Você está na página 1de 9

TEORIA DA DECISÃO APLICADA à AVIAÇÃO CIVIL .

Elementos Comuns a Qualquer Problema de Decisão NO CAMPO AERONÁUTICO.

Três elementos estão presentes quando se deve solucionar um problema de decisão:

a) estratégias alternativas: as estratégias são as possíveis soluções para o problema. Um problema só


pode ser resolvido se sairmos do estágio de “achar uma solução” para o estágio de “escolher entre várias
alternativas de solução”.

b) estados da natureza: são as ocorrências futuras que podem influir sobre as alternativas fazendo com
que elas possam apresentar mais de um resultado.

c) resultados: cada alternativa de solução leva um ou mais resultados, que são as conseqüências da
alternativa. É preciso tomar algum cuidado neste ponto, já que muitos podem acreditar que uma dada
alternativa deve fatalmente levar a um só resultado.

A Matriz de Decisão na negociação.

A matriz de decisão é um auxílio visual a um problema de decisão, que permite juntar os três elementos
comuns vistos anteriormente. A matriz é geralmente assim constituída:

- nas linhas listam-se as alternativas possíveis;

- nas colunas listam-se os estados da natureza;

- em cada cruzamento linha/coluna coloca-se o resultado correspondente.

Tabela - A Matriz de Decisão

Estados da natureza
Alternativas EN1 EN2 EN3 ... ENk
A1 R11 R12 R13 ... R1k
A2 R21 R22 R23 ... R2k
A3 R31 R32 R33 ... R3k

Ap Rp1 Rp2 Rp3 … Rpk


Observação: Ai representa a iesima alternativa, Enj o jésimo estado da natureza e Rij o resultado associado
a eles.

Classificação dos Problemas de Decisão de Negociação.

A classificação dos problemas de decisão é feita de acordo com os estados da natureza:

a) Problemas de decisão tomada da certeza (DTSC): são aqueles onde existe um só estado da natureza ou,
alternativamente, todos os estados da natureza levam a um só resultado para cada alternativa.

b) Problemas de decisão tomada sob risco incerteza (DTSR): são aqueles onde podemos, objetiva ou
subjetivamente, atribuir probabilidades de ocorrência aos estados da natureza. (Sobre as probabilidades
subjetivas).

c) Problemas de decisão tomada sob incerteza (DTSI): são aqueles onde desconhecemos e não podemos,
por qualquer motivo, atribuir probabilidades aos estados da natureza. Repare o leitor que em todo o caso
conhecemos os estados possíveis: apenas não temos para eles probabilidades estabelecidas.

Decisão Tomada sob Risco

Nos problemas de decisão tomada sob risco, conhecemos as probabilidades de ocorrência de cada um dos
estados da natureza. A decisão com base no resultado médio ou resultado esperado de cada alternativa.

Valor Esperado da Alternativa

Definimos:

“Valor esperado da alternativa (VEA) é a soma dos produtos dos resultados da alternativa pelas
respectivas probabilidades dos estados da natureza a eles associados.”
Como se vê, o VEA nada mais é do que a média ponderada dos resultados possíveis para a alternativa,
tomando as probabilidades dos estados da natureza com pesos de ponderação. Uma vez calculado o VEA
para cada alternativa, a sua comparação pura e simples permite escolher a melhor delas.

Tabela – Matriz de Decisão para o Lançamento de um Produto

Estados da natureza
Alternativas Baixa Média Alta

demanda demanda demanda

p= 0,2 p=0,3 p= 0,5


Usar instalações - 100 100 200

existentes
Construir novas - 300 0 400

instalações

Valor Esperado da Informação Perfeita

Até que ponto devemos empenhar esforços e consumir recursos para obter melhores informações
sobre o futuro?

“Valor esperado da informação perfeita (VEIP) é o ganho excedente sobre a decisão tomada com
o mero conhecimento das probabilidades de ocorrência dos estados da natureza futuros.”

Do livro de Moreira (2001) extraímos o seguinte exemplo, agora adaptado ao setor aeronáutico:

Suponhamos um gestor que trabalha com rotas. Essas são programadas no semestre e revendidos no
bimestre posterior. O gestor gasta Cr$ 200,00 por rota ou viagem que compra e revende a Cr$ 400,00 a
unidade. Para facilitar o exemplo, vamos admitir que a demanda para os rotas só assumamos valores de
50, 100 ou 150 unidades. O gestor poderá qualquer uma dessas mesmas quantidades, mas não sabe de
antemão qual será a sua demanda, conhecendo tão somente suas probabilidades. Vamos também admitir
para simplificar que, se por acaso o gestor comprar mais rotas do que vende no bimestre perde mente a
rotas não vendida. Sabe-se que o gestor estima em 0,35; 0,45 e 0,20 respectivamente, a probabilidade de
que a demanda seja de 50, 100 ou 150 unidades. Dentro dessa situação, pede-se:

a) a melhor decisão a tomar sob isso

b) o valor esperado da informação perfeita

Tabela – Matriz de Decisão para o Problema dos Rotas

Estados da natureza
Alternativas Vender Vender Vender

50 100 150

rotas rotas rotas

p= 0,35 p=0,45 p=0,20


Comprar 50 rotas 10.000 10.000 10.000
Comprar 100 rotas 0 20.000 20.000
Comprar 150 rotas -10.000 10.000 30.000

Decisão Tomada sob Incerteza

Na decisão tomada sob incerteza, não são conhecidas as probabilidades de ocorrência dos estados
da natureza. Existem diversos critérios disponíveis para a tomada de decisão, cada qual com sua lógica
subjacente. A seguir apresentamos quatro dos critérios mais conhecidos.

O Critério Maximin
A palavra “maximin” quer dizer “o máximo entre os mínimos”. Para cada alternativa, anotamos o pior
resultado; comparando todas as alternativas entre si, escolhemos aquela que, conduz ao “menos ruim” dos
piores. É preciso tomar algum cuidado, pois o que é “mínimo” ou “máximo” depende de como foi
construída a matriz de decisão. Se os resultados estão expressos em lucro ou ganho de qualquer espécie,
então o pior resultado será o de menor valor numérico. O contrário acontecerá se os resultados
expressarem despesa ou perda de qualquer espécie.

Retornar o exemplo do negociante vendedor de rotas. Assumir que não são conhecidas as probabilidades
dos estados da natureza e aplicar o critério maximin.

Solução
A Tabela abaixo transcreve a matriz de decisão do problema do negociante, com uma coluna adicional
que aponta, para cada alternativa, o pior resultado de cada alternativa.

Tabela – Aplicação do Critério Maximin

Estados da natureza
Alternativas Vender Vender Vender Piores resultados
50 100 150
rotas rotas rotas
Comprar 50 10.000 10.000 10.000 10.000
rotas
Comprar 100 0 20.000 20.000 0
rotas
Comprar 150 -10.000 10.000 30.000 -10.000
rotas

O Critério Maximax

Neste critério, identifica-se em cada alternativa o seu melhor resultado. A palavra “maximax”
indica “o máximo dos máximos”. Dados os melhores resultados de cada alternativa, escolhe-se aquela
com o melhor entre os melhores.

Novamente vamos retornar o problema das rotas. A matriz de decisão aparece na Tabela FF , agora com
uma coluna apontando os melhores resultados (os de maior valor, neste caso) de cada alternativa. Vamos
tomar a decisão usando o critério maximax.
Solução

Tabela FF – Aplicação do Critério Maximax

Estados da natureza
Alternativas Vender Vender Vender Piores resultados
50 100 150
rotas rotas rotas
Comprar 50 10.000 10.000 10.000 10.000
rotas
Comprar 100 0 20.000 20.000 20.000
rotas
Comprar 150 -10.000 10.000 30.000 30.000
rotas

O Critério de Laplace

O critério de Laplace usa todos os dados da matriz de decisão. Como não são conhecidas as
probabilidades dos estados da natureza, elas são supostas iguais, por falta de razão para supô-las
diferentes. Por esse motivo, o critério de Laplace é algumas vezes referido como “critério ou método da
razão insuficiente”. A probabilidade associada a cada estado da natureza é sempre igual à unidade
dividida pelo número de estados da natureza. Apos assumir probabilidades iguais, calcula-se o valor
esperado pra cada alternativa, escolhendo-se a que conduzir ao melhor valor esperado.

10. No caso do negociante com suas rotas, a probabilidade que o critério de Laplace atribui a cada estado
da natureza é de 1/3, já que existem 3 estados da natureza. Os valores esperados são:

Comprar 50 rotas
VEA = (10.000) (1/3) + (10.000) (1/3) = Cr$10.000,00

Compra 100 rotas


VEA = (0) (1/3) + (20.000) (1/3) = Cr$13.333,33

Comprar 150 rotas


VEA = (-10.000)(1/3) + (30.000)(1/3) = Cr$10.000,00
A melhor alternativa é aquela com o maior VEA, ou seja, a alternativa de se comprar 100 rotas,
conduzindo a um lucro esperado de Cr$13.333,33.

O Critério do Mínimo Arrependimento

Esse critério, mais sofisticado que os anteriores, procura minimizar o arrependimento por se escolher uma
alternativa errada. É conveniente ante de tudo definir o que se entende por arrependimento.

“Dado um estado da natureza, chama-se arrependimento associado a uma certa alternativa aquilo que se
perde, em termos relativos, por não se ter escolhido a melhor alternativa, quando considerado esse estado
da natureza”.

Explica-se: dado um estado da natureza, haverá uma melhor alternativa que lhe é associada. No problema
das rotas, por exemplo, se considerarmos o estado da natureza “Vender 100 rotas”, os resultados são:

Alternativas Resultado

Comprar 50 rotas 10.000

Comprar 100 rotas 20.000

Comprar 150 rotas 10.000

A melhor alternativa, nesse caso, teria sido que o gestor tivesse comprado 100 rotas, o que lhe daria o
lucro de Cr$ 20.000. Se ele tivesse escolhido justamente essa alternativa, fica claro que não há
arrependimento algum ou, por outras palavras, o arrependimento é zero. Se, porém, ele escolheu comprar
50 rotas, o lucro será de apenas Cr$ 10.000; ele terá deixado. É este o seu arrependimento por não ter
escolhido a melhor alternativa quando o estado da natureza for “Vender 100 rotas”. O leitor pode verificar
que se o negociante tivesse escolhido a alternativa de comprar 150 rotas, o seu arrependimento teria sido
também de Cr$ 10.000. Para calcular os arrependimentos sob um dado estado da natureza, basta portanto:

a) identificar a alternativa com o melhor resultado;

b) para cada alternativa, o arrependimento é calculado subtraindo-se o seu resultado do melhor resultado
identificado em a).

PONTOS CHAVE
Há três grandes classes de problemas de decisão:

a) Problemas de Decisão Tomada sob Certeza (DTSC): são problemas onde existe apenas um
resultado associado a cada alternativa.

b) Problemas de Decisão Tomada sob Risco (DTSR): são problemas onde se desconhecemos
probabilidades associadas aos estados da natureza.

c) Problemas de Decisão Tomada sob Incerteza (DTSI): são problemas onde desconhecemos até
mesmo as probabilidades dos estados da natureza.

Você é um tomador de decisão, que está diante de quatro alternativas e três estados da natureza.
Analisando o seu problema, você consegue montar a matriz de decisão abaixo, onde os resultados
indicam as despesas estimadas (em milhões de cruzeiros anuais) sob cada alternativa e estado da natureza.

Estados da natureza
Alternativas EN1 EN2 EN3
A1 25 12 18

A2 8 20 34

A3 14 30 16

A4 20 15 25

Por outro lado, você acredita que seja possível atribuir probabilidades aos estados da natureza, da seguinte
forma:

P(EN1) = 0,30

P(EN2) = 0,25

P(EN3) = 0,45

a) escolher a melhor alternativa sob risco

b) qual é o valor esperado da informação perfeita?


Retome o problema anterior e suponha agora que são desconhecidas as probabilidades de ocorrência dos
estados da natureza. Que decisão tomaria baseado no critério do mínimo arrependimento?