Você está na página 1de 64

Curso

Técnico
de Mecânica
Automóvel
PLANO
CURRICULAR
10º; 11º; 12º ANO DE ESCOLARIDADE

República Democrática de Timor Leste


Ministério da Educação
PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 2
REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

DIRECÇÃO NACIONAL DO ENSINO TECNOLOGICO VOCACIONAL

DIRECÇÃO NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO TÉCNICO VOCACIONAL

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 3


PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 4
Índice

PARTE l.......................................................................................................................................................... 8
CARACTERIZAÇÃO GERAL DO CURSO ....................................................................................................... 8
Plano Curricular do Curso Técnico de Mecânica Automóvel ................................................................... 9
Descrição Geral das Funções do Profissional Técnico de Mecânica Automóvel ...................................... 9
Actividades Principais............................................................................................................................... 9
Caracterização do Curso ........................................................................................................................ 10
Visão Geral do Programa ....................................................................................................................... 10
Formação em contexto de Trabalho ...................................................................................................... 11
Competências a Desenvolver ................................................................................................................. 11
Bibliografia e Outros Recursos ............................................................................................................... 11
PARTE II ...................................................................................................................................................... 12
Distribuição do Elenco de Disciplinas do Curso ..................................................................................... 12
Tecnologia Básica ....................................................................................................................................... 13
Caracterização da Disciplina .................................................................................................................. 14
Visão Geral do Programa da Disciplina .................................................................................................. 14
Competências a Desenvolver ................................................................................................................. 14
Orientações Metodológicas/Avaliação .................................................................................................. 15
Avaliação ................................................................................................................................................ 15
Apresentação Modular ............................................................................................................................... 17
Módulo 1 – Desenho Técnico ............................................................................................................ 18
Módulo 2 – Metrologia Dimensional ................................................................................................. 19
Módulo 3 – Tecnologia dos Materiais ............................................................................................... 20
Serralharia para Mecânicos ........................................................................................................................ 21
Caracterização da Disciplina .................................................................................................................. 22
Visão Geral do Programa da Disciplina .................................................................................................. 22
Competências a Desenvolver ................................................................................................................. 22
Orientações Metodológicas/Avaliação .................................................................................................. 23
Apresentação Modular ............................................................................................................................... 25
Módulo 1 – Ferramentas Manuais..................................................................................................... 26
Módulo 2 – Processos de Corte e Desbaste ...................................................................................... 27
Módulo 3 – Processos de Furação, Mandrilagem e Roscagem ......................................................... 28
Módulo 4 – Soldadura ....................................................................................................................... 29
Electricidade e Electrónica Automóvel ....................................................................................................... 31
Caracterização da Disciplina .................................................................................................................. 32
Visão Geral do Programa da Disciplina .................................................................................................. 32

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 5


Competências a Desenvolver ................................................................................................................. 32
Orientações Metodológicas/Avaliação .................................................................................................. 33
Avaliação ................................................................................................................................................ 33
Apresentação Modular ............................................................................................................................... 35
Módulo 1 – Electricidade ................................................................................................................... 36
Módulo 2 – Electrónica ...................................................................................................................... 38
Módulo 3 – Leitura e Interpretação de Esquemas Eléctricos ............................................................ 39
Módulo 4 – Sistemas de Carga e Arranque........................................................................................ 40
Motor Automóvel ....................................................................................................................................... 41
Caracterização da Disciplina .................................................................................................................. 42
Visão Geral do Programa da Disciplina .................................................................................................. 42
Orientações Metodológicas/Avaliação .................................................................................................. 43
Avaliação ................................................................................................................................................ 43
Apresentação Modular ............................................................................................................................... 45
Módulo 1 – Alimentação Diesel ......................................................................................................... 46
Módulo 2 – Distribuição .................................................................................................................... 47
Módulo 3 – Lubrificação de Motores e Transmissões ........................................................................ 48
Módulo 4 – Sistemas de Alimentação por Carburador ...................................................................... 49
Módulo 5 – Sistemas de Injecção Mecânica ...................................................................................... 50
Módulo 6 – Sistemas de Transmissão ................................................................................................ 51
Módulo 7 – Sobrealimentação .......................................................................................................... 52
Tecnologia Automóvel ................................................................................................................................ 53
Caracterização da Disciplina .................................................................................................................. 54
Competências a Desenvolver ................................................................................................................. 54
Orientações Metodológicas/Avaliação .................................................................................................. 55
Avaliação ................................................................................................................................................ 55
Apresentação Modular ............................................................................................................................... 57
Módulo 1 – Introdução ao Sector Automóvel ................................................................................... 58
Módulo 2 – Sistemas de Suspensão .................................................................................................. 59
Módulo 3 – Rodas e Pneus ................................................................................................................ 60
Módulo 4 – Sistemas de Admissão e Escape ..................................................................................... 61
Módulo 5 – Sistemas de Direcção Mecânica e Assistida ................................................................... 62
Módulo 6 – Sistemas de Travagem Hidráulicos ................................................................................. 63
Módulo 7 – Ventilação Forçada e Ar Condicionado .......................................................................... 64

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 6


PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 7
PARTE l
CARACTERIZAÇÃO GERAL DO CURSO

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 8


Plano Curricular do CursoTécnico de Mecânica Automóvel

Total 1º 2º 3º
Domínios Carga Ano Ano Ano
Horaria
PROGRAMA SOCIOCULTURAL
Tétum 180 70 70 40
Português 350 129 129 92
Inglês 270 100 100 70
Língua Opcional 180 70 70 40
Cidadania e Desenvolvimento Social 230 90 90 50
Tecnologias Multimédia 200 100 100 0
Região e Moral 100 38 38 24
PROGRAMA CIENTIFICO
Empreendedorismo 160 60 60 40
Matemática 330 130 130 70
Física e Química 270 100 100 70
PROGRAMA PRODUTIVO
Tecnologia Básica 160 160 0 0
Serralharia para Mecânicos 150 150 0 0
Electricidade e Electrónica Automóvel 210 0 60 150
Motor Automóvel 358 0 318 40
Tecnologia Automóvel 352 137 65 150
Formação em contexto de Trabalho 500 0 0 500
TOTAL 4000 1334 1330 1336

Descrição Geral das Funções do Profissional Técnico de Mecânica


Automóvel
O/A Técnico de Mecânica Automóvel é o/a profissional que executa, de modo autónomo, o diagnóstico
e a reparação dos sistemas mecânicos de veículos automóveis ligeiros, diagnosticando, reparando e
verificando motores a gasolina e Diesel, sistemas de ignição, de alimentação, de sobrealimentação, de
arrefecimento, de lubrificação, de transmissão, de direcção, de suspensão, de travagem, de segurança
activa, de carga e de arranque, rodas e pneus, organizando e controlando a qualidade do trabalho.

Actividades Principais
Proceder à manutenção programada de veículos de acordo com a respectiva documentação técnica

 Diagnosticar, reparar e verificar sistemas de direcção, suspensão, travagem, segurança activa,


rodas e pneus
 Diagnosticar, reparar e verificar sistemas de transmissão manual e automática
 Diagnosticar, reparar e verificar motores a gasolina e diesel
 Diagnosticar, reparar e verificar sistemas de arrefecimento e de lubrificação
 Diagnosticar e verificar sistemas de carga e arranque
 Diagnosticar, reparar e verificar sistemas de ignição, alimentação, sobrealimentação e
antipoluição
 Diagnosticar, reparar e verificar sistemas mecânicos de climatização
 Controlar a qualidade e organizar o trabalho

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 9


 Proceder à manutenção da sua área de trabalho efectuando a conservação e a limpeza de
equipamentos, aparelhos e ferramentas utilizados
 Elaborar relatórios e preencher documentação técnica relativa à actividade desenvolvida

O curso, foi estruturado tendo em conta as necessidades do mercado e está organizado ao nível da
componente produtiva em 5 disciplinas:

 Tecnologia Básica
 Serralharia para Mecânicos
 Electricidade e Electrónica Automóvel
 Motor Automóvel
 Tecnologia Automóvel
A estrutura do curso está coligida neste documento para evitar a dispersão de disciplinas soltas e
facilitar quer a consulta quer o custo. Para cada disciplina procede-se à definição da sua organização por
unidade modelar e distribuição da carga horária.

Caracterização do Curso
Este curso visa preparar profissionais capazes de realizar actividades de proceder à manutenção,
diagnosticar anomalias e efectuar reparações nos diversos sistemas mecânicosde automóveis ligeiros de
acordo com os parâmetros e especificações técnicas definidas pelosfabricantes e com as regras de
segurança e de protecção ambiental aplicáveis.

Visão Geral do Programa


O programa que aqui se preconiza para o curso de Técnico de Mecânica Automóvel por cinco disciplinas
da componente produtiva, garante aos alunos o atingir de competências comuns essenciais. Estruturado
por unidades modelares e subunidades com a respectiva afectação da carga horária para um total de
1230 horas ao longo dos ciclos de formação.

O programa, pressupõe uma utilização flexível, definida em função das finalidades da formação dos
alunos a que se destina, desenvolvendo as suas competências e conhecimentos e, simultaneamente,
formando-os nas dimensões pessoal, social e profissional, num pressuposto de negociação partilhada
por todos os intervenientes no processo. Cada um dos módulos está formatado em função de
determinados parâmetros. Assim, para além de uma apresentação indicando a natureza das
aprendizagens visadas, integra também um conjunto de competências transversais e específicas a
desenvolver ao longo de cada segmento de ensino-aprendizagem.

Neste plano, os objectivos de aprendizagem estão formulados em termos do desenvolvimento das


competências gerais, comunicativas e de aprendizagem, traduzindo os conhecimentos, procedimentos
ou atitudes a demonstrar pelo aluno no final do módulo.

Com o propósito de permitir uma gestão flexível adequada às necessidades formativas e ao perfil de
conhecimentos dos alunos nos vários contextos educativos, optou-se por enunciar os objectivos de
aprendizagem de forma genérica, evitando propositadamente uma listagem exaustiva, sequencial ou
hierárquica.

O professor, em função da análise de cada situação de aprendizagem, deve decidirpara queosobjectivos


parcelares tenham de ser desenvolvidos ou reforçados, definir as tarefas de aprendizagem e a
estruturação da progressão, prever as actividades de remediação e a selecção de trabalhos, entre
muitas outras iniciativas a tomar, no âmbito do processo de ensino-aprendizagem. Perde pois
oportunidade, a gestão rígida dos planos hora a hora porque não prevêem o ritmo de assimilação dos
conhecimentos adquiridos pelos alunos. Nesse sentido, o professor deve organizar a formação ao longo

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 10


da distribuição da carga horária de cada módulo, assegurando-se que as competências técnicas estão
assimiladas, organizando as aulas teóricas e as práticas em observância à carga horária do módulo.

Aos alunos devem ser fornecidos os meios para reconhecerem, de uma forma reflexiva e crítica, as
múltiplas formas de aprender no âmbito teórico, e de simulação de contextos de trabalho.

Outro dos parâmetros do formato do módulo reporta-se a Orientações Metodológicas/ Avaliação que
visam fornecer alguma linhas de orientação ao professor, na gestão articulada e contextualizada dos
conteúdos programáticos, bem como na regulação dos processos de ensino-aprendizagem. Cada um dos
módulos termina com a secção de recursos que incorpora algumas sugestões bibliográficas
direccionados para professores e alunos no âmbito da problemática abordada em cada um dos
módulos.

Formação em contexto de Trabalho


Concluída a parte escolar, iniciar-se-á o estágio de 500 horas, em contexto real de trabalho, em
empresas da zona e do ramo.

Pretende-se com esta formação prática proporcionar aos formandos o desenvolvimento de capacidades
e competências na área da mecânica automóvel; permitir a aplicação em contexto de trabalho dos
conhecimentos técnicos e científicos adquiridos ao longo do curso; criar oportunidade de contactarem
com a organização e a realidade empresarial com o intuito de desenvolverem hábitos de trabalho e
sentido de responsabilidade.

A certificação do aluno só pode ocorrer quando este conclua com aproveitamento tanto a parte teórica
e prática o curso.

Competências a Desenvolver
Os módulos apresentados em cada disciplina orientam-se para o desenvolvimento de competências
gerais.A competência produtiva, apela ao desenvolvimento de conhecimentos tecnológicos no âmbito
das disciplinas que compõe o respectivo curso de Técnico de Mecânica Automóvel.

Bibliografia e Outros Recursos


Tendo em conta a o conjunto de disciplinas docurso, optou-se módulo a modulo, por citar a bibliografia
no final de cada unidade modular.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 11


PARTE II
Distribuição do Elenco de Disciplinasdo Curso

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 12


Tecnologia Básica

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 13


Caracterização da Disciplina
A Tecnologia de uma forma geral é uma das componentes essenciais de qualquer sistema de formação
técnica.
Pretende-se com esta disciplina garantir que os alunos adquiram os conhecimentos mínimos de ciência
dos materiais, saber ler e interpretar um desenho técnico e saber utilizar os instrumentos de medida
mais comuns numa oficina de mecânica.

Assim, a disciplina de tecnologia básica tem como finalidades:


 Promover o conhecimento de novos materiais, técnica de fabrico e suas aplicações
 Promover o nivelamento dos formandos no que diz respeito ao conhecimento de base
 Proporcionar conhecimentos na área da leitura e interpretação de desenhos técnicos
 Promover o conhecimento em relação aos instrumentos e técnicas de medida e verificação de
peças

Visão Geral do Programa da Disciplina


Na avaliação deve verificar-se se o aluno é capaz, não só de usar os saberes adquiridos em cada módulo,
mas também se sabe projectar essa utilização para além desses conteúdos estritos, criando modelos e
produtos coerentes e consequentes.
Assim, o programa integra um conjunto de módulos com uma carga horária total de 160 horas. A
componente prática está prevista se dada em sala de aula, com recurso a ferramentas de medição,
elaboração de exercícios, exemplos prático de aplicação na indústria, na tentativa de aproximação à
realidade existente em contexto de trabalho.O desenvolvimento assenta na seguinte estrutura modular:


Módulo Tecnologia Básica 1º 2º 3º
Horas
1 Desenho Técnico 40 40
2 Metrologia Dimensional 50 50
3 Tecnologia dos Materiais 70 70
TOTAL 160 160 0 0

Competências a Desenvolver
Podem variar consoante as especificidades da turma e dos alunos (estilos e ritmos de aprendizagem,
experiências, interesses e orientações académicas), no entanto, seguir-se-á os seguintes objectivos
gerais:

 Identificar e distinguir as diferentes propriedades e aplicações dos materiais metálicos e não-


metálicos usados na mecânica
 Identificar e aplicar os instrumentos de medição mais adequados à determinação e controlo
das dimensões das peças, em função da geometria das mesmas
 Ler e interpretar todos os dados técnicos e informação contidos em desenhos de conjuntos de
construções mecânicas

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 14


Orientações Metodológicas/Avaliação
A disciplina de Tecnologia Básica tem um carácter predominantemente teórico e experimental,
fundamental para o curso, podendo, como carácter opcional, que a aprendizagem seja leccionada por
um ou mais professores. Torna-se, por isso, necessário implementar metodologias através de
actividades que incidam sobre a aplicação prática e contextualizada dos conteúdos, a experimentação, a
pesquisa e a resolução de problemas. Neste sentido, as aulas deverão privilegiar a participação dos
alunos em projectos, na resolução de problemas e de exercícios que simulem a realidade das empresas,
instituições e oficinas de mecânica ou que abordem temas de outras áreas disciplinares.
A competência não se limita ao aprender, porque envolve o agir numa situação determinada: é
aprender a fazer. Neste sentido, deve incentivar-se situações de aprendizagem nas quais o
protagonismo do aluno e o trabalho de grupo sejam estratégias para a contextualização dos conteúdos
curriculares no mundo da produção. De igual modo, perspectiva-se a utilização de uma pedagogia
dinâmica que transforme a sala de aula num espaço privilegiado de aprendizagens vivas e
enriquecedoras na qual o aluno participa activamente na construção do seu conhecimento. O conteúdo
é um meio e não mais um fim em si mesmo.

Avaliação
A avaliação de aprendizagem, compatível com a formulação curricular centrada no desenvolvimento de
competências e habilidades, se processará de forma contínua, integral e cumulativa, com prevalência
dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, e dos resultados ao longo da disciplina. A avaliação
(procedimentos e instrumentos específicos) utilizada estará centrada na participação activa dos alunos,
imersos no desenvolvimento de projectos amplos do(s) processo(s) produtivo(s) da área profissional,
envolvendo-se na superação de problemas e desafios, em situações simuladas ou de realidade virtual,
ou ainda no mundo real do trabalho.

Essas avaliações privilegiarão o desenvolvimento de actividades típicas ou de projectos de trabalho.


Dessa forma, a avaliação da aprendizagem será individual ou em grupo, feita ao longo do estudo de
cada módulo e poderá culminar com verificações de aprendizagem trabalhos práticos, pesquisas,
projectos, etc.

Avaliar de forma contínua e formativa a motivação dos alunos, a intencionalidade comunicativa, a


eficácia da aprendizagem, designadamente no tocante ao desenvolvimentode capacidadese à aquisição
de competências.

Realizar a avaliação sumativa das aprendizagens realizadas.

Avaliação de D iagnóstico
A avaliação de diagnóstico constitui uma primeira etapa da avaliação formativa, permitindo orientar,
desde o início do ano, o trabalho individual de cada aluno. Mais do que testar atomisticamente
competências e/ou conhecimentos, a avaliação de diagnóstico deve permitir ao professor estabelecer o
perfil inicial de cada aluno, dando, simultaneamente, a este último, informações sobre as suas
necessidades específicas e as formas de trabalho preferenciais. Deste modo, a avaliação de diagnóstico
deverá ultrapassar a simples aplicação colectiva de testes de conhecimentos gerais, podendo basear-se
em actividades e tarefas que articulam as competências e os saberes em função de pré-requisitos
estabelecidos.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 15


Avaliação Contínua
O ensino que tem em consideração as necessidades dos alunos requer uma avaliação individualizada,
que fixe as metas que o aluno deverá alcançar, a partir de critérios estabelecidos, em função do
diagnóstico efectuado. Para isso, os alunos devem conhecer previamente os aspectos que serão objecto
de observação, bem como os critérios que orientam a avaliação. Assim, na sua prática pedagógica, o
professor, quando avalia, deve valorizar a relação entre os processos e os produtos de aprendizagem
seguidos e conseguidos pelos alunos. Negociar os critérios de avaliação com os alunos e aplicá-los de
forma coerente não só é formativo como também concede fiabilidade à avaliação. Constituem meios de
avaliação todas as actividades de aprendizagem, tais como trabalhos individuais e de grupo, entrevistas,
discussões e debates, exposições, portfolios, trabalhos de projecto, intercâmbios culturais etc. bem
como os próprios diários dos alunos, ou as cassetes áudio e vídeo produzidas pelos mesmos.

Avaliação Sumativa
A avaliação sumativa constitui a terceira etapa de todo o processo formativo, devendo constituir um
balanço (qualitativo e quantitativo) da aprendizagem de cada aluno e permitir o inventário das
aquisições, dando, simultaneamente, informações necessárias para o seu prosseguimento futuro.

Destina-se a certificar os resultados da aprendizagem, ratificando-os e permitindo a atribuição da


respectiva classificação. A avaliação incidirá prioritariamente sobre o produto realizado no final de cada
módulo e deverá também abranger a competência de compreensão através de instrumentos objectivos.
Deste modo, ela constituirá um importante indicador da eficácia do trabalho realizado conjuntamente
por alunos e professor.

Avaliação Final
O momento da avaliação final do módulo deve visar a abordagem dos conteúdos essenciais do mesmo e
integrar as competências expostas anteriormente.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 16


Apresentação Modular

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 17


Módulo 1 –Desenho Técnico
Apresentação

Neste primeiro módulo faz-se uma abordagem às principais normas e regras do desenho técnico, linguagem
universal de comunicação dentro de qualquer empresa, oficina ou fábrica.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar e utilizar instrumentos e normas de desenho


 Executar rectas, quadriláteros, circunferências e círculos
 Identificar e executar concordâncias
 Identificar e executar ângulos e triângulos
 Identificar e executar espirais, arcos, óvulos e ovais
 Identificar e executar projecções e perspectivas
 Identificar e executar cortes, secções e cotagens
 Executar desenhos de peças e conjuntos

Âmbito dos Conteúdos

 Instrumentos de desenho
 Normalização
 Formatos de papel
 Esquadrias e dobragens de papel
 Legendas e escalas
 Projecções
 Sistemas de projecção
 Projecções ortogonais
 Métodos europeu e americano de projecção
 Perspectivas
 Cortes
 Secções
 Cotagem
 Construções geométricas
 Construções mecânicas simples

Bibliografia / Outros Recursos

 Desenho de Construções Mecânicas - Desenho Técnico Básico - José Manuel Simões Morais, Porto
Editora, Lda
 Desenho Técnico Moderno - Arlindo Silva, Carlos Ribeiro, João Dias, Luís Sousa, Ed Lidei, 2004 Dinâmica
- Arthur P. Boresi, Editora Dinternal Livro

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 18


Módulo 2 – Metrologia Dimensional
Apresentação

No módulo de Metrologia Dimensional pretende-se que os alunos aprendam a identificar e trabalhar com os
vários instrumentos de medida e controlo das peças mais utilizados na oficina.

Objectivos de Aprendizagem

Identificar, seleccionar e aplicar os instrumentos de medição mais adequados à determinação e controlo das
dimensões das peças, em função da geometria das mesmas.

Âmbito dos Conteúdos

Introdução à metrologia. Unidades e instrumentos


 Introdução aos sistemas unidades
 Unidades fundamentais de medida
 Unidades de medidas métricas, inglesas e medidas angulares
 Processos e cuidados para evitar erros de leitura
 Instrumentos de medição e verificação: escala (régua graduada); transferidor; fita métrica;
esquadros; compassos de exteriores, de interiores, de traçar, de pontas; paquímetros; micrómetros
Estudo do paquímetro
 O nónio e sua aplicação nos instrumentos de medição
 Nónios rectilíneos e circulares
 Tipos de paquímetros: analógicos, digitais, de profundidades, de cremalheira
 Composição, manuseamento e interpretação de leituras
 Prática de leituras com paquímetros analógicos
Estudo do micrómetro
 Composição, manuseamento, limpeza, calibração e interpretação de leituras
 Tipos de micrometros: de exteriores, de interiores com 2 contactos, de interiores com 3 contactos,
de profundidades
 Prática de leituras com micrometros analógicos
Outros instrumentos de medição e verificação
 Comparadores (relógios de medida), calibres ou gabaritos régua de senos
 Calibres tampão e calibres de roscas: vantagens na utilização destes, composição e manuseamento
 Rugosímetro

Bibliografia / Outros Recursos

 Metrologia: Método e Arte de Medição - Jorge Henrique Machado, Instituto Português da Qualidade,
1993
 Normas portuguesas - Direcção Geral de Qualidade Tecnologia da electricidade, J. Ramirez Vasquez,
Plátano Tecnologia mecânica - Livros Plátanos de Formação Profissional

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 19


Módulo 3 – Tecnologia dos Materiais
Apresentação

No módulo de Tecnologia dos Materiais pretende-se que os alunos aprendam a distinguir os vários tipos de
materiais utilizados na indústria, suas propriedades e tratamentos que se aplicam.

Objectivos de Aprendizagem

Identificar e distinguir as diferentes propriedades e aplicações dos materiais metálicos (ferrosos e não
ferrosos) usados em construção mecânica.

Âmbito dos Conteúdos

Introdução aos materiais. Propriedades


 Generalidades
 Estrutura e propriedades dos materiais
 Propriedades mecânicas. Ensaios mecânicos de caracterização
 Deformação plástica
 Materiais metálicos e não metálicos. Distinção
 Relação dos materiais com os processos de fabrico
Ligas ferro-carbónicas. Aços
 Diagrama de equilíbrio. Noções
 Aços ao carbono
 Aços liga
 Tratamentos dos aços. Tratamentos térmicos
 Influência dos elementos de liga
 Classificação dos aços e designação dos aços. Normas
 Formas comerciais e aplicações dos aços
 Gusas e ferros fundidos
Ligas metálicas não ferrosas
 Introdução
 Cobre e suas ligas
 Alumínio e suas ligas

Bibliografia / Outros Recursos

 Tecnologia Mecânica - Processos de Fabricação e Tratamento, volume II - Vicente Chiaverini


 Tecnologia mecânica II - Acácio Teixeira da Rocha, Coimbra Editora Torneiro e fresador mecânicos -
Bordallo Pinheiro Thomaz, 2.a edição, Biblioteca de Instrução Profissional
 Tecnologia mecânica - Livros Plátanos de Formação Profissional

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 20


Serralharia para Mecânicos

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 21


Caracterização da Disciplina
A disciplina de Serralharia para Mecânicos integra a componente de formação técnica, tecnológica e
práticados cursos profissionais, de forma a garantir aos jovens a aprendizagem de conceitos e
técnicaselementares serralharia, indispensáveis ao sucesso pessoal e profissional nesta área.

Assim, a disciplina de serralharia para mecânicos tem como finalidades:

 Promover o conhecimento das ferramentas de trabalho em serralharia;


 Promover o nivelamento dos alunos no que diz respeito ao conhecimento de base;
 Proporcionar conhecimentos em tecnologia de maquinação por arranque de apara como o
corte, desbaste, furação, mandrilagem e a roscagem de peças;
 Proporcionar conhecimentos em processos de soldadura mais utilizados na indústria mecânica.

Visão Geral do Programa da Disciplina


O programa integra um conjunto de módulos com uma carga horária total de 150 horas. São módulos
essencialmente práticos que devem ser dados em ambiente oficinal e com recurso aos equipamentos
existentes.O desenvolvimento assenta na seguinte estrutura modular:


Módulo SERRALHARIA PARA MECÂNICOS 1º 2º 3º
Horas
1 Ferramentas Manuais 30 30
2 Processos de Corte e Desbaste 40 40
3 Processos de Furação, Mandrilagem e Roscagem 30 30
4 Soldadura 50 50
TOTAL 150 150 0 0

Competências a Desenvolver
 Seleccionar os parâmetros de furação adequados para a execução de uma furação;
 Seleccionar correctamente as ferramentas e equipamentos adequados para furar uma peça;
 Seleccionar correctamente as ferramentas e equipamentos adequados para realizar o
mandrilamento de um furo;
 Identificar os elementos fundamentais de uma rosca, bem como a sua designação;
 Distinguir e caracterizar os diversos tipos de manutenção existentes;
 Seleccionar correctamente as ferramentas e equipamentos adequados para serrar uma peça
utilizando as como os métodos de serrar mais apropriados, nomeadamente a serragem manual
e a serragem mecânica;
 Identificar as finalidades do corte e desbaste por acção abrasiva, enunciando as mesmas;
 Seleccionar o abrasivo industrial adequado ao método de corte e desbaste por acção abrasiva a
executar, nomeadamente: os grãos abrasivos em estado aglomerado e os grãos abrasivos em
revestimento;
 Seleccionar correctamente as ferramentas e equipamentos adequados para executar uma
esmerilagem, rebarbagem, rectificação, lixagem manual e lixagem mecanizada;
 Seleccionar a tesoura manual e a tesoura de alavanca adequada para o corte de chapas finas;
 Enunciar os princípios de funcionamento dos processos de corte térmicos, nomeadamente o
oxi-corte e o corte térmico por plasma;
 Seleccionar as ferramentas e equipamentos adequados para limar uma peça.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 22


Orientações Metodológicas/Avaliação
Os alunos, ao iniciarem a disciplina apresentam níveis de conhecimentonesta área muito diversos e
pouco profundos. Assim, no início do ano lectivo, o professor deveráefectuar uma avaliação diagnostica
com o propósito de orientar as suas planificações de modo a permitiro desenvolvimento de
competências mais avançadas.

A disciplina tem um carácter teórico, prático e experimental. Torna-se, porisso, necessário implementar
metodologias através de actividades que incidam sobre a aplicação práticae contextualizada dos
conteúdos, a experimentação, a pesquisa e a resolução de problemas.O professor deverá adoptar
estratégias que motivem o aluno a envolver-se na sua própria aprendizageme lhe permitam desenvolver
a sua autonomia e iniciativa.

As cargas horárias indicadas para cada módulo deverão ser consideradas como uma sugestão, que
seráajustada às características e necessidades específicas de cada turma ou aluno.

Os procedimentos de avaliação dos alunos decorrem da natureza prática e experimental da


disciplina,privilegiando-se a vertente formativa da avaliação, indispensável à orientação do processo
deensino/aprendizagem.

É fundamental que, no início do ano lectivo, seja realizada uma avaliação de diagnóstico que
permitaidentificar grupos diferenciados e estabelecer um plano de acção para cada grupo de alunos,
tendo emvista a aquisição, por parte de todos eles, das competências essenciais definidas no programa.

Deverá ser privilegiada a observação directa do trabalho desenvolvido pelo aluno durante as
aulas,utilizando para isso instrumentos de avaliação diversificados que permitam registar o seu
desempenhonas situações que lhe são proporcionadas e a progressão na aprendizagem ao longo do ano
lectivo,nomeadamente quanto ao interesse e à participação no trabalho, à capacidade de desenvolver
trabalhoem grupo, à capacidade de explorar, investigar e mobilizar conceitos em diferentes situações,
bem comorelativamente à qualidade do trabalho realizado e à forma como o aluno o gere, organiza e
auto-avalia.

A par da avaliação contínua, permitindo o registo da evolução do aluno aula a aula e a recuperação,
emtempo útil, de qualquer dificuldade, deverão ser previstos momentos de avaliação, procedendo-se
àaplicação de provas de carácter teórico, prático ou teórico-prático que permitam avaliar
osconhecimentos e competências adquiridas.

Avaliação de Diagnóstico
A avaliação de diagnóstico constitui uma primeira etapa da avaliação formativa, permitindo orientar,
desde o início do ano, o trabalho individual de cada aluno. Mais do que testar atomisticamente
competências e/ou conhecimentos, a avaliação de diagnóstico deve permitir ao professor estabelecer o
perfil inicial de cada aluno, dando, simultaneamente, a este último, informações sobre as suas
necessidades específicas e as formas de trabalho preferenciais. Deste modo, a avaliação de diagnóstico
deverá ultrapassar a simples aplicação colectiva de testes de conhecimentos gerais, podendo basear-se
em actividades e tarefas que articulam as competências e os saberes em função de pré-requisitos
estabelecidos.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 23


Avaliação Contínua
O ensino que tem em consideração as necessidades dos alunos requer uma avaliação individualizada,
que fixe as metas que o aluno deverá alcançar, a partir de critérios estabelecidos, em função do
diagnóstico efectuado. Para isso, os alunos devem conhecer previamente os aspectos que serão objecto
de observação, bem como os critérios que orientam a avaliação. Assim, na sua prática pedagógica, o
professor, quando avalia, deve valorizar a relação entre os processos e os produtos de aprendizagem
seguidos e conseguidos pelos alunos. Negociar os critérios de avaliação com os alunos e aplicá-los de
forma coerente não só é formativo como também concede fiabilidade à avaliação. Constituem meios de
avaliação todas as actividades de aprendizagem, tais como trabalhos individuais e de grupo, entrevistas,
discussões e debates, exposições, portfolios, trabalhos de projecto, intercâmbios culturais etc. bem
como os próprios diários dos alunos, ou as cassetes áudio e vídeo produzidas pelos mesmos.

Avaliação Sumativa
A avaliação sumativa constitui a terceira etapa de todo o processo formativo, devendo constituir um
balanço (qualitativo e quantitativo) da aprendizagem de cada aluno e permitir o inventário das
aquisições, dando, simultaneamente, informações necessárias para o seu prosseguimento futuro.

Destina-se a certificar os resultados da aprendizagem, ratificando-os e permitindo a atribuição da


respectiva classificação. A avaliação incidirá prioritariamente sobre o produto realizado no final de cada
módulo e deverá também abranger a competência de compreensão através de instrumentos objectivos.
Deste modo, ela constituirá um importante indicador da eficácia do trabalho realizado conjuntamente
por alunos e professor.

Avaliação Final
O momento da avaliação final do módulo deve visar a abordagem dos conteúdos essenciais do mesmo e
integrar as quatro competências expostas anteriormente.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 24


Apresentação Modular

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 25


Módulo 1 – Ferramentas Manuais
Apresentação

Este módulo pretende fazer uma apresentação do conjunto de ferramentas que um técnico de mecânica
automóvel possui na oficina para efectuaros trabalhos de reparação de veículos automóveis.

Objectivos de Aprendizagem

 Distinguir os grupos de ferramentas


 Descrever as principais ferramentas fixas
 Descrever as principais ferramentas articuladas e identificar asua correcta utilização na mecânica
automóvel
 Enunciar os cuidadosa ter na utilização das ferramentas manuais

Âmbito dos Conteúdos

 Escolher e utilizar correctamente as ferramentas de montagem e desmontagem fixas, articuladas e


complementares, na reparação automóvel
 Enunciar os cuidados a ter no manuseamento das ferramentas fixas
 Enunciar os cuidados a ter na utilização das ferramentas articuladas
 Enunciar os cuidados a ter na utilização das ferramentas complementares
 Aplicar as regras de segurança na utilização das ferramentas manuais

Bibliografia / Outros Recursos

 HAZET – Catálogo Técnico


 CRAFTSMAN – Catálogo Técnico
 FACOM – Catálogo Técnico
 INSTITUTO UNIVERSAL BRASILEIRO – Mecânica de Automóveis
 RS COMPONENTS – Catálogo Técnico
 VASSALO, Francisco – Manual de Ferramentas para o Electricista, Plátano Editora

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 26


Módulo 2 – Processos de Corte e Desbaste
Apresentação

Pretende-se com este módulo fazer referência aos métodos de corte e desbaste, nomeadamente a
serragem, o corte e desbaste por acção abrasiva, corte com tesoura, corte térmico e limagem, entre outras,
que são métodos utilizados na transformação do material em bruta na peça acabada. São também
referenciadas as várias ferramentas que são utilizadas para a realização destes métodos.

Objectivos de Aprendizagem

Ter os conhecimentos necessários dos processos de serrar, cortar por acção abrasiva, cortar com tesoura,
cortar utilizando processos térmicos e limar utilizando ferramentas e equipamentos específicos
correctamente.

Âmbito dos Conteúdos

 Seleccionar correctamente as ferramentas e equipamentos adequados para serrar uma peça


utilizando-as nos métodos de serrar mais apropriados, nomeadamente a serragem manual e a
serragem mecânica
 Identificar as finalidades do corte e desbaste por acção abrasiva, enunciando as mesmas
 Seleccionar o abrasivo industrial adequado ao método de corte e desbaste por acção abrasiva a
executar, nomeadamente os grãos abrasivos em estado aglomerado e os grãos abrasivos em
revestimento
 Seleccionar as ferramentas e equipamentos adequados para executar uma esmerilagem, rebarbagem,
rectificação, lixagem manual e lixagem mecanizada
 Seleccionar a tesoura manual de alavanca adequada para o corte de chapas finas
 Enunciar os princípios de funcionamento dos processos de corte térmicos, nomeadamente o oxi-corte
e o corte térmico por plasma
 Seleccionar as ferramentas e equipamentos adequados para limar uma peça

Bibliografia / Outros Recursos

 JUPSIN, C; ANGENOT, J. - Trabalho De Metais, Plátano Editora.


 E.T.A.I. - Revue Technique Automobile, Outillages Et Tours De Main
 PAULO, Fernando Godinho; RODRIGUES, Fernando E. S. - Pequeno Manual Escolar De Serralharia
Mecânica, Livraria Escolar Editora.
 ROCHA, Acácio Teixeira Da - Tecnologia Mecânica, Volume III, Coimbra Editora.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 27


Módulo 3 – Processos de Furação, Mandrilagem e Roscagem
Apresentação

Pretende-se com este módulo fazer referência aos métodos de furação, mandrilagem, roscagem e ainda as
várias ferramentas que são utilizadas para a realização destes métodos.

Objectivos de Aprendizagem

Aprender as técnicas de execução de uma furação, mandrilagem e roscagem de um furo utilizando as


ferramentas específicas para o efeito.

Âmbito dos Conteúdos

 Seleccionar os parâmetros de furação adequados para a execução de uma furação


 Seleccionar correctamente as ferramentas e equipamentos adequados para furar uma peça
 Seleccionar correctamente as ferramentas e equipamentos adequados ao mandrilamento de um furo
 Identificar os elementos fundamentais de uma rosca e a sua designação

Bibliografia / Outros Recursos

 JUPSIN, C; ANGENOT, J. - Trabalho De Metais, Plátano Editora.


 E.T.A.I. - Revue Technique Automobile, Outillages Et Tours De Main
 PAULO, Fernando Godinho; RODRIGUES, Fernando E. S. - Pequeno Manual Escolar De Serralharia
Mecânica, Livraria Escolar Editora
 ROCHA, Acácio Teixeira Da - Tecnologia Mecânica, Volume III, Coimbra Editora

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 28


Módulo 4 – Soldadura
Apresentação

Pretende-se com este módulo dar as alunos conhecimentos básicos dos processos de soldadura mais
utilizados na indústria automóvel.

Objectivos de Aprendizagem

Identificar e executar os tipos de soldadura aplicados no automóvel, bem como importância da segurança
no posto de soldadura.

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar os elementos essenciais para a execução de uma soldadura


 Identificar os vários processos de soldadura e fonte de calor para cada processo
 Identificar os campos de aplicação dos processos de soldadura
 Distinguir a soldadura heterogénea a autogénea
 Identificar os símbolos utilizados para representar os processos de soldadura
 Identificar os tipos de chanfros utilizados na soldadura, bem como a sua importância no processo de
união de peças
 Identificar os tipos de juntas utilizados na soldadura
 Identificar os tipos de corrente e polaridade que são empregues nas soldaduras eléctricas
 Identificar as posições de soldaduras
 Descrever as condições necessárias para a execução de uma soldadura
 Identificar as características mais relevantes das máquinas de soldadura
 Identificar os equipamentos, acessórios, ferramentas e consumíveis utilizados nos seguintes processos
de soldadura:
- Soldadura por arco eléctrico com eléctrodos revestidos
- Soldadura oxiacetilénica
- Soldadura por resistência
- Soldadura TIG
- Soldadura MIG/MAG
 Identificar as técnicas operatórias utilizadas nos seguintes processos de soldadura:
- Soldadura por arco eléctrico com eléctrodos revestidos
- Soldadura oxiacetilénica
- Soldadura por resistência
- Soldadura TIG
- Soldadura MIG/MAG

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 29


Bibliografia / Outros Recursos

 JUPSIN, C; ANGENOT, J. - Trabalho De Metais, Plátano Editora.


 E.T.A.I. - Revue Technique Automobile, Outillages Et Tours De Main
 PAULO, Fernando Godinho; RODRIGUES, Fernando E. S. - Pequeno Manual Escolar De Serralharia
Mecânica, Livraria Escolar Editora
 ROCHA, Acácio Teixeira Da - Tecnologia Mecânica, Volume III, Coimbra Editora

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 30


Electricidade e Electrónica
Automóvel

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 31


Caracterização da Disciplina
A Electricidade e a electrónica são duas importantes áreas da mecânica automóvel moderna. Pretende-
se com esta disciplina garantir que os alunos adquiram os conhecimentos mínimos nestas duas
importantes áreas, que tenham conhecimentos para ler e interpretar desenhos de esquemas eléctricos
e electrónicos auto, bem como descrever os vários componentes eléctricos e suas aplicações no
automóvel. Espera-se ainda que consigamidentificar os diversos componentes constituintes dos
sistemas de carga e de arranque, como é o caso do alternador ou do motor de arranque.

Objectivos gerais:
 Promover os conhecimentos mínimos nas áreas da electricidade e electrónica;
 Promover o nivelamento dos alunos no que diz respeito ao conhecimento de base;
 Proporcionar conhecimentos na área da leitura e interpretação de esquemas eléctricos
automóvel;
 Descrever o funcionamento de transformadores, geradores e motores;
 Identificar os componentes de instalações eléctricas;
 Apontar formas de protecção e de manutenção em sistemas eléctricos
 Promover o conhecimento quanto à identificação e (des)montagem de componentes
constituintes dos sistemas de carga e de arranque.

Visão Geral do Programa da Disciplina


O programa integra um conjunto de módulos com uma carga horária total de 210 horas. Alguns dos
módulos assentam em conceitos teóricos que depois são desenvolvidos e aplicados a situações
específicas da indústria automóvel.O desenvolvimento assenta na seguinte estrutura modular:


Módulo Electricidade e Electrónica Automóvel 1º 2º 3º
Horas
1 Electricidade 60 60
2 Electrónica 50 50
3 Leitura e Interpretação de Esquemas Eléctricos Auto 50 50
4 Sistemas de Carga e Arranque 50 50
TOTAL 210 0 60 150

Competências a Desenvolver
Podem variar consoante as especificidades da turma e dos alunos (estilos e ritmos de aprendizagem,
experiências, interesses e orientações académicas), no entanto, seguir-se-á os seguintes objectivos
gerais:

 Definir matéria pela sua constituição, diferenciando-a nos seus estados físicos, em função da
pressão e temperatura a que esteja sujeita;
 Distinguir, dentro da constituição atómica, ião positivo de ião negativo segundo a aquisição e
perda de electrões pelo átomo;
 A partir dos vários elementos e compostos químicos presentes na natureza, distinguir, com
base na sua resistência eléctrica, quais os materiais isoladores e condutores de corrente
eléctrica;
 Com base na noção de electricidade estática, identificar com rigor os vários tipos de
electrização;

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 32


 Definir diferença de potencial e corrente eléctrica tomando como princípio de estudo, um
circuito simples;
 Distinguir corrente eléctrica contínua de alternada;
 Enunciar a lei de Ohm, aplicando as respectivas fórmulas matemáticas a qualquer exercício de
aplicação;
 Definir resistência eléctrica e resistividade eléctrica aplicando estas noções no estudo de
qualquer circuito eléctrico;
 Interpretar a lei de Joule, traduzindo todos os seus efeitos caloríficos num circuito eléctrico
puramente resistivo;
 Montar um circuito eléctrico interpretando um esquema dado;
 Medir intensidades, tensões e resistências usando o amperímetro, voltímetro e ohmímetro;
 Medir qualquer grandeza eléctrica com o uso do multímetro, definindo com clareza os
resultados obtido em função do calibre utilizado no aparelho;
 Localizar um condensador em qualquer circuito eléctrico explicando o seu funcionamento e
função no circuito.

Orientações Metodológicas/Avaliação
A disciplina de Electricidade e Electrónica Automóvel tem um carácter teórico-prático e experimental,
fundamental para o curso, podendo, como carácter opcional, que a aprendizagem seja leccionada por
um ou mais professores. Torna-se, por isso, necessário implementar metodologias através de
actividades que incidam sobre a aplicação prática e contextualizada dos conteúdos, a experimentação, a
pesquisa e a resolução de problemas. Neste sentido, as aulas deverão privilegiar a participação dos
alunos em projectos, na resolução de problemas e de exercícios que simulem a realidade das empresas,
instituições e oficinas de mecânica ou que abordem temas de outras áreas disciplinares.
A competência não se limita ao aprender, porque envolve o agir numa situação determinada: é
aprender a fazer. Neste sentido, deve incentivar-se situações de aprendizagem nas quais o
protagonismo do aluno e o trabalho de grupo sejam estratégias para a contextualização dos conteúdos
curriculares no mundo da produção. De igual modo, perspectiva-se a utilização de uma pedagogia
dinâmica que transforme a sala de aula num espaço privilegiado de aprendizagens vivas e
enriquecedoras na qual o aluno participa activamente na construção do seu conhecimento. O conteúdo
é um meio e não mais um fim em si mesmo.

Avaliação
A avaliação de aprendizagem, compatível com a formulação curricular centrada no desenvolvimento de
competências e habilidades, se processará de forma contínua, integral e cumulativa, com prevalência
dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, e dos resultados ao longo da disciplina. A avaliação
(procedimentos e instrumentos específicos) utilizada estará centrada na participação activa dos alunos,
imersos no desenvolvimento de projectos amplos do(s) processo(s) produtivo(s) da área profissional,
envolvendo-se na superação de problemas e desafios, em situações simuladas ou de realidade virtual,
ou ainda no mundo real do trabalho.

Essas avaliações privilegiarão o desenvolvimento de actividades típicas ou de projectos de trabalho.


Dessa forma, a avaliação da aprendizagem será individual ou em grupo, feita ao longo do estudo de
cada módulo e poderá culminar com verificações de aprendizagem trabalhos práticos, pesquisas,
projectos, etc.

Avaliar de forma contínua e formativa a motivação dos alunos, a intencionalidade comunicativa, a


eficácia da aprendizagem, designadamente no tocante ao desenvolvimentode capacidadese à aquisição
de competências.

Realizar a avaliação sumativa das aprendizagens realizadas.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 33


Avaliação de D iagnóstico
A avaliação de diagnóstico constitui uma primeira etapa da avaliação formativa, permitindo orientar,
desde o início do ano, o trabalho individual de cada aluno. Mais do que testar atomisticamente
competências e/ou conhecimentos, a avaliação de diagnóstico deve permitir ao professor estabelecer o
perfil inicial de cada aluno, dando, simultaneamente, a este último, informações sobre as suas
necessidades específicas e as formas de trabalho preferenciais. Deste modo, a avaliação de diagnóstico
deverá ultrapassar a simples aplicação colectiva de testes de conhecimentos gerais, podendo basear-se
em actividades e tarefas que articulam as competências e os saberes em função de pré-requisitos
estabelecidos.

Avaliação Contínua
O ensino que tem em consideração as necessidades dos alunos requer uma avaliação individualizada,
que fixe as metas que o aluno deverá alcançar, a partir de critérios estabelecidos, em função do
diagnóstico efectuado. Para isso, os alunos devem conhecer previamente os aspectos que serão objecto
de observação, bem como os critérios que orientam a avaliação. Assim, na sua prática pedagógica, o
professor, quando avalia, deve valorizar a relação entre os processos e os produtos de aprendizagem
seguidos e conseguidos pelos alunos. Negociar os critérios de avaliação com os alunos e aplicá-los de
forma coerente não só é formativo como também concede fiabilidade à avaliação. Constituem meios de
avaliação todas as actividades de aprendizagem, tais como trabalhos individuais e de grupo, entrevistas,
discussões e debates, exposições, portfolios, trabalhos de projecto, intercâmbios culturais etc. bem
como os próprios diários dos alunos, ou as cassetes áudio e vídeo produzidas pelos mesmos.

Avaliação sumativa
A avaliação sumativa constitui a terceira etapa de todo o processo formativo, devendo constituir um
balanço (qualitativo e quantitativo) da aprendizagem de cada aluno e permitir o inventário das
aquisições, dando, simultaneamente, informações necessárias para o seu prosseguimento futuro.

Destina-se a certificar os resultados da aprendizagem, ratificando-os e permitindo a atribuição da


respectiva classificação. A avaliação incidirá prioritariamente sobre o produto realizado no final de cada
módulo e deverá também abranger a competência de compreensão através de instrumentos objectivos.
Deste modo, ela constituirá um importante indicador da eficácia do trabalho realizado conjuntamente
por alunos e professor.

Avaliação Final
O momento da avaliação final do módulo deve visar a abordagem dos conteúdos essenciais do mesmo e
integrar as competências expostas anteriormente.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 34


Apresentação Modular

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 35


Módulo 1 – Electricidade
Apresentação

Neste primeiro módulo da disciplina de Electricidade faz-se uma primeira abordagem aos princípios gerais
das leis físicas e químicas que geram a electricidade.

Objectivos de Aprendizagem

Identificar os princípios gerais da electricidade, principais grandezas eléctricas e respectivas unidades,


identificar e caracterizar as principais características de campos magnéticos e electromagnéticos, descrever o
princípio de funcionamento de transformadores, motores e geradores eléctricos.
Identificar, caracterizar e descrever a função e princípio de funcionamento de semicondutores, componentes
electrónicos, circuitos integrados, microcontroladores e microprocessadores de unidades electrónicas de
comando, sensores, actuadores e unidades electrónicas de comando

Âmbito dos Conteúdos

 Electricidade básica
 Potencial eléctrico e diferença de potencial
 Corrente eléctrica
 Corrente contínua e corrente alternada
 Resistividade e condutividade
 Impedância
 Lei de Ohm
 Análise de circuitos eléctricos
 Leis de Kirchoff
 Potência eléctrica
 Lei de Joule
 Potência média
 Potência real e potência aparente
 Condensadores
 Carga, capacidade e tensão de ruptura
 Magnetismo
 Ímanes
 Linhas de força do campo magnético
 Permeabilidade magnética
 Magnetização
 Conceito de electromagnetismo
 Regra da mão direita
 Solenóides e electroímanes
 Indução electromagnética
 Transformadores
 Motores e geradores eléctricos

Bibliografia / Outros Recursos

 COOPER, Alain - Ciência Visual ELECTRICIDADE , Editorial Pública.


 CRUZEIRO, Mario Rodrigues - Estudo da Electricidade, III Volume, Edições Salesianas.
 CASTELA, Comandante José Filipe - Electrotecnia e Máquinas Eléctricas, Ministério da
 Marinha (Escola Náutica).
 BENEVIDES, Francisco Fonseca - Noções de Física Moderna, Tomo II, Academia Real
 das Ciências.
 SILVA, Rogério Castro e - Curso de Electricidade Prática, 3ª Edição, Editorial de Marinha,

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 36


 Ministério da Marinha (Escola Náutica).
 FARIA, Ana Maria; VALADARES, Jorge António; SILVA, Luís Gonçalves da; TEODORO, Victor
Duarte - Física 1º Volume, Texto, Guia de Estudo, Manual de Actividades, Didáctica Editora

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 37


Módulo 2 – Electrónica
Apresentação

Neste primeiro módulo da disciplina de Electricidade faz-se uma primeira abordagem aos princípios gerais do
da constituição e funcionamento dos semicondutores, unidades electrónicas de comando, sensores e
actuadores.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar a constituição e principais características dos semicondutores


 Descrever o funcionamento dos principais semicondutores e interpretar as suas curvas características
 Identificar, caracterizar e descrever a função e funcionamento de unidades electrónicas de comando,
sensores e actuadores

Âmbito dos Conteúdos

 Características e funcionamento de semicondutores


 Tipos de semicondutores
 Curvas características
 Materiais Tipo N e P
 Junção PN
 Díodos
 Rectificação de corrente e regulação de tensão
 LED
 Fotodíodos
 Díodos de Zenner
 Transístores
 Tíristores
 Aplicações práticas de semicondutores
 Circuitos integrados
 Sinais analógicos e digitais
 Conversor analógico-digital
 Circuitos digitais
 Portas lógicas
 Temporizadores
 Microprocessadores
 Unidade electrónica de comando
 Sensores electromagnéticos
 Sensores electromecânicos
 Sensores efeito Hall
 Sensores NTC/PTC
 Sensores ópticos
 Sensores piezoeléctricos
 Actuadores
 Diagnóstico de avarias em sensores e actuadores

Bibliografia / Outros Recursos

 COOPER, Alain - Ciência Visual ELECTRICIDADE , Editorial Pública


 BENEVIDES, Francisco Fonseca - Noções de Física Moderna, Tomo II, Academia Real
 das Ciências
 SILVA, Rogério Castro e - Curso de Electricidade Prática, 3ª Edição, Editorial de Marinha,

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 38


Módulo 3 – Leitura e Interpretação de Esquemas Eléctricos
Apresentação

Com este módulo pretende-se que os alunos aprendam uma ferramenta essencial de apoio ao técnico de
reparação ou montagem de componentes que tenham a ver com a instalação eléctrica e electrónica dos
veículos.

Objectivos de Aprendizagem

Ficar apto para identificar a simbologia e interpretar esquemas eléctricos segundo


as normas DIN e S.A.E., utilizados em veículos automóveis.

Âmbito dos Conteúdos

 Conhecer a simbologia DIN e S. A.E. dos esquemas eléctricos


 Interpretar e elaborar esquemas de blocos de um determinado circuito
 Interpretar esquemas eléctricos segundo as normas DIN e S.A.E.
 Identificar os fusíveis utilizados para protecção dos circuitos eléctricos

Bibliografia / Outros Recursos

 OPEL – Esquemas Eléctricos, Serviço de Informação sobre o Produto – ADAM OPEL AG., 1993
 PONTIAC – Trans Sport, Adam Opel GM – European Service-Russelsheim
 BOSCH - Automotive Handbook, Robert Bosch GmbH, 1996

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 39


Módulo 4 – Sistemas de Carga e Arranque
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a identificar os diversos componentes constituintes
do sistema de carga e dosistema de arranque. Deve, também efectuar a manutenção e reparação
doalternador e motor de arranque e proceder à sua montagem no sistemaeléctrico do automóvel.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificação, caracterização e verificação de sistemas de carga e arranque


 Diagnóstico e reparação de sistemas de carga e arranque

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar a função dos sistemas de carga e arranque no veículo


 Identificar os componentes constituintes do alternador
 Medir a corrente gerada pelo alternador utilizando um multímetro, verificando o estado de
funcionamento do alternador e do motor de arranque
 Medir a resistência da bobina do rotor utilizando um multímetro
 Medir a resistência de isolamento do rotor utilizando um multímetro
 Medir a resistência dos enrolamentos do estator utilizando um multímetro
 Medir a resistência de isolamento do estator utilizando um multímetro
 Testar os díodos da ponte rectificadora do alternador
 Distinguir os vários tipos de reguladores de tensão quanto à sua constituição e funcionamento
 Proceder à afinação do regulador, com base no gráfico de regulação de tensão
 Identificar os componentes constituintes do motor de arranque com base no princípio de
funcionamento do motor eléctrico
 Medir a resistência dos enrolamentos do induzido utilizando um multímetro
 Medir a resistência de isolamento do induzido utilizando uma lâmpada
 Medir a resistência dos enrolamentos do indutor utilizando um multímetro
 Medir a resistência de isolamento do indutor utilizando uma lâmpada
 Testar o motor de arranque fora do veículo
 Testar o motor de arranque montado no veículo

Bibliografia / Outros Recursos

 CASTRO, Miguel de – Manual do Alternador, Bateria e Motor de Arranque, Plátano Editora

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 40


Motor Automóvel

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 41


Caracterização da Disciplina
A disciplina Motor Automóvel tem como objectivo garantir que os alunos adquiram os conhecimentos
necessários para estarem aptos a identificar componentes do motor, sistemas de alimentação a gasolina
e a diesel. No final da disciplina, devem ainda ser capazes de identificar os vários órgãos e sistemas de
distribuição, transmissão e sobrealimentação e explicar o seu funcionamento.

Visão Geral do Programa da Disciplina


O programa integra um conjunto de módulos com uma carga horária total de 375 horas. Alguns dos
módulos assentam em conceitos teóricos que depois são desenvolvidos e aplicados a situações
específicas da indústria automóvel.O desenvolvimento assenta na seguinte estrutura modular:


Módulo Motor Automóvel 1º 2º 3º
Horas
1 Alimentação Diesel 50 50
2 Distribuição 60 60
3 Lubrificação de Motores e Transmissões 60 60
4 Sistemas de Alimentação por Carburador 60 60
5 Sistemas de Injecção Mecânica 50 50
6 Sistemas de Transmissão 30 30
7 Sistemas Electrónicos Diesel 25 25
8 Sobrealimentação 40 40
TOTAL 375 310 65

Competências a Desenvolver
Podem variar consoante as especificidades da turma e dos alunos (estilos e ritmos de aprendizagem,
experiências, interesses e orientações académicas), no entanto, seguir-se-á os seguintes objectivos
gerais:

 Identificar e nomear os vários componentes de um sistema de alimentação Diesel (circuito de


alimentação e circuito de injecção);
 Descrever o seu modo de funcionamento e a função dos mesmos no sistema e efectuar
operações de montagem, desmontagem, inspecção e ensaios de componentes;
 Deverá ser também capaz de distinguir e caracterizar tipos diferentes de injecção Diesel;
 Identificar e classificar os vários órgãos e sistemas de distribuição, explicar o funcionamento de
cada órgão e sistema de distribuição, bem como explicar a sua função no funcionamento do
motor;
 Deverá também ser capaz de, interpretar diagramas de distribuição, controlar, verificar,
montar, desmontar e efectuar medições metrológicas de órgãos do sistema de distribuição, pôr
a ponto um sistema de distribuição, e efectuar diagnósticos a partir da análise de sintomas
verificados;
 Descrever a importância da lubrificação nos motores e transmissões, de identificar os diversos
sistemas de lubrificação, os seus componentes e as principais avarias;
 Pretende-se também que distingam os diversos tipos de óleos para motores e transmissões e
executem a manutenção dos referidos sistemas;
 Os formandos deverão ainda ser capazes de descrever o funcionamento dos sistemas de
alimentação e em especial dos carburadores, de motores a gasolina, identificar alguns tipos de
carburadores e seus componentes, bem como executar afinações e reparações nos mesmos;
 Deverá ser capaz de identificar os diversos componentes constituintes dos sistemas de injecção
mecânica e, ainda efectuar a manutenção e reparação do sistema de injecção mecânica;

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 42


 Descrever o funcionamento dos sistemas transmissão manual, integral e automática;
 Identificar os seus componentes e explicar a sua função;
 Identificar os diversos tipos de sistemas electrónicos Diesel e o seu modo de funcionamento;
 Identificar as vantagens e desvantagens da sobrealimentação de motores térmicos;
 Identificar os tipos de mecanismos de sobrealimentação e o seu funcionamento;
 Efectuar a manutenção e verificação do estado de funcionamento dos turbocompressores.

Orientações Metodológicas/Avaliação
A disciplina de Motor Automóvel tem um carácter predominantemente teórico e experimental,
fundamental para o curso, podendo, como carácter opcional, que a aprendizagem seja leccionada por
um ou mais professores. Torna-se, por isso, necessário implementar metodologias através de
actividades que incidam sobre a aplicação prática e contextualizada dos conteúdos, a experimentação, a
pesquisa e a resolução de problemas. Neste sentido, as aulas deverão privilegiar a participação dos
alunos em projectos, na resolução de problemas e de exercícios que simulem a realidade das empresas,
instituições e oficinas de mecânica ou que abordem temas de outras áreas disciplinares.
A competência não se limita ao aprender, porque envolve o agir numa situação determinada: é
aprender a fazer. Neste sentido, deve incentivar-se situações de aprendizagem nas quais o
protagonismo do aluno e o trabalho de grupo sejam estratégias para a contextualização dos conteúdos
curriculares no mundo da produção. De igual modo, perspectiva-se a utilização de uma pedagogia
dinâmica que transforme a sala de aula num espaço privilegiado de aprendizagens vivas e
enriquecedoras na qual o aluno participa activamente na construção do seu conhecimento. O conteúdo
é um meio e não mais um fim em si mesmo.

Avaliação
A avaliação de aprendizagem, compatível com a formulação curricular centrada no desenvolvimento de
competências e habilidades, se processará de forma contínua, integral e cumulativa, com prevalência
dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, e dos resultados ao longo da disciplina. A avaliação
(procedimentos e instrumentos específicos) utilizada estará centrada na participação activa dos alunos,
imersos no desenvolvimento de projectos amplos do(s) processo(s) produtivo(s) da área profissional,
envolvendo-se na superação de problemas e desafios, em situações simuladas ou de realidade virtual,
ou ainda no mundo real do trabalho.

Essas avaliações privilegiarão o desenvolvimento de actividades típicas ou de projectos de trabalho.


Dessa forma, a avaliação da aprendizagem será individual ou em grupo, feita ao longo do estudo de
cada módulo e poderá culminar com verificações de aprendizagem trabalhos práticos, pesquisas,
projectos, etc.

Avaliar de forma contínua e formativa a motivação dos alunos, a intencionalidade comunicativa, a


eficácia da aprendizagem, designadamente no tocante ao desenvolvimentode capacidadese à aquisição
de competências.

Realizar a avaliação sumativa das aprendizagens realizadas.

Avaliação de D iagnóstico
A avaliação de diagnóstico constitui uma primeira etapa da avaliação formativa, permitindo orientar,
desde o início do ano, o trabalho individual de cada aluno. Mais do que testar atomisticamente
competências e/ou conhecimentos, a avaliação de diagnóstico deve permitir ao professor estabelecer o
perfil inicial de cada aluno, dando, simultaneamente, a este último, informações sobre as suas
necessidades específicas e as formas de trabalho preferenciais. Deste modo, a avaliação de diagnóstico

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 43


deverá ultrapassar a simples aplicação colectiva de testes de conhecimentos gerais, podendo basear-se
em actividades e tarefas que articulam as competências e os saberes em função de pré-requisitos
estabelecidos.

Avaliação Contínua
O ensino que tem em consideração as necessidades dos alunos requer uma avaliação individualizada,
que fixe as metas que o aluno deverá alcançar, a partir de critérios estabelecidos, em função do
diagnóstico efectuado. Para isso, os alunos devem conhecer previamente os aspectos que serão objecto
de observação, bem como os critérios que orientam a avaliação. Assim, na sua prática pedagógica, o
professor, quando avalia, deve valorizar a relação entre os processos e os produtos de aprendizagem
seguidos e conseguidos pelos alunos. Negociar os critérios de avaliação com os alunos e aplicá-los de
forma coerente não só é formativo como também concede fiabilidade à avaliação. Constituem meios de
avaliação todas as actividades de aprendizagem, tais como trabalhos individuais e de grupo, entrevistas,
discussões e debates, exposições, portfolios, trabalhos de projecto, intercâmbios culturais etc. bem
como os próprios diários dos alunos, ou as cassetes áudio e vídeo produzidas pelos mesmos.

Avaliação Sumativa
A avaliação sumativa constitui a terceira etapa de todo o processo formativo, devendo constituir um
balanço (qualitativo e quantitativo) da aprendizagem de cada aluno e permitir o inventário das
aquisições, dando, simultaneamente, informações necessárias para o seu prosseguimento futuro.

Destina-se a certificar os resultados da aprendizagem, ratificando-os e permitindo a atribuição da


respectiva classificação. A avaliação incidirá prioritariamente sobre o produto realizado no final de cada
módulo e deverá também abranger a competência de compreensão através de instrumentos objectivos.
Deste modo, ela constituirá um importante indicador da eficácia do trabalho realizado conjuntamente
por alunos e professor.

Avaliação Final
O momento da avaliação final do módulo deve visar a abordagem dos conteúdos essenciais do mesmo e
integrar as cinco competências expostas anteriormente.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 44


Apresentação Modular

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 45


Módulo 1 – Alimentação Diesel
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a identificar e nomear os vários componentes de um
sistema de alimentação Diesel (circuito de alimentação e circuito de injecção), descrever o seu modo de
funcionamento e a função dos mesmos no sistema e efectuar operações de montagem, desmontagem,
inspecção e ensaios de componentes. Deverão também ser também capazes de distinguir e caracterizar tipos
diferentes de injecção Diesel.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar, caracterização e verificação de sistemas de ignição Diesel


 Identificar, caracterização e verificação de sistemas de alimentação Diesel

Âmbito dos Conteúdos

 Distinguir injecção directa de injecção indirecta


 Dado um sistema de alimentação Diesel, identificar e nomear os vários componentes do circuito de
alimentação do sistema
 Dado um sistema de alimentação Diesel, identificar e nomear os vários componentes do circuito de
injecção do sistema
 Dado um sistema de alimentação Diesel, descrever a função dos componentes do circuito de
alimentação
 Dado um sistema de alimentação Diesel, descrever a função dos componentes do circuito de injecção
 Dado um injector de combustível (gasóleo), identificar e classificar o seu tipo
 Dada uma bomba de injecção, identificar o seu tipo, o seu principio de funcionamento e os seus
principais componentes
 Dado um motor de injecção Diesel, desmontar e montar os injectores de combustível no motor
 Dado um injector de combustível (gasóleo), desarmar e armar as partes do injector e proceder à
inspecção das mesmas
 Dado um injector de combustível (gasóleo), efectuar ensaios ao seu funcionamento

Bibliografia / Outros Recursos

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 46


Módulo 2 – Distribuição
Apresentação

Este módulo tem como objectivo dar conhecimentos aos alunos para que sejam capazes de identificar e
classificar os vários órgãos e sistemas de distribuição e de explicar a sua função no motor. Deverão também
ser capazes de interpretar diagramas de distribuição, controlar, verificar, montar, desmontar e efectuar
medições metrológicas de órgãos do sistema de distribuição e efectuar diagnósticos a partir da análise de
sintomas verificados.

Objectivos de Aprendizagem

Identificar e caracterizar sistemas de distribuição e seus componentes e verificar e (des)montar sistemas de


distribuição e seus componentes.

Âmbito dos Conteúdos

 Dado um sistema de distribuição, identificar o tipo de sistema indicando e nomeando cada um dos
seus órgãos
 Dado vários tipos de sistemas de distribuição, indicar as vantagens e desvantagens de cada um deles,
em relação aos outros
 Dado vários tipos de sistemas de distribuição, identificá-los e indicar a função de cada um deles
 Dado vários tipos de sistemas de distribuição, descrever o seu funcionamento
 Dado um diagrama de distribuição, interpretá-lo, indicando os tempos do ciclo e os momentos e
tempos de abertura das válvulas de admissão e de escape
 Descrever as razões pelas quais se utilizam sistemas de distribuição variável
 Dado um motor, desmontar, verificar o estado, efectuar medições metrológicas, montar e afinar as
válvulas de admissão e de escape, utilizando as ferramentas e aparelhos adequados
 Dado um sistema de distribuição, verificar a sincronização do sistema pondo-o a ponto, utilizando as
ferramentas e aparelhos adequados
 Dado um sistema de distribuição, verificar o estado e funcionamento dos seus órgãos e componentes e
efectuar o diagnóstico de avarias a partir da análise de sintomas
 Dado um motor, efectuar medições metrológicas dos componentes do sistema de distribuição,
utilizando os aparelhos adequados e comparando os valores obtidos com as especificações técnicas

Bibliografia / Outros Recursos

 ALONSO, J. M. – Técnicas del Automovil – Motores


 ALONSO, J. M. – Electromecânica de Vehículos – Motores
 CROUSE, W. H. – El Libro del Automovil, vol. 2, Boixareu Editores
 CROUSE, W. H. – Motores de Automovil, Boixareu Editores

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 47


Módulo 3 – Lubrificação de Motores e Transmissões
Apresentação

Aqualificação dos técnicos éfundamental para que, através da análise de parâmetros como a temperatura e
a pressão do óleo nos diversos sistemas de lubrificação, possam fazer um diagnóstico preciso que permita
resolver mais facilmente os problemas de reparação emanutenção colocados pelos motores e
transmissões.

Objectivos de Aprendizagem

Descrever a importância da lubrificação nos motores e transmissões, de identificar os diversos sistemas de


lubrificação, os seus componentes e as principais avarias. Pretende-se também que os alunos consigam
distinguir os diversos tipos de óleos para motores e transmissões e que sejam capazes de executar a
manutenção dos referidos sistemas.

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar e distinguir os diversos sistemas de lubrificação


 Identificar a função da lubrificação em motores e transmissões
 Descrever o funcionamento dos seguintes sistemas de lubrificação em motores:
- Lubribrificação por chapinhagem simples
- Lubrificação por chapinhagem em nlvel constante
- Lubrificação por circulação forçada
- Lubrificação por circulação forçada de cárter seco
- Lubrificação por mistura
 Identificar os vários componentes de cada sistema de lubrificação e descrever a sua função
 Descrever o funcionamento dos seguintes sistemas de lubrificação em transmissões:
- Lubribrificação por chapinhagem
- Lubrificação por circulação forçada
- Refrigeração do óleo
 Diagnosticar as prmopars avarias dos sistemas de lubrificação de motores e transmissões
 Substituir componentes que constituem os sistemas de lubrificação, bem como os óleos que neles
circulam
 Distinguir e caracterizar os vários tipos de óleos para motores
 Distinguir e caracterizar os vários tipos de óleos para transmissões
 Identificar as principais propriedades dos óleos para motores
 Identificar as principais características dos óleos para transmissões

Bibliografia / Outros Recursos

 PAZ, Arias - Manual do Automóvel,50º Edição, Hemus Editora, Lda


 Renault Portuguesa, S.A. - O Motor a Gasolina - Lubrificação
 LUCCHESI, Domenico - O Automóvel, Volume 2, Editorial Presença 1986
 BOULANGER, Pierre; ADAM, Bernard - Motores Diesel, Hemus Editora, Lda
 ALONSO. J.M. - Motores, Editorial Paranlnto S.A., 1995.
 Selecções do Reader’s Digest - O Livro do Automóvel, ACP
 GALP - Direcção de Lubrificantes Desenvolvimento - Lubrificantes e Lubrificação
 B.P. Portuguesa - Lubrificantes
 MAGALHÃES, Luis; COSTA, Paulo - Motores, CEPRA 1997
 CEPRA - Funções e Propriedades requeridas aos Lubrificantes
 CROUSE, W. H.- Mecânica deI Automovil, Marcombo Boixareu Editores

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 48


Módulo 4 – Sistemas de Alimentação por Carburador
Apresentação

Este módulo tem como finalidade fornecer aos alunos conhecimentos para que sejam capazes de descrever o
funcionamento dos sistemas de alimentação e em especial dos carburadores,de motores a gasolina,
identificar alguns tipos de carburadores e seus componentes, bem como executar afinações e reparações nos
mesmos.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar, caracterizar e verificar sistemas de ignição e alimentação de gasolina

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar os vários componentes que constituem o sistema de alimentação convencional de motores


a gasolina
 Descrever o funcionamento do sistema de alimentação convencional de motores a gasolina
 Descrever o princípio de funcionamento dos carburadores
 Descrever a constituição e funcionamento dos carburadores de difusor constante
 Explicar o funcionamento e importância dos vários circuitos existentes nos carburadores de difusor
constante
 Descrever a constituição e funcionamento dos carburadores compound e de duplo corpo
 Regular o ralenti do motor e as emissões de CO nos carburadores de difusor constante
 Afinar o nível da bóia, o dispositivo de arranque a frio e o dispositivo da borboleta de aceleração, nos
carburadores de difusor constante

Bibliografia / Outros Recursos

 CROUSE, W. H. - Sistemas de Alimentacion de Combustible, Lubricacion y Refrigeracion deI Automovil,


Marcombo Boixareu Editores
 CEPRA - Elemento de Instrução - Construção e Princípio de Funcionamento dos Carburadores
 CEPRA - Elemento de Instrução - Funcionamento dos Carburadores de Difusor Constante
 CEPRA - Elemento de ínstruçêo - Funcionamento do Sistema de Ralenti nos Carburadores de Difusor
Constante Carburadores
 CEPRA - Elemento de Instrução - Constituição e Funcionamento dos Carburadores S. U. de Difusor
Variável
 CEPRA - Elemento de Instrução - Constituição e Funcionamento dos Carburadores Stromberg de
Difusor Variável
 CEPRA - Elemento de Instrução - Regulação do Ralenti nos Carburadores de Difusor constante

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 49


Módulo 5 – Sistemas de Injecção Mecânica
Apresentação

Este módulo tem como finalidade fornecer aos alunos conhecimentos para que sejam capazes de Identificar,
caracterizar e verificar sistemas de ignição e alimentação de gasolina.

Objectivos de Aprendizagem

 Verificar sistemas de alimentação de gasolina por carburador


 Identificar e caracterizar sistemas de injecção mecânica de gasolina
 Verificar sistemas de injecção mecânica de gasolina
 Identificar e caracterizar sistemas de injecção electrónica de gasolina

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar a função dos sistemas de injecção mecânica


 Identificar os componentes constituintes do sistema de injecção
 Distinguir injecção indirecta de injecção directa
 Identificar os diversos modos de injecção
 Distinguir os diferentes sistemas de injecção conforme a sua classificação
 Identificar os diversos componentes do sistema K-Jetronic, quanto à sua função e seu modo de
funcionamento no sistema

Bibliografia / Outros Recursos

 CASTRO, Miguel – INJECÇÃO A GASOLINA, Plátano Edições Técnicas


 PHILIPPE BROTHIER, Jean – L´injection Eléctronique Tome1 ETAI
 CEPRA – Principio de funcionamento da injecção K – Jetronic
 BOSCH – Automotive Electric/Electronic Systems, 2nd Edition

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 50


Módulo 6 – Sistemas de Transmissão
Apresentação

Com este módulo pretende-se que os alunos aprendam a descrever o funcionamento dos
sistemastransmissão manual, integral e automática e que consigam identificar os seus componentes e
explicar a sua função.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar e caracterizar sistemas de transmissão manual


 Verificar embraiagens de sistemas de transmissão manual
 Verificar caixas de velocidades de sistemas de transmissão manuais
 Verificar componentes de sistemas de transmissão manual
 Identificar e caracterizar sistemas de transmissão automática
 Verificar conversores de binário de sistemas de transmissão automática
 Verificar caixas de velocidades de sistemas de transmissão automática
 Verificar componentes de sistemas de transmissão automática

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar os vários componentes que constituem um sistema de transmissão manual automóvel


 Descrever o funcionamento de um sistema de transmissão
 Enumerar e caracterizar os tipos de juntas de transmissão
 Explicar a necessidade da existência do diferencial
 Descrever o princípio de funcionamento dos diferenciais
 Enumerar os cuidados a ter na montagem e desmontagem dos diferenciais
 Enumerar os tipos de diferenciais autoblocantes mais comuns
 Explicar o princípio de funcionamento dos diferenciais autoblocantes

Bibliografia / Outros Recursos

 ALONSO, J. M. – Técnicas del Automovil-Chassis, Editorial Paraninfo


 CHOLLET, H. M. – Curso Prático e Profissional para Mecânicos de Automóveis Hemus Editora
Limitada
 RENAULT – Tecnologia Automóvel - A Embraiagem, a caixa de velocidades, o diferencial, as
transmissões, Centro de Formação Após-Venda
 E.T.A.I. - Revue Technique Automobile, Editions Techniques pour L’Automobile et L’Industrie
 DERREUMAUX, B. - Les Transmission, E.T.A.I.
 E.T.A.I. - L’Automobile
 CASTROL – Cahier technique: L’huile et les transmissions
 LUCCHESI, Domenico - O AUTOMÓVEL - Curso Técnico, Paraninfo, 1996
 SELECÇÕES DO READER’S DIGEST – O Livro do Automóvel, 1976

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 51


Módulo 7 – Sobrealimentação
Apresentação

Com este módulo pretende-se que os alunos aprendam a identificaras vantagens e desvantagens da
sobrealimentação demotores térmicos, identificar os tipos de mecanismos de sobrealimentação e oseu
funcionamento e efectuar a manutenção e verificação do estado de funcionamento dos turbocornpressores.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar e caracterizar sistemas de sobrealimentação


 Verificar sistemas de sobrealimentação

Âmbito dos Conteúdos

 Descrever a Lei dos gases perfeitos como justificação do processo de sobrealimentação


 Descrever as vantagens da sobrealimentação de motores Diesel e gasolina
 Enumerar os tipos de compressores utilizados na sobrealimentação
 Descrever o funcionamento dos compressores volumétricos
 Descrever o funcionamento dos turbocompressores
 Descrever a constituição dos turbocompressores
 Descrever o funcionamento da válvula de descarga do turbocompressor – wastegate
 Descrever o funcionamento da turbina de geometria variável e as suas vantagens
 Descrever o circuito de lubrificação do turbocompressor
 Identificar os problemas relacionados com a aplicação de um turbocompressor a um motor
 Descrever o sistema de sobrealimentação seguido de refrigeração do ar – intercooler
 Identificar a necessidade de arrefecer o ar comprimido
 Identificar as principais vantagens de incorporar um permutador no sistema de sobrealimentação
 Identificar os critérios de selecção de um permutador de calor
 Efectuar a manutenção de turbocompressores, utilizando o método visual e os aparelhos de medida
indicados pelo fabricante
 Identificar os cuidados a ter na reparação de turbocompressores
 Identificar os cuidados a ter na utilização de motores sobrealimentados com turbocompressor
 Diagnosticar avarias no sistema de sobrealimentação

Bibliografia / Outros Recursos

 Revista Técnica Automóvel n. º 50, RTA Edições


 FOY, Hubert - Technique et Applications de la Suralimentation par Turbocompresseur, ETAI

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 52


Tecnologia Automóvel

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 53


Caracterização da Disciplina
A disciplina de Tecnologia Automóvel engloba diversas componentes teóricas e práticas com uma carga
horária distribuída pelos três anos lectivos. Tem como finalidade transmitir conhecimentos aos alunos
em áreas como as rodas e os pneus, os sistemas de suspensão, os sistemas de escape e admissão, os
sistemas de direcção, os sistemas de travagem e os sistemas de climatização do veículo.

Visão Geral do Programa da Disciplina


O programa integra um conjunto de módulos com uma carga horária total de 432 horas, distribuídas
pelos três anos lectivos. Alguns dos módulos assentam em conceitos teóricos que depois são
desenvolvidos e aplicados a situações específicas da indústria automóvel.O desenvolvimento assenta na
seguinte estrutura modular:


Módulo Tecnologia Automóvel 1º 2º 3º
Horas
1 Introdução ao Sector Automóvel 20 20
2 Sistemas de Suspensão 60 60
3 Rodas e Pneus 57 57
4 Sistemas de Admissão e Escape 50 50
5 Sistemas de Direcção Mecânica e Assistida 50 50
6 Sistemas de Travagem Hidráulicos 65 65
7 Ventilação e Ar Condicionado 50 50
TOTAL 352 137 65 150

Competências a Desenvolver
Podem variar consoante as especificidades da turma e dos alunos (estilos e ritmos de aprendizagem,
experiências, interesses e orientações académicas), no entanto, seguir-se-á os seguintes objectivos
gerais:

 Efectuar a mascaragem e a pintura de um veículo, utilizando métodos, equipamentos e


materiais adequados;
 Identificar as definições técnicas de vários termos presentes na actual legislação rodoviária,
nomeadamente no Código da Estrada, com o fim de se familiarizar com os conhecimentos
técnicos inerentes à execução de inspecções técnicas de veículos e à importância da sua
realização;
 Identificar os diferentes tipos de embraiagem e caixas de velocidades existentes, a sua
composição e funcionamento, enunciando as vantagens de determinado tipo e modelo;
 Deverá também ser capaz de identificar problemas de funcionamento e/ou através dos
sintomas detectados e da análise dos seus componentes;
 Proceder à sua medição e regulação;
 Identificar os diferentes ângulos e medidas características da direcção;
 Interpretar a sua influência no comportamento do automóvel;
 Distinguir e caracterizar tipos de lixa e respectivos grãos, tipos de lixagem e lixar;
 Identificar as funções da suspensão e distinguir os principais órgãos dos sistemas de suspensão
e seu funcionamento;
 Identificar, caracterizar, distinguir e aplicar técnicas de retoques de pintura, técnicas de
despolimento e biselagem.
 Identificar e classificar os vários componentes do sistema de escape e de admissão, bem como
descrever o seu modo de funcionamento e a função dos mesmos. Dado um sistema de escape,
identificar e classificar os seus vários componentes.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 54


 Efectuar operações de montagem, desmontagem e substituição de componentes, descrever as
razões da utilização de sistemas de distribuição variável e identificar sistemas de interacção
entre os sistemas de admissão e de escape;
 Descrever o funcionamento dos sistemas transmissão manual, integral e automática.
 Identificar os seus componentes e explicar a sua função;
 Descrever o funcionamento dos sistemas de travagem em geral, identificar os diversos tipos de
travões e componentes dos sistemas de travagem mais vulgarmente utilizados nos automóveis;
 Identificar os componentes e descrever o funcionamento de um sistema de ventilação e ar
condicionado instalado em veículos, bem como diagnosticar e reparar avarias dos mesmos.

Orientações Metodológicas/Avaliação
A disciplina de Tecnologia Automóvel tem um carácter predominantemente teórico e experimental,
fundamental para o curso, podendo, como carácter opcional, que a aprendizagem seja leccionada por
um ou mais professores. Torna-se, por isso, necessário implementar metodologias através de
actividades que incidam sobre a aplicação prática e contextualizada dos conteúdos, a experimentação, a
pesquisa e a resolução de problemas. Neste sentido, as aulas deverão privilegiar a participação dos
alunos em projectos, na resolução de problemas e de exercícios que simulem a realidade das empresas,
instituições e oficinas de mecânica ou que abordem temas de outras áreas disciplinares.
A competência não se limita ao aprender, porque envolve o agir numa situação determinada: é
aprender a fazer. Neste sentido, deve incentivar-se situações de aprendizagem nas quais o
protagonismo do aluno e o trabalho de grupo sejam estratégias para a contextualização dos conteúdos
curriculares no mundo da produção. De igual modo, perspectiva-se a utilização de uma pedagogia
dinâmica que transforme a sala de aula num espaço privilegiado de aprendizagens vivas e
enriquecedoras na qual o aluno participa activamente na construção do seu conhecimento. O conteúdo
é um meio e não mais um fim em si mesmo.

Avaliação
A avaliação de aprendizagem, compatível com a formulação curricular centrada no desenvolvimento de
competências e habilidades, se processará de forma contínua, integral e cumulativa, com prevalência
dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, e dos resultados ao longo da disciplina. A avaliação
(procedimentos e instrumentos específicos) utilizada estará centrada na participação activa dos alunos,
imersos no desenvolvimento de projectos amplos do(s) processo(s) produtivo(s) da área profissional,
envolvendo-se na superação de problemas e desafios, em situações simuladas ou de realidade virtual,
ou ainda no mundo real do trabalho.

Essas avaliações privilegiarão o desenvolvimento de actividades típicas ou de projectos de trabalho.


Dessa forma, a avaliação da aprendizagem será individual ou em grupo, feita ao longo do estudo de
cada módulo e poderá culminar com verificações de aprendizagem trabalhos práticos, pesquisas,
projectos, etc.

Avaliar de forma contínua e formativa a motivação dos alunos, a intencionalidade comunicativa, a


eficácia da aprendizagem, designadamente no tocante ao desenvolvimentode capacidadese à aquisição
de competências.

Realizar a avaliação sumativa das aprendizagens realizadas.

Avaliação de diagnóstico
A avaliação de diagnóstico constitui uma primeira etapa da avaliação formativa, permitindo orientar,
desde o início do ano, o trabalho individual de cada aluno. Mais do que testar atomisticamente
competências e/ou conhecimentos, a avaliação de diagnóstico deve permitir ao professor estabelecer o

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 55


perfil inicial de cada aluno, dando, simultaneamente, a este último, informações sobre as suas
necessidades específicas e as formas de trabalho preferenciais. Deste modo, a avaliação de diagnóstico
deverá ultrapassar a simples aplicação colectiva de testes de conhecimentos gerais, podendo basear-se
em actividades e tarefas que articulam as competências e os saberes em função de pré-requisitos
estabelecidos.

Avaliação contínua
O ensino que tem em consideração as necessidades dos alunos requer uma avaliação individualizada,
que fixe as metas que o aluno deverá alcançar, a partir de critérios estabelecidos, em função do
diagnóstico efectuado. Para isso, os alunos devem conhecer previamente os aspectos que serão objecto
de observação, bem como os critérios que orientam a avaliação. Assim, na sua prática pedagógica, o
professor, quando avalia, deve valorizar a relação entre os processos e os produtos de aprendizagem
seguidos e conseguidos pelos alunos. Negociar os critérios de avaliação com os alunos e aplicá-los de
forma coerente não só é formativo como também concede fiabilidade à avaliação. Constituem meios de
avaliação todas as actividades de aprendizagem, tais como trabalhos individuais e de grupo, entrevistas,
discussões e debates, exposições, portfolios, trabalhos de projecto, intercâmbios culturais etc. bem
como os próprios diários dos alunos, ou as cassetes áudio e vídeo produzidas pelos mesmos.

Avaliação sumativa
A avaliação sumativa constitui a terceira etapa de todo o processo formativo, devendo constituir um
balanço (qualitativo e quantitativo) da aprendizagem de cada aluno e permitir o inventário das
aquisições, dando, simultaneamente, informações necessárias para o seu prosseguimento futuro.

Destina-se a certificar os resultados da aprendizagem, ratificando-os e permitindo a atribuição da


respectiva classificação. A avaliação incidirá prioritariamente sobre o produto realizado no final de cada
módulo e deverá também abranger a competência de compreensão através de instrumentos objectivos.
Deste modo, ela constituirá um importante indicador da eficácia do trabalho realizado conjuntamente
por alunos e professor.

Avaliação Final
O momento da avaliação final do módulo deve visar a abordagem dos conteúdos essenciais do mesmo e
integrar as cinco competências expostas anteriormente.

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 56


Apresentação Modular

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 57


Módulo 1 – Introdução ao Sector Automóvel
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a

Objectivos de Aprendizagem

 Caracterizar o sector automóvel

Âmbito dos Conteúdos

 Importância do sector automóvel


 Enquadramento do serviço após venda
 Funcionamento dos concessionários
 Funcionamento das oficinas multimarca
 Parque automó vel por área geográfica
 Parque automó vel por classe e tipo de vei ́culos
 Parque automó vel por categoria de vei ́culos
 Principais profissõ es da reparação automó vel
 Mecânico de veículos ligeiros

Bibliografia / Outros Recursos

 Texto adaptado de “Automóvel e indústria automóvel - Perspectivas de desenvolvimento”, Fernando


Sequeira
 www.bosch-automotive-pt.com
 Brochura explicativa – Distribuição e assistência aos veículos a motor na União Europeia, Regulamento
(CE) nº 1400/2002 da Comissão de 31 de Julho de 2002

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 58


Módulo 2 – Sistemas de Suspensão
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a Identificar as funções da suspensão e distinguir os
principais órgãos dos sistemas de suspensão e o seu funcionamento.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar e caracterizar sistemas de suspensão


 Verificar componentes do sistema de suspensão

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar as funções da suspensão


 Distinguir os principais componentes da suspensão
 Distinguir amplitude e frequência, no movimento oscilatório
 Distinguir as massas suspensas das não suspensas
 Identificar os principais tipos de molas e as suas características
 Identificar a função dos amortecedores
 Distinguir os principais tipos de amortecedores
 Referir os diferentes tipos dos amortecedores monotubo e bitubo
 Identificar os princípios de funcionamento dos amortecedores telescópicos hidráulicos e a gás
 Referir os tipos de encaixe e a forma de fixação dos amortecedores na suspensão
 Identificar a função da barra estabilizadora
 Distinguir as características da suspensão por eixo rígido e por rodas independentes

Bibliografia / Outros Recursos

 ALONSO, J. M. – Técnicas del Automovil – Chassis, Editorial Paraninfo, 1996


 ALONSO, J. M. – Circuitos de Fluidos, Suspension y Direccion, Editorial Paraninfo, 1996
 LUCCHESI, Domenico – O automóvel, Editorial Presença, 1986
 CROUSE, W. H. – Mecanica del automovil, Macombro Editores, 1983

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 59


Módulo 3 – Rodas e Pneus
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a identificar os diferentes tipos de construção e funções
de jantes e pneus mais utilizados nos veículos automóveis.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar e caracterizar rodas e pneus


 Verificar rodas e pneus

Âmbito dos Conteúdos

 Descrever as principais funções das jantes de um automóvel


 Interpretar as características dimensionais das jantes
 Descrever as principais funções dos pneus de um automóvel
 Interpretar as características dimensionais dos pneus
 Identificar os diversos tipos de desenho e construção dos pneus
 Identificar os diversos factores que influenciam o comportamento do pneu
 Identificar a importância do equilíbrio estático e dinâmico das rodas
 Descrever o processo de equilíbrio de rodas

Bibliografia / Outros Recursos

 ALONSO, J.M. - Técnicas del Automovil Chasis, Editorial Paraninfo


 ALONSO, J.M. - Circuitos de Fluidos, Suspensión y Dirección, Editorial Paraninfo

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 60


Módulo 4 – Sistemas de Admissão e Escape
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a identificar e classificar os vários componentes do
sistema de escape e de admissão, descrever o seu modo de funcionamento e a função dos mesmos. Deverão
ainda ser também capazes de efectuar operações de montagem, desmontagem e substituição de componentes,
descrever as razões da utilização de sistemas de distribuição variável e identificar sistemas de interacção entre
os sistemas de admissão e de escape.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar e caracterizar sistemas de admissão e de escape


 Verificar e (des)montar sistemas de admissão e de escape e seus componentes

Âmbito dos Conteúdos

 Dado um sistema de escape, identificar e classificar os seus vários


 Dado um sistema de escape, identificar a função dos seus vários componentes
 Dado um sistema de admissão, identificar e classificar os seus vários componentes
 Dado um sistema de admissão, identificar a função dos seus vários componentes
 Descrever as razões pelas quais se utilizam sistemas de admissão variável
 Efectuar a montagem e desmontagem de caixas de filtros de ar e elementos filtrantes
 Identificar sistemas de interacção entre o sistema admissão e o sistema de escape

Bibliografia / Outros Recursos

 CROUSE, W. H. – Sistemas de Alimentacion de Combustible, Lubricacion y Refrigeracion del Automovil,


Marcombo Boixareu Editores

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 61


Módulo 5 – Sistemas de Direcção Mecânica e Assistida
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a identificar os diferentes componentes que constituem
o sistema de direcção de um automóvel, as suas funções e princípio de funcionamento.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar e caracterizar sistemas de direcção


 Identificar e caracterizar os ângulos da geometria de direcção
 Verificar componentes dos sistemas de direcção

Âmbito dos Conteúdos

 Descrever o princípio de funcionamento da direcção de um automóvel


 Distinguir os tipos de mecanismo da direcção, identificando os seus órgãos
 Identificar a função da caixa de direcção e os seus diferentes tipos
 Diagnosticar o mal funcionamento dos sistemas de direcção
 Descrever o funcionamento da direcção assistida e identificar as suas vantagens
 Diagnosticar o mal funcionamento dos sistemas de direcção assistida

Bibliografia / Outros Recursos

 ALONSO, J. M. – Técnicas del Automovil-Chassis – Editorial Paraninfo


 CHOLLET, H. M. – Curso Prático e Profissional para Mecânicos de Automóveis - Hemus Editora Limitada
 RENAULT - Tecnologia Automóvel Ligações ao Solo – Editado pelo Centro de Formação Após-Venda
 MAGALHÃES, Luís – Sistemas de Direcção Mecânica e Assistida – CEPRA

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 62


Módulo 6 – Sistemas de Travagem Hidráulicos
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a descrever o funcionamento dos sistemas de travagem
em geral, identificar os diversos tipos de travões e componentes dos sistemas de travagem mais vulgarmente
utilizados nos automóveis

Objectivos de Aprendizagem

 Diagnosticar, identificar e reparar avarias em sistemas de travagem hidráulicos

Âmbito dos Conteúdos

 Identificar os factores influentes no processo de travagem


 Identificar os diversos tipos de travões e seus componentes
 Descrever os princípios do sistema de actuação hidráulica dos travões
 Descrever o processo de funcionamento das bombas principais de travões e identificar os elementos
constituintes
 Descrever a função dos servofreios e distingui-los quanto ao modo de funcionamento
 Distinguir os diferentes reguladores de travagem em função da necessidade de aplicação
 Identificar as principais características dos óleos utilizados nos sistemas de travagem
 Diagnosticar e identificar as causas de avaria nos sistemas de travagem

Bibliografia / Outros Recursos

 ROUSE, W. H. – Mecanica del Automovil II, Marcombo Boixareu Editores


 PICARD, Serge – Transmission & Frenage, Delta Press
 Ford – Sistemas de Travões, Formação Técnica

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 63


Módulo 7 – Ventilação Forçada e Ar Condicionado
Apresentação

Pretende-se com este módulo que os alunos aprendam a identificar os componentes e descrever o
funcionamento de um sistema de ventilação e ar condicionado instalado em veículos, diagnosticar e reparar
avarias dos mesmos.

Objectivos de Aprendizagem

 Identificar os componentes de um sistema de ventilação


 Diagnosticar e reparar avarias de componentes de um sistema de ventilação
 Identificar os componentes de um sistema de ar condicionado
 Diagnosticar e reparar avarias de componentes de um sistema de ar condicionado

Âmbito dos Conteúdos

 Descrever o princípio de funcionamento do sistema de ventilação e ar condicionado em veículos


 Efectuar carga e recuperação de gás de sistemas de ventilação e ar condicionado na reparação
 Aplicar as normas de segurança a respeitar na reparação, montagem e desmontagem de sistemas de
ventilação e ar condicionado de veículos
 Identificar os diversos equipamentos existentes no mercado para a reparação, carga, recuperação e
detecção de fugas em sistemas de ar condicionado

Bibliografia / Outros Recursos

 BOSCH - Automotive Handbook, Robert Bosch GmbH, 1996

PLANO CURRICULAR CURSO TÉCNICO DE MECÂNICA AUTOMÓVEL – PAGINA 64