Você está na página 1de 22

EDUCAÇÃO

INCLUSIVA
E
DIVERSIDA
DE
CULTURAL
GESTÃO
ESCOLAR
DEMOCRÁTICA

DIVERSIDADE
ESCOLAR

PPP –
CURRÍCULO
INCLUSIVO
LDB, lei nº
9394/96 Art. 14
Incorporar o conceito de diversidade na
educação
Educação
Indígena

Egressos da Educação
penitenciária do Campo

Egressos de DIVERSIDADE
CULTURAL Orientação
sexual
dependência
química

Educação Educação para as


de Jovens diversidades dos
e Adultos grupos étnicos
Educação
Especial
Inclusão e Diversidade

Fonte: https://revistaviag.com.br/diversidade-e-inclusao-nas-empresas/
Fonte: https://www.design2020.com.br/artigos/acessibilidade-como-ponte-de-
empatia-para-o-diverso
INTEGRAÇÃO
 Década 80.
 Movimento promovido pela educação especial.

INCLUSÃO
 Década de 90.
Movimentos sociais: afrodescendentes,
indígenas, minorias étnicas, linguísticas e
religiosas, mulheres, homossexuais...
INTEGRAÇÃO
Defesa dos direitos das pessoas com
deficiência.
Educação especial - subsistema da
educação (reabilitação).

INCLUSÃO
Defesa dos direitos de todos os grupos
excluídos ou marginalizados.
Educação especial é parte integrante do
sistema educacional.
INTEGRAÇÃO
Adaptação da pessoa com deficiência
ao sistema social, seja na comunidade,
na escola, no trabalho ou no lazer.

INCLUSÃO
Modificação das estruturas e práticas
vigentes , de modo que todas as diferenças
individuais sejam atendidas nos ambientes
comuns.
POLISSEMIA NA UTILIZAÇÃO DO TERMO
“INCLUSÃO”

Inclusão onde?
Diz respeito aos espaços onde ela ocorre
(inclusão social, inclusão no mundo do
trabalho, inclusão na escola...)
POLISSEMIA NA UTILIZAÇÃO DO TERMO
“INCLUSÃO”

Inclusão de quem?
Diz respeito aos sujeitos aos quais se
refere:
minorias étnicas ou religiosas, de em
grupos situação de riscosocial,
de
abandonaram
pessoas
a escola, de pessoas que estejamque
ou
não em situação de deficiência...).
Exclusão/Inclusão de...

...pobres e marginalizados socialmente;


...grupos étnicos , raciais, religiosos;
...mulheres dos processos produtivos, da saúde, da
política, da educação;
...das pessoas com orientação sexual;
...das pessoas em situação de deficiência na escola
e no trabalho.
Cuidado com os reducionismos...

Quando nos referimos à inclusão social, ou à


educação inclusiva, esse processo não diz respeito
apenas às pessoas com deficiência, mas a todos os
grupos minoritários que, por condição social, credo,
orientação sexual, quaisquer outras
ou diferenças
significativas,
cidadania sejam excluídos de seus direitos à
plena.
De que forma fortalecer uma cultura
inclusiva prevendo a garantia do direito
coletivo
da de
cidadania, exercício
independentemente de, origem
socioeconômica, escolaridade, orientação
religião, cor, raça, deficiência, dentre outros? sexual,
A Inclusão como um direito e
princípio ético...
considera a diversidade como uma oportunidade
para enriquecer os processos de aprendizagem,
contribuindo para a melhoria na qualidade da
educação.
 convivência dentro da diversidade humana;
eliminação de qualquer forma de discriminação;
valorização de cada pessoa com sua
individualidade.
POLÍTICAS PÚBLICAS

Decisões de Governo em diversas áreas


que influenciam a vida de um conjunto de cidadãos

 Leis: asseguram os direitos

Providências políticas, administrativas e financeiras –


efetivam os direitos na prática

 Movimentos sociais organizados


POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO
ESPECIAL NO CONTEXTO DA INCLUSÃO

APRENDIZAGEM APRENDIZAGEM
patologia, condição OU Suportes e apoios
orgânica ofertados pelo grupo
social para superação
de limitações

Diversidade
Deficiência OU

Modelo clínico-terapêutico Modelo INCLUSIVO


Psicologia Pedagogia
Reabilitação Currículo flexível
“Professor”-terapeuta Professor-
Escola como espaço clínico educador
Modalidade de educação
(transversal aos níveis e etapas da Educação Básica)
No contexto de educação inclusiva como
encaminhamentos tomados a os partir dos
movimentos mundiais grandes
influenciam a tomada de
decisões e a construção das agendas das políticas
educacionais brasileiras?
DOCUMENTOS INTERNACIONAIS
NORTEADORES DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA
Declaração Universal dos Direitos Humanos – ONU
(1948)

 Declaração Mundial Sobre Educação Para Todos –


ONU
Jomtien/Tailândia (1990)

 Declaração De Salamanca – Espanha/UNESCO


(1994)

 Convenção da Guatemala – OEA (1999)


Convenção sobre os Direitos das Pessoas com
Deficiência – ONU (2006)
DOCUMENTOS NACIONAIS NORTEADORES
DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

 Estatuto da Criança e do Adolescente/


1990

 LDBEN n° 9.394/96 – Capítulo V


 Decreto nº 5.296/2004
Política Nacional de Educação Especial
na
Perspectiva da Educação Inclusiva/2008
 Lei Federal Nº 13.146/2015
 Lei Federal Nº 13.409/2016
Referências
BRASIL. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades
educativas especiais. Brasília: Unesco, 1994.
BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação
Nacional. Lei n.º 9.394/96. Brasília: MEC, 1996.
BRASIL. MEC/SEESP. Educação inclusiva: Direito à Diversidade: Documento
Orientador. SEESP: Brasília, 2006.
BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação
Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em:
<http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf>. Acesso em: 12 mar.
2016.
CURY, Carlos Roberto Jamil. Os fora de série na escola.
Campinas/SP:Armazém do Ipê (Autores Associados), 2005.
FILIETAZ, M. R. P.; OLIVEIRA, O. S. Políticas Públicas em Educação:
desafios e perspectivas da inclusão. Pgs 186 à 209. UTFPR. 2016.
GOMES, Márcio. Construindo as trilhas para a inclusão.Petrópolis,RJ: Vozes,
2009.
MARTINS, Lúcia de Araújo Ramos et al ( Org.). Inclusão: compartilhando
saberes. 5.ed.Petrópolis- RJ: Vozes, 2011.