Você está na página 1de 4

Lista 8 de CF368 - Eletromagnetismo I

Fabio Iareke <fi07@fisica.ufpr.br> 29 de julho de 2013

Exerc´ıcios propostos pelo prof. Ricardo Luiz Viana <viana@fisica.ufpr.br>, retirados de [1].

Obs.:

Resolu¸c˜oes (Solu¸c˜ao rlv ) foram ’baseadas’ na resolu¸c˜ao do professor.

Cap´ıtulo 12

 

´

12-1

E

dado um circuito de corrente (n˜ao necessariamente r´ıgido) num campo magn´etico prescrito.

A

for¸ca magn´etica em wda elemento de circuito d l ´e dada por I d l × B. Se o circuito puder

mover-se sob as influˆencias das for¸cas magn´eticas, de modo que um elemento δ r se desloque

e,

ao mesmo tempo, a corrente I se mantenha constante, demonstre, por c´alculo direto, que

o

trabalho mecˆanico feito pela for¸ca ´e δW = Φ, onde δΦ ´e o fluxo adicional que atravessa

o

circuito.

Solu¸c˜ao rlv :

d F = Id l × B

trabalho realizado

δW

=

=

F

B

· δ r = d F · δ r = Id l × B · δ r = Id l × B · δ r

× δ r · d l = B · δ r × d l = I

B · δ

r × d l = Φ

d a = da rˆ

δΦ = lateral

B

da = δ r × d l

· nˆ da = lateral

B · δ

r × d l

12-3 Considere dois circuitos de corrente interagentes, caracterizados pelas indutˆancias L 1 = βI

s

1 ,

Trata-se de um sistema

magn´etico revers´ıvel por´em n˜ao linear. Calcule a energia magn´etica do sistema em termos das correntes finais I 1 e I 2 . Fa¸ca isto de duas maneiras: primeiro, trazendo as correntes a seus valores finais, em concordˆancia; segundo, mantendo I 2 = 0 enquanto I 1 ´e levado a seu valor final, variando ent˜ao, I 2 .

M 12 = M 21 = βI

s/2

1

s/2

I

2

e L 2 = βI

s , onde β e s s˜ao constantes.

2

, L 2 = βI

valores finais , I 2 : valores instantˆaneos I 2 : valores finais

Solu¸c˜ao rlv : L 1 = βI

1 s , M 12 = M 21 = βI

s/2

1

s/2

I

2

s

2

;

I 1 : valores instantˆaneos I 1 :

dU = dW b = I 1 dΦ 1 + I 2 dΦ 2

Φ 1 =

2

j=1

M 1j I j = L 1 I 1 + M 12 I 2

1

Φ 2 = M 21 I 1 + L 2 I 2

dW b = I 1 (L 1 dI 1 + I 1 dL 1 + M 12 dI 2 + I 2 dM 12 ) + I 2 (M 21 dI 1 + I 1 dM 21 + L 2 dI 2 + I 2 dL 2 )

(a)

dL 1 = βsI

s1

1

dI

1

dM 12 = dM 21 = β M 12 dI 1 + M 12 dI 2

∂I 1

∂I 2

dU = β(1 + s) I

s+1

1

+ I

s/2

1

+ I

s/2+1

2

dI 1 + β(1 + s) I

s+1

2

+ I

s/2+1

1

trazendo as correntes I 1 e I 2 aos seus valores finais em concordˆancia

+ I

s/2

2

dI

2

U = dU = β(1+ 2) I 1 [I

0

s+1

1

+I

s/2

1

+I

s/2+1

2

]dI 1 + β(1+ 2) I 2 [I

0

s+1

2

+I

s/2+1

1

+I

s/2

2

2

]dI

U =

1

+ + s s (L 1 I

2

1 2 + M 12 I 1 I 2 + L 2 I )

2

2

(b) I 2 = 0, trazendo I 1 ao valor final, I

2

12-4 Um circuito em forma de uma espira circular de fio, de raio b, ´e colocado no centro de uma espira maior de raio a, b a. Fixa-se o pequeno circuito de maneira que esteja livre para girar em torno de um de seus diˆametros, estando este diˆametro localizado no plano de um circuito maior. Os circuitos conduzem, respectivamente, as correntes estacion´arias I b e I a . Se o ˆangulo entre as normais aos dois circuitos for θ, calcule o torque sobre o circuito m´ovel. Qual ser´a o sentido deste torque, quando I b e I a circularem no mesmo sentido?

Solu¸c˜ao rlv :

τ b = m

b ×

campo criado no eixo da espira

B a

m b = I b (πb 2 n b

τ b = m b B a sin θ

B a (z) = µ 0 I a

2

a

2

(z 2 +

a 2 ) 3/2 zˆ

2

B a (0) = µ 0 I a

a

2

a

3

zˆ = µ 2a 0 I a nˆ a

τ b I b πb 2 µ 2a 0 I a sin θ

1

b

2

τ b =

2 µ 0 I a I b

a

sin θ

12-5 Um eletro´ımˆa em forma de U , de comprimento l, separa¸c˜ao de p´olos d e permeabilidade µ,

tem se¸c˜ao quadrada de ´area A.

Calcule a for¸ca com a qual o ´ım˜a sustenta, entre seus p´olos, uma barra do mesmo material, de mesma se¸c˜ao reta.

E enrolado com N espiras de fio, conduzindo uma corrente I.

´

2

Solu¸c˜ao rlv :

F x = U ∂x

Φ

dU = u dv =

B

2

2µ 0 (2A dx)

NI

C

H(l + d) = NI

H · d l =

B = µH = l µNI + d

dU = µ 2 N 2 I 2 A

µ 0 (l + d)

2

dx

F x = dU

dx

=

µ 2 N 2 I 2 A

µ 0 (l + d) 2

12-7 O campo de indu¸c˜ao magn´etica entre os p´olos de um eletro´ım˜a ´e relativamente uniforme

e mant´em -se no valor constante

movimento vertical, ´e colocada no campo como ´e mostrado na Fig. 12-4. A susceptibilidade da chapa ´e χ m e a ´area de sua se¸c˜ao reta ´e A. (a) Calcule a for¸ca exercida sobre a chapa.

Uma fina chapa paramagn´etica, que se restringe ao

B 0 .

(b) Obtenha um valor num´erico para a for¸ca se o material da chapa for o titˆanio, A = 1 cm 2

e B 0 = 0, 25 T.

Solu¸c˜ao rlv :

U f = v´acuo

F x = U ∂x

Φ

U i =

u dv =

B 2

2µ

dv = B

2

2µ (Ad)

B

2

2µ

0

dv + placa

B

2

2µ

= B 2 0 (Ax) + B

2µ

1

µ

1

2

dv

2µ [A(d x)]

U = U f U i = B 2 Ax

2

µ

0

F x = B 2 A

2

1

0

1

µ

µ

χ m = K m 1 =

µ

µ 0

1

12-9 Um circuito r´ıgido, constitu´ıdo de uma s´o espira de fio, est´a localizado num campo de indu¸c˜ao

magn´etica radial, inverso do quadrado,

´e F = KI Ω, onde Ω ´e o ˆangulo s´olido que o circuito subtende no centro do campo e I ´e a corrente no circuito.

B = K r/r 3 . Demonstre que a for¸ca sobre o circuito

3

Solu¸c˜ao rlv :

elemento de ˆangulo s´olido

B = K

r

r 3

dΩ = da

 

da cos θ

= da

 

r 2

=

r 2

r

r 3 · nˆ da = K

r

r rˆ

r3 2

nˆ · rˆ

Φ = V · nˆ da = K

· nˆ da = K

∆Φ = K∆Ω

?? Prob 12-1:

δU = IdΦ = IKδ

F x = + U ∂x

I

F = U = IK

d

12-11 Considere um solen´oide muito comprido, de N/l espiras por unidade de comprimento e raio R, tal que o campo em seu interior seja aproximadamente uniforme e o campo em seu exterior seja nulo. Encontre a partir da energia magn´etica a for¸ca radial sobre uma espira do enrolamento, por unidade de comprimento da circunferˆencia. (a) Suponha que a corrente I se mantenha constante por meio de uma bateria. (b) Repita, supondo que o fluxo permane¸ca constante e que o sistema esteja isolado (com enrolamentos supercondutores).

Solu¸c˜ao rlv :

dv

= (πr 2 ) dz

U =

u dv =

(a)

F r = U ∂r

I

for¸ca sobre as espiras

(b)

F r = U ∂r

Φ

2µ 0 R

1

0

B 2 dv =

1

2µ 0 µ

0 N

2

l

U(r) = πr 2 µ 2l 0 N 2 I 2

F r (r)

= πrµ 0 N 2 I 2

l

F r (R) = πRµ 0 N 2 I 2

l

2 I 2 r 2 l dz

0

F r (R)

1

2 µ 0 N

I 2

(2πR)N =

l

 

.

.

.

N I 2 (2 πR ) N = l   . . . (2 πR )

(2πR)N = 2 µ 0 N

F r (R)

1

l

(2 πR ) N = − 2 µ 0 N F r ( R ) 1
(2 πR ) N = − 2 µ 0 N F r ( R ) 1

I 2

Referˆencias

[1] John R. Reitz, Frederick J. Milford, Robert W. Christy Fundamentos da Teoria Eletro- magn´etica 3a edi¸c˜ao, Editora Campus Ltda. Rio de Janeiro

4