Você está na página 1de 3

ARTIGOS PERTINENTES

1) SUPREMACIA DO INTERESSE PÚBLICO SOBRE O PARTICULAR

 (DESAPROPRIAÇÃO) CF/88 ART. 5° INCISO XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para


desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante justa
e prévia indenização em dinheiro, ressalvada os casos previstos nesta Constituição.

Art. 182. § 3º As desapropriações de imóveis urbanos serão feitas com prévia e justa
indenização em dinheiro.

 (REQUISIÇÃO) CF/88 Art. 5° XXV - no caso de iminente perigo público, a autoridade


competente poderá usar de propriedade particular, assegurada ao proprietário indenização
ulterior, se houver dano;

 ATRIBUTOS DO ATO ADMINISTRATIVO: LEGITIMIDADE: até prova em contrário o ato


editado está de acordo a lei. AUTOEXECUTORIEDADE: a ADM executa seus atos SEM
precisar recorrer ao Poder Judiciário. IMPERATIVIDADE: (poder extroverso) imposição de
obrigação, independentemente da vontade do particular.

2) INDISPONIBILIDADE DO INTERESSE PÚBLICO

 Primário: resultado da soma dos interesses individuais enquanto partícipes de uma


sociedade, também chamado de interesse público propriamente dito.
 Secundário: consiste nos anseios do Estado, considerando como pessoa jurídica, um
simples sujeito de direitos; são os interesses privados desse sujeito.
ATENÇÃO: O Estado só poderá defender seus próprios interesses privados (interesses
secundário) quando não existir conflito com os interesses públicos.

3) LEGALIDADE

A) Pública: Atuação dos agentes públicos. A ADM só pode fazer aquilo que estiver permitido pela lei.
O silêncio da lei é proibição.

b) Privada: Atuação dos particulares. O particular pode fazer tudo o que não estiver proibido em lei.
O silencio da lei é permissão.

EXCEÇÕES:
1. MEDIDA PROISÓRIA: CF/88 Art. 62. Em caso de relevância e urgência, o Presidente da
República poderá adotar medidas provisórias, com força de lei, devendo submetê-las de imediato ao
Congresso Nacional.
2. ESTADO DE DEFESA: O Presidente da República pode, ouvidos o Conselho da República e o
Conselho de Defesa Nacional, DECRETAR estado de defesa para preservar ou prontamente
restabelecer, em locais restritos e determinados, a ordem pública ou a paz social ameaçadas por
grave e iminente instabilidade institucional ou atingidas por calamidades de grandes proporções na
natureza. § 2º O tempo de duração do estado de defesa não será superior a trinta dias, podendo
ser prorrogado uma vez, por igual período, se persistirem as razões que justificaram a sua
decretação.
3. DO ESTADO DE SÍTIO: art. 137. O Presidente da República pode, ouvidos o Conselho da
República e o Conselho de Defesa Nacional, SOLICITAR ao Congresso Nacional autorização para
decretar o estado de sítio nos casos de...
4. IMPESSOAILIDADE

 VEDAÇÃO DA PROMOÇÃO PESSOAL PELO AGENTE PÚBLICO: Art. 37 § 1º A publicidade dos


atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter
educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou
imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos.
 Teoria da imputação ou teoria do órgão: quando o agente público atua, não é a pessoa do
agente quem pratica o ato, mas o Estado órgão que ele representa.
 Provimento de cargos por concurso público: Art. 37 II - a investidura em cargo ou emprego
público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos,
de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei,
ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e
exoneração;
 Obrigatoriedade de licitar: Art. 37 XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as
obras, serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação
pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que
estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta, nos
termos da lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica
indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações
 NEPOTISMO: Súmula Vinculante 13 A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em
linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante
ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou
assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função
gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos poderes da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações
recíprocas, viola a Constituição Federal.

5) FINALIDADE

a) ABUSO DE PODER:

Na modalidade excesso: o administrador ultrapassa os limites da sua competência. É um vício que


atinge a competência.

Na modalidade Desvio: o agente atua nos limites da competência legalmente definida, mas visando
uma finalidade diversa daquela que estava prevista inicialmente.

6) MORALIDADE

 IMPROBIDADE ADM PENAS: ART. 37 § 4º Os atos de improbidade administrativa importarão


a suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos
bens e o ressarcimento ao erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da
ação penal cabível.
 CRIME DE RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Art. 85. São crimes
de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentem contra a Constituição
Federal e, especialmente, contra: V - a probidade na administração;
 EXCEÇÕES: vida privada, segurança nacional e relevante interesse coletivo.
7) PUBLICIDADE

 ART. 5° XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu
interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da
lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à
segurança da sociedade e do Estado;

 LXXII - conceder-se-á habeas data: a) para assegurar o conhecimento de informações


relativas à pessoa do impetrante, constantes de registros ou bancos de dados de
entidades governamentais ou de caráter público; b) para a retificação de dados, quando
não se prefira fazê-lo por processo sigiloso, judicial ou administrativo;
 SUA VIOLAÇÃO PODE ACARRETAR IMPORBIDADE ADM: Art. 11. Constitui ato de
improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública
qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade,
legalidade, e lealdade às instituições, e notadamente: IV - negar publicidade aos atos
oficiais;

8) RAZOABILDIADE

 EM CASO DE VIOLÇÃO: compete ao judiciário, desde que provocado, sanar o vício da


conduta estatal, determinando a ANULÇÃO do ato ilícito.

9) PROPORCIONALIDADE

 Busca um equilíbrio entre o ato praticado e os fins a serem alcançados pela ADM.
 EM CASO DE VIOLÇÃO: compete ao judiciário, desde que provocado, sanar o vício da
conduta estatal, determinando a ANULÇÃO do ato ilícito.

10) CONTINUIDADE

 EXCEÇÕES: Art. 6o § 3o Não se caracteriza como descontinuidade do serviço a sua


interrupção em SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA ou após prévio aviso, quando: I -
MOTIVADA POR RAZÕES DE ORDEM TÉCNICA ou de SEGURANÇA DAS
INSTALAÇÕES; e, II - por INADIMPLEMENTO DO USUÁRIO, considerado o interesse
da coletividade.
Outras exceções: GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS, EXCEÇÃO DO CONTRATO NÃO
CUMPRIDO, OCUPAÇÃO TEMPORÁRIA DE BENS E SUBSTITUIÇÃO

11) AMPLA DEFESA

Súmula Vinculante 3 Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o


contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato
administrativo que beneficie o interessado, excetuada a apreciação da legalidade do ato de
concessão inicial de aposentadoria, reforma e pensão.