Você está na página 1de 5

https://www.youtube.com/watch?

v=JycGEpX2f4I

O que são os salmos e quais os seus


significados?

Salmo é um conceito que deriva do vocábulo latino psalmus. O termo


é usado para designar uma composição que se pronuncia ou entoa
para louvar uma divindade. Os salmos reais. Designam-se assim por
estarem relacionados com a realeza. Mais exatamente uns versam
sobre aquilo que representa a figura do rei David e outros giram em
torno da realeza divina. A autoria da maioria dos salmos é atribuída
ao rei Davi, o qual teria escrito pelo menos 73 poemas.

PARA QUE SERVEM OS SALMOS ?

O PRINCIPAL SIGNIFICADO DOS SALMOS

A maneira como um Salmo é construído em ritmos cantados faz


com que, se entoados se maneira correta, sejam capazes de emitir
vibrações que sincronizam com energias divinas ou celestiais. Cada
anjo, por exemplo, possui uma energia especial, a qual pode ser
sincronizada através de um Salmo especificamente construído para
ele, produzindo certos efeitos místicos pouco conhecidos. A seguir,
vamos conhecer o significado dos Salmos e a sua importância
Por que os Salmos 120 a 134 são chamados de
Cânticos de Degraus?

Cânticos de Degraus são chamados de Salmos de


Peregrinação, ou Cânticos das Subidas, ou em algumas Biblia,
Cânticos de Degrasus.

No cabeçalho de cada um destes Salmos encontra-se a


expressão shir hama´alot, que significa, literalmente,
cânticos ou canção das subidas. A expressão “das
subidas” está ligada a palavra ma´alot, que tem a raiz
verbal na palavra(„alah), que significa subir. Existem
algumas traduções que interpretam o termo shir
hama´alotpor “salmos de romaria (ou romagem)”.
Certas canções das subidas receberam acréscimos, como os
Salmos 122, 124 e 133 com a expressão ledawid (para
Davi) e outra no Salmo 127, com a expressãoleShlomon
(para Salomão). Essas canções foram usadas no período
pós-exílico pelos peregrinos que iam em direção as festas
cultuais no reconstruído Templo em Israel, a saber, as
celebrações: da Páscoa (Pesach), das Semanas ou Colheita
(Shavuot) e dos Tabernáculos (Sucot). Estas são as três
festas de peregrinação descritas na Bíblia como
mandamento. Cada Israelita deve subir a Jerusalém para
ser visto ou ver a Deus no Templo.
Um fato curioso neste grupo de Salmos é que apenas o
Salmo 122 faz menção especificamente à peregrinação para
o Templo da cidade santa, a Jerusalém. Conforme no verso
1 e 2, “Alegrei-me quando disseram para mim: Para a Casa
de Javé, nós vamos; Colocados estão os nossos pés, nos teus
portões, ó Jerusalém”, revela uma ação contínua, evocando
uma ideia de movimentação no sentido de peregrinar, ou
seja, o fato se consome na medida em que os peregrinos vão
em destino à Jerusalém, no Templo.

Diante deste aspecto, cabe analisar quais seriam os


critérios para a formação desta coleção de 15 Salmos (120-
134) e o porquê destes Salmos estarem agrupados sob o
mesmo título. Uma explicação coerente para tal questão é
devido no título de cada um desses Salmos apresentarem a
palavra shir (cânticos) que evoca o sentido de tal
ajuntamento, ou seja, esta coleção foi agrupada, devido
estes Salmos serem uma coleção de cantos.
Três características que poderiam explicar esta questão:
uma refere-se às repetições ou frases em versos sucessivos,
dando a impressão de tratar-se de passos dentro de um
processo. A segunda considera que os quinze salmos teriam
relação com os quinze degraus que vão do culto das
mulheres ao culto de Israel. A terceira associa estes cantos
com a subida dos exilados do cativeiro na Babilônia (Esd 2,1;
7,9).
Os Salmos 132-134

Quando foi escrita esta coleção Neste momento será analisada


a época em que se inserem os Salmos de Subidas. Conforme visto
anteriormente, se torna uma tarefa complexa saber com
exatidão o período em que estas poesias foram formadas. No
entanto, o que se pode perceber são algumas pistas que podem
levar a uma datação periódica dos textos.
Diante de tais questões, destaca-se o pensamento de
Carlos Mesters que diz que os Salmos de Subidas são
originados da vida do povo de Deus. Com isso, eles são de
tempos diferentes, podendo até se contextualizar com o
nosso tempo. Contudo, diante de variadas referências da
época pós-exílica encontrada nestes salmos faz-se supor
que este bloco de poesias faz parte desta tal época.
Outro fator histórico que contribui para datar esta coleção é o tema da
confiança, fortemente presente no conteúdo desses salmos. Como um
livro destinado a estimular o povo a confiar em Javé, é possível pensar,
com forte possibilidade, que estes salmos foram compostos e editados
com a finalidade de fortalecer na fé uma comunidade sem consolo e
destruída pela desestruturação, primeiramente, empreendida pelos
babilônios e, mais tarde, os persas e os gregos.

Este conjunto de salmos (Sl 132-134) é a conclusão dos ma´alot,


onde o destaque maior está no verbo barak, abençoar e no louvor
do povo ao receber as bênçãos de Deus. Para Schwantes, esta
conclusão é a despedida dos peregrinos que estão em Jerusalém
e são abençoados pelo sacerdote: “é como óleo fino sobre a
cabeça, descendo pela barba, a barba de Aarão”.
Portanto, nesta coleção dos shir hama´alot temos o tema da
confiança como um fator central e que tem por periférico os
conflitos vivenciados no cotidiano do povo. Assim, os devotos
de Javé seguem em peregrinação em direção a Jerusalém
tendo por foco a confiança de que Javé irá abençoá-los.
Destaque para a introdução que evoca o sentido da confiança
e para a conclusão que evoca o sentido do louvor, onde
entrelaçados dão sentido a uma coleção que está voltada
para questões do culto.

Um estudo do Salmo 133

Interpretação do Salmo 133


O salmo 133 em estudo começa pelo versículo 1 e 2 e que se refere à
união com grande satisfação e amor. A expressão ” …quão bom e quão
suave” passa o sentido de um significado que expressa o agradável prazer e
sensação recompensadora. Mais para frente ele cita o óleo, porque os
sacerdotes eram ungidos com óleo como símbolo de benção e missão
cumprida. E por isso, o salmista compara o povo que vive em união e
harmonia, como aqueles que foram abençoados por Jesus.
No último versículo cita sobre as bençãos de Deus perante nossa vida, onde
assim como o orvalho de Hermom, também somos abençoados por Ele.

Aqui, é interessante aprender a importância de Hermom para a região de


Israel. Essa localização é um monte de 30 quilômetros de extensão todo
congelado, e se destaca nesse território. A medida em que se chega à base
do monte, a geleira derrete irrigando a terra e trazendo vida ao local, e é ali
nessa água unida em demais pontos que nasce o rio Jordão. Esse mesmo
monte, encontra-se na área norte de Israel, uma localização seca,
considerada desértica. Portanto Hermom é a representação de vida para a
região, é como um milagre que nasceu para beneficiar uma localidade que é
maltratada pela seca.

O intuito de Deus sempre é fazer o bem para o Seu povo, Davi através de
algumas palavras consegue expressar seu reconhecimento e
amor. O Salmo 133 em explicação nos fazer perceber a admiração serena
e verdadeira nas palavras e principalmente de como devemos segui-las.

Salmo da Fraternidade ou Salmo da Concórdia ou Salmo Maçônico,


refere-se ao Salmo 133, onde David enaltece a fraternidade
citando Aarão no contexto dos Montes Sião e Hermon.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Salmo_Ma%C3%A7om