo com os jesuítas.
A CARTA DE PERO VAZ DE
CAMINHA
MANIFESTAÇÕES LITERARIAS

 Nos primeiros textos produzidos sobre a terra descoberta pode-se perceber


a admiração do europeu maravilhado com o selvagem, seus hábitos de vida
e com a natureza da nova terra.
 Estas obras só podem se consideradas de valor documental. Constituem a
primeira visão – e única – da terra virgem, intocada pela civilização estranha
que começaria a desfigura-la e a destruí-la de imediato.
O PAPEL DA LITERATURA DE
CATEQUESE NO QUINHANTISMO
 As primeiras tentativas de adequação, em termos
artísticos, do mundo europeu à realidade brasileira
são encontradas principalmente em alguns textos do
Padre José de Anchieta e de outros jesuítas
missionários que aqui estiveram (como o Padre
Manoel da Nóbrega, por exemplo).
 Visando à conversão do gentio, Anchieta mergulhou
fundo no tradicionalismo medieval, fazendo
representar “autos” em festas cristãs, como o Natal, o
dia de Reis, a Páscoa. Aderiu também ao canto (como
fizeram todos os missionários), ao diálogo e às
narrativas.
Do Santíssimo Sacramento
deleite de namorados, Ó que divino bocado,
Ó que pão, ó que comida, que tem todos os sabores!
que, co'o gosto deste pão,
ó que divino manjar Vinde, pobres pecadores,
deixam a deleitação
se nos dá no santo altar a comer!
transitória.
cada dia!
Quem quiser haver vitória Não tendes de que temer,
Filho da Virgem Maria, senão de vossos pecados.
do falso contentamento,
que Deus-Padre cá mandou Se forem bem confessados,
goste deste sacramento
e por nós na cruz passou isso basta,
divinal.
crua morte,
Este dá vida imortal, qu'este manjar tudo gasta,
e para que nos conforte porque é fogo gastador,
este mata toda fome,
se deixou no sacramento que com seu divino ardor
porque nele Deus e homem
para dar-nos, com aumento, tudo abrasa.
se contêm.
sua graça,
É fonte de todo bem,
esta divina fogaça
da qual quem bem se
é manjar de lutadores,
embebeda
galardão de vencedores
não tenha medo da queda
esforçados,
EXERCICIO

 Examinando o poema Do Santíssimo Sacramento, do padre José de


Anchieta, percebe-se que é composto de versos curtos, redondilhos (de sete
silabas) e de ritmo saltitante. Qual teria sido a intenção do padre?
Thanks!