Você está na página 1de 8

Moçambique organiza, entre os dias 9 e 10 de Novembro de 2017, no Distrito de Bilene, Província de Gaza, o Fórum da

Aquacultura. O evento iniciará com a inauguração do Centro de Pesquisa em Aquacultura (CEPAQ), localizado em Ma-
papa, no Distrito de Chókwè, e incluirá, também, um conjunto de actividades alusivas ao despertar para a aquacultura,
nomeadamente, (i) visitas guiadas a empresas de aquacultura, (ii) áreas de terra salinizada e propícias para a actividade
aquícola e (iii) exposição e feira de produtos e insumos aquícolas.

SOBRE O FÓRUM EXPECTATIVAS

O Fórum da Aquacultura é um evento que reunirá um au-


ditório misto, composto por entidades governamentais,
parceiros de cooperação, instituições académicas, secto-
res financeiro e empresarial, associações económicas, in-
dústria pesqueira, representantes das comunidades rurais
de piscicultores, sociedade civil, comunicação social, en-
tre outros convidados.

ORGANIZAÇÃO

Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas, com o apoio


Pretende-se que os dois dias consagrados à aquacultu-
do Governo da Província de Gaza e patrocínio de parcei-
ra proporcionem aos participantes um momento ímpar
ros de cooperação.
e aglutinador de experiências nacionais e internacionais,
OBJECTIVOS aprendizagem, divulgação, debate e reflexão sobre o de-
sencadeamento de um verdadeiro desenvolvimento da
aquacultura em Moçambique.
1. Incentivar as comunidades e o sector empresarial a em-
preender no negócio da aquacultura; Pretende-se, igualmente, que o evento sirva para dissipar
2. Incentivar o sector financeiro para incluir, na sua carteira a ideia que paira no país de que a aquacultura é, por natu-
de investimentos, linhas de crédito especiais que tornem reza, uma actividade de subsistência para pessoas caren-
o acesso ao dinheiro mais competitivo; tes economicamente, demonstrando às comunidades e
3. Incentivar parcerias institucionais que permitam colocar ao empresariado nacional e estrangeiro, incluindo institui-
a pesquisa em aquacultura ao serviço da agenda de de- ções financeiras, que a aquacultura é um negócio viável e
senvolvimento nacional. lucrativo e joga um papel nobre e inteligente na provisão
da segurança alimentar e nutricional às populações.

www.mozpesca.gov.mz/forum 1
RESULTADOS ESPERADOS LOCAL

O Fórum da Aquacultura realiza-se nos dias 9 e 10 de No-


vembro de 2017, no Bilene, e decorrerá sob o lema
“Aquacultura – um negócio inteligente, nobre e
O cometimento efectivo dos diversos intervenientes na lucrativo”.
cadeia de produção aquícola;
2. Estimule a mobilização de financiamentos para a acti-
QUEM DEVE PARTICIPAR
vidade; 1. Aquacultores
3. Desperte sobre o valor comercial e nutritivo do pesca- 2. Indústria pesqueira
do, incentivando os produtores e processadores a acres- 3. Processadores
centar maior valor aos seus produtos; 4. Associações económicas
4. Reforce as parcerias entre o tecido empresarial e as ins- 5. Instituições académicas
tituições de investigação e extensão. 6. Sector financeiro

SESSÕES PRINCIPAIS

Os temas do Fórum serão estruturados num conceito de abordagem em blocos, sob a forma dos seguintes três painéis
temáticos:
∆∆Prof. Dr. António Mubango
PAINEL 1: Moderador: ∆∆Dr. Sloans Chimatiro
∆∆Prof. Dr. Altimir Gregolim
Um olhar sócio-económico da pesca e Dr. Ragendra de Sousa Painelistas: ∆∆Dr. Gamal El Naggar
aquacultura ao nível local e global ∆∆Dra. Alima Tajú

PAINEL 2: ∆∆Dr. Marco Túlio Peixoto


Moderador: ∆∆Dr. Kristen Rana
O conhecimento da actividade produtiva e Painelistas: ∆∆Dr. Pedro Toledo
Dra. Cláudia Baúle
importância da pesquisa, tecnologia e ∆∆Dr. Hans Magnus Gjøen
inovação ∆∆Dr. Jamu Daniel

Painelistas:
PAINEL 3: Moderador: ∆∆ Dra. Stella Pinto Novo Zeca ∆∆ Dr. Robson Mutandi
∆∆ Eng°. Agostinho Vuma ∆∆ Dr. André Aquino
Aquacultura na rota do negócio Sr. Hermínio Tembe ∆∆ Dr. Tomás Rodrigues Matola
∆∆ Dr. Morten Frost Hoyum
sustentável, comercial e lucrativo ∆∆ Dr. António Souto
Sr. Miguel Micas Langa ∆∆ Dr. João Marcos Mangave ∆∆ Dr. Aage Jorgensen
em Moçambique ∆∆ Dr. Vicente Ernesto
∆∆ Dr. Bernardo Mponda

“AQUACULTURA um negócio
inteligente, nobre e lucrativo”
2
LOCAL & ACOMODAÇÃO

∆∆Humula Beach Resort & Spa


∆∆Município da Praia do Bilene

Contacto
Prédio do Hotel Rovuma, Sobreloja, porta n ° 33
Rua da Sé, n.o114
Maputo
Moçambique

Reserva Maputo: +258 82 820 6537


Email: reservas.maputo@humula.co.mz

SOBRE O BILENE

O Distrito de Bilene está situado na parte sul da província de Gaza e a sua sede é a vila da Macia.
Tem limites geográficos, a norte, com o distrito de Chókwè; a leste, com os distritos de Chibuto e Xai-Xai; a sul, com o
Oceano Índico; e, a oeste, com os distritos da Manhiça e Moamba, província de Maputo.
O Distrito de Bilene tem uma superfície de 2719 km² e uma população recenseada, em 2007, de 151.548 habitantes.

A cerca de 145 km a norte da Cidade Maputo, capital de Moçambique, pela Estrada Nacional n° 1, na vila da Macia, há
o desvio para a Praia do Bilene. Ao fim de 30 km de estrada alcatroada encontra-se uma enorme lagoa, de 27 km de
comprimento por 8 km de largura. Estima-se que a sua profundidade possa chegar aos 50 metros. As águas são crista-
linas, calmas, pouco profundas e ligeiramente salgadas e a temperatura ronda os 30 graus Célsius, areia fina e branca,
atravessando a lagoa de barco pode-se chegar ao mar

www.mozpesca.gov.mz/forum

3
SOBRE MOÇAMBIQUE
Moçambique, ooficialmente designado de República de Moçambique, é um país localizado no sudeste do continente
africano, banhado pelo Oceano Índico a leste e que faz fronteira com a Tanzânia, a norte; Malawi e Zâmbia, a noroeste;
Zimbabwe, a oeste; e África do Sul e Suazilândia, a sudoeste. A capital e a maior cidade do país é Maputo.

Moçambique é dotado de ricos e extensos recursos naturais. A sua economia é baseada na agricultura, mas o sector
industrial, principalmente na fabricação de alimentos, bebidas, produtos químicos, alumínio e petróleo, está a crescer.
O turismo, mercê do enorme potencial de que o país dispõe, é outra área também em crescimento.
A África do Sul é o principal parceiro comercial de Moçambique e a principal fonte de investimento directo estrangei-
ro. Portugal, Brasil, Espanha e Bélgica também estão entre os mais importantes parceiros económicos do país. Desde
2001, a taxa média de crescimento económico anual do PIB moçambicano tem sido uma das mais altas do mundo. No
entanto, as taxas de PIB per capita, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), desigualdade de renda e expectativa de
vida de Moçambique são baixos.

SIMBOLOS NACIONAIS
PIB (base PPC) Estimativa de 2014
- Total US$ 29 757 mil milhões
- Per capita US$ 1 123

PIB (nominal) Estimativa de 2014


- Total US$ 16 590 mil milhões
- Per capita US$ 626

Bandeira Emblema Hino Nacional


IDH (2015) 0,418 (181.º)
Nacional (Brasão de Armas) Pátria Amada
Moeda Metical (MZN)

Fuso horário (UTC+2)


Capital Maputo
Clima Tropical
Língua oficial Português
Org. internacionais União Africana, CPLP, PALOP, ONU,
Governo República Presidencialista SADC, Organização da Conferência
Islâmica, Commonwealth.
- Presidente Filipe Jacinto Nyusi

Data da Independência 25 de Junho de 1975 Cód. ISO MOZ


Cód. Internet .mz
Área Total 801 590 km² Cód. telef. +258
Website governamental www.portaldogoverno.gov.mz
População 25 930 150 hab.
- Estimativa para 2017

4
www.mozpesca.gov.mz/forum
POLÍTICA

Moçambique é um país democrático baseado num siste-


ma político multipartidário. A Constituição da República
consagra, entre outros, o princípio da liberdade de asso-
ciação e organização política dos cidadãos, o princípio da
separação dos poderes legislativo, executivo e judiciário,
e a realização de eleições livres.

ECONOMIA
O País tem vindo a registar um notável crescimento eco-
nómico. O Produto Interno Bruto (PIB) tem estado a cres-
cer numa média acima de 7-8% ao ano, chegando mesmo
a atingir níveis de 2 dígitos. A inflação está abaixo de 10%.
A tendência é mantê-la em um dígito.

GEOGRAFIA
Em termos monetários, Moçambique possui um dos re-
gimes cambiais mais liberalizados de África. Os parceiros Com 801.537 quilómetros quadrados de área territorial,
comerciais externos têm motivos suficientes para inspira- Moçambique é o 34º maior país do mundo em área ter-
rem uma grande confiança pelo País face à capacidade ritorial.
que as autoridades monetárias têm conseguido manter
volumes adequados de meios de pagamento sobre o ex- A norte do rio Zambeze, o território é dominado por um
terior. grande planalto, com uma pequena planície costeira bor-
dejada de recifes de coral e, no interior, limita com ma-
As reservas externas do Banco Central têm estado a si- ciços montanhosos pertencentes ao sistema do Grande
tuar-se acima dos seis meses de importação de bens e Vale do Rift. A sul é caracterizado por uma larga planície
serviços. costeira de aluvião, coberta por savanas e cortada pelos
vales de vários rios, entre os quais destacando-se o rio
O Estado, através da execução da sua política orçamental Limpopo.
regula e dinamiza as áreas sócio-económicas mais impor-
tantes e cria um bom ambiente de negócios, muito favo- CLIMA
rável ao desenvolvimento da iniciativa privada.
O clima do país é húmido e tropical, influenciado pelo re-
As reformas jurídicas, no âmbito da legislação financeira, gime de monções do Índico e pela corrente quente do
fiscal, laboral, comercial e da terra levadas a cabo pelo canal de Moçambique, com estações secas de Maio a Se-
Governo, contribuem significativamente para fortalecer tembro. As temperaturas médias em Maputo variam entre
esse bom ambiente com a respectiva atracção do investi- os 13-24 °C em Julho a 22-31 °C em Fevereiro. A estação
mento privado nacional e externo. das chuvas ocorre entre Outubro e Abril. A precipitação
O potencial económico para a atracção de investimentos média nas montanhas ultrapassa os 2000 mm. A humida-
na agro-indústria, agricultura, turismo, pesca e minera- de relativa é elevada, situando-se entre 70 a 80%, embora
ção é enorme. Projectos como o da Mozal, Barragem de os valores diários cheguem a oscilar entre 10 e 90%. As
Cahora Bassa, Corredores Ferro-Portuários, Complexos temperaturas médias variam entre 20 °C no Sul e 26 °C no
Turísticos ao longo de todo o País e, mais recentemen- Norte, sendo os valores mais elevados durante a época
te, as descobertas de gás e de petróleo, têm contribuído das chuvas.
significativamente para colocar Moçambique na rota dos Tabela de previsão de tempo semanal
grandes investimentos regional e internacional. de 05 a 11/11/2017

DOM 05/11 SEG 06/11 TER 07/11 QUA 08/11 QUI 09/11 SEX 10/11 SÁB 11/11
26° /21° 26° /21° 27° /21° 25° /20° 24° /18° 28° /22° 25° /20°
Parcialmente Parcialmente Parcialmente Períodos de Chuva Chuvas fracas Pouco nublado
nublado nublado nublado chuva Média hist. Média hist. Média hist.
Média hist. Média hist. Média hist. Média hist. 29°/23° 29°/23° 29°/23°
29°/22° 29°/22° 29°/22° 29°/22° 5
ORGANIZAÇÃO

MINISTÉRIO DO MAR, ÁGUAS INTERIORES E PESCAS

Parceiros

Reino da Noruega Reino da Islândia


“AQUACULTURA
um
negócio
inteligente,nobre e

lucrativo”
FÓRUM DA AQUACULTURA