Você está na página 1de 25

Língua Portuguesa e Matemática

9º Ano – Ensino Fundamental

Nome do(a) Aluno(a):

___________________________________________________________________

Turma: ________Turno: _________

Nome da Escola:
___________________________________________________________________

Avaliação 1 – SAEP/2013

Palmas-TO/2013
SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 1
Prefeitura Municipal de Palmas
Secretaria Municipal da Educação

Prezado aluno, prezada aluna:


Para que a Secretaria Municipal da Educação de Palmas possa melhorar o
ensino, precisamos saber um pouco mais sobre você. Por isso, estamos lhe
entregando um Caderno de Avaliação que contém questões de Língua Portuguesa e
Matemática.
A finalidade desta avaliação é melhorar o ensino de sua escola. Antes de dar
suas respostas, leia as instruções abaixo.

9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL


INSTRUÇÕES GERAIS
 Você está recebendo um Caderno de Avaliação de Matemática e de Língua Portuguesa e um
Cartão de Respostas.
 Comece escrevendo seu nome completo, nome da escola, turma e turno.
 Leia com atenção antes de responder e marque suas respostas neste caderno.
 Cada questão contém uma ÚNICA resposta correta. Faça um X na opção que você escolher
como certa.

03 – Em “Pedro saiu cedo de casa. Ele levou seu gato e seu pássaro ao veterinário”, a palavra “Ele”
está substituindo
(A) gato. (B) carro. (C) pássaro. (D)Pedro.

 Procure não deixar questão sem resposta.


 Você terá 25 minutos para responder cada bloco. Aguarde sempre o aviso do aplicador para
começar o bloco seguinte.
 Quando for autorizado pelo aplicador, transcreva suas respostas para o Cartão de Respostas,
utilizando caneta de tinta azul ou preta.
 Exemplo: se, na questão 1, você escolheu a letra A, marque sua resposta desta maneira:

 O Cartão de Respostas não poderá ser devolvido em branco, nem deverá ser rabiscado,
amassado, alterado ou rasurado.
 Em caso de dúvida ou engano, solicite ajuda ao aplicador.

 VIRE A PÁGINA SOMENTE QUANDO O APLICADOR AUTORIZAR.


 VOCÊ TERÁ 25 MINUTOS PARA RESPONDER AO BLOCO 1.
SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 2
BLOCO 1
LÍNGUA PORTUGUESA

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 3


BLOCO 01 – LÍNGUA PORTUGUESA

Leia o texto abaixo para responder a questão número 01.

Desperdícios de órgãos
Cerca de 50% dos órgãos potencialmente aptos para doação são desperdiçados no
Brasil, todos os anos. Os dados da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO)
apontam que entre os motivos desse desperdício estão a falta de notificação dos casos de
morte encefálica, o despreparo das equipes que abordam as famílias de doadores e a
infraestrutura hospitalar inadequada. Atualmente, a taxa de doações é de seis pessoas para
cada milhão de habitantes. Até quando o nosso país ignorará as 70 mil pessoas que
esperam por um transplante?
Revista Mundo Jovem. Abril 2008, p. 23.

QUESTÃO 01 – (SPAECE 2011)


O assunto tratado nesse texto é a
(A) doação de órgãos e as causas dos desperdícios.
(B) falta de notificação e os casos de morte encefálica.
(C) falta de preparo das equipes que abordam as famílias de doadores.
(D) inadequação de infraestrutura hospitalar para doação de órgãos.

Observe a tirinha abaixo:

QUESTÃO 02 – (EDITORA SARAIVA 5AEF)


Nesse texto, só o garoto tem desconto no corte de cabelo porque
(A) o cabeleireiro está ocupado.
(B) o cabeleireiro gosta de crianças.
(C) o garoto é educado.
(D) o garoto tem pouco cabelo.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 4


Leia o texto abaixo com atenção:

O recado depois dos travessões


Esta é a história de um menino viciado em romances. Com 12 anos, o garoto já
conhece o que muito adulto metido a sábio jamais conhecerá. Sabe que Julio Cortázar não
foi centroavante do Boca Juniors, que Ernest Hemingway nunca jogou no Los Angeles Lakers
e que são necessárias várias Iracemas para fazer uma Capitu.
Literatura é a sua obsessão. Almoça lendo Dickens, janta devorando Kafka, sonha com
os personagens de Saint-Exupéry, tem pesadelos com os de Allan Poe e Stephen King. Ama
os românticos e os realistas, os modernos e os oitocentistas. Essa fixação, é claro, o faz ser
um pouco diferente dos outros. Não que ele não conviva com os meninos de sua idade, não
participe de suas brincadeiras, não jogue bola com eles. Conversa. Participa. Joga. Tudo,
porém, ao seu estilo. Nas partidas de futebol, por exemplo, incentiva os companheiros com
o "vai", o "entra" e o "racha" de praxe, mas entre esses tradicionais gritos de guerra introduz
outros que soam aos ouvidos da petizada como pura feitiçaria: "eia", "sus", "às armas",
"avante". Goleiro do time, não tem vergonha de pedir ajuda com os usuais "volta", "marca",
"fecha" ou "pega firme". Até aí, tudo em casa. A confusão só se estabelece entre seus
zagueiros quando ele esquece onde está e começa a berrar "aqui-del-rei", "guarneçam os
flancos", "rechacem com denodo".
A família está habituada às suas literatices. Mas certos dias ele enfia na conversa
extravagâncias tamanhas que a avó, desconfiada, volta a pensar se não seria o caso de dar
umas palmadas no menino ou chamar um padre.
[...]
É assim o garoto viciado em romances. Se Machado de Assis dava seus recados mais
importantes nas entrelinhas, ele não fica atrás. Depois dos travessões é que se revela. Como
anteontem. A mãe saiu e o deixou encarregado de algumas tarefas.
Sozinho em casa, ele naturalmente fez o que todos imaginam: começou a ler.
Estava na parte de As Aventuras de Tom Sawyer em que o menino é perseguido na
caverna pelo terrível índio Joe, quando ouviu a chave na fechadura da sala e, segundos
depois, um estrondo na cozinha. O irmão, que tinha acabado de entrar, não precisou
perguntar nada. O garoto foi logo explicando: “Nada de pânico, caríssimo irmão. Foi só a
panela de pressão que explodiu – disse o jovem, correndo para a cozinha e já imaginando o
que aconteceria quando a mãe chegasse”.
(DREWNICK, Raul. Pais, filhos e outros bichos. São Paulo: Cia Editora Nacional, 2006)

QUESTÃO 03 – (SAERJ - adaptada)


Considerando o amor do menino pelos livros e o seu vocabulário, podemos dizer que ele
(A) briga com todos que estão ao seu redor.
(B) não valoriza aqueles que não são como ele.
(C) é diferente dos outros meninos.
(D) é triste e vive isolado num mundo diferente.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 5


QUESTÃO 04 – (SAEP 2013)
Observe este trecho do texto:
“Conversa. Participa. Joga. Tudo, porém, ao seu estilo”.
Qual das palavras destacadas acima NÃO forma um verbo?
(A) Joga
(B) Participa
(C) Tudo
(D) Conversa

Faça a leitura do texto a seguir para responder a questão 05.

O homem que entrou no cano


Abriu a torneira e entrou pelo cano. A princípio incomodava-o a estreiteza do tubo.
Depois se acostumou. E, com a água, foi seguindo. Andou quilômetros. Aqui e ali ouvia
barulhos familiares. Vez ou outra, um desvio, era uma secção que terminava em torneira.
Vários dias foi rodando, até que tudo se tornou monótono. O cano por dentro não
era interessante.
No primeiro desvio, entrou. Vozes de mulher. Uma criança brincava. Ficou na
torneira, à espera que abrissem. Então percebeu que as engrenagens giravam e caiu numa
pia. À sua volta era um branco imenso, uma água límpida. E a cara da menina aparecia
redonda e grande, a olhá-lo interessada. Ela gritou:
__ Mamãe, tem um homem dentro da pia.
Não obteve resposta. Esperou, tudo quieto. A menina se cansou, abriu o tampão e
ele desceu pelo esgoto.

QUESTÃO 05 – (PROVA BRASIL)


O conto cria uma expectativa no leitor pela situação incomum criada pelo enredo.
O resultado não foi o esperado porque

(A) a menina agiu como se fosse um fato normal.


(B) o homem demonstrou pouco interesse em sair do cano.
(C) as engrenagens da tubulação não funcionaram.
(D) a mãe não manifestou nenhum interesse pelo fato.

QUESTÃO 06 – (SPAECE 2011 adaptada)


Há uma expressão popular que se assemelha ao título desse conto: “entrar pelo cano”.
Qual das opções abaixo MELHOR explica esse outro sentido?
(A) Alguém que teve muita sorte na vida.
(B) Pessoa astuta, que foi capaz de enganar todos.
(C) Indivíduo que se deu mal em alguma situação.
(D) Cidadão que desapareceu por medo.
SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 6
Leia o texto abaixo com atenção:

A PEDRA NO CAMINHO
Conta-se a lenda de um rei que viveu num país além-mar há muitos anos. Ele era muito sábio e não
poupava esforços para ensinar bons hábitos a seu povo. Frequentemente fazia coisas que pareciam
estranhas e inúteis; mas tudo que fazia era para ensinar o povo a ser trabalhador e cauteloso.
– Nada de bom pode vir de uma nação – dizia ele – cujo povo reclama e espera que outros resolvam
seus problemas. Deus dá as coisas boas da vida a quem lida com os problemas por conta própria.
Uma noite, enquanto todos dormiam, ele pôs uma enorme pedra na estrada que passava pelo palácio.
Depois foi se esconder atrás de uma cerca, e esperou para ver o que acontecia.
Primeiro veio um fazendeiro com uma carroça carregada de sementes que ele levava para moagem na
usina.
– Quem já viu tamanho descuido? – disse ele contrariadamente, enquanto desviava sua parelha e
contornava a pedra. – Por que esses preguiçosos não mandam retirar essa pedra da estrada? – E continuou
reclamando da inutilidade dos outros, mas sem ao menos tocar, ele próprio, na pedra.
Logo depois, um jovem soldado veio cantando pela estrada. A longa pluma do seu quepe ondulava na brisa,
e uma espada reluzente pendia à sua cintura. Ele pensava na maravilhosa coragem que mostraria na guerra.
O soldado não viu a pedra, mas tropeçou nela e se estatelou no chão poeirento. Ergueu-se, sacudiu a
poeira da roupa, pegou a espada e enfureceu-se com os preguiçosos que insensatamente haviam largado
uma pedra imensa na estrada. Então, ele também se afastou, sem pensar uma única vez que ele próprio
poderia retirar a pedra.
Assim correu o dia. Todos que por ali passavam reclamavam e resmungavam por causa da pedra
colocada na estrada, mas ninguém a tocava.
Finalmente, ao cair da noite, a filha do moleiro por lá passou. Era muito trabalhadora, e estava cansada,
pois desde cedo andava ocupada no moinho.
Mas disse a si mesma: “Já está quase escurecendo, alguém pode tropeçar nesta pedra à noite e se ferir
gravemente. Vou tirá-la do caminho”.
E tentou arrastar dali a pedra. Era muito pesada, mas a moça a empurrou, e empurrou, e puxou, e
inclinou, até que conseguiu retirá-la do lugar. Para sua surpresa, encontrou uma caixa debaixo da pedra.
Ergueu a caixa. Era pesada, pois estava cheia de alguma coisa. Havia na tampa os seguintes dizeres:
“Esta caixa pertence a quem retirar a pedra.”
Ela abriu a caixa e descobriu que estava cheia de ouro.
A filha do moleiro foi para casa com o coração feliz. Quando o fazendeiro e o soldado e todos os outros
ouviram o que havia ocorrido, juntaram-se em torno do local na estrada onde a pedra estava. Revolveram o
pó da estrada com os pés, na esperança de encontrar um pedacinho de ouro.
– Meus amigos – disse o rei –, com frequência encontramos obstáculos e fardos no caminho. Podemos
reclamar em alto e bom som enquanto nos desviamos deles se assim preferirmos, ou podemos erguê-los e
descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça.
Então o sábio rei montou em seu cavalo e com um delicado boa-noite retirou-se.
(Autor desconhecido. O Livro das Virtudes. Ed. Nova Fronteira, 1996)

QUESTÃO 07 – (SAEP 2013)


A personagem principal do texto é o (a):
(A) filha do moleiro
(B) fazendeiro
(C) soldado
(D) rei

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 7


QUESTÃO 08 – (SPAECE 2011 adaptada)
O fazendeiro com a carroça carregada de sementes ficou contrariado porque:
(A) teve de desviar e contornar a pedra.
(B) não pôde mais prosseguir em sua viagem e teve de retornar.
(C) não conseguiu retirar a pedra.
(D) Sua carroça tombou ao bater na pedra.

QUESTÃO 09 – (SPAECE 2011 adaptada)


A frase que caracteriza o clímax da história é:
(A) “Todos que por ali passavam reclamavam e resmungavam...”
(B) “Ela abriu a caixa e descobriu que estava cheia de ouro”.
(C) “Já está quase escurecendo, alguém pode tropeçar nesta pedra à noite e se ferir
gravemente”.
(D) “Revolveram o pó da estrada com os pés, na esperança de encontrar um pedacinho de
ouro”.

QUESTÃO 10 – (SPAECE 2011 adaptada)


Em relação à mensagem que o texto procura transmitir, o título “A pedra no caminho”
significa que:
(A) havia uma pedra no caminho para o palácio que era impossível de ser retirada.
(B) uma pedra foi colocada no caminho do palácio apenas para testar as pessoas que por ali
passavam.
(C) ao retirar pedras do caminho, pode-se encontrar uma caixa cheia de ouro.
(D) a pedra pode ser associada a dificuldades que porventura possam surgir na vida das pessoas.

Observa a receita a seguir.

QUESTÃO 11 – (SAEP 2013)


O texto acima tem a finalidade de:
(A) argumentar
(B) instruir
(C) informar
(D) descrever
SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 8
BLOCO 2
LÍNGUA PORTUGUESA

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 9


BLOCO 02 – LÍNGUA PORTUGUESA

Leia o texto:

Quanto vai restar da floresta?


No fim do ano passado, cientistas do Brasil e dos Estados
Unidos fizeram uma previsão que deixou muita gente de cabelo
em pé: quase metade da Amazônia poderia sumir nos próximos
20 anos, devido a um projeto de asfaltar estradas, canalizar rios
e construir linhas de força e tubulação de gás na floresta.
O governo, que é responsável pela preservação da Amazônia
e pelas obras, acusou os cientistas de terem errado a conta e
estarem fazendo tempestade em copo d’água.
Você deve estar pensando, no final das contas, se a floresta está em perigo. A resposta é:
se nada for feito, está.
Fonte: Cláudio Ângelo, Folha de São Paulo, São Paulo, 10/02/2001.

QUESTÃO 01 – (Prova Paraná, 2009 - adaptada)


No texto, o autor está se dirigindo:
(A) Aos cientistas
(B) Ao governo
(C) A um amigo
(D) Ao leitor

Leia atentamente a tirinha a seguir:

QUESTÃO 02 – (SAEP 2012)


O elefante ao ver Bidu conversando com a sua namorada dá-lhe um chute porque
(A) pensou que Bidu estivesse querendo tomar sua namorada.
(B) ele não gostava de cachorros.
(C) a formiguinha pediu que ele o chutasse.
(D) o cachorrinho estava atrapalhando a sua passagem.
SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 10
Faça a leitura do texto abaixo com atenção:

Não somos campeões em Educação


Apesar de estarem na escola, as crianças brasileiras
não conseguem aprender tudo o que deveriam. Veja
estes dados chocantes:
A nota média do país é de 4,6 no ensino
fundamental I (1º ao 5º ano) e 4,0 no ensino
fundamental II (6º ao 9º ano). Os dados são do IDEB,
índice que mede a qualidade de ensino no país. A nota
que precisamos ter? Nota 6, no mínimo.
O Brasil tem um alto índice de crianças na escola -
97,8%. No entanto, não são poucas as que estão fora
das salas de aula: 660 mil meninas e meninos. Sendo
que 450 mil deles são negros. (Fonte: PNAD, 2007).
Segundo o PISA, o Programa Internacional de
Avaliação de Alunos mais difundidos no mundo, o Brasil
está em 54° lugar em Matemática (numa lista de 57
países) e em 49° lugar em leitura (numa lista de 56
países).
39,5% dos jovens brasileiros de 16 anos não
terminaram o ensino fundamental e 55,1% dos jovens
brasileiros de 19 anos não conseguiram concluir o
ensino médio. (Fonte: IBGE 2007).
Segundo o Indicador de Alfabetismo Funcional
(INAF), 74% da população brasileira não conseguem
desenvolver ou entender um texto simples.
Apenas 9,8% dos alunos do 3°ano do ensino médio
sabem o conteúdo esperado em Matemática e 24,5%, o
de Língua Portuguesa. (Fonte: SAEB, 2007).
42,6% dos alunos da 3º ano do ensino médio estão acima da idade adequada. (Fonte:
SAEB/INEP, 2007).
10 % dos jovens de 15 ou mais são analfabetos. (Fonte: INEP, 2005).
Apenas 25% da população brasileira adulta é plenamente alfabetizada. (Fonte: INAF, 2009).
Disponível em:
http://educarparac res cer.abri l. com.br/blog/boletimeducacao/2010/06/29/por-nao-somos-campeoes-em-educacao/comment-page-1/.

QUESTÃO 03 – (Prova Paraná, 2009 - adaptada)


De acordo com o texto, a maior parte da população brasileira é
(A) incapaz de produzir um texto simples.
(B) composta de analfabetos funcionais.
(C) composta por crianças pobres.
(D) alfabetizada plenamente .
SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 11
QUESTÃO 04 – (Prova Paraná, 2009 - adaptada)
O texto permite afirmar que, no Brasil,
(A) as crianças não aprendem a escrever satisfatoriamente.
(B) os alunos do ensino médio acima de quinze anos são analfabetos.
(C) os alunos do ensino médio aprendem Matemática e não Português.
(D) as crianças não aprendem a ler e a contar satisfatoriamente.

QUESTÃO 05 – (Prova Paraná, 2009 - adaptada)


O título do texto
(A) remete à conclusão de que somos os campeões em índices de analfabetismo.
(B) configura-se como uma negação dos dados apresentados.
(C) antecipa um ponto de vista que se confirma a partir dos dados apresentados.
(D) constitui-se uma declaração inverossímil segundo os dados apresentados.

QUESTÃO 06 – (Prova Paraná, 2009 - adaptada)


Segundo o texto, os resultados mais preocupantes da nossa educação estão no (a)
(A) ensino médio
(B) educação infantil
(C) educação fundamental I
(D) educação fundamental II

Leia esta fábula:

A Raposa e as Uvas
Uma Raposa, morta de fome, viu ao passar,
penduradas nas grades de uma viçosa videira, alguns
cachos de uvas negras e maduras.
Ela então usou de todos os seus dotes e artifícios
para pegá-las, mas como estavam fora do seu alcance,
acabou se cansando em vão, e nada conseguiu.
Por fim deu meia volta e foi embora, e consolando
a si mesma, meio desapontada disse:
__ Olhando com mais atenção, percebo agora que as uvas estão todas estragadas, e
não maduras como eu imaginei a princípio.
Esopo. http://sitededicas.uol.com.br/fabula30a.htm

QUESTÃO 07 – (Prova Rio 2011, adaptada)


Há uma opinião em
(A) a raposa viu, ao passar, alguns cachos de uvas negras e maduras.
(B) a raposa usou de todos os seus dotes e artifícios para pegar uvas.
(C) a raposa acabou se cansando em vão, e nada conseguiu.
(D) a raposa afirmou que as uvas estavam todas estragadas.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 12


Leia a história em quadrinhos que segue.

(Zigg, Ivan (criação e arte).Revista Ciência hoje das crianças, ICH, agosto de 2011, p.21.)

QUESTÃO 08 – (SPAECE 2011 - adaptada)


A expressão de Rex Holmes no último quadrinho da história revela ao leitor que ele estava
(A) emocionado por ter desvendado um caso tão complicado.
(B) em dúvida sobre a identidade do verdadeiro culpado.
(C) aborrecido por perceber que seu fiel companheiro Zíper havia desvendado o mistério
antes dele.
(D) envaidecido por ter solucionado, com sucesso, mais um enigma.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 13


Observe a letra da canção de Luiz Gonzaga.

Asa Branca
Quando "oiei" a terra ardendo Hoje longe, muitas légua
Qual a fogueira de São João Numa triste solidão
Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação Espero a chuva cair de novo
Pra mim vortar pro meu sertão
Que braseiro, que fornaia
Quando o verde dos teus "óio"
Nem um pé de "prantação" Se "espaiar" na prantação
Por farta d'água perdi meu gado Eu te asseguro não chore não, viu
Morreu de sede meu alazão Que eu vortarei, viu
Meu coração
Inté mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. Luiz Gonzaga. Vinil / CD
BMG: Brasil, 2001.
"Intonce" eu disse, adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração

QUESTÃO 09 – (SAEP – 2012)


O tema do texto é:
(A) a solidão dos sertanejos
(B) a fauna sertaneja
(C) a seca do Sertão
(D) a vegetação do Sertão

QUESTÃO 10 – (SAEP 2013)


A linguagem utilizada pelo autor é do tipo:
(A) técnica e rústica
(B) poética e regional
(C) poética e formal
(D) científica e informal

QUESTÃO 11 – (SAEP 2013)


A última estrofe indica que o cantor
(A) está decepcionado e triste com a sua terra.
(B) retornará ao fim da seca.
(C) Só voltará depois que completar a plantação.
(D) está voltando para sua terra.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 14


BLOCO 3
MATEMÁTICA

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 15


BLOCO 03 – MATEMÁTICA

Questão 01 – (SAEP 2013)

A casa de Maria Rita está localizada entre a Avenida A e a Avenida B, e o número de sua
quadra é um número par divisível por 4.
A quadra que está localizada a
casa de Maria Rita é a

(A) Quadra 6.
(B) Quadra 7.
(C) Quadra 8.
(D) Quadra 9.

Questão 02 – (SAEP 2013)


O jogo de xadrez é um jogo milenar, e para
todas as suas peças tem regras de movimento
específico, entre as quais o cavalo se
movimenta em forma de L de três casas em
qualquer direção. Na figura ao lado, os
pontos marcados representam as casas que o
cavalo pode alcançar, estando na casa g6.

Dentre as casas que o cavalo poderá alcançar, partindo da casa f4 e fazendo uma única
jogada, estão

(A) h4 ou e5.
(B) g2 ou d3.
(C) d6 ou h6.
(D) d2 ou d6.

Questão 03 – (SAEP 2013)

Observe a figura abaixo. Essa planificação corresponde a

(A) cubo.
(B) prisma.
(C) pirâmide.
(D) cone.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 16


Questão 04 – (SAEP 2013)

Alfredo corre todo o dia em torno de uma praça a qual tem formato retangular. A dimensão
da praça é de 500 metros de largura por 600 metros de comprimento. Ele dá quatro voltas
em torno da praça todos os dias. Alfredo percorre todos os dias um total de

(A) 2,2 km.


(B) 4,4 km.
(C) 8,8 km.
(D) 300 km.

Questão 05 – (SAEP 2013)

Observe o mosaico abaixo.

Cada quadradinho do mosaico corresponde a 1 m² de área.


A área correspondente à parte branca do mosaico é igual a

(A) 30%.
(B) 36%.
(C) 34%.
(D) 64%.

Questão 06 – (SAEP 2013)


O valor do ângulo x é
Observe a figura abaixo.
(A) 50º.
(B) 90º.
(C) 130º.
(D) 180º.

Questão 07 – (SAEP 2013)


No relógio abaixo, observe a posição dos ponteiros.
Decorridas 6 horas, qual é o
ângulo formado pelos ponteiros
do relógio?
(A) 0°
(B) 360°
(C) 90°
(D) 180°

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 17


Questão 08 – (SAEP 2013)

A figura ao lado representa uma árvore de


natal. Para construir uma miniatura dessa
torre que tenha dimensões 8 vezes menores
que a original, deve-se

(A) multiplicar as dimensões da original por 8.


(B) dividir as dimensões da original por 8.
(C) multiplicar as dimensões da original por 4.
(D) dividir as dimensões da original por 4.

Questão 09 – (SAEP 2013)


Observe a figura ao lado.
Considere o lado de cada quadradinho como
unidade de medida de comprimento. Para que o
perímetro do retângulo seja reduzido à metade,
a medida de cada lado deverá ser

(A) dividida por 2.


(B) multiplicada por 2.
(C) aumentada em 2 unidades.
(D) dividida por 3.

Questão 10 – (SAEP 2013)

A professora de Maria pediu-lhe que resolvesse a seguinte expressão:

0,2 + 0,8² + 0,25 + 2,75 – 3.

O resultado dessa expressão encontrado por Maria é igual a

(A) 0,28.
(B) 0,84.
(C) 1,28.
(D) 1,84.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 18


Questão 11 – (SAEP 2012)

Observe a malha quadriculada abaixo.

O lado de cada quadradinho na malha quadriculada acima mede um centímetro. A área da


parte destacada em forma de T na malha quadriculada é igual a

(A) 20 cm².
(B) 24 cm².
(C) 44 cm².
(D) 64 cm².

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 19


SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 20
BLOCO 4
MATEMÁTICA

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 21


BLOCO 04 - MATEMÁTICA

Questão 01 – (SAEP 2013)

Miranda resolveu a expressão a seguir:


2³ + 0,1 ÷ 5 + 7,5 – 2,05.
O resultado encontrado por ele foi
(A) 11,02.
(B) 11,47.
(C) 13,02.
(D) 13,47.

Questão 02 – (SAEP 2013)

Observe a reta numérica abaixo.

O inteiro zero está localizado no ponto e. Os valores de a e b corresponde a

(A) 4 e 5.
(B) -4 e -5.
(C) 3 e 4.
(D) -4 e -3.

Questão 03 – (SAEP 2013)

Um terreno no formato de um triângulo equilátero tem lado medindo 3,5 quilômetros. O


perímetro desse terreno é igual a

(A) 3500m.
(B) 6500m.
(C) 9500m.
(D) 10500m.

Questão 04 – (SAEP 2013)


Observe a figura ao lado.
O perímetro da figura ao lado será igual a

(A) 350m.
(B) 450m.
(C) 5000m.
(D) 7000m.
SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 22
Questão 05 – (SAEP 2013)

Observando a reta abaixo, Renato descobriu a posição do algarismo zero.

A letra correspondente ao algarismo zero descoberta por Renato é

(A) c.
(B) d.
(C) e.
(D) f.

Questão 06 – (SAEP 2013)

Observe a reta abaixo.

O número , nessa reta numérica esta localizado entre as letras

(A) b e a.
(B) d e e.
(C) e e f.
(D) f e g

Questão 07 – (SAEP 2013)

Observe o triângulo abaixo.

Observando as medidas dos ângulos desse triangulo,


podemos afirmar que ele é um triângulo

(A) retângulo
(B) acutângulo
(C) obtusângulo
(D) isósceles

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 23


Questão 08 – (SAEP 2013)

Naldo desenhou dois triângulos, sendo que o triângulo UVX é uma redução do triângulo
RST.

A medida y do lado UX é igual a

(A) 2 cm.
(B) 2,5 cm.
(C) 6 cm.
(D) 10 cm.

Questão 09 – (SAEP 2013)

Observe as figuras planas abaixo. Qual tem todos os ângulos retos?

Questão 10 – (Prova Brasil)

Observe as figuras abaixo.

Retângulo Quadrado

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 24


Considerando essas figuras,

(A) os ângulos do retângulo e do quadrado são diferentes.


(B) somente o quadrado é um quadrilátero.
(C) o retângulo e o quadrado são quadriláteros.
(D) o retângulo tem todos os lados com a mesma medida.

Questão 11 – (SAEP 2013)

A figura abaixo representa um terreno no qual o valor de x é igual a 20 quilômetros

O perímetro da figura em questão é igual a

(A) km.
(B) 130 km.
(C) 125 km.
(D) 115 km.

SAEP – Sistema de Avaliação Educacional de Palmas (TO) – Avaliação 1 – Fevereiro/2013 25