Profº.

Cristiano Saldanha

Rio 2010

.

que abrange a abertura ou não do corpo com a finalidade diagnóstica. terapêutica ou estética. . Cirurgia Conjunto de gestos manuais e/ou instrumentais. executado pelo cirurgião.

Trauma de tórax. apendicite supurada.  Cirurgia de emergência: tratamento cirúrgico que requer atenção imediata por se tratar de uma situação crítica “salvar a vida”.  . Ex:Ferimento por arma de fogo (hemorragias graves com repercussão hemodinâmica). fraturas expostas. Ex: cirurgias plásticas (mamoplastia). Trauma de abdome (abdome agudo). colelitíase.  Cirurgia de urgência: tratamento cirúrgico que requer pronta atenção e deve ser realizado dentro de 24 a 48 horas. podendo ser programada.Classificação segundo a urgência cirúrgica Cirurgia eletiva: tratamento cirúrgico proposto cuja realização pode aguardar. peritonite. TCE. varizes de MMII. Ex:apendicectomia.

Traumatismo craniano PAF no abdome posterior Trauma de tórax .

Cirurgia de grande porte : grande probabilidade de perda de fluido e sangue. amigdalectomia..urologia. colecistectomia  . Ex:aneurisma  Cirurgia de médio porte: média probabilidade de perda de fluido e sangue. Ex:Timpanoplastia. Ex:ortopedia.  Cirurgia de pequeno porte: pequena probabilidade de perda de fluido e sangue..

Ex:gastrectomia. Ex:hepatectomia  . traqueostomia  Cirurgia de porte II: Com o tempo de duração de 2 a 4 horas.Cirurgia de porte I: Com o tempo de duração de 2 horas. Ex:rinoplastia. blefaroplastia. Ex:craniotomia. laparotomia exploradora  Cirurgia de porte III: Com o tempo de duração de 4 a 6 horas. revascularização do miocárdio  Cirurgia de porte IV: Com tempo de duração acima de 6 horas. colecistectomia.

na ausência de processo infeccioso e inflamatório e sem falhas técnicas grosseiras. Cirurgia Limpa: eletiva . com cicatrização de primeira intenção. Cirurgias que não ocorrem penetrações no trato digestivo Ex: artroplastia de quadril. mamoplastia. herniorrafias . revascularização do miocárdio.Cirurgias realizadas em tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação. não traumática.sem drenos.

.

falha técnica discreta no transoperatório. . . . .Ex: gastrectomia. amigdalectomia.na ausência de processo infeccioso. .ocorre penetração nos tratos digestivo. sem contaminação significativa. Cirurgia potencialmente contaminada: realizada em tecidos colonizados por flora microbiana pouco numerosa ou em tecido de difícil descontaminação. colecistectomia.cirurgias com drenagem aberta. intestino delgado. feridas traumáticas com ação cirúrgica até 10 h .

ou impossível de ser feita. todas aquelas em que tenha ocorrido falha técnica grosseira. - - Cirurgia contaminada: realizada em tecidos colonizados por flora bacteriana abundante de difícil descontaminação. na ausência de supuração local: presença da inflamação aguda na incisão e ou grande contaminação do tubo digestivo Ex: cirurgia de cólon. feridas traumáticas com atendimento após 10h .

 . cirurgia do reto e ânus com secreção purulenta.Cirurgia infectada: realizada em qualquer tecido ou órgão em presença de processo infeccioso (supuração local ) ou tecido necrótico Ex: nefrectomia com abscesso.

apendicectomia. para melhorar as condições clínicas.Tratamento paliativo: utilizado para compensar os distúrbios. Ex: infiltração em articulação com anti-inflamatório ou analgésico – ex: bursite Analgesia com morfina venosa no carcinoma(oncologia)  Tratamento radical: empregado para remoção parcial ou total do órgão Ex nefrectomia. mamoplastia  . gastrectomia parcial  Tratamento plástico: tem a finalidade estática ou corretiva Ex: rinoplastia. aliviar a dor.

medula  .Tratamento reconstrutivo: tem a finalidade de reconstruir o tecido lesado e restabelecer sua capacidade funcional Ex: cirurgia reconstrutiva pélvica  Tratamento diagnóstico: é a exploração de um determinado órgão para diagnóstico a ser confirmado Ex biopsia de próstata. nódulo de mama  Tratamento transplante: tem a finalidade de substituir órgão não funcionante Ex: transplante de córnea.