Você está na página 1de 9

A HISTÓRIA DA A N I M A ÇÃ O

SOCI O C U L TU R A L

ITA MÓ DUL O: HISTÓ RIA DE


PROF.: ANA R
ANIMAÇÃO

RÉ SAN TOS F ER REIRA N.º14


RÚB EN AND
ÍNDICE

Diapositivo 3- Introdução;
Diapositivo 4- A Perspetiva histórica da animação sociocultural na Europa;
Diapositivo 5- A Perspetiva histórica da animação sociocultural na Europa(Continuação);
Diapositivo 6- A origem e evolução da animação sociocultural em Portugal;
Diapositivo 7- A origem e evolução da animação sociocultural em Portugal(Continuação);
Diapositivo 8- Conclusão;
Diapositivo 9- Web Grafia;
INTRODUÇÃO

Neste trabalho pretendo aprofundar os meus conhecimentos á cerca deste tema. Vou me empenhar na resolução deste trabalho e tentar fazer o meu melhor, pois é
um tema muito interessante e que gosto.
A PERSPETIVA HISTÓRICA DA ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL NA EUROPA

A Animação Sociocultural (ASC) é um processo que visa a consciencialização participante e criadora das populações, tem uma metodologia própria que, em termos
gerais, tem as seguintes linhas mestras:
 É um processo deliberado e constante destinado a estimular as pessoas e os grupos para que se autodesenvolvam, mobilizando todas as suas faculdades,
no sentido da resolução dos seus problemas;
 É um despertar para a descoberta e desenvolvimento das potencialidades e capacidades de cada comunidade;
 É a aquisição da competência necessária para que os grupos (as comunidades) sejam agentes e não meros espectadores.

A ASC surge em meados dos anos 50 do séc.-XX(20), nos países


francófonos(França e Bélgica).
Até á década de 60 do séc.XX a cultura é considerada um bem patrimonial, o
trabalho da ASC nesta área é praticamente inexistente.
CONTINUAÇÃO

Na década 60 a ASC desenvolve ações no sentido de facilitar acesso á cultura à generalidade de cidadãos, a isto chama-se Difusão/Democralização
Cultural.
Finais dos anos 60 e inícios dos anos 70 a ASC tem como objetivo desenvolver as culturas dos diferentes grupos.(Democracia Cultural).
Nos anos 80 á maior facilidade de acesso aos produtos divulgados através dos meios de comunicação social à generalidade da população, logo dificulta
o trabalho da ASC cujo o objetivo é promover a democracia cultural.
Nos anos 90 os programas e ações, foram levadas pelo estado perderam peso, logo houve mudanças na conceção e na prática da animação. Antes era
vista como “encher criativamente o tempo livre”, agora pretende-se que “não seja rotineira”.
A ORIGEM E EVOLUÇÃO DA ANIMAÇÃO SOCIOCULTURAL EM PORTUGAL

Não é possível identificar de forma precisa a origem em Portugal. Sabemos que sempre houve diferentes tempos de vida das pessoas, um tempo para trabalhar e um
tempo para não trabalho que inclui diferentes atividades, como a festa, o recreio, aquilo que podemos chamar animação.
Devido ao facto de Portugal ter estado sob o domínio de um regime totalitário entre 1926 e 1974, onde as liberdades básicas foram suprimidas, por exemplo a
liberdade de expressão, a liberdade de associação e a liberdade de reunião onde este regime projetou como politica da “animação”.
Uma Animação Sociocultural assim entendida emerge entre nós a partir do 25 de Abril de 1974 e estende-se até aos nossos dias através de seis fases:
 De 1974 a 1976, assistiu-se, em Portugal, à fase revolucionária da Animação Sociocultural. Nesse período, os governos provisórios e o Movimento
das Forças Armadas assumem a Animação Sociocultural como método eficaz para a intervenção na comunidade, constituindo exemplos de referência a
criação da Comissão Interministerial para a Animação Sociocultural (CIASC) e as sucessivas campanhas de dinamização cultural e Animação Cultural
levadas a cabo. 

 De 1977 a 1980, somos de opinião que existiu uma nova fase da Animação Sociocultural, por nós denominada como a fase Constitucionalista da Animação
Sociocultural, onde toda a sua ação foi determinada por instituições que, a partir de uma lógica concentracionista, assumiram a centralidade da mesma.

 De 1981 a 1985, emergiu, em Portugal, uma fase por nós designada como Patrimonialista, caracterizada por uma intervenção centrada na preservação e
recuperação do património cultural.  
CONTINUAÇÃO

 De 1986 a 1990, assumiu alguma relevância uma etapa caracterizada pela passagem da Animação Sociocultural do poder central para o poder local.
 De 1991 a 1995, um novo período surgiu, por nós identificado como a fase Multicultural e Intercultural, em consonância com o quarto pilar da educação,
aprender a viver juntos, que projetou a intenção de valorizar a ação educadora do multiculturalismo. 
 A última fase identificámo-la com o período que se inicia, em 1996, e nos acompanha até hoje, caracterizando-a como a fase da Globalização que
conduz a Animação Sociocultural a intervir num quadro que integre e eleve o ser humano a participar nos desafios que se lhe deparam, tornando-o
protagonista e promotor da sua própria autonomia.
CONCLUSÃO

Este trabalho foi muito interessante pois apreendi coisas novas, aprofundei os meus conhecimentos e esclareci algumas dúvidas.
WEB GRAFIA

https://pt.wikipedia.org/wiki/Anima%C3%A7%C3%A3o_sociocultural – (A Perspetiva histórica da animação sociocultural na Europa)- 27/09/2020;


https://prezi.com/ruaknbltvmrc/a-historia-da-animacao-sociocultural/ - (A Perspetiva histórica da animação sociocultural na Europa (Continuação))- 27/09/2020;
http://animcultural.blogspot.com/2016/04/origem-e-evolucao-da-animacao.html - (A origem e evolução da animação sociocultural em Portugal)- 27/09/2020;