P. 1
Apostila Contabil

Apostila Contabil

|Views: 1.064|Likes:
Publicado porscope_inf3957

More info:

Published by: scope_inf3957 on Jul 01, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/12/2012

pdf

text

original

Contabilidade Contabilidade • Processo Contábil Contas Patrimoniais Contas de Resultado Patrimônio Líquido Regime de competência e de caixa: Parâmetros Plano

de Contas: Exercício social ou contábil Saldos Iniciais Lançamentos Contábeis: Tipos de Lançamentos Histórico do Lançamento: Lançamento Padronizado Agrupamento Contábil Mapeamento Contábil Lançamentos On-Line e Off-Line: Rateios On-Line Rateios Off-Line Atualização de Sintéticas Reprocessamento Contabilização TXT Contabilização CPROVA Apuração de Lucros e Perdas Encerramento de Saldos Inter Companhy Dicas

• • • • •

• • • • • • • • • • • • • •

Página 1 de 19

E s t o q u e Conta: é o nome técnico dado aos componentes patrimoniais e aos elementos de resultado. Todos os acontecimentos que ocorrem na empresa. Página 2 de 19 . visando fornecer informações sobre sua composição e variações. os pagamentos. as vendas. responsáveis pela sua gestão. Juros recebidos. Prestação de Serviços. Ex: Vendas. P r o c e s s o C o n t á b i l P a d r ã o F a t o s C V o m p r a s E s c r i t u r a ç ã oA p u r a ç ã o D R C C i á r i o a z ã o a i x a C o r r e n t e s d e R e s u D l t e a md oo sn s t r a ç õ e s B R a l a n ç o e s u l t a d o L u c r o s M O o u P a t r i m d o E o n i a l x e r c í c i o L u c r o s P r e j u í z o s e n d a s e n t o s e n t o s P a g a m R D e c e b i m P r e j u í z o s d o P a t r i m R ô n i o o n t a s u t a ç õ e s r i g e n s e e v o l u ç õ e s A p l c e c u r s o s T r a n s f e r ê n c i a s M o v . É através das contas que a contabilidade consegue desempenhar o seu papel. como as compras. Contas de Resultado – Dividem-se em Contas de Despesas e Contas de Receitas. Processo Contábil: O processo de contabilização é padrão para qualquer tipo de organização e se destina a atender as exigências legais em vigor no Brasil.Contabilidade Contabilidade Contabilidade é um conjunto de técnicas utilizadas no estudo. registro. através do Balanço Patrimonial. Alugueis. Salários. controle e interpretação dos fatos ocorridos no patrimônio das entidades. Estas contas aparecem no plano de contas durante o exercício social (que é o mesmo que exercício contábil) de acordo com as necessidades de apuração da empresa. Ex: Água e Esgoto. Não fazem parte do Balanço Patrimonial mas permitem apurar o resultado do exercício. A Contabilidade possui regras de Princípios Básicos de Contabilidade que servem como guias que norteiam todo o processo contábil. As contas podem ser: Contas Patrimoniais – Dividem-se em Ativas e Passivas e são elas que representam o patrimônio da empresa num dado momento. etc. são registrados em livros próprios através das contas. Luz. os recebimentos. etc. Telefone.

não seria suficiente para pagar suas obrigações. após o pagamento de suas obrigações sobraria dinheiro para os seus proprietários. dizemos que a empresa trabalha no Regime de Competência. 3. Ativo < Passivo  Patrimônio Líquido Negativo Neste caso se a empresa for liquidada transformando-se todos os seus bens e direitos em dinheiro. Teve Lucro se a sobra for superior ao Capital Inicial Teve Prejuízo se a sobra for inferior ao Capital Inicial Nem um nem outro se a sobra for exatamente igual ao Capital Inicial 2.Contabilidade Contas Patrimoniais Contas de Resultado Ativo Passivo Despesas Receitas Bens Obrigações Direitos Patr. Liquido P Apuração Patrimônio Líquido: Define a situação de uma empresa através da equação patrimonial Ativo Passivo Equação Patrimonial: Bens + Direitos – Obrigações = Patrimônio Líquido Há três situações: 1. Teve prejuízo até o limite do seu capital de constituição. Ativo = Passivo  Patrimônio Líquido é Zero Neste caso o dinheiro convertido dos bens e direitos pagaria todas as obrigações sem sobrar nada para os seus proprietários. Teve prejuízo para seus proprietários. pois nem este foi possível recuperar (perdeu-se o que se investiu para abertura da mesma). Ativo > Passivo  Patrimônio Líquido Positivo Em caso de liquidação da empresa. Página 3 de 19 . Regime de competência e de caixa: Quando os lançamentos de receita ou despesas são contabilizados na data de sua ocorrência. isto significa que a receita ou despesa afetará o resultado do exercício (mês) em que ocorreu.

ao inserir uma conta cuja variação monetária não deve ser apurada. se o encerramento mensal se dá no último dia de cada mês.0. O objetivo do parâmetro é inicializar o campo Variação Monetária quando do cadastramento de uma conta. neste caso deve-se utilizar a opção de tabelas de períodos contábeis (configurador) em conjunto com o parâmetro MV_MOEDMAT. MV_EXERC1. Página 4 de 19 .deve-se informar a quantidade de casas decimais. dizemos que a empresa trabalha no Regime de Caixa. MV_FECH1.000.deve-se informar a definição da mascara contábil para as contas de acordo com a necessidade do cliente.. MV_MESREF . para impressão de relatórios na moeda 5.deve-se informar ao sistema qual a conta padrão para cálculo de variação monetária.. para impressão de relatórios na moeda 1.. para impressão de relatórios na moeda 3. Como exemplo na conta 3. MV_CENT .3.deve-se informar qual o último dia para encerramento do mês. É importante ressaltar que a máscara deve ser criada de acordo com a conta que possuir o maior número de dígitos do plano de contas.030. MV_CENT4 .deve-se informar a quantidade de casas decimais.deve-se informar qual o mês se inicia o saldo para centro de custo. para impressão de relatórios na moeda 4. o campo Variação Monetária já virá preenchido com a conta de variação. MV_MESINCC . Sendo que o regime de caixa só é aceito nas entidades sem fins lucrativos.1. MV_MASCCUS – deve-se informar a máscara do centro de custo. MV_DATADE . MV_MASCARA . Ex.deve-se informar a quantidade de casas decimais.Contabilidade Quando os lançamentos são efetuados somente no momento do pagamento ou recebimento gerado.deve-se informar no campo conteúdo. MV_CTAVM .03.deve-se informar a quantidade de casas decimais. Parâmetros: É no módulo “Configurador” que os parâmetros são inclusos e alterados quando necessário.5 . se dá no fato de que..deve-se informar a quantidade de casas decimais. para impressão de relatórios na moeda 2. MV_CENT5 . A vantagem da utilização deste parâmetro. Ex. A desvantagem está no fato de que.deve-se informar no campo conteúdo a data de limite inicial para digitação de lançamentos.deve-se informar se os lançamentos automáticos gerados pelo sistema serão online ou gravados no diretório cprova para uma posterior contabilização.5 . MV_DATAATE . MV_CENT3 . centro de custo 1. Seguem abaixo alguns dos parâmetros utilizados na Contabilidade: MV_ATUSI2 . o campo1111 conteúdo deve ficar com o seguinte número = 113.deve-se informar no campo conteúdo a data de limite máximo para digitação de lançamentos. MV_CENT2 . a máscara seria definida como 11123. preenchendo automaticamente com a conta para o cálculo da variação. o mês em que se encerra o exercício contábil para as moedas de um a cinco respectivamente. esta terá que ser apagada manualmente. Muitas vezes as empresas multi-nacionais possuem dias e moedas de fechamento mensal distinto da legislação brasileira. ao incluir uma conta nova no Plano de Contas. o dia “31”.deve-se informar o ano do exercício contábil em aberto para as moedas de um a cinco respectivamente.

a própria empresa poderá utilizar um código que ela venha a definir. MV_SOMA .símbolo utilizado para a moeda 2.indica se os lançamentos com partida dobrada devem ser somados uma(1) ou duas(2) vezes para o total de lote. ou pela estruturação de níveis das contas ou pela utilização do campo “Conta Sup” no cadastro da Conta em conjunto com o Parâmetro MV_CTASUP.sempre envia lançamento para arquivo de Pré-Lançamento. basta informar o código reduzido.número máximo de linhas de lançamento para um documento.nunca envia para arquivo de pré lançamento. Para facilitar o manuseio. Pode ser tipo: N.símbolo utilizado para a moeda 5. MV_MOEDA5 . MV_SIMB1 .6. A validação do DAC do código reduzido só é valido para aqueles criados pelo sistema. MV_MOEDA4 . Exemplo ufir. Todas as contas do seu Plano de Contas podem ser classificadas como Analíticas ou Sintéticas. Na criação da conta o sistema informa automaticamente o código reduzido. D – só envia para Pré-Lançamento quando o documento está inconsistente. Exemplo marco alemão. Exemplo: UFIR MV_SIMB4 .Indica se.número da moeda utilizada pela empresa matriz. agrupamento e identificação das contas no dia-a-dia é sugerido a seguinte codificação para o primeiro algarismo de uma Conta: 1 2 3 4 5.título para a moeda 4. Exemplo: IENE MV_NUMLIN . para permitir uma boa análise. S . MV_REDUZID . Exemplo dólar. Plano de Contas É uma relação de todas as contas previstas pelo setor contábil da empresa como necessárias aos registros contábeis.Contabilidade MV_MOEDMAT .título para a moeda 5.8.título para a moeda 1. Em afirmativo (“S”). Para o segundo conceito é necessário que o usuário tome muito cuidado no preenchimento das contas superiores visto que se o Siga não encontrar a conta ele travará no momento da geração dos lançamentos Off-Line e na rotina de Atualização das Sintéticas. Exemplo: R$ MV_SIMB2 . É necessário que as contas sejam bem detalhadas. porem.símbolo utilizado para a moeda 4.título para a moeda 3. O Siga permite a atualização dos saldos das contas sintéticas de duas maneiras. na digitação dos Lançamentos Contábeis. será utilizado o Código Reduzido da Conta. Sendo que as Contas Sintéticas são consideradas totalizadoras de um grupo de contas Analíticas e portanto não recebem lançamentos contábeis. Exemplo Iene. MV_MOEDA1 . Exemplo: DM MV_SIMB5 .título para a moeda 2. Deduções e Apuração de Resultados Página 5 de 19 . Exemplo: US$ MV_SIMB3 . MV_MOEDA2 .7. e não tão sintéticas a ponto de impedir que se saiba a origem de seus valores.9 Contas do Ativo Contas do Passivo Contas de Despesas Contas de Receitas Contas de Custo.símbolo utilizado para a moeda 3.símbolo utilizado para a moeda 1. já que o sistema não faz nenhuma validação do campo. MV_MOEDA3 . REAL. MV_PRELAN – indica se haverá ou não pré lançamento. durante a digitação dos Lançamentos.

No final desses períodos. Centro de Custo Contábil – O código do centro de custo faz parte do número da conta (SI1/SI3) e esta se repete para todos os centros de custo que eu tenha. Uma saída para este problema é alertar com antecedência ao gerente do projeto. é possível cadastrar o início e fim dos períodos contábeis de acordo com as necessidades do cliente. Este fato complica a digitação dos saldos iniciais da contabilidade. No módulo "Configurador”. pode-se cadastrar todos os movimentos de débito e crédito. O passo seguinte é executar no menu Miscelânia a opção “Saldos de Abertura” para que o sistema gere os saldos iniciais das contas sintéticas.Contabilidade Dificilmente as empresas fogem a esta regra. do Documento + Linhas do Documento Página 6 de 19 . O Siga trabalha com Centro de Custo Contábil ou Extra-Contábil. Exercício social ou contábil: Períodos de igual duração em que a empresa opera e apure seus resultados (geralmente tem duração de um ano). Centro de Custo Extra-Contábil – O código do centro de custo está cadastrado somente no (SI3) e as contas no SI1 serão mais enxutas. Um lançamento contábil é identificado no Siga pelo seu número que é composto da seguinte forma: Lote + No. Deve-se utilizar esta opção após a configuração atenciosa dos parâmetros disponibilizados na mesma. Nos casos onde o usuário não utilizava valores em outras moedas. o mesmo pode utilizar a opção “Conversão de Saldos”. O Siga permite que o cliente trabalhe sempre com 17 meses em aberto. ou seja os 12 meses padrões do exercício contábil mais 5 meses de defazagem. é comum encontrarmos empresas com mais de 3 meses de atraso nas suas apurações. Saldos Iniciais A implantação dos saldos iniciais é feita através da opção “Saldos Reais” onde o usuário pode implantar o saldo das Contas Contábeis analíticas. Lançamentos Contábeis: Através da opção Lançamentos Contábeis. ao contador e ao seu coordenador da necessidade de se providenciar estes valores mesmo antes de se começar a implantar o módulo contábil. as empresas apuram os seus resultados e elaboram as demonstrações contábeis. O próprio sistema se encarregará de realizar as amarrações necessárias. Uma empresa pode estar trabalhando com grandes atrasos e não faz idéia de que valor atribuir aos saldos iniciais. na opção “Tabela Período Cont” do menu “Ambiente”. Isto ocorre porque dificilmente as empresas trabalham com a contabilidade em dia. Ao iniciar a utilização do módulo a empresa precisa informar qual o saldo inicial das contas para que o Siga assuma o controle dos lançamentos com base nestes valores. Outra opção é iniciar a utilização do módulo atribuindo posteriormente os valores iniciais e reprocessando a contabilidade para apuração do valor atual das contas contábeis. além de lançamentos padronizados e rateios. onde os Saldos em Reais são convertidos para as moedas nas quais se deseja começar a trabalhar.

Número do Título. Desta forma podemos ter 9. 09 do Configurador no padrão o Siga sugere: Alguns clientes preferem configurar essa tabela de acordo com a numeração em uso na empresa..999 documentos onde cada documento pode conter até 99 linhas. No.999 lotes com 999. do Documento: Pode ser o Número da Nota Fiscal. Página 7 de 19 . Número do Cheque..Contabilidade Onde: Lote: Composto por 4 posições é definido através da tabela No.

É necessário que seja objetivo e contenha as informações básicas. Para completar o Lançamento Contábil o usuário precisa informar quais as contas contábeis a Débito ou a Crédito (ambas para os casos de partida dobrada). análise e críticas. 1. ‘-‘ O hífen é usado na continuação do Histórico.. nomes ou números de documentos (ex: Pgto Ref NF @6). Para atender esta necessidade é que existe o lançamento tipo “-“. fornecedor. ‘X’ Partida Dobrada (débito e crédito no mesmo lançamento). Duas maneiras possíveis de se validar os lançamentos padronizados. Os históricos padronizados são utilizados também nos rateios off-line e na integração com a folha de pagamento. ‘C’ Crédito. Onde o usuário define o texto padrão e pode reservar espaços para preenchimento de datas. tais como: número do documento. Histórico do Lançamento: Utilizado para identificar o lançamento dentro do razão ou qualquer outro relatório da contabilidade. cliente. vencimento. Agrupamento Contábil 2. • Agrupamento ou Mapeamento Contábil • Definição quanto a opção de lançamentos On-Line e Off-Line • Programação dos Lançamentos Padronizados • Validação inicial Microsiga • Validação usuário • Relatórios Gerenciais para conferência dos dados gerados • Ajustes necessários • Documentação final da implantação Contábil É importante ressaltar que para realizar um trabalho com todos os itens acima é necessário mensurar bem o tempo que foi delegado pelo coordenador antes de começar e procurar verificar a Página 8 de 19 .. ‘R’ Rateio (onde é necessário cadastrar o rateio.Contabilidade Tipos de Lançamentos: ‘D’ Débito. o valor do lançamento e em qual Centro de Custo deseja-se apropriar a despesa.. Não é possível aumentar este campo. Existem lançamentos que são realizados mensalmente e que portanto podem utilizar o conceito de históricos padrões. na opção “Rateios On Line”). ‘S’ Lançamento Padrão (também é necessário cadastrá-lo. Lançamento Padronizado É utilizado para gerar os lançamentos que se repetem mensalmente na contabilidade ou para a integração com os demais módulos do Siga Advanced. Mapeamento Contábil Para estes dois métodos temos um conjunto de passos a seguir para ter uma contabilidade confiável rodando no cliente: • Levantamento das informações contábeis com documentação. os Lançamentos Padronizados são na grande maioria programados pela equipe de suporte Microsiga. para não desposicionar os relatórios padrões do Siga que são de extrema importância.

etc. Segue abaixo alguns eventos que podem ser contabilizados em alguns documentos básicos. Nota Fiscal de Entrada: Matéria-Prima: Crédito conta de fornecedores pelo valor total Débito conta de estoque pelo valor do custo Débito conta de ICMS a recuperar pelo valor do ICMS Débito conta de IPI a recuperar pelo valor do IPI Material de Consumo: Crédito conta de fornecedores pelo valor total Débito conta de estoque pelo valor total Verificar outros tipos de notas de entrada. O administrador do sistema deve ser muito bem orientado quanto ao uso do campo para que possa fazer as manutenções quando necessário. Agrupamento Contábil: Para os módulos de Faturamento e Compras é bastante comum nos basearmos no TES para definirmos quais as contabilizações devem ser geradas a cada emissão de Nota Fiscal. No Lançamento Padronizado pode ser feita referência a um ou mais grupos ao invés de ficar chamando TES por TES. O ideal seria que em todos os projetos houvesse a possibilidade de se passar por todos os itens. A documentação na Contabilidade é a única ferramenta que prova que foi realmente programado e validado os lançamentos solicitados. Mapeamento Contábil: Consiste em pegarmos uma nota fiscal de entrada ou saída ou mesmo um documento do Financeiro e colocarmos em um mapa quais os eventos que podem ser contabilizados naquele documento. Este mesmo conceito pode ser utilizado no Financeiro agrupando-se as naturezas financeiras. É importante que este campo criado no cadastro do TES seja de nível distinto do usuário para que ele não mude o conteúdo do campo. se você perceber que o profissional que está definindo é “indeciso” é melhor optar pelo outro método. Após sabermos o que se contabiliza podemos definir quais as formas que a empresa contabiliza cada evento e definirmos para cada TES qual a forma utilizada em cada evento.Contabilidade complexidade da contabilidade da empresa. É necessária para voltar a contabilidade para seu ponto de origem e em geral serve também como instrumento de consulta do cliente. Afim de minimizar o número de lançamentos. importação. como beneficiamento. A vantagem deste método é a visualização fácil de toda contabilidade e a autonomia que a empresa ganha na criação de novos TES ou Naturezas. Nota Fiscal de Saída: Venda de Produtos: Débito conta de clientes pelo valor total Crédito conta de estoque pelo valor do Custo Crédito conta de ICMS Crédito conta de IPI Página 9 de 19 . Este método deve ser aplicado sempre com um Contador(a) experiente e que saiba o que está fazendo. Afim de evitar lançamentos que não fecham (débito e crédito não batem) procure sempre utilizar partidas dobradas. Porém após o preenchimento dos documentos (TES a TES) percebemos que alguns TES embora sejam utilizados para fins distintos utilizam basicamente a mesma regra contábil. consignação. foi criado um campo chamado “Grupo Contábil” que irá identificar quais os TES que participam daquele Grupo.

multas e correções Crédito conta descontos concedidos Para definir em que momento contabilizar o pagamento utilize o parâmetro MV_CTBAIXA. onde “B” indica que será na baixa do título. A sugestão é de que não se contabilize estes impostos por nota e sim no final do período quando o valor total já foi apurado pelo Fiscal. Baixas a Receber: Débito conta bancos pelo valor total Crédito conta clientes pelo valor do título Crédito conta juros. Venda de Serviços: Débito conta de clientes pelo valor total Crédito receita de vendas pelo custo Crédito valor dos impostos respectivas contas (Ex: ISS) Contabilização do Financeiro: Baixas a Pagar: Crédito conta bancos pelo valor total Geração de Chq: Débito conta fornecedores pelo valor do título Débito conta juros. desta forma basta o contador fazer o lançamento do valor apurado manualmente. multas e correções Débito conta descontos obtidos Página 10 de 19 .Contabilidade Alguns clientes preferem contabilizar PIS e COFINS nota por nota. “C” na geração do cheque e “A” em ambos.

NO PAIS GERAL 2010301006 . LP TP CONTA DÉBITO CONTA CRÉDITO NOME DO CLIENTE *** MAPA DE CONTABILIZAÇÕES DE COMPRAS 1 2 3 4 FORNEC 5 6 7 8 9 10 1 2 3 4 ICMS 5 6 7 8 9 10 11 12 1 2 IPI 3 4 5 6 7 X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X SD1->D1_CONTA – INFORMADA USUÁRIO 2010101002 .ICMS A REC 2010301016 .IPI A REC 2010301017 . NO PAIS 2010101002 .65% VL MERC .ICMS S/ REVENDA 3020203001 – FRETE VENDAS SB1->B1_CONTA – CONTA PRODUTO SB1->B1_CONTA – CONTA PRODUTO ** CONTA RELACIONADA TES SB1->B1_CONTA .ICMS A RECUPERAR SB1->B1_CONTA – CONTA PRODUTO 1010503002 – MERC P/ REVENDA 4010202001 .IPI A RECOLHER 2010301017 .CONTA PRODUTO ** CONTA RELACION TES 1010503002 – MERC P/ REVENDA 4010204004 .ICMS A REC 2010301016 .IPI A REC 1010228008 .FORN. CLIENTES 3020401001 .A MOVIM.IPI A REC 2010301017 .PIS REVENDA 4010202003 .IPI 3% S/ VL MERC .ICMS A REC 2010301018 .TRANSFERENCIA 1010503002 – MERCADORIA P/ REVENDA 1010507003 .CONTA PRODUTO 3040101010 – RECUPERACAO DESPESAS VALOR DO ICMS INSS 1 X 3010102001 – INSS 2010203001 .CLIENTES 2010101002 .Contabilidade Exemplo de Mapeamento Contábil: MICROSIGA SOFTWARE S.ICMS A REC 2010301017 .IPI 0.FORN.IPI 3% S/ VL MERC . NO PAIS 2010101002 .IPI A REC 2010301017 .ICMS A REC SUBST TRIBUT 2010301016 .ICMS A REC 2010301016 .PIS A RECOLHER 2010301005 – COFINS A RECOLHER 0.ICMS A REC 2010301016 . NO PAIS 1010211001 .TRANSFERENCIA SB1->B1_CONTA – CONTA DO PRODUTO 1010201001 .PIS A RECOLHER 2010301005 – COFINS A RECOLHER 2010301004 .FORN.FORN.IPI A REC 2010301002 .ICMS A REC 2010301016 .FORN.ICMS A REC 2010301016 .IPI A RECUPERAR SB1->B1_CONTA .IPI S/ DEV VENDAS 3040101010 – RECUP DESPESA 1010228009 .VL ICMS VL MERC .ENERGIA ELÉTRICA ** CONTA RELACION TES 2010301016 – ICMS A REC GENY GUSMÃO SD1->D1_CONTA . NO PAIS VALOR LCTO GRUPOS VL MERC + VL IPI VL MERC + VL IPI VL MERC + VL IPI VL MERC + VL IPI VL MERC .IPI A REC 2010301017 .USUÁRIO 2010301016 .IPI 640/08 640/09 640/08 640/09 04 04 07/08 07/08 IRRF 1 X 2010101002 .COFINS REVENDA 2010301004 .CLIENTES 4010204003 REVENDA 3020203001 – FRETE VENDAS SB1->B1_CONTA – CONTA PRODUTO 2010301016 – ICMS A REC 2010301016 – ICMS A REC 1010201001 .INSS A RECOLHER VALOR DO INSS 660/02 29 1 PIS COFINS 2 3 4 X X X X SB1->B1_CONTA – CONTA PRODUTO SB1->B1_CONTA – CONTA PRODUTO 4010202002 .65% VL MERC .DEVOL. NO PAIS ** CONTA RELACIONADA TES 1010503002 – MERCADORIA P/ REVENDA SB1->B1_CONTA – CONTA DO PRODUTO 2010101002 .VL ICMS VL MERC + VL IPI VL MERC + VL IPI VL MERC + VL IPI VL MERC + VL IPI VALOR ICMS VALOR DO ICMS VALOR DO ICMS VALOR DO ICMS VALOR DO ICMS VALOR DO ICMS VALOR DO ICMS VALOR DO ICMS ICMS SUBST TRIB VALOR DO ICMS VALOR DO ICMS VALOR DO IPI VALOR DO IPI VALOR DO IPI VALOR DO IPI VALOR DO IPI VALOR DO IPI VALOR DO IPI 650/01 650/02 650/03 650/04 650/05 650/06 640/01 640/04 650/09 650/10 650/15 650/16 650/17 650/18 650/19 650/20 640/05 650/22 650/23 640/03 640/02 640/11 650/27 640/10 650/29 640/06 650/31 650/32 640/07 10/16/23/29 09/22 02 1/11 19/5 06 07/04 08 12/18 21 09 22 16/20/23 05/06/28 01/21/27 02 08 18 26 04 04/07 03 01//21/19/27 03 02 08 26 28 04/07 SB1->B1_CONTA – CONTA DO PRODUTO 1010507003 .FORN.IRRF A RECOLHER VALOR DO IRRF 660/03 29 Lançamentos On-Line e Off-Line: Página 11 de 19 .

Contas a Pagar E2_LA SE5 . Mesmo com todos estes fatores. implica em degradação do sistema.Movimentação Interna D3_DTLANC Rateios On-Line: é utilizado para cadastrar rateios que ocorrem com frequência e que se baseiam em percentuais para fazer a distribuição de um valor em várias contas contábeis. De qualquer forma é necessário que o cliente e a equipe Microsiga entre em acordo com qual Existem alguns casos nas fases de validações que precisamos estornar a contabilização gerada para que passe a valer as correções feitas nos lançamentos padronizados.Cabeçalho Nota Fiscal Saída F2_DTLANC SD3 .Contabilidade O Siga Advanced permite que o cliente gere seus lançamentos no mesmo momento em que as informações foram digitadas (On-Line) e que os lançamentos sejam acumulados em um arquivos (diretório CPROVA) para em algum momento serem transportados para contabilidade via rotina de contabilização Off-Line contida nos módulos que geraram a informação. Página 12 de 19 . Quando rodamos a contabilização (On-line ou Off-Line) o sistema marca os registros lidos com flags para indicar que tal registro já foi contabilizado. aumenta a base de dados do SI2 e é necessário elaborar todos os lançamento de estorno (aumentando assim a manutenção no SI5). marcando-o então com o flag.Contas a Receber E1_LA SE2 . Os campos marcados são: SE1 .Movimentação Bancária E5_LA SF1 . será necessário também estornar os campos de flags nos arquivos que originaram os lançamentos. e assim a contabilização gerada será mais fácil de corrigir ou de definir lançamentos específicos e que com o tempo o usuário torna-se um classificador contábil que entende o papel da contabilidade dentro de um sistema integrado. Trabalhar On Line pode gerar muitos estornos. se o sistema leu este registro irá considerá-lo contabilizado. Para tanto não basta apenas apagar os lotes do SI2 e reprocessar.Cabeçalho Nota Fiscal Entrada F1_DTLANC SF2 . Independendo se algum fator impossibilitou sua real contabilização. alguns clientes justificam que trabalhando On Line o usuário estará verificando cada documento digitado.

Contabilidade Os rateios são utilizados com frequência para contas de luz. relatórios de despesas entre outros. Página 13 de 19 . Para acessar o rateio definido basta no lançamento contábil utilizar o tipo “R”. telefone. como demonstrado na figura abaixo. Esta conta é paga com cheque do banco Itaú (ex: conta 1110203). água. Exemplo: uma empresa recebe uma conta de luz. movimento mensal ou indireto. o CPD (ex: conta 393002) 35% e o depto. onde a despesa deve ser rateada entre os seus centros de custo. de Administração (ex: conta 393001) gasta 35% do total da conta. Rateios Off-Line: permite ao usuário ratear valores por saldo na conta contábil. O depto. de Vendas (ex: conta 393003) 30%. escolher quais dos rateios cadastrados se deseja utilizar e qual o valor total a ratear.

só que ao invés de ler os valores do movimento. Como por exemplo. bem como o percentual que cada uma receberá (utilize a opção rateios Off-Line do menu de Miscelânia). ratear o saldo do centro de custo de almoxarifado nos centros de custo de desenvolvimento e produção. Página 14 de 19 . enquanto no Off-Line os valores de movimento do mês podem ser rateados automaticamente. para efeito de cálculo de custo. como demonstrado na figura abaixo. Para isso basta informar a conta de origem e as contas para as quais devem ser rateados os valores. o sistema lê os valores de saldos das contas. A origem é de onde vem o valor a ser rateado. Depois devem ser cadastradas as contas a serem debitadas. A opção de se ratear valores de uma conta por saldo funciona da mesma maneira. No rateio On-Line para cada lançamento você teria que definir o rateio. A opção de se ratear valores indireto serve para que possa ratear os saldos dos centros de custo improdutivos nos produtivos. No crédito deve ser cadastrada a conta a ser creditada no rateio.Contabilidade Suponha que no final do mês você tenha que ratear os valores de movimento do mês de uma determinada conta em outras contas. os centros de custos e percentual para cada conta.

Invertido” que além de gerar os códigos invertidos do número da conta. pois isso tomaria grandes períodos de tempo. Até Filial) para que a rotina gere o recálculo corretamente. O importante é que este arquivo texto deve obedecer o padrão do arquivo de lançamentos (SI2). Contabilização TXT: Permite ao usuário efetuar a importação de um arquivo de lançamentos contábeis em formato texto gerado por um outro aplicativo e integrá-los à contabilidade. No menu Miscelânea. Página 15 de 19 . O parâmetro MV_SIN9901. visto que a rotina de atualização começa do nível mais baixo das contas analíticas até chegar ao saldo da sintética. Data Final. dos planos de contas em outras moedas. Caso algum centro de custo não seja encontrado. caso haja algum problema durante a geração dos lançamentos contábeis ou impressão dos relatórios gerenciais. dos lote. também preenche o campo de conta superior. a partir do movimento contábil de um determinado mês. há a rotina “Gera Cód. Da Filial.Contabilidade Atualização de Sintéticas: A opção de atualização das contas sintéticas no menu Miscelânea. mas se alguma conta não for encontrada é gerado um relatório de erro e interrompido o reprocessamento. O reprocessamento zera e atualiza os saldos das contas do período. deve ser processada sempre que for necessário emitir algum relatório que utilize os saldos contábeis. É importante o preenchimento dos parâmetros (Data Inicial. O usuário poderá identificar o período desejado e se deseja rodar a atualização das sintéticas no final do reprocessamento. As contas sintéticas não são atualizadas pela simples movimentação das contas analíticas. indica com o conteúdo ‘S’im e ‘N’ão quais os períodos contábeis que tiveram suas contas sintéticas atualizadas. caso este tenha sido apagado. ele é novamente gerado. dos centros de custo. Reprocessamento: Deve ser utilizado para o recalculo dos saldos das contas analíticas (em todas as moedas).

possibilitando assim que o usuário tenha um período para encerramento do exercício anterior. a mesma deve ser configurada no módulo Configurador. Quando o usuário executar algum movimento que gere lançamentos contábeis.LAN). pois. Após serem integrados o Siga renomeia estes arquivos para *. O sistema oferece a possibilidade de se trabalhar cinco meses em um novo exercício. este vai ser gravado no diretório CPROVA (*. na contabilidade. Caso for o final do exercício o sistema efetuará também a limpeza das contas de receita e despesa. O usuário irá utilizar a conta resultados.#LA. Inter Companhy: Permite que um lançamento gerado em uma determinada empresa do grupo seja automaticamente transferido para outra filial/empresa.14. quando executamos esta opção o sistema limpa toda a movimentação do exercício e atualiza os dados dos meses 13. qual o intervalo de contas a ser considerado. Através dos parâmetros desta opção é possível o usuário definir se ele quer apenas um relatório para ir conferindo os lançamentos ou se deseja realmente efetivar os dados na contabilidade. Antes de acessar a opção de encerramento de saldos o usuário deve efetuar uma cópia de segurança. e na apuração mensal o sistema não zera as contas. Página 16 de 19 . quando desejar efetuar apuração Anual e a conta ponte quando gerar a apuração mensal. moedas e critérios de conversão que serão utilizados para os lançamentos inter Companhy. Deverá ser utilizada somente após a emissão de todos os relatórios legais referente ao exercício encerrado. filiais. Quando optamos pela apuração anual o sistema gera lançamentos para zerar as contas selecionads anteriormente.Contabilidade Contabilização CPROVA: Deve ser utilizada por usuários que processam a geração dos lançamentos nos demais módulos de forma Off-Line. um número de lote para a criação de lançamentos.15. Apuração de Lucros e Perdas: Permite ao usuário apurar o lucro ou prejuízo. Para que esta opção funcione. mensal ou no fim do exercício. um histórico padrão previamente cadastrado. O usuário deverá informar a data de referência ou até que dia deseja que o sistema considere para apuração.16 e 17 com base nas informações passadas no Parâmetro. Encerramento de Saldos: Utilizada para mover os saldos finais do exercício para os saldos iniciais do próximo exercício. Logo após o usuário deve informar em qual moeda deseja executar a apuração. e posteriormente podem ser integrados. por essa opção. contas contábeis. onde serão necessários os números das empresas.

Cadastrar Planos de Contas. o que ele já faz manualmente em outros sistemas passa a fazer no Siga para ir se acostumando até que os demais módulos estejam implantados e os Página 17 de 19 . Cadastrar Saldos Moedas.Contabilidade DICAS  Sugestão de Implantação 1. preencha os campos: "Código" e "Descrição". 5. ou seja. Centros de Custos e Históricos Padrões). A condição normal das contas é informada dentro do cadastro das contas contábeis no campo “Cond Normal”. 6. Em geral esta situação ocorre quando muda-se o profissional que está realizando as definições por parte da empresa. Atualizar as taxas das Moedas. Para quem utiliza Centro de Custo Extra Contábil. da Conta". deve-se atentar para a condição das contas e seus saldos. Cadastrar Lançamentos Padrão. e acredite isto é mais comum do que imaginamos. Cadastrar Saldos na Moeda 1. pois as contas são a base dos lançamentos padronizados e se as alterações forem drásticas pode perder-se parte ou todo o trabalho em andamento. Tabela de Condição Normal Cond. 4. isto em clientes que já utilizam a Contabilidade sem nenhuma integração com outros módulos. 9. por exemplo uma conta com condição normal Débito encerrou exercício com saldo Credor.  Ao implantar os saldos das contas. 8. Cadastrar Rateios.  Deve-se ter muito cuidado quando o cliente resolve mudar o Plano de Contas no meio do processo de implantação do módulo. 7. Gerar Saldos de Abertura. Cadastrar Históricos. 3. preencha os campos "Código" e "Descrição" e demais campos são gerados automaticamente. Cadastrar Centros de Custos. o mesmo deve ser negativo. Para quem utiliza Centro de Custo Contábil. "Nível" e "Estado". Preencha com atenção os campos: "Num. Criação de Contas (para Centro de Custo Contábil). ao implantar o seu saldo inicial. 10. 2. Normal D D C C Saldo D C C D Valor + + -  O módulo contábil sem a programação dos Lançamentos Padronizados pode ser implantado assim que os cadastros básicos tenham sido definidos (Plano de Contas.

Lembre-se que a opção de reprocessamento pode levar horas (dependendo do tamanho da base do cliente). . se for usada moeda estrangeira.Conta Resultado: Conta que será descarregado o resultado do exercício. rotina de Transporta Saldo LP.No.histórico que identifique a apuração. .Conta Inicial: 1ª conta de receita . onde será atualizado o saldo das contas.Hist.Conta Ponte: Só informada quando o processamento é mensal.Transporta Saldos: Esta pergunta é utilizada quando não se quer atualizar o saldo das contas analíticas.Padrão: Cód. . . Página 18 de 19 . visto que degradam muito a execução da contabilização. Se informado “S”.Conta Final: última conta de despesa . informado como “N”. Existem vários fatores que podem gerar estas diferenças que em geral deixam clientes e analistas em sérios apuros.  Um dos problemas comuns que encontramos no Reprocessamento é quando todos os lotes estão batidos e conferidos através do relatório de Lotes em Reais e ainda assim constam diferenças entre o débito e o crédito no balancete. Para isto será necessário informar o saldo inicial das contas e começar a fazer os lançamentos manuais. .  Passos para o encerramento da Contabilidade anual.Apura na Moeda (1/2/3/4/5): Qual moeda será processada. Ao solicitar os parâmetros do Lucros/Perdas. Uma alternativa viável é a criação de gatilhos na hora da digitação do documento que grave a conta contábil em campos específicos para onde o lançamento padrão deverá apontar. atentar para os parâmetros: .Balancete. . Comece reprocessando e emitindo novo balancete. informando conta de resultado.Data Referência: Data do último dia do período que está sendo processado . .Contabilidade Lançamentos Padronizados estejam programados e validados.Processar lucros e perdas. Lote: Lote a ser gerado em Lançamentos Contábeis .Correção monetária. Diário. . portanto deve-se ter achado o problema ou corrigido algum ponto antes de iniciar o reprocessamento.Emitir relatórios .Atualizar Sintéticas.  O uso de Execblock’s dentro dos lançamentos padronizados devem ser evitados.Backup dos arquivos. deve-se verificar se não há contas contábeis com contas superiores em branco ou inexistentes.Cód. Caso isto não solucione seu problema verifique se não foram criadas novas verbas na folha ou novos centros de custos que não foram contabilizados através de lançamentos padrões. sendo necessário rodar posteriormente. o sistema gerará um Lote em Lançamentos Contábeis. Se o uso do execblock for inevitável devem ser elaborados tomando-se o cuidado de voltar a posição original dos arquivos envolvidos para não ocorrerem não-conformidades no futuro. Verifique também se não há contas analíticas em nível errado ou com conta superior errada. Razão.Mensal/Anual/Trimestral: Qual tipo de apuração. etc.  Nos casos onde a rotina de Atualização Sintética travar. . . atualizando normalmente o saldo das contas.

Importante: Não esquecer de fazer backup “SEMPRE” antes de rodar Encerramento de Saldos. um dia anterior ao último que foi rodado. -Atualizar Sintéticas. Diário e Balanço.3.Contabilidade Caso haja necessidade de rodar novamente Lucros/Perdas. -Backup dos arquivos -Emitir Balancete. Voltar o conteúdo dos parâmetros MV_DTLP1. Página 19 de 19 . Após rodar esta rotina o Sistema irá transferir o Saldo do Final do Exercício para o Início do próximo. basta excluir o lote correspondente (informado em um dos parâmetros acima).2. Irá também atualizar os parâmetros que controlam o exercício corrente. -Rodar a Opção de Encerramento de Saldos. reprocessar e apurar Lucros/Perdas novamente.4 e 5 para pelo menos. Razão.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->