Você está na página 1de 30

LÍNGUA PORTUGUESA – QUESTÕES COMENTADAS

(1) Levando em consideração o contexto atribuído pelos enunciados, empregue


corretamente um dos termos entre parênteses propostos pelas alternativas.

I. A falta de tempo deixou o autor do texto em __________ (cheque/xeque).

II. O autor do texto deveria visitar mais a sua mãe, curtir o interior, colocar uma
_____________ no cavalo e passear pela mata. (cela/sela).

III. O autor do texto precisa assistir a algum filme na ______ das dez.
(seção/sessão/cessão)

A sequência correta é:
a) Xeque, cela, cessão
b) Cheque, sela, sessão
c) Xeque, cela, seção
d) Xeque, sela, sessão.
e) Cheque, cela, seção.
GABARITO: D

Cheque -> é uma ordem de pagamento ou uma conjugação do verbo checar


Xeque -> da expressão "por em xeque", que significa colocar alguém em uma posição
desconfortável

Cela ->Cadeia
Sela ->Segura peão

Sessão -> reunião ou assembleia


Cessão ->Ceder algo
Seção -> Repartição, repartir.

(2) A palavra “despossuídos” recebe acento gráfico pelo mesmo motivo que:

a) aí.
b) décadas.
c) fúteis.
d) literária.
e) nós.
GABARITO: A

A palavra "des-pos-su-í-dos" é acentuada pela regra do hiato ("i" ou "u" tônico seguido ou não
de "s" quando há o encontro de duas letras com sons vocálicos, em uma mesma palavra, e em
sílabas diferentes).

A palavra "a-í" é acentuada pela regra do hiato. Por isso, é o gabarito da questão.
A palavra "dé-ca-das" é acentuada pela regra das proparoxítonas. As proparoxítonas são todas
acentuadas graficamente.

As palavras "fú-teis" e "li-te-rá-ria" são acentuadas pela regra das paroxítonas. Acentuam-se as
paroxítonas terminadas em: l, n, r, ps, x, us, i, is, om, ons, um, uns, ã(s), ão(s) e ditongo oral
(seguido ou não de s).

Observação:

1) As paroxítonas terminadas em "n" são acentuadas (hífen), mas as que terminam em "ens",
não (hifens, jovens).
2) Não são acentuados os prefixos terminados em "i "e "r" (semi, super).
3) Acentuam-se as paroxítonas terminadas em ditongos crescentes: ea(s), oa(s), eo(s), ua(s),
ia(s), ue(s), ie(s), uo(s), io(s).

A palavra "nós" é acentuada pela regra do monossílabo tônico.

(3) As palavras que apresentam a mesma regra de acentuação gráfica são:

a) econômica, será, verídica.


b) públicas, filósofo, país.
c) últimos, presídios, aliás.
d)área, notícia, sábio.
e) árvore, fácil, sofá.
GABARITO: D

As palavras área, notícia e sábio apresentam a mesma regra de acentuação gráfica, pois são
paroxítonas terminadas em ditongo crescente.Vejamos as regras das outras palavras:
Eonômica(e-co-nô-mi-ca) - proparoxítona;
Será (se-rá) - oxítona terminada em A;
Verídica (ve-rí-di-ca) - proparoxítona;
Públicas (pú-bli-cas) - proparoxítona;
Filósofo (fi-ló-so-fo) - proparoxítona;
País (pa-ís) - regra do hiato;
Últimos (úl-ti-mos) - proparoxítona;
Presídios (pre-sí-dios) - paroxítona terminada em ditongo oral;
Aliás (a-li-ás) - oxítona terminada A seguido de S.
(4) Em qual das alternativas há um erro quanto ao uso do sinal indicador da crase?

a) Permanecia aberta, toda a noite, a porta da taberna.


b)A noite, descia e encaminhava-se à porta da taberna.
c) Dias antes, batera à porta da taberna, às pressas e inconsolável.
d) Esbarrou, o fogareiro às mãos, na porta da taberna.
e) Dirigiu-se à taberna cuja porta permanecia aberta.
GABARITO: B

A forma correta é 'À noite', pois as locuções adverbiais femininas de tempo, modo ou lugar
recebem crase.Exemplos: à toa (modo), às claras (modo), às pressas (modo), à direita (lugar), à
esquerda (lugar), à noite (tempo), à tarde (tempo), etc.

Outras locuções que também recebem o acento indicativo do fenômeno da crase:

Locuções conjuntivas: à medida que, à proporção que.

Locuções prepositivas: à beira de, à espera de, à procura de, à moda de, à maneira de, etc.

(5) Sabendo-se que o acento grave marca a crase e que esta é o fenômeno de fusão de
duas vogais idênticas, o acento grave está empregado de acordo com a norma-padrão em:

a) A viagem foi à convite da empresa.


b) O comandante fez alusão à aviação.
c) O governador de SP veio à Brasília.
d) A família chegou à comprar as passagens.
e) A elevação da temperatura provoca à turbulência.
GABARITO: B

A alternativa A está incorreta, pois não se usa crase antes de palavra masculina (convite).

O erro da alternativa C pode ser percebido pela regrinha: ‘quem vai e volta da, crase há’.
‘Quem vai e volta de, crase pra que?’ Quem vai a Brasília, volta de Brasília, não havendo crase,
já que Brasília não pede artigo. Já quem vai à Bahia, volta da Bahia, havendo crase.

A assertiva D está errada, pois não há crase antes de verbos, palavras que não pedem artigo.

Já na alternativa E, o verbo provocar não pede preposição (verbo transitivo direto), não
havendo crase.
(6) Leia as frases:

O máximo de liberdade possível, ________ que se acreditava na época, era uma jovem
solteira viajar com amigos.
Para o autor, os alimentos calóricos, __________ quais os adolescentes fogem, são uma
delícia.

As lacunas das frases devem ser preenchidas, correta e respectivamente, pelas


preposições:

a)a … dos
b)a … com os
c)de … aos
d)em … dos
e)em …. Aos
GABARITO: D

Acreditar é verbo transitivo indireto, pois quem acredita, acredita em algo.

Fugir também é verbo transitivo indireto, pois quem foge, foge de algo (de + os = dos).

(7) Depois que comecei a tuitar diariamente, não consigo mais escrever os relatórios com
perfeição.
As expressões destacadas apresentam, respectivamente, as circunstâncias de:

a) tempo e de modo.
b) tempo e de intensidade.
c) modo e de afirmação.
d) modo e de intensidade.
e) afirmação e de modo.
GABARITO: A

A palavra "diariamente" denota tempo, enquanto que a expressão "com perfeição" denota
modo (de modo perfeito ou perfeitamente).

(8) Em qual dos trechos a seguir há uma INADEQUAÇÃO de regência verbal, tomadas as
normas da gramática tradicional como padrão de correção?

a) [...] Édipo acabou tornando-se rei de Tebas [...].


b) [...] que se inicia na infância e termina na decadência da velhice [...].
c) [...] por serem incapazes de responder a uma pergunta tão elementar.
d) Talvez eles não lembrassem mais da infância [...].
e) [...] cujas águas seriam capazes de rejuvenescer aqueles que as bebessem.
GABARITO: D

Os verbos ESQUECER e LEMBRAR, quando pronominais, regem preposição. Assim, lembrar-se


e esquecer-se são verbos transitivos indiretos, de modo que o correto seria:

Talvez ele não se lembrasse mais da infância.


O verbo lembrar também pode ser verbo transitivo direto, ocasião em que não exigirá
preposição: "Talvez eles não lembrassem mais a infância."

(9) Assinale a alternativa em que a expressão destacada a seguir está empregada em


DESACORDO com as recomendações da norma gramatical.

a) [...] aumentar [...] a sua expectativa de vida, através de melhor nutrição [...].
b) [...] ao meio-dia tem dois e à tarde tem três [...].
c) Tudo no universo está sujeito à segunda lei da termodinâmica [...].
d)[...] que determina o fluxo do tempo e traz a velhice.
e) [...] mítica “fonte da juventude”, cujas águas seriam capazes de rejuvenescer [...].

GABARITO: A

De acordo com a norma culta, a expressão "através de" não guarda o mesmo significado da
expressão "por meio de".

A palavra “através” é classificada como um advérbio e significa “aquilo que passa de modo
transversal”, “que se pode atravessar”. Pode ser substituída pela palavra “transversalmente”
sem que haja prejuízo de sentidos. Sendo assim, fica claro que a locução “através de” possui
significado ligado a movimento físico, porque indica a ideia de atravessar. Exemplo: O cachorro
passou através da brecha no portão.

Já a locução “por meio de” significa “por intermédio de” e está relacionada à ideia de
instrumento, instrumento esse utilizado na execução de determinada ação. Exemplo: A
empresa comunica-se com seus funcionários por meio de e-mails.

Assim, incorreto o emprego da expressão "através de" na alternativa A.

(10) No trecho "Educai as crianças e não será preciso punir os homens.”, o verbo
destacado tem o sentido de:

a) conselho.
b) permissão.
c) decreto.
d) dúvida.
e) autorização.
GABARITO: A

O verbo educar está no imperativo afirmativo, podendo expressar uma ordem, desejo, súplica,
pedido, sugestão, conselho ou recomendação. O gabarito, portanto, é a alternativa A.
(11) “Temos uma notícia triste: o coração não é o órgão do amor.”

Nesse caso, o emprego dos dois pontos se justifica porque:

a)se esclarece a seguir o sentido de palavras anteriores.


b) é explicada uma afirmação precedente.
c) se mostra a conclusão de um raciocínio.
d) se explicita o termo “notícia triste”.
e) se retifica um erro cometido.
GABARITO: D

Um dos usos dos dois pontos é para indicar um esclarecimento, resultado ou resumo.
Explicitar significa tornar explícito, claro ou evidente. Assim, correta está a alternativa D.

(12) Assinale a alternativa correta quanto à concordância verbal e nominal prevista pela
norma-padrão.

a) Os testes para verificar se a emissão de gases poluentes eram adequadas foram


falsificados pela montadora.
b) A sustentabilidade é essencial para corporações que desejam estar alinhadas com as
expectativas dos consumidores.
c) Os investidores, antes de aplicar seu dinheiro nas empresas, analisa se elas seguem
padrões administrativo corretos.
d) Eficiência econômica, justiça social e governança corporativa são valores, hoje em dia,
muito prestigiado pela sociedade.
e) A honestidade e a eficiência na gestão administrativa têm sido imprescindível para os
consumidores conscientes dos seus direitos.
GABARITO: B

Questão sobre concordância verbal e nominal. Vejamos as frases corrigidas:

(a)Os testes para verificar se a emissão de gases poluentes eram adequadas foram falsificados
pela montadora.
(c)Os investidores, antes de aplicar seu dinheiro nas empresas, analisam se elas seguem
padrões administrativos corretos.
(d)Eficiência econômica, justiça social e governança corporativa são valores, hoje em dia, muito
prestigiados pela sociedade.
(e)A honestidade e a eficiência na gestão administrativa têm sido imprescindíveis para os
consumidores conscientes dos seus direitos.
(13) De acordo com a concordância verbal estabelecida pela norma-padrão, está correta a
alternativa:

a) Para o autor, não existe cirurgias e aplicação de botox que esconda a idade quando se
emprega gírias ultrapassadas na comunicação.
b) Para o autor, não existe cirurgias e aplicação de botox que escondam a idade quando
se empregam gírias ultrapassadas na comunicação.
c) Para o autor, não existem cirurgias e aplicação de botox que escondam a idade quando
se empregam gírias ultrapassadas na comunicação.
d) Para o autor, não existem cirurgias e aplicação de botox que esconda a idade quando
se emprega gírias ultrapassadas na comunicação.
e) Para o autor, não existem cirurgias e aplicação de botox que escondam a idade quando
se emprega gírias ultrapassadas na comunicação.
GABARITO: C

Para o autor, não existem cirurgias e aplicação de botox que escondam a idade quando se
empregam gírias ultrapassadas na comunicação.

O sujeito da forma verbal "EXISTEM" é cirurgias e aplicação de botox.

O sujeito da forma verbal "ESCODAM" é o pronome relativo "que" o qual retoma o termo
cirurgias e aplicação de botox.

O sujeito da forma verbal "EMPREGAM" é o termo gírias ultrapassadas.

(14) O verbo que pode ser flexionado em uma forma do plural, sem prejuízo da correção e
sem que nenhuma outra modificação seja feita no segmento , encontra-se destacado em

a) A maior parte das pessoas sente-se mal quando...


b) É claro que isso depende de termos atingido...
c) ...cada um de nós parece ter uma velocidade ideal...
d) A serenidade corresponde a um estado de espírito no qual...
e) O termo serenidade costuma estar associado a mais de um significado...
GABARITO: A

O termo no plural (das pessoas) consiste no sujeito “coletivo partitivo” e está associado com o
núcleo do sujeito no singular, que expressa quantidade (parte, maioria).Quando isso ocorre, a
concordância pode ser feita tanto com o núcleo do sujeito (maior parte), ocasião em que ficará
no singular,quanto com o substantivo após o núcleo, ocasião em que ficará no plural.

Ressalta-se que é preferível pela norma culta a concordância verbal no SINGULAR.


(15) A concordância nominal está de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa,
em:

a) São as comissárias mesmo que servem o café.


b) Segue anexa a passagem aérea que solicitou.
c) Considero bastantes desconfortáveis aquelas poltronas.
d)As milhares de pessoas prejudicadas vão reclamar dessa companhia aérea.
e) É proibido a chamada da comissária durante a decolagem.
GABARITO: B

São as comissárias mesmas que servem o café. (concorda gênero e número com o substantivo)

Considero bastantesdesconfortáveis aquelas poltronas.(bastante é advérbio e é invariável)

Os milhares de pessoas prejudicados vão reclamar dessa companhia aérea.(milhares é numeral


e substantivo masculino e deve concordar com OS)

É proibida a chamada da comissária durante a decolagem. ("é proibido" é invariável, mas se


vier acompanhado de artigo concorda com o substantivo)

(16) Assinale a alternativa que apresenta um enunciado elaborado CORRETAMENTE, de


acordo com as regras vigentes de concordância.

a) Ainda que exista muitas normas na língua, nem todas elas são normas prestigiadas.
b) Na gênese de uma gramática normativa, tem que ser considerado muitos fatores
diferentes.
c) Gramáticas normativas haviam sido escritas muito antes de o Brasil existir como nação.
d) Não resta dúvidas de que novos compêndios gramaticais serão lançados em nosso país.
e)O ensino de regras normativas de gramática vêm sendo privilegiado em nossa
sociedade.
GABARITO: C

A alternativa C está correta, pois o verbo haver só fica no singular quando tiver o sentido de
existir/acontecer. Vejamos as demais alternativas:

Ainda que existam muitas normas na língua, nem todas elas são normas prestigiadas.

Na gênese de uma gramática normativa, têm que ser considerado muitos fatores diferentes.

Não restam dúvidas de que novos compêndios gramaticais serão lançados em nosso país.

O ensino de regras normativas de gramática vem sendo privilegiado em nossa sociedade.


(17) O seguinte período atende plenamente às exigências de regência verbal da norma-
padrão da língua portuguesa:

a) Um amigo que gosto muito chegará de Lisboa hoje.


b) O meio mais seguro que dispomos para viajar é o avião.
c) A passagem cuja confirmação está pendente terá de ser trocada.
d) O guia que simpatizamos estará conosco no próximo passeio.
e) O funcionário cujo nome não me lembro recuperou minha bagagem.
GABARITO: C

A alternativa C está correta, pois a locução "terá de trocar" é de transitividade direta e não
havendo preposição regente. Vejamos as outras assertivas:

Um amigo de que gosto muito chegará de Lisboa hoje. (Quem gosta, gosta de algo)

O meio mais seguro de que dispomos para viajar é o avião. (Quem dispõe, dispõe de algo)

O guia com que simpatizamos estará conosco no próximo passeio. (Quem simpatiza, simpatiza
com)

O funcionário de cujo nome não me lembro recuperou minha bagagem. (Verbo pronominal:
Quem se lembra, se lembra de)

(18) Está escrita com clareza e correção, de acordo com a norma-padrão da língua, a
seguinte frase:

a) Moacyr Scliar passou a maior parte de sua infância no Bom Fim, bairro porto-alegrense
aonde a maioria dos emigrantes judeus, escolheram para morar.
b) Nascido em Porto Alegre, em 23 de março de 1937, a obra de Moacyr Jaime Scliar trata
de temas referente à problemática da vida contemporanea.
c) Os pais de Moacyr Scliar, José e Sara, eram europeus que migrarão para a América do
Sul no começo do século 20 buscando, uma vida melhor.
d) O escritor Moacyr Scliar destacou-se, especialmente, como exímio contista, capaz de
elaborar textos densos e impactantes que suscitam a reflexão.
e) Além de seus livros, Moacyr Scliar estudou medicina na Universidade Federal do Rio
Grande do Sul, a qual serviu de assunto à algumas de suas histórias.
GABARITO: D

Moacyr Scliar passou a maior parte de sua infância no Bom Fim, bairro porto-alegrense,
ONDEa maioria dos Imigrantes judeus ESCOLHERAM/ESCOLHEU para morar.

Como já vimos em questão anterior, quando o sujeito é formado por uma expressão partitiva
(parte de, uma porção de, o grosso de, metade de, a maioria de...) seguida de um substantivo
ou pronome no plural, o verbo pode ficar no singular ou no plural.

Nascido(ambiguidade:a obra ou Moacyr nasceu em 1937?), em Porto Alegre, em 23 de março


de 1937, a obra de Moacyr Jaime Scliar trata de temas referenteS à problemática da vida
contemporânea.
Os pais de Moacyr Scliar, José e Sara, eram europeus que MIGRARAM para a América do Sul,
no começo do século 20, buscando (sem vírgula separando verbo do complemento) uma vida
melhor.

Além de seus livros, Moacyr Scliar estudou medicina na Universidade Federal do Rio Grande do
Sul, a qual serviu de assunto A algumas de suas histórias.

Não há crase antes de pronome indefinido.

(19) Atendendo à norma-padrão na variedade formal da língua, o pronome oblíquo átono


está corretamente colocado em:

a)Farei-lhe uma proposta de viagem irrecusável.


b) Quero que acompanhem-me nessa viagem de férias.
c) Não nos traga a refeição durante período de turbulência, por favor.
d) Em tratando-se de qualidade, aquela companhia aérea é imbatível!
e) Se aproximem do portão de embarque, senhores passageiros do voo 2189.

GABARITO: C

Farei-lhe uma proposta de viagem irrecusável.

O verbo conjugado no futuro(farei = futuro do presente do indicativo) não aceita ênclise.


Como se trata de início de período, a próclise também não será aceita, portanto resta a
mesóclise: Far-lhe-ei uma proposta...

Quero que acompanhem-me nessa viagem de férias.

O termo que é uma palavra atrativa, sendo correto: "Quero que ME acompanhem..."

Não nos traga a refeição durante período de turbulência, por favor.

"Não" também é uma palavra atrativa, estando correta a colocação do pronome.

Em tratando-se de qualidade, aquela companhia aérea é imbatível!

Haverá próclise com verbo no gerúndio antecedido de preposição EM: Em SE tratando de


qualidade...

Se aproximem do portão de embarque, senhores passageiros do voo 2189.

Não se usa "se" no início da oração. O correto seria: Aproximem-SE do portão...


(20) O termo destacado foi utilizado na posição correta, segundo as exigências da norma-
padrão da língua portuguesa, em:

a)A poluição do ar será irreversível, caso as medidas preventivas esgotem-se.


b) Os cientistas nunca equivocaram-se a respeito dos perigos do uso de combustível
fóssil.
c) Quando as substâncias tóxicas alojam-se no meio ambiente, causam danos aos seres
vivos.
d) Se as fontes de energia alternativa se esgotarem, poderemos sofrer sérias
consequências.
e) Uma das exigências do mundo atual é que o ser humano sempre mantenha-se em dia
com as atividades físicas.
GABARITO: D

A poluição do ar será irreversível, caso as medidas preventivas esgotem-se.

A conjunção subordinativa (caso) atrai o pronome ocorrendo próclise.

Os cientistas nunca equivocaram-se a respeito dos perigos do uso de combustível fóssil. -

Palavras de sentido negativo (nunca) atraem o pronome ocorrendo próclise.

Quando as substâncias tóxicas alojam-se no meio ambiente, causam danos aos seres vivos. -

Conjunção subordinativa (quando) atrai o pronome ocorrendo próclise.

Se as fontes de energia alternativa se esgotarem, poderemos sofrer sérias consequências. -

Conjunção subordinativa (se) atrai o pronome ocorrendo próclise

Uma das exigências do mundo atual é que o ser humano sempre mantenha-se em dia com as
atividades físicas.

Advérbio (sempre) atrai o pronome ocorrendo próclise.

(21) Assinale a alternativa cuja frase contém apenas palavras empregadas em sentido
próprio.

a) O ônibus da excursão subia lentamente a serra. Ele, um dos garotos no meio da


garotada em algazarra...
b) Era a vida voltando, e com esta encharcou todo o seu interior arenoso até se saciar.
c) ...deixava a brisa fresca bater-lhe no rosto e entrar-lhe pelos cabelos com dedos
longos...
d) ...e seus olhos saltavam para fora da janela, procurando a estrada, penetrando entre os
arbustos...
e) Sofreu um tremor que [...] se iniciou bem dentro dele e tomou-lhe o corpo todo
estourando pelo rosto em brasa viva.
GABARITO: A

A alternativa A é a que apresenta palavras somente em sentido literal, próprio. Veja que o
ônibus sobe literalmente uma serra e os garotos literalmente ficam em algazarra.
Na alternativa B, a expressão “encharcou todo o seu interior arenoso” marca uma linguagem
conotativa.

Na alternativa C, a personificação percebida nas expressões “brisa fresca bater-lhe no rosto” e


“entrar-lhe pelos cabelos com dedos longos” marca a linguagem conotativa, figurada.

Na alternativa D, os olhos não saltam literalmente. Assim, houve linguagem conotativa.

Na alternativa E, as palavras “estourando” e “brasa viva” estão sendo empregadas em sentido


conotativo, figurado.

(22) Assinale a alternativa cuja frase contém palavras empregadas em sentido figurado,
no contexto em que se encontram.

a) Corri em volta do parque Buenos Aires e do cemitério da Consolação...


b) O Ibirapuera, o parque do Estado, o Jardim da Luz são uns raros respiros perdidos entre
o mar de asfalto...
c) ...parque noturno com bastante gente, quase nenhum carro e propício a todo tipo de
atividades...
d) Lá em Cotia, no fim da tarde, eu corria em volta de um lago, desviando de patos...
e) É o que vemos nas avenidas abertas aos pedestres, nos fins de semana...
GABARITO: B

Na alternativa B, há conotação (sentido figurado) em dois casos: (i) ao descrever os parques


como "raros respiros" e (ii) ao empregar "mar de asfalto".

(23)“Aos 20 anos escreveu suas memórias. Daí por diante é que começou a viver.
Justificava-se:
– Se eu deixar para escrever minhas memórias quando tiver 70 anos, vou esquecer muita
coisa e mentir demais. Redigindo-as logo de saída, serão mais fiéis e terão a graça das
coisas verdes”.
ANDRADE, C. D. de. Contos plausíveis.

A construção dos parágrafos acima configura uma estrutura predominantemente:

a) descritiva, com predomínio de fatos.


b) enumerativa, com apenas um narrador.
c) narrativa, com a presença de dois narradores.
d) comparativa, com predomínio do passado.
e) dissertativa, com explicitação de acontecimentos.
GABARITO: C

A narração é marcada pela existência de personagens e por verbos conjugados no pretérito.


Além disso, existem 2 narradores: Carlos Drumond e o próprio personagem que origina a fala.
(24)“Casas construídas em áreas próximas de córregos e rios também estão sujeitas a
alagamentos quando há muita chuva em um período curto de tempo. Além disso, por
conta dos esgotos que muitas vezes são jogados nos rios, as pessoas que vivem
nesseslocais ficam sujeitas a contrair doenças.”

Todos os termos sublinhados estabelecem coesão com termos anteriores. Assinale a


opção que indica o referente anterior de forma adequada

a) Casas / nesses locais


b) disso / construção de casas próximas de córregos e rios
c) que / esgotos
d) que / casas
e) nesses locais / áreas próximas de córregos e rios
GABARITO: C

O pronome relativo que tem função anafórica, ou seja, retoma um termo anterior (esgoto),
estando correta a alternativa C.

A alternativa E pode suscitar dúvidas, mas a expressão "nesses locais" se refere a "casas
construídas em áreas próximas de córregos e rios", e não a "áreas próximas de córregos e
rios".

(25) Em São Paulo diz-se “bexigas”, enquanto no Rio de Janeiro diz-se “balões”.

Essa diferença é um exemplo de

a) linguagem coloquial.
b) gíria.
c) regionalismo.
d) linguagem erudita.
e) arcaísmo.
GABARITO: C

Vejamos a diferença entre linguagem coloquial e regionalismo:

A linguagem coloquial, informal ou popular é uma linguagem utilizada no cotidiano em que


não se exige a observância total da gramática, de modo que haja mais fluidez na comunicação
feita através de jornais, revistas e principalmente num diálogo.

Já o regionalismo consiste no emprego de palavras ou expressões peculiares em determinadas


regiões.
TRADIÇÕES NAVAIS– QUESTÕES COMENTADAS

(26) Dentre as expressões corriqueiras da Marinha, a que denomina o superior, Oficial ou


Praça, que é exigente na observância das normas e regulamentos, bem como na execução
das fainas e tarefas, por si e pelos subordinados, é:

a) voga larga.
b) safa onça.
c) onça.
d) rosca fina.
e) safo.
GABARITO: D

Na gíria maruja, muitas expressões externam o universal bom humor ou espirituosidade que
caracterizam os homens do mar. As expressões “rosca fina”, e “voga larga” são alguns
exemplos:

“Rosca fina” (ou ainda “voga picada”) denomina o superior, Oficial ou Praça, que é exigente na
observância das normas e regulamentos, bem como na execução das fainas e tarefas, por si e
pelos subordinados. O antônimo é o “voga larga”. A origem de "rosca fina" está no “aperto”,
na “pressão” impressa pelo chefe, comparada pelo marinheiro a do parafuso com rosca fina -
que “aperta mais”.

"Voga Picada" de “voga”, que é a velocidade da remada ditada pelo patrão aos remadores em
uma embarcação a remos. Pode ser uma “voga picada” (regime de velocidade maior, portanto
mais exaustivo para os remadores) ou “voga larga” (velocidade amena, mais calma, mais
tranquila).

"Safo" é talvez a palavra mais usual na Marinha. Serve para tudo que está correndo bem, ou
para tudo que faz as coisas correrem bem: "Oficial safo, Marinheiro safo. A faina está safa. A
entrada é safa, pode demandar: não há bancos".

"Onça" é também uma expressão de grande uso. Significa dificuldade: "onça de dinheiro, onça
de sobressalentes". "Estar na onça" é estar em apuros. "A onça está solta", quer dizer que tudo
vai mal. Essa expressão vem de uma velha história de uma onça de circo, que era transportada
a bordo de um navio mercante e se soltou da jaula, durante um temporal.

"Safa onça" é a combinação das duas expressões anteriores. Significa salvação. Safa onça é
tudo que soluciona uma emergência. "Safei a onça, agarrando-me a uma tábua que flutuava...
O meu safa onça foi um pedaço de queijo, que ainda restava no barco; do contrário, morreria
de fome".
(27) No que se refere às tradições navais, estão corretas as afirmativas abaixo, exceto:

a) O navio tem agulha, não bússola.


b) Um navio de comércio é uma belonave.
c) O “Comandante” é a autoridade suprema de bordo.
d) Nas Forças Armadas, consequentemente na Marinha, as diversas formas de saudação
militar, sinais de respeito e correção de atitudes caracterizam o espírito de disciplina e
apreço existentes no âmbito militar.
e) Nos navios da Marinha não se usa as denominações de "mastros" de bandeira, mas sim
"pau da bandeira".
GABARITO: B

A alternativa A está correta, pois o navio tem agulha, não bússola. A origem é antiga. As
primitivas peças imantadas, para governo do navio, eram, na realidade, agulhas de ferro, que
flutuavam em azeite, acondicionadas em tubos, com uma secção de bambu. Chamavam-se
“calamitas”. Como eram basicamente agulhas, os navegantes espanhóis consideravam
linguagem marinheira, a denominação de “agulhas”, diferentemente de bússolas, palavra de
origem italiana que se referia à caixa - bosso - que continha as peças orientadas.

A alternativa B está incorreta e é o gabarito da questão. Um navio de guerra é uma belonave.


A palavra vem do latim navis (nave, navio) e bellum (guerra). Já um navio de comércio é um
navio mercante. A palavra é derivada do latim mercans (comerciante), do verbo mercari
(comerciar).

Correta a alternativa C. O “Comandante” é a autoridade suprema de bordo. O “Imediato” é o


“Oficial executivo do navio”, segundo do Comandante; é o substituto eventual do
Comandante: seu substituto Imediato.

A “gente de bordo” se compõe de “Comandante e Tripulação (Oficiais e Guarnição)”. O


Imediato e Oficiais constituem a “oficialidade”. Os demais tripulantes constituem a Guarnição.
As ordens para o navio emanam do Comandante e são feitas executar pelo Imediato, que é o
coordenador de todos os trabalhos de bordo, exercendo a gerência das atividades
administrativas.

Também correta a assertiva D. Ressalta-se que a continência, saudação militar universal, é


uma reminiscência do antigo costume, que tinham os combatentes medievais, quando
vestidos com suas armaduras, ao serem inspecionados por um superior, de levar a mão à
têmpora direita, para suspender a viseira, permitindo sua identificação.

E, por fim, correta a alternativa E. Nos navios da Marinha não se usa as denominações de
"mastros" de bandeira, nem do jeque. São nomeados como "pau da bandeira" e "pau do
jeque", mesmo que sejam metálicos. O distinto, na Marinha, segundo a tradição, é que sejam
de madeira e envernizados. Desta forma, o termo bandeira a meio-pau é a expressão que
corresponde à Bandeira Nacional içada a meio-mastro. O jeque acompanha a Bandeira
Nacional, a meio-pau. E o sinal de luto.
(28) Marque a alternativa correta em relação à hierarquia naval:

a) Os oficiais superiores não exercem funções internas nos navios.


b) Os alunos das Escolas de Aprendizes-Marinheiros, após o término do curso, são
nomeados como Guardas-Marinha.
c) A unidade de combate naval é o submarino.
d) Não há hierarquia entre os Almirantes.
e) Os Grupamentos de navios constituem as Forças Navais e as Esquadras.
GABARITO: E

Incorreta a alternativa A, pois os oficiais superiores podem exercer funções internas nos navios
de maior importância, geralmente na chefia de Departamentos.

Também incorreta a alternativa B, tendo em vista na Escola de Aprendizes-Marinheiros é feita


a formação de praças. Seus alunos, após o término do curso, são nomeados Marinheiros.

A alternativa C está incorreta, pois a unidade de combate naval é o navio.

A assertiva D está incorreta, vez que nega a hierarquia entre os Almirantes. Os postos de
Almirantes, em sequência ascendente são: Contra-Almirante, Vice-Almirante e Almirante de
Esquadra.

O gabarito, portanto, é a alternativa E.

(29) São documentos característicos do navio mercante, exceto:

a) Provisão do Registro fornecida pelo Tribunal Marítimo;


b) Apólice de seguro obrigatório;
c) Cartão de tripulação de segurança;
d) Certificado de navegação;
e) Certificado de borda livre.
GABARITO: D

Todos os documentos citados são característicos do navio mercante, exceto o certificado de


navegação. Vejamos alguns outros documentos: registro (Provisão do Registro fornecida pelo
Tribunal Marítimo); apólice de seguro obrigatório; diário de navegação; certificado de
arqueação; cartão de tripulação de segurança; termos de vistoria (anual e de renovação ou
certificado de segurança da navegação); certificado de segurança de equipamento; certificado
de borda livre; certificado de compensação de agulhas e curva de desvio; certificado de
calibração de radiogoniômetro com tabela de correção; certificado de segurança rádio; e
certificado de segurança de construção.
(30) Marque a alternativa incorreta:

a) São tradições navais saudar o Pavilhão Nacional e o Comandante.


b) Não permanece mais na Marinha o hábito dos "vivas", repetição da forma de
continência e saudação à autoridade que passar perto do navio.
c) O navio mercante que passa ao largo de um navio de guerra cumprimenta-o, amando
sua Bandeira Nacional, fazendo o de guerra o mesmo, como resposta.
d) Os navios da Marinha do Brasil, quando em contato com terra (atracados, fundeados ou
amarrados), arvoram a Bandeira Nacional no “pau da bandeira”, na popa.
e)Ao entrar e ao retirar-se de bordo os oficiais saúdam o Imediato.
GABARITO: B

Incorreta a alternativa B, posto que ainda permanece em nossa Marinha o hábito dos "vivas".
É uma repetição da antiga forma de continência e saudação à autoridade que passar perto do
navio, sempre que o fato for antecipado e devidamente anunciado.

LEGISLAÇÃO MILITAR– QUESTÕES COMENTADAS

(31) Nos termos da Lei 6.880/80, assinale a alternativa correta:

a) A Marina, o Exército e a Aeronáutica constituem as Forças Armadas.


b) A Marinha, o Exército e a Aeronáutica são instituições regulares, permanentes e
federais.
c) A Marinha e o Exército são instituições organizadas com base na hierarquia e a
Aeronáutica com base na subordinação e disciplina.
d) As Forças Armadas são essenciais à execução das políticas de segurança nacional e de
guerra.
e) As instituições das Forças Armadas se organizam com base na autonomia e disciplina.
GABARITO: A

Apenas a alternativa A está em conformidade com o que dispõe o art. 2º da Lei 6.880/90:

Art. 2º As Forças Armadas, essenciais à execução da política de segurança nacional,


são constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, e destinam-se a
defender a Pátria e a garantir os poderes constituídos, a lei e a ordem. São instituições
nacionais, permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na
disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República e dentro dos limites
da lei.

A alternativa B está errada, pois o art. 2º dispõe que a Marinha, o Exército e a Aeronáutica são
instituições regulares, permanentes e nacionais. AS Forças Armadas atuam em todo o
território nacional, se fosse federal atuaria apenas para a União.

O erro da alternativa C é que a Aeronáutica, assim como a Marinha e o Exército, é organizada


com base na hierarquia e na disciplina.

Já a assertiva D está errada, pois o art. 2º não fala sobre a execução das políticas de guerra. E,
por fim, a alternativa E está errada, uma vez que as instituições das Forças Armadas se
organizam com base na hierarquia e disciplina, e não com base na autonomia.
(32) Assinale a alternativa correta:

a)Os cargos militares são providos com pessoal que satisfaça aos requisitos de disciplina e
de qualificação exigidos para o seu desempenho.
b) As obrigações inerentes ao cargo militar devem ser compatíveis com o correspondente
grau hierárquico e definidas pela constituição.
c)As obrigações inerentes ao cargo militar devem ser incompatíveis com o correspondente
grau hierárquico e definidas em legislação ou regulamentação específicas.
d) Cargo militar é um conjunto de atribuições, deveres e responsabilidades cometidos a
um militar em serviço ativo e inativo.
e) Cargo militar é um conjunto de atribuições, deveres e responsabilidades cometidos a
um militar em serviço ativo.

GABARITO: E

A questão exige o conhecimento do art. 20 e seus parágrafos:

Na alternativa A está incorreta visto que as obrigações são correspondentes ao grau


hierárquico e não com a disciplina, de acordo com o §2º, do art. 20: ”As obrigações inerentes
ao cargo militar devem ser compatíveis com o correspondente grau hierárquico e definidas em
legislação ou regulamentação específicas”.

Na alternativa B está incorreta dado que as obrigações militares estão definidas em legislações
ou regulamentações específicas, e não na Constituição, de acordo com o §2º, art. 20: “As
obrigações inerentes ao cargo militar devem ser compatíveis com o correspondente grau
hierárquico e definidas em legislação ou regulamentação específicas”.

Na alternativa C está incorreta pela palavra “incompatível”, de acordo com o §2º, art. 20: “As
obrigações inerentes ao cargo militar devem ser compatíveis com o correspondente grau
hierárquico e definidas em legislação ou regulamentação específicas”.

Na alternativa D está incorreta já que apenas o militar em serviço ativo possui cargo militar, de
acordo com o art. 20: “Cargo militar é um conjunto de atribuições, deveres e responsabilidades
cometidos a um militar em serviço ativo.

(33) São preceitos da ética militar, exceto:

a) Cumprir seus deveres de cidadão.


b) Ser discreto em suas atitudes, maneiras e em sua linguagem escrita e falada.
c) Exercer, com autoridade, eficiência e probidade, as funções que lhe couberem em
decorrência do cargo.
d) Observar as normas dos bons costumes.
e) Empregar todas as suas energias em benefício do serviço.
GABARITO: D

A questão exige o conhecimento do art. 28 da Lei 6.880/80, que elenca os preceitos da ética
militar. Vejamos:
Art. 28. O sentimento do dever, o pundonor militar e o decoro da classe impõem, a cada um dos
integrantes das Forças Armadas, conduta moral e profissional irrepreensíveis, com a
observância dos seguintes preceitos de ética militar:
I - amar a verdade e a responsabilidade como fundamento de dignidade pessoal;
II - exercer, com autoridade, eficiência e probidade, as funções que lhe couberem em
decorrência do cargo;
III - respeitar a dignidade da pessoa humana;
IV - cumprir e fazer cumprir as leis, os regulamentos, as instruções e as ordens das autoridades
competentes;
V - ser justo e imparcial no julgamento dos atos e na apreciação do mérito dos subordinados;
VI - zelar pelo preparo próprio, moral, intelectual e físico e, também, pelo dos subordinados,
tendo em vista o cumprimento da missão comum;
VII - empregar todas as suas energias em benefício do serviço;
VIII - praticar a camaradagem e desenvolver, permanentemente, o espírito de cooperação;
IX - ser discreto em suas atitudes, maneiras e em sua linguagem escrita e falada;
X - abster-se de tratar, fora do âmbito apropriado, de matéria sigilosa de qualquer natureza;
XI - acatar as autoridades civis;
XII - cumprir seus deveres de cidadão;
XIII - proceder de maneira ilibada na vida pública e na particular;
XIV - observar as normas da boa educação;
XV - garantir assistência moral e material ao seu lar e conduzir-se como chefe de família
modelar;
XVI - conduzir-se, mesmo fora do serviço ou quando já na inatividade, de modo que não sejam
prejudicados os princípios da disciplina, do respeito e do decoro militar;
XVII - abster-se de fazer uso do posto ou da graduação para obter facilidades pessoais de
qualquer natureza ou para encaminhar negócios particulares ou de terceiros;
XVIII - abster-se, na inatividade, do uso das designações hierárquicas:
a) em atividades político-partidárias;
b) em atividades comerciais;
c) em atividades industriais;
d) para discutir ou provocar discussões pela imprensa a respeito de assuntos políticos ou
militares, excetuando-se os de natureza exclusivamente técnica, se devidamente autorizado; e
e) no exercício de cargo ou função de natureza civil, mesmo que seja da Administração Pública;
e
XIX - zelar pelo bom nome das Forças Armadas e de cada um de seus integrantes, obedecendo e
fazendo obedecer aos preceitos da ética militar.

Observa-se, portanto, que a lei fala em observar as normas da boa educação e não dos bons
costumes, estando incorreta a alternativa D.
(34) Assinale a alternativa que está de acordo com a Lei Complementar 97/99:

a) O Ministro de Estado de Defesa assessorará o Comandante Supremo das Forças


Armadas, no que concerne ao emprego de meios militares.
b) O Poder Legislativo definirá a competência dos Comandantes da Marinha, do Exército e
da Aeronáutica para a criação, a denominação, a localização e a definição das atribuições
das organizações integrantes das estruturas das Forças Armadas.
c) O Livro Branco de Defesa Nacional é um documento de caráter sigiloso, por meio do
qual se define a Estratégia de Defesa Nacional, em perspectiva de médio e longo prazos.
d) Compete ao Conselho Militar de Defesa a decisão do emprego das Forças Armadas, por
iniciativa própria ou em atendimento a pedido manifestado por quaisquer dos poderes
constitucionais, por intermédio dos Presidentes do Supremo Tribunal Federal, do Senado
Federal ou da Câmara dos Deputados.
e) Dentre as atribuições subsidiárias particulares da Marinha encontra-se a
implementação e fiscalização do cumprimento de leis e regulamentos, no mar e nas águas
interiores, em coordenação com outros órgãos do Poder Executivo, federal ou estadual,
quando se fizer necessária, em razão de competências específicas.
GABARITO: E

A alternativa A está incorreta, pois conforme dispõe o art. 2º da LC97/99, cabe ao Conselho
Militar de Defesa assessorar o Comandante Supremo das Forças Armadas, no que concerne ao
emprego de meios militares, enquanto que o Ministro de Estado de Defesa vai assessorar o
Comandante, no que concerne aos demais assuntos pertinentes à área militar.

Art. 2o O Presidente da República, na condição de Comandante Supremo das Forças Armadas,


é assessorado:
I - no que concerne ao emprego de meios militares, pelo Conselho Militar de Defesa; e
II - no que concerne aos demais assuntos pertinentes à área militar, pelo Ministro de Estado da
Defesa.
§ 1o O Conselho Militar de Defesa é composto pelos Comandantes da Marinha, do Exército e da
Aeronáutica e pelo Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas.
§ 2o Na situação prevista no inciso I deste artigo, o Ministro de Estado da Defesa integrará o
Conselho Militar de Defesa na condição de seu Presidente.

Incorreta a alternativa B, pois cabe ao Poder Executivo definir as competências dos


Comandantes da Marina, do Exército e da Aeronáutica:

Art. 6º O Poder Executivo definirá a competência dos Comandantes da Marinha, do Exército e


da Aeronáutica para a criação, a denominação, a localização e a definição das atribuições das
organizações integrantes das estruturas das Forças Armadas.

Também incorreta a assertiva C, pois o Livro Branco de Defesa Nacional é documento de


caráter público, conforme dispõe o §1º do art. 9º da LC 97/99:

Art. 9º § 1º Ao Ministro de Estado da Defesa compete a implantação do Livro Branco de Defesa


Nacional, documento de caráter público, por meio do qual se permitirá o acesso ao amplo
contexto da Estratégia de Defesa Nacional, em perspectiva de médio e longo prazos, que
viabilize o acompanhamento do orçamento e do planejamento plurianual relativos ao setor.
Já a alternativa D está incorreta, uma vez que compete ao Presidente da República a decisão
do emprego das Forças Armadas nos termos do §1º do art. 15. Vejamos:

Art. 15 § 1º Compete ao Presidente da República a decisão do emprego das Forças Armadas,


por iniciativa própria ou em atendimento a pedido manifestado por quaisquer dos poderes
constitucionais, por intermédio dos Presidentes do Supremo Tribunal Federal, do Senado Federal
ou da Câmara dos Deputados.

Por fim, correta a assertiva E:

Art. 17. Cabe à Marinha, como atribuições subsidiárias particulares:


I - orientar e controlar a Marinha Mercante e suas atividades correlatas, no que interessa à
defesa nacional;
II - prover a segurança da navegação aquaviária;
III - contribuir para a formulação e condução de políticas nacionais que digam respeito ao mar;
IV - implementar e fiscalizar o cumprimento de leis e regulamentos, no mar e nas águas
interiores, em coordenação com outros órgãos do Poder Executivo, federal ou estadual,
quando se fizer necessária, em razão de competências específicas.
V – cooperar com os órgãos federais, quando se fizer necessário, na repressão aos delitos de
repercussão nacional ou internacional, quanto ao uso do mar, águas interiores e de áreas
portuárias, na forma de apoio logístico, de inteligência, de comunicações e de instrução.
Parágrafo único. Pela especificidade dessas atribuições, é da competência do Comandante da
Marinha o trato dos assuntos dispostos neste artigo, ficando designado como "Autoridade
Marítima", para esse fim.

(35) Assinale a alternativa incorreta:

a) Os militares não podem estar filiados a partidos políticos.


b) Ao militar são proibidas a sindicalização e a greve.
c) Lei complementar estabelecerá as normas gerais a serem adotadas na organização, no
preparo e no emprego das Forças Armadas.
d) O oficial só perderá o posto e a patente se for julgado indigno do oficialato ou com ele
incompatível, por decisão de tribunal militar de caráter permanente, em tempo de paz, ou
de tribunal especial, em tempo de guerra.
e) As patentes, com prerrogativas, direitos e deveres a elas inerentes, são conferidas pelo
Presidente da República e asseguradas em plenitude aos oficiais da ativa, da reserva ou
reformados, sendo-lhes privativos os títulos e postos militares e, juntamente com os
demais membros, o uso dos uniformes das Forças Armadas.
GABARITO:A

A alternativa A está incorreta, pois a lei veda a filiação dos militares apenas enquanto em
serviço ativo. As demais alternativas estão de acordo ao que dispõe o art. 142 da Constituição
Federal. Vejamos:

Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são
instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na
disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da
Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da
ordem.
§ 1º Lei complementar estabelecerá as normas gerais a serem adotadas na organização, no
preparo e no emprego das Forças Armadas.
§ 2º Não caberá habeas corpus em relação a punições disciplinares militares.
§ 3º Os membros das Forças Armadas são denominados militares, aplicando-se-lhes, além das
que vierem a ser fixadas em lei, as seguintes disposições:
I - as patentes, com prerrogativas, direitos e deveres a elas inerentes, são conferidas pelo
Presidente da República e asseguradas em plenitude aos oficiais da ativa, da reserva ou
reformados, sendo-lhes privativos os títulos e postos militares e, juntamente com os demais
membros, o uso dos uniformes das Forças Armadas;
II - o militar em atividade que tomar posse em cargo ou emprego público civil permanente,
ressalvada a hipótese prevista no art. 37, inciso XVI, alínea "c", será transferido para a reserva,
nos termos da lei;
III - o militar da ativa que, de acordo com a lei, tomar posse em cargo, emprego ou função
pública civil temporária, não eletiva, ainda que da administração indireta, ressalvada a hipótese
prevista no art. 37, inciso XVI, alínea "c", ficará agregado ao respectivo quadro e somente
poderá, enquanto permanecer nessa situação, ser promovido por antiguidade, contando-se-lhe
o tempo de serviço apenas para aquela promoção e transferência para a reserva, sendo depois
de dois anos de afastamento, contínuos ou não, transferido para a reserva, nos termos da lei;
IV - ao militar são proibidas a sindicalização e a greve;
V - o militar, enquanto em serviço ativo, não pode estar filiado a partidos políticos;
VI - o oficial só perderá o posto e a patente se for julgado indigno do oficialato ou com ele
incompatível, por decisão de tribunal militar de caráter permanente, em tempo de paz, ou de
tribunal especial, em tempo de guerra;
VII - o oficial condenado na justiça comum ou militar a pena privativa de liberdade superior a
dois anos, por sentença transitada em julgado, será submetido ao julgamento previsto no inciso
anterior;
VIII - aplica-se aos militares o disposto no art. 7º, incisos VIII, XII, XVII, XVIII, XIX e XXV, e no art.
37, incisos XI, XIII, XIV e XV, bem como, na forma da lei e com prevalência da atividade militar,
no art. 37, inciso XVI, alínea "c";
IX -(Revogado pela Emenda Constitucional nº 41, de 19.12.2003)
X - a lei disporá sobre o ingresso nas Forças Armadas, os limites de idade, a estabilidade e
outras condições de transferência do militar para a inatividade, os direitos, os deveres, a
remuneração, as prerrogativas e outras situações especiais dos militares, consideradas as
peculiaridades de suas atividades, inclusive aquelas cumpridas por força de compromissos
internacionais e de guerra.
(36) De acordo com o Decreto 6703/08, que aprova a Estratégia Nacional de Defesa,
assinale a alternativa incorreta:

a) O Brasil deve garantir seu poder para negar o uso do mar a qualquer concentração de
forças inimigas.
b) O controle de áreas marítimas pode se dar através da defesa pró-ativa das plataformas
petrolíferas.
c) A construção de meios para exercer o controle de áreas marítimas terá como focos as
áreas estratégicas de acesso marítimo ao Brasil. Duas áreas do litoral continuarão a
merecer atenção especial, do ponto de vista da necessidade de controlar o acesso
marítimo ao Brasil: a faixa que vai de Santos a Vitória e a área em torno da foz do rio
Amazonas.
d) A força naval submarina de envergadura contará apenas com submarinos
convencionais.
e) Sem desconsiderar a necessidade de defender as maiores concentrações demográficas
e os maiores centros industriais do País, a Marinha deverá estar mais presente na região
da foz do Amazonas e nas grandes bacias fluviais do Amazonas e do Paraguai-Paraná.
GABARITO:D

A alternativa A está correta, pois condiz com o disposto no Decreto 6703/08:

"A prioridade é assegurar os meios para negar o uso do mar a qualquer concentração de forças
inimigas que se aproxime do Brasil por via marítima. A negação do uso do mar ao inimigo é a
que organiza, antes de atendidos quaisquer outros objetivos estratégicos, a estratégia de
defesa marítima do Brasil. Essa prioridade tem implicações para a reconfiguração das forças
navais."

Correta também a alternativa B, pois a defesa pró-ativa das plataformas petrolíferas é um dos
objetivos para a negação do uso do mar, o controle de áreas marítimas:

"A negação do uso do mar, o controle de áreas marítimas e a projeção de poder devem ter por
foco, sem hierarquização de objetivos e de acordo com as circunstâncias:
(a) defesa pró-ativa das plataformas petrolíferas;
(b) defesa pró-ativa das instalações navais e portuárias, dos arquipélagos e das ilhas oceânicas
nas águas jurisdicionais brasileiras;
(c) prontidão para responder a qualquer ameaça, por Estado ou por forças não-convencionais
ou criminosas, às vias marítimas de comércio;
(d) capacidade de participar de operações internacionais de paz, fora do território e das águas
jurisdicionais brasileiras, sob a égide das Nações Unidas ou de organismos multilaterais da
região;"

Correta a alternativa C, que reproduz um trecho do Decreto 6703/08:

"A construção de meios para exercer o controle de áreas marítimas terá como focos as áreas
estratégicas de acesso marítimo ao Brasil. Duas áreas do litoral continuarão a merecer atenção
especial, do ponto de vista da necessidade de controlar o acesso marítimo ao Brasil: a faixa que
vai de Santos a Vitória e a área em torno da foz do rio Amazonas."
Incorreta a alternativa D, pois deixa de mencionar os submarinos de propulsão nuclear. Nos termos
doDecreto 6703/08:

"O Brasil manterá e desenvolverá sua capacidade de projetar e de fabricar tanto submarinos de
propulsão convencional como de propulsão nuclear. Acelerará os investimentos e as parcerias
necessários para executar o projeto do submarino de propulsão nuclear. Armará os submarinos,
convencionais e nucleares, com mísseis e desenvolverá capacitações para projetá-los e fabricá-
los. Cuidará de ganhar autonomia nas tecnologias cibernéticas que guiem os submarinos e seus
sistemas de armas e que lhes possibilitem atuar em rede com as outras forças navais, terrestres
e aéreas."

E, por fim, correta também a alternativa E, conforme um trecho do Decreto 6703/08:

"Sem desconsiderar a necessidade de defender as maiores concentrações demográficas e os


maiores centros industriais do País, a Marinha deverá estar mais presente na região da foz do
Amazonas e nas grandes bacias fluviais do Amazonas e do Paraguai-Paraná."

RH E LIDERANÇA– QUESTÕES COMENTADAS

(37) No estilo de liderança _________, o líder trabalha com necessidades e interesses


primários dos seguidores, oferecendo recompensas de natureza econômica ou psicológica,
em troca de esforço para alcançar os resultados organizacionais desejados (CAVALCANTI
et al. 2005).
O estilo de liderança que se enquadra na frase acima é:

a) autocrática.
b) participativa.
c) democrática.
d) transacional.
e) transformacional.
GABARITO: D

A questão faz referência à liderança transacional, por meio da qual busca-se uma sintonia
entre o atendimento das necessidades dos subordinados e o alcance dos objetivos
organizacionais.

A liderança autocrática é baseada na autoridade formal, aceita como correta e legítima pela
estrutura do grupo, por meio da qual o líder autocrático baseia a sua atuação numa disciplina
rígida, impondo obediência e mantendo-se afastado de relacionamentos menos formais com
os seus subordinados.

Na liderança participativa, também chamada de democrática, abre-se mão de parte da


autoridade formal em prol de uma esperada participação dos subordinados e aproveitamento
de suas ideias. Os componentes do grupo são incentivados a opinarem sobre as formas como
uma tarefa poderá ser realizada, cabendo a decisão final ao líder.
Já a liderança transformacional é especialmente indicado para situações de pressão, crise e
mudança, que requerem elevados níveis de envolvimento e comprometimento dos
subordinados, de modo que os subordinados alcançam elevados níveis de produtividade e
criatividade, flexibilizando a dicotomia prazer e trabalho.

(38) Marque a alternativa incorreta:

a) Constituem níveis de liderança as lideranças direta, organizacional e estratégica.


b) A liderança direta é obtida por meio do relacionamento face a face entre o líder e seus
liderados e é mais presente nos escalões inferiores, quando o contato pessoal é constante.
c) A liderança organizacional desenvolve-se em organizações de maior envergadura, sendo
composta por liderança direta, conduzida em menor escala e voltada para os
subordinados imediatos, e por delegação de tarefas.
d) A liderança estratégica militar é aquela exercida nos níveis que definem a política e a
estratégia da Força.
e) Para serem eficazes, os líderes estratégicos devem possuir muitas habilidades
interpessoais, conceituais, técnicas e táticas.
GABARITO: E

Correta a alternativa A. Os níveis de liderança se prestam a diferenciar o líder de base e o líder


de cúpula, facilitando a identificação das características desejáveis para cada líder.

Correta também a alternativa B, já que a liderança direta ocorrem organizações onde os


subordinados estão acostumados a ver seus chefes frequentemente.

Também estão corretas as alternativas C e D.

O gabarito da questão é a alternativa E, posto que descreve uma qualidade atribuível aos
líderes diretos. Os líderes estratégicos exercem sua liderança no âmbito dos níveis mais
elevados e preparam a instituição para o futuro, sendo prescindíveis as habilidades
interpessoais.

(39) Considere as assertivas a seguir:

(). São fundamentais os aspectos filosóficos, psicológicos e sociológicos da liderança.


( ). A liderança é um processo que consiste em influenciar pessoas no sentido de que
ajam, voluntariamente, em prol do cumprimento da missão.
( ). As lideranças transformacional e transacional classificam-se de acordo com o grau de
centralização de poder.
( ). Os estilos de liderança são contingenciais, de modo que diferentes estilos podem ser
adotados, de acordo com as circunstâncias.

Marque a alternativa correta:


a) (V) (V) (V) (F)
b) (V) (V) (F) (F)
c) (V) (V) (F) (V)
d) (F) (V) (V) (F)
e) (V) (F) (F) (V)
GABARITO: C
A terceira assertiva é a única incorreta, posto que as lideranças transformacional e
transacional classificam-se de acordo com o tipo de incentivo e não quanto ao grau de
centralização do poder, próprio para classificar as lideranças autocrática, participativa e
delegativa.

(40) Qual alternativa apresenta apenas estilos de liderança?

a) direta, indireta e organizacional.


b) delegativa, transformacional e orientada para relacionamento.
c) estratégica, autocrática e democrática.
d) orientada para tarefa, direta e delegativa.
e) organizacional, participativa e transacional.
GABARITO: B

A alternativa B é a única que reúne tão somente estilos de liderança (página 6, EMA 137). As
demais alternativas fazem menção também aos níveis de liderança, quais sejam, liderança
direta, organizacional e estratégica (página 12, EMA137).

(41) Qual alternativa está incorreta?

a) Chefia e liderança são processos alternativos, posto que a chefia consiste no comando
de um processo abrangente e a liderança consiste na organização no cumprimento da
missão.
b) Valores como a honra, a dignidade, a honestidade, a lealdade e o amor à pátria devem
ser transmitidos permanentemente pelo líder aos seus liderados.
c) Na liderança democrática, abre-se mão de parte da autoridade formal em prol de uma
esperada participação dos subordinados e aproveitamento de suas ideias.
d) Na liderança delegativa, o líder atribui aassessores a tomada de decisões
especializadas, deixando-os agir por si só.
e) Na liderança orientada para relacionamento, o foco do líder é a manutenção e
fortalecimento das relaçõespessoais e do próprio grupo.
GABARITO: A

O exercício do comando é um processo abrangente, pois comandar é exercer a chefia e a


liderança, a fim de conduzir eficazmente a organização no cumprimento da missão. Assim,
chefia e liderança são processos simultâneos e que se complementam, estando incorreta,
portanto, a alternativa A.
HISTÓRIA NAVAL– QUESTÕES

(42) Portugal foi o primeiro país europeu a lançar-se às Grandes Navegações, procurando
metais preciosos, produtos agrícolas, mão de obra e novos mercados. Dentre as razões
que favoreceram a expansão marítima portuguesa, NÃO podemos apontar

a) posição geográfica favorável.


b) situação interna de conflito político.
c) conhecimento da navegação.
d) criação precoce do Estado Nacional Português.
e) aliança entre os reis e a burguesia.
GABARITO: B

O pioneirismo português na Expansão Marítima está atrelado a diversos fatores, dentre eles: a
posição geográfica favorável, a precoce centralização política e administrativa, uma burguesia
forte e autônoma, a Escola de Sagres e a ausência de guerras.

Assim, não podemos apontar a situação interna de conflito político, já que um dos fatores que
influenciaram o pioneirismo de Portugal foi justamente a paz interna e externa.

(43) A República Brasileira foi proclamada por

a) D. Pedro I
b) D. João VI
c) Marechal Deodoro da Fonseca
d) José do Patrocínio
e) D. Pedro II
GABARITO: C

Dom Pedro I proclamou a Independência, Dom João VI proclamou o Reino Unido de Portugal e
Algarves, e Marechal Deodoro da Fonseca expulsou o monarca, e proclamou a República.

(44) Onde foi fundada a chamada França Antártica?

a) Cabo de São Roque


b) São Luís
c) Salvador
d) Baía de Guanabara
e) Baía de São Luiz
GABARITO: D

Ao longo de mais de um século, a partir de 1504, os franceses foram se estabelecendo em


diversos locais entre o Cabo de São Roque e o Rio de Janeiro. Em 1556, Nicolas Durand de
Villegagnon desembarcou na ilha que hoje leva seu nome, na Baía de Guanabara, ali fundando
a chamada França Antártica.
(45) Na primeira metade do século XV, Portugal foi o primeiro reino europeu a realizar sua
expansão marítima. Assinale a alternativa que não apresenta um dos fatores que
contribuíram para este pioneirismo:

a) Posição geográfica favorável


b) Centralização Política
c) Desejo de difundir o cristianismo
d) Desenvolvimento de novas tecnologias náuticas
e) Conquista de Constantinopla pelos Turcos.
GABARITO: E

Conforme o Capítulo II, página 24 da Introdução à Historia Marítima Brasileira:

“[...] o país estava com suas fronteiras estabelecidas, após as guerras da Reconquista (que
resultou na expulsão dos muçulmanos da Península Ibérica) e firmava-se, então, como o
primeiro Estado europeu moderno, politicamente centralizado, após a vitória militar contra os
reinos vizinhos de Leão e Castela. Tal processo de centralização do poder foi fator muito
importante para que o reino português pudesse lançar-se a aventura ultramarina, e quebrar o
monopólio exercido pelas cidades de Gênova e Veneza sobre as rotas de comércio com a Ásia
e estabelecer contato direto com as fontes produtoras.”

Logo, posição geográfica, a centralização política, difundir o cristianismo e o desenvolvimento


de tecnologias foram as principais razões de Portugal assumir o pioneirismo no processo de
expansão marítima.

(46) No início do século XVII, durante o Período Colonial, o Brasil sofreu uma série de
invasões estrangeiras. Um dos destaques no combate a estas ameaças foi Jerônimo de
Albuquerque, primeiro nascido no Brasil a comandar uma força naval. Assinale a alternativa
que apresenta corretamente o local defendido por Albuquerque e a procedência dos
estrangeiros.

a) Rio de Janeiro - franceses


b) Maranhão - franceses
c) Bahia - holandeses
d) Pernambuco - holandeses
e) Cisplatina – espanhóis
GABARITO: B

Conforme o Capítulo III, página 49 da Introdução à Historia Marítima Brasileira:

“Em 1614, uma força naval comandada por Jerônimo de Albuquerque, nascido no Brasil,
chegou ao Maranhão para combater os franceses. Este grupamento pode ser considerado a
primeira força naval comandada por um brasileiro”.
(47) Durante a invasão holandesa no nordeste brasileiro que durou de 1630 a 1654, diversos
combates entre os estrangeiros e forças luso-brasileiras ou luso-espanholas foram
registradas. Entre elas destaca-se o Combate Naval de Abrolhos em 1631, onde uma
esquadra luso-espanhola comandada por D. Antônio de Oquendo entrou em combate com
forças navais holandesas. Assinale a alternativa que apresenta corretamente um dos
objetivos da força comandada por Oquendo:

a) Escoltar navios mercantes para a Europa


b) Fazer um cerco ao porto de Recife
c) Transportar suprimentos para os rebeldes pernambucanos que lutavam contra os
holandeses
d) Evitar que os inimigos expandissem seus domínios na América
e) Proteger a cidade de Salvador
GABARITO: A

Conforme o Capítulo III, página 52 da Introdução à Historia Marítima Brasileira:

“A missão de Oquendo era desembarcar as tropas que trazia de Pernambuco e da Paraíba;


comboiar os navios mercantes que levariam ao reino a produção de açúcar e outros produtos
do Brasil, até que estivessem livres de ataques das forças holandesas; e alcançar o Caribe para
comboiar a Frota da Prata para a Espanha”

(48) A partir da independência do Brasil, foi necessária a estruturação de uma força naval
que defendesse o nosso território. Para isso, foi criada em 1822 a Marinha Imperial
Brasileira. Não fizeram parte da composição da Marinha Imperial neste momento:

a) navios abandonados pelos portugueses no Rio de Janeiro


b) marinheiros portugueses simpáticos à independência do Brasil
c) navios comprados a partir de empréstimos
d) oficiais e marinheiros estrangeiros contratados para o serviço
e) oficiais portugueses fiéis ao Rei de Portugal
GABARITO: E

Conforme o Capítulo IV, página 76 da Introdução à Historia Marítima Brasileira:

“O nascimento da Marinha Imperial, portanto, se deu nesse regime de urgência, aproveitando


os navios que tinham sido deixados no porto do Rio de Janeiro pelos portugueses, que
estavam em mal estado de conservação, e os oficiais e praças da Marinha portuguesa que
aderiram à Independência. Os navios foram reparados em um intenso trabalho do Arsenal de
Marinha do Rio de Janeiro e foram adquiridos outros, tanto pelo governo como por subscrição
pública. E as lacunas encontradas nos corpos de oficiais e praças foram completadas com a
contratação de estrangeiros, sobretudo experientes remanescentes da Marinha inglesa. A
necessidade de se dispor da Força Naval como um eficiente elemento operativo e como um
fator de dissuasão21para as pretensões de reconquista portuguesa fez com que o governo
imperial brasileiro contratasse Lorde Thomas Cochrane, um brilhante e experiente oficial de
Marinha inglês, como Comandante-em-Chefe da Esquadra”.
(49) Durante os primeiros anos do século XX, o governou brasileiro aprovou medidas que
visavam a modernização da nossa Marinha, como o “Programa de Reaparelhamento da
Marinha de 1904” e o “Programa Alexandrino de 1906”. Assinale a alternativa que
apresenta ações propostas pelo “Programa de Reaparelhamento da Marinha de 1904”.

a) construção de um pequeno porto em Santa Catarina


b) construção de um novo arsenal
c) construção de bases secundárias em Belém e Natal
d) construção de três modernos encouraçados do tipo dreadnought
e) construção de centros de pesquisas náuticas
GABARITO: EE
GABARITO:

Conforme o Capítulo
Conforme Capítulo VII,
VII,página
página125 da da
125 Introdução à Historia
Introdução Marítima
à Historia Brasileira:
Marítima Brasileira:

“OPrograma
“O Programa de de 1904,
1904,de
deautoria
autoria dedeJúlio de Noronha,
Júlio apresentava
de Noronha, a vantagem
apresentava de ser um
a vantagem de ser
plano
um de conjunto,
plano ou seja,
de conjunto, incluíaincluía
ou seja, a criação de um moderno
a criação arsenal earsenal
de um moderno um porto militar,
e um portoque
militar, que juntamente com os navios formaria um tripé de sustentação da
juntamente com os navios formaria um tripé de sustentação da Marinha brasileira. Foi o Marinha
brasileira.
Almirante Foi
Júlioode
Almirante
NoronhaJúlio
quemde fezNoronha quem fez nascer
nascer a campanha a campanha
de remodelação de
da Esquadra, que
remodelação da Esquadra, que deveria impressionar principalmente a opinião pública e
deveria impressionar principalmente a opinião pública e que gerou os resultados necessários
que gerou os resultados necessários
paraaa reforma
para reforma dada nossa
nossaMarinha.”
Marinha.”
(50) Durante a Primeira Guerra Mundial, qual foi a área destinada a ação da Marinha
Brasileira?

(A) Patrulhamento das áreas entre o Amapá e o Rio Grande do Sul.


(B) O Cinturão Atlântico.
(C) Patrulhamento da área entre Dakar–São Vicente–Gibraltar.
(D) A costa da África do Sul.
(E) O mar do Norte.

GABARITO: C

Conforme o Capítulo VII, página 127 da Introdução à Historia Marítima Brasileira:

“A participação da Marinha brasileira na Primeira Grande Guerra formalizou-se com o envio


para o teatro de operação da Divisão Naval em Operação de Guerra (DNOG), sob o comando
do Almirante Pedro Max Fernando de Frontin. Era composta pelos seguintes meios navais:
Cruzadores Bahia e Rio Grande do Sul; Contratorpedeiros Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba e
Santa Catarina; Cruzador-Auxiliar Belmonte; e Rebocador Laurindo Pitta, e tinha como missão
o patrulhamento da área entre Dakar–São Vicente–Gibraltar na costa da África. A tripulação da
DNOG foi gravemente atingida pela “gripe espanhola”, mas mesmo com muitas baixas
sofridas, cumpriu a missão a ela determinada.”