Você está na página 1de 8

DATA 17/04/2019

Comunicado
Rede
PROFISSÕES: INFORMAÇÃO DESTINADA A :

Oficina Homologada Responsável de pós venta


Responsável de PR
Distribuidor de PR Responsável de Oficina
Responsável de VN
Distribuidor de VN

DIFUSÃO A CARGO DO PONTO DE VENDA

Ajuda ao diagnóstico:
Alternador Standard e LIN (pilotado)

1. Contexto e objetivos

Este documento contém as principais informações para a avaliação do diagnóstico do


funcionamento dos alternadores, sendo complementar às demais documentações técnicas de
suporte ao diagnóstico da não geração de energia.

2. Função do componente Alternador

O alternador tem como função o fornecimento de energia elétrica aos componentes elétricos e
eletrônicos do veículo e manter a carga da bateria nos valores adequados.

2.1 Tipos de alternadores em uso atualmente:

2.1.1 Standard: Gera a tensão automaticamente conforme a demanda de energia elétrica


do veículo.

2.1.2 LIN (Pilotado). É comandado por linha de dados LIN conectada ao CMM, este tipo de
alternador pode ser desligado em algumas fases de uso do veículo para garantir a
melhor prestação e economia de combustível.

1/8
2.2 Esquema de funcionamento do alternador Standard

Ligado à massa do veículo (-) pela carcaça (mancal de alumínio) fixado ao motor, possui um borne
para o cabo de bateria positivo (B+) e um conector de engate rápido de 2 vias com as funções IC
(informação de carga ao CMM) e L (Lâmpada - opcional).

Pino 1 : L (Lâmpada)
Pino 2 : IC (Informação de carga)

Em repouso, com o veículo desligado, deve consumir uma corrente extremamente baixa e
menor que 0.5mA.
Com o motor do veículo ligado em marchar lenta, rotação entre 750 e 1000 rpm, e com
todos os consumidores elétricos desligados, o alternador deve gerar uma tensão entre 13,50V e
14,80V.
Para uma rotação do motor do veículo de 2000rpm, a faixa de tensão gerada pelo
alternador é a mesma e é possível observar-se uma elevação do valor da tensão em relação
daquela medida em marcha lenta.

Ligando rapidamente os consumidores, farol, ar condicionado, radio, pisca alerta entre


outros, no mesmo instante pode ser observada uma pequena queda na tensão e em seguida, em
até 6 segundos, a normalização da geração da tensão será observada. Este modo de operação é
chamado carga progressiva (CP) no qual o alternador eleva a geração de tensão progressivamente
para minimizar o impacto na carga aplicada ao motor.

Mantendo o motor do veículo ligado por alguns minutos para que ele esteja aquecido, o
comportamento da geração de tensão deve ser o mesmo tanto em marcha lenta quanto em
rotações maiores.

2/8
2.3 Esquema de funcionamento do alternador LIN (pilotado) ou BSS

Em repouso, veículo para e desligado, deve consumir uma corrente extremamente baixa e
menor que 0,5mA.
Com o motor do veículo ligado em marchar lenta, rotação entre 750 e 1000 rpm, e com
todos os consumidores elétricos desligados, o alternador deve gerar uma tensão entre 14,00V e
14,80V.
Para uma rotação do motor do veículo de 2000rpm, a faixa de tensão gerada pelo
alternador é a mesma e é possível observar-se uma elevação do valor da tensão em relação
daquela medida em marcha lenta.

Este tipo de alternador LIN (pilotado) recebe comandos de funcionamento pelo módulo
CMM, possuindo ou não a função VoltControl, é normal notar o desligamento temporário do
alternador em algumas fases de uso do veículo.
O desligamento depende das condições de uso do veículo e do estado de carga da bateria.
Havendo o desligamento (pilotagem) do alternador, será observada a tensão nominal da bateria
entre 12,4V e 12,85V.

Para realizar um diagnóstico rápido da função do alternador LIN (pilotado), pode-se realizar
a desconexão do conector de comunicação do alternador. Nesta condição o alternador LIN
(pilotado) entrará em modo degradado gerando constantemente a faixa de tensão de operação
14,00V à 14,8V. Caso não gere tensão dentro da faixa esperada provavelmente há um problema
com o alternador.

3/8
2.4 Tabela de alternador por tipo de motor e veículo produzidos na América Latina

Para saber a configuração do veículo e tipo de alternador, é necessário consultar com o VIS
do veículo o service box consultando o esquema elétrico do alternador da presença ou não da rede
LIN, vide exemplo abaixo.
Veículo Motor Tipo de alternador
208, C3, Aircross, 308, TU4 (TU3, TU5) Standard (IC+PC)
408, Partner, Berlingo
208, 2008, C3, Aircross, EC5 MA / BE/ AT8 Standard (IC+PC)
308, 408, Partner,
Berlingo, C4 Cactus
Partner, Berlingo DV6 Standard (IC+PC)
208, 2008, 308, 408, C4 EP6F Pilotado LIN
Lounge, C4 Cactus
208, C3 EB2 Pilotado LIN
308, 408, C4 DV6 Pilotado LIN
Boxer , Jumper (X250) DW10 Pilotado LIN
C4, 308, 408 EW10 AT6 BSS
C4, 308, 408 EW10 MA Standard (IC+PC)
208, 2008, C3, Aircross, EC5 AT6 Pilotado LIN
C4 Cactus
Expert, Jumpy (K0) DV6 Pilotado LIN
3008, 5008, C4 Picasso EP6F Pilotado LIN
DS3, DS4, DS7 EP6F Pilotado LIN
DS7 DV6 Pilotado LIN

2.5 Tabela de alternador de corrente do veículo em repouso conforme método


D6AA010RP0

Veículo Corrente em repouso (mA)


L0 / 35 Ah
30 mA
L0 / 42 Ah
L1 / 50 Ah
40 mA
L2 / 60 Ah
L2+ / 64 Ah
L3 / 70 Ah
50 mA
L3 AGM / 70 Ah
L3 / 75 Ah

4/8
2.6 Esquema elétrico

Nas imagens abaixo, estão demonstradas as conexões dos alternadores LIN (pilotado) e Standard,
sempre consulte o service box para confirmação das conexões do veículo em análise.

5/8
3. Diagnóstico do Alternador

3.1. Verificações iniciais:

Verificar Resultado
Realizar inspeção visual da correia, verificando a presença, o desgaste das ranhuras
e da borracha externa. Siga com a correção em caso necessário antes do diagnóstico
do alternador. Caso seja detectado o rompimento, certifique-se da integridade do
alternador.

Verificar o tensionamento da correia, o esticador, e desgastes.


Verificar a qualidade da correia, se é uma peça original/ genuína.

Verifique a montagem do cabo positivo ao terminal B+ do alternador, o torque de


aperto da porca e sua montagem até a bateria e sua continuidade utilizando um
multímetro.

Verifique a montagem do conector de comunicação

Verifique o aterramento do alternador, conexão à massa do veículo. Teste sua


continuidade utilizando um multímetro.

Verifique a conexão de massa entre o conjunto motor e a carroceria do veiculo

Verifique o estado de carga da bateria, que deve ser entregue ao cliente superior à
85% de sua capacidade, em repouso a tensão da bateria deve ser no mínimo 12.5V
anote o valor medido para referência.
Corrigir o estado de carga quando necessário, uma bateria descarregada poderá
gerar dúvidas no diagnóstico.

Verifique a fixação alternador confira o torque de aperto

Verificar a presença de acessórios não homologados


Verificar a corrente de repouso do veículo.

3.2. Diagnóstico do alternador Standard:

Item Verificação Resultado


1 Ligue o veículo e mantenha em marcha lenta.

2 Medir a tensão: Conectando a ponta de prova ou garra negativa do voltímetro na massa do


veículo (-) e a ponta de prova ou garra no borne positivo da Bateria, medir a tensão que deve
estar entre 13,5V e 14,8V. (O bom contato entre conexões do voltímetro e a massa borne positivo
da bateria deve ser robusta e bem fixa para anular a possibilidade de leitura incorreta).

6/8
V1 = ___,___V
3 Anote a tensão V1 = XX,xx (V)
Caso esteja abaixo da faixa de operação faça as verificações dos itens 3.1 à 3.9.
Se a tensão encontrada está dentro da faixa de operação siga para o item 4.
3.1 Ligue o veículo e mantenha em marcha lenta por alguns segundos e em seguida eleve a rotação
do motor até 5000rpm por 3 segundos em seguida mantenha o motor em marcha lenta
3.2 Verifique e anote se a tensão encontrada voltou para a faixa de operação entre 13.5V e 14.8V
3.3 Caso a tensão permaneça abaixo da faixa desligue o veículo.
3.4 Remova o conector de comunicação do alternador
3.5 Com o auxílio de um cabeamento externo protegido por fusível e com a presença uma lâmpada
de 5W (Caneta de polaridade), conecte o pino 1 do conector do alternador ao positivo da bateria
por 1 segundo.

3.6 Ligue o veículo e mantenha em marcha lenta


3.7 Verifique e anote se a tensão encontrada está na faixa de operação entre 13.5V e 14.8V
3.8 Caso a tensão esteja na faixa de trabalho, de seguimento ao item 4
Caso a tensão permaneça fora da faixa de trabalho, de seguimento à substituição do alternador.
4 Mantenha o veículo em marcha lenta durante 10 minutos, para que compartimento motor fique
aquecido.

5 Acione a ventilação e ar-condicionado em velocidade média


Acenda os faróis baixos
Ligue o rádio e mantenha o volume abaixo do médio.
V2 = ___,___V
6 Repita a etapa 2
Anote a tensão V2 = XX,xx (V)

7 Acelere o motor controlando a rotação em 2000rpm mantendo por 1 minuto


V3 = ___,___V
8 Repita a etapa 2
Anote a tensão V3 = XX,xx (V)

9 Desligue todos os consumidores e o motor

10 Caso a tensão esteja na faixa de trabalho o alternador poderá ser considerado bom para
utilização

Exemplo de um cabeamento externo (Caneta de polaridade) com lâmpada de 5W:

3.3. Diagnóstico do alternador LIN (pilotado):

Item Verificação Resultado


1 Remova o conector de comunicação do alternador
2 Ligue o veículo e mantenha em marcha lenta.
3 Medir a tensão: Conectando a ponta de prova ou garra negativa do
voltímetro na massa do veículo (-) e a ponta de prova ou garra no borne
positivo da Bateria, medir a tensão que deve estar entre 14,0V e 14,8V. (O

7/8
bom contato entre conexões da ferramenta e a massa borne positivo da
bateria deve ser robusta e bem fixa para anular a possibilidade de leitura
incorreta).

4 Anote a tensão V1 = XX,xx (V) V1 = ___,___V


5 Mantenha o veículo em marcha lenta durante 10 minutos, para que
compartimento motor fique aquecido.
6 Acione a ventilação e ar-condicionado em velocidade média
Acenda os faróis baixos
Ligue o rádio e mantenha o volume abaixo do médio.
7 Repita a etapa 3 V2 = ___,___V
Anote a tensão V2 = XX,xx (V)
8 Acelere o motor controlando a rotação em 2000rpm mantendo por 1 minuto
9 Repita a etapa 3 V3 = ___,___V
Anote a tensão V3 = XX,xx (V)
10 Desligue todos os consumidores repita o item 3
11 Caso a tensão esteja na faixa de trabalho o alternador poderá ser
considerado bom para utilização

FIM

8/8