Você está na página 1de 31

Planejamento da

capacidade de
produção
Alex Tomé
Jheniffer Pereira
Pedro Fernandes
PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE DE
PRODUÇÃO
▪ Capacidade/Tipos de Capacidade
▪ Planejamento de lotes mínimos de produção
▪ Alocação/Gráfico de Gantt
CAPACIDADE DE PRODUÇÃO
▪ O que é capacidade de produção?

• O termo capacidade, considera o volume ou a quantidade máxima em condições


fixas dos ativos ou instalações.

• É necessário também se conhecer a capacidade sob seu aspecto dinâmico. Para


isto, deve ser adicionada a dimensão tempo a esta medida.
EXEMPLOS DE MEDIDAS DE CAPACIDADE
CAPACIDADE INSTALADA
▪ É a quantidade máxima que um sistema produtivo pode produzir
ininterruptamente, desconsiderando as perdas. Portanto, é a capacidade
produtiva obtida numa jornada de trabalho de 24 horas, ignorando paradas para
manutenção e perdas decorrentes de erros de programação da produção.

▪ Exemplo: Uma refinaria de óleo tem capacidade de produzir 8 toneladas por


hora. Qual a capacidade instalada da refinaria?

• Capacidade instalada = 8 toneladas / hora x 24 horas x 30 dias = 8 x 24 x 30

= 5.760 toneladas por mês.


CAPACIDADE DISPONÍVEL OU DE PROJETO
▪ Refere-se à capacidade máxima de um sistema produtivo numa jornada de
trabalho sem considerar as perdas envolvidas.
▪ Exemplo: A refinaria do exemplo anterior tem 720 horas mensais de capacidade
(20 x 30), sua capacidade disponível pode ser:
CAPACIDADE EFETIVA OU DE CARGA
▪ Capacidade efetiva nada mais é que a capacidade disponível subtraídas das
perdas planejadas dessa capacidade. As perdas planejadas são:

• Setup (tempo de preparação);


• Manutenções preventivas;
• Auditorias da qualidade;
• Trocas de turno;
• Intervalo de operações, etc.
CAPACIDADE REALIZADA
▪ É a capacidade real em determinado período. Nada mais é que a capacidade
resultante a da subtração das perdas não planejadas da capacidade efetiva. As
perdas não planejadas da capacidade efetiva. As perdas não planejadas são:

• Ausência de matéria-prima;
• Funcionários;
• Energia;
• Máquinas;
• Deficiências de qualidade;
• Manutenção corretiva, etc.
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
▪ Raro são as empresas brasileiras que possuem um planejamento de produção
com exceção de grandes organizações industriais.

▪ Normalmente a área comercial tende a realizar previsões de vendas


considerando a quantidade de produtos que pretende vender, sem se importar
com o mix de produtos.

▪ Para resolver ou minimizar esta dificuldade (o planejamento da produção), é


fundamental que o planejamento comercial seja rotineiramente e leve em conta
restrições e limitações.
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
▪ Planejamento comercial:
É uma previsão de venda que a área de produção entende como plenamente
possível de ser realizada. O planejamento comercial não pode ser confundido com
metas de recordes de produção e vendas.
▪ Administração comercial:
Tem por objetivo controlar as ações dos vendedores, para que a previsão de
vendas definida no planejamento comercial seja obtida.
Exemplo: Se um vendedor já atingiu sua cota de vendas de determinado produto,
ele só terá autorização para vender mais se os gestores transferirem para ele parte
da cota de outro vendedor.
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
▪ Ajuste no planejamento:
Normalmente solicitada pela área comercial à área de produção. Dependendo do
grau necessita ser redefinida, em comum acordo entre as áreas.
▪ Tempo de preparação (set-up):
É o tempo necessário para preparar uma unidade produtiva para produzir um novo
tipo ou modelo de produto.
Exemplo: Um cabine esta pintando geladeiras brancas e precisa ser limpa e ter a
cor trocada para pintar geladeiras marrons.
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
▪ O que é lote mínimo de fabricação?

É o menor lote possível de ser produzido pela empresa de forma que o aumento do
tempo de set-up não ultrapasse a capacidade disponível.

Exemplo: Uma metalúrgica precisa produzir um lote de mil peças para um cliente.
Supondo que esse lote seja de 4 tipos de peças por mês, então seriam produzidos
1 lote por semana de 250 peças. Caso o cliente precise dos quatro tipos de peça
todos os dias, seriam necessário reduzir o lote de fabricação para quantidade
menores afim de entregar o pedido ao cliente. Isso elevaria o tempo de set-up da
produção.
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
▪ Cálculo do lote mínimo de fabricação:
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
▪ Exemplo:

A Injebrás é um empresa produtora de peças plásticas injetadas. Uma


programação de produção deve ser feita para quatro peças plásticas que são
produzidas em uma única máquina injetora. A empresa pretende fazer seu plano
de produção, em função das suas capacidades, para um mês de 24 dias úteis. Se
a empresa trabalha em turno de oito horas por dia e considera um fator de
tolerância de tempo de espera de 97% (perda de 3%), calcular o lote mínimo de
fabricação de casa uma das peças. As demandas de peça para o período são:
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO

▪ Portanto a Injebrás pode dividir a demanda mensal de cada peça, e, ao invés de


produzir todas as 4.000 peças A, por exemplo, de uma única vez, a empresa fará
oito lotes de 498 peças A em cada lote.
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO

▪ Redução do lote mínimo por meio da redução do tempo de set-up:

Quanto menor o tempo necessário para troca de cada set-up, mais ciclos podem
ser feitos. Significando a diminuição do lote mínimo de fabricação.

Exemplo: Utilizando o mesmo caso anterior, realizamos uma melhoria no tempo de


set-up das novas peças, sendo reduzido para 15, 18, 10 e 25 minutos
respectivamente. O tempo total de set-up passa a ser 68 minutos ou 1,1333 horas.
Assim o número de ciclos possíveis sobe para:
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO

▪ Considerações sobre o lote mínimo de produção:

Quanto mais set-ups puderem ser feitos, menores serão os lotes mínimos dos
produtos, representando uma considerável vantagem para a redução do nível de
estoque.
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO

▪ A influência da sequência de produção no tempo de set-up:

A sequencia de trocas de um produto para outro pode influenciar significativamente


o tempo gasto em set-ups na produção.

Exemplo: A Vestebrás é uma empresa especializada na confecção de uniformes


industriais. Uma única linha de produção, composta de oito máquinas de costura,
produz oito tipos diferentes de uniforme conforme quadro:
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO

▪ Nesse exemplo existem três tipos diferentes de set-up:

• Tempo de set-up para troca do gênero: 15 minutos;

• Tempo de set-up para troca de modelo: 30 modelos;

• Tempo de set-up para troca da cor: 25 minutos.


PLANEJAMENTO DE LOTES MÍNIMOS DE
PRODUÇÃO
Com essas informações pode-se procurar uma sequência de produção de forma a
gastar o menor tempo possível com set-ups.
ALOCAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DE CARGAS
E O GRÁFICO DE GANTT
▪ Normalmente as industrias utilizam as mesmas máquinas para operar com
diferentes produtos, desta forma o programador de produção necessita definir a
máquina para alocar o trabalho e a sequência necessária.

▪ Apesar de algumas limitações o gráfico de Gantt é uma ferramenta bastante


utilizada nesta prática pela empresa devido à sua simplicidade e facilidade de
entendimento.
O GRÁFICO DE GANTT
▪ Ferramenta fundamental para o gerenciamento e acompanhamento das
execuções de projetos.

▪ História do gráfico de Gantt

Ferramenta desenvolvida pelo engenheiro polonês Karol Adamiecki por volta de


1890, porém quem aprimorou a ideia e implantando-a na indústria para
planejamento, organização e controle da produção foi Henry Gantt, em 1903.
EXEMPLOS DE UTILIZAÇÃO NO
SEQUENCIAMENTO DE CARGAS
▪ Uma empresa que produz ferramentas especiais para prensa de estampagem
recebeu um pedido de cinco peças:
EXEMPLOS DE UTILIZAÇÃO NO
SEQUENCIAMENTO DE CARGAS
▪ Supondo que a empresa realize expediente das 07h00 às 11h00 e das 13h00 às
17h00, em quanto tempo os quatro produtos podem ficar prontos e qual a
sequencia deve ser considerada em casa máquina?
ELABORAÇÃO DE SOLUÇÃO E ALOCAÇÃO DE
CARGA
▪ Iniciar a programação pelo produto de maior tempo e duração e;

▪ Sempre que possível, de maior margem de contribuição;

▪ Iniciar o segundo produto de maior tempo de duração e lucro;

▪ Continuar procedendo de forma análoga, buscando obter o melhor encaixe nas


janelas de horários existentes.
BIBLIOGRAFIA
▪ Administração da Produção (Jurandir Peinado /Alexandre Reis Graeml)