Você está na página 1de 45

CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

Apresentação
Resistência pacífica, mas não passiva contra as injustiças.
(Mahatma Gandhi)

O XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL – 2019 se realizará


na Universidade Estadual de Londrina entre os dias 05 a 07 de agosto de 2019 e tem por
tema Linguagem e Literatura: Modos de existir e resistir. Em tempos obscuros, como os
que estamos enfrentando, quando testemunhamos diariamente os ataques às universidades
públicas em comentários depreciativos, investidas contra a sua autonomia e liberdade, cortes
de investimentos, perseguição de dirigentes e cerceamento à liberdade de expressão de
professores, esta edição do SELISIGNO afirma sua crença de que o papel da universidade
continua sendo o de – na produção de conhecimento e formação de profissionais – promover o
debate, abraçar a pluralidade e defender a democracia, de constituir, portanto, resistência a
esse contexto a cada dia mais hostil a tais valores. O evento buscará incitar reflexões que vão
do âmbito linguístico, literário, social, cultural, até questões de ordem político-econômica,
histórica e ética, e da situação atual das pesquisas nas áreas de Linguística, Letras, Artes e
Ciências Humanas. Como espaço de divulgação de pesquisas, o XI SELISIGNO E XII
SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL – 2019 conta com Simpósios Temáticos que acolherão
a apresentação de comunicações de professores universitários, professores da educação básica
e institutos de idiomas, alunos de graduação e de pós-graduação, pertinentes aos vários temas
contemplados pelas áreas de Linguística, Letras, Artes e Ciências Humanas, representando,
assim, uma oportunidade de encontros, interrelações e investigações. Seu objetivo
é possibilitar reflexões e discussões acerca de conhecimento teórico-prático para a formação
de pesquisadores.
As conferências e minicursos/oficinas reunirão pesquisadores empenhados em desenvolver
reflexões críticas sobre o tema geral do evento, com foco nas diferentes interfaces que o
tema Linguagem e Literatura: Modos de existir e resistir suscita.
Esperamos contemplar as expectativas dos participantes que o evento sempre
despertou em todas as suas edições e desejamos sucesso nas apresentações de trabalho e muita
aprendizagem compartilhada!

Pedras… elas vem de todas as direções!


E aquele papo de fazer castelo
É mentira, moça!
Elas vão te machucar
E vai doer, vai doer mesmo.
A pouca fé vai ser testada.
Ah… mas você vai resistir.
[…]
Se eles tem pedras, você tem muralha!
Se eles tem hoje, você tem o infinito e além.
Mah Leone (Slam Resistência)

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 2


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

PROGRAMAÇÃO
5 de agosto Atividade
8h – 12h Oficinas
14h – 18h20 Simpósios e comunicações individuais
Apresentação artística Grupo Vocal Canto da
19h – 19h15 Lira
19h15 – 19h30 Abertura oficial
Conferência de abertura:
19h30 – 21h “Comunidades aleatórias de leitura”

6 de agosto Atividade
8h – 12h Oficinas

14h – 18h20 Simpósios e comunicações individuais

18h30 – 19h Lançamento de livros

Palestra:
19h15 – 21h “A formação do leitor: das Propostas Curriculares à BNCC”

7 de agosto Atividade
8h – 12h Oficinas

14h – 18h20 Simpósios e comunicações individuais

18h30 – 19h Lançamento de livros

Conferência de encerramento:
19h15 – 21h “A verdade acima de tudo”

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 3


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

ENTRE A MULTIMODALIDADE E A MULTICULTURALIDADE:


PROPOSTA DE ATIVIDADES PARA ENSINO DE LÍNGUAS
ATRAVÉS DA REALIDADE VIRTUAL

Adriana Maria Proença de Araujo - UEL


dri_proara@hotmail.com

Resumo:
Sabemos que língua é cultura e que cultura é língua. Por isso não podemos falar em ensino e em
aprendizagem de línguas estrangeiras/ adicionais sem pensar nos aspectos culturais que permeiam
esses processos. Os gestos, as gírias, os sotaques, as expressões idiomáticas estão relacionados à
cultura do dia a dia e acabam sendo trazidas para a sala de aula ainda que de forma inconsciente pelo
professor, assim como a Cultura com C, aquela erudita, relacionada à literatura, à arte, ao intelecto
que é trazida muitas vezes pelos próprios livros didáticos, mas nem sempre é abordada pelo professor.
Por isso, o presente trabalho tem como objetivo sugerir tanto atividades culturais quanto Culturais
através do uso da realidade virtual em sala de aula, uma vez que, o uso dessa tecnologia permite aos
alunos explorarem e interagirem com ambientes de imersão (HUANG & LIAW, 2018) que os
propiciam uma vivência de diferentes aspectos culturais, deixando-os consciente desses aspectos
através de analises e discussões sobre essas experiências. Esperamos com esse trabalho proporcionar
reflexões a cerca de um Ensino de Línguas multimodal, multicultural e mais significativo.

Palavras-chave: Ensino de Línguas; Atividades Culturais; Realidade Virtual.

MASCULINIDADES E RESISTÊNCIA: UMA LEITURA DE VICENTE EM PALAVRAS


(2012), DE CAIO RITER

Alán de Luna Ribeiro Fernandes


alanlunna7@gmail.com

Resumo:
O presente trabalho tem como objetivo analisar e discutir a construção das masculinidades na
narrativa juvenil Vicente em palavras (2012), de Caio Riter. Vale a pena destacar que o autor possui
considerável destaque no cenário contemporâneo brasileiro de literatura juvenil, em pouco mais de
quinze anos já publicou mais de dezessete obras, sendo que várias delas foram indicadas ou laureadas
com importantes prêmios nacionais. Nas narrativas do escritor predominam temáticas pertinentes à
formação como primeiras experiências sexuais, amores, separações, morte etc., nelas os
protagonistas, em sua maioria garotos jovens de vida urbana e em idade escolar, vivenciam conflitos
íntimos de modo que muitas vezes tendem a problematizar o modelo hegemônico de macho viril e a
manifestarem, diferente do estereótipo machista, uma masculinidade muito mais sensível. Vicente em
palavras (2012), finalista do Prêmio Jabuti em 2013, não difere das características apresentadas
acima, a obra narra, por meio de diferentes relatos, o luto pelo qual passam a família e amigos de
Vicente, falecido durante um campeonato de skate, nela há um processo dialético de construção no
qual se confrontam os irmãos Vicente e Henrique, o primeiro representando o padrão machista de
jovem aventureiro, malandro, galanteador, irresponsável; enquanto Henrique representa o inverso, é o
irmão mais velho que vive à sombra do mais novo, tímido, sentimental, fiel, responsável. Deste
modo, procura-se analisar os aspectos mais fundamentais da construção destas personagens e de suas
masculinidades a fim de realizar a síntese desse par antitético.

Palavras-chave: Vicente em Palavras; Caio Riter; Masculinidades.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 4


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A ESTRELA DE ALVA – UMA RELEITURA DA CONTÍSTICA FANTÁSTICA


PORTUGUESA

Alana de Andrade da Conceição - UEL


Silvio César dos Santos Alves - UEL
alanaandrade.adv@gmail.com

Resumo:
“A Estrela de Alva”, de Teófilo Braga (1843-1924), é um conto de narrativa forte, que traz o amor-
desejo e o amor-puro, a disputa e o sacrifício, sonhos, mar e um triângulo amoroso familiar,
elementos que desencadeiam em um clímax de sacrifício pelo amor verdadeiro. Tem-se presente no
conto uma forte influência da religiosidade cristã que navega com os personagens em sua navegação,
forte referência histórica que envolve durante a leitura. Destaca-se ainda a ansiedade sexual presente
na narrativa, pois os dois personagens principais, Fernão e Gaspar, ficam tão ansiosos pelo seu amor
em terra que chegam a delirar e falar alto os seus sonhos. A presente análise busca investigar a
natureza dos elementos insólitos presentes nesse conto e, sobretudo a partir da teorização de Tzvetan
Todorov, discernir se a narrativa pode ou não ser caracterizada como fantástica, visto que o conto
fantástico fundamenta-se essencialmente numa hesitação do leitor, um leitor que se identifica com o
personagem principal e quanto à natureza de um acontecimento insólito. Tendo em vista esta
premissa, esta análise foca-se, também, em uma explanação sobre a importância do estudo do
fantástico enquanto gênero literário no Portugal do século XIX.

Palavras-chave: Contística portuguesa; Fantástico; Teófilo Braga.

A VARIAÇÃO LINGUÍSTICA E OS MEMES: ASPECTOS LINGUÍSTICOS EM


COMUNIDADES DE PRÁTICA

Aline Makiyama - UEL


lih.makiy@gmail.com
Ana Paula L. S. Aires - UEL
anapaula.aires@uel.br
Beatriz Balbino Carvalho - UEL
beatriz.balbino@outlook.com
Resumo:
É consensual a afirmativa de que a língua é dinâmica e que constantemente se altera por ação de seus
falantes. Esta dinamicidade linguística somada ao advento da tecnologia e da internet, cria o ambiente
ideal para as mudanças nas formas de comunicação. Na contemporaneidade, parte da interação social
dá-se por meios virtuais, que exigiu a criação de uma nova linguagem, incluindo o fenômeno meme. É
neste universo que este trabalho se inscreve e tem por objetivo verificar, por meio
da variação estilística, como se compõe o gênero meme, como surge e de que maneira tem alterado a
si e a comunicação social entre os indivíduos. A metodologia será em análise qualitativa em que serão
analisados sob a perspectiva da interação social existente entre alunos de dois grupos distintos,
quinze alunos do ensino médio e quinze do ensino superior. A análise dos dados aliará a interface
entre a variação linguística e aspectos semióticos de criação de significado. Além disso, almejamos
verificar de que modo o meme conquistou o espaço virtual como ferramenta de interação social e
quais são as nuances da criação de significados multimodais, considerando os aspectos socioculturais.
Como resultados esperados, pressupomos que indivíduos, da mesma faixa etária, compartilhem dos
mesmos recursos e referências para a participação virtual, caracterizando uma comunidade de prática.

Palavras-chave: Meme; Estilística; Variação Linguística.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 5


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

BARTHES E OS SABORES DA COZINHA JAPONESA

Alexandre Yoshiaki Sawaguchi - UEL


alexandresawaguchi@gmail.com

Resumo:
O universo gastronômico é uma verdadeira fonte para se entender alguns aspectos culturais de um
país. Dentro de suas formas, cores, sabores, manipulações e apresentações, estão disponíveis símbolos
capazes de fazer um viajante mergulhar em um mundo diferente do seu, assim, instigando-o a pensar
sobre tal alimento. Por conseguinte, deslumbrado com os signos da gastronomia japonesa, Roland
Barthes deu forma a sua maneira de interpretar uma culinária tão tradicional e artística sem a intenção
de registrar a realidade dos acontecimentos, mas sim, expor seu olhar sensível sobre o que lhe
chamava a atenção dentro do contexto oriental. Por essa razão, analisar como o escritor francês se
relacionou com a gastronomia japonesa é o objetivo geral deste trabalho que também envolveu, como
análise especifica um breve estudo sobre a imagem criada do Oriente pelo Ocidente, a questão do
estereótipo e a invisibilidade do corpo, por fim, a importância da viagem como instrumento de
conhecimento. Além disso, esse trabalho tem como objetivo, também, apresentar os pensamentos e as
ideias de Roland Barthes para a comunidade acadêmica, uma vez que, mesmo com reflexões no
campo das letras e no campo artístico, ainda é um escritor pouco estudado.

Palavras-chave: Roland Barthes; Estrangeiro; Gastronomia.

A VALORAÇÃO NO CORDEL DE LEANDRO GOMES DE BARROS

Ana Beatriz dos Santos/UNESPAR


Cláudia Souza Ribeiro/UNESPAR
anabeatrizdossantos2000@gmail.com
claudiasouzaribeiro@outlook.com.br

RESUMO:
Nosso trabalho tem por objetivo apresentar uma análise dos índices sociais de valor, a partir do
conceito de valoração, presente na obra O cachorro dos Mortos, de Leandro Gomes de Barros. Como
aparato teórico, tomamos como base o conceito de valoração estabelecido pelo Círculo de Bakhtin e
de caudatários como Faraco (2009), Dionísio (2011) e Pereira e Hammes Rodrigues (2014). Sob tal
escopo teórico, assumimos o enunciado concreto como um ato social que se estrutura a partir da
dimensão social (horizonte espacial e temporal; horizonte temático e horizonte axiológico) e da
dimensão verbo-visual (conteúdo temático; estrutura composicional e estilo). Assim, a partir do
estudo das dimensões supracitadas procuramos compreender como as unidades de sentidos são
valorativamente instauradas no processo de interação discursiva. A pesquisa nos conduz a uma
leitura mais dialógica da obra em questão, criando espaço para reflexões axiológicas, as quais
possibilitam, por meio das marcas discursivas, ampliar a compreensão do horizonte social do
enunciado concreto e entender que as valorações são ideológica e historicamente situadas.

Palavras-chave: Valoração; Dialogismo; Cordel.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 6


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

ALTERIDADE NA NOVELA: “A DAMA PÉ-DE-CABRA”


DE ALEXANDRE HERCULANO

Ana Beatriz dos Santos /UNESPAR


anabeatrizdossantos2000@gmail.com
Emily Marcos da Silva /UNESPAR
emilymarcos02@gmail.com

RESUMO:
A Dama pé-de-cabra, novela fantástica produzida em 1841, por Alexandre Herculano, é referência na
literatura portuguesa do século XI. No intuito de compreendermos a obra, pretendemos analisar
personagem “pajem”, por nome Brearte, como sujeito entusiasta, para depreender a influência das
personagens indagadoras no romance. Segundo a perspectiva de Bakhtin e do Círculo, é na relação de
alteridade que o indivíduo se constrói perante a outro ser e, consequentemente, se alteram a partir
dessa interação por meio dos enunciados concretos produzidos eles. Esse processo é consolidado
socialmente através das relações de poder entre as quais os indivíduos se encontram. Propõem-se
iniciar a análise desse texto por meio de um recorte do trecho da “trova terceira”, quando a
personagem “pajem” se constitui um sujeito indagador, ao observarmos a alteridade constituída em D.
Inigo, via questionamentos sobre acontecimentos passados e futuros em sua família. Isso posto,
objetivamos inferir como o sujeito se constitui perante outro. Como resultado, apontamos que a partir
dessa concepção designada, é notória a relação de alteridade na constituição do indivíduo D. Inigo, o
que demonstra a influência dos personagens indagadores nos romances, colocando sua importância
em foco no enredo das histórias.

Palavras-chave: Novela de Alexandre Herculano; Bakhtin; Alteridade.

CONSTRUÇÕES IDENTITÁRIAS EM O SOL É PARA TODOS,


DE HARPER LEE

Ana Paula Camacho – UEL


paulacr312@gmail.com
Célia Dias dos Santos – UEL
celiadiassantos@gmail.com

Resumo:
A obra da americana Harper Lee chama a atenção pela sua importância política, histórica e também
literária na medida em que propõe uma profunda reflexão sobre a questão racial em uma época da
história em que crimes e segregação eram justificados pela cor da pele. Através de diálogos muito
bem construídos e de uma história bem amarrada a narrativa favorece a discussão sobre questões
totalmente atuais e ainda existentes, embora ela seja ambientada em uma pequena cidade do Alabama
no cenário da grande Depressão no início dos anos 1930. Ainda assim, o enredo da obra que
transcende décadas e culturas marcou profundamente o ethos americano. A história com temas
controversos como preconceito social, racismo e conformismo com a injustiça revela ao mesmo
tempo a crueldade e a beleza das relações humanas. Este trabalho propõe empreender, a partir do
aporte teórico da Análise de Discurso e dos Estudos Culturais de Hall (1998) e Silva (2000), uma
análise das construções identitárias de Scout e Atticus Finch, personagens centrais da trama.

Palavras-chave: Análise do Discurso; Identidades; Segregação.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 7


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

UTILIZAÇÃO DO GÊNERO LITERÁRIO CONTO COMO FERRAMENTA


METODOLÓGICA NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO: UMA REVISÃO
SISTEMÁTICA DE LITERATURA
Ana Paula Fantineli Carrapeiro – UENP
anapaulafantineli2013@gmail.com
Letícia Jovelina Storto – UENP
leticiastorto@uenp.edu.br

Resumo:
A revisão da literatura objetiva apresentar um panorama das pesquisas a respeito de determinado
assunto para sua melhor compreensão. Neste trabalho, a revisão tem por finalidade levantar as
pesquisas sobre o Ensino Religioso no Ensino Fundamental, de suas metodologias aplicadas ao
contexto de ensino e a procura por material didático já produzido para a disciplina de Ensino
Religioso no Ensino Fundamenta. O presente trabalho visa a investigar, por meio de uma Revisão
Sistemática da Literatura, as metodologias utilizadas na disciplina de Ensino Religioso, os materiais
didáticos e como o gênero discursivo conto, mas particularmente o conto mitológico, pode contribuir
para a apreensão dos conhecimentos descritos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) da
disciplina. O encaminhamento metodológico utilizado foi o da Revisão Sistemática de Literatura, a
pesquisa teve como intervalo de busca os anos de 2009 a 2019, nos seguintes bancos de dados: banco
de teses e dissertações do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), portal
de periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Como
resultados, dos 679 trabalhos analisados, somente 02 tratavam da temática, portanto, os resultados
apontam serem poucas as pesquisas que abordam a Ensino Religioso, mais particularmente contos
mitológicos com ferramenta metodológica no Ensino Religioso.

Palavras-Chave: Ensino Religioso; Mito; Revisão Sistemática.

OBJETOS EDUCACIONAIS DIGITAIS NA PERSPECTIVA DOS MULTILETRAMENTOS:


APROXIMAÇÕES E DESVIOS NOS LIVROS DIDÁTICOS
Ana Paula Pinheiro da Silveira – UTFPR
apsilveira@utfpr.edu.br
Maria de Lourdes Rossi Remenche – UTFPR
mremenche@utfpr.edu.br
Resumo:
Com o advento das Novas Tecnologias de Comunicação e Interação (NTICs) observa-se que os
documentos que orientam o Ensino no Brasil (PCN, 1998; BNCC, 2018) incluíram em suas
discussões uma visão afirmativa do uso da Tecnologia, sem definir de forma clara como o acesso a
essas ferramentas poderiam provocar mudanças na relação dos alunos com o conhecimento. No esteio
dessa visão de tecnologia, o MEC definiu que a partir de 2012 as editoras poderiam inscrever no
âmbito do Plano Nacional do Livro Didático (PNLD) 2014, objetos educacionais digitais (OED)
complementares aos livros impressos. Na proposta para o PNLD, o Ministério de Educação
considerou como OED o material multimídia, que inclui jogos educativos, simuladores e infográficos
animados. O presente trabalho, ancorado nos estudos sobre multiletramentos (COPE; KALANTZIS,
2009); (LEMKE; 2010); (STREET, 2003; 2013) buscou analisar se os jogos propostos como
atividades a serem desenvolvidas para a coleção Moderna Plus “Literatura: tempos, leitores e
leituras”, de ABAURRE e PONTARA (2015), da Editora Moderna, inserem-se na proposta da
Pedagogia dos multiletramentos. Os resultados obtidos evidenciam que a tecnologia é ainda utilizada
como um recurso didático e pouco se consegue explorar a concepção de multiletramento, a
multiplicidade de culturas e de semioses nas propostas desenvolvidas pela editora, o que aponta para
a necessidade de qualificar as reflexões sobre as teorias que embasam a leitura e escrita dos gêneros
multimodais nos livros didáticos de Língua Portuguesa.

Palavras-chave: Multiletramento; OED; Ensino.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 8


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

APAGAMENTO DOS RÓTICOS EM CODA SILÁBICA NO FALAR DA CAPITAL


SERGIPANA – UM ESTUDO COM DADOS DO ALIB

Ana Paula Silva – UEL


ana7agst@gmail.com
Dircel Aparecida Kailer – UEL
ueldircel@hotmail.com
Fernanda Simões Oliveira – UEL
fsimoes1224@gmail.com

Resumo:
O apagamento dos róticos em coda silábica (comer ~ comê, cantar ~ cantá, colher ~ colhé, borboleta
~ boboleta) já foi considerado um processo de pouco prestígio, tanto que, no século XVI de acordo
com Callou, Moraes e Leite (1998), era usado, nas peças de Gil Vicente, para caracterizar a fala de
escravos. Esse estereótipo, ao que parece, não se sustenta no Português Brasileiro (PB),
principalmente em coda externa de verbos (comer ~ comê) e no discurso espontâneo, ambiente que,
segundo alguns autores (AGUILERA e KAILER, 2013, ALMEIDA e KAILER, 2015, BRANDÃO e
CALLOU, 2015, CALLOU e SENA, 2015, entre outros), o apagamento é a regra preponderante.
Com o objetivo de compreender os contextos linguísticos e extralinguísticos que favorecem o
apagamento dos róticos em coda silábica interna e externa de verbos e nomes em Aracaju, este
estudo, embasado nos pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística Variacionista
(LABOV, 1972) e da Dialetologia Pluridimensional (THUN,1998), propõe-se a analisar o referido
processo fonético-fonológico na fala de oito informantes da capital sergipana que foram inqueridos,
de forma estratificada (quanto ao sexo, faixa etária e escolaridade), pela equipe do Atlas Linguístico
do Brasil.

Palavras – chave: Apagamento dos róticos; Coda silábica; ALIB.

LEITURA, LITERATURA E O PAPEL DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DO LEITOR DO


TEXTO LITERÁRIO: ALGUMAS REFLEXÕES EM CONTEXTO

Ana Paula da Silva Lino/UEL


anasemchechem@hotmail.com

RESUMO:
Este trabalho tem como objetivo a reflexão sobre concepções de leitura e o direito à literatura na
formação do aluno, tal como a análise do principal documento norteador do trabalho com essas
questões nas escolas públicas do Estado do Paraná. Para o desencadeamento dessas reflexões, esse
trabalho reporta-se à perspectiva freiriana de leitura, assim como se discute a atuação de
determinantes sociais sobre o ensino de leitura e a classe de leitor (ORLANDI, 1987), como o próprio
papel do leitor no momento de produção e atribuição de sentidos ao texto lido (BARTHES, 2004). Ao
discorrer sobre o acesso à literatura enquanto direito humano (CANDIDO, 2004), analisa-se também
um questionário aplicado a alunos concluintes do ensino médio de uma escola pública periférica da
cidade de Londrina-PR. Os dados obtidos com tais questionamentos demonstram que, mesmo sendo
papel da escola o trabalho com a leitura e com o texto literário, os alunos têm pouco ou quase nenhum
contato com essa forma de arte, não conseguindo relacioná-la para além das questões exclusivamente
escolares.

Palavras-chave: literatura; escola; direito.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 9


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A REPRESENTAÇÃO DA MULHER EM NADJA, DE ANDRÉ BRETON

Analigia Bolotti Molina – UEM


analigia_bolotti@hotmail.com

Resumo:
Este trabalho tem como proposta investigar a figura da mulher na obra surrealista Nadja (1928), de
André Breton. Pleno de acasos e coincidências, o romance trata dos encontros e desencontros entre
Breton e Nadja, sendo ele a personificação da realidade em que pensamos e ela, enigmática,
personificação da fantasia, da loucura, de reencantos, da alma errante, onde mergulha com tamanha
intensidade em seus delírios que não consegue voltar à realidade. Com o plano de fundo na cidade de
Paris, onde a descrição é um ponto forte do livro, esses vários encontros entre real e imaginário nas
ruas de Paris relacionará com o movimento do surrealismo, nos lugares mais sórdidos da cidade e da
mente humana, onde se encontram os desejos do narrador e da personagem principal. Será analisado
neste estudo a relação entre o feminino, o amor e a loucura na personagem Nadja e o Surrealismo,
sendo mais o que a personagem representa do que ela própria, levando em consideração os acasos
objetivos presentes na obra, a contextualização deste movimento e seus princípios artísticos,
marcando o Surrealismo como um movimento de reencantamento da vida.

Palavras-chave: Nadja; André Breton; Surrealismo.

O ENCONTRO DE BECKETT COM GODOT EM O ÚLTIMO GODOT,


DE MATÉI VISNIEC

Anna Maria Alexandre de Lima - UEL


anna.aranha.lima@gmail.com
Sonia Pascolati – UEL
sopasco@hotmail.com

Resumo:
Esta pesquisa, desdobramento de um projeto denominado “Estudos de dramaturgia moderna e
contemporânea”, é a verificação de marcas comuns aos teatros moderno e contemporâneo, e tem por
objetivo analisar a obra O último Godot (1997), de Matéi Visniec, escritor romeno contemporâneo
cuja dramaturgia é marcada pela utilização de recursos importantes, especificamente: o metateatro,
como quando Visniéc faz de Beckett, personalidade artística, personagem de uma obra ficcional na
qual ele dialoga com sua própria criação, a personagem Godot, de Esperando Godot (1953); a
discussão de temas políticos, com destaque para as guerras da atualidade, uma vez que o autor
acredita que a escrita é uma ferramenta de resistência cultural contra os sistemas totalitaristas, sejam
eles o romeno ou o próprio contemporâneo, do consumo desenfreado; e a intertextualidade com as
obras da tradição teatral do Ocidente. Essa última característica configura-se como foco desta
pesquisa e critério para a seleção do corpus, visto que a obra dialoga intertextualmente com
Esperando Godot, de Samuel Beckett, um dos grandes dramaturgos do século XX. Apresenta-se,
portanto, a contextualização e os conceitos sobre a intertextualidade e sobre os períodos moderno e
contemporâneo da dramaturgia, com a conclusão de que os temas tratados, os questionamentos
realizados e os fatores investigados pelos autores em ambas as peças, além de confluentes, são
pertinentes e atemporais.

Palavras-chave: Dramaturgia Contemporânea; Teatro Moderno; Intertextualidade.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 10


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

POESIA E ENUNCIAÇÃO

André Morin Carneiro – UEL


andremorim@hotmail.com
Guilherme José Franzon Schürmann – UEL
franzonschurmann@gmail.com

Resumo:
Esta comunicação faz parte do Projeto Cadernos de Teorias da Linguagem do Centro de Ciências
Humanas da Universidade Estadual de Londrina. Este trabalho tem como objetivo a proposta de
integração da linguística na análise literária, utilizando dos conhecimentos teóricos dessa ciência para
uma leitura mais completa da obra e concebendo que devem ser englobados na análise também os
aspectos sintáticos, semânticos, morfológicos e fonológicos. Para exemplificar essa proposta,
escolhemos trabalhar o poema “Adiado o tempo para amar”, do autor cabo verdiano Ovídio Martins,
que faz parte de uma literatura africana muito rica, a qual tem uma forma muito interessante de
construção do sentido e sonoridade do poema. Como método faremos uma análise trabalhando a
questão dos dêiticos em Benveniste, verificando no texto as marcas de pessoa, espaço e tempo, para
elucidar assim a posição do enunciador na construção do poema e o jogo de vozes que ali se
estabelece.

Palavras-chave: Enunciação; Análise Literária; Benveniste.

A IMAGEM E O INQUIETANTE EM “O HOMEM QUE ERA MILLIGAN”, DE


ALGERNON BLACKWOOD

Ângela Caroline Kreuzberg – UEL


angela.kreuzberg@gmail.com

Resumo:
O presente trabalho visa analisar o conto “O homem que era Milligan”, de Algernon Blackwood,
refletindo sobre a potencialidade da imagem em uma narrativa em que o unheimlich se dá na cisão de
um homem que entra em uma pintura. Será considerado também nessa análise o intertexto com o
conto “A história de Kawashin Koji”, de Lafcadio Hearn, e a relação de oposição temática do Oriente
x Ocidente. Para tanto, os nossos principais aportes teóricos são O duplo: um estudo psicanalítico
(1939), de Otto Rank, Dicionário de mitos literário (2000), de Nicole Fernandez Bravo, e o artigo
“De observador a observado: Uma leitura de ‘O homem que era Milligan’, de Algernon Blackwood”
(2015), de Adilson Santos. A importante relação entre a imagem e o espectador, é levantada por
Roland Barthes (2015), para quem, na imagem, basta uma presença para que possa marcar seu
observador por um valor superior, “esse ‘detalhe’ é o punctum (o que me punge). Essa premissa
torna-se interessante para pensarmos a relação estabelecida entre uma pintura chinesa e o
protagonista, Milligan, que, ao alugar um apartamento, encontra um quadro pelo qual torna-se
obcecado.

Palavras-chave: Duplo; Imagem; Cisão.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 11


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

O ENCONTRO DE BECKETT COM GODOT EM O ÚLTIMO GODOT,


DE MATÉI VISNIEC
Anna Maria Alexandre de Lima – UEL
Anna.aranha.lima@gmail.com
Sonia Pascolati – UEL
sopasco@hotmail.com

Resumo:
Esta pesquisa, desdobramento de um projeto denominado “Estudos de dramaturgia moderna e
contemporânea”, é a verificação de marcas comuns aos teatros moderno e contemporâneo, e tem por
objetivo analisar a obra O último Godot (1997), de Matéi Visniec, escritor romeno contemporâneo
cuja dramaturgia é marcada pela utilização de recursos importantes, especificamente: o metateatro,
como quando Visniéc faz de Beckett, personalidade artística, personagem de uma obra ficcional na
qual ele dialoga com sua própria criação, a personagem Godot, de Esperando Godot (1953); a
discussão de temas políticos, com destaque para as guerras da atualidade, uma vez que o autor
acredita que a escrita é uma ferramenta de resistência cultural contra os sistemas totalitaristas, sejam
eles o romeno ou o próprio contemporâneo, do consumo desenfreado; e a intertextualidade com as
obras da tradição teatral do Ocidente. Essa última característica configura-se como foco desta
pesquisa e critério para a seleção do corpus, visto que a obra dialoga intertextualmente com
Esperando Godot, de Samuel Beckett, um dos grandes dramaturgos do século XX. Apresenta-se,
portanto, a contextualização e os conceitos sobre a intertextualidade e sobre os períodos moderno e
contemporâneo da dramaturgia, com a conclusão de que os temas tratados, os questionamentos
realizados e os fatores investigados pelos autores em ambas as peças, além de confluentes, são
pertinentes e atemporais.

Palavras-chave: Dramaturgia contemporânea; Teatro moderno; Intertextualidade.

PROPOSTA DE ANÁLISE FRASEOGRÁFICA DE UFs DA VARIANTE CUBANA DO


CASTELHANO PRESENTES NUM DICIONÁRIO DE AUTOR
Arelis Felipe Ortigoza – UEL
arelis.felipeortigoza@gmail.com

Resumo:
A variante cubana do castelhano apresenta uma variação léxica significativa como fruto de décadas
de isolamento geográfico e político. Ao entrarmos em contato com um dicionário de autor dessa
variante, publicado na década de 1980 em Cuba, fizemos uma análise da informação fraseológica e
fraseográfica presente no dicionário de autor que se constitui objeto de nossa pesquisa, isto é, a obra
de Santiesteban (1985). Embora se trate de um valioso compêndio do léxico da variante supracitada,
notamos uma falta de sistematicidade na forma de registro dos lemas ou verbetes do dicionário em
questão, mais especificamente, no registro das Unidades Fraseológicas (UFs) presentes na obra.
Nosso objetivo foi verificar como o registro dessas estruturas cristalizadas da língua foi feito e se era
possível determinar a metodologia utilizada pelo autor. A partir dos dados coletados em 483 registros
de UFs, foi possível perceber a necessidade de comentar os casos mais relevantes das UFs nessa obra,
assim como a de criar fichas de registro para uma análise pormenorizada de cada UF. Dessa forma,
neste trabalho, levando em consideração pressupostos teóricos advindos da fraseografia,
apresentaremos uma proposta de análise das UFs por meio de uma ficha de registro para cada UF.
Além disso, apresentaremos os desafios que podem enfrentar aqueles que se dedicam ao estudo e/ou
registro de UFs em dicionários, com base na nossa experiência. Esperamos que esta pesquisa possa
incentivar outros estudos sobre a variação linguística, a fraseologia e a fraseografia, como forma de
aprofundar os estudos sobre uma comunidade de falantes e as suas características.

Palavras-chave: Variante Cubana do Castelhano; Fraseografia; Unidades Fraseológicas.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 12


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A PRESENÇA DO DUPLO EM “OS IRMÃOS CORSOS”,


DE ALEXANDRE DUMAS

Daniel Bernardo Canazart – UEL


Byanca Gabriely Silva – UEL
danielcanazart@gmail.com
byancagabriely@gmail.com

Resumo
A presente pesquisa tem por objetivo pontuar as ocorrências do fenômeno do duplo e da dualidade
encontrados na obra Les Frères Corses (1844) de Alexandre Dumas. A partir dela apontar suas
decorrências além do âmbito literário, tais como, adaptações cinematográficas e utilização da temática
de gêmeos na narrativa de Telenovelas, cujo essas são reconhecidas na cultura popular da América
Latina no decorrer do século XX. Partindo dos pressupostos de Otto Rank (1939), Sigmund Freud
(1919), Adilson dos Santos (2009), Nicole F. Bravo (2000) e Nájla Assy (2008), a análise no campo do
duplo é feita servindo como base para as explicações acerca do tema na obra selecionada. Abordando o
assunto do duplo pelo prisma de gêmeos, que são interligados pela genética sanguínea, tanto quanto no
além-mundo, nos leva a compreensão de um modo mais amplo e claro do sentido de dualidade,
também do duplo dos irmãos que se fazem existentes, do qual são tratados pelos teóricos já
mencionados.

Palavras-chave: Duplo; Dualidade; Literatura Francesa.

RELAÇÕES DIALÓGICAS NA ABORDAGEM DA ANÁLISE LINGUÍSTICA EM UM


LIVRO DIDÁTICO DO 5°ANO

Bruno Ciavolella – UEM


brunociavolella@hotmail.com

Resumo:
A Análise Linguística (AL) é um dois eixos do ensino de Língua Portuguesa (LP) e tem por objetivo
promover o estudo dos elementos linguísticos no estilo de linguagem de um gênero discursivo a partir
de atividades que contemplem os usos efetivos da língua e a construção de sentidos. Embora os
documentos orientadores do ensino de LP no Brasil - Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL,
1998) e a Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2017) - orientem essa perspectiva há décadas,
ainda se observam as dificuldades de se efetivar práticas de AL, principalmente, no Ensino
Fundamental I (EFI). Neste cenário, o livro didático (LD) torna-se um instrumento significativo para
a inserção de tais práticas no ambiente escolar, uma vez que devem contemplá-las, sendo umas das
exigências para serem avaliados e, posteriormente, adotados pelas escolas, segundo o Programa
Nacional de Livro Didático (PNLD). Assim, o objetivo geral desta comunicação é compreender as
relações dialógicas expressas na abordagem de AL em um livro didático do 5ªano do Ensino
Fundamental I. Especificamente, almejamos identificar, nessas relações dialógicas, quais os
distanciamentos e as aproximações em relação às concepções de linguagem. Para tanto, o corpus de
pesquisa é constituído pelo livro “Ápis – Língua Portuguesa – 5ºano”, de Trinconi; Bertin; Marchezi
(2017). Esta pesquisa se insere no campo da Linguística Aplicada e pauta-se nos postulados do
Círculo de Bakhtin e na Análise Dialógica do Discurso (BRAIT, 2006). A análise das relações
dialógicas aponta que as práticas de AL se distanciam da concepção dialógica de linguagem e
revelam maior aproximação com abordagens que privilegiam a construção de conceitos gramaticais
em detrimento dos sentidos. Compreende-se que o LD, apesar de se pautar nas orientações da BNCC,
atua como um agente mantenedor de abordagens tradicionais.

Palavras-chave: Análise Linguística; Livro Didático; Relações Dialógicas.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 13


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

UMA EXPERIÊNCIA COM A REESCRITA NO ENSINO MÉDIO: INSTRUMENTOS PARA


A APROPRIAÇÃO DO GÊNERO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO
COBRADO PELO ENEM

Carla Giovana de Campos – UEL


prof.carlagc@gmail.com

Resumo:
O trabalho com os gêneros de textos apresenta-se como uma importante questão em constante debate
no que se refere ao ensino de língua materna. Porém, ainda pouco se discute sobre o trabalho com a
reescrita textual desses gêneros de texto/discurso. Este trabalho propõe a investigação da reescrita
textual no contexto do Ensino Médio, mais especificamente com o gênero dissertativo-argumentativo
cobrado pelo ENEM, de modo a contribuir para a elaboração de instrumentos de ensino de produção
de textos. Para isso, nos fundamentamos na noção de gêneros do discurso (BAKHTIN, 2016) e
gêneros de textos (MARCUSCHI, 2005), na noção de Capacidades de Linguagem (DOLZ &
SCHNEUWLY, 2004) e listas de constatações propostas por Gonçalves e Bazarim (2009). A
metodologia adotada é a da pesquisa qualitativa, a partir da análise de textos de alunos de uma oficina
em contraturno escolar, embasada nas competências sugeridas pelo ENEM, por meio da detecção de
incoerências e dificuldades em produções iniciais, para assim, elaborar uma Sequência Didática
(DOLZ, NOVERRAZ e SCHNEUWLY, 2004) e instrumentos para promoção das capacidades
autoavaliação e de escrita dos alunos. Os resultados, obtidos por meio da análise comparativa entre as
primeiras e últimas versões das produções, indicam o desenvolvimento da escrita possibilitada pelas
atividades desenvolvidas durante a SD.

Palavras-chave: Gêneros Textuais; Reescrita; ENEM.

DA DORMÊNCIA AO DESPERTAR: A RECEPÇÃO DO ARQUÉTIPO DA BELA


ADORMECIDA
Carla Kühlewein – UNESPAR
carlak.literatura@gmail.com
Emily Marcos da Silva - UNESPAR
emilymarcos02@gmail.com

Resumo:
O conto A Bela Adormecida é um marco referencial ao que se denomina “Conto de fadas”, pois
resgata o arquétipo da jovem indefesa e delicada à espera de alguém que a salve do sono profundo,
enraizado na literatura infantil e infanto-juvenil. Por esse motivo pretende-se investigar o movimento
dialético de adormecer/despertar nele contidos, caracterizado pela maturação do indivíduo. Na visão
de Bettelheim (2002), a dormência é o período em que o indivíduo passa por momentos de
passividade e letargia total, constituído como processo fundamental para sua maturação, assim, à luz
dessa dialética propõe-se uma sequência de atividades com base no método recepcional de Bordini e
Aguiar (ano), voltada para o Ensino Médio. Tendo em vista ainda a necessidade emergente da
abordagem da oralidade na sala de aula, com base nos pressupostos de Zumthor (1993) e Marques
(2018), pretende-se conduzir tais atividades pela mouvence (movência) desse arquétipo desde suas
matrizes impressas, na versão de Perrault (La Bele au Bois Dormant), perpassando pela versão de
Paulo Pimentel (A Bela Adormecida no Bosque) e culminando no romance de cordel de João Martins
de Ataíde, que preserva o mesmo título mas ajusta a história aos aspectos próprios do gênero, cuja
base se ergue sob a égide da oralidade. Na recuperação dessa trajetória arquetípica, mantém-se o
enfoque desta pesquisa voltado à dialética dormir/despertar como correspondente à maturação do
indivíduo no período transitório da adolescência que pode, inclusive, encontrar na literatura uma
maneira de compreender a si mesmo e o seu papel humanizador na sociedade.

Palavras-chave: Bela Adormecida; Arquétipo; Recepção.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 14


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

PROINTE-INGLÊS: OPORTUNIDADE DE APRENDIZAGEM DOCENTE EM UM


ESPAÇO EXTRACURRICULAR

Célia Regina Lessa Aleixo Devico – UEM


celia@caedi.com.br
Luciana Cabrini Simões Calvo – UEM
cabrinisimoes@gmail.com

Resumo:
Este trabalho tem como foco o Programa de Integração Estudantil (PROINTE)-Inglês de uma
universidade pública paranaense, o qual objetiva ofertar oficinas de inglês instrumental para a
comunidade acadêmica. Tais oficinas são ministradas por licenciandos do curso de Letras nos
diferentes campi da instituição. A presente comunicação analisa as experiências de aprendizagem
docente dos referidos licenciandos e como sua participação no programa consolidou a escolha pela
profissão. A investigação faz parte do projeto de pesquisa institucional “Formação de professores de
línguas: aprendizagem e desenvolvimento da identidade docente” e as discussões estão pautadas em
estudos sociais sobre aprendizagem docente (LAVE; WENGER, 1991; WENGER, 1998; JOHNSON,
2009, dentre outros). Os resultados apontam o contexto do programa, com atividades específicas para
o público atendido, como relevantes para a aprendizagem dos acadêmicos assim como a maioria deles
utiliza palavras de cunho positivo para exprimir sua experiência docente no PROINTE.Espera-se
contribuir com o campo da formação de professores de línguas e com as discussões sobre
aprendizagem em diversos tempos e espaços (extra)curriculares no âmbito do curso de Letras.

Palavras-chave: Formação de Professores; Língua Inglesa; PROINTE.

TRISTE, LOCA O MALA: A TRAJETÓRIA DAS MULHERES EM BUSCA DE SUA


IDENTIDADE NAS AULAS DE ELE

Cintia Letícia Bueno – UNESPAR


cintia.bueno25@gmail.com
Caio Vitor Marques Miranda – UNESPAR
caiomiranda91@hotmail.com

Resumo:
Há séculos, a mulher é objetificada pela figura masculina, não sendo vista como semelhante, mas
como propriedade do homem. Por isso, o movimento feminista - surgido nos Estados Unidos - é uma
das manifestações mais significativas da luta das mulheres pela igualdade de direitos. Neste sentido,
objetivamos retratá-la através da canção Triste, loca o mala de Francisco, el hombre (2016) para
exemplificar as conquistas que tiveram durante os manifestos e seu empoderamento nas aulas de
Espanhol como língua estrangeira, almejando desenvolver a criticidade do aluno. Para isso,
contextualiza-se a trajetória das mulheres, apresentando um panorama das figuras significativas e que
são modelos de encorajamento as que permanecem sem voz, e, por fim, propõe-se uma nova
abordagem sobre essa temática com uma atividade pedagógica. Para dar conta desta tarefa, nesta
pesquisa baseiamo-nos em autores como Amat (2003), Esser (2014), Jorge Majfud (2005), Leoni e
Laba (2019), Silva (2009) investigadores dessa área.

Palavras-chave: Mulheres; Movimento Feminista; Ensino de Espanhol como Língua Estrangeira.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 15


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

NÃO CONFUNDA ALHOS COM BUGALHOS NEM PISE EM OVOS...APROXIMAÇÕES


TEÓRICO-METODOLÓGICAS SOBRE CULTUREMAS NO PROCESSO DE ENSINO E
APRENDIZAGEM E NO FAZER TRADUTÓRIO DE LÍNGUAS
ESTRANGEIRAS/ADICIONAIS
Cláudia Cristina Ferreira – UEL
claucrisfer@sercomtel.com.br
Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão – UFSC
adjabalbino@gmail.com
Resumo:
Traduzir, aprender e ensinar uma língua estrangeira/adicional demandam pesquisa, estudo e
dedicação constantes. Conhecimentos linguísticos apenas não são suficientes para capacitar o
tradutor, o professor ou o aprendiz. Há também que dominar aspectos culturais, posto que língua e
cultura se encontram amalgamadas, sendo indissociáveis. Este trabalho tem por objetivo dialogar
sobre culturemas (FERREIRA, 2018, 2019ª, 2019b, 2019c, 2019d, 2019e, 2019f; FERREIRA;
DURÃO, 2019ª, 2019b, 2019c, 2019d, 2019e; GIRACA, 2013, 2017; GIRACA; OYARZABAL,
2018; FONSECA, 2017; LUQUE NADAL, 2009) presentes em parêmias (LIMA, 2011; ORTIZ
ALVAREZ, 2014; XATARA; SUCCI, 2008) e advogar pela apropriação deste conteúdo na língua
estrangeira/adicional meta, a fim de poder aproximar-se da língua objeto de estudo, demonstrando
espontaneidade e competência. Ao apropriar-se de culturemas, aprimoram-se os conhecimentos que
capacitam tradutores, professores e aprendizes a interagir na língua alvo, pois passamos a conhecer
particularidades das comunidades linguístico-culturais meta. Desta forma, compreendemos a maneira
de ser, pensar, sentir e conceber o seu entorno, além de fomentamos o respeito à diversidade. Como
resultado, concluímos que dominar culturemas é um diferencial que revela contribuições concretas no
ato tradutório e no fazer pedagógico.

Palavras-chave: Processo de Ensino e Aprendizagem; Tradução; Línguas Estrangeiras/Adicionais;


Paremiologia; Matizes Culturais.

PISA: AVALIAÇÃO RETROATIVA OU INSTRUMENTO DE MANIPULAÇÃO?


Cláudia Lopes Nascimento – UEL
cln_saito@yahoo.com.br
Resumo:
A educação brasileira atravessa uma situação de crise há décadas. Atualmente, não são apenas os
educadores e pesquisadores engrossam o coro daqueles que reconhecem a inoperância do ensino
escolar para atingir seus compromissos prioritários em relação ao desempenho verbal, mas também se
faz sentir através da voz dos leigos que não se eximiam do papel de denúncia, voltada normalmente a
problemas de desobediências à norma culta e que, atualmente, volta-se aos resultados que os alunos
brasileiros apresentam na avaliação promovida pelo Programa Internacional de Avaliação de
Estudantes (Pisa), coordenado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico
(OCDE). O Pisa se tornou uma referência na avaliação em alta escala no contexto mundial, uma vez
que avalia, comparativamente, desde 2000, o desempenho dos estudantes, matriculados no 7º ano do
Ensino Fundamental ou na faixa etária de 15 anos, dos países participantes do Programa. A partir do
momento em que o número de países, que aderiram ao programa, teve uma maior expressividade em
relação ao Brasil, o que deveria ser visto como um instrumento de trabalho, na definição e redefinição
de políticas educacionais pelos países participantes, passou a ser considerado como uma forma de
“ranking” entre os melhores, o que fez com que a sociedade brasileira passasse a se manifestar de
outra maneira. No ano de 2018, durante as eleições presidenciais, o deficiente desempenho dos alunos
brasileiros foi utilizado como argumento para uma estratégia de marketing político muito bem
planejada. Tendo em vista o que foi exposto, pretendemos com base no conceito de avaliação
retroativa (SCARAMUCCI), levar a uma reflexão sobre o impacto que o resultado do Pisa deveria
ter, nas séries finais do Ensino Fundamental. Para isso, pretendemos trazer os resultados da análise
das provas de 2012 e 2015, em que o foco da avaliação recaiu sobre as competências em leitura.
Palavras-chave: Pisa; Avaliação Retroativa; Competência em Leitura.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 16


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

PENSAR ALTO EM GRUPO: CONTRIBUIÇÕES PARA A (AUTO)FORMAÇÃO DOCENTE


E PARA A FORMAÇÃO DO LEITOR CRÍTICO E RESPONSIVO

Cleber Ferreira Guimarães


Cleber_blod@hotmail.com
Mara Sophia Toledo Zanoto

Resumo:
Objetivamos com esta comunicação divulgar um projeto de pesquisa, a nível de doutorado, vinculado
ao Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem- PUC/SP. O estudo
está alinhado às discussões do GEIM-CNPq (Grupo de Estudos da Indeterminação e da Metáfora),
coordenado pela Profª Drª Mara Zanotto. O objetivo geral é investigar de que modo a prática do
Pensar Alto em Grupo (ZANOTTO, 2007; 2014), que é pautada na epistemologia do dialogismo
bakhtiniano e no interpretativismo (MOITA LOPES, 1994), poderá auxiliar na (auto) formação do
professor-pesquisador enquanto agente de letramento e na formação de alunos-leitores responsivos de
um 9º ano do Ensino Fundamental. O contexto de aplicação se dará em uma Escola Municipal situada
na cidade de Campo Grande- MS. Os instrumentos utilizados para a geração de dados serão: a) o
Pensar Alto em Grupo; b) Diário Reflexivo (MACHADO, 2005); e c) Entrevista por pauta (GIL,
2009). As questões norteadoras do estudo são: Como a prática de leitura de textos literários, por meio
do Pensar Alto em Grupo, contribuirá para a formação crítica e responsiva do aluno? De que forma a
análise e a reflexão sobre as ações do professor-pesquisador no PAG poderão contribuir para sua
(auto) formação? Quais as percepções dos alunos em relação às vivências de leitura literária
desenvolvidas por meio do PAG? Tais questionamentos serão respondidos e analisados à luz da
epistemologia do dialogismo (BAKHTIN, 2014); a partir da perspectiva histórico-cultural, mais
especificamente, do conceito de mediação (VYGOTSKY, 1998; 1993) e com base nos estudos sobre
letramento (STREET, 2014) e letramento literário (COSSON; 2016; 2018). Pretendemos, com este
estudo, contribuir de forma qualitativa para a (auto) formação do professor-pesquisador e para a
melhoria das práticas de leitura literária, tendo em vista o desenvolvimento do letramento literário dos
alunos.

Palavras-chave: Pensar Alto em Grupo; Letramento Literário; Formação do Leitor.

O ENSINO DA GRAMÁTICA SOB O VIÉS FUNCIONALISTA: CONTRIBUIÇÕES PARA A


DINAMICIDADE DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA

Daiane Karla Correia Jodar – UNESPAR


daianejodar@hotmail.com

Resumo:
Este artigo tem como objetivo apresentar de maneira breve e sucinta o conceito do ensino tradicional
e do ensino funcionalista, bem como um breve panorama sobre o atual ensino da Língua Portuguesa
nos dias atuais. Esta breve discussão não terá por pauta o julgamento de qual a melhor a ser ensinada,
mas sim lançar luzes sobre a melhor maneira de ensinar a Língua. Para tal reflexão a teoria a ser
utilizada é a teoria funcionalista, teoria esta que considera os diversos contextos de uso da língua.
Para melhor expor a diferença de conceito entre a gramática tradicional e a funcionalista será feita
uma observação levando em conta o processo de gramaticalização. Esta apresentação será feita a
partir do advérbio de tempo ‘’agora’’, em que será observado o modo o qual cada uma dessas
gramáticas em questão conceitua e atribui função ao mesmo, e as diferenças entre a função do
‘’agora’’ dentro do conceito tradicional ensinado em nossas escolas e o como o mesmo item pode
assumir funções diferentes de acordo com a teoria funcionalista.

Palavras- chave: Gramática tradicional; Gramaticalização; Funcionalismo.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 17


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

É PRECISO REINTERPRETAR O CONCEITO DE FATO SOCIAL EM SAUSSURE?

Daiany Bonácio – UEL


daianybonacio@yahoo.com.br
Sônia Maria Rocha – UEL
soniamariarocha@gmail.com
Resumo:
As ideias de Ferdinand de Saussure apresentadas no CLG produziram um acontecimento discursivo,
sendo discutidas, interpretadas, criticadas, difundidas e fizeram circular o discurso o qual defende
que, ao excluir a fala do objeto de estudo da linguística, Saussure excluiu o fato social das ciências da
linguagem. Ao que nos parece, foi justamente esse o objetivo do referido autor: dar um tratamento
social à ciência linguística. Passados 100 anos da publicação do CLG, com um olhar mais
amadurecido, podemos questionar: é preciso reinterpretar o conceito de fato social em Saussure?
Nossa indagação se baseia principalmente em passagens do CLG que comprovam o quanto Saussure
esteve preocupado com a questão do social, quando traz os conceitos de massa falante, o caráter
coletivo do signo linguístico, língua como instituição social/contrato coletivo e também por conta das
influências de autores que lidaram com o fato social como Émile Durkheim e William Whitney. O
objetivo desse artigo é problematizar esse discurso posto como evidente, ao refletir sobre a questão do
fato social no linguista suíço. Para realizar essa pesquisa, coletamos enunciados do livro Curso de
Linguística Geral e contrapomos com as críticas de estudiosos da língua, os quais defendem a
exclusão do fato social na constituição da ciência linguística moderna.

Palavras-chave: Fato Social; Saussure; Críticas.

TRADUÇÃO, ARQUIVO E MEMÓRIA DISCURSIVA: EMBATES TEÓRICOS NA


CONSTITUIÇÃO DAS CIÊNCIAS DA LINGUAGEM
Daiany Bonácio – UEL
daianybonacio@yahoo.com.br
Felipe A. Guelfi – UEL
felipeguelfi@live.com
Resumo:
O objetivo desse estudo é realizar uma resenha do artigo francês de Piet Desmet entitulado “Abel
Hovelacque et l’école de linguistique naturaliste: l’inégalitédes langues permet-elle de conclure à
l’inégalité des races?”. Esse artigo discorre sobre uma hipótese muito difundida no século XIX, que
consistia em observar se a desigualdade das línguas poderia ser relacionada com a desigualdade das
raças. Desmet, buscando compreender essa hipótese, analisa como Abel Hovelacque concebeu a
relação entre línguas e raças de uma forma diferente do que estava propondo autores como Renan e
Broca. A nosso ver, discussões como essas apontam, de uma forma embrionária, para o início da
mudança de rumo nos estudos linguísticos, uma vez que Hovelacque tem uma visão amadurecida do
assunto, quando propõe que se olhe tanto para as características biológicas quanto para as
características culturais em relação à desigualdade das raças. Hovelacque pertence à escola naturalista
francesa que defende a língua como um organismo vivo e a ciência linguística como pertencente à
ciência natural. É sabido que essa concepção de língua não foi adiante e que a ciência linguística foi
concebida como pertencente às ciências humanas. Contudo, é interessante observar como foram as
lutas epistemológicas para que a concepção de língua que conhecemos pudesse se estabelecer.
Estamos falando de um momento em que linguagem e raça são colocadas em um mesmo patamar por
alguns autores e isso merece um gesto de leitura. Para romper com visões de linguagem como essas,
foi preciso do corte epistemológico feito por autores como William Whitney e Ferdinand de Saussure.
A nossa tarefa consiste em analisar como se deu essa saída dos estudos da língua dos discursos
naturalistas/metafísicos para se estabelecer como ciência autônoma. Para tanto, mobilizaremos os
conceitos de discurso, arquivo e memória discursiva advindos da Análise de Discurso francesa.

Palavras-Chave: Fundação da Linguística; Naturalismo; Linguagem e Raça.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 18


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A PRODUÇÃO DE SENTIDOS SOBRE A IMAGEM DE SAUSSURE NOS MANUAIS DE


LINGUÍSTICA

Daiany Bonácio – UEL


daianybonacio@yahoo.com.br
Giuliano Mattos – UEL
giuu.mattos@gmail.com
Resumo:
Os enunciados usados para definir Ferdinand de Saussure nos manuais de linguística criaram uma
evidência de sentido para a ciência da linguagem: Saussure é o pai da linguística. Inspirados nessa
evidência, buscamos investigar qual imagem do referido autor foi construída ao longo desses 100
anos, desde a publicação do CLG. A fim de investigar tal imagem, coletamos enunciados em manuais
de linguística os quais demonstram o modo como os autores concebem Saussure. O resultado foi que
ele é colocado como pai da linguística, pai do estruturalismo, criador da ciência linguística moderna,
dentre outros. Tais enunciados criaram um verdadeiro da época para os estudos da linguagem. Desse
modo, o objetivo do presente estudo é compreender como são produzidos os sentidos sobre a figura
de Saussure nos livros de linguística por meio de enunciados que apresentam esse estudioso. Para
tanto, veiculamos nossa pesquisa à Análise de Discurso francesa, operando com os conceitos de
discurso, interdiscurso e produção de sentidos.

Palavras-chave: Ferdinand Saussure; Análise do Discurso; Produção de Sentidos.

ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E FEMINISMO: FORMAÇÃO PARA JUSTIÇA SOCIAL


EM CONTEXTO DE VULNERABILIDADE

Débora Cristina Monteiro Pena – UEL


deboramonteiro95@gmail.com

Resumo:
Partindo da proposta de uma oficina sobre Sexismo de Diane Goodman e Steven Schapiro (1997), em
paralelo ao arcabouço teórico do interacionismo sócio-discursivo de Bronckart (2008), propõe-se uma
intervenção por meio de uma oficina de língua inglesa em uma instituição sem fins lucrativos para
fins de: a) observar quais representações as alunas constroem sobre feminismo por meio da
participação em uma prática educacional para Justiça Social; b) classificar como as representações de
feminismo identificadas se manifestam no agir das alunas participantes da sequência didática e c)
estabelecer quais são as contribuições desta intervenção para o desenvolvimento das capacidades de
agência. É uma pesquisa de cunho qualitativo e de base interpretativista, além de fazer uso dos
procedimentos teórico-metodológicos do interacionismo sócio-discursivo de Bronckart (2008) e
codificação descritiva e provisória de Saldaña (2009). Espera-se que ao final da intervenção os
participantes desenvolvam capacidades de linguagem que os possibilitem ter mais agência e
criticidade em discussões a respeito da desigualdade de gênero, além de desenvolverem capacidade
de autoria em língua inglesa.

Palavras-chave: Interacionismo Sociodiscursivo; Gêneros; Justiça Social.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 19


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

MEMES E EDUCAÇÃO: DIALOGISMO E POLIFONIA

Erica Cristina de Oliveira Bernardes UNESPAR – Campus de Apucarana


ericaharuno16@gmail.com
Marta Luana da Silva UNESPAR – Campus de Apucarana
martacandioto@gmail.com
Resumo:
Os memes têm se popularizado na internet através das mídias sociais, as quais a partir de um assunto
ou imagem em pauta nos mais variados campos sociais, (re)alimentam a discussão a partir do
entrecruzamento do discurso verbal e visual, mas sob o viés de uma valoração humorística. Nesse
sentido, este trabalho tem o objetivo de compreender os caminhos dialógicos e polifônicos que
conduzem ao surgimento de textos-enunciado que se configuram a partir do gênero meme. Para tanto,
adota como percurso teórico os postulados do Circulo de Bakhtin, especialmente no que tange à
perspectiva de Análise do Discurso Dialógica (ADD); e nos estudos Recuero (2009) e Martino
(2015), quanto aos estudos relativos ao surgimento do meme e sua constituição. Como corpus,
elegemos memes que abordem a educação, a partir da relação professor-aluno-conteúdo. No bojo da
Linguística Aplicada, esta proposta de ADD Análise Dialógica do Discurso, prima por reflexões que
permitam ampliar a compreensão a respeito dos movimentos dialógicos e polifônicos que valoram os
enunciados que se materializam no gênero meme. Quando algum assunto ou imagem viraliza, as
redes sociais tomam para si esse conteúdo e o “reinventam” com o objetivo de manter o humor
fresco. Nesse viés, este estudo apresentou como objetivo geral analisar a produção de sentido dos
discursos mêmicos que circulam nas redes sociais, e, específicos, analisar a ocorrência da noção de
intertexto na materialidade digital meme; compreender as condições de produção dessas
discursividades; e analisar a produção de sentido produzida pelos “memes”. Para tanto, este estudo foi
desenvolvido de acordo com a perspectiva teórico-metodológica da Análise de Discurso, de linha
francesa. Para o desenvolvimento de nossa reflexão, constituímos um corpus com memes referentes
ao Enem 2015 e desse corpus selecionamos discursividades que foram analisadas pontualmente.

Palavras-chave: Gênero Meme; Análise Dialógica do Discurso; Educação.

A ATUAÇÃO DA SIMULAÇÃO INTERNA NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO E DE


INTERPRETAÇÃO DAS AÇÕES FÍSICAS REALIZADAS PELO ATOR

Everton Rodrigues da Rocha (G - UEL)


tonrocha.contato@gmail.com
Wagner Ferreira Lima (UEL )
wagner.wagnerlima.lima@gmail.com

Resumo:
O presente estudo tem por objetivo estabelecer uma ponte entre os conceitos da cognição
fundamentada, sobretudo o de simulação interna e o de teoria da mente e também o processo de ação
física executado pelo ator partindo da ideia de agir para crer estabelecida pelo conceito de tempo-
ritmo advindo de Konstatin Stanislavski. A cognição fundamentada basicamente provê base para a
reflexão pois a mesma enxerga os processos cognitivos como multimodais, assim sendo o processo de
simulação interna pode ser entendido como a simulação de estados perceptuais para a implementação
de padrão neural enquanto o de teoria da mente seria a capacidade de espelhamento de outrem para a
implementação de padrões neurais. A ação física seria a capacidade de atuar de maneira a
vivenciar corporificadamente situações em cena. O presente trabalho visa suprir uma carência de
estudo que relacionem esses conceitos além de por consequência tornar menos abstrata nos processos
atorais.

Palavras-chave: ação física; cognição fundamentada.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 20


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A LITERATURA ELETRÔNICA:
DESAFIOS PARA A FORMAÇÃO DO LEITOR

Fabrício Aparecido dos Santos Rosa - UEL


fabricio.vernaculas@gmail.com

Resumo:
Considerando o contexto de desenvolvimento tecnológico atual, bem como o crescente apelo das
diferentes mídias na constituição de uma cultura voltada para a satisfação do mercado, o estudo da
literatura em meio digital torna-se importante instrumento quando se observa a proximidade entre este
suporte e os jovens leitores. O presente projeto tem por objetivo desenvolver pesquisa a respeito da
literatura eletrônica, procurando compreender como se dá a leitura deste texto e de que forma
contribui para a formação do leitor. Visa, portanto, a elaboração de pesquisa para identificar o que se
toma por literário no ciberespaço, evidenciando a relação entre suas características e o suporte onde
se constroem, bem como estabelecem conexão com o leitor.

Palavras-chave: Literatura Eletrônica; Formação do Leitor; Processos de Significação.

UM ENSAIO SOBRE O AMOR: MONTAIGNE EM ME CHAME PELO SEU NOME, DE


ANDRÉ ACIMAN

Felipe Frasson Fusco – UEL


felipefr.f@hotmail.com

Resumo:
O presente trabalho busca entender os sentidos gerados pelo intertexto entre o romance Me chame
pelo seu nome (2007), de André Aciman, e o ensaio “Da amizade”, central do primeiro livro dos
Ensaios do filósofo francês Michel de Montaigne. A narrativa retrata a educação sentimental vivida
por Elio a partir de sua experiência amorosa com Oliver, um visitante em sua casa. Dessa maneira,
vê-se que é abordado um tema polêmico (relacionamento homossexual) à sociedade em que o
romance foi escrito, constituindo valioso material para análise, ainda mais após a adaptação
cinematográfica do texto receber o prêmio Oscar em 2018. Montaigne tem seu ensaio “Da amizade”
diretamente citado na obra, o que abre-a enquanto releitura de outro texto e enriquece seu valor
literário. A metodologia utilizada para entender o processo de novas construções de sentido a partir
do intertexto será principalmente a proposta por Mikhail Bakhtin (2015), com conceitos-chave quais
hibridismo e dialogismo. A análise concluirá que o romance pode não apenas ser visto como uma
ambígua aproximação-afastamento do discurso de Montaigne, como também seu formato maleável e
inacabado é capaz de dialogar com o próprio gênero ensaístico, tornando-o uma espécie híbrida de
“ensaio” de Elio sobre o amor.

Palavras-chave: Montaigne; Ensaio; Diálogo; Discurso.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 21


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A SEQUÊNCIA DIDÁTICA COMO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO SOBRE AS


VIOLÊNCIAS LGBTFÓBICAS: ENTRE A DIVERSIDADE SEXUAL E A
VULNERABILIDADE SOCIAL

Felipe Trevisan Ferreira – UEL


trevisanfelipe5@gmail.com

Resumo:
Ainda que os documentos que regulam a prática docente tendam a reforçar o papel da educação na
construção de uma sociedade mais justa e igualitária, iniciativas que visam fomentar debates acerca
das violências LGBTfóbicas na escola vêm sendo constante e crescentemente silenciadas. Outrossim,
pesquisas recentes revelam um aumento de mais de 340% nos números de mortes por LGBTfobia no
país nos últimos 20 anos, além de listar estudantes e professores entre as profissões mais suscetíveis à
violência sexual e/ou de gênero (GGB, 2018). Ao pensarmos nos estudantes em situação de
vulnerabilidade social, esse cenário é ainda mais agravado pela interseccção de violências de outras
naturezas às quais podem estar expostos. Diante disto e ratificando a necessidade de se discutir tais
temas em contextos educacionais, o presente trabalho tem por objetivo relatar uma experiência de
implementação de sequência didática (DOLZ, NOVERRAZ, SCHNEUWLY, 2004) em oficinas de
Língua Inglesa em um contexto de vulnerabilidade social na cidade de Londrina/PR, com vistas tanto
ao desenvolvimento linguístico quanto social e cidadão; bem como discutir quais são as contribuições
dessa intervenção para a reflexão acerca da violência LGBTfóbica. Essa pesquisa é qualitativa de
cunho interpretativista e se insere no quadro teórico-metodológico do Interacionismo Sócio-
Discursivo (BRONCKART, 2003). Os resultados preliminares apontam para indícios de
desenvolvimento de criticidade nos alunos participantes das oficinas.

Palavras-chave: LGBT; Sequência Didática; Vulnerabilidade Social.

A COMPREENSÃO LEITORA DOS ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL – UMA


ANÁLISE DO DESEMPENHO NA PROVA PARANÁ

Fernanda Couto Guimarães Casagrande – PML, INESUL, UNIFIL


fernandaort@hotmail.com
Gisele de Paula Rodrigues – SEED, INESUL
giseledepaula@seed.pr.gov.br
Resumo:
A capacidade para ler e compreender textos é fundamental para o dia a dia seja no meio educativo
como social. O domínio da leitura tem sido um grande desafio escolar, pois um número significativo
de alunos apresenta dificuldades de aprendizagem específicas ao nível da leitura, que interferem no
processo global de ensino e aprendizagem. Espera-se que os alunos a partir do 5º ano já que tenham
desenvolvido a capacidade de ler e compreender com competência. O objetivo deste estudo foi,
por meio de análise dos resultados da primeira etapa da Prova Paraná, investigar a compreensão
leitora de estudantes do quinto, sexto e nono ano do ensino fundamental. Esta avaliação diagnóstica
foi instituída em 2019 pelo estado do Paraná e trata-se de um instrumento cujo objetivo é identificar
as dificuldades apresentadas por cada um dos estudantes e apontar as habilidades já apropriadas no
processo de ensino e aprendizagem, nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. A análise
teve como base os descritores de Língua Portuguesa que avaliam a leitura. Verificou-se que as
questões com menos recorrência de acertos pelos alunos foram aquelas cujos descritores exigem uma
leitura de informações implícitas, compreensão de outros recursos para que a leitura seja efetivada.

Palavras-chave: Leitura; Descritores de Língua Portuguesa; Análise.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 22


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A ARTISTICIDADE NAS RELIGIÕES DE MATRIZ AFRICANA

Fernando Leite - UEL


fernandoleitemateus@outlook.com
Miguel Heitor Braga Vieira – UEL
miguelvieira@uel.br

Resumo:
Este artigo tem interesse em ressaltar as manifestações artísticas nas religiões de origem africana
como forma de credo, permanência identitária, defesa e propagação. Com o passar dos séculos o
etnocentrismo ainda se faz presente em terras brasileiras e essas religiões permanecem sendo
distorcidas pelo distanciamento e pela demonização: “macumba”, “feitiçaria” e “obscurantismo”,
questões que corroboram o preconceito e obnubilam ainda mais a imagem de suas configurações
religiosas e de seus praticantes. Essas crenças, repletas de elementos culturais e estéticos, esbanjam
arte através de suas vestes, de suas danças, de seus ritos e de seus cânticos. Sendo assim, o candomblé
e a umbanda serão esmiuçados e, por meio de análise, comparações serão engendradas, transmitindo
seus mais ricos aspectos, as diferenças entre si e desmistificando, assim, as relações preconceituosas
às culturas afro-brasileiras dentro de parte da atual sociedade anacrônica que perpetua o preconceito
por desconhecê-las.

Palavras-chave: Religiões de Matriz Africana; Linguagens Artísticas; Preconceito e Etnocentrismo.

UMA ANÁLISE DA LINGUAGEM DOS QUADRINHOS NO MANGÁ “NO.6”

Fernando Morais Santana – UEL


fernandonandu50@gmail.com

Resumo:
O objetivo é apontar, na série de mangás de “NO. 6” das autoras Atsuko Asano e Hinoki Kino, os
principais recursos da linguagem dos quadrinhos utilizados a favor da construção dos sentidos.
Chinen (2013), Mussarelli (2013), Braga Jr. (2016), Miotello e Mussarelli (2016) e Ramos (2010)
constituem as bases teóricas do trabalho. “NO. 6” era uma “light novel”, que foi adaptada para
mangá, com roteiro de Atsuko Asano ― também escritora da novela citada ― e a arte de Hinoki
Kino. O mangá foi publicado, no Japão, pela editora Kodansha entre os anos de 2011 e 2014. Já no
Brasil, começou em 2015 e terminou em 2018 (nove volumes), sempre publicado pela editora
NewPOP. A trama acompanha o protagonista Shion, que, por ter ajudado um foragido chamado
Nezumi, foi expulso de um distrito onde só a elite selecionada poderia morar, passando, assim, a
habitar numa parte mais “baixa” da cidade: Number Six. Após ser acusado injustamente de
assassinato, o protagonista é apreendido pelas autoridades da cidade, entretanto ele consegue fugir
para o Bloco Oeste ― subúrbio próximo à Number Six. Ao chegar lá, Shion começa a perder o olhar
ingênuo e conhece outra realidade: a violência.

Palavras-chave: Linguagem dos Quadrinhos; Mangá “NO. 6”; Sentidos.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 23


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

MUDANÇA DE TÓPICO NO DISCURSO POLÍTICO:


UM MECANISMO DE FUGA

Gabriela Viviana Barrueco Valenzuela – UFMS


gab.bar@hotmail.com

Resumo:
Este estudo tem como objetivo analisar a organização tópica como ferramenta de preservação da face
empregada pelo então deputado federal Jair Messias Bolsonaro em uma interação verbal. Buscamos
apontar os mecanismos linguísticos de que se vale para esquivar-se de perguntas que ameaçam sua
face. Para tanto, utilizamos como corpus o debate de Bolsonaro com o historiador Marco Antonio
Villa exibido no programa Jornal da Manhã da rádio Jovem Pan News em 2018, e o aporte teórico
teve como base os princípios da Análise da Conversação. Observamos a interação entre os
participantes deste debate conforme o tópico conversacional por meio de falas simultâneas e
sobreposição de vozes, tendo como princípio as sequências pergunta-resposta, perguntas retóricas e
acusação-defesa-justificativa. Sustenta-se que a organização sequencial da conversa é de suma
importância para a análise das ações da interação em contextos reais e, de acordo com os resultados,
esses artifícios foram usados repetidamente por Bolsonaro, quando questionado, para evadir-se de
assuntos dos quais aparentemente desconhece.

Palavras-chave: Discurso político; Tópico discursivo; Preservação da face.

O GRAFITE COMO EXPRESSÃO SOCIAL DE JOVENS BRASILEIROS


NAS AULAS DE ELE: ILUSTRAÇÃO PEDAGÓGICA
À LUZ DA MULTIMODALIDADE

Gleice Angélica de Queiroz Rodrigues – UNESPAR


gleicequeiroz80@gmail.com
Caio Vitor Marques Miranda - UNESPAR

Resumo:
O ensino através da multimodalidade tem se mostrado eficaz em relação à abordagem em diferentes
contextos nos quais os jovens estão inseridos e se identificam. Entretanto, muitos destes são
marginalizados pelos cânones, excluídos dos livros didáticos, em especial, nas aulas de ELE –
espanhol como língua estrangeira, ainda que faça parte da realidade dos jovens estudantes. Isso é o
que acontece com o grafite, símbolo da cultura hip-hop, que há anos tem resistido em meio a sua
discriminação. Trabalhar com essa expressão social possibilita ao aluno tornar-se um leitor crítico e
protagonista no seu processo de aprendizagem. Com isso, a língua e a literatura passam a ser
resignificadas tanto ao professor quanto ao aluno, e no contexto de ELE, as aulas deixam de ser
focadas nas habilidades comunicativas. Os muros se tornam, assim, o cenário para a expressão
poética de jovens que buscam sua autenticidade e querem eternizar sua voz através da arte. Nesse
sentido, objetivamos apresentar um panorama sobre o grafite na educação e propor uma atividade
pedagógica aos alunos de espanhol, de nível básico, para que possam valorizar e contribuir com sua
comunidade. Para dar conta desta tarefa, nos valemos de Souza (2012), Bunzen e Mendonça (2013),
Rojo e Moura (2012), autores renomados nesta área de estudo.

Palavras-chave: Grafite; Multimodalidade; Ensino de ELE.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 24


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A RETOMADA DO MITO DE ORFEU NOS POEMAS DE NUNO JÚDICE

Hellyery Agda Gonçalves da Silva – UEM


hellyerya@gmail.com

Resumo:
O intuito deste trabalho é verificar a retomada do Mito de Orfeu, por meio da ótica do poeta
português Nuno Júdice nos poemas “Comentários do 16.º Soneto a Orfeu” e “Orfeu e Eurídice”,
pertencentes à obra Enumeração de Sombras (1989). Para isso, utilizaremos como suporte duas
versões do mito, a fim de evidenciarmos os pontos em comum, sobretudo os elementos que
pertencem à Cultura Grega e Romana presente nos textos. Procuramos, também, apresentar algumas
definições sobre Mito, discutir poesia e os seus possíveis sentidos a partir da análise dos textos
literários selecionados.

Palavras-chave: Mito; Orfeu; Nuno Júdice.

BAILARINA NEGRA: ENTRE PERSISTIR E RESISTIR

Heloisa Rotta Matiusso - UEM


heloisamatiusso63@gmail.com

Resumo:
Como parte do Projeto de Iniciação Científica – PIBIC/CNPq (2019/2020), intitulado “Práticas de
subjetivação da bailarina negra Ingrid Silva”, elegemos como objetivo para o presente simpósio
compreender por que a edição da capa com o corpo da bailarina, na Pointe Magazine, em junho/2017,
uma revista especializada para bailarinos e estudantes de ballet, deixa morrer o preconceito e faz
viver a diversidade. O presente estudo, subsidiado pela Análise do Discurso, em especial pelos
preceitos teóricos erigidos por Foucault, justifica-se tanto pelo fato de ser essa publicação um
acontecimento no campo do Ballet Clássico quanto por considerarmos tal mídia um espaço onde se
criam condições de possibilidade de “visibilidade” a bailarinos em ascensão. Nesses termos, o
acontecimento se efetiva no âmbito da materialidade discursiva que é efeito, pelo qual se busca tratar
das cesuras que rompem o instante e dispersam esse sujeito da diversidade. Pela primeira vez uma
bailarina negra posa sozinha na capa da revista, desde sua fundação em 2000, além de romper com a
regularidade e fazer emergir uma nova singularidade, que é, ao mesmo tempo, símbolo da diversidade
e da resistência. A capa da Pointe Magazine é a superação do preconceito, é o espaço em que se
proclama a resistência da bailarina negra brasileira, é a imagem de resistência por desafiar as
condições sócio-políticas e culturais do mundo da dança clássica. Desse modo, a performance da
bailarina criou a possibilidade para que outros sujeitos infames pudessem lutar e resistir para
conquistar o reconhecimento do seu próprio corpo.

Palavras-chave: Acontecimento; Resistência; Corpo.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 25


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A PREMONIÇÃO SUICIDA DE HEMINGWAY EM “THE DOCTOR AND THE DOCTOR’S


WIFE”

Henrique Colasante Lopes de Souza - UNESPAR


h.colasante@hotmail.com

Resumo:
Em 1925, Ernest Hemingway publica o livro de contos In Our Time. Em um dos contos do volume,
intitulado “The Doctor and the Doctor’s Wife”, o famoso autor nos proporciona uma história
perturbadora, que pode conter traços autobiográficos. Não é um dos escritos mais famosos de
Hemingway, mas com certeza o que mais traz a relação homem, autor e suicídio em sua obra. Após
ficar frustrado com o comportamento de dois indígenas que foram contratados para um serviço, o
protagonista, Dr. Adams, os demite e, quando volta para casa, ouve um “sermão” de sua esposa. Logo
após, Dr. Adams senta-se sozinho com uma espingarda entre as pernas, apontada para a cabeça,
olhando-a fixamente. Segundo Berman (1999, p. 104), “a espingarda torna-se tanto um símbolo fálico
quanto um lembrete da impulsividade que ameaça vir de dentro. A arma parece ser sua única
companhia, o objeto a que ele mais dá atenção”. Além dessa cena perturbadora, o destaque maior do
conto é a possível representação autobiográfica dos pais de Hemingway nas figuras de Dr. Adams e
sua esposa, caracterizados como o dominado e a dominadora. Em 1928, o pai do escritor efetivamente
viria a se suicidar, assim como insinuava o conto de 1925. Esta comunicação pretende analisar a
relação entre o suicídio de papa Hemingway e o conto em questão, e como esses assuntos atingiam
diretamente a escrita e a vida pessoal de Ernest Hemingway.

Palavras-chave: Suicídio; Hemingway; Conto.

ENSINO POR MEIO DO INGLÊS NAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS – MAPEANDO O


CONTEXTO BRASILEIRO

Henrique Rodrigues de Oliveira– UEL


henrique_rodrigues2000@hotmail.com
Telma Gimenez – UEL
tgimenez@uel.br

Resumo:
A internacionalização do ensino superior está em ascensão em escala mundial, provocando demanda
pelo inglês, considerada a língua franca acadêmica, por ser a mais utilizada em eventos acadêmicos e
publicações internacionais. Cresce igualmente o interesse por sua adoção como meio de instrução em
níveis de graduação e pós-graduação. Como parte da agenda de “internacionalização em casa”,
instituições de ensino superior (IES) brasileiras estão começando a introduzir o Inglês como Meio de
Instrução (EMI), seguindo essa tendência. Este tem se tornado também um campo de pesquisa, com
alguns trabalhos já publicados. Um levantamento realizado em parceria pelo Conselho Britânico e
Faubai – Associação Brasileira de Educação Internacional em 2016 foi atualizado em 2018 e traz
dados sobre a oferta de cursos e demais atividades em inglês em universidades brasileiras. Nesta
comunicação apresentaremos os principais resultados desse levantamento e apresentaremos reflexões
sobre os desafios para políticas institucionais voltadas para a internacionalização do ensino superior.

Palavras-chave: Internacionalização; Inglês; Ensino.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 26


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

PAQUITAS NEGRAS EM FOCO: DESLIZAMENTO DE SENTIDOS POR MEIO DE UMA


MATERIALIDADE NÃO VERBAL

Isabel Cristiane Jerônimo - UEL cristianejeronimo@uel.br

Resumo:
Este trabalho tem como objeto de análise uma materialidade não verbal extraída de uma exposição
fotográfica que faz parte de uma ação denominada Projeto Identidade, a qual focaliza o sujeito negro
ocupando posições de protagonismo. Nessa inversão de perspectiva, a exposição apresenta, por meio
de imagens fotográficas, situações diversas ligadas ao cinema, às artes, à televisão, originalmente
representadas por sujeitos brancos, com negros em destaque. Construções histórico-ideológicas
singulares à sociedade brasileira fizeram com que o negro fosse sub-representado e tivesse sua
subjetividade apagada ao ocupar, com frequência, papéis secundários nos mais variados tipos de
mídia, isso quando sua presença não foi silenciada, afastando-o sobremaneira dessa instância de
poder. Temos como objetivo refletir, por meio de conceitos vinculados à Análise do Discurso
francesa, aos Estudos Culturais e à fotografia, de que forma esse discurso em favor do negro congrega
história e memória por meio de imagens, criando possibilidades de representações positivas, a fim de
se contrapor aos discursos racistas que ainda circulam no país.

Palavras-chave: Negro; Discurso; Representação.

GRAMÁTICA TRADICIONAL E CATEGORIAS LINGUÍSTICAS: ADEQUAÇÕES E


INADEQUAÇÕES

Isabella Medeiros Ferro – UEL


isabella.ferro@hotmail.com
Luana Camila Costa - UEL
luuanacosta97@hotmail.com

Resumo:
O estudo das línguas indígenas abre um caminho para a pesquisa sobre as categorias gramaticais
erguidas pela gramática tradicional e a adequação delas a línguas que fogem da estrutura do Grego e
do latim. As línguas indígenas não apresentam estrutura sintática que corresponda à visão de mundo
consagrada pela perspectiva greco-romana desenvolvida em função de valores eurocêntricos. Tais
línguas contemplam um éthos e uma visão de mundo (cf.: GEERTZ, 1978) que necessitam de um
outro sistema gramatical que comportem categorias que deem conta dessa outra perspectiva do
pensar, agir e sentir. Esses sistemas linguísticos não obedecem aos modelos de flexão da gramática
tradicional; a flexão, na maioria dos casos, não está na própria palavra, mas em elementos que
compõem a sintaxe da frase, elementos esses que, normalmente, são chamados de partículas. Os
marcadores de caso também são outro exemplo de estruturas gramaticais que fogem ao padrão
clássico do Grego e do Latim, bem como as frases que se organizam de forma ergativa, em oposição
às construções predominantemente nominativas da gramática tradicional. Assim, é objetivo desse
trabalho pesquisar essa adequação de categorias para que toda essa pesquisa possa servir de substrato
para a elaboração de uma gramática pedagógica que contemple a perspectiva do bilinguismo e povos
indígenas.

Palavras-chave: Línguas Indígenas; Classes Gramaticais; Descrição Linguística.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 27


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

O PRONOME RETO COMO ACUSATIVO NA ESCRITA E NA FALA: UM ESTUDO


MORFOSSINTÁTICO À LUZ DA GEOSSOCIOLINGUÍSTICA

Ismael Ribeiro da Silva


ismaelgramatica@uol.com.br
RESUMO:
Esta pesquisa tem por objetivo apresentar um estudo sobre a realização do pronome pessoal do caso
reto como acusativo (na função sintática de objeto direto) no português escrito e/ou falado de alunos
do Ensino Fundamental (9º ano) e do Ensino Médio (do 1º ao 3º ano), na cidade de Ibiporã - PR. Este
trabalho também pretende averiguar a realização do pronome reto como acusativo na fala de
informantes que já concluíram o Ensino Médio, a maioria de Ibiporã e alguns de Jataizinho - PR. Para
o embasamento da pesquisa, buscam-se fundamentos teóricos da Sociolinguística Variacionista
Laboviana, subsídios da Geolinguística Pluridimensional e também contribuições de Amadeu Amaral,
Ana Maria Zys Benvenutti, Stella Maris BORTONI-RICARDO, Suzana Alice Marcelino Cardoso,
Mário Marroquim, José Luiz Fiorin e outros estudiosos da linguagem. Além disso, pretende-se
averiguar se alguns fatores extralinguísticos, como o nível de escolaridade, a idade e o sexo dos
informantes exercem influência na realização desse fenômeno tanto na oralidade quanto no registro
escrito entre os falantes do grupo supracitado.
Palavras-chave: Pronome Reto; Pronome Oblíquo; Geolinguística Pluridimensional.

O PAPEL DAS EMOÇÕES SOCIAIS NA AQUISIÇÃO DA FONOLOGIA


DA LÍNGUA MATERNA:
Jaqueline Pereira Santos – UEL
jaquizaqui@gmail.com
Wagner Ferreira Lima – UEL
Resumo:
Ao aprender seu idioma materno, as crianças passam por períodos críticos e sensíveis. Pesquisas
sugerem que a capacidade de distinguir fonemas de alofones pressupõe um forte componente
emocional (KUHL, 1991). Na interação das crianças com pais ou tutores, por meio do chamado
“maternês”, alguns segmentos fonéticos são destacados porque os adultos transmitem emoções
positivas aos infantes, através da ênfase colocada nos segmentos fonéticos da língua. A aprendizagem
ocorre quando os neurônios mudam seu padrão de resposta para se adaptar a novas situações. Esse
fenômeno, a neuroplasticidade, constitui o fundamento neuronal da aprendizagem. Como ela é fruto
de novas experiências, é plausível afirmar que a neuroplasticidade é, em alguma medida, modulada
pelas contingências de comportamento do organismo. Estabelecido o inventário de fonemas, os
neurônios se comprometem com seu funcionamento na comunicação, assim o falante fica mais
sensível a fones que são funcionais em seu idioma do que aos que não o são (KUHL, 2000). Nossa
hipótese é que esse fenômeno se explica, neurologicamente, por um processo cognitivo top-down, no
qual o conhecimento linguístico controla, via feedback, o padrão de atividade dos núcleos
subcorticais, os relés iniciais do processamento do sinal entrante. Isso só poderia acontecer pela ação
das “fibras córticofugais”, axiônios que partem do córtex em direção aos centros de processamento
auditivo subcorticais, de modo a modular a atividade dos neurônios desses centros. Assim, é esperado
que desde a periferia o sistema auditivo fique mais sensível às instâncias dos fonemas, durante a
comunicação. A presente comunicação visa descrever como ocorre a aprendizagem da fonologia da
língua materna, de uma perspectiva neurológica. Para isso, baseamos essa descrição em literatura
especializada sobre o papel de emoções sociais (empatia, confiança e identificação) na aprendizagem
de categorias fonéticas; e sobre os processos neuronais que comprometem o córtex auditivo com a
identificação e discriminação dessas categorias. Teoricamente, a aquisição fonológica é determinada
pela neuroplasticidade. Ademais, existem fortes evidências de que a neuroplasticidade é fortemente
influenciada por emoções sociais, graças a processos neurológicos de nível mais alto (cognitivos e
afetivos) atuando sobre o sistema auditivo.
Palavras-chave: Aquisição da Fonologia; Emoções Sociais; Neuroplasticidade.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 28


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

O ENDEREÇAMENTO PRESENTE NAS PROPOSTAS DE PRODUÇÃO TEXTUAL DOS


LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL I

Jennifer da Silva Marinho - UEM


jennifersmarinho@gmail.com

Resumo:
Este trabalho, ainda em desenvolvimento, tem como eixo norteador a importância do livro didático em
contexto institucional de ensino. A hipótese de partida é que as práticas sociais de escrita vislumbradas nas
propostas de produção textual desses livros são lugares privilegiados para a investigação das imagens de
escrita, texto, criança/aluno, professor etc. que circulam nesses materiais. Entendemos que, ao elaborarem
as propostas de produção textual os autores dos livros didáticos o fazem com base em uma representação
e/ou uma idealização de interlocutor (BAKHTIN, 1986), portanto, com base em um endereçamento no
qual, a nosso ver, mesclam-se a criança que realizará a atividade, o professor que irá aplicá-la, o órgão
institucional que irá avaliar o livro etc. Considerando essa hipótese, nesta pesquisa, visa-se a investigar o
endereçamento incrustado nas propostas de produção textual fornecidas nos livros didáticos do Ensino
Fundamental I, em vigência nos anos de 2019, 2020 e 2021. Esse objetivo geral se desdobra nos objetivos
específicos de: observar marcas linguísticas que indiciam a visão de quem é esse interlocutor projetado
pelos autores do livro didático, bem como averiguar a concepção de texto e escrita vislumbradas e/ou
idealizadas nessas propostas. Para que estes objetivos sejam alcançados, contaremos com uma análise
quantitativa e qualitativa do corpus coletado. Partiremos de um recorte sócio-geográfico específico,
examinando propostas de produção textual presentes em livros didáticos usados nas escolas municipais de
Maringá-PR. Do ponto de vista teórico, este estudo funda-se numa interpretação enunciativa-discursiva
dos pressupostos de Bakhtin e seu Círculo e da visão de letramento vinda do quadro dos Novos Estudos de
Letramento de Street (2014), bem como numa visão de escrita que a entende como constitutivamente
heterogênea (CÔRREA, 2003). Com este trabalho, espera-se contribuir para melhor compreender as
concepções de criança/aluno em fase de aquisição da escrita, de texto e de escrita que emerge nas
propostas de produção textual de livros didáticos.

Palavras-chave: proposta de produção textual; endereçamento; livro didático.

PROPOSTA DE ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA A PARTIR DO GÊNERO ATA PARA O


CURSO DE SECRETARIADO EXECUTIVO

Juliana Hortelã Pedrone Valério – UEM


juhortelã@gmail.com
Resumo:
A partir dos anos 90, com a reconfiguração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB
9394/96), tem-se, pois, como proposta o ensino da Língua Portuguesa, doravante (LP), que não contempla
o ensino de uma gramática descontextualizada, e sim que parte do texto e deve atingir três eixos, a saber:
leitura, escrita e gramática. A evolução dessas concepções trouxe novas maneiras de formar alunos cada
vez mais cientes da língua em uso. Neste sentido, a Análise Linguística é vista como um método mais
eficaz em que o professor media aulas cada vez mais produtivas, e o aluno se torna apto a desenvolver
suas capacidades linguísticas. Assegura-se que quaisquer gêneros textuais podem servir de base para os
métodos da Análise Linguística, porém, é preciso atentar-se às condições de produção e suas
características peculiares que possibilitam a elaboração de questões diversas. Portanto, o ensino nesta
vertente se dá a partir da abordagem de gênero para a elaboração de questões epilinguísticas e
metalinguísticas, comprovando que é possível realizar um trabalho satisfatório que coaduna as frentes
atualmente separadas em leitura, produção textual e ensino de gramática. Diante disso, pensado no
contexto de ensino da LP para o curso de Secretariado Executivo, propomos desenvolver uma análise
linguística a partir do gênero ata, gênero circulado no contexto do profissional de secretariado.

Palavras-chave: Gênero; Análise linguística; Ata.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 29


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A METAPOESIA EM MATÉRIA DE POESIA (1970), DE MANOEL DE BARROS

Júlio César Alexandre Júnior - UEL


julio_cajr@hotmail.com
Resumo:
“A metalinguagem me excita. Acho que é porque eu não tenho muito do que falar que falo do que eu
faço” (BARROS apud SILVA, 2011, p. 16). Tendo como ponto de partida essa afirmativa, o intuito
deste trabalho é analisar as formas metalinguísticas ou metapoéticas adotadas pelo poeta sul-mato-
grossense Manoel de Barros (1916-2014) em sua produção. A metalinguagem pressupõe uma leitura
relacional ao estabelecer afinidades com vários sistemas de signos, pois o autor processa a
metalinguagem ao discutir seu próprio texto – no caso da poética, o eu lírico questiona o fazer
poético, despertando o leitor-interlocutor para as particularidades da enunciação. Para isso,
utilizaremos como corpus deste trabalho uma das obras de Manoel de Barros na qual se evidencia a
temática metapoética: Matéria de Poesia (1970). Nessa obra do autor, o exercício da metalinguagem
ou, no caso, da metapoesia, é apresentado um posicionamento pelo eu lírico para analisar e discutir os
seus métodos e temas do fazer poético a partir de objetos e indivíduos que estão à margem da
sociedade capitalista, ou seja, como o Poeta afirma “Tudo aquilo que a nossa/ civilização rejeita, pisa
e mija em cima,/ serve para poesia” (BARROS, 1970, p. 146).

Palavras-chave: Manoel de Barros; Metalinguagem; Poesia.

O ENSINO DE LITERATURA DE LÍNGUA INGLESA PARA CRIANÇAS

Júlio César Alexandre Júnior - UEL


julio_cajr@hotmail.com

Resumo:
O presente trabalho tem por objetivo investigar a utilização de textos literários de língua inglesa para
crianças do Ensino Fundamental, séries iniciais. Verificou-se que, nos últimos anos, houve uma
expansão do ensino de língua estrangeira, especificamente do ensino de língua inglesa, para os anos
iniciais da Educação Básica, seja ela privada ou pública, e tem despertado o interesse de professores e
pesquisadores nessa área de ensino, como HALLIWELL (1992), ROTH (1998), GIMENEZ (2003),
CAMERON (2005), TONELLI (2005), MORAL-PEREIRA (2016) dentre outros. Pretendemos
analisar algumas obras desses autores e pesquisadores que trabalham com o ensino de literatura de
língua inglesa e considerar a eficácia da utilização de sequências didáticas para que o nosso aluno da
Educação Básica, séries iniciais, tenha maior contato com a literatura estrangeira. Para este trabalho,
faremos também uma análise em um livro didático que oportuniza o ensino de língua inglesa para
crianças e verificar se está trabalhando com o ensino de literatura de acordo com os documentos
oficiais vigentes.

Palavras-chave: Ensino Fundamental, Séries Iniciais; Ensino de Língua Inglesa; Ensino de Inglês
para Crianças.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 30


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

O POEMA EM SALA DE AULA: UMA POSSIBILIDADE DE LEITURA E ANÁLISE


LINGUÍSTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

Karine Giroto Barbara


Neluana Leuz de Oliveira Ferragini
karinegirotob@hotmail.com
Resumo:
O presente trabalho integra o projeto de pesquisa Gêneros Discursivos em sala de aula: propostas de
estudo e de didatização para o 7º ano do ensino fundamental, o qual, no bojo da Linguística Aplicada,
orienta-se para reflexão do ensino de língua portuguesa via concepção de linguagem interacionista e
dialógica, situando as reflexões nos pressupostos do Círculo de Bakhtin e seus caudatários. Sob esse
viés teórico, nosso objetivo é apresentar uma possibilidade de trabalho linguístico com enfoque para a
prática de análise linguística na leitura de textos, elegendo como corpus um poema (sem título) de
Caio Silva. Assim, ao adotarmos a concepção de leitura sócio-discursiva, este estudo, prima por uma
prática de análise linguística a partir das seguintes dimensões: a) social (horizonte espacial e
temporal; horizonte temático e horizonte axiológico); e b) verbo-visual (conteúdo temático,
construção composicional e estilo). Como resultado, apresentamos uma possibilidade de trabalho com
a língua a partir de textos que se materializam no gênero poema.

Palavras-chave: Prática de Leitura e Análise Linguística; Gênero Poema; Ensino e aprendizagem de


Língua Portuguesa.

O PAPEL DO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA


DE PESSOAS COM TEA

Laíny Larreia da Silva – UEL


lainylarrea@gmail.com
Wagner Ferreira Lima - UEL

Resumo:
Este trabalho investiga o papel docente no desenvolvimento de alunos com TEA. Observando como o
domínio de tais conhecimentos, colabora no processo e resultado do ensino e aprendizagem. De modo
que a singularidade seja respeitada, evitando que dificuldades comunicativas tragam prejuízos
significativos ao aprendiz. Contribuindo para a escolha da melhor prática para efetivar a inclusão, e
não apenas a inserção do estudante no espaço escolar. Identificando sinais de alerta para um possível
diagnostico de Transtorno do Espectro Autista e sua relação com a ecolalia. Nesta comunicação serão
apresentadas observações sobre as características do aluno autista e as possibilidades em sala de aula,
assim como quando ecolalia pode expressar autismo e quando é natural no desenvolvimento da
linguagem.

Palavras-chave: Autismo; Inclusão; Linguagem; Desenvolvimento.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 31


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A VISÃO DO ALUNO PARA O ENSINO INTERDISCIPLINAR

Larissa Rodrigues Marques - IFSP


larissamarquesletras@gmail.com
Eva Cristina Francisco - IFSP

Resumo:
Este trabalho tem a finalidade de investigar a visão do aluno e suas opiniões sobre a colaboração dos
professores em sala de aula, no que diz respeito à prática da interdisciplinaridade. A
interdisciplinaridade concerne às interações entre disciplinas ou áreas do saber. Estas podem
acontecer em diversos níveis diferentes e, para distingui-las, foram criados os termos
multidisciplinaridade, pluridisciplinaridade, interdisciplinaridade e transdiciplinaridade.Tais
conceitos, de acordo com teóricos da área, em especial Ivani Fazenda, norteiam o ensino-
aprendizagem de forma integrada e coletiva. Como metodologia de investigação, será realizada uma
pesquisa de campo na qual teremos respostas dos discentes do ensino médio integrado ao técnico do
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - Câmpus Avaré. Os
questionamentos dar-se-ão no sentido de diagnosticar se e como a prática interdisciplinar é executada
na referida instituição. Após, com base nas respostas, será feito um levantamento para saber se os
discentes possuem o conhecimento do que é um ensino interdisciplinar.

Palavras-chave: Interdisciplinaridade; Aluno; Ensino.

ELABORAÇÃO CONJUNTA DE UMA UNIDADE DIDÁTICA


FRENTE AOS CONCEITOS BNCC

Lorrana de Souza Bossan Gonçalves - UEL


lorranabossang@gmail.com
Priscila Handa Suzuki - UEL
priscilasuzuki@hotmail.com

Resumo:
A formação de professores tem sido uma preocupação constante, como pode ser percebido pelo vasto
arcabouço teórico na área (EL KADRI, GIMENEZ, FIORI, SUZUKI, 2019) e, nessa seara, percebeu-
se não apenas a importância de implementar cursos que proporcionem o desenvolvimento docente,
mas também de analisar os resultados obtidos através do input estabelecido entre docentes formadores
e docentes em formação (DURÃO, 2004). Desse modo, nosso trabalho pretende apresentar a análise
do desenvolvimento de uma unidade didática fruto de trabalho colaborativo desenvolvido por um
grupo de participantes de um curso de extensão de caráter blended (LEANDRO; CORRÊA, 2018)
universitária da UEL, por meio dos diálogos estabelecidos (FAIRCLOUGH; FAIRCLOUGH, 2012)
pelos integrantes ao longo do percurso, em um trabalho colaborativo. O curso buscou oferecer
recursos para que os docentes em formação pudessem aliar teoria à prática, de modo a favorecer a
produção de materiais didáticos norteados pela BNCC. Pretendemos confrontar resultados esperados
e resultados obtidos, com o intuito de oferecer reflexão acerca da prática formadora em questão, e
benefícios percebidos pelos seus participantes. *Além da análise do material produzido com a
finalidade de averiguar se o mesmo atingiu os parâmetros mencionados na BNCC.

Palavras-chave: BNCC; Trabalho Colaborativo; Formação de Professores.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 32


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

O ROMANCE FEMININO SOBRE A IMIGRAÇÃO JAPONESA:


QUESTÃO DE IDENTIDADE E MEMÓRIA (1980-1991)

Luana Martina Magalhães Ueno - UEL


8.luana@gmail.com

Resumo:
A partir da metade da década de 1980 e, consequentemente, devido a comemoração dos 80 anos da
imigração japonesa para o Brasil, percebe-se o surgimento de publicações de livros que buscam a
construção da memória dos nikkeis. Dentro desses, localiza-se algumas publicações escritas por
mulheres e que retratam um diálogo entre a dimensão de gênero tanto com a experiência da imigração
japonesa como também com a vida dessas nikkeis no Brasil. Apesar dessa narrativa feminina estar
ligada ao âmbito da família, da casa e das tradições da sociedade japonesa, é possível notar uma
individualidade e a produção de uma identidade. Portanto, o objetivo desse trabalho é analisar como
essa identidade se produziu a partir da diferença e ao mesmo tempo foi um produto da intersecção
entre a manutenção das tradições da sociedade japonesa, que era extremamente patriarcal, com a
cultura brasileira. Para isso, utilizamos como fonte o livro “Sonhos Bloqueados”, escrito por Laura
Honda-Hasegawa e publicado em 1991. Como embasamento teórico, dialogamos com os conceitos de
memória e identidade discuido pelos autores Michel Pollak (1992), Stuart Hall e Thomas Tadeu da
Silva (2014).

A REPRESENTAÇÃO DA LITERATURA AFRO-BRASILEIRA NO MANUAL DIDÁTICO


DE LÍNGUA PORTUGUESA

Lucas Breda Magalhães - UENP-CCP/GP-CRELIT


lucasbredam@gmail.com
Vanderléia da Silva Oliveira - UENP-CCP/GP-CRELIT
vanderleiaoliveira@uenp.edu.br

Resumo:
A Lei n. 11.645/2008 surgiu a partir da alteração da Lei n. 10.639/03 e representa um marco
importante na educação brasileira, sendo fruto da luta de movimentos sociais, em especial do
movimento negro. Esta lei determina a obrigatoriedade do estudo da história e cultura afro-brasileira e
indígena na educação básica, seja nas instituições públicas ou privadas. Nesse contexto, após dez anos
de sua sanção, é relevante analisar sua aplicabilidade em manuais didáticos disponíveis pelo
Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) para a escolha dos docentes da rede
pública. A presente comunicação, portanto, objetiva apresentar os dados obtidos por meio da análise
do segundo volume do livro didático Português contemporâneo: diálogo, reflexão e uso, de Cereja,
Vianna e Damien (2016), do Ensino Médio. Para tanto, as discussões são pautadas nos pressupostos
teóricos discutidos por Alves (2010), Dalcastagnè (2012), Duarte (2010; 2011), Godoy (2018), Silva
(2001) e Ribeiro (2017), dentre outros estudiosos da área. Como resultado, verifica-se que o manual
em análise avança na defesa de uma educação étnico-racial, em diálogo com a legislação vigente,
embora haja muito a ser ampliado e aperfeiçoado em relação ao tema analisado. Destaca-se que a
análise advém de uma pesquisa em desenvolvimento na Universidade Estadual do Norte do Paraná,
intitulada “A Leitura Literária no Ensino Médio: espaço para debate e reflexão sobre a Literatura
Afro-brasileira”, em nível de Iniciação Científica.

Palavras-chave: Manual didático; Lei n. 11.645/2008; Literatura Afro-brasileira.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 33


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA E A LEI 10.649/03 EM FOCO:


UMA PERSPECTIVA PARA O LETRAMENTO LITERÁRIO NA ESCOLA

Lucas Breda Magalhães - UENP-CCP/GP-CRELIT


lucasbredam@gmail.com
Lorena Salviano Alves - UENP-CCP/GP-CRELIT
lorenasalviano@outlook.com

Resumo:
A presente comunicação visa a apresentar projeto de leitura literária que vem sendo desenvolvido no
curso de Letras, da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), campus Cornélio Procópio,
no âmbito do Programa Residência Pedagógica. Intitulado “Residência Pedagógica: formação de
professores de Língua Portuguesa e Literatura para a Educação Básica”, o eixo voltado para o
letramento literário objetiva confirmar a força humanizadora da literatura para a formação dos
indivíduos e, por isso, a necessidade de sua escolarização. Para tanto, busca-se associá-lo à Lei
10.649/03, que tornou obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira no Ensino
Fundamental e Médio, em instituições públicas e privadas de todo o país. Nesse sentido, o projeto, a
partir da leitura de textos literários da cultura africana e afro-brasileira, oportuniza não apenas a
implementação da Lei 10.649/03 no ambiente escolar que, ainda hoje, parece estar longe de ser
efetivada, não raro se limitando ao Dia Nacional da Consciência Negra, mas também a promoção de
um espaço pedagógico voltado para a (re)educação das relações étnico-raciais. As discussões aqui
abordadas encontram força nos pressupostos teóricos ligados ao letramento literário, à educação
literária e à formação de leitores, sobretudo literários, por Candido (1972, 1995), Cosson (2007,
2014), Gomes (2010, 2012), Rouxel (2013), Jouve, (2013), Soares (2011), entre outros teóricos.

Palavras-chave: Educação Literária; Letramento Literário; Lei 10.649/03.

TRADUÇÃO E GÊNERO: ESPAÇOS DO PROCESSO TRADUTÓRIO


EM UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Lucas Mateus Giacometti de Freitas – UEL


lucasgiacometti@outlook.com
Vera Lúcia Lopes Cristóvão - UEL
Resumo:
Para que haja apropriação dos elementos de um determinado gênero pelos aprendizes, torna-se
necessária a realização de atividades que englobem exercícios variados, com o objetivo de suprir
possíveis lacunas a respeito das características do gênero. Pautando-se nessas premissas, a Sequência
Didática (DOLZ, NOVERRAZ & SCHNEUWLY, 2004) surge como um instrumento mediador deste
processo. As atividades dentro dos módulos da Sequência Didática focam, majoritariamente, em
exercícios de leitura e reescrita, dois momentos cruciais da atividade tradutória (CAMPOS, 1992),
considerada por alguns autores como a forma mais privilegiada de leitura crítica (SUBIRAT, 1945).
Devido a esta visão, esta pesquisa busca responder quais seriam os espaços da tradução dentro da
Sequência Didática. Para tal, uma Sequência Didática foi preparada que englobou o processo
tradutório de um determinado gênero, em todas suas especificidades, de forma planejada e sistemática
(LIBERATTI, 2012). Este trabalho é um recorte da atual dissertação do autor, ainda em andamento,
intitulada “Gênero, tradução e avaliação: o Portfólio Tradutório como instrumento de avaliação no
processo tradutório de gêneros”, que foca em reconhecer o Portfólio Tradutório como instrumento
avaliativo dentro da categoria de avaliação formativa (SCARAMUCCI, 2008; FURTOSO, 2008) para
avaliar o domínio das características do gênero trabalhado.

Palavras-chave: Avaliação; Tradução; Sequência Didática.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 34


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

PIBID-INGLÊS: MOTIVAÇÕES E EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO PROGRAMA POR


LICENCIANDOS DO CURSO DE LETRAS

Luciana Cabrini Simões Calvo – UEM


cabrinisimoes@gmail.com
Josimayre Novelli - UEM
josimayrenovelli@hotmail.com
Resumo:
Esta comunicação tem como foco o Programa Institucional de Iniciação à Docência (PIBID)–Inglês
de uma universidade pública paranaense e tem como objetivo apresentar as motivações dos
licenciandos para participar do programa e as experiências significativas vivenciadas neste contexto
para a aprendizagem docente. O trabalho faz parte do projeto de pesquisa institucional “Formação de
professores de línguas: aprendizagem e desenvolvimento da identidade docente”, o qual objetiva
“estudar e investigar a representação de oportunidades de aprendizagem docente e o desenvolvimento
da identidade profissional de acadêmicos do curso de Letras em atividades e/ou espaços
(extra)curriculares”. A análise será baseada nas respostas dos pibidianos a um questionário de cunho
dissertativo, aplicado nos anos de 2015, 2016 e 2017. Os resultados apontam experiências
significativas tanto no âmbito acadêmico quanto no da docência, vislumbrando uma articulação
teoria-prática. Espera-se dialogar com demais estudos no campo de formação docente que lançaram
seus olhares para esta política pública (MATEUS, EL KADRI, SILVA, 2013; EL KADRI, CALVO,
CHIMENTÃO, MULIK, 2018; MARTINS, ZAPPONE, 2018, dentre outros).
Palavras-chave: PIBID; Língua Inglesa; Motivações; Experiências.

ANTECIPANDO A COMPREENSÃO DO TRABALHO DO(A) PROFESSOR(A) DE


LÍNGUA INGLESA NA FORMAÇÃO INICIAL PELO PROCEDIMENTO DAS
INSTRUÇÕES AO SÓSIA

Natasha Tanabe Santini de Oliveira – UNESPAR


nati.santini@gmail.com
Maria Izabel Rodrigues Tognato - UNESPAR
belinhatog@yahoo.com.br
Resumo:
Tomando-se a necessidade de se entender antecipadamente o trabalho do(a) professor(a) de Língua
Inglesa e seus elementos constitutivos no contexto da Educação Básica da rede pública de ensino,
temos como objetivo apresentar os resultados de uma pesquisa de Iniciação Científica com vistas a
uma compreensão mais ampliada desse trabalho docente e do processo de ensino e de aprendizagem
de Língua Inglesa no contexto de formação inicial. Para tanto, pautamos nosso estudo nos aportes
relacionados à articulação entre os saberes necessários à formação docente (a ensinar e para ensinar)
(HOFSTETTER; SCHNEUWLY, 2009), nos aportes teórico-metodológicos do Interacionismo
Sociodiscursivo (ISD) (BRONCKART, 1997/2009). No que se refere aos procedimentos
metodológicos, quanto à coleta de dados, utilizamos estudos bibliográficos e um procedimento
oriundo da Psicologia do Trabalho, da Clínica da Atividade Francesa (CLOT, 2006), denominado
Instruções ao Sósia (ODDONE; RE, 2000) com uma professora de Língua Inglesa da Educação
Básica, solicitando-lhe uma descrição sobre o próprio agir docente. Para as análises, utilizamos os
procedimentos SOT (temas) e STT (subtemas) (BRONCKART, 2008; BULEA, 2010). Os resultados
apontam para a necessidade de se conhecer mais aprofundadamente o trabalho docente ainda no
período de formação inicial, uma vez que a tomada de consciência sobre os elementos constitutivos
desse agir podem contribuir para uma preparação mais efetiva do(a) professor(a) em
desenvolvimento.
Palavras-chave: Trabalho Docente; Língua Inglesa; Instruções ao Sósia.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 35


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA E A SUA


CAPACIDADE ARGUMENTATIVA E CRÍTICO-REFLEXIVA

Thais Martins do Nascimento – UNESPAR


thais.martins.nascimento1997@gmail.com
Maria Izabel Rodrigues Tognato - UNESPAR
belinhatog@yahoo.com.br
Resumo:
O contexto de formação inicial do professor de Língua Inglesa tem nos apontado a importância de
desenvolvermos as capacidades argumentativa e crítico-reflexiva acerca do processo de ensino e
aprendizagem no sentido de obtermos uma preparação mais efetiva enquanto professores de língua
estrangeira a fim de atuar no mundo e transformá-lo. Com isso, a partir desta pesquisa de Iniciação
Científica, temos o intuito de contribuir para uma discussão social sobre os professores de línguas em
formação desenvolverem não somente suas próprias capacidades argumentativa e crítico-reflexiva,
mas também de se preparem melhor para ensiná-las. Assim, para o desenvolvimento deste estudo,
tomamos por base os aportes teórico-metodológicos do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD)
(BRONCKART, 1999/2009), a reflexividade na formação docente (ZEICHNER, 1994, 2001;
ZEICHNER; LISTON, 1987; LIBERALI, 1999; TOGNATO, 2002; BRONCKART, 2009a; BOTA et
al, 2006) e os saberes necessários à formação docente (HOFSTETTER; SCHNEUWLY, 2009;
STUTZ, 2012). No que se refere aos procedimentos metodológicos, utilizamos os seguintes recursos:
estudos bibliográficos, análises de documentos como os Planos de Ensino das disciplinas referentes à
área de Língua Inglesa de um Curso de Letras, de uma universidade do interior do Estado do Paraná,
questionários para professor(a) formador(a) e professores em formação, bem como diários de
aprendizagem e de formação produzidos pela própria pesquisa em formação, autora deste trabalho. Os
resultados indicam que ainda há muito o que se fazer como práticas formativas em relação ao
desenvolvimento de capacidades argumentativa e crítico-reflexiva na formação inicial de professores
de línguas.

Palavras-chave: Formação inicial; Língua Inglesa; Capacidade Argumentativa e Crítico-reflexiva.

A LITERATURA DO GRAFITTI NAS AULAS DE ELE:


PROPOSTAS METODOLÓGICAS

Maria Luiza Siqueira dos Santos – UNESPAR


mluizasiqueira27@gmail.com
Caio Vítor Marques Miranda - UNESPAR

Resumo:
A literatura é a arte de humanizar através das palavras, a qual cria uma comunhão entre o leitor e o
autor. Neste sentido, surgem diversos questionamentos sobre quem pode fazer literatura e onde
podemos encontrá-la. Atualmente, os cânones literários não são o único tipo de literatura apresentado
na escola. A literatura marginal está presente no cotidiano das pessoas, porém não é conhecida pelos
alunos como literatura. O graffiti é um exemplo disso, totalmente marginalizada e carregada de
diversos preconceitos. Neste trabalho, conceituaremos literatura nos dias de hoje e a literatura
marginal, sobretudo o graffiti, se este está presente nos livros didáticos e, ao final da pesquisa,
propomos atividades que o incluam nas aulas de espanhol. Para dar conta desta tarefa, baseamo-nos
em teóricos renomados sobre o ensino da literatura, inclusive da literatura marginalizada, como López
(2008), Pinheiro (2006), Jiménez (1996), Castro e Contreras (2011).

Palavras-chave: Literatura Marginal; Literatura e Ensino; Graffiti.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 36


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

INGLÊS PARA FINS ESPECÍFICOS EM CURSOS DE ENGENHARIA:


UM ESTUDO DE CASO

Marilice Zavagli Marson - UEL


marilicemarson@gmail.com

Resumo:
Cursos de Inglês para Fins Específicos (em inglês English for Specific Purposes) se baseiam em
necessidades relacionadas à área de estudo dos alunos, conforme Jordan (1997). Assim, os aprendizes
se preparam para produzir e compreender textos pertencentes a gêneros, neste caso em inglês, que
possuem relevância na área em que estudam e pesquisam. Desse modo, mediante um estudo de caso,
esta apresentação objetiva expor a adequação de um material específico às necessidades de ex-alunos
de diferentes Engenharias da disciplina de Inglês Instrumental em uma universidade pública federal
do norte do Paraná. Essa adequação se realiza por meio de um mapeamento de perfil daqueles alunos,
com base em um questionário aplicado a eles, a fim de analisar e discutir, por suas respostas, como o
material já trabalhado melhor se encaixa no contexto deles, tendo em vista os gêneros
textuais/acadêmicos mais utilizados pelos alunos em sua formação profissional como futuros
engenheiros e suas reais necessidades apresentadas.

Palavras-chave: Inglês para Fins Específicos; Gêneros Textuais; Engenharia.

INTERNACIONALIZAÇÃO E LÍNGUA INGLESA: ANÁLISE DO GÊNERO ACADÊMICO


RESUMOTRABALHADO EM UM CURSO
DO PROGRAMA PARANÁ FALA INGLÊS

Milena Paula de Oliveira Alonso - UEM


milenapaula@hotmail.com

Resumo:
A internacionalização acadêmica tem sido foco de ações, políticas e investigações no âmbito nacional
e internacional (PINHEIRO; FINARDI, 2014; JORDÃO; MARTINEZ, 2015; ABREU-E-LIMA;
MORAES FILHO, 2016; GIMENEZ; PASSONI, 2016, de WIT, 2001; KNIGHT, 2011). Neste
contexto, o inglês se tornou a língua da internacionalização do ensino superior (JORDÃO, 2016) e
está presente nos trabalhos, na pesquisa, além de constituir peça fundamental para a mobilidade
acadêmica. Ele ainda é a língua mais ofertada em cursos de programas governamentais para o ensino
de línguas com vistas à internacionalização, como o Paraná Fala Idiomas/Inglês, no âmbito estadual.
Com base nestes pressupostos, esta comunicação tem como objetivo apresentar os desdobramentos da
análise de como o material utilizado no curso “Inglês para a vida acadêmica: escrita de resumos e
apresentação oral” do Paraná Fala Idiomas/Inglês aborda questões do gênero acadêmico Resumoou
abstract, considerando o conteúdo temático, estilo e estrutura composicional, conforme propostos por
Bakhtin. Para tanto, foi realizada uma análise detalhada (do material e dos exercícios nele propostos)
na tentativa de ilustrar tais questões pertinentes a este gênero e despertar reflexões. Os resultados, de
forma geral, demonstram um predomínio de exercícios/atividades que privilegiam propriedades
estilísticas, seguidos da estrutura composicional e, por último, do conteúdo temático, possivelmente
como reflexo do objetivo do curso, que visa o aprimoramento linguístico em LI através dos gêneros
trabalhados.

Palavras-chave: Internacionalização; Língua inglesa; Gêneros textuais Acadêmicos.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 37


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

TEXTO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA: UMA PROPOSTA DE LEITURA E ANÁLISE


LINGUÍSTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL

Neluana Leuz De Oliveira Ferragini/UNESPAR


Otávio Felipe Carneiro/UEL
nelu_oliveira@hotmail.com
otavio-carneiro@outlook.com

Resumo:
O ensino de Língua Portuguesa ainda se cataloga aos pressupostos da gramática normativa, pautando-
se em atividades meramente descritivas e normativas com “frases soltas” e descontextualizadas. Na
contramão dessa prática, documentos oficiais e teorias contemporâneas de ensino recomendam
utilização de textos-enunciados em sala de aula como objeto de ensino, dentre os pressupostos
norteadores destacamos: BNCC (2018), PCN (1998), Geraldi (1994, 2015), Antunes (2014), Perfeito
(2010), entre outros. Assim, assumimos esses textos, compreendidos neste trabalho como enunciados
concretos, como práticas reais da linguagem, os quais são instituídos pelo contexto extraverbal
(dimensão social) e o verbal (dimensão-verbo-visual), consoante os pressuposto do Círculo de
Bakhtin e seus interlocutores na atualidade. A partir dessa vertente teórica, nosso objetivo é
apresentar uma possibilidade de trabalho com o gênero Texto de Divulgação Científica (TDC), que
envolva as práticas de leitura e análise linguística. Como resultado, esperamos apontar uma
possibilidade para o trabalho com o gênero TDC mais significativo.

Palavras-chave: Gêneros do discurso; Texto de Divulgação Científica; Análise Linguística.

DE PROTÓTIPO DE ENSINO A PROTÓTIPO DE LEITURA: UMA SISTEMATIZAÇÃO


DO ENSINO DA LEITURA POR MEIO DA PROTOTIPAGEM

Osnir Branco – UENP


osnir_branco@hotmail.com
Eliana Merlin Deganutti de Barros - UENP
elianamerlin@uenp.edu.br

Resumo:
Este trabalho tem como objetivo apresentar um fragmento da dissertação de mestrado em ensino
intitulada “A formação de leitores: a crônica literária como mediadora do letramento de professores
em formação inicial”, que objetiva analisar capacidades leitoras mobilizadas por alunos do curso de
Letras, por meio de atividades de leitura relacionadas a crônica literária. No entanto, nessa
apresentação, somente, o primeiro resultado didático-metodologico obtido na pesquisa, um protótipo
de leitura criado a partir de estudos teóricos e com base em um modelo (protótipo de ensino) que visa
dar mais autonomia para profissionais das Letras no que concerne ao eixo leitura e também
sistematizar conteúdos importantes apreciados em estudos teóricos. O percurso da pesquisa se deu
com a realização de estudos sobre leitura Martins (2006), Solé (1998), Koch (2006) (2009), Kleiman
(2013), Menegassi (2005), e logo em seguida buscamos sistematizar o protótipo de leitura baseado na
concepção de protótipo de ensino de Rojo (2017), contribuindo, assim, com a autonomia de outros
professores com relação a leitura em sala de aula, possibilitando criar e recriar atividades para a
condução da leitura.

Palavras-chave: Leitura; Ensino; Protótipo de Leitura.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 38


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

TEXTO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA: UMA PROPOSTA DE LEITURA E ANÁLISE


LINGUÍSTICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL

Otávio Felipe Carneiro


nelu_oliveira@hotmail.com

Resumo:
O ensino de Língua Portuguesa ainda se cataloga aos pressupostos da gramática normativa, pautando-
se em atividades meramente descritivas e normativas com “frases soltas” e descontextualizadas. Na
contramão dessa prática, documentos oficiais e teorias contemporâneas de ensino recomendam
utilização de textos-enunciados em sala de aula como objeto de ensino, dentre os pressupostos
norteadores destacamos: BNCC (2018), PCN (1998), Geraldi (1994, 2015), Antunes (2014), Perfeito
(2010), entre outros. Assim, assumimos esses textos, compreendidos neste trabalho como enunciados
concretos, como práticas reais da linguagem, os quais são instituídos pelo contexto extraverbal
(dimensão social) e o verbal (dimensão-verbo-visual), consoante os pressuposto do Círculo de
Bakhtin e seus interlocutores na atualidade. A partir dessa vertente teórica, nosso objetivo é
apresentar uma possibilidade de trabalho com o gênero Texto de Divulgação Científica (TDC), que
envolva as práticas de leitura e análise linguística. Como resultado, esperamos apontar uma
possibilidade para o trabalho com o gênero TDC mais significativo.

Palavras-chave: Gêneros do discurso; Texto de Divulgação Científica; Análise Linguística.

CRENÇAS E ATITUDES LINGUÍSTICAS DOS FALANTES DO AMAZONAS

Patrícia Medeiros da Silva Galvão - UEL


patriciamedeiros.cristo@gmail.com

Resumo:
Este trabalho busca descrever e analisar as crenças e atitudes linguísticas dos falantes de cinco
munícipios do Amazonas, por meio das respostas dadas às questões metalinguísticas do questionário
do Projeto ALiB. Promover estudos nessa área é uma forma de verificar como as crenças e atitudes
linguísticas influenciam a variação e a mudança linguística. A análise será feita sob o ponto de vista da
sociolinguística e da psicologia social, com base nos componentes que integram as atitudes
linguísticas, conforme López Morales (1993) e Moreno Fernandez (2009). Foram analisadas as
atitudes linguísticas de 23 falantes do Estado do Amazonas. A pesquisa é de caráter pluridimensional–
pois considera a dimensão diageracional, contemplando duas faixas etárias; a dimensão diastrática, em
que a escolaridade (fundamental ou superior) serve como parâmetro definidor de classe social; e a
dimensão diassexual, contemplando sujeitos dos sexos feminino e masculino. A análise é de natureza
qualitativa – em que recortes das respostas dos informantes são apresentadas e interpretadas segundo
os conceitos teóricos que fundamentam este estudo. Os dados apontam os seguintes resultados: o fator
faixa etária e escolaridade corroboraram para a incerteza a respeito do nome oficial da língua que
falam; a grande maioria dos informantes apresenta dificuldade em perceber a variação entre os seus
conterrâneos; há estereótipos e preconceitos em relação aos sotaques de falantes de outros estados
brasileiros; os entrevistados demonstram não perceber a variação diacrônica.

Palavras-chave: Crenças e atitudes linguísticas; Amazonas; ALiB.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 39


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

LETRAMENTO DIGITAL: PRODUÇÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA


POR MEIO DO GÊNERO “REACT VIDEO”.

Rafael Alves de Castilho - UEL

Resumo:
Nos últimos anos, muito se discute sobre práticas de letramento digital no campo da educação e da
linguagem. No entanto, na atualidade, nos deparamos, muitas vezes, em sala de aula com um ensino e
aprendizagem apoiados em práticas de letramento tradicional. Desta forma, este trabalho trata-se de
uma sequência didática desenvolvida com estudantes brasileiros de um Centro de Estudos de Línguas
– CEL da cidade de Assis-SP com objetivo de trabalhar com tecnologia digitais. Com base no
referencial teórico sobre letramento digital e multiletramentos na educação (REZENDE, 2016;
PINHEIRO, 2018; NASCIMENTO e ANDRADE, 2018), este estudo tem como objetivos
desenvolver a produção oral da Língua Inglesa (LI) por meio do gênero digital “React Video” e
produzir vídeos deste mesmo gênero. Para que a produção do “React Video” e o desenvolvimento da
produção oral fosse realizada, primeiramente, foi apresentado um vídeo como modelo para análise e,
em seguida, coletado dados por meio de questionário a respeito das características do gênero
estudado. Em segundo momento, foi ensinado interjeições na LI, conjugação do verbo “to be” no
“Simple Present” e frase de estrutura básica “subject + to be + adjective”. Por fim, foi realizada a
produção do “React Videos” pelos alunos. Portanto, serão analisados o questionário e os vídeos
produzidos.

Palavras-chaves: Letramento Digital; React Video; Produção Oral; Língua Inglesa; Ensino-
aprendizagem.

O CORPO ARRUINADO ENQUANTO METÁFORA


DE UMA MASCULINIDADE DECADENTE

Raí Garcia Mihi Barbalho Viana - UEL


raiwrites@gmail.com

Resumo:
Se analisada de forma criteriosa e incisiva, a masculinidade, em sua concepção mais tradicionalmente
veiculada entre as massas, revela-se sustentada por meios externos – como as conquistas materiais, as
investidas sexuais e as performances de desempenho positivo – que se articulam de forma a validar e
valorar a própria hombridade. Não há espaço para fracassos. Neste contexto, o corpo, compreendido
aqui como objeto capaz de reproduzir, performar e veicular – sendo, muitas vezes, a extensão e a
materialização do próprio discurso masculino tradicional –, transforma-se, ao mesmo tempo, em
troféu, motivo de orgulho, e em vitrine de uma virilidade exercida em plenitude, da masculinidade
performada sem qualquer restrição ou parcimônia. Partindo de autores como Connell (2005),
Foucault (2014), Butler (2003), Courtine (2011), Badinter (1993) e Le Breton (2012), esta
comunicação objetiva analisar a construção e a desconstrução da masculinidade da personagem
principal de “Placebo”, conto de Rubem Fonseca presente na coletânea O Buraco na Parede (1995),
procurando estabelecer conexões entre a ruína corporal do protagonista, acometido por uma doença
misteriosa que ameaça sua integridade física e seu desempenho ideal, e o questionamento de sua
masculinidade e de sua condição enquanto homem.

Palavras-chave: Masculinidades; Rubem Fonseca; Corpo.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 40


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

RELAÇÕES DE GÊNERO NO CONTO “PRECIOSIDADE”, DE CLARICE LISPECTOR

Raylane Maciel Benjo - UEAP


macielraylane@gmail.com

Resumo
Este trabalho se insere no projeto de pesquisa UEAP/CNPq “Estudos Críticos da Literatura
Brasileira” e tem como objetivo identificar aspectos de relações de gênero no conto “preciosidade” de
Clarice Lispector presente na obra “laços de família” (1998). Para tanto, fudamenta-se,
principalmente nos trabalhos de Scott (1995) e Helena ( 1997) além de se embasar em Nunes (1989),
e Furtado (2009). O presente estudo possui caráter teórico, bibliográfico, e os autores que orientam a
metodologia são: Lakatos (2003) e Severino (2000). O método aplicado é a análise literária. O
procedimento metodológico para a realização deste trabalho segue três etapas: a primeira atende-se à
leitura da base teórica, a segunda consiste na análise do conto escolhido, a terceira etapa compreende
a organização dos dados para construção de um artigo científico. Concluiu-se que, no conto, as
relações de gênero podem ser identificadas na personagem principal: uma jovem de 15 anos que vive
transformações entre a adolescência e a juventude, os desdobramentos desses aspectos ocorrem no
itinerário realizado pela jovem entre a casa e a escola, na maneira como a própria adolescente se
enxerga diante do mundo, bem como o próprio convívio familiar revela as demandas exigidas pela
sociedade e direcionadas à figura feminina, vê-se, portanto, que os aspectos sociais, isto é, as relações
de gênero, são entendidas como elementos internos à obra, guiando internamente a narrativa do texto.

Palavras-chave: Crítica Literária; Relações de Gênero; Conto.

A REPRESENTAÇÃO DA MATERNIDADE NO LIVRO O PESO DO PÁSSARO MORTO, DE


ALINE BEI

Renata Kelen da Rocha- UEM


renatarocha852@gmail.com

Resumo:
O livro O peso do pássaro morto, de Aline Bei, publicado em 2017, recebeu o título de melhor livro
do ano no “Prêmio São Paulo de Literatura 2018”, promovido pelo Governo do Estado de São Paulo.
Por meio de uma narradora autodiegética, a produção mescla dores, vazios e perdas que perpassam as
relações de gênero representadas pelas mulheres na literatura. Com base nessa narrativa, busca-se
evidenciar os elementos que contribuem para a construção da sujeita protagonista, além de descrever
a relevância da maternidade como um fator constitutivo para a sua representação ficcional. Para tanto,
movimenta-se conceitos como sujeito autorreferente, sujeito de crítica política e sujeito descentrado,
empreendidos por Brah e Phoenix (2004), e termos como sexualidade e cuidado de si, à luz de
Foucault (1985; 1988). Com isso, espera-se não só contribuir para o estudo de narrativas de autoria
feminina, contemporâneas e brasileiras, mas também compreender as possíveis transgressões da
condição feminina no discurso literário.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 41


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

LEITURA DRAMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR:


UMA EXPERIÊNCIA DIDÁTICA, LITERÁRIA E CÊNICA

Sonia Pascolati – UEL


sopasco@hotmail.com
Rosemari Bendlin Calzavara - UEL
rosecalzavara@hotmail.com
Resumo:
No âmbito de projetos de pesquisa acerca das especificidades da dramaturgia moderna e
contemporânea (“Estudos de dramaturgia moderna e contemporânea” e “Dramaturgia contemporânea
e suas experimentações”), realizamos um exercício de leitura dramática do texto Homens de papel
(1967), de Plínio Marcos, reunindo graduandos dos cursos de Letras e Artes Cênicas da UEL. A
junção dos saberes específicos e complementares de ambas as áreas resultou num rico espaço de
troca, especialmente porque a leitura dramática levou em consideração a dupla face do fenômeno
teatral – a saber, a união entre texto e cena –, norteadora tanto do estudo do texto dramático quanto de
sua atualização cênica em forma de leitura dramática, isto é, sem todos os elementos da encenação
(maquiagem, figurino, iluminação, etc.) e com o texto em mão. Embora o objetivo inicial fosse
apenas focar a construção de personagens e suas motivações e a entonação e expressão facial típicas
do diálogo dramático, acabamos avançando na exploração de signos teatrais relativos a linha de força
do texto – as relações de poder e exploração entre as personagens –, inserindo, por exemplo, uma
escada como elemento de cenário para representar o poder exercido por uma das personagens, e um
signo sonoro provocado por latas e baldes de papelão para indicar os momentos de tensão da ação
dramática. Esta comunicação relata o processo e os resultados atingidos pela experiência prática e
didática com leitura dramática no Ensino Superior.

Palavras-chave: Leitura Dramática; Pesquisa e Ensino.

A MODELIZAÇÃO TEÓRICA DOS GÊNEROS “CARTA DE RECLAMAÇÃO” E “CARTA


ABERTA”

Samandra de Andrade Corrêa - UENP Campus Cornélio Procópio


samandra.andrade@hotmail.com
Eliana Merlin Deganutti de Barros - UENP Campus Cornélio Procópio
edeganutti@hotmail.com
Resumo:
Este trabalho é fruto de uma pesquisa desenvolvida no Mestrado Profissional em Ensino (PPGEN) da
UENP, que se encontra em fase inicial. O objetivo dessa pesquisa é validar o projeto de letramento
(KLEIMAN, 2000) elaborado para ser desenvolvido em contexto do ensino da língua portuguesa, na
Educação Básica, tendo como base tanto as ações e resultados relativos à transposição didática
externa como interna, a partir do tripé ensino/aprendizagem/objetos e instrumentos do conhecimento.
O intuito é compreender se o projeto cumpriu seu objetivo, a saber, propiciar o engajamento dos
alunos em problemas sociais da comunidade, por meio da prática da escrita do gênero “carta de
reclamação”. Para o projeto de escrita, a pesquisa busca aportes do Interacionismo Sociodiscursivo
(ISD), em sua vertente didática, a partir da adoção da metodologia das sequências didáticas de
gêneros, o que inclui, na etapa da transposição didática externa, um processo de modelização do
objeto de ensino. Sendo assim, o objetivo dessa comunicação é apresentar resultados do processo de
modelização teórica (BARROS, 2012) preliminar da carta de reclamação, o qual inclui um
cotejamento com outro gênero: a carta aberta. A finalidade é diferenciar esses tipos de cartas que
propiciam o engajamento social por meio da prática da escrita. A fundamentação teórica que norteia a
análise são os estudos advindos do ISD, no que se refere às suas categorias de análise textual e ao
conceito de capacidades de linguagem (BRONCKART, 2009).

Palavras-chave: Modelo Teórico do Gênero; Carta de Reclamação; Carta Aberta.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 42


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

A PRÁTICA DE LEITURA E DE ESCRITA: DA SOCIEDADE À SALA DE AULA, E DA


SALA DE AULA À SOCIEDADE

Osnir Branco – UENP


osnir_branco@hotmail.com
Samandra de Andrade Corrêa – UENP
samandra.andrade@hotmail.com

Resumo:
Cientes das problemáticas apontadas para o ensino no que concerne à leitura e à escrita em sala de
aula, das dificuldades na formação do professorado, das múltiplas possibilidades de abordagem de
textos tanto para recepção quanto para a produção de textos, pretendemos com este trabalho
possibilitar a reflexão em torno do processo de escolarização das práticas de leitura e escrita. Para
essa finalidade, partimos de estudos da área, como Sollé (1998), Martins (2006) e Menegassi (2005)
no eixo leitura, e Dolz(2009),Barros (2012), Antunes (2016); para o eixo escrita, com reflexões
pautadas por Nóvoa (1992) e Pimenta (1999) sobre a formação e profissão docente e identidades e
saberes eminentes do exercício. O método utilizado na pesquisa trata-se de um procedimento
bibliográfico, pois por meio de informações de pesquisas já realizadas nas respectivas áreas é que
traçamos um percurso reflexivo sobre práticas sociais e escolares de leitura e escrita. Com isso,
pretendemos deixar como contribuição, principalmente para a formação de professores, um melhor
entendimento sobre os processos de transposição de textos de um contexto para o outro, mas também
para professores já formados a oportunidade de refletir sobre sua prática e adquirir mais autonomia
sobre ela.

Palavras-chave: Leitura; Escrita; Ensino.

DO CARANGO AO POSSANTE: UMA PROPOSTA DIDÁTICA


COM BASE NOS PROCESSOS REFERENCIAIS

Gabriella Cândido Moreira - UNESPAR Campus de Campo Mourão


gabriella.candido@hotmail.com
Samara Aparecida Bomfim - UNESPAR Campus de Campo Mourão
samarabomfim@hotmail.com

Resumo:
O ensino de Língua Portuguesa, pelo prisma da Linguística Textual, compreende o texto por suas
várias faces de sentidos, abarcando seus aspectos linguísticos, extralinguísticos, cognitivos, sociais,
históricos e culturais. À vista disso, objetivamos, por meio deste trabalho, promover reflexões sobre
os efeitos de sentido de cadeias referenciais, a partir de uma proposta didática constituída para o
gênero notícia policial, publicada pelo site Diarinho, jornal virtual catarinense. Para tanto, partiremos
das postulações acerca dos fenômenos da Referenciação e da Argumentação dispostas por Koch
(2005 e 2015), Mondada e Dubois (1995 e 2003), Cavalcante (2011 e 2014), Bentes (2006), Fiorin
(2015), Palumbo (2007), tendo como princípio fundamental a compreensão de que o ensino dos
mecanismos de coesão referencial não pode se limitar à classificação, uma vez que, um ensino da
língua, que se proponha a provocar um processo de reflexão sobre o texto, precisa focalizar as
escolhas lexicais e os demais processos de referenciação em suas relações com os efeitos de sentidos
argumentativos. Assim, investigaremos de que modo os mecanismos de referenciação colaboram para
a construção da argumentação no texto, bem como, poderemos colaborar com o ensino de
referenciação e argumentação nas escolas brasileiras.

Palavras-chave: Referenciação; Argumentação; Proposta Didática.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 43


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

O CONTÍNUO DA EXPERIÊNCIA: MEMÓRIA E IDENTIDADE EM OUTROS CANTOS,


DE MARIA VALÉRIA REZENDE

Tacel Ramberto Coutinho Leal - UEL


lealtaz@hotmail.com

Resumo:
Em seu romance Outros Cantos (2016), a escritora Maria Valéria Rezende cria uma narrativa onde
experiência e tempo se mesclam em sucessivas ondas. Passado e presente parecem não ter fronteiras
distintas. Nesta configuração, a identidade da personagem se mostra como um processo em constante
recriação. Vozes, pessoas e acontecimentos se sobrepõem como num palimpsesto de experiencia
humana no qual o texto original não foi apagado e onde a hierarquia e a própria noção de tempo
parecem se anular. O passado constantemente recria o futuro e vice-versa. O presente trabalho lança
um olhar sobre esta configuração de tempo e narrativa para discutir o trabalho de criação da
personagem, bem como de narrativa ficcional que, também, flerta constantemente com a experiencia
pessoal vivida de fato pela escritora. Como aporte teórico, o trabalho busca as contribuições da teoria
da narrativa e suas categorias, em especial o tempo e a personagem na ficção. Por fim, o estudo aqui
apresentado também discute o romance como a narrativa de um Brasil ao mesmo tempo esquecido e
contemporâneo que, mediado pelo olhar feminino, tem no sertão brasileiro a fonte de mito e fundação
de um país que parece não ter encontrado sua identidade na pós-modernidade.

Palavras-chave: Narrativa; Personagem; Sertão

O MÉTODO RECEPCIONAL NO ENSINO DE LITERATURA DE AUTORIA FEMININA


NO ENSINO FUNDAMENTAL II

Tamires Vieira Pinheiro de Castro - UEL


ta.mires.castro@hotmail.com

Resumo:
Esta contribuição tem como objetivo expor uma proposta de intervenção pedagógica, que visa à
formação do leitor estético e de sua memória de leitura. (FERREIRA, 2009). Para tanto, utilizou-se o
Método Recepcional, de Bordini e Aguiar (1993) na recepção do romance Sapato de salto, de Lygia
Bojunga Nunes (2006), com alunos do 9ºano do Ensino Fundamental II. A seguir, apresenta-se um
plano de trabalho, com enfoque na Literatura Brasileira juvenil de autoria feminina. Para a
implementação da sequência didática, os pressupostos teórico da Estética da Recepção (JAUSS,
1994; ISER, 1996 e 1999), que embasam o Método Recepcional, foram utilizados. A presente
proposição de trabalho voltada para a formação do jovem leitor pretende, ainda, contribuir para
reflexões sobre a própria prática, bem como ampliar o debate entre mediadores de leitura. A
importância de abordar obras literárias de escrita feminina é indispensável para a formação do
estudante visto que a prática nas aulas é praticamente insignificante, em relação à participação
masculina no cânone literário. Além disso, o presente trabalho também pretende auxiliar professores a
repensar e buscar melhorias em suas atividades pedagógicas.

Palavras-chave: Literatura; Ensino Fundamental; Leitura.

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 44


CADERNO DE RESUMOS: COMUNICAÇÕES INDIVIDUAIS

DEGRADAÇÃO DOS SEMELHANTES NA LITERATURA HOMOERÓTICA DE CAIO


FERNANDO ABREU

Tiago Benante Borges - UEL


tibborges@hotmail.com

Resumo:
O modelo pertencente ao ideal da masculinidade corresponde a uma perspectiva das dinâmicas sociais
incumbentes ao papel hegemônico masculino. Sendo este pertencente a uma expectativa não somente
heterossexual, como heteronormativa. Ainda que as demandas recentes apresentadas ao “novo
homem” estejam propondo uma alavancada nas identidades sexuais e manifestações acadêmico-
científicas, a violência evidenciada socialmente, em especial aos grupos minoritários, é latente. A
presente comunicação busca analisar a intersecção entre a masculinidade que envolve as personagens
centrais do conto “Terça Feira Gorda”, de Caio Fernando Abreu, inserido na obra “Morangos
Mofados” (1982) e a violência acometida contra o público gay, que abarca também o que Bourdieu
(1998) classifica como violência simbólica resultante da dominação masculina vigente e invisível às
próprias vítimas. Partindo do pressuposto da homofobia ser um reflexo de uma masculinidade tóxica
e compulsória, o trabalho se pauta também no conceito de homem de verdade, cunhado por Nolasco
(1995), e no vínculo entre sexualidade e o poder que ela exprime, estudada por Seidler (2012).

Palavras-chave: Masculinidade; Violência; Homossexualidade.

*******

XI SELISIGNO E XII SIMPÓSIO DE LEITURA DA UEL 2019 45