Você está na página 1de 13

UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA


SERVIÇO SOCIAL

EDMILSON BARBOSA DA SILVA – RA 5328603546

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

MIRASSOL D’OESTE – MT
JUNHO 2019

1
UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP
CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
SERVIÇO SOCIAL

EDMILSON BARBOSA DA SILVA – RA 5328603546

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Relatório de Estágio apresentado ao


curso de Serviço Social do Centro de
Educação a Distância – CEAD da
Universidade Anhanguera UNIDERP
como requisito obrigatório para
cumprimento da disciplina de
Estágio Supervisionado I.

MIRASSOL D’OESTE – MT
JUNHO 2019

2
Sumário
Identificação.................................................................................................................4
introdução................................................................................................................5
Diagnostico institucional.........................................................................................6
1. descrições gerais de campo.........................................................................7
1.1 Identificação da Instituição...........................................................................7
1.2 objetivo do serviço social na instituição.......................................................7
1.3 serviços sociais na instituição.....................................................................7
1.4 Conclusão....................................................................................................9
2 Diagnóstico Social................................................................................................10
2.1 Introdução..................................................................................................10
2.2 Desafios e perspectivas para o Serviço Social na Instituição....................10
3 Conclusão Diagnostico Social..............................................................................11
4 Considerações Finais...........................................................................................12
5 Referencias Biograficas.......................................................................................13

 Identificação

Nome do estagiário: Edmilson Barbosa da Silva

3
Curso: Serviço Social
Telefone: (65) 9 9965-1718
E-mail: edmilson.silva@gmail.com
Nível do Estágio Supervisionado: I
Local de Estágio: Associação da Casa de Acolhimento a Criança Renascer
Endereço:
Telefone: (65)
Nome do (a) Supervisor (a) Acadêmico (a): Marta Regina da Silva
Nº CRESS: 5453/MT 20ª região
E-mail: @gmail.com
Nome do (a) Supervisor (a) de Campo: Maria Helena Xavier Cabrini
N° CRESS: 1254/MT 20ª região
E-mail:
Carga horária: 150 horas Início: 25/04/2019 Término: 25/06/2019

INTRODUÇÃO

4
O Serviço Social enquanto profissão regulamentada pela Lei 8.662 de 1993
torna os profissionais desta área aptos para atuar em diversas instituições com a
finalidade de mediar as problemáticas existentes e amenizar as expressões da
questão social encontradas no ambiente profissional. Ambiente este que vem sendo
denominado de espaço sócio ocupacional do Serviço Social, pois é uma atuação
requerida pela sociedade a partir do surgimento de novas expressões da questão
social, novos conflitos e problemas que são vistos como demandas para o
Assistente Social.
Associação da Casa de Acolhimento a Criança Renascer é uma unidade que
acolhe crianças e adolescente que sofrerão violência tanto física quanto psicológica,
que tem por propósito tentar amenizar os impactos que esse tipo violência possa
causar na sua formação.
A casa acolhe crianças e adolescente que tiveram que se separar de seus
familiares através de decisão judicial.
O Estágio Supervisionado I foi realizado na Associação da Casa de Acolhimento
a Criança Renascer, localizado no endereço: , compreendendo um perído de
regência de 25 de abril de 2019 a 26 de junho de 2019, realizado 3 dias/semana
com uma carga horária diária de 6h total de 18h/semanal, totalizando uma carga
horária de 150h.
Foi desenvolvido no período do estágio supervisionado as atividades:
observação nos diversos atendimentos; leituras sobre a Associação da Casa de
Acolhimento a Criança Renascer, Leis e Normas, acompanhamento de entrevistas
com os acolhidos, visitas da equipe técnica aos locais onde os adolescentes fazem
cursos, audiências concentradas e entre outros.
Estágio Supervisionado é o conjunto das atividades de ensino-aprendizagem
relacionadas ao meio social, profissional, cultural e didático-pedagógico,
proporcionadas ao aluno pela participação em situações reais de vida e trabalho,
junto a pessoas jurídicas de direito público ou privado. A Lei nº 11.788, de 25-09-
2008, constitui-se no ponto de partida para a regulamentação dos estágios nas
Empresas e nas Instituições de ensino, estabelecendo claramente as obrigações
destas últimas em relação aos estágios de seus educandos.

5
EDMILSON BARBOSA DA SILVA – RA 5328603546

DIAGNÓSTICO INSTITUCIONAL

MIRASSOL D’OESTE-MT
JUNHO 2019

6
EDMILSON BARBOSA DA SILVA – RA 5328603546

DIAGNOSTICO INSTITUCIONAL

Trabalho de elaboração para fins de


avaliação do Módulo – estagio
supervisionado do I curso de Serviço
social da universidade anhanguera
UNIDERP, sob orientação da tutora
presencial Marta Regina da Silva.

MIRASSOL D’OESTE-MT
JUNHO 2019

1. DESCRIÇÕES GERAIS DE CAMPO

1.1IDENTIFICAÇÕES DA INSTITUIÇÃO

Associação da Casa de Acolhimento a Criança Renascer, foi criada com o apoio


de três prefeitura que fazem uso do abrigo para acolher crianças e adolescentes que
tiveram por força de decisão judicial que ser retirados do convívio do seu lar.

7
Objetivos: O objetivo do abrigo é cuidar de crianças e adolescentes vítimas de
abuso sexual, violência física e ou psicológica sofridas em seu seio familiar.

Demanda atendida pela instituição: O abrigo tem capacidade para acolher 20


(vinte) crianças e adolescentes que ficam abrigadas até aos 18 anos ou que por
decisão judicial seja entregue a algum outro familiar ou adotado.

Estrutura e funcionamento da organização: O abrigo é composto por com 01


(uma) Coordenadora, uma equipe multiprofissional; 01 (um)
Psicólogo; 01 (uma) Assistente Social; 01 (uma) psicopedagoga e 09 (nove)
cuidadoras.

1.2 OBJETIVO DO SERVIÇO SOCIAL NA INSTITUIÇÃO

Recursos Humano, Financeiros, e outros necessários para o alcance dos


objetivos da instituição: Tem parceria com o Governo Municipal e conta com
doações da sociedade em geral.

1.3 SERVIÇOS SOCIAIS NA INSTITUIÇÃO:

Demanda do serviço social: No abrigo são atendidos crianças e adolescentes em


situação de vulnerabilidade, que foram retiradas do seio familiar por força de decisão
judicial.

Recursos financeiros/ material disponível para o serviço social: o abrigo é


mantido pelo convenio formado por três municipios.

Instrumento técnico utilizado pelo serviço social: O assistente social realiza,


reuniões, entrevistas, elabora relatórios que são anexados aos processos judiciais e
participa de audiências concentradas.

8
Desafios e perspectivas para o serviço social na instituição: O principal desafio
é conhecer a realidade do abrigo e nela atuar priorizando as situações de maior
vulnerabilidade, dadas a complexidade dos processos sociais de proteção social e a
extensão de necessidades e demandas a serem atendidas. Perspectiva Social: o
seu foco de atuação surge da emergência da questão social e direciona ao
desenvolvimento, por meio de políticas publicas que visam à preservação, defesa e
ampliação dos direitos humanos e a justiça social. Ao longo do estágio constatou-se
que são muitos os desafios para a atuação profissional dos assistentes sociais no
Abrigo, que fatores como o medo trazido por cada acolhido e seus conflitos tendo
em vista que a casa abriga inúmeras crianças, são alguns dos obstáculos
enfrentados por esses profissionais no seu cotidiano de trabalho.

Considerações parciais sobre o diagnostico institucional: A observação é um


instrumento fundamental na trajetória não só do estagiário, como também do
assistente social, e foi utilizando este instrumento que possibilitou conhecer o
trabalho desenvolvido pelo assistente social dentro da Casa de Acolhimento.

1.4 CONCLUSÃO

O estágio supervisionado como exigência curricular configurada no processo de


formação profissional incide no processo de capacitação do/a estudante ao trabalho
profissional cotidiano. Tem como premissa oportunizar o/a estudante a inserção no
espaço sócio institucional, propiciando o conhecimento dos aspectos difusos,
tensos, contraditórios, os quais perpassam o trabalho profissional.
Assim conclui que a Casa de Acolhimento está em constante busca de
condições para melhor atender as demandas das crianças e adolescentes em
vulnerabilidade social do território municipal, junto às políticas públicas, é uma
aproximação inicial da prática profissional do assistente social, tendo como objetivo
principal a observação, participação e atuação referente à elaboração de projeto de
intervenção.
O serviço social proporciona ações na área da habilitação e reabilitação aos que
se encontra em situação de vulnerabilidade ou com seus direitos básicos violados
e/ou ameaçados. Diante disto, a proposta deste estudo é realizar uma análise sobre

9
a atuação e o fazer do Serviço Social inserido nas questões sociais. Ainda, objetiva
o esclarecimento e a reflexão acerca das áreas de intervenção.
A intervenção do assistente social junto aos objetivos propostos foram atingidas
durante todos os momentos demonstrando apropriação dos conhecimentos nas
realizações de coleta de dados como medida de apreensão dos aspectos gerais da
realidade sócio institucional de análise. Tanto pela atualidade do tema como pela
sua complexidade, em diferentes configurações. Os assistentes sociais possuem e
desenvolvem atividades localizadas no âmbito da elaboração, execução e avaliação
de política pública como também assessoria a movimentos sociais, sendo que a
formação experiência e intervenção histórica desses profissionais na política social
atribuem um papel fundamental na consolidação da Assistência Social como direito
de cidadania.

2.DIAGNÓSTICO SOCIAL

2.1. INTRODUÇÃO

Visando conhecer melhor a realidade dos acolhidos, o presente trabalho aqui


apresentado tem o propósito de mostrar as atividades realizadas no período do
estágio supervisionado I (Abrigo), tendo em vista que os abrigados são pessoas
menores de idade e seus processos junto ao Poder Judiciário tramitam em segredo
de justiça, não foi possível realizar as entrevistas com os acolhidos.

3.0 Conclusão Diagnostico Social

10
O estágio concretiza-se como uma experiência única e indispensável,
momento preparatório em que leva o acadêmico a uma reflexão de seus propósitos
e aperfeiçoamento da aprendizagem, pois é onde começa a correlacionar teoria e
prática, é visto também como período de exercício profissional previsto em currículo,
pois é o período em que o estudante de graduação encontra-se em contato direto
com o ambiente de trabalho.
Nessa fase de aprendizado vale ressaltar que a preparação do acadêmico
para o mercado de trabalho, encontra-se inserida na base prática, a fundamentação
e especialização teórica ao exercício profissional, sob a qual exige a profissão.
Contudo, o estagiário junto ao Supervisor de Campo e Assistente Social, a partir das
demandas vivenciadas cotidianamente precisa empenhar-se no aprimoramento dos
programas e dos serviços prestados a população. Deve também garantir sigilo
profissional, para proteger os usuários das políticas públicas, realizarem estudos e
pesquisas com o propósito de avaliar a realidade social e emitir parecer social.
Essa inserção possibilita ao futuro assistente social, a consolidação do
processo de aprendizagem, pois complementa o estudo teórico das relações sociais
e possibilita uma base estruturante para o entendimento conjuntural da profissão,
tanto em relação à postura ética e moral de acordo com o Código de Ética.
A política de Assistência Social comporta equipes de trabalho
interprofissionais, sendo que a experiência, formação e intervenção histórica dos
assistentes sociais nessa política social não só os habilitam a compor as equipes de
trabalhadores, como privilegia esses profissionais um papel fundamental na
consolidação da assistência social como direito de cidadania. Desse modo,
propomos analisar a prática do Serviço Social no que diz respeito ao
reconhecimento dos direitos das crianças e adolescentes, referente às políticas de
inclusão social, visto que infância e adolescência como todas as etapas humanas,
transforma a história do individuo, onde se faz necessário buscar mecanismos que
ofereçam a este público a devida infraestrutura e suporte necessário, para uma vida
digna. Porém, o assistente social deve atuar sempre privilegiando uma proposta de
análise inserida no estudo das questões sociais para contribuir no planejamento e na
elaboração de ações investigativa e interventiva, que tem como principal objetivo
assegurar os direitos das crianças e adolescentes, para que tenham uma boa
qualidade de vida.

11
O Estágio Supervisionado I foi fundamental para o meu conhecimento,
contribuiu muito no meu aprendizado, Permitindo o conhecimento sobre a realidade
profissional do assistente social onde eu pude verificar mediante informações
colhidas no campo de estagio, sei que é fundamental esse conhecimento para o
meu futuro com profissional assistente social, possibilitando uma compreensão
maior dos conhecimentos adquiridos, através da observação da prática profissional.
Uma vez que o estágio supervisionado é uma forma de conhecermos, trabalharmos
as práticas profissionais do serviço social, onde podemos adquirir conhecimentos
práticos, através da vivencia no campo de estágio assim tomamos conhecimento da
realidade da população e suas necessidades.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A Assistência Social como política de proteção social configura-se como


mecanismo de garantia de um padrão básico de inclusão social. Esta concepção de
proteção supõe conhecer os riscos, as vulnerabilidades sociais das pessoas sujeitos
de sua ação, bem como os recursos necessários para afiançar segurança social.
Nesta ótica, é imprescindível conhecer os riscos e as possibilidades de enfrentá-los.
O Serviço Social tem sua especificação no fato de atuar sobre todas as
necessidades humanas de uma dada classe social, ou seja, aquela formada pelos
grupos subalternizados, pauperizados ou excluídos dos bens, serviços e riquezas
que a sociedade oferece e o Centro de Referência de Assistência Social é a unidade
por excelência onde o Assistente Social atua nas demandas que surgem oriundas
destas necessidades e situações.
Para o estagiário de Serviço social desenvolver este projeto é muito
importante para sua formação, visto que o mesmo estará relacionando a teoria à
prática, vendo a realidade social e as políticas sociais viabilizadas para a população,
podendo fazer intervenções diante das necessidades observadas e acrescentando
aos seus conhecimentos teórico-metodológicos à prática técnica operacional
proporcionando ao mesmo uma formação de qualidade para que na sua atuação
como profissional seja capaz de proceder com coerência, eficiência, competência,
qualidade e ética, contribuindo na construção de uma sociedade justa e igualitária.
12
Para o Centro de Referência de Assistência Social espera-se que com este
projeto de intervenção as famílias da área de abrangência territorial desta unidade
passem a ver os serviços como parceiros, como a casa da família e que ali elas
podem ir em busca de garantia de seus direitos, de contribuição e/ou mediação nas
relações e situações de conflitos e de vulnerabilidade social e que a equipe de
referência está a serviço delas para atendê-las da melhor forma possível, dando
sempre uma resposta a demanda apresentada para que as mesmas possam
usufruir de uma vida com dignidade, sabendo-se que o direito a assistência social
não é uma esmola ou barganha e sim um direito garantido por lei a todos os
cidadãos e cidadãs brasileiros que necessitam desta.

5. REFERÊNCIAS

AMARO, Sarita: Visita Domiciliar: Guia para uma abordagem complexa-Porto Alegre:
1ª Edição AGE. 2003, 2ª ed. 2007.

BARROCO, M. L. S. Ética e Serviço Social: Fundamental Ontológicos. 2ª ed. São


Paulo: Cortez, 2003.

BURRIOLA, Marta Alice Feiten. Estágio Supervisionado Obrigatório. 4ª. Ed. São
Paulo: Cortez, 2006.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Parâmetros para Atuação de


Assistentes Sociais na Saúde. CFESS: 2008. Disponível
em:<http://www.cfess.org.br/publicacoes_livros.php>. Acesso em: 15. Nov. 2017

13