Você está na página 1de 23

Aspectos da História da

Editoração:
relações entre autoria e bibliotecas
Objetivos
Entender aspectos de como
surgiu a Editoração

Relações com os autores e


bibliotecas
• O que é Editoração?

• é um pouco indústria, um
pouco comércio, faz parte
da cultura obviamente
influi na educação.
(KNAPP, 1986)
• Editoração é o conjunto
de teorias, técnicas e
aptidões artísticas e
industriais destinadas ao
planejamento, feitura e
distribuição do produto
editorial final (DUMONT et
al, 1979)
O autor
• O responsável pelo
conteúdo criativo de algo

• Surge com a cultura


escrita

• Ser autor é reconhecida


legalmente como trabalho
primeiramente pelos
gregos
O comércio
• O autor se apresenta
como ligação entre as
comunidades no Império
Romano
• Organiza-se o comércio
de trabalhos dos autores
― Alguns comerciantes
especializam-se nesse
tipo de produto
A Idade Média
• Poucas idéias inovadoras
• Produção criativa
centrada na religião
• Igreja regulamentando a
produção artística
• Monges detém a
produção e a reprodução
História oral (McGarry, 1999)
• O homem descobre a
comunicação. É possível
transmitir idéias através
de sons, o que permite a
organização de grupos
sociais
História alfabética
• Na antiguidade surge a
escrita, anteriormente ao
texto e ao livro. A escrita
consiste de código capaz
de transmitir e conservar
noções abstratas ou
valores concretos, em
resumo: palavras
História manuscrita
• O meio condiciona o
signo, ou seja, a escrita
foi em certo sentido
orientada pelo tipo de
suporte ao qual se tinha
acesso; não se esculpe
em papel ou se escreve
no mármore;
História manuscrita - Editoração
• Sumérios e babilônios
desenvolvem o comércio,
inclusive de primitivos
livros – inicialmente de
argila ou pedra
Período Clássico
• A política de expansão
territorial romana era
também cultural. O
Estado precisava
popularizar suas idéias;
• A produção de textos é
intensificada e atinge
todo o mundo conhecido
Período Clássico
• Evolução do material: da
argila para o papiro,
substituído pelo
pergaminho
• Evolução da forma: o rolo
(volumen) é substituído
pelo códex, conjunto de
folhas costuradas – É o
que levou ao atual
formato do livro
O comércio romano
• A popularização do códex
ajuda a surgir a leitura
por prazer,
descaracterizando-a do
senso prático que havia
até então
• Comerciantes
especializam-se em livros;
História tipográfica
• A invenção de máquinas
que permitem a
reprodução de textos em
várias cópias é uma
revolução cultural:
Educação, Artes e
Ciências agora podem ser
compartilhadas
A Idade Média
• A Igreja católica controla
a política e a cultura

• Monges especializam-se
em controlar, proibir e
guardar o conhecimento
• Surge o papel, ainda
rústico, mas já produzido
a partir da celulose
• Somente os poderosos
poderiam ter livros, com o
aval da igreja
• Surge a biblioteca como
instituição depósito e
salvaguarda, proibida e
sagrada
A Idade Moderna – A
Imprensa

• No século XV surge a
impressão por xilografia,
no oriente

• A impressora de tipos
móveis, no ocidente
As questões éticas

• A prensa de tipos móveis


trouxe questões éticas
que antes não eram
problema

• Autores lutam por seus


direitos sobre as obras, e
isso é de interesse dos
impressores
• A pirataria obriga a
organização dos autores e
dos impressores
• A regulamentação legal
define a profissão de
editoração
• Impulsiona a criação do
mercado editorial
Considerações
• A maturidade da profissão
de editoração é recente,
consolidada no século XIX
• O nascimento da
imprensa foi uma ruptura
cultural tão intensa e
transformadora que, para
McLuhan (1977) nos
redefiniu sob o nome de
“Homem tipográfico”
E a Biblioteca?

• Não há quase autores


que, ao falar de livros
abordem
necessariamente,
autores, ou leitores, ou
bibliotecas
• A Editoração, definida
pela imprensa moderna
trouxe a produção de
livros e conhecimentos a
um novo patamar, criando
responsabilidades e a
necessidade de que as
bibliotecas e seus
profissionais se
adaptassem, exigindo
desenvolvimento de
técnicas para lidar com
essa nova realidade

Interesses relacionados