Espontaneidade das reações químicas, equilíbrio, energia livre de Gibbs e potencial químico

56

▍Energia livre de Gibbs e a espontaneidade dos processos
Quando ocorre uma mudança de estado espontânea no sistema e há troca de calor entre o sistema e as vizinhanças, a desigualdade de Clausius dita:

dS −

δq ≥0 T

 Se o processo é a volume constante: dS −

dU ≥0 T

 Se o processo é a pressão constante: dS −

dH ≥0 T

As equações acima podem ser escritas das seguintes formas:

dU − T ⋅ dS ≤ 0 ⇒ para processos a volume constante

dH − T ⋅ dS ≤ 0 ⇒ para processos a pressão constante
É possível exprimi-las de modo mais simples pela introdução de duas funções termodinâmicas:

 

Energia livre de Helmholtz:

A = U − T ⋅ S (trabalho máximo)

Energia livre de Gibbs:

G = H− T⋅S

 Quando o sistema sofre uma transformação isotérmica finita:

∆A = ∆U − T ⋅ ∆S ⇒ variação da energia livre de Helmholtz (volume constante)

∆G = ∆H − T ⋅ ∆S ⇒ variação da energia livre de Gibbs (pressão constante)

Algumas observações sobre a energia livre de Gibbs

a 25oC. b) como T = 298 K . a variação de volume o o também é zero. a 25oC. quando nem o processo direto nem o inverso tem tendência de ocorrer. ♦ O critério de equilíbrio.: A energia livre de Gibbs é mais comum em química que a de Helmholtz. energia livre de Gibbs e potencial químico 57 Um sistema sofrerá uma transformação espontânea de estado a temperatura e pressão constantes se ∆GT . equilíbrio. ∆ng = 0 . p ≤ 0 . o valor de energia livre de Helmholtz é: o o o ∆A r = ∆Ur − T ⋅ ∆Sr = −2808 kJ kJ − 298 K ⋅ 182.4J ⋅ mol −1 ⋅ K −1. porque os processos são comumente conduzidos à pressão constante. G é ∆ T . p ≤0 Obs. Exemplo Quando se oxida 1 mol de glicose (C6H12O6) a dióxido de carbono e água. a pressão ol constante.4 ⋅ 10 − 3 mol mol ⋅ K o ∆A r = −2862 kJ mol . Que energia é possível aproveitar: a) Na forma de calor a pressão constante? b) Na forma de trabalho máximo (energia livre de Helmholtz. a energia aproveitável na forma de calor é 2808 kJ ⋅ m − 1 . de acordo com a equação: C 6H12 O 6 (s) + 6O 2 ( g) → 6CO 2 (g) + 6H2O(l) .Espontaneidade das reações químicas. ∆ A)? Solução: a) como a variação do número de moles da fase gasosa é zero. Portanto. Assim. ♦ a transformação é espontânea se corresponder a uma diminuição na energia de Gibbs. o o As medidas calorimétricas tabeladas são ∆Ur = −2808 kJ ⋅ mol −1 e ∆Sr = +182. tem-se que ∆Hr = ∆Ur = −2808 kJ ⋅ mol −1 .

energia livre de Gibbs e potencial químico 58 Exemplo Qual a energia disponível para sustentar a atividade muscular e nervosa na combustão de 1 mol de moléculas de glicose (C6H12O6) nas condições normais. resulta na energia livre de Gibbs da reação (∆ Gr0). 37oC (temperatura do sangue)? C 6H12 O 6 (s) + 6O 2 ( g) → 6CO 2 (g) + 6H2O(l) . de acordo com a fórmula: o o o ∆Gr = ∆Hr − T∆Sr 2) A partir da energia livre padrão de formação dos participantes da reação: A combinação das energias livres padrões de formação dos reagentes e produtos envolvidos em um processo.Espontaneidade das reações químicas. T.4 ⋅ 10 − 3 mol mol ⋅ K o ∆Gr = −2865 kJ mol Então. Solução: o A entalpia padrão de reação é. a partir da seguinte fórmula: ∆ r = Go Pr odutos ∑ν∆Go − f Re agentes ∑ν∆Go f . permite calcular a energia livre padrão da reação. ∆Hr = −2808 kJ ⋅ mol −1. ▌Energia livre de Gibbs molar padrão de reação 1) A partir da variação de entalpia e da variação de entropia padrão de uma reação: A combinação da variação de entalpia padrão (∆ Hr0) e da variação de entropia padrão (∆ Sr0) em uma dada temperatura. a combustão de 1 mol de glicose pode proporcionar até 2865kJ de trabalho diferente do de expansão (lembrando que ∆ng = 0 ). equilíbrio. e a energia livre padrão de Gibbs da reação é o o o ∆Gr = ∆Hr − T ⋅ ∆Sr = −2808 kJ kJ − 310K ⋅ 182.

(b) A reação é espontânea? (c) Calcule a variação total de entropia do sistema e da vizinhança 2 – A variação de energia livre de Gibbs devido a oxidação de C 6H12O6(s). 1 – Numa determinada reação biológica. (a) Calcule a variação de energia livre de Gibbs.2 kJ mol Lista – Cálculos envolvendo a energia livre de Gibbs Atkins Físico .21. é -2828 kJ/mol.Química Fundamentos – volume único. que ocorre no seu corpo a 37 0C.2 + 1 (0)] 2 o ∆Gr = −257 .4 − [ −137 . C6H6(l) Dióxido de carbono.Espontaneidade das reações químicas.22. g)] f 2 o ∆Gr = −394 .1 0 +2. a variação de entalpia padrão é de -125 kJ/mol e a variação de entropia é de -126 J/mol. g) + f f 1 ∆Go (O 2 . H2O(l) Oxigênio. energia livre de Gibbs e potencial químico 59 A tabela abaixo mostra as energias livres de Gibbs padrões de formação a 298K para algumas substâncias: Espécies Benzeno.23. 4. equilíbrio. O2(g) Diamante.Págs 81. Quanta glicose uma pessoa de 65 kg precisa consumir para subir a uma altura de 10 m? . C(s) ∆G o [kJ / mol ] f +124. 82: Exercícios 4. formando dióxido de carbono e água.3 -394.2 -237. 4. C(s) Grafite. 3a edição Capítulo 4 . CO(g) + 1 / 2O 2 (g) → CO 2 (g) o ∆Gr = ∆Go (CO 2 . CO2(g) Monóxido de carbono.K. a 25 0C.9 0 Exemplo Calcular a Energia de Gibbs padrão da reação abaixo a 25oC.4 -137. g) − [ ∆Go (CO. CO(g) Água.

nas condições típicas de uma célula. a partir de glutamato e íons amônio. 2 (c) +0. (b) 0.46 mol de ATP . equilíbrio. ∆ G é negativa. pode a hidrólise do ATP fornecer a energia necessária para a formação da glutamina? (b) Quantos moles de ATP devem ser hidrolisados para formar 1 mol de glutamina? Respostas Exercício 1 Resultado (a) -86 kj/mol.K 0. (a) Dado que a variação de energia livre de Gibbs para a hidrólise do ATP corresponda a ∆ G = -31 kJ/mol. necessita de 14.41g Exercício 3 Resultado (a) Sim. energia livre de Gibbs e potencial químico 60 3 – A formação de glutamina. (b) Sim.2 kJ/mol de energia. Essa energia é fornecida pela hidrólise da ATP em ADP na presença da enzima glutamina sintetase.28 kJ/mol.Espontaneidade das reações químicas.

a temperatura e pressão constantes.  ∂G  µ=   ∂n T. simbolizado por µ (mi). o = potencial químico ou energia Equilíbrio químico e as reações químicas espontâneas A termodinâmica química é usada para prever se os reagentes de uma mistura têm a tendência espontânea para se transformarem em produtos. (Atkins. µ de Gibbs molar do gás puro a 1 bar. o conhecimento de se o equilíbrio favorece os reagentes ou os produtos. O potencial químico de uma substância “J” (µ J) mede a potencialidade de J em produzir transformações físicas e químicas. equilíbrio. Embora raramente seja permitido que as reações na indústria alcancem o equilíbrio.Espontaneidade das reações químicas. 2003) Princípios: . é ∆ G < 0. Para uma substância pura: G = n. para o gás perfeito. na pressão p: p  G(p) = Go + nRT ln o  p    Assim. é uma boa indicação da viabilidade do processo. (Atkins. Gm ∴  ∂nGm  µ=  = Gm  ∂n T.p O potencial químico mostra como G de um sistema se modifica quando se junta a ele uma amostra de substância.p Por exemplo. para um gás perfeito. sob determinadas condições. 2003) O critério termodinâmico para uma transformação espontânea. energia livre de Gibbs e potencial químico 61 ▍ O potencial químico de uma substância pura (µ ) A energia livre de Gibbs parcial molar é tão importante em química que a ela foi dado o nome especial de potencial químico. uma mistura reacional tende a ajustar a sua composição até que sua energia livre de Gibbs seja um mínimo. para prever a composição da mistura reacional no equilíbrio e para prever como a composição no equilíbrio será modificada ao se alterarem as condições do sistema. o potencial químico é dado por: p  µ = µo + RT ln o  p    A notação “o” significa estado padrão: po = 1 bar. Logo. Assim.

equilíbrio. temos: 1) Gases: suas atividades são substituídas por suas pressões parciais. as atividades de reagentes e produtos no momento em que o equilíbrio é alcançado pelo sistema. c d c d  aC ⋅ aD   aC ⋅ a D  Q= a b ⇒ K = a b   a ⋅a   a ⋅a   A B  A B  equilíbrio Q ⇒ Relação entre as atividades de produtos e reagentes fora do equilíbrio. devido às variáveis envolvidas (temperatura. 2) Soluções: suas atividades são substituídas por suas concentrações molares. Constante de equilíbrio – K Quando a reação alcança o equilíbrio. assim. Assim. etc). A constante de equilíbrio nada mais é que o quociente reacional (Q) quando o equilíbrio é atingido. Pode-se relacionar. Assim. 4) Sólidos puros: suas atividades valem 1. energia livre de Gibbs e potencial químico 62  As reações químicas avançam para um estado de equilíbrio dinâmico. normalmente considera-se o sistema com comportamento ideal e as atividades são substituídas por valores mais práticos. K ⇒ Relação entre as atividades de produtos e reagentes no equilíbrio. estado do sistema. Cálculo das constantes de equilíbrio A determinação das atividades das substâncias envolvidas em um processo é bastante trabalhosa. pois ∆ Gr = 0. Nesta situação. a composição não tem mais nenhuma tendência de mudar. A termodinâmica leva à determinação da composição da mistura reacional em equilíbrio em quaisquer condições. . composição. 3) Líquidos puros: suas atividades valem 1.Espontaneidade das reações químicas. a reação não é espontânea em nenhuma das direções.

(p o )2 3 fN 2 . NUNCA VARIA. K.Espontaneidade das reações químicas. P↑ ⇒ V↓ P↓⇒V ↑ Apesar do deslocamento do sistema que pode ocorrer com a variação da pressão.aH 2 2 fNH3 . A diminuição da pressão desloca o sistema para onde ocorre expansão (aumento do volume). Reação : N2(g) + 3H2(g) = 2NH3(g) 2 aNH3 3 aN 2 . observa-se que em sistemas gasosos a constante de equilíbrio.pH 2 K= = = Resposta do equilíbrio às condições do sistema reacional Princípio de Le Chatelier: Quando um sistema em equilíbrio sofre uma perturbação nas suas condições ele responde de modo a diminuir o efeito da perturbação. Um aumento da pressão desloca o sistema para a direção onde ocorre compressão (diminuição do volume).fH 2 2 pNH3 . 1) Resposta do equilíbrio à variação de pressão A pressão só influencia os sistemas que contêm gases e que tenham o número de moles gasosos variando entre os reagentes e produtos (∆ n(g) ≠ 0). com a pressão. energia livre de Gibbs e potencial químico 63 Exemplo Calcular a constante de equilíbrio da reação da síntese da amônia a 298K e mostrar a relação entre K e as pressões parciais no equilíbrio quando a pressão for suficientemente baixa para os gases serem tratados como perfeitos.  ∆G o −  RT = e     K ∆ Go (definida para uma pressão padrão) e K não dependem da pressão em que o equilíbrio é estabelecido. equilíbrio.(po )2 3 pN 2 .  ∂K    =0  ∂p T .

K = 6. ou seja. equilíbrio. Por exemplo. Logo a reação é deslocada no sentido de formação de A. assim.Espontaneidade das reações químicas.p = x A . d(1 T ) R ∆H 0 1 1 ( − ) R T2 T1 Onde K2 = constante de equilíbrio em uma temperatura 2 (T2) K1 = constante de equilíbrio em uma temperatura 1 (T1) ∆ H0 = variação de entalpia padrão da reação (J/mol) R = constante do gás ideal (8. a reação que ocorre com expansão: A(g) = 2B(g) gases perfeitos (p ) K= pA po 2 pB o 2 = 2 pB p A .p 2 x B . ↑ P favorece ↓ V e. Calcule o valor de K a 500K. energia livre de Gibbs e potencial químico 64 No entanto. . conseqüentemente.2 kJmol-1. Como visto.p xA As pressões parciais dos gases dependem da pressão total (P) e das frações molares (X). xA deve ↑ e xB ↓.0x105 a 298K e ∆ Ho = -92. menor volume. Reações endotérmicas ⇒ a elevação de temperatura favorece os produtos.p o = 2 2 x B .314 J/mol. d ln K ∆Ho = dT RT 2 ln K 2 − ln K1 = − ou d ln K ∆ o H =− ou. A Equação de van´t Hoff Permite determinar o valor numérico da constante de equilíbrio em diferentes temperaturas. desloca a reação para o lado que tiver o menor número de moles na fase gasosa. Para K permanecer constante quando p ↑. 2) Resposta do equilíbrio à temperatura Também devido ao princípio de Le Chatelier: Reações exotérmicas ⇒ a elevação de temperatura favorece os reagentes.K) Exemplo Para a síntese da amônia. finalmente. uma variação na pressão total desloca o equilíbrio de reações envolvendo gases. no sentido do menor número de moles e.

energia livre de Gibbs e potencial químico 65 ln K 2 = ln( 6. . 1000  1 1  .0x10 5 ) − ( −92 .  ac ⋅ ad  Q= C D  aa ⋅ ab   A B ou Q= atividade dos produtos ν = ∏ aJ J atividade dos reagentes J Atividade (definição preliminar): a atividade é uma espécie de “concentração efetiva” da substância.18 A energia livre de Gibbs e sua relação com a constante de equilíbrio (k) ∆G o = −RT ln K ∆G = ∆Go + RT ln Q Onde Energia livre de Gibbs no estado padrão Energia livre de Gibbs em um estado qualquer Q =quociente reacional (adimensional). com cada uma das espécies elevada a uma potência igual ao seu coeficiente estequiométrico na reação. Se a reação está no equilíbrio: ∆G = 0 0 = ∆G o + RT ln Q Assim: ∆G o = −RT ln K Onde K = constante de equilíbrio ∆ G versus ∆ G0 ∆ G ⇒ estado qualquer: mede a variação da energia livre de Gibbs de um estado qualquer até o estado de equilíbrio.2 kJmol 8. equilíbrio.3145 JK −1 −1 ).73 = 0. Tem a forma dos produtos divididos pelos reagentes.Espontaneidade das reações químicas. − .  = −1 73 −1 500 K 298 K   mol ∴ K 2 = e −1.

8.11. 7. a 298 K.9. 7.5 kJ/mol.3. 7. 7.7. 1.Espontaneidade das reações químicas. Qual é a energia de gibbs da reação quando as pressões parciais do N2. 7. Físico-Química – Fundamentos. equilíbrio.0 bar e 4. 7 – pág 142.0 bar.A energia de gibbs padrão de formação da amônia (NH3(g)) é de -16.0 bar. 7. 7. fazendo a aproximação de substituir as atividades pelas concentrações molares ou pelas pressões parciais para as seguintes reações: (a) G6P(aq) + H2O(l) → G(aq) + Pi(aq) (b) Glu(aq) + Ala(aq) → Gly-Ala(aq) + H2O(l) (c) Mg2+(aq) + ATP4-(aq) → MgATP2-(aq) (d) 2 CH3COCOOH(aq) + 5 O2(g) → 6 CO2(g) + 4 H2O(l) 2. 7. Estado qualquer: RT ln Q Estado padrão: ∆G ∆ o G Estado de equilíbrio: Lista – Energia livre de Gibbs e constante de equilíbrio ATKINS.1. energia livre de Gibbs e potencial químico 66 ∆ G0 ⇒ estado padrão: mede a variação da energia livre de Gibbs do estado padrão até o estado de equilíbrio.Escreva as expressões para as constantes de equilíbrio das reações seguintes: a) CO(g) + Cl2(g) → COCl(g) + Cl(g) b) 2 SO2(g) + O2(g) → 2 SO3(g) c) H2(g) + Br2(g) → 2 HBr(g) . do H2 e do NH3 (considerados como gases perfeitos) são 3. 7. 144 – Exercícios: 7. Vol único Cap.4. respectivamente? Qual é o sentido espontâneo da reação nesse caso? 3. 143.10.5.39 1 – Escreva os quocientes reacionais.

qual seria a constante de equilíbrio para a reação escrita como C → A + B? 5.5 x 10 -4 para a reação SbCl5(g) → SbCl3(g) + Cl2(g) Respostas Exercício Resultado 1 (a) Q = (b) Q = [G ][ Pi ] [G 6 P ] [Gly − Ala ] [Gly ][ Ala ] Exercício 3 Resultado (a) pCOCl x pCl pCO x pCl 2 (b) p 2 SO 3 pO 2 x p 2 SO 2 p 2 HBr pH 2 x pBr 2 (c) Q = [ Mg − ATP 2− ] [ Mg 2+ ][ ATP 4− ] (c) .224. tem uma constante de equilíbrio que é 10 vezes a constante de equilíbrio de uma segunda reação. SbCl3 e Cl2.67 kJ/mol. é K = 2.07. Calcule a constante de equilíbrio da isomerização. a 400 K.Numa mistura gasosa em equilíbrio de SbCl5.15 bar e pSbCl3 = 0.2 bar. num determinado ciclo bioquímico.A constante de equilíbrio para a isomerização do cis-2-buteno para trans-2-buteno.Se a constante de equilíbrio para a reação A + B → C é 0.Qual o valor da constante de equilíbrio para uma reação que apresenta ∆ G0 = 0? 10.A energia livre de Gibbs padrão de reação da isomerização do cis-2penteno para trans-2penteno a 400 K é -3.Uma reação catalisada por uma enzima. Calcule a pressão parcial do Cl 2 no equilíbrio. Se a energia livre de Gibbs padrão da primeira reação é -300 kJ/mol. a 310 K? 8. 7. equilíbrio. qual a energia livre de Gibbs da segunda reação? 9. energia livre de Gibbs e potencial químico 67 d) 2 O3(g) → 3 O2(g) 4.Espontaneidade das reações químicas. a 500 K. dado que K = 3.Uma certa reação bioquímica tem uma energia de Gibbs padrão padrão de – 200 kJ/mol e uma segunda reação bioquímica tem uma energia de Gibbs padrão de – 100 kJ/mol. pSbCl5 = 0. Qual a razão entre as duas constantes de equilíbrio. Calcule a energia livre de Gibbs padrão para a isomerização 6.

42 kJ/mol 3.38 kJ/mol.6 x 10-4 bar .46 2. energia livre de Gibbs e potencial químico 68 [ pCO2 ]6 (d) Q = [ pO2 ]5 [CH 3COCOOH ]2 2 4 5 6 -14. equilíbrio. Sentido direto.01 7 8 9 10 p 3O 2 (d) p 2O3 K2 = K11/2 -294 kJ/mol K=1 2. 4.Espontaneidade das reações químicas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful