Você está na página 1de 16

PUB Quarta-feira • 25 de março de 2020 • •1

1055
25 março 2020
Ano 19
quarta-feira
 0.75 iva incluído
Diretor: Luís Baptista-Martins
semanário

Covid-19
Quatro infetados
no distrito da Câmara de Almeida vai
pedir declaração de
Guarda
Dois doentes internados no Hos-
pital Sousa Martins são residentes
no concelho de Aguiar da Beira,
outro é uma emigrante natural da

estado de calamidade
Parada (Almeida) e o quarto vive
na Guarda, mas já está a recuperar
em casa _____________________ 16

Município quer controlos sanitários na fronteira de Vilar Formoso para evitar casos como o
da emigrante da Parada que veio a Portugal para participar num batizado e testou positivo ao
Covid-19, obrigando ao confinamento de cerca de 150 pessoas Pág.5
Pandemia
Quem vier para a

Trabalhar com receio


região terá de ficar
em isolamento
durante 14 dias
Municípios do distrito da Guarda
estão a apelar aos seus emigran-

de ficar infetado
tes e residentes noutras zonas
do país para que não regressem
às suas terras de origem ou para
cumprir o isolamento voluntário
se o fizerem ____________________ 6

A pandemia e a consequente declaração de estado de emergência em Portugal obrigaram


a generalidade da população a ficar confinada ao domicílio ou a trabalhar a partir dele. Mas
para que isso seja possível há bens que não podem faltar, sendo muitos os trabalhadores
para quem o isolamento não é uma opção individual Pág.4
Guarda
Ativado plano Reuters

de emergência
distrital
Medida vigora até 3 de abril e desti-
na-se a «aumentar a capacidade de
coordenação, controlo e articulação
interinstitucional» devido ao surto
do coronavírus_________________ 16

Economia
Câmaras da Guarda
e Manteigas
antecipam
pagamentos a
fornecedores
Enquanto a maioria dos mu-
nicípios adotou reduções nas
faturas da água e saneamento, as
autarquias da sede do distrito e
do “coração” da Serra da Estrela
decidiram apoiar também a eco-
nomia local numa altura em que as
empresas se debatem com a falta
de liquidez ___________________ 7

PUB

Ajuda

Guardense participa em projeto de


consultadoria gratuita às PME’s
João Pissarra é um dos dois portugueses envolvidos numa rede de aconselhamento
administrativo gratuito que ajuda os pequenos e médios empresários a ultrapassar a
crise provocada pela Covid-19________________________________________________________ 8
2• • Quarta-feira • 25 de março de 2020

Cara
Entrevista
no  fio  da  navalha

a P e r f i l
cara

«O medo
Paulo Sequeira
António Machado Comandante dos Bombeiros Voluntários
Guarda
O presidente da Câmara de Almeida vai

existe, mas
pedir declaração de estado de calamidade e Idade: 48 anos
apela ao maior controlo na fronteira, em espe-
cial considerando que na semana da Páscoa Naturalidade: Vila Franca de Xira
há maior fluxo de pessoas a passar por Vilar
Formoso. O autarca considera que deve haver Currículo: Membro do Corpo de Bombeiros

também existe
mais cuidados profiláticos a quem entra no país. desde 2003; comandante dos Bombeiros
O mesmo apelo, de bom senso e cuidado, tem Voluntários da Guarda desde 2012
feito junto dos cidadãos do concelho. Especial-
mente depois do primeiro caso confirmado,
domingo. Foi uma viagem pessoal, mas op-
uma mulher da Parada, em que a Câmara de

todo este
támos por mantê-los em casa para garantir
Almeida de forma célere identificou as pessoas
que não haveria contaminação no corpo de
que estiveram contacto com a mulher infetada e
bombeiros. Felizmente não apresentaram
decretou que 90 teriam de ficar em quarentena.
qualquer sinal de Covid-19 durante este
tempo de quarentena e vão regressar ao

espírito de
trabalho. Naquela situação do transporte
de casos suspeitos que referi fizemos
alguma contenção em termos de contacto
social com os elementos envolvidos, mas
felizmente não houve nada a registar.

Poder Local
As autarquias estão na primeira linha do
apoio ao cidadão e às empresas da região.
Enquanto as medidas anunciadas pelo governo
missão»
P-Face à atual situação de estado de
R - Como é encarada esta situação
de pandemia pelos bombeiros, a nível
psicológico? Têm medo de exercer a
profissão?
não chegam, Seia isentou as empresas e a po- emergência, quais as medidas tomadas P - Isto é muito simples: os bombei-
pulação do pagamento de água e saneamento pelo corpo de bombeiros da Guarda? ros são seres humanos e por isso têm o
básico, Mêda suspendeu a contagem da água, R- O corpo de bombeiros da Guarda mesmo tipo de sentimentos que todas as
Manteigas e Gouveia reduziram em 50 por ativou um plano de contingência interno outras pessoas. Existe receio, existe medo,
cento a fatura da água e saneamento básico. no dia 2 de março, que tem vindo a ser porque isto é realmente uma situação
Manteigas e Guarda antecipam o pagamento atualizado e alterado de acordo com a grave, e os bombeiros também o têm. No
a fornecedores contribuindo para um menor evolução desta situação de pandemia. entanto acabam por estar presentes e con-
impacto das dificuldades económicas que se Mantemos os nossos piquetes voluntários, tinuar a fazer os seus piquetes da mesma
adivinham. Celorico da Beira, Figueira de Castelo o pessoal de serviço de emergência, com forma. Têm-se entregado com
Rodrigo, Covilhã e Guarda, nomeadamente, um conjunto de cuidados associados a esta coragem e abnegação,
fizeram higienização de ruas e espaços públi- situação da Covid-19. Temos tam-
cos, um trabalho de salubridade essencial no bém equipamentos de pro-
combate ao Covid-19. teção individual em todos
os veículos de intervenção
em ambiente pré-hospita-
lar. Na nossa instituição
os funcionários profis-
sionais da área admi-
nistrativa, que temos
de segunda a sexta,
AJTG ficaram em regime
de teletrabalho, com
A Asssociação de Jogos Tradicionais da exceção dos funcio-
Guarda tomou a iniciativa de sugerir à população nários de interven-
o retorno à infância. A ideia é voltar a praticar ção pré-hospitalar,
jogos tradicionais em casa, nesta altura em de incêndios e
que grande parte da população se encontra demais situações
confinada ao domicílio. A ideia lançada nas de emergência.
redes sociais, permite não só o reavivar das Neste contexto
tradições como é uma boa forma de ocupar o de prevenção
muito tempo livre de quem está em quarentena. do novo corona-
vírus ativamos
também um con- P - Em relação a isso, possuem neste como é característico dos bombeiros. E não
dicionamento de acesso ao quartel – que momento todos os materiais de prote- nos podemos esquecer que os bombeiros
fica reservado a bombeiros e diretores ção necessários? Ou existe algum tipo fazem 80 e muitos por cento do que é a
– para que os nossos elementos afetos de carência? emergência hospitalar em Portugal, por-
ao socorro possam ficar o mais “isentos” R - Nesta fase é difícil alguém ter o tanto facilmente podemos depara-nos com
possível de visitas de outras pessoas que suficiente, pois, como vemos, até os hos- uma situação que não é identificada para
possam eventualmente trazer a contami- pitais, infelizmente, se queixam. Na nossa Covid-19 e de facto ser. E, portanto, esse é o
nação até nós para que depois possamos associação e corpo de bombeiros temos grande receio. Porque se as situações forem
responder às situações de emergência. A sempre em permanência alguns kits deste identificadas previamente e os bombeiros
nossa preocupação é que um de nós possa género porque servem também para ou- forem chamados, iremos com outra prepara-
ficar contaminado e coloque em causa a tras situações – como intoxicações graves ção para elas. Nas situações em que formos
capacidade de resposta do corpo de bom- ou doenças infeciosas que possamos apa- chamados e não forem identificadas como
beiros. Também limitámos o transporte nhar em ambiente pré-hospitalar. Como já suspeita [de coronavírus], aí é que nós cor-
de doentes não urgentes, isto é, a ida a tínhamos esse equipamento, o que fizemos remos o maior risco de contágio. Portanto
Câmara da Covilhã consultas ou exames complementares de
diagnóstico, para os quais transportamos
foi reforçar bastante o stock logo de início
e por isso temos neste momento algum
o receio existe, o medo existe mas também
existe, por outro lado, todo este espírito de
No rol das medidas adotadas pelas autar- habitualmente pessoas entre Guarda e equipamento para fazer face a alguma si- missão e abnegação habitual dos bombeiros,
quias da região para apoiar famílias e empresas, Coimbra ou entre a Guarda e Viseu que, tuação que possa surgir. Estamos sempre que estarão presentes com toda a certeza,
a mais comedida foi a Câmara da Covilhã. Os não sendo sinalizadas pelas entidades de atentos ao mercado e temos um conjunto como tem acontecido nos últimos dias
apoios ficaram muito aquém do expectável e do saúde, não fazemos neste momento. de fornecedores que estão pré-avisados
necessário para ajudar num contexto de crise. O que queremos mais, pois precisamos de P - Houve um aumento de solicita-
executivo liderado por Vítor Pereira dá migalhas P- Já houve algum caso de Covid-19 adquirir mais. ções ultimamente?
numa altura em que são precisos sinais fortes entre os transportes que realizaram R - Não, pelo contrário. Felizmente até
de comprometimento com a economia local e recentemente? P - Já houve alguma baixa na equipa? há uma diminuição. Porquê? Porque as pes-
os munícipes. R - Já tivemos transportes de casos Alguém forçado a ficar em isolamento? soas não querem ir ao hospital. As pessoas
suspeitos de Covid-19 – que não se confir- R - Não propriamente. Tivemos dois passaram a aguentar-se um pouco mais em
maram –em que o pessoal teve de recorrer casos de bombeiros que ficaram em isola- casa, em vez de ir ao hospital como iriam
aos instrumentos de proteção individual mento durante 14 dias por terem estado noutras alturas. Agora estão a recatar-se
para que não houvesse qualquer problema. em Espanha, prazo que aliás, terminou no mais por uma questão de segurança.
Quarta-feira • 25 de março de 2020 • •3

editorial Luís Baptista-Martins


baptista-martins@ointerior.pt

Calamidade
Tempos estranhos e difíceis os que vivemos. Mas também tempos
de celebrar. Celebrar a solidariedade, o esforço de todos, o valor e co-
ragem dos que por estes dias continuam a trabalhar nos hospitais, nos
supermercados, nas farmácias, nos correios, nas bombas de gasolina,
nos transportes, nos bombeiros, nos serviços de segurança, nos serviços
mínimos, na comunicação social…

Esta deveria ser a edição do 20º Aniversário de O INTERIOR.


Duas décadas de afirmação e dedicação à região, de trabalho por
uma comunidade mais esclarecida, mais rica culturalmente, mais inter-
ventiva civicamente. O jornal O INTERIOR nasceu em 2000 para “dar
vida ao interior”.
O contexto de pandemia e dúvidas em que vivemos, entre o medo e
a incerteza, levam o país a um estado de calamidade em que tudo fica em
suspenso. Optimistamente em suspenso. Assim, suspendemos a edição


do 20º Aniversário (mas, porque isso já estava decidido, regressamos
esta semana ao formato tabloide e passamos a estar nas bancas um dia
mais cedo). Porque acreditamos que “tudo vai correr bem”, em maio
voltaremos ao assunto para
brindarmos os nossos leitores
com renovada esperança no
futuro, recuperando alguns dos
momentos relevantes da nossa
memória, do nosso património
de afetos e da nossa história.
Vivemos
Entretanto, e como muito
momentos bem recordou o diretor do
complexos e de diário “Público”, enquanto vi-
vemos momentos complexos e
extraordinárias de extraordinárias dificuldades,
temos de apelar ao sentido
dificuldades, cívico de todos. Com muitos
temos de apelar quiosques e postos de venda
encerrados (e os que continuam
ao sentido cívico estoicamente abertos para que
opinião
Fidélia Pissarra A minha amiga imaginária de todos
as pessoas possam continuar
a comprar informação e lazer,
Encontro dois brinquedos nas minhas recor- que os outros, que não são jornais, não passam de também são heróis por estes
dações mais remotas: o Preto, um boneco com sítios de credibilidade tão duvidosa como os olhos dias), quase sem receitas publicitárias e sem outros apoios, a imprensa
os olhos pintados de verde, e o Jorge, um boneco da boneca que eu abanava só para que concordasse conta apenas com os seus leitores. Consigo.
impossível de tirar do seu banho de espuma de bor- com o que eu achava. Quando muito, poderão dar Por isso, também nós n’O INTERIOR, que hoje devíamos estar a
racha. Nenhum tinha cabelo ou roupa de verdade e novidades, que não servem para nada mais do que celebrar 20 anos, estamos a celebrar a nossa determinação e entrega
ainda tive de esperar até ter direito à minha “Bella” distrair e entreter, fazendo da coscuvilhice o seu ao serviço público, para continuarmos a informá-lo. «Um jornal e o
com cabelo, vestido, casaco, carteira e brincos. modo de vida. O que nos pode levar a concluir que jornalismo só o são plenamente se orientado pelo espírito de serviço
Era tão bonitinha e direitinha que a escolhi para não há notícias falsas, apenas origens falsas, ou público (…) a defesa da democracia, do estado de direito, da liberdade
melhor amiga. Enquanto falava com ela, incons- falsificadas, das mesmas e que só a necessidade
de expressão ou da tolerância à necessidade de escrutinar os poderes
cientemente, ia-a abanando para que os seus olhos de legitimar as nossas conceções alternativas as
para evitar abusos e defender os cidadãos». Deixamos-lhe um apelo,
fossem pestanejando os desejados assentimentos. alimenta. Com o nosso mundo cada vez mais con-
faça-se assinante de O INTERIOR, compre jornais. Receba em casa toda
Afinal de contas, esta era a única forma de a fazer finado a um ecrã, ainda que sem limites, impõe-se
comunicar comigo. Hoje, penso que, de alguma a razoabilidade na sua utilização. Competência que a informação, todas as notícias da região (os assinantes que não tenham
maneira, toda a nossa história acaba por se resumir só a escola, a quem cabe a tarefa de educar, e os renovado ainda a sua assinatura irão continuar a receber o jornal nas
à permanente busca de olhares mecânicos que nos meios de comunicação tradicionais, a quem cabe próximas semanas podendo pagar a assinatura após o fim do estado
apoiem sem ressalvas de razoabilidade. Não fora a função de informar, conseguirão que se alcance. de emergência atual). Seja parte do processo de resistência e resiliên-
assim, seríamos imunes ao algoritmo das redes Sendo mais ou menos consensual que, para o bem cia em que vivemos. Contribua para uma sociedade mais informada e
sociais que tão eficientemente nos adivinha as ne- e menos bem, depois desta pandemia nada voltará plural. Viva connosco o renascer. Ler jornais é saber mais, e representa
cessidades de aquiescência e nos arranja sempre a ser como dantes, talvez seja oportuno lembrar o muito mais do que o acesso a notícias ou opinião, representa o seu
quem concorde com a mais irracional das nossas “não há mal que bem não traga” dos nossos vizinhos compromisso com o jornalismo independente e plural que nos distingue,
convicções. Alimentando esta nossa predisposição espanhóis e fazer da literacia digital o “bem” que e é determinante nestes momentos em prol de uma sociedade livre e
para confundirmos sítios de entretenimento com deste mal temos de saber extrair. O “bem” capaz de democrática (entretanto continuamos a disponibilizar gratuitamente
os de notícias e aceitarmos como válido o que não acabar com a “terra plana” dos que não acreditam toda informação e todos os conteúdos em ointerior.pt, o maior site de
tem qualquer valor. nas evidências, de acabar com os “estudos” que notícias da Beira Interior).
Numa altura em que o dente que já dói fica por negam os benefícios das vacinas, de acabar com as
tratar, o relógio jaz sem pilha, o roupeiro se desatu- “rezas” como cura de todas as doenças e calamida- A assinatura anual de O INTERIOR custa 30 euros; 2,50 euros por
aliza e a amizade esfria com o café que não se pode des. Até porque a terra é mesmo esférica, as vacinas mês; 62,5 cêntimos por semana. Ou 70 cêntimos por jornal em banca.
ir tomar com os amigos, a importância dos media são a única maneira de evitar certas doenças e rezar Ser assinante ou comprar um jornal é comprar um bem cultural, e é
tradicionais emerge ainda com mais premência. Em nunca curou ninguém. Realidades incontestáveis
também ser parte ativa na sociedade, é viver a liberdade e ter cultura, é
qualquer dos seus formatos, os jornais são os únicos que escola e jornais, ainda que digitalmente, têm
partilhar conhecimento e confiar no futuro.
que dão notícias. Não podemos por isso esquecer de saber continuar a ensinar e difundir.

PUB
4• • Quarta-feira • 25 de março de 2020

«Vai correr tudo bem» DR

Os bombeiros têm-se «entregado à sua missão com coragem e determinação», salienta o comandante Paulo Sequeira

A pandemia e a luvas, outros ainda tentam ter de Castelo Branco e Guarda. José
consequente declaração
de estado de emergência
em Portugal obrigaram
cuidado ao marcar o código do
cartão multibanco... Mas continua
a haver pessoas que não têm cui-
Horta, o proprietário, afirma que até
ao momento tudo se tem mantido
dentro da normalidade, mas admite
«É preciso protegermo-nos
a generalidade da
população a ficar
dado nenhum, que vão lá por um
pacote de bolachas. As pessoas
que este «é um processo que, se
continuar assim, vai inverter-se». a nós e a todos à nossa
confinada ao domicílio não sabem viver com pouco, não «As fábricas vão ter dificuldade em
ou a trabalhar a partir
dele. Mas para que isso
conseguem viver sem os luxos ha-
bituais», acrescenta o trabalhador,
laborar, pois cada vez estão a surgir
mais pessoas infetadas, logo vão ter volta»
seja possível há bens que que lamenta a falta de contenção por dificuldade em produzir e irão ter
Apesar de recomendado, lidado de forma direta com um
não podem faltar, sendo parte de muitos cidadãos. também dificuldade em satisfazer as
o isolamento não é, no entan- caso positivo de Covid-19 – a
muitos os trabalhadores Umbelina Mateus é proprietária necessidades da população», receia.
to, uma opção para quem o Urgência Pediátrica só pode
para quem o isolamento da “Taberna do Bacalhau Frito” e Na empresa que dirige trabalham
trabalho é socorrer os outros. validar casos desde a passada
não é uma opção da “Padaria Reboleirense” ambos 12 pessoas, que, de acordo com José
Em entrevista a O INTERIOR sexta-feira –, a enfermeira con-
individual. em Trancoso. Enquanto o primeiro Horta, não têm o seu posto de traba-
(ver página 2) Paulo Sequeira, firma que a pandemia «mudou
está fechado, a padaria continua a lho em risco mesmo que a situação
funcionar, mantendo o fabrico (na económica se agrave em Portugal. comandante dos Bombeiros tudo na minha vida», a nível
Portugal está em estado de freguesia do Reboleiro) e o atendi- «Eu sei que tenho um problema Voluntários da Guarda, explica profissional e pessoal. «Sou
emergência desde as zero horas de mento ao público, embora apenas por resolver e o meu problema, a que a corporação já efetuou divorciada e tive de mandar
domingo face à emergência sanitá- para venda de pão e bolos para minha determinação, é que toda «dois transportes suspeitos de o meu filho para casa do pai»
ria que se vive a nível global com a levar. «É vender e largar por causa aquela gente esteja comigo até ao Covid-19, nos quais o pessoal desde que as escolas fecharam.
pandemia da Covid-19. A palavra de do contágio», afirma a proprietária, final desta crise, porque eu não vou teve de recorrer aos instru- O filho está na Guarda, mas
ordem para tentar conter a propa- que refere que o espaço foi reduzi- abandonar ninguém», assegura, mentos de proteção indivi- «só o vejo via Skype», acres-
gação do novo coronavírus é o dis- do e o acesso dos clientes limitado. reforçando que despedir «não me dual para que não houvesse centa. Já na família «estamos
tanciamento social e o reforço dos Apesar de admitir que houve alguns passa pela cabeça». qualquer problema». Apesar a fazer isolamento total uns
atos de higiene e desinfeção. Sair de dias com mais procura de pão, Um- Nas farmácias, estabelecimen- disso, houve posteriormente dos outros» por precaução.
casa está desaconselhado e só deve belina Mateus garante que isso não tos que assumem maior destaque «alguma contenção» no que «Vocês não percebem o im-
acontecer em caso de necessidade, se traduz nas vendas, pois os locais nestes tempos de pandemia, tam- respeita aos contactos sociais pacto que isto tem nas vidas
para comprar bens alimentares ou onde habitualmente forneciam pão bém «mudou muita coisa». Inês com os bombeiros envolvidos dos profissionais de saúde»,
medicamentos. São muito os setores e bolos (escolas, restaurantes) estão Janela, farmacêutica na Farmácia nesse transporte, ainda que desabafa Carla Sanches, cuja
que, por essa razão, mantêm o seu fechados. Apesar disso não coloca do Mileu, na Guarda, relata que não tenha existido qualquer maior preocupação neste mo-
funcionamento normal, assumindo a hipótese de parar a produção e atualmente «atendemos através do suspeita de contágio. «Os mento é «o não conseguir dar
a missão de garantir que toda a a distribuição. «A nossa população postigo, ou da porta», como forma bombeiros são seres humanos assistência a todas as pesso-
comunidade continua a ter acesso é bastante idosa e nós sabemos de prevenção imposta pelo decreto e por isso têm o mesmo tipo de as que precisam». Por outro
a todos os produtos indispensáveis. que eles precisam mesmo de nós», de estado de emergência. O traba- sentimentos que têm todos os lado, o que menos a preocupa
Nos hiper e supermercados diz a proprietária, que também faz lho é feito de máscara e com re- outros», diz Paulo Sequeira. é, «por estranho que pareça,
mantém-se uma parte significativa distribuição porta a porta. «Temos curso a «desinfeções constantes». «Existe receio, existe medo, que um de nós fique infetado»
de trabalhadores para quem o iso- as nossas responsabilidades e as Além disso, «estamos a trabalhar porque isto é realmente uma pois entre os profissionais de
lamento social não é uma opção. pessoas estão a contar connosco. por turnos, alternando entre duas situação grave», contudo os saúde «reina um espírito de
Daniel Tavares, funcionário do Con- Fornecemos também lares de ter- equipas que não se encontram», de bombeiros «acabam por estar que vamos todos conseguir
tinente Bom dia, na Guarda-gare, ceira idade, centros de dia… Nós não forma a reduzir os riscos de contá- presentes e continuar a fazer ultrapassar isto».
explica que sendo este um setor em podemos faltar, não é?», constata. gio. «Como a maioria das pessoas, os seus piquetes da mesma for- Questionada sobre a pos-
que inevitavelmente há contacto tenho medo de ficar infetada», ma», salienta o comandante, sibilidade de agravamento do
com o público «há sempre medo» Trabalhar com receio de mas também de «contagiar outras sublinhando que os “soldados surto na região, a enfermeira
do contágio. Contudo, entre os fun- ficar infetado pessoas», assume a farmacêutica. da paz” da Guarda «têm-se afirma ter a «certeza» de que a
cionários o cenário é encarado com Nesse sentido tem agora cuidados entregado à sua missão com situação vai piorar, mas deixa
tranquilidade. «Nós sabemos que Mas para cumprir essa “obri- redobrados no que toca à sua coragem e com determinação». um apelo de esperança à co-
temos de estar abertos e não há gação”, o trabalho de Umbelinda rotina diária. «Tenho uma área Entre os profissionais de munidade: «Vamos ultrapassar
nada a fazer», refere o guardense, Mateus, de produção e distribuição específica em casa, onde coloco saúde os cuidados são redo- isto todos juntos, vai correr
que assume ter tomado maiores de pão e bolos, está dependente da tudo assim que entro. Ponho a rou- brados. Carla Sanches é enfer- tudo bem, vamos todos ficar
precauções na sua rotina diária obtenção da matéria-prima. É esta pa, sapatos e vou imediatamente meira na Urgência Pediátrica bem, mas para isso é preciso
para evitar um possível contágio. fase que cabe assegurar à Jopama. tomar banho. Desinfeto os objetos da Unidade Local de Saúde protegermo-nos a nós e a to-
«Chego a casa tento tomar logo A empresa sediada no parque in- em que toco, como o telemóvel, e (ULS) da Guarda. Como a ge- dos à nossa volta. Precisamos
banho, lavo sempre bem as mãos», dustrial do Canhoso, na Covilhã, desloco-me apenas entre casa e o neralidade da população, viu de isolamento social e de criar
adianta. Quanto aos clientes com distribui farinhas e produtos para trabalho», acrescenta Inês Janela, as suas rotinas alteradas face imunidade a este vírus que
que contacta diariamente «alguns panificação em «mais de uma cen- que diz estar a evitar ao máximo as à propagação do novo corona- é tão desconhecido», alerta
vão com máscara, outros com tena de empresas» nos distritos deslocações desnecessárias. vírus. Embora ainda não tenha Carla Sanches.
Quarta-feira • 25 de março de 2020 • •5

Vilar Formoso
83 pessoas impedidas de entrar
em Portugal
Câmara de
Almeida vai
De 16 a 23 de março, o Ser- reposição temporária do controlo
viço de Estrangeiros e Fronteiras de fronteiras internas com o país
(SEF) não autorizou a entrada em vizinho. Nesta tarefa cabe ao SEF
Portugal a 83 cidadãos no ponto o controlo documental de pessoas,
de passagem autorizada de Vilar enquanto a GNR está responsável

pedir declaração
Formoso. pela circulação rodoviária. Desde o
De acordo com informação dia 16 que está vedada a circulação
adiantada a O INTERIOR, nesse rodoviária nas fronteiras terres-
período foram controlados 8.109 tres, independentemente do tipo
cidadãos na principal fronteira de veículo, com exceção do trans-

de estado de
terrestre portuguesa, sendo que porte internacional de mercadorias,
o objetivo destas ações é «vedar do transporte de trabalhadores
as deslocações de cidadãos em transfronteiriços e da circulação de
turismo/ lazer» entre Portugal e veículos de emergência e socorro e
Espanha. A restrição decorre da de serviço de urgência.

Coronavírus
ULS deixou de prestar informação
sobre testes ou infetados com Covid-19
calamidade
Município quer controlos sanitários na fronteira de Vilar Formoso para
na Guarda evitar casos como o da emigrante da Parada que veio a Portugal para
A Unidade Local de Saú- «só a Direção-Geral da Saúde ou
de (ULS) da Guarda deixou de o Ministério da Saúde é que for-
participar num batizado e testou positivo ao Covid-19
comunicar o balanço diário do necem dados na conferência de DR

número de testes realizados e de imprensa da manhã». A mesma


infetados com Covid-19 interna- fonte adiantou que essa alteração
dos em isolamento no Hospital prende-se com a necessidade de
Sousa Martins, desde a passada «estar tudo em sintonia», porque
quarta-feira. «uns hospitais davam a informa-
Deixa, assim, de ser possí- ção, outros não. Assim apenas a
vel obter informação oficial e DGS ou o ministério fornecem da-
relevante sobre a evolução da dos». Não obstante esse entrave,
situação a nível local. Fonte da O INTERIOR vai tentar continuar
administração da ULS justificou a atualizar essa informação com
a O INTERIOR que doravante o máximo de rigor e objetividade.

Guarda
Hospital Sousa Martins reestruturado
para fazer face ao Covid-19
A Unidade Local de Saúde os outros doentes das diversas
(ULS) da Guarda anunciou na especialidades. Para que esta
passada quarta-feira que proce- mudança fosse possível foram
deu «a algumas mudanças, rees- deslocados serviços de Ortopedia
truturando espaços e funciona- (para as instalações do serviço de
mento dos Serviços», alterações Cardiologia) de Cardiologia (par-
que irão durar «enquanto se tilha o piso de Medicina Interna),
mantiver o período contingente de Cirurgia (ocupa as instalações
que atravessamos». do serviço de Ginecologia), de
O Conselho de Administra- Ginecologia (partilha um espaço População da Parada está em confinamento nas suas residências para ser rastreada ao coronavírus
ção definiu duas áreas distintas na Obstetrícia) e de Pneumologia
no Hospital Sousa Martins para (ocupa as instalações onde atual- Luis Martins foram identificadas e contactadas um princípio obrigatório e tem
«cumprir o objetivo de segurança mente funciona o internamento para efetuarem o normal proce- que haver uma posição forte por
e proteção dos nossos utentes de Psiquiatria). Já a Urgência Pedi- dimento despiste de contágio. parte das autoridades porque
e profissionais» face ao surto átrica passa a ocupar as instalações A Câmara de Almeida vai pedir Aguardamos os resultados para com esta permissividade se está
de Covid-19. Desta forma, no onde está atualmente a consulta a declaração de estado de calami- tomar novas medidas caso seja a por em causa a saúde de todos»,
Pavilhão Novo, toda a área de externa de Psiquiatra e esta passa dade para o concelho após uma necessário». Segundo apurou O considera o presidente da Câmara
internamento e Bloco Operatório a funcionar na zona das consultas emigrante de 78 anos, que viajou INTERIOR, estão referenciadas de Almeida.
– Piso 1 ficaram «afetos a doen- externas do Pavilhão Novo. Por recentemente de França para cerca de 150 pessoas que terão Num comunicado divulgado
tes suspeitos ou confirmados de último, as cirurgias de doentes não participar no batizado do neto, ter contactado com a doente e que na segunda-feira, a autarquia
infeção por coronavírus», lê-se infetados por coronavírus serão sido testada positivo ao Covid-19. A começaram a ser rastreadas esta assume a preocupação com «a
na nota enviada a O INTERIOR. realizadas no bloco operatório mulher, natural da Parada, naquele segunda-feira, na Guarda, pelos indefinição de políticas no con-
Manter-se-ão as restantes uni- do Pavilhão 5. Para a ULS, estas concelho raiano, contactou mais de profissionais da Unidade Local de trole de entrada» de emigrantes
dades e serviços que funcionam mudanças são «definitivamente uma centena de pessoas da locali- Saúde num espaço disponibilizado na fronteira de Vilar Formoso. O
nos restantes pisos. Já nos Pavi- a melhor opção para minimizar o dade, cuja população está agora em para o efeito no quartel dos bom- documento assinado por António
lhões 1 e 5 são internados todos risco» de contágio.  confinamento nas suas residências beiros locais. Machado alerta para a aproxima-
para ser rastreada ao coronavírus. O caso veio por a nu as conse- ção das férias da Páscoa, em que
O alerta foi lançado no último quências da ausência de controlos a população do concelho poderá
UBI fim de semana, oito dias depois do sanitários na principal fronteira aumentar «sem o devido registo
batizado, cujo almoço teve lugar terrestre portuguesa. Em Vilar e controle por parte das forças
303 estudantes de 26 países mantêm-se na Guarda, e levou a autoridade Formoso apenas as autoridades policiais, reduzindo assim a ca-
nas residências sanitária e o município a decretar policiais estão a fiscalizar as entra- pacidade e eficácia no combate a
o isolamento dos residentes da das de pessoas no nosso país, não possíveis casos de contágio nesse
Numa altura de pandemia, em gação da COVID-19, as residências aldeia, bem como de outros muní- havendo, por enquanto, entidades período». O município pede, por
que a Universidade da Beira Inte- mantêm o funcionamento adequado cipes que estiveram na cerimónia de saúde presentes. «A fronteira isso, às entidades competentes
rior está de portas fechadas, há 303 para a instalação dos estudantes que religiosa. «Já estão em quarentena tem que ser devidamente contro- para que as forças de segurança
alunos que se mantêm alojados nas não podem regressar às suas zonas 90 pessoas, sobretudo residentes lada para obrigar quem entra em na fronteira passem «desde já a
residências universitárias. de origem», lê-se na nota da univer- da Parada e alguns funcionários do Portugal a ficar em quarentena, o exigir que os cidadãos provenien-
De acordo com o comunicado sidade. Também para «responder município», adianta o presidente que não está a acontecer», critica tes do estrangeiro se mantenham
enviado pela instituição de ensino, às necessidades destes alunos, e da Câmara, adiantando que «uma António Machado, que justifica o obrigatoriamente em isolamento
os estudantes são oriundos de de mais algumas centenas de estu- percentagem muito elevada» da pedido de declaração de estado profilático no seu domicílio duran-
Angola (118), Brasil (84), Equador dantes estrangeiros que vivem fora população está «a cumprir as re- de calamidade para o seu concelho te o período recomendado de 14
(22) e também de Portugal (17). das residências universitárias» os gras» determinadas pela Direção- de forma a permitir que as auto- dias». A doente natural da Parada
«Apesar da suspensão das ativida- Serviços de Ação Social da UBI man- Geral da Saúde para situações simi- ridades «possam atuar de forma está internada no Hospital Sousa
des letivas e do encerramento de têm em funcionamento a Cantina de lares. António Machado acrescenta diferente e obrigar as pessoas que Martins, na Guarda, juntamente
um conjunto de serviços no âmbito Santo António, que passa também a que todos os procedimentos foram regressem a Portugal a cumprir com outros nove infetados, oriun-
das medidas de combate à propa- funcionar ao fim de semana. adotados e «as pessoas de risco a quarentena. Esse tem que ser dos de diferentes zonas do país.
6• • Quarta-feira • 25 de março de 2020

S
Quem entrar em Portugal
vai ter de ficar em
Sociedade isolamento durante 14 dias
Municípios do distrito da Guarda estão a apelar aos seus emigrantes e residentes noutras
zonas do país para que não regressem às suas terras de origem ou para cumprir o isolamento
voluntário se o fizerem
AR

GNR
Segundo
comandante da
Guarda suicidou-se
DR

O segundo comandante do
Comando Territorial da Guarda
suicidou-se no sábado, em Moi-
menta da Beira (Viseu), de onde
era natural e residia.
O tenente-coronel Joaquim
Lourenço, de 56 anos, foi encon-
trado sem vida durante a manhã
na sua residência. Fonte da GNR
da Guarda disse a O INTERIOR
que não lhe eram conhecidos
«eventuais problemas de saúde
ou pessoais», tendo a notícia do
seu falecimento causado «gran-
de consternação» no Comando
Com a Páscoa à porta, crescem na região os receios de contágio com a chegada de emigrantes
Territorial.
Luis Martins contágio. No caso de Celorico da vem de fora do concelho raiano. Mas quem, «por motivos de força
Beira, a Câmara apela à «melhor «Somos uma região envelhecida maior», tenha que regressar ou re-
compreensão» de todos para que e dada a fragilidade e o risco dos gressou desde o início do mês deve
Quem entra em Portugal vai «eventuais “regressos” não colo- mais idosos, todos os cuidados são abster-se «de contactos sociais,
ter de ficar em isolamento profi- quem em causa a saúde pública poucos para controlar o alastrar da tenha uma atenção redobrada aos
lático durante 14 dias. A medida, do concelho» e recomenda a quem pandemia». A autarquia aproveita principais sintomas (tosse seca,
Guarda que entrou em vigor esta semana, tenciona regressar que cumpra de também o ensejo para recordar os febre, dificuldade respiratória,
Bombeiros foi anunciada pela diretora-geral modo «voluntário e responsável» residentes dos cuidados a ter «na dores musculares, cefaleia (dor
de Saúde, Graça Freitas, mas foi o isolamento social de 14 dias higiene (lavar com frequência as de cabeça), mantenha-se em suas
instalaram tenda antecedida por apelos de vários recomendado pelas autoridades mãos), evitar contactos e desloca- casas e cumpra o período mínimo
no hospital LM
municípios da região para que os de Saúde. A mensagem é idêntica ções não urgentes e necessárias», de quarentena».
seus concidadãos emigrados ou a na Mêda e Pinhel, que lembra que concluindo que «a melhor vacina A Câmara de Fornos de Algo-
residir noutras zonas do país não na luta contra o coronavírus é é o comportamento responsável dres também pediu aos seus emi-
regressem às suas terras de origem «fundamental evitar contactos que de todos». grantes e a quem vive e trabalha
ou, se o fizerem, que cumpram os potenciem o contágio». Em Trancoso e Vila Nova de noutras zonas do país para não se
14 dias de isolamento voluntário. «Na certeza de que todos so- Foz Côa há a mesma preocupação deslocarem ao concelho. «Neste
Esta medida já foi adotada mos agentes de saúde pública, o com a pandemia da Covid-19, que momento desafiante para os por-
pelas autarquias de Celorico da município pede aos emigrantes/ impõe a adoção de medidas de tugueses, todos devem ser solidá-
Beira, Fornos de Algodres, Mêda, pinhelenses residentes noutras prevenção, contenção e mitiga- rios e estar conscientes de que tem
Pinhel, Sabugal, Trancoso e Vila zonas do país que eventualmente ção, para controlo a propagação de se cumprir obrigações», avisa
Os bombeiros da Guarda Nova de Foz Côa, que têm usado regressem a Pinhel que cumpram do coronavírus. Nesse sentido, as a autarquia numa publicação na
instalaram na quinta-feira as suas páginas na Internet e as de modo voluntário e responsável respetivas autarquias aconselham sua página do Facebook. A edili-
uma tenda junto ao serviço redes sociais para partilhar esta o isolamento social recomendado «todas as pessoas que trabalhem dade, através dos presidentes das
de Urgência Pediátrica do recomendação. O objetivo é prote- de 14 dias», alerta a autarquia. No noutros pontos do país ou no Juntas de Freguesia, está também
Hospital Sousa Martins. O ger os seus residentes, sobretudo Sabugal, que possui uma das maio- estrangeiro que, se possível, se a contactar os motoristas de trans-
espaço tinha sido solicitado os idosos, «um dos grupos mais res comunidades de emigrantes mantenham na sua residência ha- portes de mercadorias oriundos do
pela Unidade Local de Saúde vulneráveis à Covid-19», e travar da região, o alerta vai no sentido bitual nas próximas semanas, dado concelho para saber de onde vêm
(ULS) guardense e destina-se a propagação da pandemia evi- de lembrar «os cuidados e obriga- que a mobilidade geográfica é um com o objetivo de fazer «algum
a ser utilizado em situações de tando contactos que potenciem o ções» a que estão sujeitos quem foco de propagação da Covid-19». rastreio».
suspeita de Covid-19, adianta
a corporação.
Covid-19
Autoridades vão ter lista das pessoas obrigadas a quarentena
As forças e serviços de segu- tributos das forças e serviços de obrigatório e seja encontrada na Caberá às forças de segurança
rança vão dispor de uma listagem segurança e que estará disponível rua, já temos de agir», sublinhou fiscalizar as pessoas que ficam
diária das pessoas que são obriga- para todos de forma a controlar o dirigente. A lista de pessoas será em «confinamento obrigatório»
das a ficar de quarentena devido à quem não cumpre as medidas do fornecida pela DGS, mas também nos hospitais ou nas residências,
pandemia da Covid-19, anunciou a estado de emergência. «Quem vem pela PSP, GNR e Serviços de Estran- designadamente os doentes com
Associação Profissional da Guarda do estrangeiro, por exemplo, é geiros e Fronteiras (SEF), as forças Covid-19 ou que estejam sob vigi-
(APG/GNR). abordado pela GNR e tem de ficar que estão no terreno a fiscalizar lância ativa. Caso alguém infrinja as
Segundo César Nogueira, pre- em quarentena. É feita a identifica- o cumprimento das medidas do normas determinadas pelo decreto-
sidente daquela entidade sindical, ção da pessoa e notificada do com- estado de emergência estipuladas lei é acusado do crime de desobedi-
a Direção-Geral da Saúde (DGS) vai portamento que tem de cumprir, para combater a pandemia pelo ência, cuja moldura penal é de um
elaborar uma lista que terá os con- mas caso ela quebre o isolamento novo coronavírus. ano de cadeia ou 120 dias de multa.
Quarta-feira • 25 de março de 2020 • •7

Guarda e Manteigas Guarda


Prazo de pagamento da fatura
da água alargado
antecipam A Câmara da Guarda decidiu
alargar o prazo de pagamento
à rua dos cidadãos e o perigo de
contágio com o manuseamento

pagamentos a
da fatura da água, saneamento e de terminais de pagamento auto-
resíduos sólidos. mático». Contudo, o alargamento
«Em relação às faturas emiti- dos prazos não é suficiente para
das, cuja data de pagamento de- o grupo municipal do Bloco de
veria ocorrer até 24 de março, o Esquerda (BE) da Guarda, que

fornecedores
prazo será alargado até ao dia 31 defende a isenção para todos os
de maio do presente ano», adian- agregados familiares e empresas
ta a autarquia em comunicado. de «qualquer pagamento do con-
O mesmo documento acrescenta sumo de água, saneamento e resí-
que também as faturas «a emitir duos» durante o período em que
Objetivo é apoiar a economia local e as empresas numa altura durante o período de contingên- a pandemia da Covid-19 estiver
em que se debatem com a falta de liquidez cia passam a ter um prazo de ativa. «Temos consciência que tal
AR pagamento de 90 dias, conforme medida terá impacto nas contas da
constará na respetiva fatura». autarquia. Contudo, entendemos
Segundo a edilidade, esta medida que situações de exceção merecem,
tem em conta «a perigosidade sem dúvida, medidas de exceção»,
de contaminação com as saídas considera o BE.

Seia
Empresas e munícipes isentados
do pagamento da água
As empresas, o comércio e refletidos «já na fatura a enviar
as IPSS do concelho de Seia vão em abril, sendo prorrogáveis
beneficiar de uma isenção total mensalmente, até um máximo
das tarifas de água, saneamento de três meses». Por outro lado,
e resíduos sólidos por causa da a Câmara de Seia acrescenta que
pandemia do coronavírus. «as pessoas em situação vulne-
A autarquia serrana decidiu rável também podem solicitar, a
ainda aplicar aos consumidores qualquer altura, os apoios que a
domésticos uma isenção de 100 autarquia já disponibiliza, como
por cento da tarifa da água e de a Tarifa Social ou a Tarifa de Fa-
25 por cento nas restantes taxas mílias Numerosas». Segundo o
fixas. O objetivo destas medidas é autarca local, Carlos Filipe Came-
«minimizar os custos das famílias lo, esta decisão vai implicar uma
e das empresas com estes servi- redução de receitas de «cerca de
ços básicos municipais devido à 90 mil euros mensais» e abran-
As autarquias da Guarda e de as PME’s do concelho. «As empresas «instruções na tesouraria» para Covid-19», justifica o município. gerá «14 mil consumidores, entre
Manteigas decidiram antecipar os vão precisar de liquidez para pagar acelerar os pagamentos das faturas Nesse sentido, os apoios serão famílias e empresas».
pagamentos a fornecedores para salários porque as suas receitas de fornecedores do concelho e da
apoiar a economia local. Enquanto estão a baixar de forma assustadora região que haja nos serviços. «É um
a maioria dos municípios da região devido à pandemia do coronavírus», modesto contributo para que as nos- Ambiente
adotou reduções nas faturas da
água e saneamento, as Câmaras
afirma o edil, lembrando que o prazo
médio de pagamentos da Câmara é
sas empresas tenham algum fôlego
e, na medida do possível, alguma
Resiestrela apela a novos cuidados
da sede do distrito e do “coração” de «40 a 45 dias». «Mas, tendo em tranquilidade para enfrentar os tem- no manuseamento do lixo doméstico
da Serra da Estrela foram mais conta a situação que se vive, esta- pos incertos que aí vêm», sublinhou A Resiestrela, empresa de totalmente os sacos). «Os sacos
voluntaristas. mos a antecipar estes pagamentos, o autarca. O INTERIOR contactou gestão de resíduos da Beira fechados devem ser colocados
No caso da Guarda, a edilidade tendo já sido pagas integralmente mais autarcas sobre este assunto, Interior, apela para que «todos dentro de um segundo saco,
começou a pagar as faturas com as faturas de janeiro aos nossos mas não conseguiu respostas até ao cumpram novas regras no manu- devidamente fechado, e este
data de fevereiro para «ajudar a fornecedores», adianta. fecho desta edição. Pioneira no re- seamento do lixo doméstico» no deve ser depositado no con-
economia local e as empresas», jus- Em Manteigas, o município foi curso a esta medida foi a Câmara de âmbito do combate à pandemia tentor de lixo comum (resíduos
tificou o presidente Carlos Chaves o primeiro a adotar esta opção para Cantanhede, que decidiu antecipar do novo coronavírus. indiferenciados)» nunca no
Monteiro a O INTERIOR. O autarca «ajudar as empresas a ultrapassar o pagamento dos bens adquiridos Em comunicado, a empresa chão, lê-se na nota. Além disso,
considera que o momento é de este momento crítico da nossa e dos serviços executados para a sediada no Fundão lembra que «as máscaras, luvas e lenços
«grande preocupação» e que com- economia», confirmou o presidente autarquia independentemente dos os resíduos também podem devem ser sempre colocados
pete ao município fazer «tudo o que do município serrano. Esmeraldo prazos contratualizados com as ser contaminados no caso de no contentor do lixo comum». A
estiver ao seu alcance» para apoiar Carvalhinho acrescenta ter dado empresas. alguém em casa estar infetado e Resiestrela sublinha ainda que
que, por isso, os resíduos devem os seus trabalhadores continu-
ser colocados em sacos de lixo am a contribuir para a limpeza
Covilhã resistentes e descartáveis, com dos municípios diariamente

Covilhã reduz fatura da água a pessoas enchimento até dois terços da


sua capacidade (sem encher
e a garantir o tratamento dos
resíduos.

em «carência económica» Apoios


A autarquia da Covilhã aprovou
na sexta-feira, por unanimidade – na
leitura», lê-se no despacho de Vítor
Pereira, que também determina o
apoio: as empresas com volume de
negócios até dez milhões de euros
Feirantes pedem ajuda ao Governo
reunião privada do executivo que
decorreu por videoconferência – um
alargamento em dez dias úteis do
prazo de pagamento das faturas da
podem solicitar um pagamento da
água através de mensalidades de
após ficarem sem rendimentos
pacote de medidas para «minimizar água de março e abril. A autarquia três meses sem juros de mora ou A Federação Nacional das muita tristeza que constatamos
os constrangimentos» decorrentes anunciou igualmente a suspensão de seis meses, com isenção de juros Associações de Feirantes (FNAF) que fomos totalmente votados
da pandemia da Covid-19. de processos de execuções fiscais, nas primeiras três mensalidades. pediu apoio financeiro ao Gover- ao esquecimento, neste momento
O município decidiu aplicar um de contraordenações, a suspensão Já as empresas com um volume de no por os comerciantes terem tão difícil para nós», pode ler-se na
desconto de 50 por cento no valor da taxa de encargos de cobrança negócios superior também podem deixado de trabalhar e ficado sem missiva, adiantando que sem apoio
da fatura aos munícipes que se en- por atrasos no pagamento, assim beneficiar destas alterações, desde qualquer fonte de rendimento financeiro não conseguirão «re-
contrem «em situação de carência como a aplicação de juros de que tenham registado uma perda com o cancelamento de feiras e sistir e sobreviver». Assinado pelo
económica» devido a diminuição mora pela mesma razão. Também de receitas em 20 por cento. Estas mercados devido à pandemia de presidente da FNAF, Joaquim San-
de rendimentos ou da situação o estacionamento à superfície e medidas «vigorarão pelo prazo de Covid-19. tos, o documento alerta o Governo
de “lay-off” em consequência da nos silos municipais fica isento de um mês», a contar desde o dia 20 Numa carta dirigida ao pri- que os feirantes vivem daquilo que
conjuntura provocada pelo surto pagamento para evitar o contacto (data do despacho). Após esse prazo meiro-ministro, António Costa, vendem nas feiras e que este é o
do novo coronavírus. «O desconto é das pessoas com as máquinas de as medidas serão «reavaliadas» e a FNAF refere que os feirantes único rendimento que lhes permite
aplicável em todas as tarifas fixas e cobrança. considerada a «eventual necessida- foram esquecidos e que o que subsistir «com alguma dignidade».
variáveis, até ao montante máximo As empresas também vão be- de da sua prorrogação», de acordo vendem nas feiras é o único «Urge que nos concedam apoio
de 10 euros, com base na respetiva neficiar de medidas específicas de com documento. meio de subsistência. «É com financeiro», reiteram.
8• • Quarta-feira • 25 de março de 2020

Guardense participa em
projeto de consultadoria
gratuita às PME’s
AR

João Pissarra é um dos dois portugueses envolvidos numa rede de


aconselhamento administrativo gratuito que ajuda os pequenos e
médios empresários a ultrapassar a crise provocada pelo Covid-19
Luis Martins outro colega natural de Lisboa são Pissarra. Na sua opinião, o «grande
os únicos portugueses envolvidos choque» que as empresas estão a
neste projeto que quer ajudar os enfrentar é nas receitas e na falta
Um jovem guardense está a empresários a «focarem-se no que de liquidez: «É preciso ter dinheiro
participar num projeto de con- é essencial». Os interessados só no final do mês para sobreviver.
sultadoria administrativa gratuita têm que preencher um formulário Por isso, consoante os casos, su-
para ajudar as PME’s a ultrapassar disponível no link https://www. gerimos a renegociação dos prazos
os constrangimentos decorrentes instagram.com/p/B-AAv-dlvp1/ de pagamentos aos fornecedores,
da crise económica provocada pela para beneficiar desta ajuda, que das dívidas para aproveitar as
pandemia da Covid-19. começa por um diagnóstico da em- linhas de crédito mais vantajosas
Formado pela Faculdade de presa, envolve reuniões entre os disponibilizadas pelo Estado, mas
Economia da Universidade Nova consultores e os empresários por também propomos ideias para
de Lisboa, João Pissarra, de 27 videoconferência. No final é apre- gerar caixa, sobretudo através do
anos, é atualmente gestor finan- sentada uma estratégia a aplicar. e-commerce», adianta o consultor
ceiro de uma multinacional brasi- Atualmente o projeto está a guardense. Antecipar receitas,
leira e juntamente com colegas e ser divulgado através do Insta- cortar despesas e congelar investi-
amigos querem «ajudar pequenos gram, do Linkedin e das pessoas mentos e custos que não sejam ne-
empresários que podem estar envolvidas. Ainda não há por isso cessários são outras medidas que
perdidos quanto ao rumo dos seus empresas portuguesas apoiadas, podem ser aplicadas. O projeto já
negócios neste momento contur- são sobretudo brasileiras, mas o conta com 23 consultores, a maio-
bado da economia, numa altura objetivo é chegar a mais pessoas. ria dos quais com experiência em
em que há mais probabilidades «Não temos uma fórmula mágica, administração de empresas, mas
de tomar decisões erradas devido mas conselhos e estratégias para continua a crescer para ajudar gra-
ao pânico». O antigo estudante minimizar o impacto da crise eco- tuitamente os pequenos e médios «Não temos uma fórmula mágica, mas conselhos e estratégias para minimizar o
da Secundária da Sé, na Guarda, e nómica nas PME’s», refere João empresários a ultrapassar a crise. impacto da crise económica nas PME’s», afirma João Pissarra

Celorico da Beira Guarda

Mey Têxteis suspende produção Autarquia leva alimentos e medicamentos


devido ao coronavírus a munícipes vulneráveis DR
Os cidadãos vulneráveis do pandemia da Covid-19, a Câmara edilidade. O município vai também
concelho da Guarda estão a rece- da Guarda vai assegurar o acesso garantir «o acesso a transportes
ber medicamentos e bens alimen- de todos os cidadãos pertencentes desses mesmos cidadãos, desde
tares através de uma ação solidária a grupos vulneráveis e sem apoio que a necessidade assim o justifi-
da autarquia local. familiar (doentes crónicos, pessoas que». Até ao fecho desta edição, na
«Atentas as excecionais medi- isoladas ou com problemas de saú- terça-feira, já tinham sido apoiadas
das de contingência que têm vindo de/ mobilidade) a medicamentos mais de uma dezena de pessoas
a ser aplicadas para combater a e a bens alimentares», anunciou a nessas condições.

Solidariedade
Voluntários produzem máscaras
de tecido no Fundão DR
Em tempos de pandemia são
muitas as iniciativas solidárias
que surgem para tentar contri-
buir para a contenção do surto do
novo coronavírus, que colocou o
país em isolamento.
No Fundão a iniciativa de-
A Mey Têxteis S.A., que labo- seus familiares», disse o presi-
nominada #FundãoMask partiu
ra em Fornotelheiro (Celorico da dente da autarquia. Segundo Car-
do CACFF – Projeto Matriz e dos
Beira), suspendeu a produção a los Ascensão, «há a necessidade
residentes do Centro de Migra-
partir desta segunda-feira e por de um ajustamento temporário
ções do Fundão, que se aliaram
um período de um mês. da produção. Esta paragem é
a costureiras voluntárias para
O recurso ao “lay off ” foi exclusivamente derivada da pan-
criar «uma rede de produção de
divulgado pela autarquia após demia». O edil acrescenta que o
máscaras de proteção reutilizá-
o diretor da empresa alemã, município tem estado a acom-
veis em tecido para fazer face às
Jörg Baasner, ter comunicado a panhar a situação da empresa
necessidades locais». O objetivo
decisão ao município na semana de confeções, que conta mais de
é fornecer máscaras de proteção
passada. É a primeira empresa 200 trabalhadores e é o maior
reutilizáveis, que serão «distribu- com fonte da autarquia funda- Câmara Municipal do Fundão. O
do distrito da Guarda a recorrer empregador do concelho. A Mey
ídas em função das necessidades nense, que apoia à iniciativa. Ape- uso de máscara deve, por isso, ser
a esta medida que garante o Têxteis está instalada desde 1990
da Proteção Civil», que informará sar da solidariedade e espírito feito de forma cautelosa, sendo
pagamento de 70 por cento do na zona industrial de Celorico da
sobre as quantidades de másca- de entreajuda nestas iniciativas mais indicado para «suspeitos
vencimento aos funcionários. A Beira e emprega maioritariamen-
ras que será necessário produzir importa destacar que «estas más- de infeção por Covid-19» ou
justificação invocada prende-se te mulheres, oriundas do conce-
e distribuir. Essa distribuição caras não substituem as másca- «pessoas que prestem cuidados
com a «conjuntura em que vive- lho de Celorico da Beira e dos
será depois «articulada com as ras cirúrgicas», contudo «podem a suspeitos de infeção» pelo novo
mos, em estado de emergência, e municípios limítrofes de Fornos
entidades locais», de forma a que contribuir para um reforço da coronavírus, de acordo com as
onde é necessário salvaguardar de Algodres, Trancoso, Gouveia,
possa chegar a todos os cidadãos proteção individual», conforme recomendações da Direção-Geral
a saúde dos trabalhadores e dos Guarda e Pinhel.
que delas necessitem, de acordo explicou a O INTERIOR fonte da de Saúde.
Quarta-feira • 25 de março de 2020 • •9

PUB
10 • • Quarta-feira • 25 de março de 2020 Publicidade

Prof. Doutor Dra Assunção Vaz Patto


L. Taborda Barata
Neurologista
Imunoalergologista Consultas de Neurologia
Asma e Doenças Alérgicas Exames: Electromiografia
e Potenciais Evocados
Rua Comendador Campos Melo, nº 29 – 1º Esq, Covilhã;
Tel: 275334876 CLIFIG - Rua Pedro Álvares Cabral -
Cliniform, Rua Mouzinho da Silveira nº 15 R/C, Guarda; Edifício Gulbenkian, s/n
Tel: 271211905 6300-745 Guarda

Prof. Celso Pereira Empresa de transportes admite:


COMERCIAL

Imuno-Alergologia Procuramos profissional com o seguinte perfil:


• Fluente na língua francesa (imprescindível);
(Doenças Alérgicas) • Conhecimentos de língua inglesa;
Ass Graduado HU Coimbra / • Informática na ótica do utilizador;
Fac Medicina UC • Valorizam-se conhecimentos e relações comerciais
no setor de transportes;
Covilhã: Clínica Médica Serra da Estrela Oferecemos:
Galerias de S. Silvestre - Piso 3 Telf: 960023455 • Formação;
Guarda: Clínica de Fisioterapia da Guarda • Disponibilização de computador portátil;
Av. Rainha D. Amélia, nº 6 - 271238581/96 • Trabalho a partir de casa;
Coimbra: 239802700; 968574777 e 918731560 Enviar Curriculum Vitae para Apartado 196, 6300-909 GUARDA

ADVOGADOS ADVOGADOS Médico

Vitor Nascimento António Ferreira, Paula Camilo Diogo Cabrita


& Associados
Bárbara Brigas Sociedade de Advogados, RL
Cirurgião geral

Telefone: 271 213 346 • Fax: 271 082 765 tratamento de varizes e suas
Telefone: 271 086 518 complicações, pequenas cirurgias,
e_mails:
e_mails: antonio.ferreira.adv@gmail.com • paula.m.camilo@gmail.com hérnias, hidrocelos, vesícula Litiásica.
vitor.nascimento-5874c@adv.oa.pt Marcações : (Clínica Cembi)
Rua Alves Roçadas, nº 27 A, 1º CM2
barbarabrigas-4041c@adv.oa.pt Telef.: 271213445
(ao lado da loja MANGO)
Rua do Encontro, nº 9 - 3º • 6300-704 Guarda 6300-663 Guarda Protocolo com a Médis

PUB

Filipe Pinto
Fotojornalista

Escadas do Quebra Costas, Nº 2 • 6200-170 COVILHÃ


Telef. 275 336 805 • Telem. 919 487 978 • Telem. 964 196 950
E-mail: filipepintofoto@sapo.pt • fotoacademica@hotmail.com

António Gil Advogado


Tel. / Fax 271 238 344
R. Dr. Lopo de Carvalho, 30-2º • 6300-700 Guarda

antonio.gil-5388C@adv.oa.pt
Quarta-feira • 25 de março de 2020 • • 11

Jogos tradicionais
Seia
Hospital Nª Sra. da
Assunção com local
para casos suspeitos

para jogar em casa


de Covid-19
O Hospital Nª Sra. da Assunção,
em Seia, abriu um local no Edifício B
“Rosa” para os casos suspeitos por
infeção pela Covid-19, «cujo acesso
se faz pela parte de trás», informou
a Unidade Local de Saúde (ULS) da Associação de Jogos Tradicionais da Guarda está a sugerir a prática de jogos e brincadeiras
Guarda, que gere aquela unidade antigas às famílias confinadas em casa por causa do coronavírus
hospitalar. A disponibilização deste DR
espaço surge na sequência das orien-
tações da Direção-Geral da Saúde e do
Ministério da Saúde, que defendem «a
necessidade de garantir uma efetiva
separação dos doentes com suspeita
por Covid-19 dos restantes, de forma
a cumprir o objetivo de segurança e
proteção dos doentes e profissionais».

Manteigas
Fatura da água com
redução de 50 por
cento
O município de Manteigas vai
aplicar uma redução de 50 por cento
no valor das faturas da água, sane-
amento e resíduos dos munícipes
e empresas sediadas no concelho
devido à Covid-19.
A medida aplica-se aos meses
de março, abril e maio e pretende
«diminuir o impacto e as dificuldades
financeiras decorrentes do abran-
damento da atividade económica
no concelho e no país, quer para os
munícipes, quer para as empresas»,
gerado pela pandemia do coronavírus.
A autarquia considera «fundamental
conter as possíveis linhas de contágio, O jogo da Cama de Gato foi uma das primeiras sugestões da AJTG
designadamente através do reforço O dever de isolamento a que cantigas de roda para animar a brincava, contavam-se histórias, promovem o desenvolvimento
dos cuidados de higiene pessoal (lava- os portugueses estão sujeitos por monotonia de tantos dias fecha- lengalengas e trava-línguas e se motor, psíquico e emocional».
gem frequente das mãos, cara e corpo causa do coronavírus está a dar dos em casa. «Temos recebido um jogavam alguns jogos da época». Por isso, a AJTG vai continuar a
em geral)». A Câmara decidiu ainda uma segunda oportunidade aos “feedback” positivo à iniciativa Contudo, esclarece que não partilhar sugestões de atividades
suspender a leitura da contagem da jogos tradicionais. O desafio foi através de comentários online e está prevista a cedência de jogos lúdicas que caíram em desuso
água porta a porta por tempo indeter- lançado pela Associação de Jogos de contactos pessoais à iniciativa», ou outro material porque o contac- ou desapareceram do cardápio
minado, para contadores no interior Tradicionais da Guarda (AJTG), refere o presidente da AJTG. Nor- to pessoal está vedado e a sede da do entretenimento individual
de edifícios, sendo que a cobrança da que diariamente sugere um jogo, berto Gonçalves espera que esta associação está encerrada. «Esta- e coletivo. O desafio continua e
água será efetuada «preferencialmen- uma brincadeira ou uma cantiga iniciativa, que acontece através da mos a sugerir jogos e brincadeiras nos próximos dias a associação
te» por estimativa ou mediante leitura de roda às famílias que estão con- página do Facebook da associação, na nossa página do Facebook que vai propor que se jogue ao “Anel”,
comunicada pelos munícipes. finadas em casa e podem assim possa ajudar as pessoas, que estão não necessitam de material espe- à “Rapa”, à “Raiola”, entre outros
ocupar o tempo de uma forma tão em casa e têm tempo, «a interagir cial e podem ser feitos em casa», jogos tradicionais. A Associação
inesperada quanto diferente. entre si, pais e filhos, avós e netos, adianta Norberto Gonçalves. Na de Jogos Tradicionais da Guarda,
Seia Desde o dia 17 já se pôde jogar que é uma coisa que, numa situ- sua opinião, os jogos tradicio- que celebrou recentemente 40
Câmara associa-se a o Três em Linha, a Cama de Gato, ação normal, não se verifica». O nais são «boas alternativas para anos de atividade, foi fundada a 28
o Jogo das Pedrinhas e o Jogo da dirigente acredita mesmo estarem rentabilizar o tempo disponível de agosto de 1979 com o objetivo
empresa de confeções Sardinha. Também houve sessões reunidas as condições para um – permitem educar, enrique- da recolha, sistematização e incen-
para produzir de trava-línguas, lengalengas e «retorno aos serões, em que se cem as interações familiares, tivo à prática de jogos tradicionais.
máscaras reutilizáveis PUB
A Câmara de Seia vai associar-
se a uma empresa de confeções,
sediada no concelho serrano, que
está prestes a iniciar a produção de
máscaras reutilizáveis para utiliza-
ção em contexto extra-hospitalar.
O município anunciou que ad-
quirirá o primeiro lote de produção
para entregar a setores de atividade
prioritários e que esta iniciativa des-
tina-se a «suprir as necessidades em
matéria de equipamentos de prote-
ção individual, ainda mais essenciais
num momento em que vivemos um
problema de saúde pública sem
precedentes». Ao empreendimento
associou-se entretanto o empresá-
rio senense José Manuel Rogeira,
que está disponível para financiar,
«integralmente», a aquisição que o
município fará do primeiro lote de
equipamentos de proteção individual.
O benemérito colocou ainda à dispo-
sição dos promotores mão-de-obra,
transporte, aquisição de matérias-
primas, entre outros recursos para
«agilizar a produção tão breve quanto
possível», adianta a autarquia.
12 • • Quarta-feira • 25 de março de 2020 Publicidade

Trancoso

Governo desconhece processo


para instalação de fábrica de
bagaço de azeitona na Cogula DR

VIDENTE
Com longos anos de experiência
Trata inveja, mau olhado, espiritual, estudos, negócios,
empresas, amor, problemas familiares, saúde, etc.
Sempre pronto a dar resposta aos seus problemas.
Saiba tudo sobre o seu futuro e o porquê que tudo
corre mal em sua vida?
Não hesite, fale com quem sabe. Tenha FÉ:
271238451 ou 969012923

População contesta projeto desde julho do ano passado


O Governo desconhece qualquer de estabelecimento de refinação de outra se concretizar será uma tremen-
processo de licenciamento industrial bagaço de azeitona pela mencionada da agressão ambiental e social, não só
para instalação de uma fábrica de empresa, no concelho de Trancoso». O para a Cogula, como para as freguesias
bagaço de azeitona na freguesia da gabinete do ministro Pedro Siza Vieira contíguas, envenenando o ar que se
Cogula (Trancoso), revela o Bloco de acrescenta que esse procedimento é respira. (...) As pessoas que têm amor à

Vende-se
Esquerda (BE). da competência da autarquia, «motivo aldeia e querem lá continuar a sua vida
O projeto está a ser contestado pelo qual não é possível confirmar o e criar ali os seus filhos ficarão numa
pelos habitantes da localidade (ver relatado». situação insuportável», denunciou na
Quinta com Casa, cerca de 12 ha edição de 18/07/2019) e esteve na Conforme noticiou O INTERIOR, altura Vítor Pereira a O INTERIOR. Con-
à beira do rio Mondego, perto das rotundas origem de um requerimento das de- um grupo de habitantes da Cogula frontado com a contestação popular,
da A25 e IP2 • Lageosa do Mondego putadas Maria Manuel Rola e Isabel exigiu ao poder político medidas para Amílcar Salvador, presidente da Câmara
Contactos: 966473371 • 271926638 Pires ao ministro de Estado, da Eco- inviabilizar a instalação daquela indús- de Trancoso, garantiu que «o PDM não
nomia e da Transição Digital sobre o tria poluente junto à Estrada Nacional será alterado» para permitir a instalação
assunto em janeiro deste. A resposta 102, próximo do ramal da povoação, daquela indústria. Tanto mais que «até à
Diretor e Editor: Luís Baptista-Martins • Rua da Corredoura, 80 - R/C
chegou na semana passada e garante tanto mais que no Plano Diretor Mu- data não entrou nos serviços camarários
Dto - C • 6300-825 Guarda • que o IAPMEI «não tem conhecimento nicipal (PDM) a referida zona está em nenhum pedido de licenciamento para
que se encontre a decorrer qualquer regime florestal. «Se a instalação de qualquer obra ou instalação de indústria
Redação: Luis Martins (Chefe de Redacção) e Sofia Craveiro. • Conselho Editorial: processo de licenciamento industrial refinação de bagaço de azeitona ou naquele local».
António Ferreira, Nuno Amaral Jerónimo, Cláudia Quelhas, João Canavilhas, José
Carlos Alexandre, Diogo Cabrita e Maurício Vieira.

Colunistas e Colaboradores: Acácio Pereira, Albino Bárbara, Ângela Guerra, António Gouveia

Fatura da água reduzida em 50 por cento


Costa, António Ferreira, António Godinho, Cláudia Quelhas, David Santiago, Diogo
Cabrita, Eduardo Lourenço, Fernando Pereira, Fidélia Pissarra, Frederico Lucas, Hélder
Sequeira, Honorato Robalo, João Canavilhas, Joana C. Pereira, Joana Dente, João
Mendes Rosa, João Morgado, João Santiago Correia, Joaquim Igreja, Jorge Noutel,
José Carlos Alexandre, José Carlos Breia Lopes, José Pires Manso, Júlio Sarmento,
Melanie Alves, Miguel Castelo Branco, Miguel Moreira, Miguel Sousa Tavares, Norberto
Gonçalves, Nuno Jerónimo, Telma Madaleno e Víctor Afonso. Desporto: António
Silva, Arlindo Marques, Cristina Sofia, Daniel Soares, José Luís Costa, Miguel Machado
por causa do coronavírus
e Rui Geraldes. • Cartoon: Maurício Vieira. • Paginação: Jorge Coragem • Projeto A Câmara de Gouveia vai reduzir concelho», a autarquia deliberou apli- Regulamento Municipal de Taxas, Tarifas
Gráfico: Maurício Vieira. • Departamento Comercial: Natalina Martins • Impressão: o valor da próxima fatura da água, car uma «redução em 50 por cento da e outras receitas do município. «Com
FIG-Indústrias Gráficas, S.A. • Rua Adriano Lucas – 3020-430 Coimbra • Telefone saneamento e resíduos a pagar pelos fatura da água, saneamento e resíduos esta redução, pretendemos incentivar
239 499 922 • Fax 239 499 981 • e-mail: fig@fig.pt • Sede, Redação e Publicidade:
Rua da Corredoura, 80 - R/C Dto - C • 6300-825 Guarda N.I.P.C. – P-504847422.
munícipes e empresas devido à pan- para todos os munícipes e empresas do todos os munícipes a adotar, ainda com
• Nº de registo na ERC: 123436 • Depósito Legal:146398/00 • Tiragem desta demia do coronavírus. concelho». O executivo aprovou ainda maior frequência, os cuidados de higiene
edição: 5.200 exemplares • Periodicidade: Semanário • Edição Internet: O Interior • A medida foi tomada para con- aplicar uma «redução em 100 por cento pessoal essenciais ao combate à Co-
Propriedade: JORINTERIOR - Jornal • O Interior, Ldª. Detentores com 5% ou mais tribuir para amenizar os efeitos da da fatura da água, saneamento e resíduos vid-19», mas também apoiar munícipes
do capital da empresa: José Luís Carrilho Agostinho de Almeida e Luís Baptista-Martins.
doença «na saúde pública e também para os consumidores que aufiram um e empresas locais perante as dificuldades
Estatuto Editorial: https://www.ointerior.pt/ficha-tecnica/ • na economia». Sendo um «município rendimento mensal igual ou inferior ao financeiras «que se preveem decorrer do
Guarda - Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt familiarmente responsável e parceiro salário mínimo nacional, e jovens com abrandamento da atividade económica
• publicidade@ointerior.pt
dos empresários e das empresas do idade até 25 anos», de acordo com o no concelho e no país».

Cupão de Anúncios Classificados


Envie o seu anúncio classificado para Jornal O Interior, Rua da Corredoura, 80 R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Condições gerais dos classificados
Localização Identificação
do anúncio
1. Preencha o cupão com texto em maiúsculas,
deixando um espaço entre cada palavra. Nome: __________________________________________________________________
Grátis

2. O preço é acrescido de IVA à taxa legal em vigor. Imobiliário


*

3. É obrigatório o envio do número de contribuinte (NIF).


4. A identificação é um campo de preenchimento
Vende-se Aluga-se Morada: ________________________________________________________________
obrigatório. A falta de elementos pode implicar a não Trespassa-se Diversos
publicação do anúncio.
5. A “O Interior” reserva-se o direito de rejeitar a
Emprego Código Postal: ________ - _____ Localidade: ___________________________
Euros
2,50

publicidade que não esteja de acordo com a sua Oferece-se Precisa-se


orientação editorial.
6. A recepção de anúncios para cada edição Veículos Contribuinte nº: _________________ Contacto: ______________________
termina 72 horas antes da data da publicação. Vende-se Procura-se
7. Não se aceitam cópias, faxes ou emails deste cupão. Assinatura ________________________________ Data ___/___/______
Euros
4,00

Diversos
* Grátis até à 2ª publicação, a partir
da qual acresce um custo de 2 euros. Para esclarecimentos pode contactar-nos através do telefone 271212153 ou para ointerior@ointerior.pt

Modo de Pagamento: O recibo ser-lhe-á enviado posteriormente


Transferência Bancária (forma mais rápida e vantajosa) Transferência Avulsa Transfira o valor em questão para o NIB indicado e junte
Autorização de pagamento: Exmos Senhores, por crédito na conta abaixo indicada, queiram proceder,
até nova comunicação aos pagamentos das subscrições que vos forem apresentadas pelo Jornal O Interior. IBAN: PT50 001000002256785000177 a este cupão o talão comprovativo da transferência.

Banco _____________ Balcão _____________ NIB _________________________ Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________
Nome do Titular _______________________________________________________ Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Numerário
Quarta-feira • 25 de março de 2020 • • 13

opinião
opinião
Maria Afonso
A inutilidade das coisas
Santinho Pacheco *
Hoje [sábado] é o Dia Mundial da Poesia. Estou sentada Segurei-a, a mão em concha, para que percebesse o quanto

Nada será como a uma mesa à espera que as palavras se desenrolem. Tenho
que escrever uma crónica e não sei bem do que falar. Reparo
que a tarde está a cair bem em frente dos meus olhos. Nuvens
era bem-vinda. O meu olhar ficou preso, por segundos, num
anel com pedras da cor do mar Egeu. Num telefonema a voz,
amiga e antiga como o meu tempo, leu-me um poema. Espreitei
dantes carregadas de uma chuva prometida procuram encobrir o sol
que tenciona, tão só, seguir o seu caminho. Atrás dos montes
a cerejeira. Abri a janela e inspirei o silêncio secreto. Soube
da publicação de uma revista de poesia. Na capa, laranja, um
Não mais esquecerei aquela viagem para uma auréola dourada teima em perdurar. Como se num aperto pequeno veleiro continua-se nos ramos de uma árvore. Ou
a Assembleia da República. Lá fora tudo igual; urgisse dizer algo. Antes do dia se cumprir. Olho. Vejo. Afasto as será a árvore que se metamorfoseia em veleiro. Não importa.
uma natureza generosa que cada ano explode mãos do teclado para as pousar na mesa. A mesa, de um preto A poesia também é isso.
em mil cores, nas flores de uma Primavera lacado, reflecte o dourado enviado do Oeste. Nunca deixo de me
apressada a tomar o lugar de um Inverno atí- surpreender com as proezas da natureza. Hoje ainda é o Dia Mundial da Poesia. Pergunto-me para que
pico, cada vez menos Inverno. Hoje é o Dia Mundial da Poesia. As notificações das notícias serve a poesia. Mas depressa esqueço a questão. Há coisas que
A beleza da paisagem é completamente de última hora vão assomando no lado direito do ecrã. Vou dei- não necessitam forçosamente de ter explicação. A pandemia tam-
esmagada por uma realidade que me ocupa tando os olhos numa ou noutra. Um médico em desespero refere bém não. Apareceu. Vivemos com ela. No meio dela. Desejamos
os sentidos e se revela e acentua em cada que às vezes lhe apetece levar os italianos que correm pelas ruas a ardentemente que o tempo a distancie. Que a noite se cumpra
noticiário. Nunca imaginei ter de votar um ver os mortos. Que estamos a viver a terceira guerra mundial. Um para que a luz regresse sem dor. Nesse dia vamos ver o mundo
decreto presidencial a estabelecer o estado de vídeo mostra os portuenses a cantar o “Porto Sentido” à janela. com as mãos e tocaremos uns nos outros. Concluiremos que
emergência no país; muito menos por estes Em uníssono. Muitas outras notícias. Todas sobre a pandemia do afinal sempre existimos.
motivos! Um vírus desconhecido ameaça toda momento. Algumas deixaram de ser notícia. São meros números Hoje, talvez por ter sido o Dia Mundial da Poesia, assaltou-
a humanidade, espalha o medo, a morte, a in- a somar a outros números. As contas batem certas. Dispensam me este excerto de um poema de Charles Bukowski. É com ele
certeza. O mundo inteiro, esta sociedade que a prova dos nove. Para nada carecem da prova real. que vou tentar adormecer.
construímos ao longo dos séculos, a própria Hoje é o Dia Mundial da Poesia. A noite está cada vez mais .
civilização e os seus fundamentos, o estado de cerrada. Apenas uma pequena clareira teima em segurar as há um pássaro azul no meu coração
direito, estão mesmo em risco. grossas nuvens negras. Ainda se vislumbram tonalidades azuis que quer sair
É muito mais do que uma guerra; na guerra alaranjadas. Agora já não. As sombras venceram a luz. Sei bem mas eu sou demasiado esperto,
nós sabemos contra quem lutar, conhecemos que a manhã voltará. Que a terra tem uma rotação para cumprir. só o deixo sair à noite
o inimigo. Nesta calamidade ninguém sabe, Que hei-de levantar as persianas e ouvir a rua despovoada. O por vezes
com certeza, a estratégia para vencer. A dú- tempo cristalizou. Como um búzio cheio de areia nas mãos quando todos estão a dormir.
vida provoca o temor que paralisa e destrói a de um beduíno. Como uma flor de lis bordada numa tapeçaria digo-lhe, eu sei que estás aí,
coragem e a moral coletiva que nos conduz à desbotada. Viesse o cavalo de Muybridge mostrar como voar e por isso
vitória. O nosso planeta deixou-se aprisionar talvez o tempo se sacudisse. não estejas triste.
sorrateiramente à escala global. Hoje é o Dia Mundial da Poesia. Noite plena. Estivesse aqui depois,
Com igualdade e, democraticamente, nin- Van Gogh e espalharia tinta amarela por todos os continentes coloco-o de volta,
guém escapa ao coronavírus: ricos e pobres, na esperança de lhes injectar felicidade. Encontramo-nos todos mas ele canta um pouco lá dentro,
novos e velhos, direita e esquerda, crentes e no “Quarto em Arles”. Olhamos à nossa volta e desejamos nas não o deixei morrer de todo
ateus, todos somos alvos potenciais. Os muros paredes um lilás pálido; o chão, apagado, o cobertor de vermelho e dormimos juntos
de Trump ou as fronteiras do ódio de Erdogan sangue; a mesa de toilette, laranja; as janelas, verdes… Mas assim
são, nesta circunstância, meros sinais da sua nessa aparente calmaria tudo parece flutuar. Como se a espera com o nosso
insignificância. A União Europeia está à defesa e por algo se prolongasse no tempo. Ignoramos, às vezes, em que pacto secreto
mais uma vez falha como Comunidade de povos dimensão nos encontramos. e é bom o suficiente
e de nações. A gestão do dossier das fronteiras Hoje é o Dia Mundial da Poesia. As minhas gatas des- para fazer um homem chorar,
externas e internas devia ter sido assumido por pertaram-me à hora habitual. Acariciámo-nos. Da orquídea mas eu não choro,
Bruxelas. Deixar cada país por si deu um sinal branca nasceu mais uma flor. Olhei-a, por dentro e por fora. e tu?
errado e perigoso para a própria Europa e para
o que representa no mundo.
O mesmo na economia. Fazer tudo o que for
necessário para defender o euro tem de ser já. E
assumir a mutualização das dívidas soberanas
para salvar empresas e empregos. A explosão
social será tão grave como o Covid-19. A Europa
está a mostrar as suas fragilidades. O avanço Um teste (derradeiro?) à Europa
que temos
dos nacionalismos e do populismo depende da opinião
própria União. Ou nos salvamos juntos, ou nos David Santiago
perdemos todos.
Perante a Lisboa destruída pelo terramoto, Não há volta a dar, estamos a viver a antecâmara de uma primeira vez desde a criação do euro, a cláusula de exclusão
o Marquês de Pombal terá dito que aquele era enorme crise económica. Resta saber se mais grave do que a da disciplina orçamental determinada pelo mesmo PEC. Os
o tempo de enterrar os mortos e cuidar dos crise financeira de 2007-08 (a que se juntou, na zona Euro, a Estados-membros ficam assim autorizados a gastar, ou seja, a
vivos. Há um certo simbolismo nestas palavras. posterior crise das dívidas soberanas), embora, lamentavel- endividarem-se. Porém, a dívida de Portugal continua próxima
No momento em que a Humanidade luta pela mente, tudo aponte para que sim. de 120% do produto, o dobro do que determinam as regras,
sua sobrevivência, também nós não podemos É, portanto, determinante evitar que além de económica, sendo que Itália e Grécia estão pior ainda. Todas as linhas de
perder o sentido de futuro e contribuir para a crise se torne também financeira, e, pior, de solidariedade crédito avançadas, em particular direcionadas às PME, também
uma mudança de mentalidades. Nada será europeia. Os acontecimentos recentes indicam que esse risco se traduzem em mais endividamento. Até mesmo a flexibiliza-
como dantes! não é apenas real, mostram que já está a ganhar forma. As ção das regras das ajudas de Estado, anunciada por Bruxelas
despesas vão disparar, as receitas minguar e a atividade eco- para proteger o mercado interno, obrigam a generalidade dos
* Deputado do PS na Assembleia da nómica não terá como não soçobrar. Daí até uma nova recessão estados a contrair mais dívida.
República eleito pelo círculo da Guarda e será um passo. A Alemanha, o motor do euro, estima que o No caminho correto, o Eurogrupo e a Comissão vão estudar
antigo Governador Civil da Guarda PIB germânico encolha 5%, mas o instituto Ifo, de Munique, formas de acionar o fundo de resgate do euro (MEE) enquanto
admite já uma quebra superior a 20%. A dimensão da pancada mecanismo de resolução de crises. E a presidente do Banco
vai depender, praticamente só, do tempo que a pandemia em Central Europeu, Christine Lagarde, após acentuar, por inação
curso levar até estar controlada e da capacidade de resposta anunciada, a subida dos juros das dívidas, em especial dos
conjunta europeia. periféricos, emendou a mão e lançou uma bazuca de até 750
É bom recordar que a propagação do novo coronavírus sur- mil milhões para compra de ativos, sossegando, por agora,
giu num contexto de abrandamento económico e de potencial os mercados.
recessão em países como a Alemanha e a Itália. A UE lançou, Mas sem mutualização da dívida, só os países mais ricos
entretanto, uma iniciativa para responder ao coronavírus no poderão responder em força, pois todos os outros, como
valor de 37 mil milhões de euros. Mas este não é dinheiro novo, Portugal, à mercê dos mercados e sem margem de endivi-
estava alocado à política de coesão e será agora redirecionado. damento, não poderão ir além de respostas contidas, o que
À quarta-Feira A medida é necessária, não há discussão, porém não deixará agravará a dimensão da crise. A confirmar-se, tal cenário
de representar menos dinheiro para outros investimentos redunda invariavelmente no regresso da austeridade cega. A
nas bancas. estruturais, o que significa menos economia. Os 27 precisam emissão conjunta de dívida (eurobonds) até foi novamente
desbloquear o processo relativo ao próximo orçamento de discutida, contudo os países de sempre (Holanda, Alemanha,
longo prazo da União (o que está em vigor termina no final etc) mantêm as reservas de sempre à “diabólica” união de
de 2020) e, se necessário, antecipar verbas do futuro quadro, transferências. A falta de solidariedade que tramou a Grécia
pois nesta fase é preciso dinheiro novo. e ficou perto de extinguir o euro não pode repetir-se. Sem
Contacte-nos! A Comissão Europeia começou por garantir toda a flexibi- um Plano Marshall à escala europeia, a maior crise de 2020
Tel: 271212153 lidade permitida pelas regras orçamentais inscritas no Pacto não será de saúde pública, mas social. Porque a economia
Tlm: 964246491 de Estabilidade e Crescimento (PEC) para logo acionar, pela também mata.
14 • • Quarta-feira • 25 de março de 2020

Espaço
Público do Leitor
Tirar as pessoas das ruas* A “crise” que mudou o mundo
Sou um cidadão italiano residente na Guarda, uma cidade escolhida para A “crise” que se “abateu” no nosso dia-a-dia, o disponibilizam, agora à distância, atividades para os
viver em absoluta tranquilidade e longe dos aborrecimentos diários das grandes coronavírus (Covid-19), parou quase tudo, mudou o jovens realizarem em casa.
áreas urbanas. Tem locais bonitos, clima agradável na montanha, gente bonita. mundo. Estes últimos acontecimentos, que surgiram de No entanto, esta pandemia veio evidenciar o fosso
Uma vida saudável e esperançosamente duradoura. repente e alteraram completamente as nossas vivências, social que existe na sociedade. Nem todas as famílias ou
Mas com o coronavírus não parece, hoje em dia, já não poderei dizer obrigam a encarar a vida com outra importância. Se a instituições têm as mesmas condições de vida, recursos
bonito e saudável para a posteridade tendo em conta as notícias que vêm da nível económico as mudanças são graves e imprete- ou oportunidades. Para todos poderem ter as mesmas
Europa, da minha Itália e de Espanha, (…). ríveis, a nível social as mudanças vão condicionar a condições de evoluir como seres humanos é necessário
É verdade que Portugal esteve até agora longe da pandemia que está a forma como vivemos, o nosso lazer, a maneira como criar as mesmas oportunidades para todos. Esta é a
atacar a Europa, os seus cidadãos, a sua economia e estabilidade. É igualmente nos relacionamos…, fatores que influenciam a nossa premissa que vai ter que ser analisada e refletida pelos
verdade que ações tardias podem gerar situações graves, como comprometer a felicidade. Podemos aproveitar este tempo para PARAR nossos governantes. É necessário e, como prova esta
estabilidade do país em termos de estabilidade financeira e, não menos impor- e PENSAR. pandemia, urgente repensar estratégias para melhorar
tante, económica se as medidas adotadas forem projetadas ao longo do tempo. O nosso dia era vivido como se 24 horas não che- a qualidade dos serviços prestados.
Relendo os “Conjugues prometidos” (I Promessi Sposi), de Alessandro gassem. A rigidez dos horários profissionais não dava Enquanto a igualdade de oportunidades não é
Manzoni, quando o autor aborda os méritos da praga que atingiu o Ducado de espaço à necessária vivência do ser humano, fazendo uma realidade, cabe às famílias o papel fundamental
Milão (que estranha coincidência), em 1630, encontramos analogias aberrantes com que se perdessem os laços de ligação familiar e de formar os nossos jovens e, neste contexto de ad-
sobre a situação que estamos a enfrentar hoje. de relação social. versidade, por que não dar autonomia às crianças para
A Guarda parece não notar esse enxame pestífero (coronavírus) que está Esta forma de vida, sem tempo para dialogar, para que desenvolvam a criatividade e libertem a imagina-
a paralisar a Europa. E não é uma coisa boa. De facto, é ruim. ver os filhos crescer, relegando para segundo plano as ção, permitindo-lhes criar as mais variadas, e úteis,
Existem muitos pontos de contacto entre o relatado no livro e a situação relações de afetividade e a transmissão de valores im- competências, desde tarefas domésticas (cozinhar,
de emergência que estamos a enfrentar atualmente, a começar pela psicose portantes para um desenvolvimento humano saudável, fazer arrumações), experiências particulares (fazer
que acaba com as disputas entre cientistas e hospitais superlotados, perto do reflete-se na dificuldade que as famílias estão a sentir desporto, escrever, construir legos) e organizar os
colapso. Uma passagem diz «que a teimosia de negar a praga estava natu- em passarem 24 horas juntas. seus momentos de ócio e lazer (jogar, ler, ver televisão,
ralmente cedendo e se perdendo, à medida que a doença se espalhava e se Aquilo que deveria ser a normalidade, passar tempo ouvir música).
espalhava devido ao contacto e à prática» (…) Isto soa como um alarme para de ócio e lazer em família, está a ocasionar momentos Não se deve esquecer que todas estas atividades
governos que, sorrateiramente, tentam esconder a verdade. de stress e ansiedade, pois a azáfama de preencher o podem constituir momentos de convívio em família.
Então, não nos vamos surpreender por não ter mudado tanto. quotidiano com atividades não permite desenvolver a Criem os vossos mundos, criem as vossas dinâmicas…
Outra passagem diz: «No primeiro anúncio da praga, ficou frio em operar, criatividade e despertar a imaginação. Aproveitem para socializar com os vossos filhos,
de facto, na obtenção de informações» (…) Como se conflitos de poderes Sem soluções para ocupar as suas crianças, algu- para brincar e fazer as conexões familiares necessárias.
superiores fossem impostos de cima. «O terror da absentia e do lazareto estava mas famílias continuam a querer delegar na escola a As relação e interações humanas são intrínsecas ao
aguçando toda a inteligência; os doentes não foram notificados, os coveiros e ocupação e a formação dos jovens. Também as escolas, ser humano.
seus supervisores foram corrompidos» (…). por terem consciência das dificuldades das famílias ou
E, novamente, «mas no final de março, primeiro na vila do portão les- pela preocupação em continuar o processo educativo, Ricardo Pocinho e Bruno Trindade, investigadores
te, depois em todos os distritos da cidade, doenças e mortes se tornaram
frequentes, com estranhos acidentes de espasmos, palpitações, letargia,

Como podem os lares proteger os idosos


delírio com aqueles sinais fatais de contusões e bolhas; na maior parte mor-
te, rápida, violenta, não com frequência repentina, sem qualquer indicação
prévia de doença. Os magistrados, como aqueles que se ressentem de um
sono profundo, começaram a dar um pouco mais de atenção aos avisos, às
propostas da Saúde, para executar seus editais, as apreensões ordenadas, as com a escassez de recursos para tal?*
quarentenas prescritas (...)».
A sensibilidade das pessoas afetadas pelo coronavírus – que também Temos estado calados a observar as medidas imple- isentasse durante seis meses o pagamento da Segu-
afeta a minha família italiana – aumenta as expectativas dos governantes que mentadas para dar apoio às milhares de IPSS deste país rança Social?
ainda demoram a tomar decisões coercivas, fortes, rigorosas para impedir a por parte do Governo ou até por parte das autarquias Pois meus amigos se em caso extremo estas ins-
entrada e saída das pessoas. Sem nenhum respeito pelas regras básicas de e, lamentavelmente até agora nada. tituições não conseguirem passar esta fase, os nossos
saúde a adotar em circunstâncias tão diversas e contundentes como as que Aparece agora a notícia de quatro lares com casos idosos têm que ir para junto das suas famílias e depois
este vírus nos forçou, usam-se roupas de camuflagem que estão a travar a positivos! Seria esta situação inevitável, não acham? aí é que vai ser o caos total.
ânsia de progresso e a virtualidade do nosso estilo de vida, desprezando este Apesar de todos os cuidados e de todas as medidas já Espero ter contribuído para que o primeiro-ministro
mundo que nos hospeda apenas por alguns anos. há muito tomadas pelas instituições, é nos lares que António Costa e os seus ministros da Saúde e da Se-
É preciso tirar as pessoas das ruas, de lugares públicos, de reuniões se concentra um dos grupos de maior risco e que, dia gurança Social reflitam.
desnecessárias. Vamos salvar as nossas vidas deste inimigo invisível. após dia, são confrontados com a escassez de recursos Não quero acabar sem também dizer ao sr. pre-
e a enorme dificuldade para adquirir equipamentos de sidente da Câmara da Covilhã, dr. Vítor Pereira, bem
* Título da responsabilidade da redação proteção. como a todos os autarcas deste país, que olhem para
E os funcionários que estão nas instituições? Esses este momento difícil que estamos a viver e que ajudem
Riccardo Benedetti, Guarda (17 de março de 2020) que se apresentam diariamente para cumprir o seu as IPSS dos seus concelhos, pois elas estão sempre na
trabalho, que abandonam a sua família de quarentena linha da frente e apoios, onde andam eles?
em casa, para cuidar dos nossos idosos e dar-lhes toda Para terminar quero bater as palmas de pé, in-
a atenção e cuidados diários a que se comprometeram. tensivamente, aos milhares de trabalhadores deste
Carta aberta ao Sr. Esses que, também eles, estão na linha da frente, como
podem proteger-se? Como podem continuar a proteger
país que estão na linha da frente, desde médicos,
enfermeiros, camionistas, trabalhadores de lojas

Presidente da Câmara
os idosos com a escassez de recursos para tal? de bens alimentares, bombeiros e em especial aos
Pergunto? trabalhadores dos lares e centros de dia, muitas
Não seria de bom tom que o nosso Governo ga- vezes esquecidos!

Municipal da Covilhã rantisse que, do material que vai chegar esta semana,
algum vá de imediato para os lares? * Título da responsabilidade da redação
Não seria de bom tom as autarquias darem um
Exmo. Dr. Vítor Pereira.
apoio com a isenção completa do pagamento da água? Rui Amaro, presidente da administração do
Todos sabemos que estes são tempos novos devido ao surto do Covid-19,
Não seria de bom tom que a Segurança Social Centro Social Comunitário do Peso (Covilhã)
eu como covilhanense e cidadão deste concelho, escrevo-lhe com o intuito de
lhe dar a conhecer a minha preocupação e muito provavelmente a preocupação
de toda a população do nosso concelho.
Sei que a Câmara Municipal já tomou medidas, e bem, quanto ao atendi-
mento ao público nas diversas repartições, mas durante todo este tempo tem-
se esquecido da população que está em quarentena na cidade e no concelho,
sabendo o sr. que no nosso concelho reina a politica dos baixos salários, ou
seja do salário minino nacional (635 euros), e estando já tanta gente em casa
e muito provavelmente a partir de hoje [dia 18] vai ficar o resto da população,
já está na hora de o sr. presidente agir e, à semelhança de outras autarquias
do país, tomar algumas medidas para salvaguardar a população que no final
deste mês vai ficar com um rendimento mais reduzido.
Por isso, peço-lhe que considere e que tome medidas de imediato em que,
já no mês de março, a água seja gratuita para a população, que os parquímetros
sejam desligados para que as pessoas possam estacionar à vontade sem que sejam
autuadas pelas forças de segurança, que o policiamento seja mais presente para
que os “amigos do alheio” não se aproveitem desta situação, e que reduza o IMI.
Dr. Vítor Pereira, espero que esta carta aberta chegue até si e que lhe dê a
importância que esta merece dado os tempos que correm e que acolha todas
as medidas que lhe proponho e que as ponha em prática a partir do dia de hoje. Participe no espaço do leitor. Diga de sua justiça.
Rua da Corredoura, 80 - R/C Dto C • 6300-825 Guarda • ointerior@ointerior.pt
Sérgio Santos, Covilhã (18 de março)
Quarta-feira • 25 de março de 2020 • • 15

FIO
opinião de
PRUMO
opinião
Fernando Rente * Acácio Pereira

O excedente é uma miragem Trabalhar em tempo de coronavírus


Quando em dezembro passado, a China de José Saramago, constata a enorme ana- Vivemos uma realidade tal em todo sem ver a família para cuidar dos seus
anunciou os primeiros casos do coronavírus logia de pormenores e situações de contágio o mundo que o único assunto que ver- utentes. Seja nas instituições que levam
na cidade de Wuhan todos estariam longe dos romances idealizados pelos escritores dadeiramente interessa é a epidemia do refeições a casa de pessoas, seja nas
de imaginar as consequências terríveis que com a atual situação, esta infelizmente bem coronavirus. Na aldeia global em que se autarquias, seja nas empresas, é notável
este vírus iria provocar na economia mundial. real, que o mundo está a conhecer. transformou o planeta, o dia de trabalho o trabalho que tantas lideranças estão a
As Bolsas de Valores, que refletem o estado E por cá? No nosso caso as coisas de Donald Trump, de Vladimir Putin ou fazer para manter os trabalhadores ativos
de espírito dos investidores e da economia estão bem diferentes do que se passa em de Xi Jìnpíng, é praticamente igual ao e, recebendo o mesmo salário, fazerem
em geral, têm conhecido quedas diárias Itália. A situação parece ainda estar contro- do presidente da Junta de Freguesia da muito mais por todos nós.
colossais. lada, embora diariamente tenham aumentado minha aldeia, ou do presidente da Câmara Esta crise prova, assim, que não é só
Com efeito, o surto tem-se espalhado significativamente o número de infetados. da Guarda: todos estão ocupados a tentar nos trabalhadores do Estado que existe o
com uma rapidez impressionante, tal como Existem escolas, universidades e imensos minorar os efeitos da pandemia. espírito de serviço público. Ainda assim,
o pólen das arvores é disseminado pelo serviços camarários fechados. O Governo tem Com a maior parte da população em realce-se a forma competente como os
vento num dia de Primavera, ao ponto da anunciado algumas medidas para fazer face à casa, é de elementar justiça falar daqueles profissionais de saúde se têm comportado
OMS (Organização Mundial de Saúde) ter já atual situação, passando inclusivamente por que, enfrentando riscos, vão trabalhar nesta crise: a contenção do número de
declarado a pandemia a nível mundial. O caso anunciar apoios, ainda não concretizados, às para que a maior parte possa proteger- mortos nestes primeiros dias de contágio
mais complicado parece ser agora Itália. Por pequenas e médias empresas. se ficando em casa. Quem trabalha nas tem a ver com isso, independentemente do
muitas medidas que o Governo daquele país Temos que estar preparados para uma gasolineiras, nos supermercados, quem que o futuro nos trouxer.
tome, está a ser difícil quebrar a corrente que redução substancial da receita fiscal, por via conduz camiões TIR pelo país e pela Euro- Permitam-me também uma palavra
todos os dias infecta centenas de cidadãos. da quebra substancial do IVA no turismo, pa, comendo e dormindo nas cabinas, são para as forças e serviços de segurança: de
Sobre aquele país a imprensa traz diariamente quebra do IRC e IRS, etc. Paralelamente, irão heróis anónimos que merecem o nosso uma forma generalizada, mantiveram-se
notícias terríveis, como os médicos terem que aumentar de forma significativa os gastos agradecimento. firmes nos seus postos na linha da frente
escolher quem tratar e quem deixar morrer. com a Segurança Social e nomeadamente com O mesmo se diga de quem continua e, com firmeza, mas com civismo e peda-
Isto está a acontecer num dos países o SNS (Serviço Nacional de Saúde). a plantar e a colher frescos e a levá- gogia, têm dado o seu melhor para manter
mais ricos e desenvolvidos da Europa e do Será caso para dizer que Mário Centeno los aos mercados, a tratar animais e Portugal um país seguro e funcional.
mundo… A desorganização é total. As es- bem poderá dizer adeus ao seu excedente a entregá-los no matadouro, a quem A dar o seu melhor está também o
truturas sociais estão fortemente abaladas. orçamental de 2020, que tanta notoriedade mantém os talhos e as padarias abertas Hospital Sousa Martins, da Guarda, que
Diariamente morrem mais de cem pessoas lhe tem proporcionado. Habitualmente, tenho e todas as lojas e mercearias de bairro devido às competências em Pneumolo-
devido a esta pandemia. Os hospitais estão a sido critico das medidas – melhor, da falta de que permitem ficar em casa à espera que gia, faz parte do grupo de cinco hospitais
abarrotar com milhares de doentes infetados. medidas do Governo em prol da economia. passe esta hora negra. nacionais referência de “segunda linha”
Os serviços estão fechados, os transportes Desta vez, e para tentar suster o surto, todos Quero também mencionar todos os para a contenção do Covid-19.
parados, os supermercados de prateleiras devemos cumprir escrupulosamente as orien- que trabalham em IPSS e que cuidam de A todos os que estão a sair de casa
vazias. E a economia? A produção de bens e tações emanadas pela Direção-Geral da Saúde idosos, o grupo de risco por excelência todos os dias para trabalhar, bem hajam!
serviços? A distribuição? – Os efeitos terríveis e penso que o Governo, com bom senso, tem desta pandemia, e que se mantêm ao lado E protejam-se!
desta situação virão a seguir. feito o que deve ser feito. deles, para os alimentar e lavar, muitas
Quem leu os livros “A Peste”, de Albert vezes dormindo nos lares e ficando dias * Dirigente sindical
Camus, ou mesmo “Ensaio sobre a Cegueira”, * Economista

Ler Jornais é saber Mais


PUB

Assine O INTERIOR
Renove a sua Assinatura
Identificação: Nacional_ ____ Semestral.....(16€) Anual.. (30e)
Nome: _________________________________________________________________________________________________________
Estrangeiro_ Semestral.....(18€) Anual.. (35e)

Morada: ________________________________________________________________________________ Código Postal: _________ - ______ Localidade: _____________________________________________

NIF: ________________________ Telefone/Telemóvel: __________________________________________________ Email: ________________________________________________________________

Modo de Pagamento:
Enviar para: Rua da Corredoura 80, R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Transferência Avulsa
IBAN: PT50 001000002256785000177
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Assinatura __________________________________________________ Data _____/_____/________
Transfira o valor da Assinatura para o NIB indicado e junte a este cupão o talão comprovativo da transferência.
O Jornal O Interior compromete-se a adoptar as medidas de segurança necessárias para garantir a salvaguarda dos dados
Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________ pessoais / empresas dos assinantes contra a sua eventual utilização abusiva ou contra o acesso não autorizado.
O contrato de assinatura renovar-se-á por iguais e sucessivos períodos de tempo (seis/12 meses), até que qualquer das partes
Numerário denuncie a desistência por meio de comunicação escrita com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.
16 • • Quarta-feira • 25 de março de 2020

opinião
rua da corredoura, 80 - R/C Dto - C 6300-825 Guarda
Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt • publicidade@ointerior.pt • ointerior@ointerior.pt
bilhete postal

Quatro infetados “Tremendismo” dcabrita@iol.pt


Diogo Cabrita

Não vem de trevas, nem são termas, nem chega de temendo

no distrito
que treme, mas é uma derivação de tormenta, de tremendo que é
grande. Um inesperado vírus de média dimensão soltou-se do mar
e veio atormentar os crentes e os ateus. O mostrengo acordou os
viajantes, os turistas, os que reúnem por todo o lado, as casas de
prazer, os ganhos com afetos, a restauração, os jogos coletivos, a
cultura, as salas de espetáculo. Atacou mais ainda os pedintes, os

da Guarda
que vivem da esmola, os que dependem da caridade nos semáforos,
nas portas dos cafés. Sem transeuntes afundam-se na fome. Um
negro tempo vem por aí criando a sensação de insegurança, liber-
tando o medo cego, a emoção mais pobre. Solta-se a cobardia em
vez do beijo, levanta-se o isolamento por vez do abraço. Agora são
todos Trump e querem cercas, muros e distância. Arreda satanás!
À hora do fecho desta edição sitário da Cova da Beira (CHUCB) saúde, menos 4,5 por cento face a Os fenómenos que convertem a besta em bestial são os mesmos
havia 11 infetados com o novo Co- foi também diagnosticado na terça- sábado (13.155). De acordo com que levam o doce para amargo, o fantástico a converter-se num
ronavírus internados no Hospital feira de manhã um homem com cer- o mapa da situação, existiam na biltre. Os bancos – já nós sabíamos – personificam a ganância,
Sousa Martins, na Guarda. Destes ca de 40 anos, residente no Fundão, altura 180 casos na região Centro, a ausência de solidariedade. O que me preocupa neste monstro
quatro serão do distrito da Guarda como confirmou a O INTERIOR o 825 casos na região Norte, 534 na pequeno que agora nos alcança são as megaempresas de milhares
e os restantes pessoas que foram presidente da Câmara Paulo Fernan- região de Lisboa e vale do Tejo, cinco de salários. Uma Zara (Inditex), uma waktowalk, uma Decathlon,
diagnosticadas na ULS Guarda. des. Trata-se de um indivíduo que no Alentejo, 35 casos confirmados uma Leroy Merlin representam TSU aos magotes, são garantia de
Na segunda-feira deu entrada regressou «do estrangeiro há cerca no Algarve, sete casos na Madeira e milhares de empregos e num repente ficam de portas fechadas.
um residente do concelho de Aguiar de 12 dias» e se manteve em isola- quatro nos Açores. Quanto tempo aguentam a uma escala europeia o seu encerramen-
da Beira que será o quarto infetado mento profilático desde então, como Segundo a DGS, 33 casos re- to? Mil empregados a 650 euros de salário e 450 de TSU e outras
do distrito. Este foi o segundo cida- forma de prevenção. Os sintomas sultam da importação do vírus de obrigatoriedades perfaz 1 milhão de euros por mês. Para a Inditex
dão daquele concelho a dar positivo, ligeiros terão surgido no passado Espanha, 24 de França, 20 de Itália, podem ser 10 milhões na escala europeia. São pagamentos sem
depois de, na semana passada, ter sábado e neste momento o doente nove da Suíça, quatro do Brasil, sete entrada de ganhos. Estas empresas pagam IVA na percentagem das
ficado internada uma mulher com está «estável» e a receber tratamen- do Reino Unido, cinco dos Países vendas e, portanto, ao Estado não chegará o contributo de IRC e
coronavírus. Também internada to no CHUCB. Este foi o segundo Baixos, dois de Andorra, dois dos de IVA. Depois do Mostrengo na saúde virá o bolso vazio e depois
no Sousa Martins está uma mulher infetado confirmado no Hospital da Emirados Árabes Unidos, um da Bél- o caos da burocracia do incumprimento. É o “Godzila” a trazer os
de 78 anos, emigrante em França Covilhã, depois de sábado ter sido gica, outro da Alemanha e Áustria, filhos e cada um quer comer uma fatia.
e que é originária da freguesia de diagnosticado um camionista que se dois da Índia e ainda outro do Irão.
Parada. Este caso provocou uma encontrava de passagem pela região.
PUB
situação de pânico no concelho de Na província de Salamanca,
Almeida onde, como confirmou a O aqui ao lado, foram ontem confir-
INTERIOR o presidente da Câmara, mados um total de 483 infetados e
há neste momento 90 pessoas em 38 mortes provocadas pelo novo co-
quarentena por, de acordo com ronavírus. A situação é considerada
António Machado, terem assistido altamente preocupante e Salamanca
a um batismo onde também «estava é uma das cidades espanholas onde
a senhora». os serviços de saúde estão com
O quarto infetado é um cidadão mais problemas e há vários médicos
da Guarda que regressou de Madrid infetados.
há poucas semanas e que já estará Em Portugal, a Direção-Geral da
em recuperação no seu domicílio Saúde (DGS) atualizou na terça-feira
após ter dado positivo nas análises para 30 os casos de mortes devido
feitas há uma semana no hospital ao coronavírus. Nesse dia havia
local. Há ainda um quinto infeta- ainda 2.362 infetados. Eram mais
do, cuja naturalidade não nos foi 302 casos e mais seis mortes no dia
possível confirmar. Trata-se de um anterior. À hora do fecho desta edi-
homem que regressava de Andorra ção, na terça-feira, as informações
de autocarro e que foi socorrido disponibilizadas no Boletim Epide-
em Seia, tendo sido transportado miológico referiam 1.152 casos que
para o Hospital Sousa Martins onde aguardavam resultado laboratorial e
se confirmou estar infetado com a a existência de cinco casos recupe-
Covid-19 na manhã desta terça-feira. rados. Havia ainda 12.562 contatos
No Centro Hospitalar Univer- em vigilância pelas autoridades de

Ativado plano de emergência distrital


da Guarda
A Comissão Distrital de Pro- culação interinstitucional, para
teção Civil da Guarda ativou o que se implementem, de forma
plano de emergência distrital eficaz, as medidas preconizadas
para «aumentar a capacidade de no Decreto 2-A/2020 de 20 de
coordenação, controlo e articu- março, assim como reforçar os
lação interinstitucional» devido mecanismos compensatórios
à pandemia da Covid-19. que permitam anular possíveis
«Na sequência da propos- constrangimentos na capacida-
ta apresentada pela Comissão de de mobilização operacional
Distrital de Proteção Civil, a dos agentes de proteção civil e
secretária de Estado da Admi- demais entidades com especiais
nistração Interna autorizou a deveres de colaboração».
ativação do Plano de Emergência A ativação deste plano im-
do distrito da Guarda entre as plica ainda a constituição de
00h00 do dia 23 de março e as uma subcomissão permanente
24 horas de 3 de abril», anunciou para «acompanhamento da situ-
o comandante operacional do ação, que procede à recolha de
Comando Distrital de Operações informação para inventariação
de Socorro (CDOS) da Guarda, dos danos e prejuízos que são
António Fonseca, em comunicado comunicados à Comissão Distri-
enviado a O INTERIOR. Segundo tal de Proteção Civil e entidades
a nota, a ativação do plano «nas competentes». Carlos Ascensão,
atuais circunstâncias de pan- presidente da Câmara de Celorico
demia da Covid-19 tem como da Beira e da Comissão Distrital media
veritas
objetivo aumentar a capacidade de Proteção Civil, passa a ser
de coordenação, controlo e arti- também diretor do plano.