Você está na página 1de 62

ARGAMASSAS E CONCRETOS

RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO
CIMENTO

Definição:
O cimento Portland é um pó fino com propriedades aglutinantes
que endurece sob a ação da água, ou seja, é um aglomerante
ativo hidráulico.
CIMENTO

Influência na resistência à compressão:


A composição química do cimento (C3S e C2S), assim como as
adições (escórias e pozolanas) influenciam no ganho de
resistência dos concretos. A finura também é um fator a ser
considerado.
CIMENTO

Histórico:
1756 pelo inglês John Smeaton, que conseguiu obter um produto
de alta resistência por meio de calcinação de calcários moles e
argilosos.

Em 1818, o francês Vicat obteve resultados semelhantes aos de


Smeaton, pela mistura de componentes argilosos e calcários.
Ele é considerado o inventor do cimento artificial.
CIMENTO

Histórico:
Em 1824, o construtor inglês Joseph Aspdin queimou
conjuntamente pedras calcárias e argila, transformando-as num
pó fino. A mistura não se dissolvia em água e foi patenteada
pelo construtor no mesmo ano, com o nome de cimento
Portland.
CIMENTO

Matérias primas:

O cimento Portland é composto de


Clínquer e de Adições.

O Clínquer é composto por calcário


e argila.

Uma das adições colocadas no


cimento é o gesso.
CIMENTO

Matérias primas:

O calcário é a matéria-prima básica, contribui de 85 a 95% na


fabricação do cimento, é constituído basicamente de carbonato
de cálcio (CaCO3).
CIMENTO

Matérias primas:
Para melhorar a qualidade do clínquer, o calcário recebe algumas
correções complementares de:
 FILITO (argila): este material colabora com o alumínio Al2O3;
 QUARTZITO (material arenoso): este colabora com SiO2;
 MINÉRIO DE FERRO: este colabora com Fe2O3.
CIMENTO

Matérias primas:
CIMENTO

Matérias primas:
CIMENTO

Matérias primas:
CIMENTO

Matérias primas:
CIMENTO

Fabricação:
Este conjunto de materiais é enviado para moagem no moinho
vertical de rolos, em proporções pré determinadas, onde se
processa o início da mistura íntima, secagem e a homogeneização
necessária, formando-se a farinha crua.
CIMENTO

Fabricação:
A farinha crua moída é calcinada até fusão incipiente, a uma
temperatura de 1450ºC em um forno rotativo, onde então
obtém-se o clínquer.
CIMENTO

Fabricação:
A sílica, alumina, ferro e cal reagem no interior do forno, dando
origem ao clínquer, cujos compostos principais são os seguintes:
CIMENTO

Fabricação:
CIMENTO

Fabricação:
CIMENTO

Fabricação:
CIMENTO

Fabricação:

Moagem
CIMENTO

Fabricação:
 GESSO
A gipsita, sulfato de cálcio di-hidratado, é comumente chamada
de gesso. É adicionada na moagem final do cimento, com a
finalidade de regular o tempo de pega, permitindo com que o
cimento permaneça trabalhável por pelo menos uma hora,
conforme ABNT. Sem a adição de gipsita, o cimento tem início de
pega em aproximadamente quinze minutos, o que tornaria difícil
a sua utilização em concretos.
CIMENTO

Fabricação:
 FÍLER CALCÁRIO
A adição de calcário finamente moído é efetuada para diminuir a
porcentagem de vazios, melhorar a trabalhabilidade, o
acabamento e pode até elevar a resistência inicial do cimento.
CIMENTO

Fabricação:
 POZOLANA
A pozolana é a cinza resultante da combustão do carvão mineral
utilizado em usinas termoelétricas. A adição de pozolana propicia
ao cimento maior resistência a meios agressivos como esgotos,
água do mar, solos sulfurosos e a agregados reativos. Diminui
também o calor de hidratação, permeabilidade, segregação de
agregados e proporciona maior trabalhabilidade e estabilidade de
volume.
CIMENTO

Fabricação:
 ESCÓRIA DE ALTO FORNO
A escória de alto-forno, é sub-produto da produção de ferro em
alto-forno, obtida sob forma granulada por resfriamento brusco.
CIMENTO

Fabricação:
CIMENTO

Fabricação:
CIMENTO

Fabricação:
CaO – é o componente essencial do cimento, as propriedades
mecânicas aumentam com o teor de cal, desde que combinadas.

SiO2 – é da sua combinação com a cal que resultam os principais


compostos do cimento.

Al2O3 – o composto formado por este óxido com a cal acelera o


tempo de pega e reduz a resistência a sulfatos.

Fe2O3 – em pequenas quantidades funciona como fundente.


CIMENTO

Fabricação:
MgO – este elemento não se apresenta combinado, em grandes
quantidades é expansivo.

SO3 – em grandes quantidades é perigoso devido à formação de


sulfoaluminatos.

K2O e Na2O – atuam como fundentes e aceleradores de pega.

TiO2, Mn3O4 e P2O5 – encontrados em pequenas quantidades e


raramente são determinados separadamente.
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Tipos:
CIMENTO

Química do cimento:
CIMENTO

Química do cimento:

Os compostos principais do cimento são:

C3S

C2 S

C3A

C4AF
CIMENTO

Química do cimento:
O C3S, também chamado de Alita, é responsável pela resistência
mecânica dos cimentos nas primeiras idades, possuindo uma
velocidade de reação média e médio desenvolvimento de calor
de hidratação.

O C2S, também chamado de Belita, é responsável pela resistência


mecânica dos cimentos nas idades avançadas, possuindo uma
velocidade de reação lenta e pequeno desenvolvimento de calor
de hidratação.
CIMENTO

Química do cimento:
O C3A possui moderada resitência mecânica, porém possui
reação rápida e libera grande quantidade de calor de hidratação,
sendo responsável pela retração do cimento.

O C4AF possui baixa resistência mecânica, rápida reação e libera


pequena quantidade de calor de hidratação.
CIMENTO

Química do cimento:
CIMENTO

Química do cimento:
CIMENTO

Química do cimento:

Os silicatos formam o Silicato Hidratado de Cálcio (C-S-H), o


mais importante componente da pasta de cimento hidratada.

Os aluminatos são responsáveis pela pega e endurecimento da


pasta.
CIMENTO

Química do cimento:

Cálculo da composição potencial do cimento pelas


equações de Bogue:

 %𝐶3 𝑆 = 4,071𝐶 − 7,600𝑆 − 6,718𝐴 − 1,430𝐹 − 2,850𝑆


 %𝐶2 𝑆 = 2,867𝑆 − 0,754𝐶3 𝑆
 %𝐶3 𝐴 = 2,650𝐴 − 1,692𝐹
 %𝐶4 𝐴𝐹 = 3,043𝐹
CIMENTO

Química do cimento:
Esta equação é válida para teores de Al2O3/Fe2O3 ≥ 0,64.

Quando são colocadas adições ao cimento está equação torna-se


imprecisa.

O componente C da equação se refere à quantidade total de


CaO – CaO livre.
CIMENTO

Química do cimento:
O calor de hidratação é dado por:

 𝐻𝑐𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 = 500𝐶3 𝑆 % + 260𝐶2 𝑆 % + 866𝐶3 𝐴 % +


420𝐶4 𝐴𝐹 % + 624𝑆𝑂3 % + 1186𝐶𝑎 𝑂𝑙𝑖𝑣𝑟𝑒 % +
850𝑀𝑔 𝑂 %
CIMENTO

Química do cimento:
CIMENTO

Química do cimento:
CIMENTO

Química do cimento:
Estruturas Fibrilares: C-S-H

 Cristais de C3S e C2S hidratados:

 50 % a 60% do volume da pasta;


 São as estruturas C-S-H - C=CaO, S=SiO2, H=H2O;
 Estruturas unidas através de ligações de van der Waals;
 Excelente resistência mecânica e química.
CIMENTO

Química do cimento:
Estruturas Prismáticas: C-H - Portlandita

 Cristais de grande tamanho;


 Cristais com formas hexagonais;
 Formados p/ hidróxido de cálcio - Ca(OH)2;
 20 a 25% do volume de sólidos;
 Responsáveis pH elevado da pasta (pH ≈ 13);
 Ca(OH)2 é muito solúvel em água;
 Ca(OH)2 é quimicamente muito reativo;
 Cristais porosos com baixa resistência mecânica.
CIMENTO

Química do cimento:
Etringita: Produto da hidratação dos Aluminatos

 Cristais grandes e volumosos;


 Formados por C3A + gesso hidratados;

 Com a redução na concentração de sulfato, a etringita se decompõe,


formando monossulfato:

 Cristais muito porosos com baixa resistência mecânica;


 São os primeiros cristais da pasta a se formar;
 Podem causar falsa pega;
 Representam 15 a 20 % do volume de sólidos.
CIMENTO

Química do cimento:
Na presença de umidade no concreto já endurecido, a etringita
recristaliza em cristais maiores dentro dos vazios.
CIMENTO

Química do cimento:
CIMENTO

Química do cimento:
Qual cimento devo escolher?

- Cimento com alta resistência inicial libera muito calor


de hidratação, como consequência fissura mais facilmente.

- Cimento com baixa resistência inicial e baixo calor de


hidratação não fissura.
CIMENTO

Química do cimento:
CIMENTO

Propriedades e ensaios:
TEMPOS DE PEGA:
Início de Pega: é o tempo em que ocorre o início do
endurecimento do cimento, após a adição da água.

Fim de Pega: é o tempo necessário para ocorrer o término do


endurecimento do cimento.
CIMENTO

Propriedades e ensaios:
TEMPOS DE PEGA:
CIMENTO

Propriedades e ensaios:
FINURA:

O grau de moagem (finura) influencia nas propriedades do


cimento.

Quanto mais fino o cimento, mais rápida é a pega e maior a


quantidade de calor de hidratação liberada.
CIMENTO

Propriedades e ensaios:
EXPANSIBILIDADE:

É o aumento de volume da pasta devido à hidratação dos compostos.

O MgO é o principal responsável por esse aumento de volume ao


formarem cristais de Periclásio.

O gesso também pode ocasionar a expansão.


CIMENTO

Propriedades e ensaios:
RESISTÊNCIA À SULFATOS:

Teor de C3A menor que 8%;

Teor de adições carbonáticas menor que 5%;

60% a 80% de escória de alto forno;

25% a 40% de Pozolana.


CIMENTO

Propriedades e ensaios:
MASSA ESPECÍFICA:

Varia de 2,9 g/cm3 no CP IV até 3,18g/cm3 no CP II.


CIMENTO

Propriedades e ensaios:
RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO:

É influênciada pela quantidade de água em relação à quantidade


de cimento.

Para ensaio prepara-se uma argamassa 1:3:0,48 com areia normal


(IPT).