Você está na página 1de 4

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DO FORO REGIONAL I SANTANA DA 3ª VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES DA COMARCA DE SÃO PAULO

URGENTE!

AUTOS Nº 1025914-61.2014.8.26.0001

"Entre todas as técnicas destinadas à execução da obrigação alimentar, a prisão civil é a mais drástica e a mais agressiva ao devedor, de modo que a sua adoção some é possível quando não existem outros meios idôneos à tutela do direito. Isto pelo simples motivo de que os meios de execução se subordinam às regras do meio idôneo e da menor restrição possível."

MARINONI, Luiz Guilherme; ARENHART, Sérgio Cruz. Curso de Processo Civil: execução. 3º Vol. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2006, p. 390.

Fulano, por seu advogado infra-assinado, (procuração em anexo), com escritório profissional sito à Rua são roque n° 370, centro, Cajazeiras - PA, onde recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente, nos autos de EXECUÇÃO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA que lhe move MATEUS RIBEIRO DE SOUZA e outros, representados por sua mãe FABIANA APARECIDA DE SOUSA, à presença de Vossa Excelência expor e ao final requerer o que segue.

DOS FATOS

Conforme o disposto na Ação de Alimentos que tramitou por este MM. juízo, dando origem ao presente processo, ficou estipulado que: o contestante pagaria a título de pensão alimentícia aos seus filhos, o equivalente a 50% do salário mínimo Vigente, e que este valor seria depositado junto à Caixa Econômica Federal, conta nº 292501300002292-2, em nome da mãe da genitora dos menores, senhora Maria Santina da Silva, sempre até o décimo dia útil do mês subsequente ao vencido.

Entretanto o autor ficou desempregado e não pode realizar os pagamentos nos valores estipulados de forma que efetuou depósitos embora em valor menor do estipulado na ação originária.

Inadvertidamente expediu-se mandado de prisão contra o requerido, tendo sido este recolhido ao Distrito Policial da cidade de Santana do Cariri no dia 19 de maio de 2015.

O autor encontra-se preso, ou seja, privado de sua liberdade, sem poder trabalhar, sem poder alcançar os meios de prover o sustento próprio e de sua família.

Encontram-se em anexo os depósitos dos pagamentos referente a todas as parcelas vencidas, tendo em vista a planilha demonstrada pelos exequentes.

Conforme planilha juntada PELOS EXEQUENTES às folhas

35 dos autos

, o débito até fevereiro de 2015 era de R$1.242,05 (mil duzentos e

quarenta e dois reais e cinco centavos), que já foram pagos, inclusive pagos os meses

de

, em dois depósitos de R$ 650,00 (19/05/2015) e

março, abril e maio de 2015

1.160,00

(20/05/2015),

totalizando

R$

1.810,10

(um

mil

oitocentos

e

dez),

PORTANTO,

O

EXECUTADO

ESTÁ

EM

DIA

COM

SUAS

OBRIGAÇÕES

ALIMENTARES!

Portanto, agora só resta o respectivo alvará de soltura, dando fim à privação de liberdade e ao final extinguida a execução.

A Planilha, com os débitos atualizados e pagos, é a seguinte:

De fato, estão quitadas todas as parcelas alimentares que outrora estavam em mora. Diante do Exposto, requer a expedição do ALVARÀ DE SOLTURA, COM URGENCIA!

DO DIREITO

Segundo entendimentos sedimentados na jurisprudência pátria, embora o requerido tenha efetuado o pagamento de todas as parcelas alimentares, os tribunais são unânimes no sentido de que a prisão do alimentante só será devida quando haver dívidas por parcelas de pensão alimentícia, senão vejamos:

HABEAS CORPUS. EXECUÇÃO DE ALIMENTOS. PRISÃO CIVIL. PAGAMENTO POSTERIOR DA DÍVIDA E EXPEDIÇÃO DE ALVARÁ DE SOLTURA. PERDA DO OBJETO. REMÉDIO CONSTITUCIONAL PREJUDICADO. "Quitada a dívida alimentícia e expedido o alvará de soltura em favor do paciente, resta prejudicado o habeas corpus, ante a perda de seu objeto." (HC n. , rel. Des. LUIZ CARLOS FREYESLEBEN, j. em 15.3.2007)

(TJ-SC - HC: 146262 SC 2009.014626-2, Relator: Henry Petry Junior, Data de Julgamento: 15/06/2009, Terceira Câmara de Direito Civil, Data de Publicação: Habeas Corpus n. , de Lages)

EMENTA: HABEAS CORPUS - DECISÃO QUE DETERMINOU A PRISÃO CIVIL DO DEVEDOR DE ALIMENTOS - POSTERIOR ADIMPLEMENTO DA OBRIGAÇÃO ALIMENTAR, MEDIANTE DEPÓSITOS EM CONTA CORRENTE DA EXEQUENTE - DECRETO PRISIONAL NÃO REVOGADO - CONSTRANGIMENTO ILEGAL CARACTERIZADO - CONCESSÃO DA ORDEM - EXPEDIÇÃO DE ALVARÁ DE SOLTURA EM FAVOR DO PACIENTE.

(TJ-RN - HC: 46880 RN 2008.004688-0, Relator: Des. Aderson Silvino, Data de Julgamento: 01/07/2008, 2ª Câmara Cível).

HABEAS CORPUS PREVENTIVO - AÇÃO DE EXECUÇÃO DE ALIMENTOS - PRISÃO CIVIL - DECRETO PRISIONAL REVOGADO - EXPEDIÇÃO DE ALVARÁ DE SOLTURA - PERDA SUPERVENIENTE DO OBJETO - EXTINÇÃO DO WRIT. Recuperando o paciente a liberdade em virtude da revogação da segregação, desaparece o objeto do pedido de habeas corpus que a perseguia (TJSC - HC n. , Des. Sérgio Paladino).

(TJ-SC - HC: 392791 SC 2007.039279-1, Relator: Mazoni Ferreira, Data de Julgamento: 08/10/2007, Segunda Câmara de Direito Civil, Data de Publicação: Habeas Corpus n. , de Anita Garibaldi)

HABEAS CORPUS - ALIMENTOS - PRISÃO CIVIL - EXPEDIÇÃO DE ALVARÁ DE SOLTURA EM PRIMEIRO GRAU - PERDA DO OBJETO - WRIT PREJUDICADO. Tendo

sido atendida a pretensão do impetrante, com a expedição de alvará de soltura em favor do paciente em Primeiro Grau, resta prejudicado o habeas corpus.

(TJ-SC - HC: 105896 SC 2006.010589-6, Relator: Sérgio Izidoro Heil, Data de Julgamento: 20/04/2006, Terceira Câmara de Direito Civil)

Também temos a súmula do Superior Tribunal de Justiça:

SÚMULA Nº 309 - STJ - O débito alimentar que autoriza a prisão civil do alimentante é o que compreende as três prestações anteriores ao ajuizamento da execução e as que se vencerem no curso do processo.

Desta feita, Excelência, o requerido depositou como pagamento, por primeiro a quantia de R$ 650,00 (seiscentos e cinquenta reais) e outra de R$ 1.160,0 (um mil cento e sessenta reais), já depositado em conta indicada pelos exequentes e este juízo, a fim de prover todas as parcelas da pensão alimentícia vencidas e as que se venceram no curso do processo.

DOS PEDIDOS

Sendo assim, diante do PAGAMENTO DO REQUERIDO das

parcelas vencidas, requer se digne Vossa Excelência

, À REVOGAR A PRISÃO DO

RÉU,

COM

A

CONSEQUENTE

EXPEDIÇÃO

DE

ALVARÁ

DE

SOLTURA

.

E

posteriormente requer a extinção do processo de execução, tendo em vista a perca do objeto.

Divisando alcançar a almejada Justiça!

Termos em que,

E. Deferimento.

Santana do Cariri - CE, 19 de maio de 2015.

Filipe Gonçalves de Almeida. Advogado - OAB/CE 30.439