Você está na página 1de 128

‫בית מדרש‬

Beth Midrash LIÇÕES CONTEXTUALIZADAS PARA


COMUNIDADES JUDAICO-ADVENTISTAS
Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778

‫תיקון עולם‬
Tikun Olam
reparação do mundo:
administração da vida

1T
AUTOR John H. H. Mathews
‫תיקון עולם‬
CONTEXTUALIZAÇÃO
EDITOR Roberto Rheinlander Rebello
PROJETO GRÁFICO Henrique Felix
CONTEXTUALIZAÇÃO Alexandre
Tikun Olam
reparação do mundo:
administração da vida
Vargas, Carlos Muniz, José Cristiano
Sampaio, Roberto Rheinlander
Rebello, Vinicius Assef, Lucas Fridman
REVISORES Wilian Cardoso, Roberto
Rheinlander, Roger Rheinlander,
Tamar Abreu Guimarães, Carlos
Muniz, Lucas Fridman
CONSELHEIROS Dr. Richard Amran Índice
Elofer, Dr. Reinaldo Siqueira.

Sobre o Autor 04
Introdução 05
1 A influência do materialismo 06
2 Vejo, quero, pego 14
3 Hashem ou Mamom 22
CONFERÊNCIA GERAL 4 Fugindo do mundanismo 30
Dr. Richard Amram Elofer, PhD 5 Administradores após o Gan Éden 38
DIVISÃO SUL AMERICANA 6 Marcas de um Administrador 46
Dr. Reinaldo Siqueira, PhD
7 Honestidade para com Hashem 54
8 O impacto da fidelidade no maasser 62
BELO HORIZONTE, MG
Rua Aveiro 367 - S. Francisco 9 Ofertas de gratidão (zevach todá) 70
Marcos Nardy
10 A função da Administração fiel 78
CAMPINAS, SP 11 Dívida: uma decisão diária 86
Rua Espanha, 260 - Bonfim
Lucas Iglesias 12 Os hábitos de um administrador fiel 94
CURITIBA, PR 13 Resultados da administração fiel 102
Av. Munhoz da Rocha, 168 - Juvevê Glossário e Abreviações 110
Bruno Santelli
Horários 118
FLORIANÓPOLIS, SC
Rua Visconde de Ouro Preto, 347 - Centro Calendário 122
Cristiano Silva Bençãos Diversas 124
MANAUS, AM
Rua M/N, 5 - Morada do Sol
Wilian Cardoso

RIO DE JANEIRO, RJ
Rua Dezenove de fevereiro, 140 - Botafogo Notas
Thiago Fiúza
1 Este guia de estudo é uma versão adaptada das lições da Escola Sabatina
SÃO PAULO, SP ao contexto Judaico-Adventista. É usada pelos membros das Beth Bnei Tsion
Rua Armando Penteado, 291 - Higienópolis [Comunidades Judaico-Adventistas] como auxiliar e apoio ao estudo semanal.
Rogel Tavares Visa tornar a linguagem mais acessível a esse contexto. O conteúdo original é
preservado usando apenas adaptações contextuais.
2 As versões bíblicas adotadas preferencialmente nessa contextualização são
"Bíblia Judaica Completa" traduzida por David H. Stern, "Bíblia Hebraica" tra-
duzida por David Gorodovits e Jairo Fridlin e Orthodox Jewish Bible.
3 As referências para estudo semanal (Parashá, Haftará, leitura anual da Bíblia,
Leitura Reavivados por Sua Palavra [Leitura RPSP:] Crede em seus profetas
CSP) e costumes e festas encontram-se junto aos estudos diários.
4 Demais informações, horário do pôr-do-sol, acendimento de velas, datas fes-
tivas e Glossário encontram-se anexos ao final deste guia.
Sobre o Autor

John H. H. Mathews
J John é formado pela Southern Adventist University e
possui um diploma de Doutorado em Ministério pela An-
drews University. Ele é o principal autor do Guia de estudo
da Bíblia para adultos deste trimestre, Live Stewardship ...
Live Happy.
Possui Stewardship Certification pela Divisão Norte-A-
mericana, Stewardship Professional (CSP) pela Leadership
Alliance, Planned Giving and Trust Service Certification
pela Divisão Norte-Americana e Certified Specialist in Plan-
ned Giving (CSPG) pela Universidade Estadual da Califórnia.
Sua paixão é ensinar princípios de administração, espe-
cialmente quando se relacionam com a espiritualidade da
gestão do dinheiro na cultura pós-moderna. John é casado
com Janice Schram Mathews, enfermeira. Eles têm uma fi-
lha casada, Angela, e já são avós.

4 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Introdução

A vida de um Administrador
T ikun Olam vem da expressão em hebraico que visa administrar a vida relacionando-
-a com a espiritualidade. Tem como objetivo melhorar, consertar, preparar, arrumar,
ou apenas fazer algo (Tikun) com o mundo (Olam). Precisamos reconhecer nossa condi-
ção de pecadores antes de enxergar a necessidade de mudança. A transformação só pode
ocorrer pela atuação do Mashiach em nossa vida. Tikun Olam é uma expressão dessa
mudança. Em sentido amplo, Tikun Olam é a administração de posses tangíveis e intan-
gíveis para a glória do Eterno.
De acordo com a Bíblia, a administração (quando relacionado com a espiritualidade)
é um instrumento poderoso contra os perigos do materialismo (o amor pelas coisas) ou do
mundanismo em geral (uma das grandes armadilhas espirituais que o adversário apre-
senta). Muitos não percebem que as riquezas e bens são temperos baratos e artificiais que,
no fim, perdem seu sabor. Infelizmente, muitos não desfrutarão do Olam Habá pela inca-
pacidade de se libertar do amor pelo Olam Hazê. os desejos da velha natureza, os desejos
dos olhos e as exigências da vida" (1Jo 2:16) podem ser amenizados e até mesmo evitados
mediante os princípios de administração que vivemos.
Neste trimestre, estudaremos a administração da vida espiritual e a maneira pela
qual D'us deseja que vivamos, o que inclui a libertação do amor pelo Olam Hazê. Admi-
nistração espiritual é a expressão prática do que significa seguir o Mashiach e do nosso
amor a D'us, um meio de viver a verdade que recebemos. Somos administradores zelosos
porque D'us nos amou primeiro.
Devemos ser servos fiéis e dignos da confiança de D'us e viver de maneira altruísta,
ligando-nos a Yeshua em nossas palavras e ações. Na Yeshivá do Mashiach, descobrimos
que o resultado da administração é o contentamento com a vida justa. Devemos admi-
nistrar as posses de D'us para Sua glória, sustentando financeiramente Sua missão para
concluir Sua obra de Tikun Olam.
Nossa vida reflete o caráter de D'us para o mundo. Há beleza, felicidade e piedade na
vida daqueles que ousam defender os princípios bíblicos, que vão especialmente contra
a tendência da nossa cultura.
No fim, ouviremos apenas uma declaração de reprovação (Mt 7:23) ou de aprovação
(Mt 25:23). Oramos para que a Administração da vida espiritual o ajude a seguir no ca-
minho da aprovação.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 5


Lição 1 31 de dezembro a 6 de janeiro | 13 a 19 Tevet

A influência do materialismo
VERSO PARA MEMORIZAR
"Em outras palavras, não se deixem conformar aos padrões do Olam Hazê. Em vez disso,
continuem se transformando mediante a renovação de sua mente, para que saibam o
que D'us deseja" (Rm 12:2)

LEITURAS DA SEMANA
1Jo 2:16, 17; Lc 14:26-33; 12:15-21; Dt 8:10-14; 1Tm 6:10; Jo 15:5; Gl 2:20

Introdução

A s Escrituras mandam que Seu povo não se conforme "com os padrões do Olam
Hazê" (Rm 12:2), mas a sedução do materialismo, o desejo excessivo por rique-
za e pelo que pensamos que a riqueza pode trazer são poderosos. Pouquíssimas pes-
soas, ricas ou pobres, estão fora do alcance do materialismo, inclusive os religiosos.
Não há nada de errado em ser rico, nem mesmo em trabalhar com empenho
para prosperar a fim de prover sustento e conforto para si e para a família. Mas
quando o dinheiro ou sua busca passam a abranger todas as coisas, caímos na arma-
dilha do adversário e nos conformamos "com os padrões do Olam Hazê".
O mundo transmite a ideia de que a vida boa e abundante só pode ser encontra-
da no dinheiro. Mas o dinheiro é uma máscara por trás da qual hasatan se esconde
para garantir nossa lealdade. O materialismo é uma das armas preferidas do adver-
sário contra nós. Afinal, quem não gosta de dinheiro e do que ele pode nos propor-
cionar aqui e agora? Sua maior façanha é a gratificação instantânea, mas, no fim
das contas, ele não pode satisfazer nossas necessidades mais profundas.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 13 ‫ שמות‬SHEMOT [Nomes]: Êx 1.1-6.1


HAFTARÁ: Is 27.6-28.13; 29.22-23
BRIT CHADASHÁ: Mt 22.23-33, 41-46; Mc 12.18-27, 35-37; Lc 20.27-44; At 3.12-15; 5.27-32;
7.17-36;22.12-16; 24.14-16; Hb 11.23-26
TEHILIM: Sl 99
6 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬
31 de dezembro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 13 Tevet Domingo

Senhor deste mundo

O dinheiro se tornou o deus deste mundo, e o materialismo é sua religião. O materia-


lismo é um sistema sofisticado e traiçoeiro que oferece estabilidade temporária, mas
não segurança suprema.
O materialismo, como o definimos aqui, ocorre quando o desejo por riquezas e pos-
ses se torna mais importante e valioso do que as realidades espirituais. Bens podem ser
valiosos, mas seu valor não deve nos possuir: "Não se saciará com dinheiro o que ama a
prata, nem considerará ter bastante o que ama a opulência, pois também isto é vão e
fútil." (Ec 5:9[10]).
Esse é o problema de desejar as coisas deste mundo: não importa quanto obtenha-
mos, nunca será suficiente; esforçamo-nos cada vez mais para obter cada vez mais algo
que nunca consegue nos satisfazer. Essa é uma grande armadilha!

1. De acordo com 1 Yochanan, o que realmente importa (1Jo 2:16, 17)?

2. Leia Lucas 14:26-33. De acordo com o Mashiach, o que é de suprema importância


para nós?

Talvez poderíamos dizer o seguinte: aqueles para quem o dinheiro, ou o desejo pelo
dinheiro, torna-se uma realidade que consome todas as suas energias devem, na verda-
de, calcular o custo. "De fato, que benefício obterá alguém em ganhar o mundo todo, es-
quecendo-se, porém, da própria vida?" (Mc 8:36).
"Quando Mashiach veio à Terra, a humanidade parecia estar rapidamente atingindo
seu ponto mais degradante. Os próprios fundamentos da sociedade estavam minados. A
vida havia se tornado falsa e artificial. Pelo mundo todo, todos os sistemas de religião
estavam perdendo seu poder sobre a mente. Desgostosos com as fábulas e falsidades, e
procurando abafar o pensamento, os homens volviam à incredulidade e ao materialis-
mo. Deixando de contar com a eternidade, viviam para o presente" (1).

Pessoas voltavam-se à incredulidade, ao materialismo, e viviam apenas para o presente.


Isso parece familiar? Quem não gosta de possuir coisas? As coisas também nos possuem?
Quem é o único que deve nos possuir? Temos certeza de que Ele o faz?

ESTUDO DIÁRIO

Shemot, 1ª Alyá (Êx 1:1-1:17)


Leitura mensal Tehilim Sl 69-71
Leitura RPSP Hc 1
Leitura anual completa Vista geral de toda a Bíblia

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 7


Segunda 1 de janeiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 14 Tevet

Enchendo os celeiros
3. Leia Lucas 12:15-21. Qual é a mensagem desse texto? Como esse princípio se aplica
a alguém que não seja necessariamente rico?

Q uer sejamos ricos quer pobres, o desejo de possuir as coisas pode desviar a
mente do que realmente importa e fazer com que nos concentremos, em vez
disso, no que é apenas temporal, fugaz e que resultará em morte eterna.
Provavelmente jamais nos curvemos diante de uma estátua de ouro ou prata
nem a adoremos. No entanto, ainda podemos estar em perigo de adorar o ouro e a
prata em outras formas.
Essa realidade é aplicável em muitas partes do mundo, onde a vida é dedicada
quase que exclusivamente à aquisição de bens. Em uma escala global, os varejistas
tornaram a venda de seus produtos uma forma de arte. Toda a sua estratégia de
marketing é desenvolvida para nos fazer pensar que não podemos ser felizes nem
satisfeitos até que tenhamos o que eles estão vendendo. Uma empresa muito bem-
-sucedida criou um produto, fez-nos pensar que precisávamos dele, e depois o ven-
deu para nós. E a verdade é que funcionou! Mesmo para nós, cuja esperança está no
Olam Habá, não estamos a salvo desse engano.

4. Leia Devarim 8:10-14. Qual é o perigo descrito nessa passagem (Dt 8:10-14)?

Será que o acúmulo de riqueza e posses materiais faz crescer a espiritualidade, o amor a D'us
e o desejo pelas coisas celestiais e espirituais? Você pode encontrar exemplos disso na Bíblia
ou no mundo de hoje?

ESTUDO DIÁRIO

Parashat Shemot, 2ª Alyá (Êx 1:18-2:10)


Leitura mensal Tehilim Sl 72-16
Leitura RPSP Hb 2
Leitura anual completa Gn 1-3

8 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


2 de janeiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 15 Tevet Terça

A fascinação do materialismo

O mundo publicitário é poderoso. As empresas gastam bilhões para expor imagens de


seus produtos diante de nós. Elas quase sempre usam pessoas bonitas e atraentes
para promover o que estão vendendo. Olhamos para o anúncio e nos vemos, não apenas
com o produto, mas realmente como as pessoas daquele anúncio publicitário.
O materialismo não seria tão eficaz se não fosse pela sensualidade sutil (e às vezes
não tão sutil) embutida na propaganda. A sensualidade é a técnica publicitária mais po-
derosa, mas ela age como veneno para a maioria das pessoas que estão lutando contra
os perigos do materialismo.

5. Leia Mattityahu 6. O que os olhos representam, de acordo com o pensamento e


ação determinada (Mt 6:22-24)?

A propaganda que associa sensualidade aos produtos pode se tornar uma ferramen-
ta poderosa. Os varejistas vendem suas mercadorias criando entusiasmo na mente dos
consumidores. A experiência é pura fantasia, mas funciona. Pode ser quase mística, le-
vando as pessoas, ainda que brevemente, ao que parece ser outro domínio da existência.
Ela se torna uma falsa religião que não oferece nenhum conhecimento nem verdade
espiritual, porém é tão atraente e sedutora que muitas pessoas não resistem a ela. De-
sejamos ter essa experiência e sentimos que a merecemos, então por que não a obter?
Somente o Eterno sabe as enormes quantias que foram e ainda serão gastas em coisas
que os anunciantes nos convenceram de que precisamos.

6. "Minha mensagem é: vivam pelo Espírito; então vocês não farão nada do que a
velha natureza (Yetser Hará) deseja." (Gl 5:16). Embora tendamos a pensar na "velha
natureza" apenas em termos sexuais, em que outros aspectos estamos em perigo de
satisfazer essa concupiscência?

ESTUDO DIÁRIO

Shemot, 3ª Alyá (Êx 2:11-2:25)


Leitura mensal Tehilim Sl 77-78
Leitura RPSP Hc 3
Leitura anual completa Gn 4-7

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 9


Quarta 3 de janeiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 16 Tevet

Amor próprio

"P or isso, digo a cada um de vocês, pela graça que me foi dada, que não exagerem nas idéias
sobre a própria importância. Em vez disso, desenvolvam uma avaliação sóbria de si mes-
mos, baseada no padrão dado por D'us a cada um, isto é, a confiança." (Rm 12:3).
D'us disse: "O teu coração se tornou orgulhoso por causa de tua formosura; corrompeste a
tua sabedoria devido a teu resplendor." (Ez 28:17). Satan (heilel ben shachar) enganou a si mes-
mo, julgando-se superior ao que ele realmente era. Quando disse em seu coração: "Serei como
o Altíssimo" (Is 14:14), ele revelou ambição própria, reivindicando direitos que não possuía.
Cobiça e engano próprios eram dois traços do coração caído do adversário.
Esses textos sobre a queda de satan nos revelam, em muitos aspectos, que o narcisismo é
o primeiro pecado, definido pelo dicionário como "fascínio exagerado para consigo mesmo;
amor próprio, vaidade". Além desses, quais traços, em cada ser humano pecador, são evidên-
cias maiores do autoengano?
Esses traços são mais comuns do que imaginamos. De modo arrogante, Nabucodonosor se
julgou superior ao que ele realmente era (Dn 4:30). Muitos parushim também aprenderam a
acreditar nessa fantasia sedutora (veja Lc 18:11, 12). Se não tivermos cuidado, a riqueza tam-
bém poderá nos levar a esse mesmo engano.

7. Leia 1 Timóteo 6:10. Qual é o perigo sobre o qual Rabi Shaul advertiu?

Shaul instruiu Timóteo a se acautelar de muitos tipos de pessoas ruins (2Tm 3:1-5), in-
cluindo "os avarentos". O amor ao dinheiro promove o excesso de confiança e uma postura
de egocentrismo e presunção. Isso ocorre porque o materialismo incute nas pessoas que têm
grandes posses um elevado senso de importância. Quando se tem muito dinheiro, é fácil esti-
mar a si mesmo mais do que se deveria. Afinal, quase todo mundo quer ser rico, mas apenas
um número muito pequeno de pessoas consegue. Por isso, é fácil para os ricos se tornarem
egocêntricos, orgulhosos e jactanciosos.

Leia Filipenses 2:3. Por que o materialismo e as atitudes que ele promove são tão contrá-
rios ao ideal de D'us?

ESTUDO DIÁRIO

Shemot, 4ª Alyá (Êx 3:1-3:15)


Leitura mensal Tehilim Sl 79-82
Leitura RPSP Sf 1
Leitura anual completa Gn 8-11

10 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


4 de janeiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 17 Tevet Quinta

A total futilidade do materialismo

H á muitas pessoas que amam Hashem. Sua identidade é unida à Dele de uma forma
que os bens materiais não podem separar.

8. De acordo com os livros Devarim, 1Kefa, Yochanan e Gálatas, o que significa ser
propriedade exclusiva de D'us? Onde encontramos nossa verdadeira identidade (Dt
7:6; 1Pd 2:9, Jo 15:5 e Gl 2:20)?

Yeshua disse: "Eu Sou a videira, vós, os ramos (…); sem Mim nada podeis fazer" (Jo 15:5).
A ligação é direta e firme. "Toda verdadeira obediência vem do coração. Desse proce-
dia também a do Mashiach. E se consentirmos, Ele de tal forma Se identificará com nossos
pensamentos e ideais, dirigirá nosso coração e espírito em tanta conformidade com Seu
querer, que, obedecendo-Lhe, não estaremos senão seguindo nossos próprios impulsos" (2).
Por outro lado, o materialismo nos oferece uma identidade semelhante às nossas
posses. Em outras palavras, nós nos definimos com base no que possuímos e nos bens
deste mundo que podemos comprar. Yaacov (Tiago) nos advertiu contra isso: "seu ouro e
prata enferrujaram, e a corrosão deles testemunhará contra vocês e devorará sua carne
como fogo! Estamos no acharit hayamim, e vocês continuam acumulando bens!" (Tg 5:3).
"Acumular" significa juntar e armazenar muitos tesouros; e ainda mais importante, nes-
ses tesouros, muitos encontram sua identidade (Lc 12:19-21).
O materialismo é uma forma de desordem de identidade. Isso significa que, para mui-
tos de nós, nossa identidade se funde com nossos bens. Nossas posses se tornam nosso D'us
(Mt 6:19-21). Alguém disse: "Eu não sou nada sem as minhas coisas." Como é triste que
possamos encontrar nossa identidade apenas por meio de bens terrestres! Que maneira
superficial, efêmera e, finalmente, fútil de viver, especialmente para alguém que afirma
ser fiel! Identificamo-nos com D'us ou com nossas posses? No fim, será com um ou outro.

Quanto de sua identidade está relacionada às coisas que você possui?

ESTUDO DIÁRIO

Shemot, 5ª Alyá (Êx 3:16-4:17)


Leitura mensal Tehilim Sl 83-87
Leitura RPSP Sf 2
Leitura anual completa Gn 12-15

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 11


Sexta 5 de janeiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 18 Tevet

Estudo adicional

"H oje o inimigo compra indivíduos a preço bem baixo. 'Por nada fostes vendidos' (Is
52:3) é a linguagem das Escrituras. Um se vende pelos aplausos do mundo, outro por
dinheiro; um para satisfazer a paixões baixas, outro por diversões mundanas. Essas transa-
ções são efetuadas diariamente. O satan faz ofertas por aqueles que são aquisição do sangue
do Mashiach, e compra-os a baixo preço, apesar do preço infinito pago por seu resgate" (3).
Comprar pessoas por meio do materialismo é o objetivo de satan, e suas armadilhas
superficiais atraem todo coração. O materialismo não pode falar, mas conhece todas as lín-
guas. Sabe como proporcionar prazer e gratificação aos ricos e aos pobres e fazê-los dizer:
"Tenho tudo de que preciso aqui; por que me preocupar com qualquer outra coisa?" Assim
o materialismo corrompe a mente e faz com que as pessoas confiem no que possuem, em
vez de confiar no Eterno. No entanto, o antídoto é "Não pelo poder, nem pela força, mas
por Meu Espírito!" (Zc 4:6). O materialismo não pode resistir ao domínio do Ruach HaKo-
desh quando nos entregamos ao Eterno e decidimos, por Sua chessed, não deixar que o
amor ao dinheiro governe nossa vida.

PERGUNTA PARA REFLEXÃO


1 Os pobres também podem ser assolados pelos perigos que estudamos nesta semana?
Como isso pode ocorrer?
2 Alguns dizem: "Não me importo com dinheiro. A riqueza não significa nada para mim."
Às vezes, os que dizem isso têm muito dinheiro. Por que, na maioria dos casos, isso não
é verdade? As finanças são importantes e têm uma função em nossa vida. Como enten-
der o dinheiro e nossa necessidade dele na perspectiva bíblica correta?
3 Leia atentamente as palavras de Yeshua em Mateus 6:19-21. Essas palavras são uma
maneira poderosa de nos proteger dos perigos do materialismo?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Shemot, 6ª Alyá (Êx 4:18-4:31)


Leitura mensal Tehilim Sl 88-89
Leitura RPSP Sf 3
Leitura anual completa Gn 16-19

12 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

6 de janeiro | ‫ שבת‬Shabat 19 Tevet

ESTUDO DIÁRIO

Shemot, 7ª Alyá (Êx 5:1-6:1)


Leitura mensal Tehilim Sl 90-96
Leitura RPSP Ag 1
Leitura anual completa Gn 20-22
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 1 e 2

REFERÊNCIAS LIÇÃO 1

(1)
Ellen G. White, Educação, p. 74, 75 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 668 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 5, p. 133 (contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 13


Lição 2 7 a 13 de janeiro | 20 a 26 Tevet

Vejo, quero, pego


VERSO PARA MEMORIZAR
"Quanto ao que foi semeado entre os espinhos, este é quem ouve a mensagem, mas
a preocupação desta vida e o fascínio enganoso das riquezas o sufocam, tornando-o
infrutífero." (Mt 13:22)

LEITURAS DA SEMANA
2Co 8:1-7; Mt 13:3-7, 22; Gn 3:1-6; Is 56:11; Mt 26:14-16; 2Pe 1:5-9

Introdução

O amor ao dinheiro e aos bens materiais pode nos atingir de muitos ângulos dife-
rentes. A escritora Ellen G. White descreveu o engano de satan para nos atrair
por meio das armadilhas do materialismo. "Vão, façam com que os donos de terras e
de dinheiro se embriaguem com os cuidados desta vida. Apresentem o mundo dian-
te deles em sua mais atraente luz, de modo que acumulem seu tesouro aqui, e fixem
sua atenção sobre as coisas terrestres. Devemos fazer o máximo para evitar que os
que trabalham na causa do Eterno obtenham meios para usar contra nós. Conser-
vem o dinheiro em nossas próprias fileiras. Quanto mais dinheiro obtiverem, tanto
mais prejudicarão nosso reino tirando de nós os nossos súditos. Façam com que
se preocupem mais com o dinheiro do que com edificação do reino do Melech Ha-
mashiach e a disseminação das verdades que odiamos, e não precisamos temer-lhes
a influência pois sabemos que toda pessoa egoísta e cobiçosa cairá em nosso poder,
e finalmente se separará do povo de D'us" (1).
Infelizmente, este engano parece estar funcionando bem. Consideremos, então,
esses perigos e o que as escrituras nos revelam, a fim de que evitemos essa arma-
dilha espiritual.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 14 ‫ וארא‬VAERA [Apareci]: Êx 6.2-9.35


HAFTARÁ: Ez 28.25-29.21
BRIT CHADASHÁ: 2Co 6.14-7.1; Rm 9.14-24
TEHILIM: Sl 46

14 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


7 de janeiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 20 Tevet Domingo

Teologia da prosperidade

U m pregador popular da televisão tem uma mensagem simples: "D'us quer abençoá-
-lo, e a prova da Sua bênção é a abundância de bens materiais que você possui." Em
outras palavras, se você for fiel, o D'us o tornará rico.
Esse pensamento, ou variações dele, tem sido chamado de "Teologia da prosperida-
de". Sua mensagem é: "Siga a D'us, e Ele o enriquecerá com bens materiais". Essa ideia
não é senão uma falsa justificativa teológica para o materialismo, pois o que ela realmen-
te está dizendo é o seguinte: "Você quer ser materialista e se sentir se bem com isso? Bem,
temos 'teologia' para você!"
No entanto, relacionar a teologia à riqueza garantida é uma ênfase equivocada. Essa
crença cria uma dissonância em relação às Escrituras e reflete uma teologia egocêntrica
que não é nada mais do que uma meia-verdade revestida em linguagem bíblica. Na es-
sência dessa mentira está a questão central de todo pecado, que é o ego e o desejo de
agradar a si mesmo acima de todas as outras coisas.
A teologia da prosperidade ensina que, ao dar a D'us, recebemos em troca uma ga-
rantia de prosperidade material. Mas isso torna o Eterno uma máquina de venda auto-
mática e transforma nosso relacionamento com Ele apenas um negócio: eu faço isso, e
você promete fazer aquilo em troca. Fazemos tsedacá, não porque seja a coisa certa a
fazer, mas pelo que ganhamos em troca. Essa é a Teologia da prosperidade.

1. Leia 2Co 8:1-7. Quais princípios, nesse texto, vão contra a ideia da teologia da pros-
peridade? O que Shaul quis dizer quando falou do "privilégio de contribuir"?

Embora estivessem vivendo em "extrema pobreza", essas pessoas eram muito gene-
rosas, doando ainda mais do que podiam (2Co 8:2). Textos como esse, e muitos outros,
refutam a falsa teologia da prosperidade, segundo a qual, se estamos vivendo correta-
mente diante de D'us, teremos muitos bens materiais como demonstração disso.

Você tem exemplos de pessoas fiéis a D'us, mas que não são ricas em bens materiais? E as
que não são fiéis, mas têm prosperidade financeira? O que isso revela sobre o uso da riqueza
como indicador das bençãos do Eterno?

ESTUDO DIÁRIO

Vaerá, 1ª Alyá (Êx 6:2-6:13)


Leitura mensal Tehilim Sl 97-103
Leitura RPSP Ag 2
Leitura anual completa Gn 23-25

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 15


Segunda 8 de janeiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 21 Tevet

Visão espiritual obscurecida

A s Escrituras ensinam uma verdade óbvia: os cuidados desta vida e as riquezas são
temporários. Nada permanece, e as coisas do mundo não duram muito tempo. Como
disse Shaul: "Não nos concentramos no que se vê, mas no que não se vê, porque as coisas
visíveis são temporárias, mas as invisíveis são eternas." (2Co 4:18). Nossa visão torna-se
míope quando seu foco está nos cuidados do Olam Hazê, e não no caminho para o Olam
Rabá. Poucas coisas podem cegar seus olhos mais do que o engano das riquezas. Helen
Keller, que era cega, disse: "A pessoa mais patética do mundo é aquela que enxerga, mas
não vê." A Bíblia está repleta de exemplos de pessoas que podiam enxergar, mas eram,
de fato, espiritualmente cegas.
"Alguns amam tanto este mundo que ele consome seu amor pela verdade. À medida
que seus tesouros aumentam aqui na Terra, seu interesse no tesouro do Reino de D'us
diminui. Quanto mais possuem deste mundo, tanto mais eles o abraçam, como se temes-
sem que seu cobiçado tesouro lhes fosse tirado. Quanto mais possuem, menos têm para
dar aos outros, porque quanto mais eles têm, mais pobres se sentem. Oh! O engano das
riquezas! Eles não verão nem sentirão as necessidades da causa de D'us" (2).
A visão espiritual obscurecida coloca a redenção eterna em risco. Não basta Manter
o Mashiach à vista; devemos mantê-lo em foco.

2. Leia Mateus 13:3-7 e 22. Sobre qual perigo Yeshua Hamashiach nos advertiu?

Primeiramente, Yeshua nos advertiu quanto às "preocupações desta vida" (Mt 13:22).
Ele sabe que temos inquietações, inclusive financeiras. Os pobres se preocupam se terão
o suficiente; os ricos se preocupam com seus desejos. Precisamos apenas ter a certeza
de que não deixaremos essas preocupações sufocarem a Torá em nossa vida (Mt 13:22).
Em segundo lugar, Yeshua nos advertiu sobre o "engano das riquezas" (Mt 13:22).
Embora as riquezas em si não sejam más, elas ainda possuem o poder de nos enganar de
tal maneira que podem levar à destruição final.

De que maneira você observa o "engano das riquezas" em sua vida? Quais escolhas
práticas você pode fazer para se proteger desse engano?

ESTUDO DIÁRIO

Vaerá, 2ª Alyá (Êx 6:14-6:28)


Leitura mensal Tehilim Sl 104-105
Leitura RPSP Zc 1
Leitura anual completa Gn 26, 27

16 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


9 de janeiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 22 Tevet Terça

Passos da cobiça

C omo todos os pecados, a cobiça começa no coração. Ela tem início dentro de nós e,
em seguida, desenvolve-se em nosso exterior. Foi o que aconteceu no Gan Éden.

3. Leia Bereshit (Gn) 3:1-6. O que satan fez para atrair Chava ao pecado? Através dos
séculos, como ele tem usado os mesmos princípios para nos enganar também?

"E viu a mulher que a árvore era boa para comer, desejável para os olhos e co-
biçável a árvore para entender o bem e o mal, e tomou do seu fruto e comeu, e deu
também a seu marido, que estava com ela, e ele comeu." (Gn 3:6).
É possível pensar que a indústria publicitária obteve seu exemplo paradigmáti-
co de como vender seus produtos a partir da história do Éden. O satan apresentou
o fruto da árvore proibida de maneira a criar em Chava o desejo de querer mais do
que ela já possuía, e fazê-la pensar que precisava de algo de que realmente não ne-
cessitava. Genial! A queda de Chava é uma demonstração dos três passos que cada
um de nós toma quando cai na cobiça: Ver, querer e pegar.
A cobiça pode ser um pecado silencioso. Assim como a luxúria, ela se esconde
por trás do véu do nosso corpo. Mas quando finalmente produz frutos, é devasta-
dora! Ela pode prejudicar relacionamentos, deixar cicatrizes em nossos queridos, e
nos esmagar com a culpa depois.
Deixe a cobiça emergir, e ela passará por cima de qualquer princípio. O rei Ahav
(Acabe) viu a vinha de Navot (Nabote), desejou-a, e ficou aborrecido até que sua
esposa, a rainha Izével (Jezabel), matou Navot por causa da vinha (1Rs 21). Ahan
(Acã) não pôde resistir quando viu uma capa, prata e ouro. Ele então os cobiçou e to-
mou-os para si (Js 7:20-22). A cobiça é, por fim, apenas uma outra forma de egoísmo.
"Se o egoísmo é a forma predominante do pecado, a cobiça pode ser considera-
da a forma predominante do egoísmo. Isso é sugerido de maneira impressionante
pelo Rabi Shaul. Ao descrever os 'tempos difíceis' da apostasia final, ele retratou o
egoísmo como a origem prolífica de todos os males que predominarão, e a cobiça
como seu primeiro fruto. 'Pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos,
arrogantes' [2Tm 3:2]" (3).

Por que é importante reconhecer em nós todas as tendências para a cobiça?

ESTUDO DIÁRIO

Vaerá, 3ª Alyá (Êx 6:29-7:7)


Leitura mensal Tehilim Sl 106-107
Leitura RPSP Zc 2
Leitura anual completa Gn 28-30

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 17


Quarta 10 de janeiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 23 Tevet

Ganância: fazendo as coisas do seu jeito


4. Leia Isaías (Ieshayáhu) 56:11. Sobre qual pecado esse texto nos adverte ?

P ara nós, seres caídos, a ganância pode ser uma tendência tão fácil e natural quanto
respirar. No entanto, é difícil imaginar no caráter humano algo que reflita menos o ca-
ráter do Mashiach do que a ganância. Shaul declarou: "Porque vocês sabem quão generoso
foi nosso Senhor Yeshua, o Messias - por causa de vocês, ele se tornou pobre, apesar de ser
rico, para que fossem enriquecidos mediante sua pobreza." (2Co 8:9).
Somente o Senhor sabe o dano que a ganância causou ao longo da História. A avareza
provocou guerras; levou pessoas a cometer crimes que arruinaram a si mesmas e suas
famílias. A ganância é um vírus que se prende ao seu hospedeiro e consome todas as suas
virtudes, até que tudo o que resta é cada vez mais cobiça. Ela é um mal que deseja tudo:
paixão, poder e bens. Novamente, vejo, quero, pego.

5. Leia Mateus 26:14-16. O que aprendemos sobre o poder da ganância nessa


triste história?

Observe as palavras de Yehudá de Kriot (Judas): "O que vocês estarão dispostos a me
dar se eu entregar-lhes Yeshua?" (Mt 26:15). Ele deixou a ganância dominá-lo! Yehudá ti-
nha sido privilegiado como pouquíssimas pessoas em toda a História: viveu com o Mashia-
ch encarnado, testemunhou Seus milagres e O ouviu pregar as palavras da vida. Não obs-
tante, veja o que a ganância e a cobiça o levaram a fazer!
"Quão ternamente o Mashiach tratou aquele que havia de ser Seu traidor! Em Seus
ensinos, demorava-Se sobre os princípios de generosidade que feriam pela raiz a cobiça.
Apresentava diante de Judas o odioso caráter da ganância, e muitas vezes o discípulo com-
preendeu que seu caráter fora descrito, apontado seu pecado; mas não quis confessar nem
abandonar sua injustiça" (4).

Se não formos cuidadosos, quem de nós não manifestará ganância? Por meio da graça de
D'us, como podemos manter essa tendência natural sob controle?

ESTUDO DIÁRIO

Vaerá, 4ª Alyá (Êx 7:8-8:6)


Leitura mensal Tehilim Sl 108-112
Leitura RPSP Zc 3
Leitura anual completa Gn 31-33

18 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


11 de janeiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 24 Tevet Quinta

Domínio próprio
6. Leia os textos a seguir. Como as pessoas, ricas ou pobres, podem se proteger dos
perigos envolvidos na ganância, cobiça e amor ao dinheiro e coisas materiais?
At 24:24-26 __________________________________________________

Gl 5:22-25 ________________________________________________

2Pe 1:5-9 __________________________________________________

E sses textos são muito ricos e estão repletos de ordens divinas sobre como devemos viver. Mas
observe algo em comum em todos eles: o domínio próprio. Desenvolver esse traço pode ser
especialmente difícil quando se trata de ganância, cobiça e desejo de possuir coisas. Somente por
meio do domínio próprio, primeiro de nossos pensamentos e depois de nossas ações, podemos
nos proteger dos perigos das coisas que mencionamos.
Podemos exercer esse domínio unicamente na medida em que nos entregamos ao poder do
Ruach HaKodesh. Nenhum de nós pode, por si mesmo, vencer esses traços pecaminosos, espe-
cialmente se eles têm sido cultivados e alimentados há muito tempo. Realmente precisamos da
obra sobrenatural do Ruach HaKodesh em nossa vida, se quisermos obter a vitória sobre esses
enganos poderosos. "Nenhuma tentação incomum, maior do que as pessoas experimentam nor-
malmente, sobreveio a vocês; D'us não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem
suportar. Ao contrário, com a tentação ele lhes proverá o escape, para que sejam capazes de
suportar." (1Co 10:13).

7. Leia novamente 2 Kefa (2Pe) 1:5-9. Para qual caminho Shimon Kefa apontou? Quais
são os passos e como podemos segui-los, especialmente em nossa luta contra a ga-
nância e a cobiça?

ESTUDO DIÁRIO

Vaerá, 5ª Alyá (Êx 8:7-8:18)


Leitura mensal Tehilim Sl 113-118
Leitura RPSP Zc 4
Leitura anual completa Gn 34-36

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 19


Sexta 12 de janeiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 25 Tevet

Estudo adicional

O maior objetivo do homem é ser feliz e satisfeito. Porém, obter realizações pessoais por
meio do materialismo não nos fará alcançar esse objetivo. As pessoas sabem que isso é
verdade, mas continuam em sua obsessão por posses: vejo, quero, pego. Nós também somos
confrontados com a tentação de aderir aos valores do materialismo. No entanto, a aquisição
contínua de bens não produz felicidade, satisfação nem contentamento. Em vez disso, pro-
duz problemas, como na história do jovem rico, o qual se afastou de Yeshua, infeliz, abatido
e desanimado por não ouvir nem obter o que queria. "Os valores materialistas estão associa-
dos ao enfraquecimento generalizado do bem-estar das pessoas, desde a baixa satisfação e
felicidade na vida, à depressão e à ansiedade, e também aos problemas físicos como dores de
cabeça, transtornos de personalidade, narcisismo e comportamento antissocial" (5).
Religiosos materialistas, em outras palavras, orgulhosamente bebem do poço da rique-
za, mas estão espiritualmente desidratados. Contudo, nunca teremos sede se bebermos da
água que o Mashiach oferece (Jo 4:14).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 Reflita sobre Teologia da prosperidade. Quais textos as pessoas que acreditam nessa
ideia utilizam para promovê-la? Quais exemplos bíblicos encontramos de pessoas fiéis
cuja vida refuta esse falso ensino?
2 Alguém disse: "Aprendi duas verdades bíblicas com meu filho. A primeira é que
nascemos pecadores. A segunda é que nascemos gananciosos." Você conhece al-
guma história que mostra que até as crianças são gananciosas? O que isso revela
sobre a nossa necessidade da graça (chessed) divina?
3 Alguém escreveu: "Se procuramos a origem dos nossos problemas, não devemos sub-
meter as pessoas a um teste de drogas, mas a um teste de estupidez, ignorância, ga-
nância e amor pelo poder." Você pode dar exemplos de situações em que a ganância
causou danos aos envolvidos?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Vaerá, 6ª Alyá (Êx 8:19-9:16)


Leitura mensal Tehilim Sl 119:1-96
Leitura RPSP Zc 5
Leitura anual completa Gn 37-39

20 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

13 de janeiro | ‫ שבת‬Shabat 26 Tevet

ESTUDO DIÁRIO

Vaerá, 7ª Alyá (Êx 9:17-9:35)


Leitura mensal Tehilim Sl 119:97-176
Leitura RPSP Zc 6
Leitura anual completa Gn 40-42
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 3

REFERÊNCIAS LIÇÃO 2

(1)
Conselhos Sobre Mordomia, p. 154, 155 (Contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Spiritual Gifts, v. 2; p. 267 (Contextualizado)
(3)
John Harris, Mammon, 1849, p. 52(Contextualizado)
(4)
Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 295 (Contextualizado)
(5)
Tim Kasser, The High Price of Materialism, 2002, p. 22 (Contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 21


Lição 3 14 a 20 de janeiro | 27 Tevet a 4 Shevat

Hashem ou Mamom?
VERSO PARA MEMORIZAR
"Portanto D'us o elevou ao lugar mais alto e lhe deu o nome acima de todo nome, para
que, em honra ao nome dado a Yeshua, todo joelho se dobre - no céu, na terra e debaixo
da terra -"e toda língua reconheça que Yeshua, o Messias, é Senhor - para a glória de
D'us, o Pai." (Fp 2:9-11)

LEITURAS DA SEMANA
Sl 33:6-9; Mt 19:16-22; 1Pe 1:18; Hb 2:14, 15; Êx 9:14; Sl 50:10

Introdução

O Eterno não desperdiça palavras explicando o que pensa sobre o amor ao dinhei-
ro e às coisas materiais. Em uma parábola, as palavras do Mashiach a um rico
ganancioso que, embora abençoado pelo Senhor, agiu com avareza, devem colocar
em todos nós o temor de D'us: "'Tolo, nesta mesma noite você morrerá! E as coisas
que você preparou – de quem elas serão?' É isso o que acontece com quem guarda
riquezas para si mesmo, sem ser rico para com D'us"." (Lc 12:20, 21).
Servir a D'us e ao dinheiro são ações que se excluem. É um ou outro, Hashem
ou Mamom. É uma ilusão pensar que podemos fazer as duas coisas, pois, mais cedo
ou mais tarde, seremos apanhados numa vida dupla. Podemos enganar aos outros,
talvez a nós mesmos, mas não ao Eterno, a quem um dia teremos que prestar contas.
Temos que fazer uma escolha, e quanto mais tempo hesitamos, arrumamos des-
culpas ou adiamos, mais forte é a influência que o dinheiro e o amor a ele exercem
em nossa vida. A fidelidade exige uma decisão.
Ao nos concentrarmos no caráter de D'us, no que Ele fez por nós e no que de ve-
mos a Ele, nossa decisão se torna muito mais fácil.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 15 ‫ בא‬Bo [Vá]: ÊX 10.1-13.16 2


HAFTARÁ: Jeremias 46.13-28
BRIT CHADASHÁ: Lc 2.22-24; Jo 19.31,17; Revelação 8.6-9.12;16.1-21; 1Co 11.20-34
TEHILIM: Sl 77

22 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


14 de janeiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 27 Tevet Domingo

O Mashiach, Criador
1. Leia os textos a seguir de Bereshit a Yochanan. O que esses textos nos revelam
sobre o valor do mundo material (Gn 1:1; Sl 33:6-9; Is 45:11, 12; Jr 51:15 e Jo 1:3)?

"Foi o Mashiach que estendeu os céus, e lançou os fundamentos da Terra. Foi Sua
mão que suspendeu os mundos no espaço e deu forma às flores do campo. 'Ele converteu
o mar em terra firme' (Sl 66:6). 'Seu é o mar, pois Ele o fez' (Sl 95:5). Foi Ele quem encheu
a Terra de beleza, e de cânticos o ar. E sobre todas as coisas na terra, no ar e no firma-
mento, escreveu a mensagem do amor do Pai" (1).
As coisas materiais não são ruins em si mesmas. Diferentemente de algumas religi-
ões, que ensinam que o mundo material e a matéria, em si, são maus e apenas as coisas
espirituais são boas, a Bíblia valoriza o mundo material.
Afinal, o próprio Mashiach o criou. Como, então, o mundo poderia ser mau? Infeliz-
mente, assim como ocorre com todos os dons dados pelo Eterno, o mundo material pode
ser pervertido e usado para o mal, mas isso não torna mau o dom original. As Escrituras
nos advertem contra o abuso e a perversão das coisas que D'us criou neste mundo, mas
não contra as próprias coisas.
Ao contrário, o Eterno criou o mundo material. Seu desejo era que Seu povo também
se beneficiasse dos frutos e benefícios desse mundo: "E te alegrarás com todo o bem que
o Eterno, teu Deus, te tem dado, a ti e à tua casa – tu, o levita e o peregrino que está no
meio de ti." (Dt 26:11; veja também Dt 14:26).
O Mashiach é o Criador (Jo 1:1-3), e a Terra é apenas uma amostra da Sua criação. Sua
capacidade criativa dá a Ele uma perspectiva singular a respeito da vida e daqueles que
vivem na Terra. O Mashiach conhece o valor das coisas materiais e nos presenteou com
elas para nosso benefício e felicidade. Ele também sabe o que acontece quando a huma-
nidade perverte essas dádivas, ou faz delas um fim em si mesmas. Assim como todas as
coisas, essas dádivas devem ser usadas para a glória de D'us.

Observe as dádivas maravilhosas do mundo criado. Mesmo depois da devastação do pe-


cado, ainda podemos ver o bem inerente em muitas partes da criação. O que a natureza,
em sua excelência, revela sobre a bondade de seu Criador?

ESTUDO DIÁRIO

Bô, 1ª Alyá (Êx 10:1-10:11)


Leitura mensal Tehilim Sl 120-134
Leitura RPSP Zc 7
Leitura anual completa Gn 43-45

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 23


Segunda 15 de janeiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 28 Tevet

Ben HaElohim/Ben HaAdam*

C omo crentes no Mashiach, cremos que Yeshua era plenamente divino e huma-
no. Elohim tornando-se homem mostra Sua perspectiva singular em relação ao
que é importante na Terra e importante para a eternidade. O fato de que não com-
preendemos como o Mashiach pode ter uma natureza divina/humana não anula
essa verdade, assim como nossa falta de conhecimento sobre aerodinâmica não
impede que um avião voe.
"Eis aqui dois mistérios em um: a pluralidade de pessoas na unidade divina, e
a união da divindade e humanidade na pessoa de Yeshua […]. Nada na ficção é tão
maravilhoso quanto essa verdade da encarnação" (2).
Uma das razões pelas quais Yeshua veio ao mundo foi mostrar quanto o Eterno é
amoroso e quanto Ele cuida de cada um de nós. Embora alguns acreditassem que a divin-
dade fosse fria e distante, Yeshua revelou o verdadeiro caráter de Avinu Shebashamayim.
Entretanto, hasatan tem tentado separar do Eterno os seres humanos. Ele tem
tentado despersonalizá-Lo, caracterizando-O como alguém que não se importa co-
nosco. Ele faz tudo o que pode, mediante todos os meios possíveis, para que não
conheçamos nem experimentemos a realidade da bondade e da graça de D'us
(chessed Hashem). O amor excessivo pelas coisas materiais é uma das artimanhas
de satan para alcançar esse objetivo, e isso tem dado certo!

2. Leia Mattityahu 19. Como hasatan pode usar nosso amor pelas coisas materiais
para nos manter distantes do Eterno? (Mt 19:16-22)

Imagine o Mashiach falando a esse jovem que obviamente sabia que Ele era
alguém especial. Porém, o que aconteceu? O jovem permitiu que sua grande rique-
za e seu amor pelas coisas materiais o separasse do próprio D'us em pessoa! O
amor pelo mundo e pelas coisas materiais o cegou tanto que, embora ele estivesse
triste, sua tristeza não foi suficiente para fazê-lo realizar a coisa certa. Ele não
estava triste porque estava perdendo suas posses, pois ele não estava. Na verdade,
ele estava triste porque estava perdendo a vida eterna por causa dessas coisas.

Sendo ricos ou pobres, como podemos nos relacionar corretamente com as coisas materiais?

* Filho de D'us/Filho dos homens

ESTUDO DIÁRIO

Bô, 2ª Alyá (Êx 10:12-10:23)


Leitura mensal Tehilim Sl 135-139
Leitura RPSP Zc 8
Leitura anual completa Gn 46, 47

24 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


16 de janeiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 29 Tevet Terça

Hamashiach, Hagoel

D ívida não é um princípio do Céu. Contudo, Adam e Chava pecaram, e a trans-


gressão da lei significava morte. Portanto, a humanidade passou a dever à jus-
tiça divina. Estávamos falidos, espiritualmente inadimplentes de uma dívida que
jamais poderíamos pagar.
O amor do Eterno por nós colocou em ação o plano da redenção. O Mashiach
tornou-Se nosso "fiador" (Hb 7:22). A identidade do Mashiach como Goel revela a
transação mais importante já feita. Somente o sacrifício de Sua vida poderia reali-
zar o pagamento exigido pela justiça divina. Yeshua pagou a dívida do nosso pecado
com sua morte quando a justiça e a misericórdia se beijaram (Sl 85:11). O Universo
nunca tinha visto nem testemunhado tamanha riqueza como no pagamento pela
redenção da humanidade (Ef 5:2).
"Derramando toda a riqueza do Céu neste mundo, dando-nos todo o Céu no
Mashiach, o Eterno adquiriu a vontade, as afeições e a mente de todo ser humano" (3).

3. Do que fomos libertos? Cl 1:13; 1Ts 1:10; 1Pe 1:18; Hb 2:14, 15; Gl 3:13; Rv 1:5

A palavra Τετέλεσται (tetelestai)*, em Jo 19:30, tem sido considerada a palavra


mais importante já proferida. Ela significa "está consumado", e foi a última decla-
ração de Yeshua antes de morrer. Essa declaração final significa que Sua missão foi
cumprida e nossa dívida foi "paga integralmente". Ele não a proferiu como alguém
sem esperança, mas como Aquele que conseguiu redimir o mundo perdido. O sa-
crifício do Mashiach é um acontecimento passado com um efeito presente e uma
esperança futura. Yeshua deu a vida para destruir, de uma vez por todas, o pecado,
a morte e as ações de satan. Isso significa que, embora não mereçamos, somos redi-
midos (Ef 1:7). Vislumbrar as maravilhas da redenção é pisar em terreno sagrado.
O Mashiach como Goel (Redentor) é a imagem mais sublime de D'us. Seu inte-
resse supremo é nos redimir. Isso revela Sua perspectiva para com a humanidade
e especialmente como Ele valoriza o relacionamento conosco. Tendo a justiça sido
satisfeita, o Mashiach volta Sua atenção para nossa resposta a Seu sacrifício.

O Mashiach pagou a dívida por todo o mal que você já fez. Qual deve ser sua resposta?
(Veja Jó 42: 5, 6).

* ‫ נִ ְשׁ ַלם‬- Nishlam

ESTUDO DIÁRIO

Bô, 3ª Alyá (Êx 10:24-11:3)


Leitura mensal Tehilim Sl 140-150
Leitura RPSP Zc 9
Leitura anual completa Gn 48-50

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 25


Quarta 17 de janeiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 1 Shevat

Um D'us zeloso

A o confrontar Faraó, D'us declarou: "Porque desta vez Eu mandarei todas as Minhas
pragas a teu coração, a teus servos e a teu povo, para que saibas que não há como Eu
em toda a terra." (Êx 9:14).

4. O que o Eterno quis dizer quando afirmou: "não há como Eu em toda a terra"?

"Para a finita mente humana, é impossível compreender plenamente o caráter ou as


ações do Infinito. Para o intelecto mais perspicaz, para o espírito mais poderoso e mais alta-
mente educado, aquele santo Ser tem que permanecer para sempre envolto em mistério" (4).
"O Eterno é Deus, e que não há outro." (1Rs 8:60). Ele pensa, lembra e age de maneiras
que não compreendemos. Não importam nossas tentativas de transformá-Lo em nossa
própria imagem, D'us continua sendo D'us. Foi Ele quem criou, de maneira singular, cada
floco de neve, cérebro, rosto e característica individual, e "não há outro" além Dele (1R
8:60). Afinal, D'us é o Criador, e como Criador Ele é certamente distinto de Sua criação.

5. O que estes textos revelam sobre como o Eterno é diferente de Sua criação? 1Sm
2:2; Sl 86:8; Is 55:8, 9; Jr 10:10; Tt 1:2

Quando consideramos tudo o que o Eterno é, tudo o que Ele possui, e tudo o que Ele faz,
é surpreendente que Ele possa ter competidores! Mas Ele tem, no sentido de que precisa
"competir" pelo amor e afeição humanos. Talvez seja por isso que Ele afirma ser "zeloso
Kana' - ‫( "קנאי‬Êx 34:14, que também pode ser traduzido como "ciumento"). O Eterno criou
os seres humanos para que sejam livres, o que significa que temos a opção de servi-Lo ou
servir a qualquer outra coisa. Em muitos aspectos, esse tem sido o problema humano fun-
damental: escolher servir a outros deuses, independentemente da forma em que eles se
apresentem, em vez de servir ao único D'us (echad) que vale a pena servir, Aquele que
criou e é o dono de todo o Universo. Por isso Ele é, de fato, um D'us zeloso.

Em sua vida, existe algo competindo com o Eterno por suas afeições? .

ROSH CHODESH SHEVAT

ESTUDO DIÁRIO

Bô, 4ª Alyá (Êx 11:4-12:20)


Leitura mensal Tehilim Sl 1-9
Leitura RPSP Zc 10
Leitura anual completa Êx 1-4

26 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


18 de janeiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 2 Shevat Quinta

Propriedade verdadeira

P ertencemos a D'us, tanto pela criação como pela redenção. E não apenas pertencemos
ao Eterno, mas todas as nossas posses também pertencem a Ele. Não possuímos nada
além de nossas próprias escolhas.
Em contraste com isso, um princípio central do mundanismo é a ideia de que somos
donos de nossas posses. Isso é um engano, pois o pensamento de que somos os proprietá-
rios finais dos seus bens é um conceito contrário ao que a Palavra de D'us ensina.
É D'us quem possui todas as coisas (Jó 38:4-11). Somos apenas estrangeiros e inquili-
nos (Lv 25:23), assim como os judeus na Terra Prometida. Dependemos de D'us até mes-
mo para respirar (At 17:25). O que julgamos possuir, pertence a Ele. Somos apenas Seus
administradores e, como tais, devemos gerenciar posses tangíveis e até intangíveis para
a glória do Eterno.

6. De acordo com Devarim quais coisas D'us possui? Como devemos ver as coisas
materiais que estão em nossa posse? (Dt 10:14; Sl 50:10; 104:16; Ez 18:4; Ag 2:8 e 1 Co
6:19, 20)

"Todas as coisas pertencem ao Eterno. Podem os homens ignorar Seus reclamos. En-
quanto o Eterno derrama abundantemente Suas bênçãos sobre eles, talvez estejam usan-
do tais bênçãos para satisfação egoísta, mas por certo serão chamados a prestar contas
de sua administração" (5).
D'us como dono e nós como administradores devemos ter um relacionamento median-
te o qual Ele possa nos usar de maneiras que nos preparem para o Olam Habá e que bene-
ficiem e abençoem os outros. Porém, os administradores infiéis podem restringir o acesso
do Proprietário às Suas próprias posses. Como vimos ontem, o Eterno não nos força a rea-
lizar Sua vontade. Ele nos criou e nos concedeu bens materiais para serem administrados
para Ele até Seu retorno. O que fazemos com essas coisas reflete o tipo de relacionamento
que temos com o Eterno.

Não somos donos de nada. Tudo pertence a D'us. Como devemos nos relacionar com os
bens materiais?

ESTUDO DIÁRIO

Bô, 5ª Alyá (Êx 12:21-12:28)


Leitura mensal Tehilim Sl 10-17
Leitura RPSP Zc 11
Leitura anual completa Êx 5-8

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 27


Sexta 19 de janeiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 3 Shevat

Estudo adicional

A  Administração teve início quando D'us colocou Adam e Chava em um lindo jardim
do qual eles deveriam cuidar e gerenciar (Gn 2:15). Nesse ambiente perfeito, era
tarefa deles tornar o jardim habitável, e isso não deve ter sido difícil. O Eterno deu auto-
ridade ao casal em sua função e os ensinou sobre sua responsabilidade. Cuidar do Gan
Éden daria sentido e traria felicidade a eles.
O verbo hebraico para "ter domínio - radah - ‫"רדה‬, (Gn 1:26, 28) significa "colocar sob
controle e governo". Dado o contexto, esse não era um domínio severo, mas um governo
benevolente no cuidado para com a criação. A responsabilidade de cuidar da criação
ainda não terminou. No gan Éden, Adam e Chava deviam aprender que o Eterno era o
Proprietário, e eles, Seus administradores. Desde o início, D'us tinha a intenção de que
eles tivessem posições de responsabilidade e confiança, mas não como proprietários.
Eles deveriam demonstrar a D'us que eram fiéis às suas tarefas.
"Adam e Chava receberam a missão de cuidar do Gan Éden. Eles deveriam cultivá-lo
e guardá-lo (Gn 2:15). Estavam felizes em seu trabalho. Sua mente, coração e vontade
atuavam em perfeita harmonia. Não encontravam, em seu trabalho, cansaço nem tarefa
difícil. Suas horas eram preenchidas com trabalho útil e comunhão um com o outro. A
ocupação deles era agradável. O Eterno e o Mashiach os visitavam e falavam com eles.
Eles receberam a perfeita liberdade […]. D'us era o dono de sua casa no Éden. Eles a
mantinham sob Seu domínio" (6).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 O Eterno é Adon Olam. O que isso nos ensina sobre nossa responsabilidade com o Tikun
Olam da natureza? Embora tenhamos que evitar o fanatismo político de alguns am-
bientalistas que adoram a própria criação, qual deve ser a nossa atitude em relação ao
cuidado para com a natureza?
2 Pense na ideia de que o Eterno é "zeloso" ou "ciumento". Não é fácil entender esse
conceito, porque entendemos o ciúme como algo ruim. Dá para aplicar essa ideia a
D'us sem os sentidos negativos dessa palavra?
3 Como distinguir a alegria e o uso apropriado das coisas físicas criadas por D'us do abuso
dessas coisas? Por que essa distinção é tão importante?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Bô, 6ª Alyá (Êx 12:29-12:51)


Leitura mensal Tehilim Sl 18-22
Leitura RPSP Zc 12
Leitura anual completa Êx 9-11

28 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

20 de janeiro | ‫ שבת‬Shabat 4 Shevat

ESTUDO DIÁRIO

Bô, 7ª Alyá (Êx 13:1-13:16)


Leitura mensal Tehilim Sl 23-28
Leitura RPSP Zc 13
Leitura anual completa Êx 12, 13
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 4 e 5

REFERÊNCIAS LIÇÃO 3

(1)
Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 20 (Contextualizado)
(2)
J. I. Packer, Knowing God, 1973, p. 53 (Contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 326 (Contextualizado)
(4)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 5, p. 698, 699 (Contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 9, p. 246 (Contextualizado)
(6)
Ellen G. White, Manuscript Releases, v. 10, p. 327 (Contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 29


Lição 4 21 a 27 de janeiro | 5 a 11 Shevat

Fugindo do que é mundano


VERSO PARA MEMORIZAR
"A riqueza não traz proveito no dia da ira, mas tsedacá salva da morte. (...) O que confia
em sua riqueza tombará, mas o justo florescerá como a folhagem (tenra)" (Pv 11:4, 28)

LEITURAS DA SEMANA
Sl 119:11; Ef 6:18; Rm 8:5, 6; Hb 11:1-6; 1Rs 3:14; Ez 36:26, 27

Introdução

E mbora hasatan tenha fracassado ao confrontar Yeshua, ele foi bem-sucedido em


sua luta contra todas as outras pessoas. Ele continuará a vencer, a menos que o
combatamos com a armadura e o poder de D'us. Somente o Eterno nos oferece liber-
tação das seduções do mundo.
Portanto, devemos nos concentrar em nosso Mantenedor celestial. David per-
cebeu o verdadeiro valor nesta vida quando escreveu: "Podem os leões sofrer de
fome, mas para os que buscam ao Eterno nada faltará." (Sl 34:11 [10]). Shlomo (Sa-
lomão) reconheceu que a sabedoria e o entendimento eram mais valiosos do que a
prata e o ouro (Pv 3:13, 14). A verdadeira felicidade e a vida correta surgem quando
desviamos nossos olhos dos bens que possuímos e olhamos para o Mashiach, que
nos possui. Nossa única esperança de escapar da sedução do mundo é um relacio-
namento vital e eficaz com Yeshua. Nesta semana, estudaremos os elementos desse
relacionamento, veremos como é fundamental para nosso sucesso espiritual reco-
nhecer o poder por trás da máscara desse mundo e entenderemos a importância do
Mashiach como a verdadeira razão para viver.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 16 ‫ בשלח‬BESHALACH [Depois de ter deixado] Êx 13.17-17.16


HAFTARÁ: Shof'tim [Juízes] 4.4-5.31
BRIT CHADASHÁ: Lc 2.22-24; Jo 6.22-40; 25-35;19.31-37; I Coríntios 10.1-13; 2Co 8.1-15;
Revelação 15.1-4
TEHILIM: Sl 66
30 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬
21 de janeiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 5 Shevat Domingo

Relacionamento com o Mashiach

O amor aos bens materiais, mesmo para aqueles que não têm muito dinheiro, é uma
poderosa corrente que nos liga ao mundo, em vez de nos unir ao Mashiach. Mesmo
que não tenhamos muito em termos de bens no Olam Hazê, o desejo ardente de obter
bens materiais pode se tornar uma terrível maldição que, se não for colocada sob o con-
trole do Eterno, afastará a pessoa da salvação. Satan sabe disso e, por essa razão, ele usa
o amor às posses materiais para enganar o maior número possível de pessoas. Qual é a
nossa única proteção?

1. "Concentrem a mente nas coisas do alto, e não nas coisas da terra." (Cl 3:2).
Como podemos fazer o que Shaul nos mandou? (Veja também Sl 119:11; Ef 6:18.)

2. De acordo com Filipenses 4:8, no que devemos pensar?

A única cura para o mundanismo, seja qual for a sua forma, é a contínua devoção ao
Senhor (Sl 34:1) nos altos e baixos da vida. Moshê "Considerou a desonra sofrida, por amor
do Mashiach, riqueza maior que os tesouros do Egito, por manter os olhos fixos na recom-
pensa." (Hb 11:26). Antes de qualquer outro relacionamento, o Mashiach deve ser nossa
prioridade. Ele busca um compromisso fundamentado na convicção, não em preferência;
isto é, devemos nos devotar ao Eterno porque sabemos quem Ele é e o que tem feito por nós,
não por causa de vantagens imediatas que nossa fé e compromisso com Ele possam nos
oferecer. Nossa vida deve ser escondida Nele e Seus planos devem ser os nossos planos.
O verdadeiro compromisso é colocar nossa mão no arado sem olhar "para trás" (Lc 9:62).
Quando fazemos esse tipo de compromisso, o Mashiach nos eleva ao nosso pleno potencial.
Quando nos rendemos a ele, rompe-se o domínio do mundo sobre nós. Nossa vida deve estar
centralizada nele, não nas coisas; somente isso preencherá o nosso vazio.

Pense em um bem material que você queria muito adquirir. Quanto tempo duraram a
alegria e a satisfação quando você finalmente conseguiu obtê-lo?

ESTUDO DIÁRIO

Beshalach, 1ª Alyá (Êx 13:17-14:8)


Leitura mensal Tehilim Sl 29-34
Leitura RPSP Zc 14
Leitura anual completa Êx 14, 15

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 31


Segunda 22 de janeiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 6 Shevat

Na Palavra

M uitas Bíblias já foram distribuídas no mundo, mas quantas delas são vistas como a
Palavra do D'us vivo? Quantas são lidas com um coração sincero, aberto ao conhe-
cimento da verdade?
O estudo bíblico apropriado direciona nossa bússola espiritual e nos permite nave-
gar em um mundo de falsidade e confusão. A Bíblia é um documento vivo de origem
divina (Hb 4:12), e como tal, ela nos revela verdades que não encontramos em outros
lugares. A Bíblia é o roteiro para a vida diária. Ela nos educa ao expandir nosso intelecto
e refinar nosso caráter.

3. Leia Yochanan (Jo) 5:39; 14:6 e 20:31. A Bessorá apresenta as informações mais
confiáveis sobre o Mashiach. O que esses textos de Yochanan revelam sobre Ele? Por
que o Mashiach é tão importante para nós e para tudo o que cremos?

Estudamos a Bíblia porque ela é a suprema fonte da verdade. O Mashiach é a Verda-


de. Nas Escrituras Sagradas encontramos o Mashiach da maneira que Ele nos foi revela-
do em suas páginas. No Tanach e na Brit Chadashá, aprendemos quem é Yeshua e o que
Ele realizou por nós; então nos apegamos a Ele e entregamos nossa vida ao Seu eterno
cuidado. Ao seguirmos o Mashiach e obedecermos às Suas palavras, somos libertados dos
laços do pecado e do mundo (Jo 8:36).

4. Leia Romanos 8:5, 6. Sobre o que rabi Shaul nos advertiu? Como o estudo da
Palavra de D'us nos ajuda nessa luta pela nossa mente?

Se não tivermos cuidado, o amor ao mundo e aos bens pode nos afastar de D'us. Por
isso, devemos nos manter na Palavra, que nos mostra as realidades espirituais e eternas,
tão essenciais para a vida em Yeshua.
O amor às coisas mundanas nunca eleva a mente à moralidade espiritual; em vez
disso, ele substitui os princípios bíblicos pela ganância, egoísmo e luxúria. O amor, con-
forme revelado nas Escrituras, edifica relacionamentos ao nos ensinar a importância de
nos doar aos outros. Em contraste com esse princípio, a essência do mundanismo é obter
coisas para nós mesmos, que é o oposto de tudo o que Yeshua Hamashiach representa.

ESTUDO DIÁRIO

Beshalach, 2ª Alyá (Êx 14:9-14:14)


Leitura mensal Tehilim Sl 35-38
Leitura RPSP Ml 1
Leitura anual completa Êx 16, 17

32 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


23 de janeiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 7 Shevat Terça

Uma vida de tefilá

"E a vida eterna é esta: que te conheçam, o único D'us verdadeiro, e a quem
enviaste, Yeshua, o Messias." (Jo 17:3). Não é de admirar que os seguidores de
Yeshua, muitas vezes, digam que seus princípios resumem-se a um relacionamento
com o Eterno. Se conhecer a D'us é ter "vida eterna", então podemos encontrar essa
vida mediante um relacionamento com Ele. E a comunicação é algo fundamental
nesse relacionamento. Vimos ontem que o Eterno Se comunica conosco por meio de
Sua Palavra. Consequentemente, nós conectamos com Ele por meio da tefilá.
Devemos pensar nas coisas celestiais e não nos assuntos deste mundo. Por isso a tefilá
é essencial, pois, pela sua própria natureza, ela nos mostra um reino superior ao mundo.
No entanto, mesmo assim devemos ter cuidado, pois às vezes nossas preces po-
dem ser meramente uma expressão da nossa natureza egoísta. Por essa razão, pre-
cisamos orar em submissão à vontade de D'us.
Anos atrás, Janis Joplin cantou com ironia estas palavras: "Ó, Senhor, Você não
vai me comprar uma Mercedes-Benz?" À sua maneira, ela estava fazendo um ataque
ao materialismo daqueles que professam confiança em D'us. Devemos estar seguros
de que nossa tefilá é, de fato, um ato de submissão a D'us e morte para o mundo. Só
assim, buscaremos a vontade de D'us, não a nossa.

5. Leia Hebreus 11:1-6. Qual elemento fundamental deve estar associado às


nossas tefilot?

Se não houver fidelidade em nossas tefilot, haverá presunção, a contrafação


do adversário. "A tefilá e a emuná são aliadas íntimas, e necessitam ser estudadas
juntas. Na oração de fé há uma ciência divina; é uma ciência que deve ser com-
preendida por todo aquele que deseja fazer do trabalho de sua vida um êxito. O
Mashiach disse: 'Portanto, eu lhes digo: tudo o que pedirem em oração, confiem que
já o receberam, e assim lhes sucederá.' (Mc 11:24). Ele deixa bem claro que o nosso
pedido deve estar de acordo com a vontade de D'us; devemos pedir as coisas que Ele
prometeu, e o que quer que recebamos deve ser empregado em fazer Sua vontade.
Satisfeitas as condições, a promessa é certa" (1).

Por que você ora? O que suas tefilot lhe revelam sobre suas prioridades? Sobre quais
outras coisas você precisa orar?

ESTUDO DIÁRIO

Beshalach, 3ª Alyá (Êx 14:15-14:25)


Leitura mensal Tehilim Sl 39-43
Leitura RPSP Ml 2
Leitura anual completa Êx 18-20

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 33


Quarta 24 de janeiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 8 Shevat

Vida sábia

U ma das histórias mais belas da Bíblia é o relato do pedido de Shlomo a D'us, de que lhe
desse, acima de tudo, um "coração compreensivo para julgar" Seu "povo, para que
prudentemente" discernisse "entre o bem e o mal;" Salomão (Shlomo ) disse ao Eterno:
"Quem poderia julgar a este grande povo?" (1Rs 3:9).

6. Leia 1Rs 3:14; 1 Jo 5:3 e 1Pe 4:17. Quais palavras importantes o Eterno disse a Shlo-
mo que, se ele as tivesse atendido, o teriam poupado da ruína que suas posses lhe
trouxeram? Por que essa orientação divina é tão importante para nós?

Shlomo tinha grande sabedoria, mas a sabedoria em si mesma, se não for praticada e
vivida, torna-se nada mais que uma boa informação. No sentido bíblico da palavra, a sa-
bedoria que não é colocada em prática, não é verdadeiramente sabedoria. Muitos dos que
estarão perdidos tiveram muitas informações corretas sobre D'us e Seus requisitos. A falta
de obediência de Shlomo fez com que ele se desviasse dos caminhos aos quais o Eterno
o tinha chamado. Somente mais tarde em sua vida ele recobrou o juízo e escreveu com
humildade: "Pois a sabedoria é mais preciosa que rubis, e nenhuma preciosidade pode se
comparar a ela." (Pv 8:11).
Sabedoria é a aplicação do conhecimento e da compreensão. O conhecimento represen-
ta os fatos; a compreensão representa o discernimento; e a sabedoria surge no processo de
aplicar essa compreensão e conhecimento na vida. Um administrador sábio não precisa ape-
nas de conhecimento e compreensão, mas da experiência resultante da prática desses dois.
O exemplo de Shlomo mostra que, quando não se vive o conhecimento recebido, é
muito fácil, até mesmo para os mais sábios e inteligentes, envolver-se no vazio de um estilo
de vida materialista.

7. Compare 1 Coríntios 3:19 e Provérbios 24:13, 14. Qual é a diferença entre os


dois tipos de sabedoria mencionados nesses textos?

ESTUDO DIÁRIO

Beshalach, 4ª Alyá (Êx 14:26-15:26)


Leitura mensal Tehilim Sl 44-48
Leitura RPSP Ml 3
Leitura anual completa Êx 21-23

34 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


25 de janeiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 9 Shevat Quinta

O Ruach Hakodesh

O conflito universal é real; dois lados estão lutando pela nossa vida. Um nos atrai ao
Mashiach (Jo 6:44) e o outro ao mundo (1Jo 2:16). O poder do Ruach Hakodesh em
nossa vida pode e vai nos guiar na direção certa, se apenas nos submetermos a Ele.
"Todavia, quando o Espírito da verdade vier, Ele vos guiará a toda a verdade" (Jo 16:13;
veja também Jo 14:16). O Espírito Sagrado nos capacita a viver por princípios e pela fideli-
dade, não por caprichos nem emoções que tanto dominam o mundo. A preparação eficaz
para a vida no Olam Habá (mundo vindouro) ocorre quando vivemos fielmente no Olam
Hazê (neste mundo) sob a direção do Ruach Hakodesh.
O propósito dos conselhos e da pregação de Shaul era que a confiança dos seguidores de
Yeshua "não fosse depositada na sabedoria humana, mas no poder de D'us." (1Co 2:5). Por
meio de bens materiais, a sedução do mundo pode nos afastar do Eterno. Em contrapartida,
o poder do Ruach Hakodesh nos levará ao Mashiach, se apenas não resistirmos a Ele.

8. O sucesso na batalha contra o mundo e suas seduções será conquistado apenas


a partir de um poder externo. Leia Ezequiel 36:26, 27; Yochanan (Jo) 14:26 e Efésios
3:16, 17. Quando deixamos o Ruach Hakodesh nos tomar, quais coisas D'us faz para
assegurar que tenhamos a vitória espiritual?

"É por meio de falsas teorias e tradições que hasatan adquire seu domínio sobre a men-
te. Encaminhando os homens para falsas normas, deforma-lhes o caráter. Por intermédio
das Escrituras o Ruach Hakodesh fala à mente e grava a verdade no coração. Assim expõe
o erro, expelindo-o da pessoa. É pelo Espírito da verdade, operando pela Palavra de D'us,
que o Mashiach submete a Si Seu povo escolhido" (2).
O Ruach Hakodesh é o que ensina a verdade. Ele é o dom supremo que o Mashiach po-
deria dar para representar a divindade na Terra depois de Sua ascensão. O Ruach Hakodesh
Se esforça para nos dar poder para vencer a poderosa sedução do mundo e seus "encantos".

Como podemos nos entregar diariamente ao Ruach Hakodesh, o único que nos capacita
para resistir às tentações do mundo (Olam Hazê)?

ESTUDO DIÁRIO

Beshalach, 5ª Alyá (Êx 15:27-16:10)


Leitura mensal Tehilim Sl 49-54
Leitura RPSP Ml 4
Leitura anual completa Êx 24-27

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 35


Sexta 26 de janeiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 10 Shevat

Estudo adicional

"U m administrador age fundamentado no duplo princípio da obediência e do amor.


"Lembrem-se de que o dever [obediência] tem um irmão gêmeo — o amor. Unidos,
ambos podem realizar quase tudo; mas, separados, nenhum é capaz de fazer o bem" (3). A
obediência é o amor em ação. Precisamos apenas meditar no sacrifício do Mashiach para
que o amor desperte nossa obediência.
Em contraste com isso, estão os princípios do mundo: o ódio e sua irmã gêmea, a rebe-
lião. A rebelião é o ódio em ação. O satan se rebelou contra o Eterno (Ez 28:16, 17) e nunca
deixará de fazê-lo até que seja destruído. Ele transformou a autoridade do amor em amor
pela autoridade. Muitos líderes religiosos de Israel odiavam a autoridade e o poder que
Yeshua Hamashiach possuía (Mt 22:29). Mesmo quando eles deixaram o templo e se afas-
taram de Seu olhar penetrante, não mudaram seus caminhos.

PERGUNTAS PARA DISCUSSÃO


1 O que a escritora Ellen G. White quis dizer quando, depois de chamar o amor e o dever
de gêmeos, ela afirmou que, separados, eles não eram capazes de "fazer o bem"? O que
é o amor sem a obediência, e como é a obediência sem o amor? Por que eles devem
estar juntos?
2 Qual é o significado do verso para memorizar desta semana? O que ele revela sobre
as riquezas?
3 Como a tefilá, o estudo da Bíblia e o relacionamento com o Mashiach podem nos manter
no caminho espiritual certo?
4 As pessoas que não têm muitos bens neste mundo também podem cair nas armadilhas
das ilusões de satan?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Beshalach, 6ª Alyá (Êx 16:11-16:36)


Leitura mensal Tehilim Sl 55-59
Leitura RPSP Mt 1
Leitura anual completa Êx 28, 29

36 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

27 de janeiro | ‫ שבת‬Shabat 11 Shevat

ESTUDO DIÁRIO

Beshalach, 7ª Alyá (Êx 17:1-17:16)


Leitura mensal Tehilim Sl 60-65
Leitura RPSP Mt 2
Leitura anual completa Êx 30, 31
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 6 e 7

REFERÊNCIAS LIÇÃO 4

(1)
Ellen G. White, Educação p. 257, 258 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 671 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 4, p. 62 (contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 37


Lição 5 28 de janeiro a 3 de fevereiro | 12 a 18 Shevat

Administradores
após o Gan Eden
VERSO PARA MEMORIZAR
"Ao contrário, pelo fato de D'us ter nos testado e considerado aptos, confiou-nos as boas-
novas; esta é a razão pela qual falamos: não para obter o favor das pessoas, mas o de
D'us, que testa o coração." (1Ts 2:4)

LEITURAS DA SEMANA
Is 22:14-18; 1Co 4:1, 2; Cl 2:2, 3; Ef 6:13-17; 2Co 5:10

Introdução

O primeiro trabalho de Adam e Chavá envolvia administração. D'us lhes tinha dado o jar-
dim e todas as criaturas para que eles cuidassem, desfrutassem e dominassem sobre
eles, embora não fossem donos de nada (Gn 2:15). Em vez disso, eles eram administradores
do que o Eterno lhes tinha confiado.
Nesta semana, vamos examinar mais atentamente a definição de "administração" após
a queda, depois que nossos primeiros pais foram expulsos do Gan Eden. Isso quer dizer que
também somos administradores, mas em um ambiente bastante diferente do que Adam e
Chavá desfrutaram anteriormente.
O que é "administração da vida"? Certos personagens da Bíblia revelaram o que é ser um
administrador mediante seu estilo de vida. Outros textos o definem mais claramente. Quan-
do nos tornamos administradores de D'us, nosso foco sai do mundo e de seus valores mate-
rialistas e passa a se concentrar no Criador e Sua missão. Como ocorreu com Adam e Chavá,
D'us nos confiou sagradas responsabilidades. Desde a queda no Gan Eden, no entanto, a ta-
refa de um administrador mudou, pois, juntamente com a responsabilidade de cuidar do
mundo material, recebemos também a incumbência de ser bons administradores das verda-
des espirituais.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 17 ‫ יתרו‬YITRO [Jetro]: Êx 18.1-20.26


HAFTARÁ: Is 6.1-7.6; 9.5-6
BRIT CHADASHÁ: Mt 5 1-11;19.16-30; Mc 7.5-15; 10.17-31;Lc 18.18-30; At 6:1-7; Rm 2.17-
29; 7.7-12;13.8-10; Ef 6.1-3; 1Timóteo 3.1-14; 2Timóteo 2.2; Tito 1.5-9; Hb 12.18-29
TEHILIM: Sl 19
38 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬
28 de janeiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 12 Shevat Domingo

Administradores no Tanach

A palavra que corresponde a função de administrador ocorre apenas algumas vezes


no Tanach. Na maioria dos casos, ela significa aquele que "administra a casa", que é
o responsável pelo funcionamento de uma residência; isto é, um administrador (Gn 43:19;
44:1, 4; 1Rs 16:9). O administrador tinha a responsabilidade de administrar os assuntos
domésticos e os bens de seu senhor, fazendo o que lhe fosse pedido. A definição de ad-
ministrador no Tanach pode ser encontrada na identificação de suas características. Os
administradores não podem ser separados de sua , função pois ela revela sua identidade.
Algumas características de um administrador são evidentes no Tanach. Primeira-
mente, sua posição era de grande responsabilidade (Gn 39:4). Normalmente era escolhi-
do por causa de suas habilidades, e ele recebia o respeito e a confiança de seu patrão por
realizar o trabalho. Em segundo lugar, o administrador sabia que aquilo que tinha sido
confiado a ele pertencia ao proprietário (Gn 24:34-38). Essa é a diferença suprema entre
o administrador e o dono. O administrador compreendia sua função. Em terceiro lugar,
quando o administrador tomava para si o que lhe tinha sido confiado, a relação de con-
fiança entre ele e o proprietário era rompida, e ele era dispensado (Gn 3:23; Os 6:7).

1. Leia Isaías 22:14-18. Durante o reinado de Ezequias, Shevná foi nomeado ad-
ministrador e tesoureiro, ambas importantes posições de autoridade. O que
aconteceu com ele como resultado do abuso de sua posição ?

"O administrador se identifica com o patrão. Aceita as responsabilidades de um ad-


ministrador e age em lugar do dono da casa, fazendo o que ele faria se estivesse presidin-
do. Os interesses do senhor se tornam seus. A posição do administrador é de dignidade,
porque o patrão confia nele. Se, de algum modo, ele atua egoisticamente, e reverte em
proveito próprio as vantagens obtidas pela negociação com os bens de seu senhor, trai a
confiança nele depositada" (1).

Somos administradores de tudo que possuímos. Como essa compreensão deve impactar tudo
o que fazemos?

ESTUDO DIÁRIO

Yitrô, 1ª Alyá (Êx 18:1-18:12)


Leitura mensal Tehilim Sl 66-68
Leitura RPSP Mt 3
Leitura anual completa Êx 32, 33

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 39


Segunda 29 de janeiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 13 Shevat

Administradores na Brit Chadashá

A s duas palavras básicas para administrador na Brit Chadashá são ἐπίτροπος


(Epitropos), que ocorre três vezes, e οἰκονόμος (oikonomos), que ocorre dez ve-
zes. Ambas descrevem funções que incorporam responsabilidades administrativas,
confiadas ao administrador pelo proprietário.
Tanto na Brit Chadashá como no Tanach, os administradores são definidos pelo
que fazem. A Brit Chadashá descreve especificamente o administrador em termos
de responsabilização (Lc 12:48) e expectativas (1Co 4:2). No entanto, o foco do Tana-
ch se concentra mais em declarar a propriedade de D'us do que em nos definir dire-
tamente como Seus administradores. Portanto, embora o conceito de administrador
seja muito semelhante em ambos, a Brit Chadashá expande o conceito para além da
administração doméstica.
Na ilustração do administrador desonesto (Lc 16:1-15), Yeshua ampliou a de-
finição de administrador. Sua lição é sobre algo mais do que um administrador
que escapa do desastre financeiro. Ela é aplicável àqueles que fogem do desastre
espiritual mediante uma sábia manifestação de fidelidade. Um administrador sábio
se preparará para a breve volta do Mashiach, além do "aqui" e "agora" (Mt 25:21).

2. Leia os textos de 1 Coríntios; Tito e 1 Kefa. O que esses textos revelam sobre o ad-
ministrador e a administração da vida (1Co 4:1, 2; Tt 1:7 e 1Pe 4:10)?

"Abrirei meu coração ao Espírito Sagrado a fim de que sejam despertadas todas
as faculdades e energias que o Eterno me confiou? Pertenço ao Mashiach e estou
empenhado em Seu serviço. Sou um despenseiro de Sua chessed?" (2).
Yeshua também usou o termo administrador metaforicamente (Lc 12:35-48). Ele
falou sobre o administrador sábio que estava pronto para o retorno do Mashiach
(Ben Haadam), e descreveu o administrador infiel que abandonou os cuidados por-
que seu mestre demorou para voltar. O administrador infiel se transformou num
tirano e passou a abusar dos que estavam ao seu redor. Ele não era mais um padrão
de boas ações nem um administrador de chessed (graça).
Quando aceitamos ao Mashiach, somos Seus administradores, chamados a ad-
ministrar os recursos do Eterno. Ainda mais importante, devemos administrar as
realidades espirituais da vida em preparação para o Mundo Vindouro.

Na luta com o sentimento de "demora", por que devemos tomar cuidado para não cair
nesse engano? (Lc 12:45).

ESTUDO DIÁRIO

Yitrô, 2ª Alyá (Êx 18:13-18:23)


Leitura mensal Tehilim Sl 69-71
Leitura RPSP Mt 4
Leitura anual completa Êx 34-36

40 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


30 de janeiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 14 Shevat Terça

Administradores dos mistérios de D'us


3. Leia Colossenses 2:2, 3 e 1 Timóteo 3:16. O que esses textos identificam como
"mistério"?

Z ofar, o naamatita, disse a Jó: "Podes apreender o que há de mais recôndito em


D'us?" (Jó 11:7). A palavra "recôndito" significa algo misterioso, enigmático, obs-
curo, desconhecido, inexplicável ou incompreensível. Embora os mistérios de D'us te-
nham sido registrados nas Escrituras, compreendê-los plenamente ainda está além do
nosso alcance. Por isso eles são mistérios. É como se fôssemos míopes e estivéssemos
olhando para o céu, esperando enxergar o menor detalhe. Não podemos enxergar tão
longe a menos que D'us nos revele esses mistérios.

4. Em Devarim 29:29, o que Moshé declarou sobre o que nos foi revelado?

Somos administradores de coisas que não entendemos completamente. Conhecemos


apenas o que a revelação e as Escrituras nos mostram. Nossa maior administração é
viver como "servos do Messias, encarregados das verdades secretas de D'us." (1Co 4:1).
Como Seus administradores, D'us deseja que cuidemos da verdade que Ele revelou,
e que a preservemos, ensinemos e protejamos. Nossa maneira de fazer isso é a ver-
dadeira administração, e significa que estamos "conservando o mistério da fé com a
consciência limpa" (1Tm 3:9).
O maior de todos os mistérios é que todos podemos experimentar no Mashiach, a
"esperança da glória". O plano da redenção é sobrenatural e não o podemos compre-
ender plenamente. O fato de que o Criador de todas as coisas (Jo 1:1-3) desceu a esta
Terra e foi "manifestado na carne" (3) apenas para oferecer a Si mesmo como corban
(sacrifício pelos pecados) da humanidade, envolve mistérios que provavelmente nunca
serão plenamente compreendidos por nenhuma criatura. Até mesmo os anjos estudam
o mistério divino e tentam entender por que o Mashiach veio à Terra (1Pe 1:12). No
entanto, o que eles sabem faz com que todos nós louvemos ao Eterno por Sua glória e
bondade (veja Ap 5:13).

Você foi chamado para ser administrador das boas novas. Quais responsabilidades isso colo-
ca sobre você automaticamente?

ESTUDO DIÁRIO

Yitrô, 3ª Alyá (Êx 18:24-18:27)


Leitura mensal Tehilim Sl 72-76
Leitura RPSP Mt 5
Leitura anual completa Êx 37, 38

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 41


Quarta 31 de janeiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 15 Shevat

Administradores da verdade espiritual

Q uando pensamos em administração, pensamos em coisas tangíveis, e com razão. Mas,


como vimos, a administração vai além disso. Assim como bens tangíveis, os dons in-
tangíveis também vêm de D'us. Eles são bens espirituais que D'us nos concede (1Pe 4:10)
para que possamos, no Mashiach, desenvolver um caráter ideal e nos tornar o povo que
podemos ser Nele. Portanto, devemos administrar os dons intangíveis com ainda mais cui-
dado do que os tangíveis, pois eles são infinitamente mais valiosos.

5. Leia Efésios 6:13-17. Devemos ser administradores das coisas que o Eterno nos
concedeu. Quais são essas coisas? Por que a administração apropriada dessas dádi-
vas é tão fundamental para nós?

"Mas a vida eterna é o que se recebe como presente gratuito da parte de D'us, em união
com o Mesias Yeshua, nosso Senhor." (Rm 6:23). O mundo (Olam Hazê), com tudo o que
ele oferece, não pode nos conceder a redenção que temos no Mashiach. A redenção, um
presente que D'us nos dá, é o nosso bem mais valioso. Ter sempre em mente a realidade da
redenção nos ajuda a manter a perspectiva na administração dos outros bens que também
recebemos de D'us. "Apenas à luz que resplandece do Gulgolta (que significa "o lugar da
Caveira"), pode o ensino da Natureza ser aprendido corretamente. Por meio da história de
Bet-Lechem e do madeiro mostre-se quão bom é vencer o mal, e como cada bênção que nos
vem é um presente da redenção" (4).
A redenção é nossa somente porque Yeshua pagou o preço máximo. Shaul claramente
afirmou que Nele "nossos pecados são perdoados; isto de acordo com a riqueza da graça"
(Ef 1:7). A expressão "temos a redenção" significa que a redenção é nossa, mas somente
porque o Eterno a concedeu a nós. É fundamental, então, que nos revistamos "de toda a
armadura de D'us" (Ef 6:11), para que o adversário não tome a nossa redenção, pois ele só
pode fazer isso se lhe permitirmos, o que ocorrerá somente se não obedecermos ao que
nos é revelado na "Palavra de D'us" (Ef 6:17). Nossa maior proteção é obedecer, pela emu-
ná, à luz que nos foi dada.

Como podemos nos revestir da armadura de D'us, descrita em Efésios 6:13-17? Em que
aspectos somos administradores de tudo o que recebemos nessa armadura?

TU BISHVAT

ESTUDO DIÁRIO

Yitrô, 4ª Alyá (Êx 19:1-19:6)


Leitura mensal Tehilim Sl 77-78
Leitura RPSP Mt 6
Leitura anual completa Êx 39, 40

42 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


1 de fevereiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 16 Shevat Quinta

Nossa responsabilidade como administradores

O s administradores sábios são definidos por sua disposição de aceitar e executar o prin-
cípio moral da responsabilidade pessoal. A aceitação da responsabilidade pessoal é a
escolha que fazemos, revelada pelas ações que tomamos. Dessa maneira, é reconhecida
a relação entre causa e efeito. A disposição de aceitar a responsabilidade pessoal é uma
característica essencial que não pode ser ignorada na definição de administrador, pois os
administradores devem ter a determinação de manter no coração o melhor interesse do
Proprietário. Portanto, essa disposição é uma escolha que define o relacionamento que um
administrador tem com o Eterno.
"D'us deseja Se relacionar diretamente com as pessoas. Em Seu relacionamento com
os seres humanos, Ele reconhece o princípio da responsabilidade pessoal. Procura enco-
rajar um senso de dependência pessoal e destacar a necessidade de orientação pessoal.
Seus dons são confiados às pessoas como indivíduos. Cada indivíduo tem sido colocado
como administrador de encargos sagrados; cada um deve cumprir sua responsabilidade
de acordo com a orientação do Doador; e cada um deve prestar contas de sua adminis-
tração a D'us" (5).
Quando nos tornamos administradores, não transferimos nossa responsabilidade para
outra pessoa ou organização. Nossa responsabilidade pessoal é com D'us e será refletida
em todas as nossas interações com aqueles que nos rodeiam (Gn 39:9, veja também Dn
3:16). Abraçaremos a tarefa que está diante de nós aplicando o máximo das nossas habili-
dades. O sucesso aos olhos de D'us dependerá mais da nossa fidelidade e pureza do que da
inteligência e talento.

6. Leia 2Coríntios 5:10. O que significa ser um administrador sábio? Qual será a
base do julgamento da nossa administração?

Muitos têm discutido durante séculos a difícil questão do livre-arbítrio. Mas as Escri-
turas Sagradas são claras: nós, como seres humanos, temos livre-arbítrio e liberdade de
escolha. A ideia de que seremos julgados pelas nossas ações não teria sentido de outra ma-
neira. Portanto, pela chessed Hashem (graça de D'us) temos a responsabilidade pessoal de
tomar as decisões corretas em tudo o que fazemos, inclusive sendo fiéis administradores
de todos os bens divinos confiados a nós.

ESTUDO DIÁRIO

Yitrô, 5ª Alyá (Êx 19:7-19:19)


Leitura mensal Tehilim Sl 79-82
Leitura RPSP Mt 7
Leitura anual completa Lv 1-4

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 43


Sexta 2 de fevereiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 17 Shevat

Estudo adicional

E m alguns textos do Tanach, a palavra administrador não é traduzida de um único ter-


mo, mas da expressão ‫בּית‬-‫ל‬ֵ ‫( ֲא ֶשׁר ַע‬asher al–beit), que significa "aquele que administra
uma casa". O texto de Bereshit 43:19 pode ser traduzido assim: "E se chegaram ao adminis-
trador da casa de Yossef, e lhe falaram à porta". Se considerarmos que a família que reside
na casa é parte da própria casa, então o que é mais valioso para uma pessoa do que a pró-
pria casa? Portanto, um administrador é alguém a quem está sendo confiado algo muito
valioso que, no entanto, não lhe pertence. Em muitos aspectos, isso torna a responsabilida-
de ainda maior do que se o administrador fosse responsável pelos próprios bens.
Essa mesma ideia continua na Brit Hadashá, que "toma ideias do Tanach e as une às
ideias, conceitos e palavras do primeiro século, enriquecendo e ampliando o ensino sobre
administração. As palavras gregas mais comuns usadas em relação à administração são
derivadas de οἶκος (oikos) e οἰκῐ́ᾱ (oikia), "casa". O οἰκονόμος (oikonomos) é aquele que
cuida da casa: o administrador ou o administrador. Οἰκονομία (oikonomia) é o substantivo
abstrato, "administração da casa", cujo significado é muitas vezes muito mais amplo" (6).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 Em vez de assumir a responsabilidade por ter comido o fruto proibido, o que Adam disse
a D'us, diante da pergunta sobre o que ele havia feito? (Veja Gn 3:12). Uma das primeiras
atitudes provocadas pelo pecado foi a transferência da culpa para o outro! O que isso
revela sobre nossa própria atitude? Como evitar culpar os outros pelos nossos erros?
2 Reflita sobre a ideia de ser administrador de coisas intangíveis, espirituais. O que isso
significa? Como "administrar" essas coisas?
3 Pense nas três mensagens de Revelação 14 (Ap 14:6-12). Recebemos a responsabilidade
de ser admnistradores dessas mensagens. Quais são elas?
4 É importante acreditar nas coisas espirituais que não compreendemos?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Yitrô, 6ª Alyá (Êx 19:20-20:14)


Leitura mensal Tehilim Sl 83-87
Leitura RPSP Mt 8
Leitura anual completa Lv 5-7

44 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

3 de fevereiro | ‫ שבת‬Shabat 18 Shevat

ESTUDO DIÁRIO

Yitrô, 7ª Alyá (Êx 20:15-20:23)


Leitura mensal Tehilim Sl 88-89
Leitura RPSP Mt 9
Leitura anual completa Lv 8-10
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 8

REFERÊNCIAS LIÇÃO 5

(1)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 9, p. 246 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Fundamentos da Educação, p. 301 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Manuscript Releases, v. 6, p. 122 (contextualizado)
(4)
Ellen G. White, Educação, p. 101 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 7, p. 176, (contextualizado)
(6)
Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia, 2012, p. 721-724 (contextualizado)

COSTUMES DA SEMANA

TU BISHVAT
Tu BiShvat, 15 de Shevat no Calendário Judaico é o dia que assinala o início do “Ano Novo
das Árvores”. Essa é a estação na qual as primeiras árvores a brotar na Terra de Israel
emergem do seu sono de inverno e iniciam um novo ciclo de produção de frutas.

Celebramos o dia de Tu BiShevat comendo frutas, especialmente as espécies que são des-
tacadas na Torá em seus louvores à fartura da Terra Santa: uvas, figos, romãs, azeitonas e
tâmaras. Nesse dia lembramos que “o homem é uma árvore do campo” (Devarim 20:19) e
refletimos sobre as lições que podemos extrair de nossa analogia botânica.

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 45


Lição 6 4 a 10 de fevereiro | 19 a 25 Shevat

Marcas de um
administrador
VERSO PARA MEMORIZAR
"Assim, vocês devem nos considerar servos do Mashiach, encarregados das verdades
secretas de D'us. O que se requer do encarregado é sua fidelidade." (1Co 4:1,2)

LEITURAS DA SEMANA
Hb 11:8-12; Rm 4:13, 18-21; Mt 6:24; Hb 9:14; 1Jo 5:2, 3; Lc 16:10-12

Introdução

O administrador é conhecido por sua marca ou sinal distintivo, assim como as gran-
des empresas são conhecidas por seus logotipos ou marca comercial. Na verdade,
muitas pessoas se tornaram famosas transformando-se em uma marca comercializável.
A marca, ou o sinal de um administrador que segue o Mashiach, é um reflexo
do amor dele mediante seu relacionamento com Ele. Quando vivemos e praticamos
os traços de caráter de Yeshua, revelamos nossa marca. Nossa marca é Sua marca;
nossa identidade está associada à Dele (1Co 6:17).
Nesta semana estudaremos os traços de caráter distintivos dos administradores
do Eterno. Esses traços formam a sua marca. Eles nos inspiram a aguardar o retorno
de Yeshua e a realizar o trabalho que nos foi confiado como administradores fiéis
de Sua mensagem. Cada característica descreve o relacionamento cada vez mais
profundo que podemos ter com Aquele que veio buscar e salvar os perdidos. Quanto
mais essas qualidades forem estudadas, mais profundamente elas serão enraizadas
em nós. O amoroso caráter do Eterno, em toda sua dinâmica, vai se tornar a nossa
marca e influenciará cada aspecto da nossa vida, hoje e eternamente.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA
PARASHÁ 18 ‫ משפטים‬MISHPATIM [Estatutos]: Êx 21.1-24.18
HAFTARÁ: Jeremias 34.8-22; 33-25.26
BRIT CHADASHÁ: Mt 5.38-42; 15.1-20; Mc 7.1-23; At 23.1-11; Hb 9.15-22; 10.28-39; Mt 5.38-
42
TEHILIM: Sl 72
46 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬
4 de fevereiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 19 Shevat Domingo

Fidelidade

"O que se requer do encarregado é sua fidelidade." (1Co 4:2). Lutar e vencer "o bom
combate da confiança" (1Tm 6:12) é fundamental para um administrador fiel. O
Eterno é "fiel" e assim devemos ser mediante Sua atuação em nós. Ser fiel significa per-
manecer firme pelo que sabemos ser o certo, especialmente no momento mais violento de
nossas batalhas espirituais.
Os conflitos espirituais entre o certo e o errado, o yetser hatov e o yetser hará, certa-
mente ocorrerão. Eles fazem parte da luta da emuná. O que caracteriza os administradores
em toda situação é sua decisão de ser fiel. Se você tem a tendência de amar as riquezas,
certifique-se de permanecer fiel a D'us e prestar atenção ao que Ele diz sobre os perigos do
amor ao dinheiro. Se o desejo pela fama é o seu problema, permaneça fiel ao que a Palavra
de D'us revela sobre a humildade. Se você luta contra pensamentos sensuais, permaneça
fiel às promessas de santidade. Se sua luta é em relação ao poder, permaneça fiel ao que o
Eterno afirma sobre ser servo de todos. Muitas vezes, a decisão de ser fiel ou infiel é feita
em uma fração de segundo, mesmo que as consequências sejam eternas.

1. Leia Hebreus 11:8-12, 17-19 e Romanos 4:13, 18-21. O que esses versos nos ensinam
sobre a fidelidade?

Em hebraico, "fiel" (neeman – ‫ )נֶ ֱא ָמן‬vem da palavra que significa confiar (aman - ‫)א ָמן‬.
ָ
Dessa mesma raiz hebraica procede a palavra "amen" (amen - ‫)א ֵמן‬, ָ cujo significado é ser
"sólido" ou "firme". Ser fiel significa que fomos testados e provados, mas permanecemos
firmemente comprometidos com o plano do Eterno.

Leia Revelação (Ap) 2:10. Em nossa caminhada com o Eterno, o que significa ser "fiel até a morte"?

ESTUDO DIÁRIO

Mishpatim, 1ª Alyá (Êx 21:1-21:19)


Leitura mensal Tehilim Sl 90-96
Leitura RPSP Mt 10
Leitura anual completa Lv 11, 12

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 47


Segunda 5 de fevereiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 20 Shevat

Neemanut (*)
2. "Ninguém pode ser escravo de dois senhores; pois odiará o primeiro e amará o
segundo, ou desprezará o segundo e será leal ao primeiro. Vocês não podem ser
escravos de D'us e do dinheiro." (Mt 6:24). O que esse texto ensina sobre a suprema
importância da lealdade a D'us?

S aber que o nome de D'us significa "zeloso" (Êx 34:14) deve representar para nós
um forte chamado à lealdade ao nosso D'us "zeloso", que tem o sentido de leal-
dade no amor. No combate da confiança, a lealdade ajuda a definir quem somos e
nos incentiva a permanecer na batalha.
Nossa lealdade é importante para o Eterno (1Rs 8:61). Ela não é um contrato que
tenta prever todas as eventualidades; nem é apenas uma lista de regras. É, antes, a
expressão visível de nossas crenças pessoais, emuná e compromisso.

3. Leia 1 Crônicas 28:9. Qual é a importância da lealdade?

Contudo, onde há lealdade, há a possibilidade de traição. A lealdade, assim como


o amor, deve ser livremente oferecida, ou não é lealdade verdadeira. Na guerra, as
tropas da linha de frente às vezes são forçadas a permanecer e lutar; caso contrário,
seus oficiais mandariam matá-las. Esses homens podem cumprir seu dever, mas
não necessariamente por lealdade. Esse não é o tipo de lealdade que D'us nos pede.
Pense em Jó. Ele não previu os eventos catastróficos que destruíram sua famí-
lia, seus bens e sua saúde. Ele poderia ter desistido de confiar, amar e manter seu
compromisso com D'us. Porém, sua lealdade foi inabalável. Honesto e sem medo de
louvar a D'us publicamente, ele pronunciou as famosas palavras: "Ainda que Ele
me matasse, eu Nele confiaria." (Jó 13:15). A fidelidade de Jó diante do desastre é a
essência da lealdade, e ilustra os administradores fiéis em sua melhor forma.

De que maneira podemos revelar melhor essa lealdade ao Mashiach?

(*) Lealdade

ESTUDO DIÁRIO

Mishpatim, 2ª Alyá (Êx 21:20-22:3)


Leitura mensal Tehilim Sl 97-103
Leitura RPSP Mt 11
Leitura anual completa Lv 13, 14

48 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


6 de fevereiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 21 Shevat Terça

Consciência limpa

H á muitas coisas preciosas que podemos possuir. Saúde, amor, amigos, uma família
maravilhosa: todas essas coisas são bênçãos. Mas talvez uma das mais importan-
tes seja a consciência limpa.

4. Leia Hebreus 10:19-22 e 1 Timóteo 4:1, 2. O que significa ter uma "má consciência"
e uma "consciência cauterizada"?

Nossa consciência funciona como um monitor interno de nossa vida exterior. A


consciência precisa se ligar a um alto e perfeito padrão: a Torá de D'us. O Eterno es-
creveu a Torá no coração de Adam, mas o pecado quase a apagou (não apenas nele,
mas também em seus descendentes). Restaram apenas fragmentos da lei. "[Os goyim]
demonstram que a conduta ditada pela Torá está escrita em seu coração. Sua consci-
ência também dá testemunho disso, porque seus pensamentos conflitantes às vezes os
acusam e outras vezes os defendem" (Rm 2:15). Yeshua venceu onde Adam fracassou
porque a lei de D'us estava "dentro do [Seu] coração" (Sl 40:8).

5. Leia Hebreus 9:14. De acordo com Rabi Shaul, qual é a única solução para a
má consciência?

"A câmara da consciência, coberta de teia de aranha, deve ser adentrada. As janelas
do ser devem ser fechadas em direção da Terra e escancaradas para o Céu, a fim de que
os brilhantes raios do Sol da justiça tenham livre acesso […]. A mente deve ser mantida
clara e pura para que possa distinguir entre o bem e o mal" (1). Quando a Torá de D'us
é escrita no coração do seguidor de Yeshua (Hb 8:10), e ele, pela fidelidade, procura
seguir essa Torá, o resultado é uma consciência limpa.

Manter o foco em Yeshua Hamashiach e em Sua morte o ajuda a se livrar da maldição da


"má consciência"?

ESTUDO DIÁRIO

Mishpatim, 3ª Alyá (Êx 22:4-22:26)


Leitura mensal Tehilim Sl 104-105
Leitura RPSP Mt 12
Leitura anual completa Lv 15, 16

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 49


Quarta 7 de fevereiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 22 Shevat

Obediência

E m obediência, Hevel se ajoelhou diante do altar, segurando a oferta do cordeiro como


o Eterno tinha ordenado. Cain, por outro lado, ajoelhou-se furiosamente diante de seu
altar, segurando o fruto. Ambos trouxeram ofertas, mas apenas um havia obedecido ao
mandamento de D'us. O cordeiro morto foi aceito, mas o fruto da terra foi rejeitado. Ambos
os irmãos compreendiam o significado e as instruções relacionadas à oferta de sacrifícios,
mas apenas um obedeceu ao que o Eterno havia ordenado (Gn 4:1-5).
"A morte de Hevel foi consequência da recusa de Cain em aceitar o plano do Eterno na
escola da obediência, para ser salvo pela morte de Yeshua, simbolizado pelas ofertas sacri-
ficais que apontavam para o Mashiach. Cain recusou-se a derramar o sangue que tipificava
o sangue do Mashiach, o qual seria derramado pelo mundo" (2).
A obediência começa na mente. Ela envolve o processo delicado de aceitar mental-
mente a responsabilidade de executar ordens dadas por um superior. A obediência de-
corre de um relacionamento com uma figura de autoridade e da disposição de obedecer
a ela. No caso do relacionamento com D'us, a obediência é uma ação voluntária e de
amor, que molda nosso comportamento para com as obrigações morais. A obediência a
D'us deve ser tão específica quanto Ele ordena, e não somente como pensamos ou dese-
jamos que ela seja. O caso de Cain é um exemplo perfeito de alguém fazendo a própria
vontade em vez de fazer o que o Eterno pede.

6. Leia 1Yochanan (1Jo) 5:2, 3; Romanos 1:5; 10:16, 17. O que a obediência significa
para os seguidores de Yeshua salvos pela confiança, independentemente das ações
pelo cumprimento de mitzvot?

Não obedecemos para ser salvos, mas porque fomos salvos. A obediência é a decla-
ração prática de uma fidelidade virtuosa. Shmuel (Samuel) disse a Shaul: "Porventura o
Eterno Se deleita mais com ofertas de elevação e sacrifícios do que com que se ouça a voz
do Eterno? Eis que obedecer (é melhor) do que sacrificar, e atender (é melhor) do que a
gordura de carneiros!" (1Sm 15:22).

O que Shmuel quis dizer com as palavras "obedecer é melhor do que sacrificar"? Como
isso nos ajuda a não cair na falsa mensagem da "graça (chessed) barata"?

ESTUDO DIÁRIO

Mishpatim, 4ª Alyá (Êx 22:27-23:5)


Leitura mensal Tehilim Sl 106-107
Leitura RPSP Mt 13
Leitura anual completa Lv 17-19

50 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


8 de fevereiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 23 Shevat Quinta

Digno de confiança
7. Leia Lucas 16:10-12. O que significa ser digno de confiança? Por que essa caracte-
rística é tão importante para um administrador fiel

O princípio da confiabilidade é visto na Bíblia. Quatro guardas levitas eram encarre-


gados de proteger o Mishcan à noite. Eles deviam guardar os aposentos repletos de
tesouros, bem como as chaves para abrir as portas todas as manhãs (1Cr 9:26, 27). Eles
recebiam essa tarefa porque eram considerados dignos de confiança.
Ser digno de confiança é uma marca de um bom administrador. Os administradores
fiéis compreendem o significado de sua função; eles entendem que D'us é digno de con-
fiança e buscam imitá-Lo (Dt 32:4; 1Rs 8:56).
A confiabilidade implica uma série de traços de caráter que demonstram maturidade.
Ela é o mais alto nível de caráter e competência que uma pessoa pode alcançar aos olhos
dos observadores. Refletir o caráter do Eterno significa fazer o que afirmamos que fare-
mos, independentemente das circunstâncias ou de pressões contrárias (2Rs 12:15).
Daniel foi considerado digno de confiança por monarcas de dois reinos mundiais. Sua
reputação como conselheiro que destemidamente transmitia sabedoria e verdade aos reis
opunha-se diretamente àquela dos adivinhos e dos mágicos da corte. A confiabilidade é a
joia da coroa da ética; ela exibe seus princípios morais da maneira mais pura. Essa qualida-
de em um administrador não aparece "do dia para a noite", mas surge ao longo do tempo,
à medida que somos fiéis mesmo nas pequenas coisas.
As pessoas percebem se somos, ou não, dignos de confiança. Elas confiarão em nós
se perceberem que não somos influenciados por opiniões, modismos nem lisonjas. Ser
digno de confiança é uma demonstração do desempenho do nosso caráter em todas as
nossas responsabilidades; um teste para o Mundo Vindouro. "Devemos ser súditos fiéis
do reino do Mashiach, dignos de confiança, para que os que são mundanos possam ter
uma imagem fiel das riquezas, bondade, misericórdia, compaixão e cortesia dos cida-
dãos do reino de D'us" (3).

Alguém confiável pode ajudar você a ser mais confiável?

ESTUDO DIÁRIO

Mishpatim, 5ª Alyá (Êx 23:6-23:19)


Leitura mensal Tehilim Sl 108-112
Leitura RPSP Mt 14
Leitura anual completa Lv 20-23

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 51


Sexta 9 de fevereiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 24 Shevat

Estudo adicional

O utra característica de um bom administrador é a responsabilidade individual. "Sem-


pre tem sido o desígnio de satan afastar a mente do povo, de Yeshua para o homem, e
destruir a responsabilidade individual. O satan fracassou em seu desígnio quando tentou
o Mashiach Ben HaElohim (Filho de D'us); porém, foi mais bem-sucedido quando veio ao
homem decaído. A humanidade se corrompeu" (4).
Tendo o Mashiach no centro do nosso ser, estamos abertos à Sua orientação. Como
resultado, nossa fidelidade, lealdade, obediência, consciência limpa, confiabilidade e res-
ponsabilidade individual serão reveladas em nossa vida. Assim, tornamo-nos plenos nas
mãos de D'us (Sl 139:23, 24).
A responsabilidade individual é um princípio bíblico essencial. Enquanto esteve na
Terra, Yeshua foi responsável perante o Avinu Malkeinu (Jo 8:28). Somos responsáveis por
toda palavra frívola que pronunciamos (Mt 12:36; leia também Lc 12:48). Porém, a maior
ameaça à responsabilidade individual é a tendência de transferir nossas responsabilidades
para outra pessoa. "Não é nossa propriedade particular que é confiada a nós para investi-
mento. Se fosse, poderíamos reivindicar poder arbitrário sobre ela; poderíamos transferir
nossa responsabilidade para os outros e deixar nossa administração com eles. Todavia,
não pode ser assim, porque o Eterno nos fez individualmente Seus administradores" (5).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 Um administrador deve ter responsabilidade individual, confiabilidade, obediência
e consciência limpa. Qual é a relação entre elas? A negligência em uma área leva
à negligência nas outras? A fidelidade em uma área pode levar à fidelidade nas
outras?
2 As promessas das escrituras podem ajudar aqueles que estão lutando com a "má
consciência"? Quais promessas eles podem reivindicar?
3 Muitas vezes vemos o conceito de "lealdade" como algo bom. Mas é sempre assim?
Podemos ser leais a alguém ou algo que não é bom? Por que o conceito de "lealda-
de" deve ser sempre entendido num contexto específico, para que verifiquemos se
essa lealdade é boa ou inapropriada?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Mishpatim, 6ª Alyá (Êx 23:20-23:25)


Leitura mensal Tehilim Sl 113-118
Leitura RPSP Mt 15
Leitura anual completa Lv 24, 25

52 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

10 de fevereiro | ‫ שבת‬Shabat 25 Shevat

ESTUDO DIÁRIO

Mishpatim, 7ª Alyá (Êx 23:26-24:18)


Leitura mensal Tehilim Sl 119:1-96
Leitura RPSP Mt 16
Leitura anual completa Lv 26, 27
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 9

REFERÊNCIAS LIÇÃO 6

(1)
Ellen G. White, Mente, Caráter e Personalidade, v. 1, p. 327, 328 (contextualizado)
(2)
Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 6, p. 1237 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 6, p. 190, (contextualizado)
(4)
Ellen G. White, Primeiros Escritos, p. 213 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 7, p. 177 (contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 53


Lição 7 11 a 17 de fevereiro | 26 Shevat 2 de Adar

Honestidade para
com Hashem
VERSO PARA MEMORIZAR
"Mas as sementes que caíram no solo rico são os que, quando ouvem a mensagem, a
retêm e dão fruto, com coração bom, generoso, e com perseverança." (Lc 8:15)

LEITURAS DA SEMANA
Lc 16:10; Lv 27:30; Gn 22:1-12; Hb 12:2; Lc 11:42; Hb 7:2-10; Ne 13

Introdução

O que é ter um coração honesto, e como ele é revelado? A cultura contemporâ-


nea muitas vezes vê a honestidade como uma ética vaga e relativista. Em sua
maioria, as pessoas são ocasionalmente desonestas, mas consideram isso aceitável,
desde que a infração não seja muito grande. Além disso, alegam que circunstâncias
específicas podem justificar certa desonestidade.
A verdade e a honestidade estão sempre juntas. No entanto, não nascemos com
tendência para ser honestos; a honestidade é uma virtude moral aprendida e está
na essência do caráter moral de um administrador fiel.
Quando praticamos a honestidade, coisas boas vêm como resultado disso. Por
exemplo, jamais nos preocupamos em ser apanhados em uma mentira ou em ter
que "encobri-la". Por essa e outras razões, a honestidade é um valioso traço de cará-
ter, especialmente em situações difíceis, quando a provação pode facilmente nos
levar à desonestidade.
Na lição desta semana, estudaremos o conceito espiritual de honestidade por
meio da prática da devolução do maasser (dízimo), e veremos por que ele é de vital
importância para o administrador justo e o Tikun Olam.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 19 ‫ תרומה‬TERUMA [Oferta]: Êx 25.1-27.19


HAFTARÁ: M'lakhim Alef [1 Reis] 5.26-6.13
BRIT CHADASHÁ: Hb 8.1-6; 9.23,24;10.1; Mt 5.33-37
TEHILIM: Sl 26

54 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


11 de fevereiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 26 Shevat Domingo

Uma questão de honestidade

M uitas pessoas têm algo em comum: não gostam de desonestidade, especialmente quando
a veem sendo manifestada em outros. Não é fácil, porém, enxergá-la na própria vida, e
quando a enxergam, têm a tendência de racionalizar suas ações, de justificá-las e minimizar
sua importância: "Ah, não é tão ruim assim; é apenas uma coisa pequena, não é realmente
importante." Podemos nos enganar a maior parte do tempo; mas nunca enganamos a D'us.
"Por toda parte, em nossas fileiras, é praticada a desonestidade, e essa é a causa da
mornidão de muitos que professam crer na verdade. Não se acham ligados ao Mashiach
e iludem a si mesmos" (1).

1. Leia Lucas 16:10. Qual princípio Yeshua expressou nesse verso sobre a importância
de ser honesto, mesmo no "pouco"?

O Eterno pede que sejamos honestos. Porém, Ele sabe como é fácil ser desonestos, especial-
mente em relação às coisas que possuímos. Por isso, o Eterno nos deu um poderoso antídoto
contra a desonestidade e o egoísmo, pelo menos quando se trata de bens materiais.

2. Leia Vayicrá (Lv) 27:30 e Malaquias 3:8. O que esses textos ensinam? Como o maas-
ser (dízimo) ajuda a manter a nossa honestidade?

"Não se apela para a gratidão ou generosidade. É uma questão de simples honestidade.


Maasser é do Eterno; e Ele nos ordena que Lhe devolvamos aquilo que é Seu […]. Se a honesti-
dade é um princípio essencial nos negócios da vida, não deveríamos reconhecer nossa obriga-
ção para com D'us, obrigação esta que se acha na base de todas as outras?" (2).

A devolução do maasser (dízimo) o ajuda a lembrar quem, em última instância, é o dono


de tudo? Por que é importante nunca se esquecer disso?

ESTUDO DIÁRIO

Terumá, 1ª Alyá (Êx 25:1-25:16)


Leitura mensal Tehilim Sl 119:97-176
Leitura RPSP Mt 17
Leitura anual completa Nm 1-3

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 55


Segunda 12 de fevereiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 27 Shevat

Vida de fidelidade
3. Leia Bereshit (Gn) 22:1-12. O que essa história nos revela sobre a realidade da fide-
lidade de Avraham?

U ma vida de fidelidade não é um acontecimento único. Não expressamos fideli-


dade apenas uma vez, provando assim que somos leais e fiéis que vivemos pela
chessed (graça), cobertos pelo sangue do Mashiach. Não é assim que funciona.
Por exemplo, depois de milhares de anos, o mundo religioso ainda permanece
atônito com o ato de fidelidade demonstrado por Avraham em relação a Isaque no
monte Moriá (Gn 22). No entanto, esse ato de fidelidade não foi algo que Avraham
simplesmente produziu de modo mágico quando precisou. Sua vida de fidelidade
e obediência lhe permitiu fazer o que fez. Se ele tivesse sido frequentemente infiel
antes desse acontecimento, jamais teria passado no teste. Não há nenhuma dúvida,
tampouco, de que um homem com esse tipo de fé certamente a tenha vivido tam-
bém após esse evento.
A questão é que a fidelidade de um administrador não implica uma única ação.
Com o passar do tempo, ela crescerá e se tornará mais forte ou ficará mais fraca e
superficial, dependendo de como a fé declarada é exercida.

4. De acordo com Hebreus 12:2, qual é a fonte da nossa fidelidade?

Como fiéis administradores, nosso único recurso é olhar "contemplando o autor


e consumador da nossa confiança, Yeshua que, em troca da obtenção da alegria que
lhe foi proposta, suportou a execução no madeiro, como um criminoso, desprezan-
do a vergonha, e se sentou à direita do trono de D'us." (Hb 12:2). A palavra "consu-
mador" foi usada somente nesse caso na Brit Hadashá, e também pode ser traduzida
como "aperfeiçoador". Isso significa que a intenção de Yeshua é fazer com que nossa
fidelidade atinja a maturidade e a plenitude (Hb 6:1, 2). Portanto, a fidelidade é uma
experiência dinâmica: ela cresce, amadurece e aumenta.

Sua fidelidade tem crescido e amadurecer ao longo do tempo?

ESTUDO DIÁRIO

Terumá, 2ª Alyá (Êx 25:17-25:30)


Leitura mensal Tehilim Sl 120-134
Leitura RPSP Mt 18
Leitura anual completa Nm 4-6

56 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


13 de fevereiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 28 Shevat Terça

Uma declaração de fidelidade

C omo vimos ontem, a fidelidade é um processo, uma experiência dinâmica que, de manei-
ra ideal, cresce e amadurece. Uma forma pela qual D'us está "consumando" nossa fideli-
dade e a tornando plena é o ato de separar o maaser (dízimo). Entendida corretamente, a
devolução do maaser a D'us não é legalismo. Quando devolvemos o maasser não estamos
procurando um lugar no mundo vindouro. Em vez disso, o maasser é uma declaração de fi-
delidade. É uma expressão exterior, visível e pessoal da realidade da nossa fidelidade.
Afinal, qualquer um pode afirmar que tem confiança em D'us e em Yeshua. Porém, como
sabemos, "até os demônios creem" no Eterno (Tg 2:19). Mas separar 10% da sua renda e de-
volvê-la a D'us? Isso é um ato de fidelidade.

5. Leia Lucas 11:42. Yeshua disse que o maasser não deve ser deixado de lado. O
que isso significa? Como ele se relaciona com os assuntos mais importantes da
Torá?

Maasser é uma expressão de dependência de D'us e de confiança em Mashiach como


Redentor. É o reconhecimento de que fomos abençoados "com toda sorte de bênção espiritu-
al […] em Mashiach" (Ef 1:3) e uma expressão de confiança na promessa de que seremos
ainda mais abençoados.

6. Leia Bereshit 28. O que Yaacov fez em resposta à promessa de D'us (Gn 28:14-22)?

"O plano divino do sistema do maasser (dízimo) é belo em sua simplicidade e equidade.
Todos podem lançar mão dele com fidelidade e ânimo, pois é divino em sua origem. Nele se
aliam a simplicidade e a utilidade, e não exige profundidade de saber compreendê-lo e exe-
cutá-lo. Todos podem sentir que lhes é possível ter parte em promover a preciosa obra de
redenção. Todo homem, mulher e jovem pode se tornar tesoureiro do Eterno, e agente em
atender às exigências sobre o tesouro" (3).

Você já descobriu as verdadeiras bênçãos espirituais que vêm da devolução do maasser (dízimo)?

ESTUDO DIÁRIO

Terumá, 3ª Alyá (Êx 25:31-26:14)


Leitura mensal Tehilim Sl 135-139
Leitura RPSP Mt 19
Leitura anual completa Nm 7, 8

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 57


Quarta 14 de fevereiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 29 Shevat

Maasser honesto: Kadosh LeHashem*


7. Leia Vayicrá 27. Quais são os dois pontos importantes em relação ao maasser (dí-
zimo) nesse verso (Lv 27:30)?

"O maasser pertence ao Eterno e, portanto, é santo. Ele não se torna santo por meio
de um voto ou um ato de consagração. Simplesmente é santo por sua própria na-
tureza: pertence ao Eterno. Ninguém, a não ser o Eterno, tem direito a ele. Ninguém pode
consagrá-lo ao Eterno, pois o maasser nunca foi parte da propriedade de uma pessoa" (4).
Não tornamos o maasser santo (kadosh); o Eterno o santifica por designação. O ma-
asser é dedicado para a realização de uma tarefa específica. Retê-lo para outro propósito
é desonestidade. Não devemos deixar de devolver o maasser.

8. Leia Hebreus 7:2-10. Rabi Shaul falou sobre o dízimo que Avraham deu a Melki-T-
zedek. Qual é o significado mais profundo do ato de devolver o maasser (dízimo)?
A quem Avraham estava realmente devolvendo o maasser?

Assim como o Shabat é santo, o maasser é santo. A palavra "kadosh" significa "sepa-
rado para uso sagrado". O Shabat e o maasser estão relacionados dessa maneira. Sepa-
ramos o sétimo dia como dia sagrado e santo. Separamos o dízimo como posse sagrada
e santa de D'us.
"D'us santificou o sétimo dia. Essa porção específica de tempo, separada pelo próprio
D'us para culto religioso, continua hoje sendo tão sagrada como quando pela primeira
vez foi santificada pelo nosso Criador. De igual maneira, o maasser de nossas rendas
"é Kadosh LeHashem (santo ao Eterno)". A Brit Hadashá não repete a lei do maasser,
como também não repete a do Shabat; pois pressupõe a validade de ambos, e explica sua
profunda importância espiritual. […] Enquanto nós como povo estamos procurando dar
fielmente ao Eterno o tempo que Ele conservou como Seu, não Lhe daremos também nós
aquela parte de nossos meios que Ele exige?" (5).

O que podemos fazer para manter a convicção de que o maasser é "kadosh"?

* Dízimo honesto: santo ao Eterno

ESTUDO DIÁRIO

Terumá, 4ª Alyá (Êx 26:15-26:30)


Leitura mensal Tehilim Sl 140-145
Leitura RPSP Mt 20
Leitura anual completa Nm 9-11

58 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


15 de fevereiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 30 Shevat Quinta

Teshuvá e Maasser

O longo reinado de Ezequias (Iehizkiáhu) é considerado a melhor fase para a tribo de


Yehudá. Desde o reinado de David e Shlomo, Israel não desfrutava a bênção de D'us
de maneira tão abundante. Em 2 Crônicas 29–31 está o registro da teshuvá promovidos
por Ezequias: " E ele fez o que era reto aos olhos do Eterno" (2Cr 29: 2). "Assim se resta-
beleceu o serviço da Casa do Eterno." (2Cr 29:35). A celebração de Pessach foi mantida
(2Cr 30:5). "Houve grande alegria em Jerusalém" (2Cr 30:26). Imagens pagãs, altares e
lugares altos foram destruídos (2Cr 31:1). Houve um inesperado reavivamento de cora-
ção e reforma de práticas (teshuvá), o que resultou na abundância de dízimos (maasser)
e ofertas (2Cr 31:4, 5, 12).

9. Neemias deu outro exemplo de teshuvá e maasser (dízimo). Leia Neemias 9:2, 3.
O que significou o reavivamento do coração? Leia Neemias 13. Depois que Neemias
reformou a casa de D'us (Ne 13:4), o que o povo de Yehudá levou à beit (Ne 13:12)?

"Reavivamento e reforma são duas coisas diferentes. Reavivamento significa reno-


vação da vida espiritual, uma vivificação das faculdades do espírito e do coração, um
ressurgimento da morte espiritual. Reforma significa reorganização, mudança de ideias
e teorias, hábitos e práticas" (6).
A relação entre teshuvá (reavivamento e reforma) e maasser (dízimo) é automática.
Sem a devolução do dízimo, a teshuvá é incompleta. Muitas vezes permanecemos ociosos
quando devíamos estar ativamente envolvidos no lado do Eterno. A teshuvá (reaviva-
mento e a reforma) exige um compromisso, e o maasser faz parte desse compromisso.
Se retemos do Eterno o que Ele nos pede, não podemos esperar que Ele responda ao que
Lhe pedimos. A teshuvá ocorrem na kehilá, não fora dela (Sl 85:6). Devemos buscar o
Eterno para que sejamos reavivados (Sl 80:19) e reformados para que voltemos "o que
praticávamos antes" (Ap 2:5). Deve ocorrer uma teshuvá em relação ao que retemos e ao
que devolvemos ao Eterno.
Não é o ato que faz a diferença, mas a decisão da mente e as emoções que revelam a
motivação e o compromisso. Os resultados serão o crescimento da fidelidade, uma visão
espiritual aguçada e honestidade renovada.

ROSH CHODESH 1

ESTUDO DIÁRIO

Terumá, 5ª Alyá (Êx 26:31-26:37)


Leitura mensal Tehilim Sl 146-150
Leitura RPSP Mt 21
Leitura anual completa Nm 12-14

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 59


Sexta 16 de fevereiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 1 Adar

Estudo adicional

"O Eterno iniciou todas as alianças mencionadas na Bíblia e tomou a iniciativa de


atrair Seu povo para essas alianças (Hb 8:10). As promessas da aliança refle-
tem Sua graça, amor e desejo de nos redimir.
Uma aliança com o Eterno inclui muitas partes: D'us, os beneficiários, as condi-
ções da aliança, o compromisso para com as condições de ambas as partes, a punição
declarada pela transgressão da aliança e os resultados pretendidos ou a consequên-
cia desejada. O conceito de maasser (dízimo) reflete esses componentes em Malakhi
3:9, 10. Esse texto reitera a aliança especial do dízimo entre D'us e Seus administrado-
res. Quando fazemos essa aliança, estamos dando um sinal visível de que nos opomos
aos princípios materialistas do consumismo, e provamos que um coração convertido
pode dar bons frutos.
"Um espírito mesquinho e egoísta impede os homens de dar a D'us o que Lhe
pertence. O Eterno fez uma aliança especial com os seres humanos, de que se eles
separassem regularmente a parte destinada ao avanço do reino do Mashiach, Ele os
abençoaria abundantemente, de tal modo que não haveria mais espaço para receber
Suas dádivas. Mas se os homens retiverem o que pertence a D'us, o Eterno declara
abertamente: 'Com maldição sois amaldiçoados'" (7).
Viver em um relacionamento de aliança com D'us envolve responsabilidades.
Desfrutamos das promessas da aliança, mas muitas vezes não gostamos dos deveres.
No entanto, uma aliança é, nesse contexto, um acordo entre duas partes, e o maasser
é nossa parte na aliança.

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 Por que devolver o maasser é um ato de fidelidade importante da nossa parte?
2 Maasser (dízimo) é Kadosh (santo). Esse fato influencia sua fidelidade nessa questão?

ROSH CHODESH 2

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Terumá, 6ª Alyá (Êx 27:1-27:8)


Leitura mensal Tehilim Sl 1-9
Leitura RPSP Mt 22
Leitura anual completa Nm 15, 16

60 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

17 de fevereiro | ‫ שבת‬Shabat 2 Adar

ESTUDO DIÁRIO

Terumá, 7ª Alyá (Êx 27:9-27:19)


Leitura mensal Tehilim Sl 10-17
Leitura RPSP Mt 23
Leitura anual completa Nm 17-19
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, 10 e 11

REFERÊNCIAS LIÇÃO 7

(1)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 4, p. 310 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Educação, p. 138, 139 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Conselhos Sobre Mordomia, p. 73 (contextualizado)
(4)
Ángel Manuel Rodríguez, Stewardship Roots, 1994, p. 52 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Conselhos Sobre a Mordomia, p. 66 (contextualizado)
(6)
Ellen G. White, SC, p. 42 (contextualizado)
(7)
Ellen G. White, Conselhos Sobre Mordomia, p. 77 (contextualizado)

COSTUMES DA SEMANA

ROSH CHODESH ADAR

Dois Rosh Chodesh (Cabeça do Mês) para Adar (quando um mês tem 30 dias, o último
dia do mês e o primeiro do mês seguinte servem como Rosh Chodesh do mês vindouro).

Porções especiais são acrescentadas às preces diárias. Muitos têm o costume de marcar
Rosh Chodesh com uma refeição festiva e redução na atividade de trabalho.

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 61


Lição 8 18 a 24 de fevereiro | 3 a 8 Adar

O impacto da fidelidade
no Maasser (dízimo)
VERSO PARA MEMORIZAR
"Vocês não sabem que quem trabalha no templo recebe o alimento do templo, e quem
serve no altar partilha dos sacrifícios oferecidos ali? Da mesma forma, o Eterno ordenou
a quem anuncia as boas-novas que seja sustentado por elas." (1Co 9:13, 14)

LEITURAS DA SEMANA
Mc 16:15; 1Pe 3:8, 9; 1Co 9:14; Rm 3:19-24

Introdução

C omo vimos na semana passada, devolver o maaser é uma importante expressão


da nossa emuná. É uma forma de revelar, ou testar, a realidade da nossa pro-
fissão de fé. "Examinem-se para saber se estão vivendo a vida da confiança. Pro-
vem-se. Não percebem que Yeshua, o Messias, está com vocês? a menos que sejam
reprovados no teste!" (2Co 13:5).
A primeira referência bíblica à devolução do maaser é o relato de Avraham
entregando o maaser a Malkhi-tsedek (Gn 14:18-20; Hb 7:4). Os levitas também rece-
biam o maaser por seus serviços prestados no templo (2Cr 31:4-10). Hoje, o maaser é
usado para o sustento dos líderes espirituais. Quando entendido corretamente, ele é
uma forma de avaliação espiritual do nosso relacionamento com o Eterno.
O impacto, o uso, a importância e o método de distribuição do maaser foi desig-
nado para nosso crescimento espiritual no sustento da obra do Eterno e na provi-
são financeira para a proclamação das boas novas sobre o Mashiach. Esse é o plano
do Eterno e tem sido considerado o primeiro passo do administrador fiel.
Nesta semana, continuaremos estudando sobre o maaser: sua distribuição, o
que ele significa para os outros, e qual é o seu impacto em nossa vida espiritual.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 20 ‫ תצוה‬TETSAVE [Ordenarás]: Êx 27.20-30.10


HAFTARÁ: Yechezkhel [Ezequiel] 43.10-27
BRIT CHADASHÁ: Filipenses 4.10-20; Hb 13.10-17
TEHILIM: Sl 65

62 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


18 de fevereiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 3 Adar Domingo

Juntos sustentamos o trabalho

Y eshua disse que anunciássemos as boas-novas a toda a criação. (Mc 16:15) e fizéssemos
talmidim, "ensinando-os a guardar todas as coisas" (Mt 28:19, 20). Portanto, o Eterno
deseja que estejamos envolvidos no trabalho mais importante da Terra: levar as pessoas
ao Mashiach. Nossa responsabilidade como administradores é sustentar essa trabalho me-
diante os recursos que o Eterno nos confiou. Nossa participação aprofunda nosso compro-
misso pessoal de apresentar Yeshua aos outros. Cada pessoa, administrador e trabalhador
deve trazer todos o maaser para a realização desse propósito sagrado. Devemos orar por
unidade para que sejamos fiéis na manutenção desse trabalho, assim como ele bem-suce-
dido fortalece nossa unidade na fidelidade.

1. Qual é o plano financeiro aprovado pelo Eterno para o cumprimento do Seu propó-
sito? Qual é o significado das expressões "todo o dízimo" e "para que haja alimento
em Minha casa"? Ml 3:10

Como vimos, as pessoas têm entregado o maaser desde os dias de Avraham e Yaakov
(Gn 14:20; 28:22), e provavelmente antes disso. O maaser é parte de um sistema que man-
tém a kehilá. Ele é a maior fonte de sustento e o método mais equitativo e equilibrado para
o cumprimento de Seu propósito.
Nas culturas de hoje, a maioria dos fiéis entregam relativamente pouco para sustentar o
propósito do Eterno. Se todos membros devolvessem o maaser honestamente, o resultado
seria "quase inimaginável, simplesmente surpreendente, quase além da compreensão" (1).
Em todas as épocas, o Eterno teve pessoas dispostas a custear o Seu propósito. Temos a
responsabilidade de trabalhar juntos para financiar essa tarefa mundial. Não podemos
nos dar ao luxo de ser desorganizados, negligentes ou casuais no sustento do propósito.
Nosso desafio é muito maior do que quando o povo e os levitas disseram a Nechemiah:
"jamais esqueçamos a Casa do nosso D'us." (Ne 10:40 (39)), e mais assustador do que os
desafios enfrentados pelos fiéis no século 19. Hoje, membros e líderes da kehilá devem
estar unidos espiritualmente e colaborar financeiramente, de maneira que alcancem os
objetivos globais e sustentem o propósito.

Qual é a responsabilidade individual em relação ao sustento da obra de Hashem?

ESTUDO DIÁRIO

Tetsavê, 1ª Alyá (Êx 27:20-28:12)


Leitura mensal Tehilim Sl 18-22
Leitura RPSP Mt 24
Leitura anual completa Nm 20, 21

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 63


Segunda 19 de fevereiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 4 Adar

As bênçãos de Hashem

E m Malakhi, a bênção é espiritual e temporal. A bênção de Hashem é evidenciada na


yeshuá (salvação), felicidade, shalom e a certeza de que o Eterno faz o que é melhor
para nós. Além disso, quando somos abençoados, somos compelidos a compartilhar
essas bênçãos com os menos favorecidos. Fomos abençoados para abençoar outros. Por
meio de nós, o Eterno é capaz de estender Suas bênçãos a outros lugares.

2. Leia 1 Kefa (1Pe) 3:8, 9. Qual é a relação entre ser abençoado e ser uma bênção
aos outros?

O ato de devolver o maaser resulta em uma bênção dupla. Somos abençoados


e também abençoamos outros. Podemos dar do que recebemos. As bênçãos do Eterno
nos alcançam internamente e aos outros, externamente. (Leia Lc 6:38).

3. "Há mais felicidade em dar do que em receber" (At 20:35). Isso se aplica
também ao maaser?

A maior bênção trazida pelo ato de devolver o maaser é que aprendemos a confiar no
Eterno (Jr 17:7). "O sistema especial de dízimos (maasser) tem por base um princípio
tão duradouro como a Torá do Eterno. Esse sistema foi uma bênção para os filhos de
Israel, do contrário o Eterno não o teria dado a eles. Assim será igualmente uma bênção
aos que o observarem até o acharit-hayamim (fim dos dias). Avinu Shebashamayim
não instituiu o plano da doação sistemática com o intuito de enriquecer-Se, mas para
que fosse uma grande bênção ao ser humano. Viu que o referido sistema era exatamen-
te aquilo de que o homem necessitava" (2).

Você já foi abençoado pelo Eterno por meio de outras pessoas? Como pode fazer o mesmo
pelos outros?

ESTUDO DIÁRIO

Tetsavê, 2ª Alyá (Êx 28:13-28:30)


Leitura mensal Tehilim Sl 23-28
Leitura RPSP Mt 25
Leitura anual completa Nm 25-27

64 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


20 de fevereiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 5 Adar Terça

O propósito do maasser

S haul escreveu a Timóteo: "Porque o tanakh diz: " Você não deve amordaçar o boi
enquanto ele trilha o cereal"; Em outras palavras: "O trabalhador merece o salário".
(1Tm 5:18). Rabi Shaul estava citando Moshe (Dt 25:4), numa referência ao boi, e tam-
bém Yeshua (Lc 10:7), que falou a respeito do trabalhador. A frase que menciona o boi
parece ter sido um provérbio, e significa que é justo que o boi coma do grão enquanto
trabalha. De idêntica maneira, o segundo provérbio significa que aqueles dedicados a
Bessorá devem ser recompensados com salários.
O Eterno cria e opera em sistemas. Ele projetou sistemas solares, ecossistemas, sis-
tema digestivo, nervoso e muitos mais. O sistema do maaser (dízimo) foi usado pelos
levitas (Nm 18:26) em seu cuidado para com o Mishcan e também para o próprio sus-
tento. Os levitas de hoje seriam aqueles que dedicam a vida ao cuidado da Kehilá. O
sistema divino de maasser é Seu meio escolhido para o sustento do trabalho, e tem sido
usado durante toda a história da yeshuá (salvação). Sustentar esses trabalhadores com
o maaser, portanto, é fundamental ao trabalho do Eterno.

4. Leia 1 Coríntios 9:14. Qual é o significado dessas palavras e a sua implicação mo-
ral? Leia 2 Coríntios 11:7-10. Quais dificuldades Rabi Shaul enfrentou?

O que isso ensina sobre a necessidade de sustentar os que trabalham na procla-


mação da mensagem do Eterno? Quando Shaul disse: "Roubei outras congregações, ao
aceitar-lhes o sustento, afim de servir a vocês?" (2Co 11:8), ele estava falando ironica-
mente sobre o fato de que recebeu salário de uma kehilá macedônica pobre enquanto
cuidava de uma kehilá rica de Corinto. Seu argumento à kehilá de Corinto foi que aque-
les que proclamam as boas novas merecem receber salário.
O maaser (dízimo) deve ser usado para um propósito específico e deve permanecer
as sim. "O maaser é separado para um uso especial. Não deve ser considerado fundo
para os pobres. Deve ser dedicado especialmente ao sustento dos que estão levando a
mensagem do Eterno ao mundo; e não deve ser desviado desse propósito" (3).

Leia Vayicrá (Lv) 27:30. O princípio visto nesse verso se aplica a nós hoje?

ESTUDO DIÁRIO

Tetsavê, 3ª Alyá (Êx 28:31-28:43)


Leitura mensal Tehilim Sl 29-34
Leitura RPSP Mt 26
Leitura anual completa Nm 28-30

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 65


Quarta 21 de fevereiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 6 Adar

A casa do Tesouro

O Eterno tem um "depósito" para armazenar o vento (Jr 10:13), a água (Sl 33:7),
neve e saraiva (Jó 38:22), sobre os quais Ele tem total controle. Mas o "depósito"
mais precioso é aquele em que é armazenado o maaser. "E aos filhos de Levi, eis que
tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, em troca do serviço que eles
prestam na tenda da reunião." (Nm 18:21). Esse versículo é a primeira referência
ao local em que o maaser (dízimo) era armazenado e serve de base ao que hoje é
conhecido como "o princípio da casa do Tesouro".
Mais adiante, o Eterno instruiu o povo a levar o maasser para um lugar de
Sua escolha (Dt 12:5, 6). Nos dias de Shlomo, o maaser era devolvido no templo de
Yerushalayim. Os judeus entenderam facilmente o que era o "depósito" e onde era
ele quando Malakhi disse: "Trazei todos os dízimos (maaser) à casa do Tesouro" (Ml
3:10). A casa do Tesouro representava o local em que ocorriam os serviços religiosos
e onde os levitas eram sustentados.

5. Quais outros nomes são usados nas Escrituras para identificar a "casa do Te-
souro"? (1Cr 26:20; 2Cr 31:11-13; Ne 10:38).

Trazer o dízimo à casa do Tesouro é o único modelo apresentado nas Escritu-


ras. Em cada dispensação, o Eterno teve um "depósito central" para administrar o
dízimo. Fazemos parte de uma comunidade mundial em que o "princípio da casa do
Tesouro" é aceito e praticado. Os membros são encorajados a devolver seu dízimo
à Associação por meio da kehilá. A Tesouraria da Associação é o órgão que paga o
salário dos líderes religiosos.
"À medida que o trabalho do Eterno se amplia, pedidos de auxílio aparecerão
mais e mais frequentemente. Para que esses pedidos possam ser atendidos, os se-
guidores de Yeshua devem acatar a ordem: 'Trazei todo o dízimo ao tesouro da Casa,
para que haja alimento em Minha Casa' (Ml 3:10). Se os professos fiéis levassem
fielmente ao Eterno seus dízimos e ofertas, o divino tesouro estaria repleto. Não
haveria, então, razão para recorrer a bazares, rifas ou reuniões de diversão a fim
de angariar fundos para a manutenção dos líderes religiosos" (4).

O que aconteceria com o trabalho para o Eterno se as pessoas enviassem o maasser (dízimo) para
onde quisessem? Por que é importante enviá-lo ao local a que ele pertence?

ESTUDO DIÁRIO

Tetsavê, 4ª Alyá (Êx 29:1-29:18)


Leitura mensal Tehilim Sl 35-38
Leitura RPSP Mt 27
Leitura anual completa Nm 28-30

66 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


22 de fevereiro | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 7 Adar Quinta

Maaser e redenção pela fidelidade


6. Qual verdade essencial à nossa fidelidade é ensinada em Romanos 3:19-24? Por
que devemos sempre manter esse ensino como fundamento das nossas crenças?

A essência da mensagem bíblica é que todos somos indignos de redenção (Rm 3:23).
Se a merecêssemos, a obteríamos por mérito ou por obras, e essa ideia é contrária
às Escrituras.

7. Leia Romanos 4:1-5. O que esses versos ensinam sobre a graça em contraste
com os méritos?

A yeshuá (salvação) é um dom (Ef 2:8, 9) concedido aos que não merecem. A re-
denção ocorre porque os méritos do perfeito sacrifício do Mashiach são creditados em
nossa conta. Quanto à questão do maasser (dízimo), não recebemos nenhum crédito do
Eterno por devolvê-lo. Afinal, se o dízimo é do Eterno, qual mérito poderia haver em
devolvê-lo a Ele?
Fomos criados para realizar boas ações. "Porque somos feitos por D'us, criados em
união com o Mashiach Yeshua para a vida de boas ações já preparadas por D'us para
serem realizadas por nós" (Ef 2:10). Contudo, essas boas ações não nos salvam. Assim
também, a devolução do maasser não nos salva.
Apesar disso, a devolução do maasser revela uma atitude humilde e submissa ou
teimosa e desafiadora em relação ao que o Eterno nos pediu para fazer. Se amamos a
D'us, obedeceremos a Ele. O maasser é uma expressão exterior da nossa compreensão
de que somos apenas administradores aqui e devemos tudo ao Eterno. Assim como o
shabbat é uma lembrança semanal de Yeshua como Criador e Redentor, a devolução do
maasser pode funcionar de maneira semelhante: ela nos lembra de que não pertence-
mos a nós mesmos e de que nossa vida e redenção são dádivas do Eterno.
Como resultado, podemos admitir essa realidade e viver na fidelidade, reconhecen-
do que a devolução do maasser é uma expressão muito tangível dessa emuná.

Leia Lucas 21:1-4. O que significa viver pela emuná?

ESTUDO DIÁRIO

Tetsavê, 5ª Alyá (Êx 29:19-29:37)


Leitura mensal Tehilim Sl 39-43
Leitura RPSP Mt 28
Leitura anual completa Nm 31, 32

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 67


Sexta 23 de fevereiro | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 8 Adar

Estudo adicional

"É muito fácil esquecer que cada respiração, cada batida do coração e cada momento
da nossa existência vêm do Eterno. Em Atos 17, Shaul falou aos atenienses o Eterno,
que não é apenas o Criador (At 17:24) mas também o Mantenedor (At 17:28). Os atenienses
não O conheciam. Nós O conhecemos, e essa compreensão é fundamental para nossa ma-
neira de viver. D'us tem muitas reivindicações em relação a nós, e como resultado, temos
que viver de acordo com essas exigências: "Dá-se o mesmo com as reivindicações do Eter-
no a nosso respeito. Ele deposita Seus tesouros nas mãos dos homens, porém requer deles
que separem fielmente a décima parte para o Seu propósito. Ordena que essa porção seja
recolhida à casa do Seu tesouro, e a Ele entregue como Sua propriedade. Ela é sagrada e
deve ser usada para propósitos santos, para o sustento dos que levam Sua mensagem ao
mundo. […] Pela obediência fiel a essa ordem, reconhecemos que todas as coisas perten-
cem ao Eterno" (5).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 "O tempo está passando rapidamente para a eternidade. Não retenhamos do
Eterno aquilo que é Sua propriedade. Não Lhe recusemos aquilo que, embora não
possa ser dado com mérito, não pode ser negado sem ruína. Ele pede o coração
inteiro; vamos dar-Lhe; é Seu, tanto pela criação como pela redenção. Ele pede o
intelecto; vamos dar-Lhe; é Seu. Ele pede também o nosso dinheiro; não devemos
reter-Lhe; é Seu" (6). O que a escritora Ellen G. White quis dizer ao declarar que não
podemos dar "com mérito", mas não podemos negar sem ruína? Quando não de-
volvemos o maasser, do que estamos nos privando?
2 Seria correto se os membros efetivos fizessem com o dízimo o que quisessem,
destinando-o a causas que considerassem dignas, e não o levassem à "casa do
Tesouro"? Isso poderia causar uma ruptura entre nós?
3 Em Lucas 21, Yeshua elogiou a viúva por dar seu dinheiro ao templo apesar de
toda a corrupção que acontecia ali. O que isso revela aos que sentem que podem
desviar o dízimo porque têm dúvidas sobre a utilização dele?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Tetsavê, 6ª Alyá (Êx 29:38-29:46)


Leitura mensal Tehilim Sl 44-48
Leitura RPSP Mc 1
Leitura anual completa Nm 33, 34

68 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

24 de fevereiro | ‫ שבת‬Shabat 9 Adar

ESTUDO DIÁRIO

Tetsavê, 7ª Alyá (Êx 30:1-30:10)


Leitura mensal Tehilim Sl 49-54
Leitura RPSP Mc 2
Leitura anual completa Nm 35, 36
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, 12 e 13

REFERÊNCIAS LIÇÃO 8

(1)
Christian Smith e Michael O. Emerson, Passing the Plate, 2008, p. 27 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 3, p. 404, 405 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Conselhos Sobre Mordomia, p. 103 (contextualizado)
(4)
Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 338 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 6, p. 386 (contextualizado)
(6)
Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 566 (contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 69


Lição 9 25 de fevereiro a 3 de março | 10 a 16 Adar

Oferta de gratidão
(zevach todá)
VERSO PARA MEMORIZAR
""Porque D'us amou tanto o mundo que deu seu Filho único, para que todo que nele
confia possa ter vida eterna, em vez de ser completamente destruído." (Jo 3:16)

LEITURAS DA SEMANA
Rm 8:1-17

Introdução

E lohênu é doador. Essa maravilhosa verdade é vista mais poderosamente no sa-


crifício de Yeshua. "Porque D'us amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu
Filho unigênito, para que todo o que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna"
(Jo 3:16). Ou neste versículo: "Portanto, se vocês, apesar de serem maus, sabem dar
bons presentes a seus filhos, quanto mais o Pai dará o Ruach HaKodesh, do céu, a
quem continuar a pedir!" (Lc 11:13).
O Eterno dá continuamente; esse é Seu caráter. Portanto, os que procuram refle-
tir esse caráter precisam dar também. É difícil imaginar uma contradição maior do
que a de "um crente egoísta".
Uma forma de devolver o que nos foi dado é apresentar ofertas ao Eterno. Nossas
ofertas nos dão a oportunidade de expressar gratidão e amor. No dia em que o Mashia-
ch receber os remidos no Olam Habá, veremos aqueles que aceitaram Sua chessed
(graça), e perceberemos que isso foi possível graças às nossas ofertas de sacrifício.
Nesta semana, vamos analisar aspectos importantes das ofertas. Dar generosa-
mente, sejam nossos recursos, tempo ou talentos, é uma poderosa maneira de viver
nossa fé e revelar o caráter de D'us, a quem servimos.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 21 ‫ כי תשא‬KI TISSA [Quando Fizeres]: Êx 30.11-34.35


HAFTARÁ: 1Rs 18.1-39
BRIT CHADASHÁ: Lc 11.14-20; At 7.35- 8.1; 1 Corintios 10.1-13; 2Co 3.1-18;1Co 8.4-13
TEHILIM: Sl 75

70 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


25 de fevereiro | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 10 Adar Domingo

No Mashiach
1. Leia Mateus 6:19-21. Como ser libertados das influências que as riquezas
terrestres têm sobre o nosso coração? Cl 3:1, 2

"P ois onde estiver sua riqueza, ali também estará seu coração." (Mt 6:21). Esse é um
apelo de Yeshua. A plena magnitude dessa afirmação pode ser vista a partir dos dois
versos anteriores, que contrastam o armazenamento dos nossas riquezas na Terra com
o armazenamento no mundo vindouro (Olam Habá). Três palavras descrevem a Terra:
traça, ferrugem e ladrões (veja Mt 6:19), o que implica que o nossa riqueza no Olam Hazê é
temporal e transitório. Quem não sabe que as coisas terrestres desaparecem rapidamente?
"No Olam Hazê, tudo é instável, incerto e inseguro; tudo está sujeito à deterioração, des-
truição, roubo e perda. No Olam Habá é o oposto: tudo é eterno, durável, seguro e impere-
cível. Não há perda no Olam Habá" (1).
Considere seus bens. Mesmo que você tenha poucas coisas, mais cedo ou mais tarde a
maioria delas será jogada fora. A exceção pode ser uma relíquia de família. Porém, um
administrador sábio deve se preocupar em colocar seus tesouros no Olam Habá, para que
estejam em segurança. Lá, ao contrário daqui, você não precisará se preocupar com reces-
sões, ladrões nem mesmo saqueadores.
Em Mateus 6:19-21, está contido um dos conceitos mais importantes sobre administra-
ção. As riquezas atraem, compelem, exigem, seduzem e desejam controlar o coração. No
mundo material, o coração acompanha a riqueza; portanto, continua sendo vitalmente
importante o lugar em que estão nossas riquezas. Quanto mais nos concentramos nas ne-
cessidades e ganhos terrestres, mais difícil é pensar nos assuntos celestiais.
Professar confiança no Eterno, mas manter o coração nas riquezas na Terra é ser hipó-
crita. Nossas ações devem estar de acordo com nosso discurso. Em outras palavras, enxer-
gamos nossas riquezas na Terra pela visão, mas, pela fidelidade, devemos ver nossas ofer-
tas como riquezas no Olam Habá (2Co 5:7). Embora, evidentemente, precisemos ser
práticos e prover as nossas necessidades (até mesmo nossa aposentadoria), é essencial
sempre manter o grande panorama, a eternidade, em mente.

Leia Hebreus 10:34. Qual é a diferença entre os riquezas da Terra (Olam Hazê) e as riquezas do
Céu (Olam Habá)? Isso nos motiva a nos desapegarmos das riquezas terrestres?

ESTUDO DIÁRIO

Ki Tissá, 1ª Alyá (Êx 30:11-31:17)


Leitura mensal Tehilim Sl 55-59
Leitura RPSP Mc 3
Leitura anual completa Dt 1-3

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 71


Segunda 26 de fevereiro | ‫ יום שני‬Yom Sheni 11 Adar

Administradores da graça de D'us


2. De acordo com Efésios 2:8, o que mais recebemos de D'us?

C hessed (graça) é "favor imerecido". É um presente que não merecemos. D'us


derramou Sua graça neste planeta e, se não a rejeitarmos, ela alcançará e trans-
formará nossa vida, agora e pela eternidade. Toda a riqueza e o poder do Céu estão
contidos no presente da chessed (2Co 8:9). Até mesmo os anjos ficam maravilhados
com esse presente supremo (1Pe 1:12).
Não há dúvida: de tudo o que o Eterno nos concede, a graça que nos é concedida
no Mashiach Yeshua é o dom mais precioso de todos. Sem a graça, não teríamos
esperança! O doloroso impacto do pecado sobre a humanidade é muito grande para
que os seres humanos se libertem dele sozinhos. Nem mesmo o cumprimento de
mitzvot do Eterno poderia nos trazer vida. "Isso significa que a parte legal da Torá
se opõe às promessas de D'us? De maneira nenhuma! Pois, se a parte legal da Torá,
dada por D'us, tivesse em si mesma o poder de conceder vida, então a justiça ver-
dadeiramente procederia da obediência legalista dessa Torá." (Gl 3:21). Afinal, se
alguma lei pudesse nos salvar, seria a Torá de D'us. Mas Shaul disse que nem mesmo
essa lei seria capaz de nos redimir. Só podemos ser salvos pela chessed (graça).

3. Leia 1Kefa (1Pe) 4:10. Qual é a relação entre administração e chessed? Como o
ato de devolver ao Eterno o que Lhe pertence e doar aos outros manifesta a graça
divina?

Shimon Kefa disse que, visto que recebemos o presente da graça de D'us, em
retribuição, devemos ser "bons administradores da graça multiforme de D'us" (1Pe
4:10). D'us nos concedeu dádivas; portanto, precisamos dar do que nos foi dado. O
que recebemos pela graça não é apenas para nossa satisfação e benefício, mas para
a promoção das boas novas. De graça nos foi dado (é isso que a chessed significa);
gratuitamente, então, precisamos doar de todas as maneiras que pudermos.

Pense em tudo que você recebeu de D'us. De que maneira você pode ser um administrador da graça
que foi lhe dada gratuitamente?

ESTUDO DIÁRIO

Ki Tissá, 2ª Alyá (Êx 31:18-33:11)


Leitura mensal Tehilim Sl 60-65
Leitura RPSP Mc 4
Leitura anual completa Dt 4-7

72 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


27 de fevereiro | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 12 Adar Terça

Nossa melhor oferta


4. Leia Lucas 7:37-47. Qual é a motivação adequada para dar ofertas ao Eterno?

M iryam de Magdalá entrou na sala e viu Yeshua reclinado à mesa. Ela quebrou o
vaso de alabastro cheio de um caro unguento e o derramou sobre Ele. Alguns
consideravam seu ato impróprio, visto que ela vivia de maneira ilícita.
Mas Miryam havia sido libertada dos espíritos malignos (Lc 8:2). Em seguida, de-
pois de testemunhar a ressurreição de Lázaro (El'azar), a gratidão inundou seu cora-
ção. Seu perfume era o bem mais valioso que possuía, e era sua maneira de mostrar
gratidão a Yeshua.
Essa história expressa qual deve ser nossa real motivação ao dar nossas ofertas:
gratidão. Afinal, que outra resposta devemos dar ao inestimável presente da graça do
Eterno? A generosidade Dele também nos motiva a doar, e quando ela é unida à nossa
gratidão, ambas compõem os ingredientes da verdadeira oferta, incluindo nosso tem-
po, talentos, riquezas e corpo.

5. Leia Shemot 34:26, Vayicrá 22:19-24 e Bamidbar 18:29. Embora o contexto seja
diferente da nossa realidade, qual princípio extraímos desses textos em relação
às nossas ofertas?

Nossas melhores ofertas podem parecer insuficientes aos nossos olhos, mas são
significativas para o Eterno. Dar a Ele o nosso melhor mostra que O colocamos em pri-
meiro lugar. Não damos ofertas para receber favores; em vez disso, damos em gratidão
pelo que recebemos em Yeshua Hamashiach.
"Inteira devoção e espírito de benevolência, inspirados por um amor agradecido,
comunicarão à mínima oferta, ao sacrifício voluntário, fragrância divina, emprestando
à dádiva incalculável valor. Porém, depois de ofertar voluntariamente a nosso Reden-
tor tudo quanto nos seja possível, por mais valioso que seja para nós, se considerarmos
nossa dívida de gratidão para com o Eterno, como em verdade é, tudo quanto possamos
ter oferecido nos parecerá demasiadamente insuficiente e pequenino. Mas os anjos to-
mam essas ofertas, que nos parecem pobres, apresentam-nas como fragrantes dádivas
diante do trono, e são aceitas" (2).

ESTUDO DIÁRIO

Ki Tissá, 3ª Alyá (Êx 33:12-33:16)


Leitura mensal Tehilim Sl 66-68
Leitura RPSP Mc 5
Leitura anual completa Dt 8-10

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 73


Quarta 28 de fevereiro | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 13 Adar

Motivos do coração

E m uma lição anterior, mencionamos a história da oferta generosa da viúva pobre. Embo-
ra minúscula em comparação às outras dádivas, a oferta dela foi generosa porque mos-
trou a verdadeira natureza de seu caráter e coração, o que levou Yeshua a dizer: "Shim'on
Kefa lhes disse: "esta viúva pobre colocou na caixa mais que todos os outros." (Lc 21:3).
Só o Eterno (Tg 4:12) conhece nossa verdadeira motivação (Pv 16:2, veja também 1Co
4:5). É possível realizar ações certas pelos motivos errados. Doar da abundância que temos
não requer muita confiança, mas dar, com sacrifício, pelo bem dos outros, revela algo mui-
to poderoso sobre nosso coração.

6. Leia 2Co 8:8-15. O que Shaul declarou em relação ao ato de doar e sobre os
motivos para fazê-lo? Quais princípios de administração podemos extrair desse
texto?

Seja qual for seu motivo para doar, ele vai do egoísmo ao altruísmo. A luta entre a ava-
reza e a disposição para doar ocorre com mais frequência do que qualquer outra batalha
espiritual. O egoísmo arrefece o coração antes inflamado pelo Eterno. O problema surge
quando convivemos pacificamente com o egoísmo em nossa experiência de fidelidade. Ou
seja, quando encontramos meios para justificá-lo, inclusive em nome do Mashiach.
A conclusão de toda a questão se resume em uma palavra: amor. E o amor não pode
ser manifestado sem abnegação, sem disposição de dar de si, ainda que haja sacrifício,
para o bem dos outros.
A menos que o amor do Eterno seja refletido em nossa vida, nossa doação não refletirá
Seu amor. Um coração egoísta tende a amar apenas a si mesmo. Devemos pedir ao Eterno
que circuncide nosso coração (Dt 10:16), para que possamos amar como somos amados.
O amor, o fundamento de toda verdadeira beneficência, resume toda benevolência dos
seguidores de Yeshua. O amor de D'us para conosco nos inspira a retribuir esse amor. Ele
é verdadeiramente o motivo supremo para o ato de doar.

O que há de errado com uma dádiva voluntária, dada mais por um senso de obrigação do
que por um sentimento de amor?

JEJUM DE ESTER / LEITURA DA MEGUILÁ À NOITE

ESTUDO DIÁRIO

Ki Tissá, 4ª Alyá (Êx 33:17-33:23)


Leitura mensal Tehilim Sl 69-71
Leitura RPSP Mc 6
Leitura anual completa Dt 11-13

74 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


1 de março | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 14 Adar Quinta

A experiência de doar

O Mashiach veio para nos revelar o caráter do Eterno. Portanto, uma coisa deve estar
clara: Hashem nos ama, e Ele deseja somente o melhor para nós. O Eterno pede que
façamos somente o que é para nosso benefício, jamais para nosso prejuízo. Isso inclui Seu
chamado para que sejamos generosos e demos com alegria do que recebemos. As nossas
ofertas espontâneas e generosas são um benefício tanto para nós, os doadores, quanto
para aqueles que as recebem. Somente os que doam dessa maneira sabem que é muito
melhor doar do que receber.

7. Leia 2Co 9:6, 7. Qual deve ser a experiência de doar?

Uma oferta generosa deve ser um ato muito pessoal e espiritual. É um ato de fidelida-
de, uma expressão de gratidão pelo que temos recebido no Mashiach. E, como ocorre com
qualquer ato de confiança, a ação de doar apenas faz com que nossa fidelidade aumente,
pois, "a fé sem ações concretas é estéril" (Tg 2:20). Não há melhor maneira de aumentar
nossa fidelidade do que vivê-la, o que significa fazer coisas que nascem e crescem a partir
da fidelidade. À medida que doamos, livre e generosamente, estamos, da nossa maneira,
refletindo o caráter do Mashiach; estamos aprendendo mais sobre o caráter do Eterno,
experimentando-O em nossos próprios atos. Portanto, a doação aumenta nossa confiança
em D'us e a oportunidade de provar e ver que o Eterno é bom; "bem-aventurado o homem
que Nele se refugia" (Sl 34:8).
"Será visto que a glória que resplandece na face de Yeshua é a glória do abnegado
amor. À luz do Gulgolta (que significa "o lugar da Caveira"), se patenteará que a Torá do
amor que renuncia é a Torá da vida para a Terra e o Céu; que o amor que 'não busca os seus
interesses' (1Co 13:5) tem sua fonte no coração de D'us; e que no manso e humilde Yeshua
se manifesta o caráter Daquele que habita na luz inacessível ao homem" (3).

A emuná (fé) cresce ao doarmos livre e generosamente do que recebemos. Você já expe-
rimentou essa realidade?

PURIM

ESTUDO DIÁRIO

Ki Tissá, 5ª Alyá (Êx 34:1-34:9)


Leitura mensal Tehilim Sl 72-76
Leitura RPSP Mc 7
Leitura anual completa Dt 14-17

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 75


Sexta 2 de março | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 15 Adar

Estudo adicional

"O plano da redenção não oferece aos justos uma vida imediata livre de sofrimento
e provações. Pelo contrário, convida-os a seguir ao Mashiach no mesmo caminho
de abnegação e opróbrio […]. Mas é por essas provas e perseguições que o caráter Dele é
reproduzido e revelado em Seu povo […]. Ao compartilhar dos sofrimentos do Mashiach,
somos educados, disciplinados e preparados para compartilharas glórias futuras" (3).
"O espírito de liberalidade é o espírito do Céu. O abnegado amor de Mashiach é re-
velado no madeiro. Para que o homem pudesse ser salvo, Ele deu tudo quanto possuía, e
em seguida deu a Si mesmo. o Sacrifício do Mashiach apela para a beneficência de todo
seguidor do bendito libertador. O princípio ali ilustrado é dar e dar. Isso levado a efeito em
real beneficência e boas obras, é o verdadeiro fruto da vida de quem segue o Mashiach. O
princípio dos mundanos é adquirir e adquirir, e assim esperam conseguir felicidade; mas,
levado a efeito em todos os seus aspectos, a consequência é miséria e morte" (4).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 Por que o egoísmo é tão contrário ao espírito do Mashiach? O que podemos fazer
conscientemente para nos proteger dessa atitude tão natural ao ser humano caído?
2 Leia 2Co 9:7. A palavra traduzida como "alegria" ocorre apenas uma vez na Brit Ha-
dashá, e ela dá origem ao termo "hilário" em português. O que isso revela sobre nossa
atitude ao doar?
3 Por que devemos doar em resposta ao agradecimento por aquilo que nos foi dado?
Por que até mesmo nossos melhores presentes, dados pelos melhores motivos, po-
dem parecer tão insignificantes diante do que recebemos do Eterno?
4 Por que o egoísmo é uma garantia de que nos tornaremos miseráveis?
5 Pense em alguém da kehilá que está passando por alguma necessidade. O que você
poderia fazer para servi-la?

SHUSHAN PURIM

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Ki Tissá, 6ª Alyá (Êx 34:10-34:26)


Leitura mensal Tehilim Sl 77-78
Leitura RPSP Mc 8
Leitura anual completa Dt 18-20

76 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

3 de março | ‫ שבת‬Shabat 16 Adar

ESTUDO DIÁRIO

Ki Tissá, 7ª Alyá (Êx 34:27-34:35)


Leitura mensal Tehilim Sl 79-82
Leitura RPSP Mc 9
Leitura anual completa Dt 21-23
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 14

REFERÊNCIAS LIÇÃO 9

(1)
C. Adelina Alexe, "Where Your Heart Belongs" , 2013, p. 22 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 3, p. 397 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 20 (contextualizado)
(4)
Ellen G. White, Conselhos Sobre administração, p. 8 (contextualizado)

COSTUMES DESTA SEMANA

JEJUM DE ESTER
Um jejum é observado por todos os adultos (acima de bar/bat mitsvá) em celebração
ao jejum de três dias por ordem de Esther antes que ela arriscasse a vida para aparecer
perante o Rei Achashverosh sem ser chamada, a fim de salvar o povo judeu do perver-
so decreto de Haman (conforme é relatado no Livro de Esther, cap. 4). O jejum também
comemora o jejum de Esther em 13 de Adar, enquanto os judeus lutavam contra seus
inimigos. Jejum de alimento e bebida do nascer ao pôr-do-sol.

A Festa de Purim começa hoje ao anoitecer, e a Meguilá (Livro de Ester) é lida pela primeira
vez esta noite.

PURIM
a – Leitura da Meguilá
b – Doações aos pobres
c – Mishloach Manot é o costume de enviar presentes de alimentos a pessoas necessita-
das e/ou a amigos através de um intermediário; mulheres enviam para mulheres e ho-
mens para homens.
d – Seudat Purim é a realização de um Banquete de Purim que inicia-se antes do pór-do-
-sol e termina ao após o anoitecer.
e – Al Hanissim é acrescentado nas preces deste dia.
Costumes adicionais; Os costumes incluem o uso de fantasias e o prato tradicional de
Purim, o oznei Haman.

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 77


Lição 10 4 a 10 de março | 17 a 23 Adar

A função da
administração fiel
VERSO PARA MEMORIZAR
"D'us não nos chamou para vivermos de modo impuro, mas para nos comportarmos de
modo santo." (1Ts 4:7)

LEITURAS DA SEMANA
Cl 1:16-18; Hb 4:14-16; 3Jo 3; Gn 6:13-18; Ap 14:6-12; 1Pe 1:15, 16

Introdução

D evido à profundidade e amplitude do conceito de administração fiel, é fácil se perder


no quadro geral, ficar preso em assuntos periféricos e perplexo diante de sua imen-
sidão. A administração é simples mas também complexa e, portanto, pode ser facilmente
mal compreendida. Contudo, o membro e a comunidade não podem existir nem funcionar
sem ela. Ser justo é também ser um bom administrador.
Administração da vida "não é uma teoria nem uma filosofia, mas um programa de
trabalho. É, em verdade, a lei da vida religiosa […]. Ela é necessária para uma compreensão
adequada da existência, e essencial para uma verdadeira e vital experiência religiosa. Não
é simplesmente uma questão de aceitação mental, mas um ato da vontade, uma operação
definitiva e decisiva que diz respeito a todos os aspectos da vida" (1).
Quais são alguns princípios fundamentais do que significa ser um administrador fiel? Nes-
ta semana, examinaremos as funções que a administração desempenha na vida religiosa. Va-
mos fazer isso, porém, por meio de uma analogia interessante: a roda de uma carruagem.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 22/23 ‫ ויקהל פקודי‬VAIAK'HEL-PECUDÊ [E convocou - Enumeração] Êx 35.1-40.38


HAFTARÁ: 1Rs 7:13-26-8.21
BRIT CHADASHÁ: 2Co 9.1-15; Hb 9.1-14; Rv 11.1-13; Hb 9.1-11 Revelação 15.5-8; 2Co 9.6-
11; Revelação 15.5-8; 2Co 9.6-11
TEHILIM: Sl 61 e 45
78 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬
4 de março | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 17 Adar Domingo

O Mashiach como centro

O Mashiach é a figura central em toda a Bíblia (Jo 5:39), e precisamos olhar para nós
sempre em relação a Ele. Mashiach pagou a penalidade do pecado, e é o "resgate
por muitos" (Mc 10:45). Yeshua Hamashiach tem toda autoridade Hashamayim veet Ha-
aretz (no Céu e na Terra) (Mt 28:18), e todas as coisas estão em Suas mãos (Jo 13:3). D'us
o elevou ao lugar mais alto e lhe deu nome acima de todo nome, e um dia todo joelho se
dobrará diante Dele (Fp 2:9-11).
"Yeshua é o centro vivo de todas as coisas" (2).
O Mashiach é o centro da nossa administração e a fonte do nosso poder. Por causa
Dele temos uma vida que vale a pena ser vivida, demonstrando a todos que Ele é o foco
central da nossa existência. Shaul passou por muitas provações, mas não importava
onde ele estivesse nem o que lhe acontecesse, ele tinha uma prioridade. Ele disse: "Quan-
to a mim, a vida é o Messias, e a morte é vantagem." (Fp 1:21).

1. Leia Colossenses 1:16-18, Romanos 8:21 e 2Co 5:17. O que esses textos nos revelam
sobre o papel central de Yeshua Hamashiach em nossa vida?

Não existe administração genuína se o Mashiach não for o nosso centro (Gl 2:20). Ele é
a essência do "bendito cumprimento de nossa esperança infalível" (Tt 2:13), e "Ele existe
antes de todas as coisas, e sustém conjuntamente todas as coisas." (Cl 1:17). Assim como o
eixo é o centro da roda e, portanto, carrega o peso de uma carruagem, Mashiach é o centro
da vida do administrador fiel. Assim como um eixo sólido proporciona estabilidade, permi-
tindo que as rodas girem, Yeshua também é o centro fixo e estável da nossa existência (Hb
13:8). Sua influência deve produzir efeito sobre tudo o que pensamos e fazemos. Todos os
aspectos da administração giram em torno do Mashiach e encontram seu centro Nele.
"Sem Mim nada podeis fazer" (Jo 15:5). O centro da administração fiel não é um espa-
ço vazio, mas a realidade do Mashiach vivo, que trabalha para moldar nosso caráter
agora e para a eternidade.

Uma coisa é dizer que o Mashiach é o centro da nossa vida, outra coisa é viver essa rea-
lidade. Como você pode ter certeza de que ele está, de fato, vivendo em você, conforme
prometeu fazer se o deixarmos entrar em nosso coração?

ESTUDO DIÁRIO

Vayak'hel-Pecudê, 1ª Alyá (Êx 35:1-35:29)


Leitura mensal Tehilim Sl 83-87
Leitura RPSP Mc 10
Leitura anual completa Dt 24, 25

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 79


Segunda 5 de março | ‫ יום שני‬Yom Sheni 18 Adar

Os princípios de fé do Mishcan

G eralmente, as pessoas não pensam no santuário (Mishcan) no contexto de ad-


ministração fiel. No entanto, a ligação existe porque o santuário é fundamental
para nosso sistema de crenças, e a administração fiel é parte desse sistema. "A com-
preensão correta do ministério do santuário celestial constitui o alicerce de nossa
emuá (fé)" (3). É indispensável que compreendamos a função da administração à luz
desse conceito bíblico.
No livro de 1 Reis 7:33, há uma descrição da roda de uma carruagem. Vamos
ilustrar o serviço do santuário como o cubo dessa roda. O cubo se liga ao eixo e
proporciona mais estabilidade para a roda quando ela gira. Tendo experimentado
a morte e a ressurreição vitoriosa (2Tm 1:10), o Mashiach, mediante Sua morte, é o
fundamento de seu trabalho no santuário que está no céu (Hb 6:19, 20) e proporcio-
na estabilidade para nossa emuná. Além disso, Ele ministra o serviço no santuário
em nosso benefício aqui na Terra (veja Hb 8:1, 2).
"Apoiado no princípio de somente a Escritura, estabelecemos nossos princípios
de fé a partir da perspectiva geral dos princípios do santuário" (4).

2. O que os seguintes textos revelam sobre o trabalho de Yeshua no Mishcan? (1Jo


2:1; Hb 4:14-16; Ap 14:7).

Os princípios de fé do santuário (Mishcan) ajudam a revelar a maravilhosa ver-


dade da salvação e redenção, que está no cerne de toda a nossa teologia. No santu-
ário, não vemos apenas a morte do Mashiach por nós, mas também Seu trabalho no
santuário celestial. Podemos ver também, no lugar santo dos santos, a importância
da Torá de D'us e a realidade do Yom Hadin (juízo final). A promessa de redenção,
disponível a nós pelo sacrifício do Mashiach, está no centro de tudo isso.
A função da administração fiel reflete uma vida ancorada na grande verdade da
libertação, conforme revelada nos princípios de fé do santuário. Quanto mais pro-
fundamente entendemos o que Mashiach fez por nós e o que Ele está realizando em
nós hoje, mais nos aproximamos Dele, de Seu trabalho, Seu objetivo, Seu ensino e de
Seu propósito para aqueles que vivem os princípios da administração fiel.

Leia Hebreus 4:14-16. O que esse texto revela sobre nossa luta contra o pecado e o egoís-
mo? Como podemos extrair força e esperança das promessas encontradas ali?

ESTUDO DIÁRIO

Vayak'hel-Pecudê, 2ª Alyá (Êx 35:30-37:16)


Leitura mensal Tehilim Sl 88-89
Leitura RPSP Mc 11
Leitura anual completa Dt 26-28

80 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


6 de março | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 19 Adar Terça

Princípios de fé centrado no Mashiach

O santuário é fundamental porque nele a maravilhosa mensagem da redenção é ex-


pressa poderosamente e o significado do sacrifício é revelado. Todas os nossos prin-
cípios, de uma ou de outra maneira, devem estar ligados à promessa das boas novas do
Mashiach e à redenção. Como os raios de uma roda, outros princípios surgem da grande
verdade da salvação pela fidelidade em Yeshua.
"O sacrifício do Mashiach como expiação pelo pecado é a grande verdade em torno
da qual se agrupam todas as outras […]. Os que estudam o maravilhoso sacrifício do Re-
dentor crescem em chessed (graça) e conhecimento" (5).

3. O que Yeshua quis dizer ao Se referir a Si mesmo como "a verdade" em Yochanan
[Jo] 14:6? Compare com Yochanan 17:17. De acordo com 3 Yochanan 3, o que deve-
mos fazer com a mensagem?

Nossas crenças fundamentais influenciam a nossa identidade e a direção em que


estamos indo. Princípios de fé não são apenas ideias teológicas abstratas. Todo princípio
verdadeiro está ancorado no Mashiach, e todos devem, de diversas maneiras, impac-
tar nossa maneira de viver. Na verdade, poderíamos justificadamente dizer que nossa
identidade está fundamentada em nossas crenças mais do que em qualquer outra coisa.
Portanto, nossas crenças, derivadas da Bíblia, são o que nos torna quem somos.

A função da administração da vida é nos levar a viver os princípios de fé como são


em Yeshua, de maneira que influencie positivamente nossa qualidade de vida. "Se vocês
realmente lhe tiverem dado ouvidos, e se foram instruídos a seu respeito, então terão
aprendido que o que está em Yeshua é verdade. 22 Por isso, no que concerne ao antigo
estilo de vida, dispam-se da velha natureza, porque ela está totalmente apodrecida por
seus desejos enganosos; deixem seu espírito e mente serem renovados e se revistam da
nova natureza, criada para a piedade, que expressa em si mesma a justiça e a santidade
procedentes da verdade." (Ef 4:21-24).
Nesse texto, encontramos o que significa não apenas conhecer a verdade, mas vi-
vê-la. Ser um administrador fiel não é apenas acreditar em princípios, por mais verda-
deiros que eles sejam, mas significa também viver essas verdades em nossa vida e em
nossos relacionamentos.

ESTUDO DIÁRIO

Vayak'hel-Pecudê, 3ª Alyá (Êx 37:17-37:29)


Leitura mensal Tehilim Sl 90-96
Leitura RPSP Mc 12
Leitura anual completa Dt 29-31

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 81


Quarta 7 de março | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 20 Adar

A mensagens dos três anjos

A penas duas vezes o Eterno advertiu o mundo da futura catástrofe: uma vez a Noach
(Gn 6:13-18; Mt 24:37) e outra por meio das mensagens dos três anjos (Ap 14:6-12). Es-
sas mensagens revelam uma perspectiva singular sobre futuros eventos mundiais. Nossa
compreensão dessas mensagens tem amadurecido ao longo do tempo, mas nossa mensa-
gem e propósito ainda é a justificação pela fidelidade no Mashiach, que é "verdadeiramen-
te a mensagem do terceiro anjo" (6). Em outras palavras, no centro de nossa mensagem
está Yeshua Hamashiach e Seu grande sacrifício por nós.

4. Leia Revelação (Ap) 14:6-12. Qual é a essência dessas mensagens? O que elas de-
claram ao mundo? Que responsabilidade recai sobre nós em relação a elas? De que
maneira a administração se encaixa nessas mensagens?

Nosso objetivo é apresentar as mensagens dos três anjos em preparação para a vinda
do Mashiach. As pessoas precisam ser capazes de tomar uma decisão em relação à eterni-
dade. A função da administração fiel é atuar em parceria com D'us nesse propósito (2Co
5:20; 6:1-4).
"Em sentido especial fomos postos no mundo como vigias e portadores de luz. Foi con-
fiado a nós a última mensagem de advertência a um mundo a perecer. Sobre nós incidiu
a maravilhosa luz da Palavra de D'us. Fomos incumbidos de uma obra da mais solene im-
portância: a proclamação da primeira, segunda e terceira mensagens dos anjos. Nenhum
trabalho há de tão grande importância. Não devemos permitir que nenhuma outra coisa
nos absorva a atenção" (7).
O aro da roda está próximo do ponto de contato com o chão e representa o objetivo das
mensagens dos três anjos. Seu propósito é nos proteger do "desvio teológico" e identificar
nossa responsabilidade nos acontecimentos dos últimos dias. Devemos ser administrado-
res dessa mensagem, proclamando-a ao mundo.

Quando pensamos nos eventos finais, é muito fácil nos prendermos aos gráficos e datas.
Eles têm sua função, mas como podemos assegurar que o Mashiach e Seu sacrifício sejam
o centro da nossa atenção?

ESTUDO DIÁRIO

Vayak'hel-Pecudê, 4ª Alyá (Êx 38:1-39:1)


Leitura mensal Tehilim Sl 97-103
Leitura RPSP Mc 13
Leitura anual completa Dt 32-34

82 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


8 de março | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 21 Adar Quinta

Administração fiel

O Eterno quer que vivamos em santidade. A vida do Mashiach ilustra a santidade e


como deve ser a administração suprema (Hb 9:14). Devemos administrar nossa vida
de maneira agradável a D'us, inclusive o que nos tem sido confiado. A administração é uma
expressão dessa santidade.

5. Compare 1 Kefa (1Pe) 1:15, 16 com Hebreus 12:14. O que significa "ser santo (Ke-
doshim)" e "santificação"? Como isso se relaciona com a nossa administração?

Os romanos descobriram que a roda de uma carruagem durava mais se um filete de


ferro fosse colocado ao redor do aro. O artesão aquecia o metal a fim de expandi-lo apenas
o suficiente para que ele deslizasse sobre o aro. A água fria o encolhia de modo que o encai-
xe ficava firme. O filete de ferro então tocava o chão à medida que a roda girava.
O filete de ferro no aro representa o conceito de administração. Esse é o momento da
verdade em que nossa vida espiritual desliza sobre nossa vida prática. É o momento em
que nossa fidelidade enfrenta os altos e baixos da vida mediante os sucessos e fracassos. É
quando nossas crenças se tornam reais nas lutas turbulentas do cotidiano. A administra-
ção da vida é a embalagem externa do que somos e do que fazemos. É uma testemunha
da nossa conduta e de uma vida bem administrada. Nossas ações diárias que revelam o
Mashiach são como o ferro na roda que toca o chão.
As ações são poderosas e devem ser governadas pelo nosso compromisso com o
Mashiach. Devemos viver com esta garantia e promessa: "Posso todas essas coisas naquele
que me dá poder." (Fp 4:13).
"A santificação do ser pela operação do Ruach Hakodesh é a implantação da natureza
do Mashiach na humanidade. O propósito das boas novas é o Mashiach na vida — um
princípio vivo e atuante. É a chessed (graça) do Mashiach revelada no caráter e expressa
em boas ações. Os princípios da Bessorá não podem estar desligados de nenhum setor da
vida diária. Todo ramo de trabalho e experiência fiel deve ser uma representação da vida
do Mashiach" (8).

Considere sua vida cotidiana. Ela revela a realidade do Mashiach em você, a atuação Dele
em sua vida, fazendo de você um novo ser? Quais escolhas conscientes você precisa fazer
para que a santidade Dele seja revelada em sua vida?

ESTUDO DIÁRIO

Vayak'hel-Pecudê, 5ª Alyá (Êx 39:2-39:21)


Leitura mensal Tehilim Sl 104-105
Leitura RPSP Mc 14
Leitura anual completa Js 1-4

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 83


Sexta 9 de março | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 22 Adar

Estudo adicional

À s vezes, o filete de ferro tinha que ser reacomodado às rodas da carruagem devido
ao estiramento causado pelo toque do metal no chão. Esse conserto demandava du-
ras marteladas no próprio filete de ferro. A reacomodação do filete de ferro representa a
administração da vida como santificação prática. É ter a mente do Mashiach ao reagir a
cada aspecto da vida, mesmo quando o processo é difícil e doloroso. Como esse processo
diz respeito ao uso do nosso dinheiro, às nossas relações familiares ou emprego, devemos
reagir a todos eles segundo a vontade do Mashiach. Às vezes, como todos sabemos muito
bem, só aprendemos essa lição mediante algumas duras pancadas.
Não é fácil consertar o ferro. Também não é fácil consertar o caráter humano. Pense
na experiência de Shimon Kefa. Ele havia estado em todos os lugares com Yeshua, mas não
esperava estas palavras dos lábios do Mashiach: "Mas eu orei por você, Shimon, para que
sua confiança não falhe. E você, assim que tiver voltado para D'us, arrependido, fortaleça
seus irmãos!" (Lc 22:32). Não muito depois disso, após negar Yeshua, Kefa vivenciou uma
mudança em sua vida, mas somente depois de uma experiência muito dolorosa e difícil.
Em certo sentido, sua administração foi restaurada. Ele retornou ao caminho, e sua vida
passou a seguir uma nova direção, mas só depois de algumas verdadeiras "pancadas".

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 O que a santificação prática tem a ver com a instrução de Yeshua de que devemos ne-
gar-nos a nós mesmos, dia a dia tomarmos o nosso sacrifício e segui-Lo"? (Lc 9:23). O
que deve ser morto? (Gl 6:14). Como isso ilustra o processo de santificação? De que
maneira a santificação prática nos ajuda a pensar como D'us? (1Co 2:16)
2 As provações podem ensinar lições poderosas sobre a vida religiosa e a experiência de
seguir Yeshua. Qual tem sido sua experiência com relação a isso? Permita que os que
se sentem confortáveis falem sobre essas experiências e o que eles aprenderam. O que
podemos aprender com as experiências uns dos outros?
3 Pense em outras crenças que nós temos, como o Shabat, o estado dos mortos, a criação,
a segunda vinda do Mashiach, etc. De que maneira essas crenças devem influenciar
nossa conduta?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Vayak'hel-Pecudê, 6ª Alyá (Êx 39:22-39:43)


Leitura mensal Tehilim Sl 106-107
Leitura RPSP Mc 15
Leitura anual completa Js 5-8

84 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

10 de março | ‫ שבת‬Shabat 23 Adar

ESTUDO DIÁRIO

Vayak'hel-Pecudê, 7ª Alyá (Êx 40:1-40:38)


Leitura mensal Tehilim Sl 108-112
Leitura RPSP Mc 16
Leitura anual completa Js 9-13
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 15

REFERÊNCIAS LIÇÃO 10

(1)
LeRoy E. Froom, Stewardship in Its Larger Aspects, 1929, p. 5 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Evangelismo, p. 221 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Evangelism, p. 186 (contextualizado)
(4)
Fernando Canale, Secular Adventism? Exploring the Link Between Lifestyle and Salva-
tion, 2013, p. 104, 105 (contextualizado)
(5)
Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 5, p. 1271 (contextualizado)
(6)
Ellen G. White, Evangelism, p. 190 (contextualizado)
(7)
Ellen G. White, Testemunhos, v. 9, p. 19 (contextualizado)
(8)
Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 384 (contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 85


Lição 11 11 a 17 de março | 24 Adar a 1 Nissan

Dívida: uma decisão diária


VERSO PARA MEMORIZAR
"Paguem o que se deve a todos: se você deve ao coletor de impostos, pague o imposto; se
você deve ao fisco, pague a dívida; se . você deve respeito a alguém, respeite; se você deve
honra a alguém, honre. Não deva nada a ninguém, a não ser o amor recíproco, pois quem
ama o ser humano cumpriu a Torá." (Rm 13:7, 8)

LEITURAS DA SEMANA
Sl 37:21; Mt 4:3-10; 6:33; Dt 28:12; Pv 13:11; 21:5; 2Co 4:18

Introdução

À s vezes você pode ter a felicidade de encontrar alguém disposto a lhe emprestar
dinheiro. Talvez essa pessoa faça isso com uma motivação pura, ou seja, ela
realmente deseja ajudá-lo a sair de um aperto financeiro. Mas, na maioria dos ca-
sos, não é a bondade do coração que leva as pessoas a lhe emprestar dinheiro. Elas
emprestam dinheiro porque querem ganhar mais dinheiro em troca.
Devemos fazer tudo o que pudermos para evitar contrair dívidas. É claro que,
em certas circunstâncias, como comprar uma casa ou um carro, construir uma si-
nagoga ou estudar, precisamos pedir dinheiro emprestado. Mas isso deve ser feito
com muita sabedoria e prudência, com a intenção de sair da dívida da maneira mais
rápida possível.
No entanto, temos que ter cuidado. Gastar um dinheiro que não temos é a porta
de entrada do povo de D'us para uma vida em "que a cobiça e o amor às coisas ter-
restres sejam o traço predominante de seu caráter. Enquanto predominarem esses
traços, a salvação e a graça estarão para trás" (1).
Devemos desenvolver nossas habilidades e competências para que permaneça-
mos disciplinados e façamos tudo o que pudermos para evitar dívidas. Nesta sema-
na, examinaremos o que a Bíblia declara sobre dívidas.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 24 ‫ ויקרא‬VAYICRA [E chamou]: Lv 1.1- 5.26 (6.7)


HAFTARÁ: Is 43.21 - 44.23
BRIT CHADASHÁ: Rm 8.1-13; Hb 10.1-18; 13.10-16
TEHILIM: Sl 50

86 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


11 de março | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 24 Adar Domingo

Empréstimos e despesas

C erta vez, Elisha (Eliseu) e alguns profetas estavam cortando madeira à beira do rio Jordão
quando o "ferro do machado caiu na água". O jovem profeta responsável pelo machado
gritou: "Ai, meu senhor, ele era emprestado!" (2Rs 6:5). A expressão "tomar emprestado" sig-
nifica usar com permissão algo que pertence a outro. Essa permissão implica riscos e respon-
sabilidades. Dinheiro emprestado não é diferente do machado emprestado na história, com
exceção de que ele pode trazer consequências mais graves, se for mal utilizado.
A única razão pela qual tomamos dinheiro emprestado é gastá-lo. O risco financeiro que
assumimos é presumir que seremos capazes de reembolsar a pessoa, e que não haverá sur-
presas financeiras no futuro. Contudo, o futuro é desconhecido para nós (Ec 8:7); portanto,
tomar dinheiro emprestado sempre acarreta riscos.

1. O que os seguintes textos têm a dizer sobre dívida?


Sl 37:21 _____________________________________________________________________________________________
Ec 5:5 _______________________________________________________________________________________________
Dt 28:44, 45 ________________________________________________________________________________________

Podemos pegar dinheiro emprestado com a ideia de usá-lo sabiamente, mas a tentação
de gastar o que temos, mesmo desse dinheiro emprestado, pode acarretar alguns problemas
muito difíceis. Na verdade, desperdiçar dinheiro emprestado significa assumir um estilo de
vida que não conseguimos bancar. A tentação de pegar e gastar dinheiro emprestado é a
pulsação de uma cultura consumista que influencia ricos e pobres. Quando somos tentados,
devemos buscar a provisão de D'us (1Co 10:13), pois o empréstimo pode ser uma maldição
(Dt 28:43-45).
Não inicie o mau hábito de pedir dinheiro emprestado. Se você já tomou um emprésti-
mo, devolva da maneira mais rápida possível. Precisamos gastar com sabedoria e ser mes-
tres na administração do dinheiro de D'us, e não escravos do dinheiro do mundo.
No entanto, como já dissemos, existem algumas situações em que precisamos pedir di-
nheiro emprestado. Mas isso deve ser feito com cautela e com a intenção de pagar tudo do
modo mais breve possível.

Quais são os perigos espirituais para uma pessoa "presa" em dívidas?

ESTUDO DIÁRIO

Vayicrá, 1ª Alyá (Lv 1:1-1:13)


Leitura mensal Tehilim Sl 113-118
Leitura RPSP Lc 1
Leitura anual completa Js 14-17

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 87


Segunda 12 de março | ‫ יום שני‬Yom Sheni 25 Adar

Administração e satisfação instantânea

E ssav (Esaú) era um rústico caçador que seguia seus desejos (Ver Gn 25:34). Quan-
do sentiu o cheiro do ensopado de seu irmão, desejou aquelas lentilhas, embora
fosse improvável que ele estivesse morrendo de fome. Governado por seus senti-
mentos, ele permitiu que a pressão do momento dominasse seu raciocínio, e trocou
seu direito de primogenitura por uma satisfação instantânea. Quando quis sua pri-
mogenitura de volta, e "embora, com lágrimas" a "tivesse buscado" (Hb 12:17), ele
não a recebeu.
Em contraste com isso, temos o exemplo de Yeshua. Após um jejum de 40 dias e
quase à beira da inanição, Ele foi tentado pelo satan três vezes (Mt 4:3-10). Porém,
o Mashiach percebeu as tentações e, mesmo em Sua condição enfraquecida, não
cedeu à satisfação própria. Yeshua mostrou que também poderíamos vencer a pro-
vação. Ele não trocou nem perdeu Seu direito de primogenitura e convida todos a
ser co-herdeiros com Ele (Rm 8:17; Tt 3:7). Podemos manter nosso direito de primo-
genitura seguindo o exemplo de Yeshua quando foi tentado (1Co 10:13).
O melhor que o mundo oferece é o presente, pois ele não pode proporcionar a
eternidade. Viver para si mesmo é o oposto de viver para o Eterno.

2. Quais são os potenciais perigos da satisfação instantânea, mesmo para pessoas


fiéis? (2Sm 11:2-4; Gn 3:6; Fp 3:19; 1Jo 2:16; Rm 8:8).

O desejo por satisfação instantânea é característico de uma mente descontrola-


da; é um inimigo da paciência e destrói lentamente os objetivos a longo prazo, zom-
bando da responsabilidade e a prejudicando. Retardar essa satisfação é um prin-
cípio aprendido; é uma habilidade que nos ajuda a lidar com situações e pressões,
especialmente com as tentações que o mundo tem para oferecer, como tomar di-
nheiro emprestado imprudentemente. No entanto, essa ideia não é popular em um
mundo fundamentado em gratificação instantânea, soluções rápidas e esquemas
para enriquecer rapidamente. Uma vez que experimentamos a satisfação instantâ-
nea, ficamos mais propensos a escolher a "recompensa" de curto prazo outra vez, e
depois novamente, e novamente […]. Como administradores dos dons que D'us nos
deu, não devemos cair nessa armadilha.

ESTUDO DIÁRIO

Vayicrá, 2ª Alyá (Lv 1:14-2:6)


Leitura mensal Tehilim Sl 119:1-96
Leitura RPSP Lc 2
Leitura anual completa Js 18-21

88 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


13 de março | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 26 Adar Terça

Vivendo com os próprios recursos


O texto de Provérbios 21:20 contrasta a administração da responsabilidade econô-
mica com a conduta esbanjadora. Os tolos não vivem com os próprios recursos.
Gastam o dinheiro, mesmo o que foi tomado emprestado, considerando a sabedoria
financeira ou a vida simples uma dificuldade, como uma dieta indesejada. No entanto,
mesmo quando precisamos de um empréstimo, como para comprar uma casa, deve-
mos fazê-lo com cuidado e a noção de que devemos viver com os próprios recursos.
Os ricos podem viver com os próprios recursos. O problema de alguns deles é que
sempre estão preocupados com a manutenção do patrimônio. Em geral, quando as
pessoas têm pouco e são assalariadas, elas se preocupam com o sustento, não com a
riqueza. Ainda assim, a Bíblia aconselha a viver com os próprios recursos, independen-
temente de quanto temos. Shaul recomendou o que podemos considerar simplicidade
extrema: "Tendo sustento e com que nos vestir [poderíamos incluir moradia], esteja-
mos contentes" (1Tm 6:8). Shaul não considerava os bens terrestres tão importantes,
pois, para ele, viver no Mashiach era o bastante (Fp 1:21).

3. Qual princípio deve ser lembrado antes de qualquer outra coisa? (Veja Mt 6:33).
Estamos praticando esse princípio?

Devemos pensar em nosso dinheiro não como renda, mas como recursos que temos
a responsabilidade de administrar. O orçamento é o método que devemos usar para re-
alizar essa tarefa. Planejar um orçamento é uma habilidade que precisa ser aprendida
e estudada cuidadosamente. A prática e o esforço disciplinados são necessários para o
sucesso na administração de um plano financeiro equilibrado (Pv 14:15). Se fizermos o
compromisso de obtermos êxito em nosso plano de administração financeira, seremos
capazes de evitar erros financeiros embaraçosos.
Se você tem problemas com a administração de seu dinheiro, faça um orçamento.
Pode ser simples: totalize seus gastos por alguns meses e, em seguida, faça a média de
suas despesas mensais. O segredo é viver sempre com os próprios recursos e fazer o
possível para evitar dívidas.

Leia Lucas 14:27-30. Yeshua ilustrou o preço do aprendizado com o exemplo de um cons-
trutor que estimou o custo da construção de uma torre e o que aconteceria se ele não
pudesse concluí-la. Qual lição sobre administração temos nesse exemplo?

VÉSPERA DE CHANUCÁ

ESTUDO DIÁRIO
Vayicrá, 3ª Alyá (Lv 2:7-2:16)
Leitura mensal Tehilim Sl 119:97-176
Leitura RPSP Lc 3
Leitura anual completa Js 22-24

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 89


Quarta 14 de março | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 27 Adar

Dizendo não à dívida


4. Leia Devarim (Dt) 28:12. O que esse texto ensina sobre as muitas dívidas?
Qual princípio está presente nesse verso?

E vitar dívidas o máximo possível é um princípio do senso comum. A Escritura também nos
desencoraja a ser fiadores das dívidas dos outros (Pv 17:18; 22:26). A dívida manipula o
futuro e nos obriga a nos submeter às suas exigências a partir da nossa posição de fragilidade
financeira. É um elixir suave que os seguidores de Yeshua julgam difícil de recusar e adminis-
trar. Contrair dívida pode não ser imoral, mas não fortalece nossa vida espiritual.
"Deve-se ter em estrita consideração a economia, senão se incorrerá em pesadas dívidas.
Conservem-se dentro dos limites. Evitem contrair dívidas assim como evitariam a lepra" (2).
A dívida pode se tornar uma escravidão financeira, tornando-nos um "servo do que em-
presta" (Pv 22:7). Visto que a dívida está tão ligada à estrutura econômica do nosso mundo,
pensamos que ela seja o padrão. Afinal, nações inteiras se endividam; por que os indivíduos
não deveriam fazer a mesma coisa? Não é certo ter essa atitude.
"Façam, com o Eterno, a solene aliança de, com Sua bênção, pagar suas dívidas e a nin-
guém dever coisa alguma, ainda que tenham de viver a pão e água. É tão fácil, ao preparar a
mesa, tirar do bolso uma moeda para extraordinários. Cuidem dos centavos e os reais cuidarão
de si mesmos. É uma moedinha aqui, uma moedinha ali, gasta para isto, aquilo, e aquilo outro,
que logo somam reais. Neguem o eu ao menos quando estão rodeados de dívidas. […] Não
vacilem, não desanimem nem desistam. Neguem seu gosto, neguem a condescendência com
o apetite, economizem seu dinheiro e paguem suas dívidas. Esforcem-se para pagá-las o mais
depressa possível. Quando vocês puderem apresentar-se novamente como pessoas livres, não
devendo nada a ninguém, terão alcançado uma grande vitória" (3).
A dívida é um fundamento frágil para os crentes firmarem seus pés. Ela pode prejudicar
nossa experiência espiritual e afetar nossa capacidade de financiar a obra de D'us. Rouba-nos
de nossa capacidade de doar aos outros com segurança, e tira de nós oportunidades de receber
as bênçãos de do Eterno.

Quais decisões ajudam a evitar qualquer dívida desnecessária? Do que você precisa se
privar, a fim de não se endividar?

ESTUDO DIÁRIO

Vayicrá, 4ª Alyá (Lv 3:1-3:17)


Leitura mensal Tehilim Sl 120-134
Leitura RPSP Lc 4
Leitura anual completa Jz 1-3

90 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


15 de março | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 28 Adar Quinta

Poupando e investindo

A s formigas trabalham para poupar alimento para o inverno (Pv 6:6-8). É sábio conside-
rar sua maneira de viver quando poupamos dinheiro para uma finalidade. A grande
questão de poupar é ter recursos disponíveis para nossas necessidades, ao contrário de
desperdiçar ou de apenas acumular. Administrar o dinheiro requer sabedoria, orçamento
e disciplina. Se tudo o que fazemos é poupar para nós mesmos, estamos roubando as pos-
ses de Hashem em vez de administrá-las.
"O dinheiro gasto desnecessariamente é uma perda dupla. Ele não apenas se vai, mas
seu potencial para obter lucros também se vai. Se o tivéssemos separado, ele poderia ter
se multiplicado na Terra mediante a poupança ou no Céu por meio da doação […]. Poupar
é uma disciplina que desenvolve a autoridade sobre o dinheiro. Em vez de permitir que o
dinheiro nos leve em direção aos nossos caprichos, nós tomamos o controle" (4).

5. Como é possível lidar melhor com questões financeiras? (Pv 13:11; 21:5; 13:18)

Os administradores poupam para as necessidades familiares e investem no Mundo


Vindouro os recursos de D'us. A questão não é quanto possuímos, mas se temos um plano
bíblico de administração, seja qual for a nossa situação. Poupar para atender às necessi-
dades familiares deve ser algo feito com sabedoria. A fim de minimizar as perdas, reparta
o risco (Ec 11:1, 2). Trabalhar com essa minimização antes das próprias necessidades (Pv
24:27) e procurar aconselhamento qualificado de outras pessoas (Pv 15:22) são dois recur-
sos eficazes nesse modelo. À medida que as necessidades forem satisfeitas e nos tornarmos
mais prósperos, devemos nos lembrar do Eterno (Dt 8:18).
O modelo de investimento mais seguro para o administrador de D'us é investir no "Rei-
no do Céu" (Mt 13:44). Não há recessão, riscos, ladrões nem declínio no mercado. É como
ter uma bolsa ou uma carteira que nunca se desgastam (Lc 12:33). Aceitar ao Mashiach é
como abrir uma conta, e devolver o maasser e dar tsedacá são depósitos. Isto é, por mais
que precisemos cuidar das nossas necessidades, devemos manter nosso foco nas verdades
eternas.

Leia 2Co 4:18. Como podemos manter essa verdade sempre diante de nós enquanto vive-
mos como administradores responsáveis?

ESTUDO DIÁRIO

Vayicrá, 5ª Alyá (Lv 4:1-4:26)


Leitura mensal Tehilim Sl 135-139
Leitura RPSP Lc 5
Leitura anual completa Jz 4, 5

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 91


Sexta 16 de março | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 29 Adar

Estudo adicional

T oda habilidade natural, capacidade e dom vêm de D'us, seja pela genética, influência
e educação, ou ambas. O importante é o que fazemos com as habilidades que temos.
D'us espera que seus administradores se tornem peritos em suas habilidades por meio da
educação e da experiência prática (Ec 10:10).
O Espírito de D'us encheu Betsalel "de habilidade, inteligência e conhecimento em todo
artifício" (Êx 35:31). Ele e Oholiav (Êx 35:34) tinham a habilidade de ensinar sua arte aos
outros.
Vivendo neste mundo materialista, podemos ser melhores administradores e, especi-
ficamente, eliminar as dívidas. Devemos sempre desenvolver habilidades por meio da lei-
tura, seminários, educação formal e, finalmente, praticar o que aprendemos. Desenvolver
nossas habilidades nos capacita a dar nosso melhor para D'us e a ser bons administradores.
A parábola dos talentos indica que cada servo recebeu talentos "segundo a sua própria
capacidade" (Mt 25:15). Dois servos dobraram seus montantes; o terceiro enterrou o seu.
Devemos sempre nos esforçar para aperfeiçoar o que temos. Aquele servo, ao enterrar seu
talento, não demonstrou nenhuma habilidade ou capacidade. Administrar o dinheiro, sair
da dívida, cultivar a disciplina e também a experiência prática faz com que desenvolva-
mos competências abençoadas por D'us. Para que obtenhamos êxito e sejamos bons em
algo, devemos repeti-lo diversas vezes.
"Quando as lições das Escrituras são aplicadas na vida diária, exercem profunda e du-
radoura influência sobre o caráter. Timóteo aprendeu e praticou essas lições. Não tinha
talentos particularmente brilhantes, mas sua obra era valiosa porque ele usava no serviço
do Mestre as habilidades que D'us lhe havia concedido" (5).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 O domínio próprio é necessário sempre e pode evitar dificuldades financeiras e a ruína.
O que fazer para ajudar os que têm esse problema
2 Leia Romanos 13:7, 8. Como aplicar essas palavras aos nossos relacionamentos?
3 Alguns argumentam que não devemos nos preocupar em ficar endividados, pois o
Mashiach voltará. Como você responderia a essa afirmação?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Vayicrá, 6ª Alyá (Lv 4:27-5:10)


Leitura mensal Tehilim Sl 140-150
Leitura RPSP Lc 6
Leitura anual completa Jz 6-8

92 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

17 de março | ‫ שבת‬Shabat 1 Nissan

ROSH CHODESH NISSAN

ESTUDO DIÁRIO

Vayicrá, 7ª Alyá (Lv 5:11-5:26)


Leitura mensal Tehilim Sl 1-9
Leitura RPSP Lc 7
Leitura anual completa Jz 9, 10
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, cap. 16

REFERÊNCIAS LIÇÃO 11

(1)
Ellen G. White, Primeiros Escritos, p. 267 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Conselhos sobre administração, p. 272 (contextualizado)
(3)
Ibid., p. 257 (contextualizado)
(4)
Randy C. Alcorn, Money, Possessions and Eternity, 2003, p. 328 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 205 (contextualizado)

REFERÊNCIAS LIÇÃO 11

(1)
Ellen G. White, Primeiros Escritos, p. 267 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Conselhos sobre administração, p. 272 (contextualizado)
(3)
Ibid., p. 257 (contextualizado)
(4)
Randy C. Alcorn, Money, Possessions and Eternity, 2003, p. 328 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 205 (contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 93


Lição 12 18 a 24 de março |2 a 8 Nissan

Os hábitos de um
administrador fiel
VERSO PARA MEMORIZAR
"Como poderá um jovem manter integridade em seu caminho? Atendo-se ao
cumprimento de Tua palavra. A Ti busquei com todo empenho de meu coração; não
permitas que me deixe desviar de Teus mandamentos. Conservo Tua palavra no fundo de
meu coração, para que não venha a pecar contra Ti." (Sl 119:9-11)

LEITURAS DA SEMANA
Ef 5:15-17; Cl 3:23; Lc 12:35-48; Tg 4:14; At 3:21; 1Co 9:24-27

Introdução

S eus hábitos revelam o propósito e a direção de sua vida. Os administradores do


Eterno que desenvolvem bons hábitos são os mais fiéis. Daniel tinha o hábito de
orar diariamente (Dn 6:10). Shaul tinha o costume de estar na sinagoga (At 17:1, 2).
Ele também escreveu: "Não Sejam enganados. "Más companhias estragam o bom
caráter". (1Co 15:33). Devemos cultivar bons hábitos a fim de substituir os maus.
"Seremos, individualmente, para o tempo e a eternidade, o que nossos hábitos
fizerem de nós. A vida dos que formam bons hábitos, e são fiéis no cumprimento de
todo dever, será como luz brilhante, lançando raios vivos no caminho dos outros" (1).
O caminho traçado pelo hábito é o mais rápido que você pode tomar a fim de
obter a recompensa que procura. Um hábito é uma decisão gravada na mente. Em
outras palavras, você nem precisa pensar nele; apenas o realiza. Esse hábito pode
ser muito bom ou muito ruim, dependendo do que você faz. Nesta semana, exa-
minaremos hábitos poderosos que nos ajudarão, como administradores da vida, a
dirigir os assuntos do Eterno.

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PARASHÁ 25 ‫ צו‬TSAV [Ordena]: Lv 6.1 (6.8) - 8.36


HAFTARÁ: Jr 7.21-8.3; 9.22,23
BRIT CHADASHÁ: Mc 12.28-34; Rm 12.1,2; 1Co 10.14-23; Hb 8.1-16
TEHILIM: Sl 107
94 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬
18 de março | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 2 Nissan Domingo

Hábito: buscar o Eterno em primeiro lugar

T odos nós temos hábitos. A questão é: Qual tipo de hábito temos? Bons ou maus? De
todos os bons hábitos que podemos ter, buscar o Eterno em primeiro lugar a cada dia
é o mais importante de todos.
"Cada manhã dediquem-se, corpo e espírito, a D'us. Firmem hábitos de devoção e de
confiança cada vez maior em seu Redentor" (2). Tendo hábitos como esses, certamente
entraremos pela porta estreita "que conduz para a vida" (Mt 7:14).
O Eterno disse: "Não terás outros deuses diante de Mim." (Êx 20:3). No contexto de
nossas necessidades básicas, Yeshua disse que devemos buscar "em primeiro lugar seu
Reino e sua justiça" (Mt 6:33), e também está escrito: Vós Me buscareis e haveis de Me
encontrar, porque o fareis de todo vosso coração." (Jr 29:13).

1. Leia Mateus 22:37, 38, Atos 17:28, Efésios 5:15-17 e Colossenses 3:23. Como pode-
mos colocar D'us em primeiro lugar em nossa vida?

De todos os exemplos de pessoas que buscaram o Eterno em primeiro lugar, é eviden-


te que nenhum é melhor do que Yeshua. O Mashiach colocava Hashem em primeiro lu-
gar em todas as coisas. Percebemos essa prioridade durante Sua visita a Jerusalém, por
ocasião de Pessach, quando Ele ainda era uma criança. Quando foi confrontado por Sua
mãe, que O havia encontrado "no pátio do templo entre os rabis", Yeshua lhe disse: "Não
sabiam que eu elevo me preocupar com os assuntos de Avinu (meu Pai)?" (Lc 2:46, 49).
Ao longo de Sua vida, Yeshua almejava comunhão com Seu Pai, como vemos em Sua
vida habitual de oração. Os talmidim não entendiam plenamente esse hábito. Nenhum
poder das trevas pôde separar Yeshua do Pai, pois Ele tinha o hábito de Se manter total-
mente conectado com Hashem.
Podemos seguir o exemplo do Mashiach, tomando a decisão de amar a D'us com todo
o nosso coração e mente (Mt 22:37). Ao orar, estudar as Escrituras Sagradas e procurar
imitar o caráter de Yeshua em tudo o que fizermos, formaremos o hábito de colocar o
Eterno em primeiro lugar em nossa vida. Pode haver melhor costume para um dati (reli-
gioso)?

Pergunte a si mesmo: Tenho colocado o Eterno em primeiro lugar em minha vida?

ESTUDO DIÁRIO

Tsav, 1ª Alyá (Lv 6:1-6:11)


Leitura mensal Tehilim Sl 10-17
Leitura RPSP Lc 8
Leitura anual completa Jz 11, 12

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 95


Segunda 19 de março | ‫ יום שני‬Yom Sheni 3 Nissan

Hábito: aguardar o retorno do Mashiach


2. Leia Lucas 12:35-48. Como devemos nos relacionar com a questão da segunda
vinda do Mashiach?

A administração da vida deve ser praticada habitualmente à luz do retorno do


Mashiach. O caráter dos administradores infiéis que agem como fiéis será fi-
nalmente revelado por suas ações, pois administradores verdadeiros e fiéis desem-
penham suas responsabilidades, vigiando e trabalhando como se o Rabi Yeshua
estivesse presente. Eles vivem para o futuro e trabalham fielmente dia a dia. "Nós,
porém, somos cidadãos do céu, de onde esperamos, o Libertador, o Senhor Yeshua,
o Messias." (Fp 3:20).
Avraham aguardava uma cidade eterna (Hb 11:10), e Shaul, o retorno do Mashia-
ch (Hb 10:25). Eles pensavam no futuro; esperavam, planejavam e estavam prontos
para encontrar Yeshua. Devemos também desenvolver esse hábito de contemplar fi-
xamente o futuro, aguardando o ponto culminante das boas novas (Tt 2:13). Em vez
de espreitar de vez em quando, ou casualmente dar uma olhada nas profecias, pre-
cisamos estar continuamente olhando, vigiando e agindo, sempre conscientes da
eternidade que nos espera quando Mashiach voltar. Ao mesmo tempo, devemos evi-
tar especulações precipitadas e fantasiosas sobre os eventos finais. A promessa da
vinda de Yeshua dá direção à nossa vida; apresenta-nos uma perspectiva adequada
do presente e nos ajuda a lembrar o que é importante na vida. O hábito de aguardar
o retorno de Yeshua dá significado e propósito para um administrador fiel.
O sacrifício abriu o caminho para que tivéssemos um encontro com o Redentor
(Goel). Procuramos sinais revelados nas Escrituras que nos apontem para a vinda
do Mashiach na glória do Pai e dos anjos (Mc 8:38). "Não nos concentramos no que
se vê, mas no que não se vê, porque as coisas visíveis são temporárias, mas as invi-
síveis são eternas." (2Co 4:18).
A constante realidade da morte nos ajuda a perceber quanto nosso tempo aqui
no Olam Hazê é limitado e transitório. Mas a promessa da segunda vinda de Yeshua
também nos mostra que a própria morte é temporária e transitória. Portanto, não é
de admirar que devamos viver à luz da promessa do retorno do Mashiach, uma pro-
messa que deve impactar a vida de todo administrador fiel. Que tenhamos o hábito
de sempre viver aguardando o retorno do Mashiach!

ESTUDO DIÁRIO

Tsav, 2ª Alyá (Lv 6:12-7:10)


Leitura mensal Tehilim Sl 18-22
Leitura RPSP Lc 9
Leitura anual completa Jz 13-16

96 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


20 de março | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 4 Nissan Terça

Hábito: usar o tempo com sabedoria

"P ois nossa vida é curta, como se somente ontem tivéssemos nascido; e nada sabe-
mos, pois nossos dias são como uma sombra passageira sobre a terra." (Jó 8:9).

Você pode parar um relógio, mas não a passagem do tempo. O tempo não espera;
continua avançando mesmo que fiquemos imóveis e não façamos nada.

3. O que os seguintes textos ensinam sobre o nosso tempo no Olam Hazê? (Tg 4:14; Sl
39:4, 5; 90:10, 12; Ec 3:6-8). Qual é o valor do nosso tempo?

Visto que o tempo é tão limitado e não volta atrás, é importante o administremos
bem.
Portanto, devemos desenvolver o hábito de usar o tempo com sabedoria, concen-
trando-nos naquilo que é importante nesta vida e na vida futura. Devemos administrar o
tempo com base no que as Escrituras revelam como sendo importante, pois uma vez que
o tempo acaba, ele não pode ser renovado. Se perdemos dinheiro, podemos recuperá-lo,
e talvez obter até mais do que o montante perdido. Não é assim com o tempo. Um minuto
perdido está perdido para sempre. É mais fácil colocar um ovo quebrado de volta em sua
casca do que voltar um momento no passado. O tempo é um dos bens mais preciosos que
o Eterno nos deu. Então, é importante desenvolver o hábito de aproveitar ao máximo
cada momento.
"Nosso tempo pertence a D'us. Cada momento é Seu, e estamos sob a mais solene
obrigação de aproveitá-lo para Sua glória. De nenhum talento que nos concedeu reque-
rerá Ele mais estrita conta do que de nosso tempo. O valor do tempo supera toda compu-
tação. O Mashiach considerava precioso todo momento, e assim devemos considerá-lo. A
vida é muito curta para ser desperdiçada. Temos somente poucos dias de graça para nos
prepararmos para a eternidade. Não temos tempo para dissipar, tempo para devotar aos
prazeres egoístas, tempo para contemporizar com o pecado" (3).

Leia Efésios 5:15, 16. O que Shaul quis dizer nesse texto? Como podemos aplicar essas
palavras à nossa vida?

ESTUDO DIÁRIO

Tsav, 3ª Alyá (Lv 7:11-7:38)


Leitura mensal Tehilim Sl 23-28
Leitura RPSP Lc 10
Leitura anual completa Jz 17-19

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 97


Quarta 21 de março | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 5 Nissan

Hábito: manter a mente, o corpo


e o espírito saudáveis

F omos originalmente criados perfeitos: física, mental e espiritualmente. O pecado ar-


ruinou tudo. A boa notícia é que D'us está nos restaurando ao que Ele originalmente
planejou que fôssemos.

4. Leia Atos 3:21 e Revelação [Ap] 21:1-5. Que esperança encontramos nessas passa-
gens? Como devemos viver enquanto esperamos essa restauração final?

Quando esteve na Terra, o Mashiach trabalhou incansavelmente em favor da elevação


espiritual, mental e física da humanidade. Tudo isso foi um precursor do Tikum Olan final
que Ele realizará no fim dos tempos. O ministério de refuá shlemá de Yeshua prova que o
Eterno deseja que tenhamos tanta saúde quanto possível até que venha o fim. Portanto, os
administradores fiéis devem desenvolver hábitos que promovam um estilo de vida saudá-
vel para a mente e o corpo.
Em primeiro lugar, quanto mais a mente for usada, mais forte ela se tornará. Tenha o
hábito de preenchê-la com "o que é verdadeiro, nobre, correto, puro, amável ou admirável,
em alguma virtude ou em algo digno de louvor." (Fp 4:8). Esses pensamentos trazem sha-
lom (Is 26:3), e um "um coração tranquilo é vida para a carne" (Pv 14:30). Hábitos mentais
saudáveis permitem que a fortaleza do poder opere na melhor condição possível.
Em segundo lugar, hábitos saudáveis, como o exercício físico e uma dieta adequada,
indicam que nos preocupamos conosco. O exercício físico, por exemplo, reduz o estresse
e a pressão arterial, melhora nosso humor e, provavelmente, seja o método antienvelheci-
mento mais eficaz que qualquer outra coisa disponível.
Por fim, um administrador fiel desenvolverá bons hábitos para revigorar a vida. Eleve
seu coração ao Eterno (Sl 86:4, 5) e espere Nele (Sl 62:5). Você prosperará à medida que
"continua vivendo na verdade." (3Jo 3) e será conservado íntegro e irrepressível na "vinda
de nosso Senhor Yeshua, o Messias." (1Ts 5:23).

Pense nos seus hábitos e como eles afetam sua saúde física, mental e espiritual. Quais
mudanças você precisa fazer, a fim de se tornar melhor nessas áreas?

ESTUDO DIÁRIO

Tsav, 4ª Alyá (Lv 8:1-8:13)


Leitura mensal Tehilim Sl 29-34
Leitura RPSP Lc 11
Leitura anual completa Jz 20, 21

98 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


22 de março | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 6 Nissan Quinta

Hábito: autodisciplina

A autodisciplina é um dos traços de caráter mais importantes que um administrador


fiel pode ter. "Pois D'us nos deu o Espírito que não produz covardia, mas poder, amor
e autodisciplina." (2Tm 1:7). A palavra σωφρονισμός (sophronismos), traduzida como mo-
deração, autodisciplina, ocorre somente uma vez na Brit Chadashá, e envolve a habilidade
de fazer o que deve ser feito com uma mente equilibrada e sadia, que não se desviará
dos princípios de D'us. A autodisciplina nos ajuda a "discernir não somente o bem, mas
também o mal" (Hb 5:14), a compreender situações em questão com calma e humildade e
a suportar pressões e transtornos, independentemente das consequências. Daniel buscou
o que era correto, apesar dos leões, ao contrário de Shimshon (Sansão), que viveu de ma-
neira indulgente e demonstrou pouca moderação e juízo sadio. Yossef perseguiu o que era
correto na casa de Potifar, em contraste com Shlomo (Salomão), que adorou outros deuses
(1Rs 11:4, 5).

5. Leia 1 Coríntios 9:24-27. Qual é a mensagem do texto? O que está em jogo quando
a questão é a autodisciplina?

"O mundo está entregue à condescendência com as próprias inclinações. Está cheio de
erros e fábulas. Multiplicam-se os ardis de satan para a destruição. Todos quantos querem
aperfeiçoar a santidade no temor do Eterno têm que aprender as lições da temperança e
do domínio próprio. Apetites e paixões devem ser mantidos em sujeição às mais elevadas
faculdades do espírito. Essa autodisciplina é essencial àquela resistência mental e visão
espiritual que nos habilitarão para compreender e praticar as sagradas verdades da Pala-
vra de D'us" (4).
A autodisciplina é aperfeiçoada mediante a prática habitual. O Eterno nos chamou
para ser kedoshim (santos) em tudo o que fizermos (1Pe 1:15) e a nos exercitar na piedade
(1Tm 4:7). Os administradores fiéis devem exercitar a moderação tanto quanto os atletas
ou músicos mais talentosos. Mediante o poder do Eterno e nosso esforço diligente, deve-
mos nos disciplinar nas coisas que realmente importam.

Como podemos nos render ao poder de D'us, o único que pode nos dar a autodisciplina
de que precisamos para viver como administradores fiéis e piedosos neste mundo caído
e corrupto?

ESTUDO DIÁRIO

Tsav, 5ª Alyá (Lv 8:14-8:21)


Leitura mensal Tehilim Sl 35-38
Leitura RPSP Lc 12
Leitura anual completa Rute

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 99


Sexta 23 de março | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 7 Nissan

Estudo adicional

H anokh (Enoque) e Noach fizeram de sua caminhada com D'us um hábito, numa época
em que poucos permaneceram fiéis em meio à intemperança, ao materialismo e à
violência (Gn 5:24; 6:9). Eles compreenderam e aceitaram a graça de D'us, e, assim, foram
bons administradores dos bens e tarefas a eles confiados.
Ao longo dos séculos, pessoas caminharam com D'us exatamente como Hanokh e No-
ach. Por exemplo, Daniel e seus amigos "compreenderam que, para poderem permanecer
como representantes da verdadeira religião no meio das religiões falsas do paganismo,
deviam possuir clareza de intelecto e aperfeiçoar o caráter fiel. E o próprio D'us foi o pro-
fessor deles. Orando constantemente, estudando conscienciosamente e mantendo-se em
contato com o Invisível, andaram com D'us como Hanokh andou" (5).
"Andar com D'us" define o que um administrador fiel faz: ele vive com o Eterno dia-
riamente na Terra. Em meio a um mundo corrompido, um administrador sábio tornará
sua caminhada com o Eterno um hábito, pois somente por meio dessa conexão com D'us
podemos nos resguardar de cair nos males predominantes.
Ser um administrador fiel envolve nossa vida completamente, e ela deve, primeira-
mente, estar de acordo com a vontade de D'us (Am 3:3). Devemos andar no Mashiach (Cl
2:6), em novidade de vida (Rm 6:4), em amor (Ef 5:2), em sabedoria (Cl 4:5), na luz (1Jo 1:7),
em integridade (Pv 19:1), em Sua Torá (Êx 16:4), em boas ações (Ef 2:10) e no caminho reto
(Pv 4:26).

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 Defina "humildade". Qual é o seu papel na vida do administrador fiel? (Mt 11:29; Ef 4:2;
Fp 2:3; Tg 4:10). Por que ela é importante em nossa caminhada com o Eterno? (Mq 6:8).
2 Como podemos ajudar os que estão presos aos hábitos maus e destrutivos?
3 Quais outros bons hábitos os administradores fiéis devem ter? (Veja, por exemplo, Tt 2:7;
Sl 119:172; Mt 5:8).
4 Discuta sobre os mistérios do tempo. Por que o tempo parece passar tão rápido? Por
que devemos ser bons administradores do pouco tempo que temos?

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Tsav, 6ª Alyá (Lv 8:22-8:29)


Leitura mensal Tehilim Sl 39-43
Leitura RPSP Lc 13
Leitura anual completa 1Sm 1-3

100 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

24 de março | ‫ שבת‬Shabat 8 Nissan

ESTUDO DIÁRIO

Tsav, 7ª Alyá (Lv 8:30-8:36)


Leitura mensal Tehilim Sl 44-48
Leitura RPSP Lc 14
Leitura anual completa 1Sm 4-6
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações,17 e 18

REFERÊNCIAS LIÇÃO 12
(1)
Ellen G. White, TI, v. 4, p. 452 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Mente, Caráter e Personalidade, v. 1, p. 15 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 342 (contextualizado)
(4)
Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 101 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 486 (contextualizado)

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 101
Lição 13 25 a 31 de março | 9 a 15 Nissan

Os resultados da
administração fiel
VERSO PARA MEMORIZAR
"Vivam, porém, de forma honrosa entre os pagãos, porque ainda que eles os acusem de
praticarem o mal, como resultado da observação de suas boas ações, posssam dar glória a
D'us no Dia de sua vinda." (1Pe 2:12)

LEITURAS DA SEMANA
2Tm 3:1-9; Ez 14:14; Fp 4:4-13; Pv 3:5; 1Pe 2:11, 12; Mt 7:23; 25:21

Introdução

C omo administradores fiéis, devemos viver como testemunhas do D'us a quem


servimos, o que significa que devemos exercer uma influência poderosa sobre
aqueles que nos rodeiam, que produza um impacto para o bem.
Portanto, nossa história não deve estar isolada do mundo que nos cerca. Em
vez disso, temos o privilégio de refletir um estilo de vida melhor àqueles que não
conhecem as coisas reveladas a nós. Ser um administrador fiel é prosperar no cum-
primento do chamado de D'us para ter uma vida piedosa. D'us nos dá a capacidade
de praticar um estilo de vida diferente de qualquer outro na Terra (2Co 6:17). Isso
é algo que os outros devem observar em nós, de tal maneira que nos perguntem a
respeito da nossa Emuná (fé). Por isso, Kefa nos disse: "Tratem, porém, o Messias
como santo, como Senhor no coração de vocês, enquanto permanecem preparados
para dar uma resposta racional a todo que lhes pedir explicação da esperança que
há em vocês contudo, com humildade e temor," (1Pe 3:15, 16).
Nesta última lição, examinaremos os benefícios pessoais, as consequências espi-
rituais, os resultados bem-sucedidos, nossa influência e o segredo para o contenta-
mento na vida do administrador, entendendo que a essência de toda a questão é "o
Messias em união" conosco, "a esperança da glória" (Cl 1:27).

Dica: Termos e expressões vide glossário (págs. 110-117)

LEITURAS DA SEMANA

PÊSSACH ‫( פסח‬Passagem): Êx 12:21-51;


HAFTARÁ: Yohoshua [Js] 3:5-7, 5:2-15, 6:1, 27
BRIT CHADASHÁ: Yochanan [Jo] 1:29-31, 10:14-18

102 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


25 de março | ‫ יום ראשון‬Yom Rishon 9 Nissan Domingo

Administração e piedade

A piedade é um tema amplo. Pessoas piedosas vivem em santidade (Tt 1:1), tornando-se
semelhantes ao Mashiach com uma atitude de devoção e ações agradáveis a Ele (Sl
4:3; Tt 2:12). A piedade é a evidência da verdadeira religião. O piedoso recebe a promessa
da vida eterna. Nenhuma filosofia, riqueza, fama, poder nem "nascimento favorecido" ofe-
rece essa promessa.

1. Leia 2 Timóteo 3:1-9. Qual é a advertência de Shaul nessa passagem bíblica, rela-
cionada diretamente à vida de um administrador fiel?

O livro de Iyov (Jó) apresenta a descrição do caráter e das ações de um patriarca fiel Ao
Eterno. Ele ilustra como uma vida piedosa é revelada, mesmo por meio do sofrimento. Ele
também mostra quanto hasatan odeia esse estilo de vida. Até mesmo O Eterno reconheceu
que não havia outros como Iyov em sua qualidade de fidelidade e estilo de vida (Jó 2:3).
"Na terra de Uts viveu um homem chamado Jó [Iyóv], que era íntegro e correto, temen-
te a D'us e distanciado de todo o mal." (Jó 1:1). Portanto, vemos um homem cuja fidelidade
não era expressada apenas em palavras ou rituais religiosos, embora isso fizesse parte de
sua vida (Jó 1:5). Seu temor a D'us se manifestou em uma vida de piedade, mesmo em meio
a terríveis provações. Ser piedoso não significa ser perfeito, mas refletir a perfeição em
nossa própria esfera.

2. Leia Ezequiel 14:14. Qual era o caráter desses homens? O que eles tinham em co-
mum que deve ser visto em todos nós?

A administração fiel é, realmente, a expressão de uma vida piedosa. Os administrado-


res fiéis não têm apenas uma aparência de piedade. Eles são piedosos, e essa piedade é
revelada em sua maneira de viver e de lidar com os recursos que D'us lhes confiou. Sua
fidelidade é expressada não apenas no que fazem mas também no que não fazem.

ESTUDO DIÁRIO

Leitura mensal Tehilim Sl 49-54


Leitura RPSP Lc 15
Leitura anual completa 1Sm 7-10

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 103
Segunda 26 de março | ‫ יום שני‬Yom Sheni 10 Nissan

Contentamento
3. "Não estou dizendo isso para chamar-lhes a atenção para qualquer necessidade
minha, pois aprendi a me contentar independentemente das circunstâncias." (Fp
4:11). Se devemos estar contentes em toda e qualquer situação, qual deve ser a ori-
gem principal desse contentamento?

A o escrever a Timóteo, Shaul descreveu um grupo de pessoas inescrupulosas,


que supunham "que a piedade" fosse "fonte de lucro" (1Tm 6:5). Existe descri-
ção melhor de alguns charlatões da televisão hoje? Eles ganham muito dinheiro
dizendo aos telespectadores que, se eles apenas forem fiéis também se tornarão
ricos (e essa "fidelidade" inclui sustentar seu ministério). A equiparação da riqueza
à fidelidade é apenas mais uma manifestação do materialismo, mas sob o disfarce
da religião.
O fato é que a piedade não tem nada a ver com a riqueza. Se fosse assim, algu-
mas das pessoas mais sórdidas do mundo teriam que ser consideradas piedosas,
pois elas também são algumas das mais ricas. Em vez disso, Shaul declarou que "a
verdadeira religião não resulta em grande riqueza, mas apenas para os que estão
contentes com o que têm." (1Tm 6:6). A piedade com contentamento é, em qualquer
circunstância, a maior riqueza, pois a graça de D'us é muito mais valiosa do que o
ganho financeiro. Assim, devemos estar satisfeitos "se tivermos comida e roupa"
(1Tm 6:8). No fim, não importa quanto temos, sempre haverá mais para obter se
estivermos inclinados a pensar dessa maneira.
"O contentamento em todas as situações é uma grande arte, um mistério espi-
ritual. Deve ser descoberto como um mistério […]. O contentamento é aquela doce,
interior, calma e graciosa disposição de espírito, que se submete livremente e se
deleita na disposição sábia e paternal de D'us em todas as situações […]. É um frasco
de unguento precioso, muito reconfortante e útil ao coração perturbado, em tempos
e situações difíceis" (1).

4. Leia Romanos 8:28, Hebreus 13:5 e Filipenses 4:4-13. O que pode nos ajudar a viver
contentes?

ESTUDO DIÁRIO

Leitura mensal Tehilim Sl 55-59


Leitura RPSP Lc 16
Leitura anual completa 1Sm 11-13

104 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


27 de março | ‫ יום שלישי‬Yom Shlishi 11 Nissan Terça

Confiança
5. Leia Provérbios 3:5. Qual é a mensagem fundamental para nós nesse texto? (Veja
também Is 55:9; 1Co 4:5; 13:12).

O lema e objetivo do administrador de D'us é confiar no Eterno de todo o coração e


não se apoiar no próprio entendimento (Pv 3:5).
Muitas vezes, isso é mais fácil de falar do que de fazer. Quantas vezes podemos
acreditar intelectualmente em D'us, em Seu amor e cuidado por nós, e ainda assim
ficarmos extremamente preocupados com o que estamos enfrentando? Às vezes, o fu-
turo pode parecer muito assustador, pelo menos em nossa imaginação.
Como, então, aprender a confiar no Eterno? Avançando em fidelidade e obedecen-
do ao Ele em tudo o que fizermos. A confiança é uma ação mental que não se esgota
pelo uso. Ao contrário, quanto mais confiamos no Eterno, mais nossa confiança au-
menta. Viver como administradores fiéis é uma forma de expressar nossa confiança
em D'us. Essa confiança é o fundamento e a força motivadora do administrador, e ela
se torna visível pelo que fazemos.
"Confia no Eterno de todo o teu coração." A expressão "teu coração" é sempre usada
simbolicamente nas Escrituras. Ela significa que nossas decisões procedem de um "eu"
moral interior que forma quem somos (Mt 22:37). Isso inclui nosso caráter, motivações
e intenções: a essência do nosso ser.
É mais fácil confiar no Eterno nas questões que não podemos controlar. Nesse sen-
tido, não temos escolha senão confiar Nele. Em vez disso, a verdadeira confiança "do
coração" surge quando temos que fazer uma escolha sobre algo que podemos contro-
lar; quando nossa confiança em D'us nos faz escolher de uma ou de outra maneira.
Os emisários exemplificaram o que significava para eles confiar em D'us de todo
o coração: Eles "eram por natureza tão fracos e impotentes como qualquer dos que se
acham agora empenhados no trabalho, mas punham no Eterno toda a sua confiança.
Eram ricos, mas sua riqueza consistia na cultura da mente e do ser, e todo aquele que
colocar o Eterno como primeiro, e último, e melhor em tudo, pode ter isso" (2).

É mais fácil confiar no Eterno em relação às coisas que não podemos controlar. Mas, e
quanto às coisas que estão sob nosso controle? Que escolhas você precisa fazer com base
na confiança em D'us?

ESTUDO DIÁRIO

Leitura mensal Tehilim Sl 60-65


Leitura RPSP Lc 17
Leitura anual completa 1Sm 14-16

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 105
Quarta 28 de março | ‫ יום רביעי‬Yom Revi'i 12 Nissan

Nossa influência

"V ocês também eram trevas; mas agora, unidos ao Senhor, são luz. Vivam como filhos
da luz" (Ef 5:8). Shaul descreveu a transformação do coração como aquilo que é visto
publicamente. Ao "andarmos na luz" (1Jo 1:7), nosso testemunho diário como administrado-
res exercerá influência em um mundo de trevas.
Yeshua disse: "Eu Sou a luz do mundo" (Jo 8:12). Refletimos a luz de D'us por meio de um
caráter firme em nossas ações públicas cotidianas.

6. Nossa administração da vida tem glorificado a D'us? Como nossas ações influen-
ciamos outros? Mt 5:16; Tt 2:7; 1Pe 2:11, 12

Administração fiel tem a ver com a administração dos bens de D'us, mas vai além dessa
responsabilidade. Nossa parte no tikun olam é manifestada diante da nossa família, comu-
nidade, mundo e Universo (1Co 4:9). A administração vivida em nosso trabalho também
demonstra a influência dos princípios do reino em nossa vida. E, assim, podemos influenciar
os outros. Revelamos Mashiach mediante a bondade e a integridade, que recebem aprova-
ção do Criador.
Nossa ética de trabalho também deve estar de acordo com nossos valores de adminis-
tração. O trabalho é um palco no qual é vista a administração de uma pessoa justa (tsadic).
O Eterno "fará sobressair a tua justiça como a luz e o teu direito, como o sol ao meio-dia" (Sl
37:6). A influência de um administrador em seu trabalho ou vocação não é posta "em lugar
escondido, nem debaixo de uma vasilha" (Lc 11:33), mas é vista como uma cidade edificada
sobre um monte (Mt 5:14). Ao vivermos intencionalmente dessa maneira em casa e no traba-
lho, influenciaremos a mente e o coração das pessoas ao nosso redor.
"Tudo na natureza tem sua obra e não murmura diante de sua posição. Nas coisas espi-
rituais, todo homem e mulher tem sua própria esfera e vocação peculiares. Os juros reque-
ridos por D'us serão proporcionais à quantidade do capital confiado segundo a medida do
dom do Mashiach […]. Agora é seu tempo e privilégio […] manifestar uma estabilidade de
caráter que lhes dê verdadeiro valor moral. O Mashiach tem direito ao seu serviço. Entre-
guem-se a Ele de bom grado" (3).

Qual tipo de influência sua ética de trabalho exerce sobre aqueles com quem você traba-
lha e sobre sua família? Qual mensagem você passa a essas pessoas sobre o que você crê?

ESTUDO DIÁRIO

Leitura mensal Tehilim Sl 66-68


Leitura RPSP Lc 18
Leitura anual completa 1Sm 17-19

106 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


29 de março | ‫ יום חמישי‬Yom Hamishi 13 Nissan Quinta

Palavras que queremos (e não queremos) ouvir

S omos estrangeiros e peregrinos na Terra, tendo o Mundo Vindouro (perfeito, belo


e pacífico) como nosso destino final (Hb 11:13, 14). Até lá, temos que viver aqui. A
cosmovisão, conforme revelada especialmente no grande conflito cosmico, não permite
neutralidade. Vivemos para D'us ou para o adversário. ""Quem não está comigo é contra
mim; e quem comigo não reúne, espalha." (Mt 12:30). Na volta do Mashiach será revela-
do, clara e inequivocamente, de que lado estamos.

7. Em algum momento após a chegada do Mashiach, os que declararam segui-Lo


ouvirão uma das duas frases expressas nos versos abaixo. Quais são essas frases e o
que cada uma delas significa?

Mt 25:21: ____________________________________________________

Mt 7:23: _____________________________________________________

"Muito bem" são as palavras do Mashiach mais agradáveis e gratificantes aos ouvidas
de um administrador fiel. Ter a aprovação irrestrita do Eterno expressada em relação às
nossas tentativas de administrar Seus bens, trará ao nosso coração alegria indescritível
por fazermos o nosso melhor de acordo com nossas habilidades, e por sabermos desde o
início que nossa salvação não está fundamentada em nossas ações pelo Mashiach, mas
em Suas ações por nós. (Veja Rm 3:21; 4:6).
A vida de um administrador fiel é um reflexo da fidelidade que ele já possui. A tenta-
tiva de redenção pelas ações é vista nas palavras daqueles que procuraram justificar-se
diante do Eterno por meio de suas ações (veja Mt 7:21, 22). Mateus 7:23 mostra como a
justificação própria é inútil.
"Quando os seguidores do Mashiach Lhe devolvem o que Lhe é devido, estão acumu-
lando tesouro que lhes será entregue quando ouvirem as palavras: 'Excelente! Você é um
servo bom e confiável! [...] Venha e participe da alegria doseu Senhor!'" (4).
No fim, os duas grandes mitzvot, o amor a D'us e o amor ao próximo, são a motivação
e a força propulsora de todas as ações de um administrador fiel.

A administração revelada em sua vida reflete bem essas duas grandes mitzvot?

EREV PESSACH - 1º SEDER À NOITE

ESTUDO DIÁRIO

Leitura mensal Tehilim Sl 69-71


Leitura RPSP Lc 19
Leitura anual completa 1Sm 20-23

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 107
Sexta 30 de março | ‫ יום שישי‬Yom Shishi 14 Nissan

Estudo adicional

"O Mashiach veio ao mundo para revelar o amor de D'us. Seus seguidores devem
continuar a obra que Ele começou. Esforcemo-nos por ajudar e fortalecer uns aos
outros. A maneira em que se pode alcançar a verdadeira felicidade é buscar o bem
alheio. O homem não trabalha contra seus próprios interesses, quando ama O Eterno e
aos seus semelhantes. Quanto mais destituído de egoísmo for o seu espírito, tanto mais
feliz será, porque está cumprindo o propósito de D'us para Ele" (5).
"Onde quer que haja vida na kehilá, há aumento e crescimento. Há, também, cons-
tante intercâmbio, tomar e dar, receber e devolver ao Eterno o que Lhe pertence. A cada
fiel genuíno D'us comunica luz e bênção, e estas ele reparte com os outros, na obra que
faz para o Eterno. Ao dar do que recebe, aumenta sua capacidade de receber. É aberto o
caminho para a obtenção de novos suprimentos de graça e de verdade. Tem mais clara
luz e multiplicado conhecimento. Desse dar e receber depende a vida e o crescimento
da comunidade. Aquele que recebe mas nunca dá, logo deixa de receber. Se quisermos
receber novas bênçãos, devemos compartilhar os bens do Céu." (6)

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO


1 Como a confiança no Eterno leva ao contentamento? O que é necessário para Confiar
Nele? (2Co 10:5). Por que é fácil dizer "que todas as coisas cooperam para o bem" (Rm
8:28), mas difícil acreditar nisso?.
2 Como você define administração fiel? Por que ela é importante na nossa vida? .
3 Leia Mateus 7:21-23. No texto, por que as pessoas mencionam as coisas que fizeram?
O que suas palavras revelam sobre si mesmas? Mesmo que procuremos ser bons ad-
ministradores e fazer boas ações em nome de D'us, o que podemos fazer para não cair
nessa mesma ilusão?
4 Temos a tendência de pensar na influência religiosa apenas em nível individual. Mas,
e quanto à influência em nível da kehilá? Qual tipo de influência sua kehilá exerce na
comunidade secular?

PESSACH - 2º SEDER À NOITE

Horário para o acendimento das velas de Shabat (págs. 118-121)

ESTUDO DIÁRIO

Leitura mensal Tehilim Sl 72-76


Leitura RPSP Lc 20
Leitura anual completa 1Sm 24-27

108 Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬


Shabat

31 de março | ‫ שבת‬Shabat 15 Nissan

ESTUDO DIÁRIO

Leitura mensal Tehilim Sl 77-78


Leitura RPSP Lc 21
Leitura anual completa 1Sm 28-30
Sugestão de Leitura CSP da semana O Desejado de Todas as Nações, 19 e 20

REFERÊNCIAS LIÇÃO 13

(1)
Jeremiah Burroughs, The Rare Jewel, p. 1, 3 (contextualizado)
(2)
Ellen G. White, Obreiros, p. 25 (contextualizado)
(3)
Ellen G. White, Este Dia com D'us, p. 243 (contextualizado)
(4)
Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 523 (contextualizado)
(5)
Ellen G. White, Conselhos Sobre Mordomia, p. 24, 25 (contextualizado)
(6)
Ibid., p. 36 (contextualizado)

COSTUMES DESTA SEMANA

LEITURAS DE PESSACH

Interrompemos a leitura das Parashot durante o Shabat de festas. Estes Shabatot


chamadas Chol Hamoed são dedicados às leituras de textos relacionados às respectivas
festas.
Aqui estão as leituras dos dias de Pessach:
1º Seder de Pessach 29 de março, à noite:
1º Dia: 30 de março
Êx 12:21-51; Nm 28:19-25; (Asquenazi) Js 5:2-6:1; (Sefarardi) Js 5:2-6:27

2º Seder de Pessach: 31 de março à noite


2º Dia: 1 de Abril
Lv 22:26-23:44; Nm 28:19-25; 2Rs 23:1-9; 21-25

Horário do pôr do sol e Havdalá - Término do Shabat (págs. 118-121)

Janeiro, Fevereiro e Março de 2018 | Tevet, Shevat, Adar, Nissan de 5778 109
Glossário

A
ABBA [Aramaico corresponde a Av em He- ANTES DA ERA COMUM (AEC) Referido ao período usu-
braico] Meu Pai, Pai; A palavra abbá almente chamado de antes de Cristo (a.C.).
em aramaico corresponde à forma en- ASHUR Assíria
fática ou definida de av, significando ASSERET HADIBROT Mais comumente conhecida
literalmente "o pai" ou "ó Pai". como os dez mandamentos. A tradução
ACHAZ Acaz que mais se aproxima de Assêret Hadi-
ACHARIT HAYAMIM Literalmente, "o fim dos brot é "Dez Falas" ou "Dez Ditos", sendo
dias". O tempo do fim ou os "últimos que estes são dez princípios que incluem
dias", quando o 'alam hazeh chega ao toda a Torá e seus 613 preceitos.
fim e o 'alam haba está a ponto de ini- AV em Hebraico Corresponde a "Abba" do
ciar-se (l Coríntios 10.11 +). aramaico quer dizer: Papai, Meu Pai.
ACHIM (do hebraico ‫)א ִחים‬ ָ Irmãos [HA'AV] - O Pai
ADAM (do hebraico ‫)א ָדם‬
ָ Adam, Adão; masc. Homem AVINU Nosso Pai; Avinu, Malkeinu: Nosso
ADON OLAM Senhor do Universo Pai, nosso Rei
ADONAI (em hebraico:‫אד ֹנָ י‬, ֲ "meu Senhor") O AVINU SHEBASHAMAYIM Nosso Pai celestial,
Eterno de Israel. Nosso Pai que está no céu
ADONEINU Nosso Senhor AVIMELEK (hebraico: ‫ )אבימלך‬Abimeleque
AMHA'ARETS literalmente povo da terra. Pes- AVIYAHU Abias
soas comuns, iletradas usado pejorati- AVODAH ZARAH (Avoda zará) Adoração es-
vamente no primeiro século EC. trangeira, paganismo, Idolatria, adora-
AMMA'US Emaús ção a deuses estrangeiros.
AMONI Amonitas AVRAM Abrão
A.E.C Vide ANTES DA ERA COMUM AVRAHAM Abraão

B
BAVEL Babilônia BRIT HADASHÁ: Nova Aliança. Também
BEIT-LECHEM Belém usado para referir-se aos livros sagra-
BEIT HAKNESSET - KNESSET Templo, Sinagoga dos ou período do novo testamento;
BEIT HAMIQDASH Bet Hamikdash, Templo Sagrado BRIT MILÁ: circuncisão
BEIT'ZATA Betesda BEN Filho; BEN HAADAM: Filho dos homens;
BAMIDBAR (BEMIDBAR, BAMIDBAR) Números (li- BEN HAELOHIM: Filho de D'us
vro), do hebraico "no deserto" BETH MIDRASH LESHABAT Casa de estudo do
BERESHIT (Bereshit) Gênesis - Livro Shabat. Usado também como referên-
BIMÁ O púlpito onde lê-se a Torá cia a Escola Sabatina.
BERACHOT HASHACHAR Benção da aurora, de- B'NEI HAELOHIM Filhos de D'us
voção matinal BESSORÁ vide Habessorá

BRIT (Berit) Aliança;

110
Glossário

C
COHEN (Kohen) Sacerdote CHAVA vide HAVA - Eva
COHANIM (Kohanim) Sacerdotes CHAVER Amigo (Hebr: ‫חבר‬, literalmente, "amigo")
COHEN GADOL (Kohen Gadol) Sumo Sacerdote CHAVERIM: Amigos (Hebr: ‫חברים‬, literal-
CORBAN (Korban) Holocausto, Sacrifício; mente, "amigos")
CORBANOT Plural Holocaustos, Sacrifí- CHAVEROT amigas
cios; é o nome dado aos diversos tipos CHÉSED Graça

de sacríficios e ofertas. CHUMASH (Humash do hebraico ‫ חומש‬vindo do


CHAG MATSOT Festa dos pães ázimos, ver termo chamesh (fem.)/ chamisha (mas.),
também Pêssach cinco. E também Pentateuco. Faz alusão
CHASIDIM Piedosos aos cinco livros atribuídos a Moshê)

D
DAMMESEK Damassés DEVARIM (Devarim) Deuteronômio (Livro)
D-S, D-US, D'US. Eterno Forma respeitosa DERASHÁ Sermão, palestra.
de escrever o nome de Deus sem citar DERASHÁ AL HAAR Sermão da Montanha,
seu nome completo. sermão do monte

E
E.C Vide ERA COMUM co: ‫ ) ֶא ְהיֶה‬ou "Ehyeh-Asher-Ehyeh" (hebr:
ECHAD É um. ex: Adonai Echad; Um - Ela é ‫" אהיה אשר אהיה‬- conforme em Shemot 3:14)
utilizada no tradicional Shemá, Deva- ERA COMUM (EC) Refere-se ao período comu-
rim 6:4. Ouve ó Israel, Adonai nosso mente chamado de Anno Domini (AD)
D'us é Um. ‫שמע ישראל יהוה אלקינו יהוה אחד‬ ou depois de Cristo (dC).
Shemá Isra'el Adonai Eloheinu Adonai EL-ELYION Eterno Altíssimo
Echad. Outros Exemplos Exemplo: "Dei- ELIYAHU Elias
xará portanto o homem seu pai e sua ELISHEVA (Isabel). Mãe de Yochanan, o Imer-
mãe e se unirá à sua mulher, e serão am- sor (Lc 1.5).
bos uma (echad) só carne" - Gn 2:24 ELOHAI Meu D'us
EL'AZAR Lázaro ELOHEINU Nosso D'us
EMISSÁRIO(S) Apóstolo(s), HaShaliach, obreiro. ELOHIM D'us Eterno; ELOHIM: quando em mi-
EHYEH Ehyeh Asher Ehyeh ou Eheye Asher núsculo refere-se a deuses.
Eheye = Eu sou o que Sou "Ehyeh" (hebrai-

111
Glossário

G
GALIL Vide Hagalil GER ‫ גר‬Converso goy (não-judeu)
GAN'EDEN Paraíso. Literalmente jardim-do- GOY (Hebr: ‫יוג‬, Regular plural goyim ‫)םיוג‬
-Éden; no judaísmo o termo também Nação, gentil, não judeu.
refere-se ao paraíso. GOYIM (goyim ‫ )םיוג‬Plural de Goy nações
GAT-SH'MANIM (Getsêmani) Jardim onde (gentios) não judeus
Yeshua orou e foi preso pela guarda do GUET (do hebraico ‫ )גט‬É o nome dado ao docu-
Templo. O termo significa literalmente mento de divórcio dentro do judaísmo.
"prensa de óleos". GUEULÁ (‫ )גאולה‬Redenção
GAVRI'EL Gabriel

H
HA'AV O Pai, ver "Av" e "Abba" HANANYAH E SHAPPIRAH Ananias e Safira
HABESSORÁ [Hebr: ‫שׂוֹרה‬ ַ A palavra bessorá signi-
ָ ‫]ה ְבּ‬ HAMATVIL O imersor; Batista.
fica novidades, notícias, mensagem, um co- HAMASHIACH Ver YESHUA HAMASHIACH e MASHIACH.
municado que recebeu, sentido do grego O Ungido.
Evangelion. Boas Novas. Normalmente refe- HANOKH Enoque
rente às boas novas de Yeshua Hamashiach. HANUCÁ, CHANUKÁ OU CHANUCÁ [do Hebraico
HAELYON, EL ELYOn O Eterno Altíssimo Dedicação]; Também faz-se referência
HAFTORÁ ou HAFTARÁ [Hebr: ‫[ ]הפטרה‬plural à festa da dedicação ou festa das luzes
haftarot ou haftorás] é um trecho de HAR HAZEITIM ‫ הר הזיתים‬O Monte das Oliveiras
texto dos Neviim (Os profetas) lidos na HASATAN o Adversário, hasatan
sinagogas geralmente após a leitura da HASHACHAR Alvorecer
Parashat haShavua HASHALIACH Emissário; Apóstolo
HAG'VURAH "O Poder", eufemismo para de- HASHEM [do hebraico ‫]םשה‬, significando O
signar Y-H-V-H (Mattityahu 26.64). Nome. É uma forma para designar
HAGALIL [Hebr: ‫ ]הגליל‬Galileia, Galil Eterno dentro do judaísmo, fora do
HALLEL [Hebr: ‫]ה ְלל‬ַ [do hebraico ‫הלל‬, "Lou- contexto da reza ou da leitura pública
vor"] é de origem aramaica e significa do texto bíblico.
"cântico de louvor e exaltação a D'us", HAVAH - CHAVA Eva
músicas que celebram a vida; É uma HAVAKUK Habacuque
oração judaica baseada em Tehilim HEILEL (Lúcifer, Samael)
(Salmos 113-118), que é utilizada como HEILEL BEN-SHACHAR ‫ הילל בן שחר‬Estrela da manhã
louvor e agradecimento, recitada pelos (a estrela matutina), a estrela D'Alva. Tam-
judeus nas festividades judaicas. bém referido como Lúcifer, o anjo de luz,
HALACHÁ Leis Judaicas antes de ser expulso do céu. "portador de
HANANYAH Ananias; luz", representa a estrela da manhã (a es-

112
Glossário

trela matutina), a estrela D'Alva. nação de tudo isso, avaliada segundo a


HEVEL Abel necessidade do momento.
HUTSPAH (‫)ח ְצ ָפּה‬.
ֻ Ousadia, audácia, insolên- HOREV Horebe, Sinai, Monte Horebe, Monte Sinai
cia, coragem, atrevimento, ou a combi-

I
IGUERET (igeret) carta em Hebraico; epístola; IZEVEL Jezabel
epístula (latim); epistulé (Grego). Pl: Igerot
(Igrot)

K
K'FAR-NACHUM Cafarnaum KENEH OU QENÉH (‫ )קנה‬Canônico
KANAI [‫ ]קנאי‬Zelote - alguém que zela pelo KOHANIM Ver COHANIM
nome do Eterno KOHEN ver COHEN
KAPARAH, KAPARÁ Propiciação, expiação, In- KOHEN GADOL ver COHEN GADOL
tercessão, mediação KEHILÁ Congregação, Comunidade
KAPPORETH ‫ ַכּפּ ֶֹרת‬Tampa da Arca, Propiciató- KOL GOYIM Todas as Nações
rio, lugar de intercessão, Expiação. KOSHER (KASHER) A comida de acordo com a
KASHER Vide KOSHER lei judaica. Baseada na Torá.
KAYIM Caim KORBAN Ver CORBAN
KAYAFA Caifás KORBANOT Ver CORBANOT
KEDOSHIM Tornar Santo, Povo Santo, Santificação KASDIM Caldeus
KEFA Pedro

L
LASHON HARÁ (Hebr: ‫)לשון הרע‬, Lashon signifi- má, ou língua maledicente. Fofoca.
ca língua e hará significa o mal/mau, LAVAN Labão
então a melhor tradução seria língua LEMEKH Lameque

M
MAASSER Dízimo ungido. O Messias e traduzido para o
MALAKHI [‫ ]מלאכי‬meu mensageiro, Malaquias. grego como Χριστός - Cristo.
MALSHIN Acusador, informante, diabo. MATANAH (Pl. MATANOT) dom, dádiva
MASHIACH (do hebraico mashiah, Moshiah, M'NASHEH Menasheh Manassés
Mashiach, or Moshia") Que significa o METUSHELÁ Matuzalém

113
Glossário

MEZUZAH (Pl. MEZUZOT) Umbrais das portas, Cai- mente significa "provérbios de".
xinha contendo pergaminho com o Shemá MISHLEI SHLOMO Provérbios de Salomão.
fixado nas portas. Dt 6 MISHCAN Santuário, Tabernáculo
MIKVÁ OU MIKVÉ [‫]מ ְקוָ ה‬
ִ É o nome dado à imer- MESHALIM Provérbios no plural (não se refe-
são ritual em água utilizada no judaís- rindo ao livro em si) forma plural sim-
mo. imersão. Batistério ples de provérbio, parábola.
MITSVÁ [em hebraico: ‫]מצוה‬: "Mandamento" MOA'VI Moabitas
de ‫צוה‬, tsavá, "comando") Pl: MITSVOT MOLECH Moloque
[Hebr: ‫" ]מצוות‬Mandamentos" MOSHÊ, MOSHÉ, MOSHEH Moisés
MISHLEI [Pr] Livro de Provérbios [provérbios MOSHIA Salvador
de]. Forma plural construta da palavra MOSHIENU Nosso Salvador
mashal [provérbio, parábola] que literal- MOSHIIM Salvadores

N
NAKDIMON Nicodemos NEVIIM [do hebraico ‫ ]נביאים‬ou Profetas; é o
NOACH Noé nome de uma das três seções do Tana-
NETILAT-YADAYIM Ritual de lavar as mãos. ch, estando entre a Torá e Kethuvim.

O
OLAM HAZÊ Este mundo antes da chegada do OLAM RABÁ Mundo vindouro, reino Eterno,
Messias Céu dos céus.

P
PAGA Intercessão P'RUSH Parush, Fariseu;
PAROKHET Cortina. Especificamente a que di- P'RUSHIM: Parushim Fariseus
vidia o Santo dos Santos do restante do P'LISHTI [Pl. P'LISHTIM] filisteu
Templo ou tabernáculo. PÊSSACH Páscoa judaica, páscoa bíblica
PURIM Festa de Purim.

R
RABBAN Título dado ao rabino superior escola de Hilel, que tiveram este título.
(presidente) do Sinédrio, da qual ele é o RABBANIM Rabinos
primeiro dos sete nomeados líderes da RABBI [Pl. RABBIS] Rabino, mestre

114
Glossário

RECHAVAM Roboão RUACH HAKODESH Espírito daquele que é San-


ROSH [Pl: Roshim] líder, Cabeça, to, Espírito Sagrado
RUACH ELOHIM Espírito de D'us
S
SANHEDRIN [Hebr: ‫ ]סנהדרין‬Sinédrio SHAVUOT (do hebraico semanas) Festa de
SANCHERIV Senaqueribe pentecostes, festa das semanas
S'DOM Sodoma SHEKEL [Hebr: ‫[ ]שקל‬Pl: shekels, sheqels,
SOFERIM [Hebr: ‫ ]סופרים‬Escribas, Especialis- sheqalim, Hebr: ‫]שקלים‬, ou siclo em por-
tas da Torá tuguês, refere-se a uma das mais anti-
SHACHARIT [Hebr: ‫]ש ֲח ִרת‬ַ é a Tefilá (oração) gas unidades de peso, utilizada poste-
diária da manhã do povo judeu, um dos riormente como nome da moeda
três momentos de oração de cada dia. É corrente do povo israelita. Este shekel
o fevereiror serviço diário, incluindo possuía cerca de (11,4 gramas).
várias orações, mais do que os outros SHEM Sem, filho de Noach
serviços do dia; culto, liturgia SHEMITÁ [Hebr: ‫ ]שמיטה‬Literalmente "liberta-
SHALOM Paz. Paz dada por D'us; SHALOM ALEI- ção", também chamado de Ano Sabático
CHEM: Paz seja convosco SHEMOT Êxodo (Livro)
SHAPPIRAH Safira; HANANYAH E SHAPPIRAH = SHE'OL [‫ ]שאול‬correspondente ao hades, as ve-
Ananias e Safira zes traduzido por inferno e geena [do he-
SHAMOR VEZAHOR "Zachor" [recorda, lembra- braico ‫הנֹּם‬-‫ן‬
ִ ‫גֵיא ֶב‬, transl. Geh Ben-Hinom]
-te] " e "Shamor" [guarda] que são men- SHIM'ON Simão
cionadas nos dez mandamentos. SHOMRON Samaria, [de Shomron: samaritana(o)]
SHARÁTH Serviço, Ministério SUCOT Festa dos Tabernáculos/Festa das
SHAUL [Hebr:‫ ]שאול‬Saul, Rabi Shaul Apóstolo Paulo Cabanas

T
TALMID [PL: TALMIDIM] Seguidor, discípulo, es- TEFILÁ [Pl: TEFILOT] Oração
tudante; TEHILIM Salmo, louvores.
TALMIDOT Discípulado TERUMÁ ou TERUMAH Oferta
TEFILIN [com raíz do hebraico TEFILÁ] Nome TESHUVÁ [Hebr: ‫תשובה‬, literalmente retorno]
dado a duas caixas pretas, de couro, Conversão; é a prática de voltar às ori-
que contêm pequenos rolos com passa- gens do judaísmo. Também tem o senti-
gens bíblicas em seu interior (Êx 13.1- do de se arrepender dos pecados de ma-
16; Dt 6.4-9; l1.13-21). Durante as ora- neira profunda e sincera. Aquele que
ções na sinagoga, os homens fixam passa pelo processo de Teshuvá com su-
essas caixinhas no braço e na testa, em cesso é chamado de Baal Teshuvá.
obediência a Dt 6:8. São chamados tam- TANAKH ou TANACH [Hebr: ‫ ]תנ״ך‬É um acrôni-
bém de filactérios. Não deve ser usado mo utilizado para denominar seu con-
como adorno religioso (Mt 23.5). junto de livros sagrados Torá, Neviim

115
Glossário

(profetas) Ketuvim (escritos) seníase), o significado moderno atribu-


TEVILÁ ou TEVILAH Imersão ou Batismo, Imer- ído à palavra "lepra".
são em água. TARF OU TREIF Alimento não Kosher (não
T'OMA Tomé. Kasher), A comida que não estiver de
TVERYAH (em hebraico: ‫ ) ְט ֶב ְריָה‬Tiberíades ou acordo com a lei judaica é chamada de
Tiberíade. treif ou treyf (em iídiche: ‫טרייף‬, do hebrai-
TORÁ (TORAH) (do hebraico ‫תּוֹרה‬, ָ Torá signifi- co |‫ט ֵר ָפה‬,
ְ transl. trfáh). Num sentido mais
cando lei, instrução, apontamento). Lei técnico, treif significa "proibido", "dilace-
de D'us. É o nome dado aos cinco pri- rado" e se refere à carne que veio de
meiros livros do Tanach (também cha- qualquer animal que contenha algum
mados de Hamisha Humshei Torá, ‫חמשה‬ defeito que o torne impróprio para o
‫ חומשי תורה‬- as cinco partes da Torá) Cha- abatimento.
mada também de Lei de Moshê (Torat TZDUKIM Saduceus.
Moshê, ‫)תּוֹרת־מ ֶֹשׁה‬,
ַ por vezes o termo TSADIC Homem Justo.
"Torá"; Torat Moshê [‫תּוֹרת־מ ֶֹשׁה‬ ַ ]: lei de TZADIKIM justos.
Moshê, também chamada de lei mosai- TZAROT Mal, Aflições, problemas, preocupações
ca nos termos acadêmicos. TZEDAKÁ [Pl: TZEDAKOT] Caridade, Oferta, fa-
TZARAAT lepra Doença de pele. De modo ge- zer Justiça, Justiça Social.
ral, não se trata do mal de Hansen (han-

V-Y-Z
VEACHAVTA LEREACHA KAMOCHA Amarás a teu YESHUA Jesus, O nome hebraico Yeshua [‫יֵשׁוּע‬/‫]ישוע‬
ַ
próximo como a ti mesmo. é uma forma alternativa de YEHOSHUA, Josué, e
VAYICRÁ "E chamou" em Hebraico, Livro de é o nome completo de Jesus
Levíticos. YESHUÁ Salvação
YARDEN Jordão. YETSER HARÁ Inclinação para o mal, velha
YEHOSHAFAT Josafá natureza, Natureza pecaminosa
YEHORAM Jeorão YETSER HARÁ/TOV Inclinação para o bem,
YEHUDAH Judas; Nova Natureza, Natureza Espiritual
YEHUDAH DE K'RIOT: Judas Iscariotes. YIBUM Levirato
YEHU Jéu. YITSAK ou YITSCHAK Isaque
YAKO'OV Jacó, correspondente em hebraico YOCHANAN João,
para Tiago. YOCHANAN HAMATVIL Yochanan o imersor,
YISHMAEL Ismael. João Batista
YERICHÓ Jericó. YOM HADIN Dia do Juízo
YESHIVÁ [HEBR: ‫[ ]ישיבה‬Pl: Yeshivot] é o nome YOM KIPUR Dia da Expiação
dado às instituições para estudo da YONAH Jonas
Torá e do Talmud dentro do judaísmo YOSHIYAHU Josias
YERUSHALAYIM Jerusalém. ZAKKAI Zaqueu
YESHAYAHU Isaías.
Fontes do glossário: Centro Mundial de Fraternidade Judaico-adventista, Shalom Adventure, BJC, Chabad.
116
Abreviações

Ag Hagai, Ageu Js Iehoshúa, Yhoshua, Josué


Am Amos, Amós Jz Shoftim, Juízes
Ap Revelação, Apocalipse Lm Eikhah, Lamentações
Cr Divrei-HaYamim (Alef, Bet), Crônicas (1Cr, 2Cr) Lv Vayikra, Vaicrá, Levítico
Ct Shir-HaShirim, Cântico dos Cânticos Ml Malakhi, Malaquias
Dn Daniel Mq Mihá, Mikhah, Miqueias
Dt Dvarim, Devarim, Deuteronômio Mt Mattityahu, Mateus
Ec Kohelet, Eclesiastes Na Nachum, Naum
Ed Ezrah, Esdras Ne Nechemyah, Neemias
Es Ester, Ester Ne Neemias
Êx Shemot ou Shmot, Êxodo Ob Ovadiá, Ovadyah, Obadias
Ez Yechezkel, Ezequiel Os Hoshea, Oseias
Gn Bereshit, Breshit, Gênesis Pd Kefa, Pedro (1Pd, 2Pd)
Hb Havacuc, Havakuk, Habacuque Pr Mishlei, Provérbios
Is Ieshaiáhu, Yeshayahu, Isaías Rs Mlakhim (Alef, Bet), Reis (1Rs, 2Rs)
Jd Yhudah, Judas Rt Rut, Rute
Jl Iôel, Yoel, Joel Sf Tsefaniá, Tzfanyah, Sofonias
Jn Ioná, Yonah, Jonas Sl Tehillim, Salmos
Jó Iyov, Jó Sm Shmuel (Alef, Bet), Samuel (1Sm, 2Sm)
Jo Yochanan, João (1Jo, 2Jo, 3Jo) Tg Yaakov, Tiago
Jr Yirmeyahu, Jeremias Zc Zehariá, Zkharyah, Zacarias

117
Horários Acendimento das Velas [ ], Pôr do Sol [ ] e Havdalá [ ] Velas após [-]

Belo Horizonte Campinas Curitiba Florianopolis Fortaleza


Parashá Data
MG SP PR SC CE

19:21 19:40 19:54 19:56 17:31


5/jan
13 Shemot 19:39 19:58 20:12 20:14 17:49

6/jan 20:30 20:48 21:02 21:04 18:40

19:22 19:41 19:54 19:56 17:34


12/jan
14 Va'eira 19:40 19:59 20:12 20:14 17:52

13/jan 20:31 20:49 21:02 21:04 18:40

19:23 19:40 19:54 19:55 17:36


19/jan
15 Bo 19:41 19:58 20:12 20:13 17:54

20/jan 20:20 19:48 21:01 21:03 18:44

19:22 19:39 19:52 19:53 17:37


26/jan
16 Beshalach 19:40 19:57 20:10 20:11 17:55

27/jan 20:29 20:46 20:59 21:00 18:45

19:19 19:36 19:49 19:49 17:37


2/fev
17 Yitro 19:37 19:54 20:07 20:07 17:55

3/fev 20:27 20:44 20:56 20:57 18:45

19:16 19:33 19:45 19:45 17:37


9/fev
18 Mishpatim 19:34 19:51 20:03 20:03 17:55

10/fev 20:24 20:40 20:52 20:52 18:45

19:13 19:28 19:40 19:39 17:36


16/fev
19 Terumah 19:31 19:46 19:58 19:57 17:54

17/fev 20:20 20:35 20:47 20:46 18:44

18:08 18:23 18:34 18:33 17:35


23/fev
20 Tetzaveh 18:26 18:41 18:52 18:51 17:53

24/fev 19:15 19:30 19:41 19:40 18:43

18:03 18:17 18:27 18:26 17:33


2/mar
21 Ki Tisa' 18:21 18:35 18:45 18:44 17:51

3/mar 19:10 19:24 19:34 19:33 18:41

17:57 18:11 18:20 18:18 17:30


9/mar
Vayakhe
22 18:15 18:29 18:38 18:36 17:48
Pekudey

10/mar 19:04 19:18 19:27 19:25 18:38

17:51 18:04 18:13 18:11 17:28


16/mar
23 Vayikra' 18:09 18:22 18:31 18:29 17:46

17/mar 18:58 19:11 19:20 19:18 18:35

17:45 17:57 18:06 18:03 17:25


23/mar
24 Tzav 18:03 18:15 18:24 18:21 17:43

24/mar 18:52 19:04 19:13 19:10 18:33

118
Acendimento das Velas [ ], Pôr do Sol [ ] e Havdalá [ ] Velas após [-] Horários

Belo Horizonte Campinas Curitiba Florianopolis Fortaleza


Parashá Data
MG SP PR SC CE

17:39 17:51 17:59 17:55 17:22


Erev Pessach 30/mar
17:57 18:09 18:17 18:13 17:40

Pessach I 31/mar 18:46 18:58 19:06 19:02 18:30

Pessach II 1/abr 18:45 18:57 19:05 19:01 18:29

119
Horários Acendimento das Velas [ ], Pôr do Sol [ ] e Havdalá [ ] Velas após [-]

Goiânia Manaus Refice Rio de Janeiro São Paulo


Parashá Data
GO AM PE RJ SP

19:37 17:56 17:24 19:24 19:39


5/jan
13 Shemot 19:55 18:14 17:42 19:42 19:57

6/jan 20:45 19:05 18:32 20:33 20:48

19:38 17:59 17:26 19:25 19:40


12/jan
14 Va'eira 19:56 18:17 17:44 19:43 19:58

13/jan 19:46 19:07 18:34 20:33 20:48

19:38 18:01 17:27 19:25 19:40


19/jan
15 Bo 19:56 18:19 17:45 19:43 19:58

20/jan 20:46 19:09 18:36 20:33 20:48

19:38 18:02 17:28 19:23 19:38


26/jan
16 Beshalach 19:56 18:20 17:46 19:41 19:56

27/jan 20:46 19:10 18:36 20:31 20:46

19:36 18:03 17:28 19:21 19:35


2/fev
17 Yitro 19:54 18:21 17:46 19:39 19:53

3/fev 20:44 19:11 18:36 20:28 20:43

19:34 18:02 17:27 19:17 19:32


9/fev
18 Mishpatim 19:52 18:20 17:45 19:35 19:50

10/fev 20:42 19:10 18:35 20:25 20:34

19:31 18:02 17:25 19:13 19:27


16/fev
19 Terumah 19:49 18:20 17:43 19:31 19:45

17/fev 20:38 19:09 18:33 20:20 20:34

18:27 18:00 17:23 18:07 18:22


23/fev
20 Tetzaveh 18:45 18:18 17:41 18:25 18:40

24/fev 19:34 19:08 18:31 19:15 19:29

18:22 17:58 17:20 18:02 18:16


2/mar
21 Ki Tisa' 18:40 18:16 17:38 18:20 18:34

3/mar 19:30 19:06 18:28 19:09 19:23

18:17 17:56 17:17 17:55 18:09


9/mar
Vayakhe
22 18:35 18:14 17:35 18:13 18:27
Pekudey

10/mar 19:25 19:04 18:25 19:02 19:16

18:12 17:54 17:14 17:49 18:02


16/mar
23 Vayikra' 18:30 18:12 17:32 18:07 18:20

17/mar 19:19 18:01 18:21 18:56 19:09

18:07 17:51 17:10 17:42 17:56


23/mar
24 Tzav 18:25 18:09 17:28 18:00 18:14

24/mar 19:14 18:59 18:17 18:49 19:03

120
Acendimento das Velas [ ], Pôr do Sol [ ] e Havdalá [ ] Velas após [-] Horários

Goiânia Manaus Refice Rio de Janeiro São Paulo


Parashá Data
GO AM PE RJ SP

18:01 17:48 17:06 17:35 17:49


Erev Pessach 30/mar
18:19 18:06 17:24 17:53 18:07

Pessach I 31/mar 19:08 18:56 18:14 18:42 18:56

Pessach II 1/abr 19:07 18:55 18:13 18:41 18:55

121
Calendário

2018 | 5778

Janeiro Fevereiro Março Abril


D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 1 2 3 1 2 3 1 2 3 4 5 6 7
7 8 9 10 11 12 13 4 5 6 7 8 9 10 4 5 6 7 8 9 10 8 9 10 11 12 13 14
14 15 16 17 18 19 20 11 12 13 14 15 16 17 11 12 13 14 15 16 17 15 16 17 18 19 20 21
21 22 23 24 25 26 27 18 19 20 21 22 23 24 18 19 20 21 22 23 24 22 23 24 25 26 27 28
28 29 30 31 25 26 27 28 25 26 27 28 29 30 31 29 30

Maio Junho Julho Agosto


D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 1 2 1 2 3 4 5 6 7 1 2 3 4
6 7 8 9 10 11 12 3 4 5 6 7 8 9 8 9 10 11 12 13 14 5 6 7 8 9 10 11
13 14 15 16 17 18 19 10 11 12 13 14 15 16 15 16 17 18 19 20 21 12 13 14 15 16 17 18
20 21 22 23 24 25 26 17 18 19 20 21 22 23 22 23 24 25 26 27 28 19 20 21 22 23 24 25
27 28 29 30 31 24 25 26 27 28 29 30 29 30 31 26 27 28 29 30 31

Setembro Outubro Novembro Dezembro


D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S
1 1 2 3 4 5 6 1 2 3 1
2 3 4 5 6 7 8 7 8 9 10 11 12 13 4 5 6 7 8 9 10 2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15 14 15 16 17 18 19 20 11 12 13 14 15 16 17 9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22 21 22 23 24 25 26 27 18 19 20 21 22 23 24 16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29 28 29 30 31 25 26 27 28 29 30 23 24 25 26 27 28 29
30 30 31

Janeiro

Tevet e Shevat
Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Shabat
‫יום ראשון‬ ‫יום שני‬ ‫יום שלישי‬ ‫יזם דביעי‬ ‫יום חמישי‬ ‫יום שישי‬ ‫שבת‬

1 2 3 4 5 6
‫יד‬ ‫יה‬ ‫יו‬ ‫יז‬ ‫יח‬ ‫יט‬
14 15 16 17 18 19

Parashá Shemot

7 8 9 10 11 12 13
‫כ‬ ‫כא‬ ‫כב‬ ‫כג‬ ‫כד‬ ‫כה‬ ‫כו‬
20 21 22 23 24 25 26

Parashá Va’eira

14 15 16 17 18 19 20
‫כז‬ ‫כח‬ ‫כט‬ ‫א‬ ‫ב‬ ‫ג‬ ‫ד‬
27 28 29 1 2 3 4

Rosh Chodesh Shevat Parashá Bo

21 22 23 24 25 26 27
‫ה‬ ‫ו‬ ‫ז‬ ‫ח‬ ‫ט‬ ‫י‬ ‫יא‬
5 6 7 8 9 10 11

Parashá Beshalach

28 29 30 31
‫יב‬ ‫יג‬ ‫יד‬ ‫יה‬
12 13 14 15

Tu BiShvat

As festividades tem início sempre ao pôr do sol da véspera.

122
Calendário

Fevereiro

Shevat e Adar
Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Shabat
‫יום ראשון‬ ‫יום שני‬ ‫יום שלישי‬ ‫יזם דביעי‬ ‫יום חמישי‬ ‫יום שישי‬ ‫שבת‬

1 2 3
‫יו‬ ‫יז‬ ‫יח‬
16 17 18

Parashá Yitro

4 5 6 7 8 9 10
‫יט‬ ‫כ‬ ‫כא‬ ‫כב‬ ‫כג‬ ‫כד‬ ‫כה‬
19 20 21 22 23 24 25

Parashá Mishpatim

11 12 13 14 15 16 17
‫כו‬ ‫כז‬ ‫כח‬ ‫כט‬ ‫ל‬ ‫א‬ ‫ב‬
26 27 28 29 30 1 2

Rosh Chodesh
Adar Parashá Terumah

18 19 20 21 22 23 24
‫ג‬ ‫ד‬ ‫ה‬ ‫ו‬ ‫ז‬ ‫ח‬ ‫ט‬
3 4 5 6 7 8 9

Parashá Tetzaveh

25 26 27 28
‫י‬ ‫יא‬ ‫יב‬ ‫יג‬
10 11 12 13

Ta'anit Esther
Erev Purim

Março

Adar e Nisan
Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Shabat
‫יום ראשון‬ ‫יום שני‬ ‫יום שלישי‬ ‫יזם דביעי‬ ‫יום חמישי‬ ‫יום שישי‬ ‫שבת‬

1 2 3
‫יד‬ ‫ה‬ ‫יו‬
14 15 16

Purim Shushan Purim Parashá Ki Tasa’

4 5 6 7 8 9 10
‫יז‬ ‫יח‬ ‫יט‬ ‫כ‬ ‫כא‬ ‫כב‬ ‫כג‬
17 18 19 20 21 22 23
Shabat Parah
Parashá Vayakhe
Parashá Pekudey

11 12 13 14 15 16 17
‫כד‬ ‫כה‬ ‫כו‬ ‫כז‬ ‫כח‬ ‫כט‬ ‫א‬
24 25 26 27 28 29 1
Rosh Chodesh Nisan
Shabat HaChodesh
Parashá Vayikra’

18 19 20 21 22 23 24
‫ב‬ ‫ג‬ ‫ד‬ ‫ה‬ ‫ו‬ ‫ז‬ ‫ח‬
2 3 4 5 6 7 8

Shabat HaGadol
Parashá Tzav

25 26 27 28 29 30 31
‫ט‬ ‫י‬ ‫יא‬ ‫יב‬ ‫יג‬ ‫יד‬ ‫יה‬
9 10 11 12 13 14 15

Ta'anit Bechorot
Erev Pesach Pessach I

As festividades tem início sempre ao pôr do sol da véspera.

123
Bençãos Diversas

‫ברכות תורה‬
Bênção para estudo da Torá

Barechu et Adonai Bendizei ao Eterno, ‫ָבּ ְרכוּ ֶאת יהוה‬


hamevorach. que é bendito. �‫ַה ְמב ָֹר‬

Baruch Adonai Bendito seja o Eterno, ‫ָבּרוּ� יהוה‬


hamevorach que é bendito �‫ַה ְמב ָֹר‬
leolam vaed. para todo o sempre. ‫עוֹלם וָ ֶעד‬
ָ ‫ְל‬

Benção anterior à leitura Benção anterior à leitura ‫הברכה שלפני הקריאה׃‬

Baruch ata Adonai Bendito sejas Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬
Elohênu mélech nosso D'us, Rei do �‫�הינוּ ֶ ֽמ ֶל‬ ֽ ֵ ‫ֱא‬
haolam, asher universo, que nos ‫עוֹלם ֲא ֶשׁר‬ ָ ‫ָה‬
báchar bánu escolheu dentre ‫ָ ֽבּ ַחר ָ ֽבּנוּ‬
mikol haamim todos os povos e nos ‫ִמ ָכּל ָה ַע ִמּים‬
venátan lánu et torato. deste a Tua Torá. ‫תּוֹרתוֹ‬
ָ ‫וְ נָ ַתן ָ ֽלנוּ ֶאת‬
Baruch ata Adonai, Bendito sejas Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬
noten hatora. que nos deste a Torá. ‫תּוֹרה‬ָ ‫נוֹתן ַה‬ ֵ
Benção posterior à leitura Benção posterior à leitura ‫ברכה לאחר הקריאה׃‬

Baruch ata Adonai Bendito sejas Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬
Elohênu mélech nosso D'us, Rei do �‫�הינוּ ֶ ֽמ ֶל‬
ֽ ֵ ‫ֱא‬
haolam, asher universo, que nos destes ‫עוֹלם ֲא ֶשׁר‬ ָ ‫ָה‬
nátan lánu torat a Lei da verdade e ‫תּוֹרת‬
ַ ‫ָנ ַֽתן ָ ֽלנוּ‬
emet vechaie olam plantastes a vida ‫עוֹלם‬
ָ ‫ֱא ֶמת וְ ַחיֵּ י‬
nata betochênu. eterna entre nós. ‫תוֹכנוּ‬
ֽ ֵ ‫נָ ַטע ְבּ‬
Baruch ata Adonai, Bendito sejas Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬
noten hatora. que nos deste a Torá. ‫תּוֹרה‬ ָ ‫נוֹתן ַה‬ ֵ

‫ברכות ההפטרה‬
Bênção para estudo da Haftará (profetas)

Benção anterior à leitura Benção anterior à leitura ‫הברכה שלפני הקריאה׃‬

Baruch ata Adonai Bendito és Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬


Elohênu mélech nosso D'us, Rei do �‫�הינוּ ֶ ֽמ ֶל‬ ֽ ֵ ‫ֱא‬
haolam, asher báchar universo, que escolhestes ‫עוֹלם ֲא ֶשׁר ָ ֽב ַחר‬ ָ ‫ָה‬
bineviim tovim bons profetas ‫יאים טו ִׂבים‬ ִ ‫ִבּנְ ִב‬
veratsa bedivrehem e que quisestes Suas ‫יהם‬ ֶ ‫וְ ָר ָצא ְב ִד ְב ֵר‬
haneemarim palavras ditas ‫ַהנֶּ ֱא ָמ ִרים‬
beemet. verdadeiramente. ‫ֶבּ ֱא ֶמת‬
Baruch ata Adonai, Bendito sejas Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬
habocher batora que escolhestes a Torá, ‫ַהבּו ֵׂחר ַבּתּו ָׂרה‬
uvemoshe avdo Teu servo Moshê, Teu ‫וּבמ ֶֹשׂה ַע ְבדּוֹ‬ ְ
uveisrael amo uvinvie povo de Israel e profetas ‫יאי‬
ֵ ‫וּבנְ ִב‬
ִ ‫וּביִ ְשׂ ָר ֵאל ַעמּוֹ‬ ְ
haemet vehatsédek. da verdade e da justiça. ‫ָה ֱא ֶמת וְ ֶצּ ֶדק‬

124
Bençãos Diversas

Benção posterior à leitura Benção posterior à leitura ‫ברכה לאחר הקריאה׃‬

Baruch ata Adonai Bendito és Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬


Elohênu mélech nosso D'us, �‫להינוּ ֶ ֽמ ֶל‬ ֽ ֵ ‫ֱא‬
haolam, Rei do universo, ‫עוֹלם‬
ָ ‫ָה‬
tsur kol haolamim, rocha de todos os ‫עוֹל ִמים‬ ָ ‫צוּר ָכּל ָה‬
tsadik bechol hadorot, mundos, justo em todas as ‫ַצ ִדּיק ְבּ ָכל ַהדּוֹרוֹת‬
hael haneeman, haomer gerações. D'us fiel que ‫אוֹמר‬
ֵ ‫ָה ֵאל ַהנֶּ ֱא ָמן ָה‬
veosse, hamedaber realiza o que anuncia, que ‫עוֹשׂה ַה ְמ ַד ֵבּר‬ ֶ ְ‫ו‬
umekaiem, shechol promete e cumpre, e que ‫וּמ ַקיֵּ ם ֶשׁ ָכּל‬ ְ
devarav emet vatsédek. todas as Suas palavras são ‫ְדּ ָב ָריו ֱא ֶמת וָ ֶ ֽצ ֶדק‬
Neeman ata hu Adonai verdade e justiça. Fiel és ‫נֶ ֱא ָמן ַא ָתּה הוּא יהוה‬
Elohênu veneemanim Tu, ó Eterno, nosso D'us, ‫�הינוּ וְ נֶ ֱא ָמנִ ים‬ ֵ ֽ ‫ֱא‬
devarêcha, vedavar e fiéis são as Tuas ‫ְדּ ָב ֶ ֽרי� וְ ָד ָבר‬
echad midevarêcha promessas, e nenhuma �‫ֶא ָחד ִמ ְדּ ָב ֶרי‬
achor lo iashuv sequer das Tuas palavras ‫ָאחוֹר לא יָ שׁוּב‬
rekam,ki El mélech jamais se tornará vã, �‫ֵר ָיקם ִכּי ֵאל ֶ ֽמ ֶל‬
neeman verachaman pois és Eterno e Rei fiel e ‫נֶ ֱא ָמן וְ ַר ֲח ָמן ָא ָתּה‬
áta. Baruch ata misericordioso. Bendito ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה‬
Adonai, hael sejas Tu, Eterno, Eterno ‫יהוה ָה ֵאל‬
haneeman bechol que é fiel em todas as ‫ַהנֶּ ֱא ָמן ְבּ ָכל‬
devarav Suas palavras. ‫ְדּ ָב ָריו‬

‫ברכות הברית החדשה‬


Bênção para estudo da Brit Chadashá

Benção anterior à leitura Benção anterior à leitura ‫הברכה שלפני הקריאה׃‬

Baruch ata Adonai Bendito és Tu, Eterno, ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬


Elohênu mélech nosso D'us, Rei do �‫�הינוּ ֶ ֽמ ֶל‬ֽ ֵ ‫ֱא‬
haolam, asher natan universo, que deu-nos ‫עוֹלם ֲא ֶשׁר ָ ֽב ַחר‬ ָ ‫ָה‬
lánu Mashíach Yeshua, o Messias Yeshua ‫ישׁוּע‬
ַ ‫יח‬ַ ‫ָ ֽלנוּ ָמ ֽׅשׁ‬
vehadiberot shel habrit e os mandamentos da ‫וְ ַה ׅדבּרוֹת ָשׁל ַה ְבּ ׅדית‬
Chadashá. Baruch ata Nova Aliança. Bendito ‫ַח ָד ָשׁה ָבּרוּ� ַא ָתּה‬
Adonai noten habrit sejas Tu, Eterno, que nos ‫נוֹתן ַח ְבּרית‬ ֵ ‫יהוה‬
haChadashá. deste a Nova Aliança. ‫ַה ַח ָד ָשׁה‬
Benção posterior à leitura Benção posterior à leitura ‫ברכה לאחר הקריאה׃‬

Baruch ata Adonai Bendito és Tu, Eterno, nosso ‫ָבּרוּ� ַא ָתּה יהוה‬
Elohênu mélech haolam, D'us, Rei do universo, ‫עוֹלם‬
ָ ‫�הינוּ ֶ ֽמ ֶל� ָה‬ ֽ ֵ ‫ֱא‬
asher natan lánu que deu-nos a palavra da ‫ֲא ֶשׁר ָ ֽב ַחר ָ ֽלנוּ‬
hadevar haemet, verdade e plantou a vida ‫ַה ְד ַבר ָׅה ֱא ֶמת‬
vechaie olam nata eterna em nosso meio. ‫עוֹלם נָ ַטע‬ָ ‫וְ ַחיֵּ י‬
betochênu. Baruch ata Bendito sejas ‫תוֹכנוּ ָבּרוּ� ַא ָתּה‬ ֽ ֵ ‫ְבּ‬
Adonai noten habrit Tu, Eterno, que nos deste ‫נוֹתן ַה ְבּ ׅרית‬
ֵ ‫יהוה‬
haChadashá. a Nova Aliança. ‫הם‬
ְ ‫ַה ַח ָד ָשׁ‬

125
Oceano
E.U.A.

126
Atlântico

Havana BAHAMAS
MÉXICO
CUBA
TURCOS E CAICOS
Cidade ILHAS ILHAS VIRGENS BRITÂNICAS
DIVISÃO

do México REP. DOM. 1


CAYMAN HAITI ANGUILLA
JAMAICA PORTO RICO
3 ANTÍGUA E BARBUDA
ILHAS VIRGENS
BELIZE S. CRISTOVÃO E NÉVIS GUADALUPE
CONGREGAÇÕES MEMBROS POPULAÇÃO
MONTSERRAT DOMINICA
Divisão 1 144 0
Atlântico Caribenha 85 32.344 482.000 MARTINICA
HONDURAS
Belizenha 91 42.814 378.000 GUATEMALA ST. LÚCIA
Caribenha 620 236.257 3.768.000 S. VINCENTE E
EL SALVADOR NICARÁGUA GRANADINAS
Central Mexicana 227 80.179 44.802.526
ANTILHAS BARBADOS
Cubana 325 33.158 11.208.000 ARUBA GRANADA
HOLANDESAS
Dominicana 792 313.245 10.630.000
Guiana-Antilhas Francesas 147 31.763 1.085.000 2
TRINIDAD
Guatemalteca 896 247.913 16.554.000 E TOBAGO
Holandesa Caribenha 38 8.970 291.000 COSTA RICA Caracas
Haitiana 573 442.913 11.093.000
PANAMÁ
Hondurenha 459 172.123 8.200.000 Georgetown
Interoceânica Mexicana 1.509 200.872 30.022.709 VENEZUELA
Jamaicana 677 296.793 2.732.000 Paramaribo
Leste Venezuelana 559 160.639 15.787.555 Bogotá GUIANA
Chiapas Mexicana 1.113 217.729 6.611.685
Norte-Colombiana 886 100.015 20.811.622 SURINAME GUIANA
Norte-Mexicana 632 148.877 41.393.778 FRANCESA
Inter-Americana

Oeste Venezuelana 599 153.970 15.241.455 COLÔMBIA


Panamenha 324 73.459 4.041.000
Porto-Riquenha 310 32.875 3.451.000
Salvadorenha 754 198.124 6.408.000
Sul-Colombiana 716 158.597 27.950.378
Sul da América Central 511 215.942 11.218.000 EQUADOR
Sudeste Mexicana 516 92.151 5.801.303
BRASIL
PERU
TOTAL 13.360 3.691.950 299.929.000

PROJETOS
&HQWURGH,QȵX¬QFLDH&HQWURGH(VWXGRVGD%¯EOLDQD Oceano
1 Universidade Adventista das Antilhas,
em Mayaguez, Porto Rico.

Congregação na Universidade do Sul do Caribe,


3DF¯ȲFR
2
em Marcas, Trinidad e Tobago.

Prédio par Centro Comunitário, no Hospital Adventista


3
do Sudeste, em Villahermosa, no México.

Reparação do mundo: administração da vida | Tikun Olam | ‫תיקון עולם‬