APOSTILA

DE

HANDEBOL

1. INTRODUÇÃO Sob os pontos de vista formativo e educativo, o handebol é apreciado por ambos os sexos, por suas qualidades excepcionais porque desenvolve simultaneamente resistência, habilidade, coordenação, velocidade, força e coragem, alem de reunir as três bases atléticas naturais: correr; saltar e arremessar. Orientações O handebol é jogado com as mãos, ferramenta natural do homem, e sua aprendizagem deverá ter inicio desde as primeiras séries escolares, com exercícios bem naturais, de deslocamentos, corridas e lançamentos e alvos fixos e moveis, utilizando-se também de jogos educativos organizados em progressão crescente. Os fundamentos devem ser repetidos insistentemente de forma isolada e dentro de seqüências para que o aluno aprenda bem os elementos básicos. Deve-se insistir muito na muito na utilização da alavanca correta nos passes e arremesso, assim como observar a empunhadura e a recepção adequada da bola, evitando-se assim vícios e contusões. Na fase de aprendizagem das táticas de ataque e defesa, o professor deve interromper os exercícios e o jogo a todo instante para coibir o excesso de individualismo dos alunos, assim como orientar a defesa para marcar o trabalho de bola dos atacantes. O professor deve utilizar repetidamente o exercício de ataque para fixar bem o posicionamento dos alunos dentro da característica do jogo de handebol. O aluno deve estar preparado psicologicamente para o contacto corporal, e deve saber se posicionar corretamente, utilizando o tronco de maneira rígida, elevando sempre os braços para bloquear as ações do adversário sem problemas de contusões. 2. A CONCEPÇÃO DO JOGO DE HANDEBOL Na vida cotidiana do homem moderno, o esporte tem um grande papel. O desafio, nas diversas disciplinas esportivas, que se baseia na cooperação coletiva, da performance e no plano individual, estimula consideravelmente a vida. Graças ao esporte, a vida dos ativos e dos espectadores torna-se mais rica. O esporte cria obrigações, estimula a personalidade intelectual e física e oferece chances reais de integração social, isto é, de reencontro no nível humano. Uma vez que o esporte solicita o domínio pessoal e a força física, ele reduz as agressões, tranqüiliza os nervos e o temperamento do homem, freqüentemente em stress. Handebol é hoje um dos jogos mais rápidos que conhecemos. Esta disciplina solicita a condição da força muscular, rapidez, elegância técnica e a vontade de cooperar. Com suas exigências sobre todas as partes do corpo – pernas e pés para correr, o dorso para defesa, braços e mãos para lançar precisamente e a cabeça para refletir, ele oferece aos jogadores e jogadoras um treinamento harmonioso para todo o organismo. Raramente um outro esporte desenvolve de tal maneira o coração e os pulmões. Do ponto de visto técnico, o handebol oferece aos participantes e aos (professores) um rico desafio. A própria natureza do jogo representa um teste duro para os jogadores e a equipe. Movimentos ágeis e rápidos e um extremo domínio do corpo. Uma vez que o interesse está estritamente ligado a bola, este esporte atrai também a juventude. Assim, a historia do handebol está ligada a atividade física nas escolas quase no mundo inteiro. Efetivamente, o handebol começa como esporte tipicamente escolar que exige quadras relativamente modestas e um equipamento muito simples. É indiscutível que o handebol se desenvolve graças a possibilidade de disputá-lo durante o ano todo.

A boa preensão da bola está mais relacionada com a força muscular dos dedos ao tamanho da mão. em cada equipe. EMPUNHADURA É a maneira correta de segurar a bola. obtendo uma posição favorável para o arremesso. Erro mais comum . Traduz-se pôr condições especiais de equilíbrio. o punho deve manter a mesma linha do antebraço. mão segurando a bola. 6. O handebol é um verdadeiro esporte de ataque.. o melhor desempenho e uma severa disciplina por parte dos jogadores e da equipe em geral.domínio da bola. 5. A rapidez. formando um angulo de 110º. ritmo. O objetivo do jogo de handebol é de marcar gols no lado adversário. velocidade de deslocamento e outras condições que. A filosofia fundamental das regras de handebol é de criar uma verdadeira chance para a equipe para a equipe executar o próprio jogo sem atingir o adversário.tudo se passa tão depressa que é preciso admitir que a tarefa dos árbitros é dura e exigente. Posicionamento: Braço e antebraço. diferenciam os jogadores do determinado esporte (handebol). para poder direcionar os passes e arremessos de acordo com as circunstancias de jogo. coordenação. agilidade. No lançamento a perna que está atrás completa o passe de maneira natural e acontece uma ligeira rotação do tronco no término do mesmo. o estreito contato corporal. . DOMÍNIO DO CORPO Experiências voltadas para a locomoção combinando. exige um plano de jogo exato. etc. 3. apenas apoiando-se na palma da mão. 4. PASSE São formas de lançamentos em que o jogador visa alcançar um companheiro de equipe e também é a forma mais efetiva de progredir na quadra de jogo sem bola. usadas apropriadamente. A bola deve estar à frente da mão e os dedos acomodados e ligeiramente afastados. O fato de do jogo ser disputado em uma quadra de 20 x 40 metros. paradas. mudanças de direção e giros.Prender a bola fortemente com os dedos. cotovelo acima da linha do ombro. por está razão a clausula da vantagem é muito importante neste esporte.. as características do jogo como a possibilidade de bloquear o adversário com seu próprio corpo. Aplicação no jogo . perna contrária do braço do lançamento à frente. ADAPTAÇÃO E MANEJO DA BOLA O contato que se deve ter explorando e combinando vários movimentos fundamentais com a bola.Manter a bola solta. Passe a altura do ombro ou clássico: é o tipo de passe mais utilizado no jogo e deve ser o mais enfocado na iniciação esportiva. Maneira pela qual o jogador (iniciante) deve exercer um domínio sobre seu próprio corpo de modo a obter vantagem sobre um oponente. com 7 jogadores. Orientação técnica . Dica .A tática do handebol é também desenvolvida. o maior número possível por jogo.

O passe deve ser dado sempre na direção diagonal (para frente). 6.Quanto a trajetória o passe pode ser: .2.Empurrar a bola com extensão do braço (como no arremesso de peso). com uma pequena rotação do tronco de acordo com a direção do passe. maior mobilidade.DIRETO .PARABÓLICO 6. . . quando este se encontra próximo. Erros mais comuns: .2. alem de ser característica do esporte. A recepção é um fundamento de significativa importância. porem deve-se insistir na execução com uma das mãos. Dicas: . variedade de execução. utilizando o antebraço e finalizando com flexão de punho. velocidade.Posicionar o cotovelo junto ao corpo.Passe Picado Utilizado para evitar uma interceptação por parte do adversário.3 . pois.1 .O passe pode ser executado com ambas as mãos. .PICADO .2. além de propiciar a continuidade efetiva do jogo.Referencial de Passe . onde duas alavancas devem ser utilizadas. .2 .MÉDIO .Quanto à distância pode ser: . onde a perna contraria a posição do braço deve estar posicionada a frente. . onde sua trajetória deve ser parabólica e a rotação de tronco é maior do que nos outros passes.Passe Parabólico Utilizado para alcançar uma longa distância e para contra ataque simples.Imprimir força demasiada ao passe.Cotovelo acima da linha do ombro. 6.3 .Deslocar-se lateralmente para passar e receber: . devido ao tamanho da bola.1 . Erro: lançar a bola muito antes do receptor.Passe Direto É o mais utilizado por ser o mais preciso e rápido. possibilidade de finta.LONGO 7.Girar para receber a bola. faz com que se corrija todo passe que pôr ventura venha a ser mau executado.CURTO .Orientar o aluno para elevar e fixar o cotovelo na linha do ombro. pois o passador e o receptor se encontram em deslocamento. RECEPÇÃO Obs: A recepção deve ser ensinada primeiro do que o passe por motivo de segurança. .2 . o passe deve ter: PRECISÃO VELOCIDADE MOMENTO CERTO A ESCOLHA CORRETA 6.Quanto à sua utilização. 6. 6.

O deslocamento deve ser continuo sem parar para receber a bola. devem ir de encontro à bola para amortecer e diminuir a velocidade da mesma. Dicas Devemos orientar nossos alunos para relaxarem ligeiramente os dedos pois. propiciando imediatamente a formação da alavanca de passe ou arremesso.espalmar a bola . para reter uma bola num momento de organização da equipe e em contra ataque individual. É mais aconselhável usar a recepção com as duas mãos.posicionar os dedos em direção a bola.Dedos ligeiramente afastados . 7. para se aproximar da área após uma finta.flexionar demasiadamente o tronco permanecendo com a cabeça baixa. rente ao solo * Referencial de Recepção Alta e Média .Dedos mínimos próximos. A forma correta da recepção com as duas mãos é a seguinte: . no inicio da aprendizagem ocorrem muitas lesões. é mais fácil de executar e os erros são menores. O posicionamento para a recepção deve ser o de manter sempre o campo visual do jogo tanto para a continuidade em passe quanto para arremessos ao gol.espalmar a bola.1 .Ritmo duplo trifásico . Devemos orientar nossos alunos para não abusar do drible.Batidas sucessivas (drible) 2 . .Progressão com Três Passadas Ela é aplicada no jogo para ganhar espaço e/ou impulso e/ou velocidade.esperar a bola parada. * Referencial de Recepção Baixa .Em relação a direção da bola a recepção pode ser: . Erros mais comuns: . e .BAIXA altura dos joelhos . Podemos progredir de 3 formas sem infringir as regras do handebol: 1 . pois isso descaracteriza o handebol.ALTA acima da cabeça .Ritmo trifásico . 8. devido a contração excessiva dos mesmos.Braços semiflexionados. sendo que após os 3 últimos devemos passar ou arremessar ao gol. Erros comuns . dedos polegares opostos.imprimir muita força.Dedos polegares e indicadores próximos.1 . altura do quadril .dar três passos com a bola na mão 3 . 8. É usado para sobrepujar um adversário. antes dos passes e dos arremessos. .MÉDIA altura do peito .Mãos em forma de concha . antes e/ou depois do drible. .Dar três passos com a bola na mão bater bola e tornar a dar três passos. . pois. dedos mínimos opostos. altura da cabeça .receber a bola com uma das mãos. cujo objetivo principal é deslocar e confundir a defesa adversária através de passes rápidos.A recepção pode ser feita com uma e com duas mãos. PROGRESSÃO É a maneira de nos movimentarmos (com bola) na quadra tendo como objetivo o domínio do espaço.

Soltar a bola antes ou durante a terceira passada: . ângulo de gol e possibilidade de bloqueio. quando um jogador está livre de marcação ou em condições mais favoráveis. .a bola deve ser driblada ao lado e a frente do corpo . Condições importantes para um bom arremesso:  OPORTUNIDADE: procurar uma melhor posição e momento oportuno para a finalização. Não se pode dizer quais são os melhores movimentos ou qual a melhor maneira de arremesso.a bola não deve ser batida com a palma da mão .Dar dois ou quatro passos: . Observações durante o aprendizado. tem mais chances de votória. ou seja.Iniciar a passada com a perna errada.a bola deve ser direcionada para o chão na direção da corrida. DRIBLE Referencial: A bola deve ser batida a frente do corpo. o canhoto deve seguir o procedimento inverso. quanto mais rápida a corrida mais a frente a bola deve ser direcionada. Um jogador deve dominar vários tipos de arremesso. (Horst Käsler). a marcação do gol. 9. . no caso de salto. A bola deve ser passada ou arremessada após a terceira passada ou no momento Maximo de impulsão no caso do salto.a bola não deve ser agarrada .O aluno destro deve iniciar a passada com a perna esquerda. mãos descontraídas e dedos separados empurrando-a de encontro ao solo. tendo como objetivo principal.a bola não deve ser driblada ao lado do corpo . . . tipo basquetebol. a altura da cintura. . Usamos o termo drible para designar o movimento sincrônico de bater a bola para o solo estando parado ou em deslocamento. ARREMESSOS É a ação de enviar a bola em direção ao gol adversário.a bola não deve ser conduzida com a palma da mão. isso depende de alguns fatores como: distância da baliza. a fim de que a mão e dedos direcionem a bola ao solo. Os dedos deverão ficar descontraídos durante o drible. durante o salto. Pode-se alternar as mãos. A mesma perna de ação do braço deve estar flexionada com o joelho e pé voltado para trás semelhante a um coice. para dificultar a ação do goleiro.Saltar durante as passadas. Um passe mal executado não quer dizer que a bola esteja perdida.Posicionar o joelho de forma semelhante à bandeja. aplicando um forte impulso (força explosiva). e de correr sem segurar a bola sequer pôr um instante. o drible termina quando a bola é retida com uma ou com ambas as mãos. No caso de salto após três passadas o aluno deve saltar e cair com a perna contraria a ação do braço. mas um mal arremesso é quase sempre bola perdida.Soltar a bola no inicio da impulsão ou durante a queda. Nem sempre a equipe que arremessa mais a gol é aquela que vencerá o jogo. com uma das mãos. A técnica do arremesso é mais importante que a do passe. para que na terceira passada ele esteja com a perna oposta à frente. 10. mas a equipe que possuir técnica aprimorada e saber o momento exato de finalização. Erros mais comuns: . .

Este tipo de arremesso pode ser dividido em dois tipos: a) com passadas alternadas.  PRECISÃO: procurar arremessar dos pontos de maior dificuldade para o goleiro. com o braço acompanhado nesta movimentação.1 .O arremesso quanto a sua mecânica pode ser: .1 . sendo que a perna contrária ao braço de arremesso deve estar posicionado a frente:  O ombro do braço de arremesso deve ser levado amplamente para trás.  FORÇA EXPLOSIVA: para que a bola chegue ao gol pretendido o mais rápido possível e com a força necessária. não dando tempo para que os defensores se organizem na defesa. tronco. No início a angulação do braço com o antebraço mantem-se em 110º. 10. . A variação dos tipos de arremesso e posições diferentes. b) Com passadas cruzadas . no tiro livre. o tronco estará de frente para o gol.  VARIEDADE DE ARREMESSO: um jogador deve dominar vários tipos de arremesso para aplica-los em cada situação específica de jogo. ou parabólico.1.  HABILIDADE NA EXECUÇÃO: a execução correta do gesto técnico do arremesso. e durante as situações do jogo esta pode modificar-se para um melhor aproveitamento. e também para surpreender a defesa e/ou goleiro. porem devemos salientar que durante estas.ritmo trifásico e o lançamento é exatamente igual ao passe a altura do ombro. num movimento de trás pra frente:  Este arremesso pode ser empregado após as três passadas. o tronco inicia-se lateralmente em relação ao gol (ombro contrário do braço de lançamento) nas duas primeiras passadas e na terceira concomitante ao término do arremesso. Orientações técnicas:  Ambas as pernas estão apoiadas. o braço de arremesso forma um angulo de 110º Arremesso em apoio: É Também utilizado na cobrança do tiro de sete metros. a) Com passadas alternadas (normais) . antebraço. Flexionar o tronco.com apoio . Erros mais comuns Utilizar a movimentação apenas do braço e não do corpo inteiro: Manter o cotovelo baixo: Empurrar a bola. picado.ritmo trifásico. dificultando a ação do goleiro. facilita a conclusão de um gol.com salto (horizontal e vertical) 10. braço. propiciando maior velocidade e potência:  Quanto à trajetória da bola.Frisar a elevação e fixação do cotovelo (na linha do ombro) e a rotação do tronco.Arremesso em Apoio Referencial: . este arremesso pode ser direto. VELOCIDADE DE REAÇÃO: o arremesso deve ser feito com rapidez para surpreender o adversário. b) com passadas cruzadas. punho).  Participação total do corpo (quadril. com extensão do braço (como no arremesso de peso). finalizando com a flexão de punho.

Invadir a área no momento do giro.1.3 . Saltar com impulsão vertical.  O arremesso deve ser feito com impulsão e queda na perna contrária a ação do braço.Orientar o aluno para girar o mais rápido possível. Referencial: Impulsão com a perna contraria ao braço de arremesso = Equilíbrio Lembre-se – Equilíbrio é a causa. . Orientações técnicas:  O arremesso deve ser efetuado no ponto mais alto da impulsão.2 .  O arremesso deve ser feito no ponto Máximo da impulsão horizontal. e também para ganhar altura (impulsão vertical). Apoiar a mesma perna de ação do braço após o giro. Dicas: . mas o que leva a chegar ao mesmo. . Erros mais comuns Não elevar e fixar o cotovelo (tipo arremesso de peso). equilibrando-se primeiramente.Posicionar o joelho de forma semelhante à bandeja. Dicas: Orientar os alunos para olharem para a movimentação do goleiro durante o salto. saltando com a impulsão horizontal para dentro da área.Não utilizar a rotação do tronco.Arremesso com Giro e Salto: É o arremesso mais utilizado pelo pivô.Orientar o aluno para não arremessar durante o giro.  Duas alavancas devem ser utilizadas.Queda na perna contrária a de impulsão.  A mesma perna de ação do braço deve estar flexionada. picado ou parabólico (por cobertura).  Quanto à trajetória da bola.10. .Arremesso com Salto É utilizado para ganhar espaço (impulsão horizontal). com o joelho é pé voltados para trás (semelhante a um coice). Orientações técnicas:  Após receber a bola. olhar para o goleiro e só depois arremessar. picado. . Erros mais comuns . ou parabólico. .Arremessar no inicio da impulsão ou na quadra. que geralmente se encontra de costas para a meta adversária. deve-se flexionar o tronco transferindo o peso do corpo para a perna de impulsão girando e a seguir. chegando o mais próximo possível da meta adversária. porem devemos saber como obtê-lo. 10. este arremesso pode ser direto. transpondo a barreira adversária.Elevar e fixar o cotovelo (tipo arremesso de peso). por isso o referencial não pode ser equilíbrio. dificultando a marcação.1. .Para uma melhor execução há a necessidade de executá-lo após o ritmo trifásico para obter maior impulsão e conseqüentemente um aumento na possibilidade de êxito no seu resultado o gol. Para facilitar o processo de ensino-aprendizagem iremos utilizar o referencial abaixo. para melhor direcionar o arremesso. este arremesso pode ser direto.  Quanto à trajetória da bola. objetivando uma maior aproximação da meta adversária.

Quando na fase aérea faz-se uma rotação do tronco no sentido do gol auxiliando o braço responsável pela alavanca de arremesso.Utilizar colchões para a aprendizagem deste arremesso. para não machucar. Sua caracterização ou referencial são os seguintes: .4 . . visando uma maior aproximação da meta adversária.Maior poder de infiltração . 10.10. Este arremesso tem como referencial: Lado forte . evitando assim. Orientações técnicas:  Este arremesso é feito quando o jogador se encontra próximo à linha dos 6 metros.Quanto a distancia. os arremessos podem ser: . utilizado geralmente pelos armadores (1º linha de ataque) com “APOIO”. .Corrida paralela à área do gol.  Quanto à trajetória da bola o arremesso pode ser direto.curto – em torno de 6 metros .Maior tempo de posse de bola. e pelos pontas com “QUEDA”.1. a soltura da bola.Arremesso de Ponta (salto e rotação do tronco) É o arremesso mais utilizado pelos pontas e pelo pivô (geralmente precedido de giro).Fase aérea o atleta ocupa o espaço da área de gol. Lado fraco . 10. podendo esperar definição do goleiro. Este tipo de arremesso.1. possíveis contusões. .Arremesso com Queda Na finalização dos vários arremessos aprendidos até o momento pode se haver queda por este fato é importante aprender a fazer o amortecimento (contato com o solo).  No caso de arremesso pelas pontas deve-se inclinar o tronco a lateral (do lado contrario ao do arremesso) simultaneamente ao salto.Salto com o corpo voltado para a linha de 7 metros ou centro da área.  Duas alavancas devem ser utilizadas.longo – mais de 10 metros . 10.Diminuição da distância até a baliza .tronco voltado para cima (teto) e bola atrás da cabeça.Arremesso com Inclinação Lateral (direita e esquerda) Arremesso executado em meia distância. apoiando-se as mãos (pivô). pois. também utilizado no caso de rebote quando a bola fica quicando na área de gol. ou terminando com queda lateral (ponta).2 . este é utilizado pelo fato do defensor estar muito próximo impedindo um arremesso normal ou uma possível progressão. o primeiro contato com o solo seja dos membros superiores. trás algumas vantagens: . picado ou parabólico.Orientar o aluno para amortecer a queda.braço e antebraço paralelo ao solo. No amortecimento é importante que após o desequilíbrio do corpo.1.5 . pode machucar. Dicas: .6 .  A queda deve ser iniciada após o arremesso. Na queda devemos ter cuidados para que joelhos e o órgão genital masculino não toque o solo antes do amortecimento.médio – de 7 a 9 metros .

Direito. . do corpo. Fernandez Ernesto Enriquez.10. movimento de cabeça e/ou braço e drible. Direito.ponta direita . É importante que o aluno vivencie estas possibilidades para aumentar seus recursos motores durante o jogo.Andar com a bola durante a finta. o para que seja facilitado o processo de iniciação utilizaremos como referencial a seqüência de passadas. do passo zero é fundamental para o emprego de uma finta.meia direito 11. . Esquerdo. são complexas por trabalharem simultaneamente várias ações motoras. paradas bruscas e saídas rápidas. SISTEMA DEFENSIVO . As Fintas são ações realizadas conscientemente pelo praticante estando em posse de bola.Forma de dispor os praticantes em quadra . Finta com saída para o Lado esquerdo – Direito.meia direito .Abusar do drible ou utiliza-lo no momento inadequado. Erros mais comuns .) Temos várias formas de fintar. sendo elas com o olhar. tronco e membro inferior. Dicas: . O domínio das trajetórias. Finta com saída para o Lado direito – Esquerdo. Manuel Maria M.meia (armador) .pivô .ponta esquerda .central 2 – ataque 2 x 4 ponta esquerda ponta direita 1º pivô 2º pivô 2ª linha de ataque 2ª linha de ataque esquerdo 1ª linha de ataque Linha de ataque ou defesa A primeira linha é baseada sempre pela visão do goleiro. 12. FINTA esquerdo 1ª linha de ataque São gestos realizados com posse de bola nas ações de 1x1 (individual) para obtenção de posicionamento de arremesso ou superioridade numérica.3 – Com relação as zonas podem ser: 1 – ataque 3 x 3 .. membro superior. Sabemos que a finta de tronco e membros inferiores.  As fintas são feitas através do olhar.A finta deve ser trabalhada.  Deve ser feita com velocidade e uma perfeita empunhadura da bola. de mudanças de direção e ritmo. não existindo formas pré-determinadas para sua realização. Orientações técnicas:  Podem ser feitas com ou sem a bola. Esquerdo. giros. com o objetivo de dirigir os movimentos do defensor para uma falsa direção.meia (armador) . no entanto é um gesto pessoal. (Falkowski. conseqüentemente desviando a atenção de sua conduta e neutralizando sua oposição para a obtenção do espaço livre e assim beneficiar-se desta situação.

Auxílio ao companheiro quando este precisar.Após a primeira fase.12.Os alunos que não estão com posse de bola. devem ficar o mais próximos da linha central para evitar um possível contra ataque adversário. e aplicar a ele o melhor tipo de marcação. 12. através de uma interceptação de um passe ou forçando um erro do adversário.1 – Desvantagens do Jogo com Sistema Defensivo individual . os defensores se encontram fora de suas posições de melhor rendimento. nem envolvidos com o lance diretamente. o defensor deverá marcá-lo. 12.pouca possibilidade de cobertura.Equilíbrio Defensivo .Parar ou Retardar o Contra Ataque Adversário . . Deslocar na defesa conforme trajetória da bola. 2 .aumenta a possibilidade de arremesso de curta distância dificultando a ação do goleiro. esperando um erro do adversário ou tomando um gol ou podemos marcar de maneira ativa (agressiva). 12. Estar entre o atacante e o gol e ao lado do braço de arremesso.Analisar o seu correspondente. 3 .4. pois cada defensor é responsável por um atacante dentro de seu setor.1 – Princípios do Jogo na defesa 1. Estas normas são direcionadas para o defensor como “Técnica Individual” 1 2 3 4 5 Sair para dificultar o melhor tipo de passe.possibilidade de não tomar gol de média e longa distância (no caso dos atacantes possuírem grande envergadura e potência de arremesso).4.Dividir corretamente os atacantes.Análise dos Atacantes .4 – Normas Básicas do Jogo na Defesa Obs. e por qualquer motivo perde esta posse. 2 . 4 . o aluno que estiver mais próximo do adversário que entrou de posse de bola. pois é o caminho mais curto.Retorno Rápido pelo Caminho mais Curto . suas características ofensivas.Defesa Temporária . 3 .aumenta a responsabilidade defensiva individual.Independente da posição que ocupam no ataque no momento da perda da posse de bola deve-se voltar em linha reta.4 – Sistema Defensivo Individual Caracteriza-se pela condição de não se estar em posse de bola. Enquanto o atacante estiver com posse de bola. 5 .Ajuda Recíproca.Divisão dos Atacantes . atrapalha este para que não possa fazer um passe ou para retardar um possível contra ataque.2 – Vantagens do Jogo com Sistema Defensivo individual . finta e arremesso.Quando os jogadores conseguem voltar para suas posições de melhor rendimento.produção de espaço.2 – Fases da Defesa 1 . Para marcar gol é necessário recupera-la. 12.Organização da Defesa . . 12.Quando a equipe esta de posse de bola. Dirigir o jogo para as laterais (lateralidade de perna). 12. . . e para isso podemos defender de maneira passiva. entrando em posse de bola.3 – Defesa em Sistema Os jogadores defensores aplicam um sistema tático defensivo que foi treinado para este jogo.

primeiros e terceiro de base 2º linha defensiva .7 – Sistema Defensivo 6 x 0 . Como o próprio nome diz..5 – Sistema Defensivo 3 x 3 1º linha defensiva .4. 12.segundos e terceiro avançado Sistema de defesa considerado aberto.quando houver troca de jogadores realizar troca defensiva 12. onde cada jogador é responsável por um determinado setor defensivo. Esta caracteriza-se por uma zona(setor) com 2 linhas de defesa.3x3.5. pois nesta há um trabalho físico muito forte seu deslocamento é em bloco defensivo no sentido da bola. . 12. 1x5 3 linhas de defesa .em momentos de superioridade numérica temporária (exclusão de um ou mais jogadores da equipe adversária). 12. É um tipo de sistema defensivo por setor que se preocupa mais com a profundidade quanto à largura. .2 – Trajetórias de cada jogador e regras defensivas 1 . pois os jogadores estão distantes na mesma linha e na outra linha. Podemos dividir o sistema defensivo por setor em 1. 2 ou 3 linhas de defesa que são: 1 linha de defesa .6 – Sistema Defensivo 3 x 2 x 1 1º linha defensiva .em momentos onde exista inferioridade no placar e pouco tempo para equilibrá-lo.aumenta a possibilidade de se entrar em posse de bola mais rapidamente.3 – Quando usar o Sistema Defensivo individual . 12. 5x1.segundos 3º linha defensiva .5 – Sistema Defensivo por Setor Devemos ter trabalhado todas as situações da técnica defensiva referente ao sistema defensivo individual para depois entrarmos no sistema defensivo por setor.6x0 2 linhas de defesa . O seu funcionamento é muito parecido com a defesa 6x0. 12.5. .3x2x1 O processo atual em função de darmos continuidade à “agressividade defensiva” é de sairmos do sistema defensivo individual e passarmos à defesa 3x3. sendo a primeira linha próxima a área com 3 jogadores e uma segunda linha com 3 jogadores avançados próximo à linha pontilhada.qualquer jogador que entre no setor é marcado individualmente 2 . em que o centro da defesa é muito compacto.aumenta a possibilidade de um erro do adversário.primeiros e terceiro de base 2º linha defensiva . o sistema defensivo por setor caracteriza-se pelo posicionamento defensivo coletivo em um determinado setor.terceiro avançado Sistema de defesa que se preocupa com a profundidade tem seu deslocamento em bloco defensivo no sentido da bola. 4x2.1 – Dividindo as funções e nomeando os postos específicos 1º 2º 3º 3º primeiros marcam pontas segundos marcam os meias homem primeira linha pivô homem avançado (2º linha) armador central 12.em equipes mais fracas onde possa se entrar rapidamente em posse de bola (principalmente se existir a necessidade de saldo de gols).

não conseguindo atrapalhar o ataque. .primeiros.Quando os demais jogadores não conseguem cobrir a sua zona de defesa que.  O deslocamento deve ser feito de acordo com a trajetória da bola. Erros mais comuns. Orientações Técnicas:  Neste sistema.Explicar aos alunos que no handebol é permitido utilizar-se do seu corpo para bloquear uma ação ofensiva. cinco jogadores posicionam-se próximos a linha de 6 metros e um outro jogador fica mais à frente.8 – Sistema Defensivo 5 x 1 É utilizado para atrapalhar o trabalho de armação da equipe adversária. Seu deslocamento é em bloco defensivo e no sentido da bola. evitando que ele receba o passe. Obs. para evitar que o adversário infiltre e/ou circule por trás:  Os jogadores devem manter a posição básica de defesa (posição de guarda). lateralmente e.  A área de atuação do jogador que fica avançado é entre os três armadores. 12. tornando-se inútil nesse sistema. É sugerido que os sistemas defensivos acima sejam ensinados inicialmente desta forma e utilizar os mais altos no centro e os menores nas pontas. Este sistema é o mais simples. Orientações Técnicas:  Os seis jogadores posicionam-se logo à frente da linha dos 6 metros. mais comum e também o mais utilizado. . objetivando interceptar os passes. segundos. correndo inicialmente de frente e. abrindo espaços vazios na defesa.  Cada jogador é responsável por uma zona.Não se manter na sua zona.Quando o jogador mais avançado segue a bola de ponta a ponta. evitando os espaços vazios na defesa. dificultar a esquematização de jogadas. elevando os braços para efetuar o bloqueio de arremesso. . sendo inclusive a base de todos os outros sistemas. ou seja. devendo marcar o jogador adversário que passar pela mesma. neste caso. de costas. interferir na velocidade e ritmo de armação da equipe atacante. . fica mais ampla. . Erros mais comuns . retornar a linha dos seis metros acompanhando a trajetória da bola. observando o trabalho de bola da equipe adversária. Dicas: . e para evitar arremessos de longa distancia.  Após a conclusão do ataque os jogadores devem voltar imediatamente para a sua zona de defesa. devendo. colocando-se à frente do mesmo.  Dependendo da necessidade os jogadores auxiliam-se mutuamente fazendo coberturas de posições. próximo à linha de tiro livre.terceiros Sistema defensivo que tem como característica inicial os 6 jogadores na primeira linha defensiva.Atrapalhar a ação do companheiro. neste sistema.1º linha defensiva .Tentativas de interceptações precipitadas.  Os cinco jogadores atuam de forma semelhante aos jogadores da defesa 6 x 0. é permitido o contato.  Todos os defensores devem estar atentos a movimentação do pivô. se cansando e. em algumas situações como dificultar um arremesso ou passe. o deslocamento é feito para frente. ao passar o centro da quadra. por toda a extensão da área dos seis metros.  Os seis jogadores devem se deslocar em conjunto. correndo atrás do jogador de posse de bola.

2 – Relação corporal entre o atacante e o gol A ocupação adequada do espaço permitirá sempre condição de boas atuações defensivas. ágil e perspicaz para ficar mais avançado.Dar piores espaços de jogo .12 .Dicas: .Executar a interceptação somente com segurança 12.Se posicionar na linha de passe .Trajetórias e mudanças de trajetórias A partir do momento que a criança domine estes movimentos é possível marcar zona (setor) com uma defesa agressiva.Tipos de Movimentações (Deslocamentos) Deslocamento lateral Deslocamento com saída a frente Deslocamento com saída a frente retorno a diagonal.Espaço vazio . 12.Noção de Troca de Marcadores .3 – Dar os piores espaços de jogo Procurar se posicionar de maneira que o atacante só possa se colocar em locais de menor perigo em relação ao gol. noções de antecipação e encaixe e domínio das trocas de marcações e coberturas.10.Trajetória reta B . domínio dos deslocamentos laterais e frontais.10 – Tática É conjunto de ações.Saber que é importante retomar a posse de bola .1 – Espaço Vazio É a ação de ludibriar o atacante oferecendo-lhe um espaço de jogo forçando-o ao início de uma ação ofensiva e logo após. Podemos usar tipos de trajetórias: A . 12.9 – Técnica Individual Defensiva O jogador deve possuir uma grande noção de espaço. Conjunto de Ações: . 12. pois este também tem a função de iniciar o contra ataque quando interceptar o passe. tanto individuais como coletivas. 12.4 – Noção de Interceptação É necessário: . É de fundamental importância a colocação do defensor entre seu marcador direto e o gol fazendo com que seu oponente tenha sempre que procurar se desmarcar.5 – Trajetórias e mudanças de trajetórias São movimentos corporais com ou sem bola para a produção de espaços na defesa adversária. retomar o espaço não permitindo a continuidade efetiva do ataque.10.O professor deve destacar o aluno mais rápido. que realizam os jogadores de uma equipe de forma organizada e racional. o objetivo neste caso passa a ser o equilíbrio defensivo 1x1. 12.Relação corporal do atacante e do gol . 12.10.10. ter a relação corporal sempre entre atacante e o gol.Noção de interceptação . noções de interceptação.10. 12.Trajetória curva 12.11 .

Marcação por observação .1. CONTRA-ATAQUE É a ação ofensiva que se realiza rapidamente com o intuito de se obter um gol a partir do momento em que se entra em posse de bola. Orientações técnicas: Marcação Observação Interceptação Aproximação .3 – Marcação por Interceptação O defensor está em seu posto específico com muita atenção na bola e no seu correspondente direto que no momento está sem bola. 13.2 – Marcação por Aproximação/Contato O defensor está em seu posto específico defensivo. no momento em que seu correspondente direto entrar em posse de bola ou for recebê-la o defensor fará uma aproximação para evitar ações ofensivas do atacante. pois esta é uma forma de parar uma ação ofensiva sem receber uma punição disciplinar.Marcação aproximação/ contato . 13.1.1 – Marcação por Observação O defensor está no seu posto especifico defensivo observando a movimentação do adversário.Tipos de Marcações .1. MARCAÇÃO – Forma em que os praticantes atuam dentro do sistema defensivo. sendo que o mesmo já tenha recebido a bola ou também podendo evitar que o mesmo entre em posse de bola aproximando do adversário colocando-se na linha de passe. 13. 13.A partir do momento que os jogadores já dominam todas estas informações inicia-se o processo da troca de jogadores para: Manter equilíbrio defensivo Favorecer condição de superioridade defensiva Manter o domínio do espaço de jogo Menor desgaste físico 13.Marcação por encaixe 13.1. criando assim um contra ataque com grande possibilidade de gol.1 .Marcação por interceptação .1 – Relação entre Deslocamentos e Marcações Deslocamento Lateral Saída a frente Saída a frente com retorno em diagonal 14. Usamos está marcação quando há muita troca de bola de um ataque não agressivo normalmente no início de jogo.4 – Marcação por Encaixe O defensor utiliza esta marcação quando o atacante esta próximo da área do gol neste momento devemos utilizar este tipo de marcação. quando o defensor perceber que seu correspondente direto vai receber um passe e com isto irá entrar em posse de bola ele entra na linha de passe e intercepta a bola antes desta chegar no seu objetivo. 13. sem descuidar do seu correspondente direto. mas também durante o mesmo usa-se este tipo de marcação. No momento em que o atacante não mais estiver em posse de bola e nem em linha de passe o defensor correspondente retorna a diagonal no sentido da trajetória da bola.

Sustentado .). o jogador deve correr em diagonal. . dando tempo para a defesa adversária se organizar. de frente.Indireto . dois jogadores. facilitando-se a marcação. isolado. para confundir a marcação.Vários jogadores correndo na mesma direção. . Orientações técnicas:  Dois ou mais jogadores saem rapidamente trocando passes curtos. Pode ser dividido em 4 tipos: . com o tronco voltado para receber o passe.Organizado 14. o mais rápido possível a um jogador que se encontra a frente.Neste sistema de contra-ataque.Utilizar-se do drible. devem iniciar a armação do contra ataque 14. o goleiro ou um jogador. Erros mais comuns: .O goleiro deve recuperar a bola o mais rápido possível para tentar iniciar o contraataque. três segundos com a bola na mão. .Utilizar o passe reto. movimentando-se em todas as direções para confundir a marcação. Erros mais comuns: . quando ocorre uma interceptação de passe ou bloqueio de arremesso ou ainda. 14. com todas as chances de fazer um gol. quando a equipe adversária comete uma infração (andar. . geralmente os armadores.2 – Contra-Ataque Indireto Há a entrada de posse de bola (do goleiro ou uma interceptação de outro jogador) e um passe para um jogador que tenha partido para o ataque e esta em posição mais avançada.Correr pelo meio da quadra dificultando a visualização e recepção do passe e facilitando a marcação.Trocar número excessivo de passes. O contra ataque é iniciado quando há um domínio de bola por parte do goleiro. facilitando a interceptação. 14.1 – Contra-Ataque Direto Quando um jogador intercepta a bola e sai driblando em direção ao gol adversário. atrasando o contra-ataque: Dicas: .  Após dominar a bola.  A corrida para um contra-ataque deve ser feita rente a linha lateral.Pelo menos dois jogadores devem sair em velocidade para receber o passe.3 – Contra-Ataque Organizado . ou mesmo através de um arremesso direto do goleiro após uma defesa ou mesmo no momento de um tiro de meta. Dicas: . lança a bola através de um passe longo.Direto .3 – Contra-Ataque Sustentado Quando um ou mais jogadores auxiliam o atacante que partiu para o ataque com bola e este sofre uma marcação de um jogador adversário. etc. ate o centro da quadra e daí para a frente.

este é usado contra um Sistema Defensivo Individual. PD E Pivô. F – Extrema Esquerda ou Ponta Esquerda.  PONTA DIREITA. 15. CE e MD. muita habilidade técnica e amplo domínio do sistema tático. ágil e veloz: Habilidoso.a defesa sai para o ataque com um trabalho ofensivo previamente estipulado.  MISTO . com boa força física.  PIVÔ: De acordo com o tipo de ataque podem ser: Habilidoso.  PONTA ESQUERDA: Muita habilidade. E – Pivô. agilidade. Muita habilidade.2 – Características dos Jogadores por Posição:  MEIA ESQUERDA: Alto . este é usado contra um Sistema Defensivo por Setor. inteligente.Alguns atacantes estão sendo marcados individualmente e outros são marcados em postos específicos. B – Armador Central ou Central. Segunda linha ofensiva: PE.4 – Sistemas Táticos Ofensivos O objetivo de um sistema tático ofensivo é através de movimentos prédeterminados.É toda situação onde a equipe está em posse de bola.4. 15. 15. PD e Pivô Fixo e Segundo Pivô. criatividade e velocidade (destro).  MEIA DIREITA: Alto com boa impulsão. ATAQUE Definição .  ORGANIZADO (Posicional) – Os atacantes ocupam postos específicos eqüidistantes distribuídos em primeira e segunda linha ofensiva. 15. 15.  CENTRAL: Estatura média alta.5 – Procedimentos Táticos Coletivos Ofensivos + combinado X defesa : ataque a) b) . agilidade.1 – Sistema de Ataque 3 x 3 Primeira linha ofensiva: ME.1 – Posições no Ataque A – Armador Lateral Esquerdo ou Meia Esquerda. produzir oportunidades para se conseguir fazer gols. 15. Segunda linha ofensiva: PE.3 – Tipos de Ataque  LIVRE – Os atacantes não ocupam quaisquer posto específico (não guardam posição física) tentando sempre o desmarque para receber a bola e tentar uma ação ofensiva.Organizado . criatividade e velocidade (canhoto). 15. usados contra Sistema Defensivo Misto. liderança.2 – Sistema de Ataque 2 x 4 Primeira linha ofensiva: ME. MD. C – Armador Lateral Direito ou Meia Direita. melhor arremesso com braço esquerdo (canhoto). D – Extrema Direita ou Ponta Direita. arremesso com braço direito (destro). boa impulsão. 15.4.

6 e até 7 postos.4 – Cortina Ação de um atacante de impedir o deslocamento frontal de um defensor para que um companheiro possa realizar um arremesso eficiente próximo a linha de 9mts. mas é mais comum de costas para o adversário. 15.1 – Engajamento Começa pelos pontas .5.5.5 – Tabela Procedimento em que um jogador com bola realiza um passe a um atacante mais próximo a linha de 6 metros e em seguida tenta o desmarque de seu defensor direto para receber a bola e executar o arremesso.6 – Quebra Procedimento que consiste em mudar (inverter) o sentido da trajetória da bola. quem irá receber a bola. 15. por parte de algum jogador. Referencial: quando o atacante companheiro inicia seu deslocamento 15.Procedimento em que os atacantes devem seguir inicialmente o principio básico do ataque de atacar em intervalos ou nos espaços entre os defensores. Posicionamento . 15. Para isso. joelhos flexionados e braços e mãos em posição de recepção. 15.2 – Cruzamento São movimentos em que 2 jogadores executam deslocamentos tentando sair da ação do bloqueio defensivo da bola por parte da defesa ou colocar um jogador em situação de arremate 1x0 ou superioridade numérica coletiva.3 – Bloqueio São posicionamentos (principalmente dos pivôs) realizados para evitar momentaneamente o deslocamento lateral ou diagonal da defesa. A partir do engajamento podem-se criar as demais ações combinadas. situações entre 3.5.pernas em afastamento lateral. deve-se enfatizar situações táticas entre 2 postos fundamentais e logo após. para obter êxito em uma ação inicial de engajamento.Deve-se trabalhar situações em que possa existir possibilidade de se obter superioridade numérica sobre a defesa.5.5.5.5.4.Ato de se colocar em condições de recepção saindo da marcação direta de seu oponente com deslocamentos sem bola. Desmarcação . Podem ser feitos de frente. formar o braço de arremesso o . 15. obrigatoriamente terá que responder em trajetória curva para dar continuidade ao engajamento.