Você está na página 1de 11

ISHCT celebra 20 anos de existência Página 16

J O R NA L U N I V E RS I TÁ R I O DA P O L I T É C N I C A
DIRECTORA: PROFª. DOUTORA ROSÂNIA DA SILVA | ANO III | EDIÇÃO Nº 24
JULHO - DEZEMBRO - 2017 REGISTO N.° 09/GABINFO-DEC/2013

www.apolitecnica.ac.mz

IMEP
introduz
novos cursos
em Tete e
Nampula
Página 9

ESEUNA
celebra 10 anos
com novos
desafios
ESA gradua PELA Página 8

primeira vez Tomou


posse a nova

em Lichinga Página 6
Direcção da
AEUPO
Página 19

Carlos Lopes: Empossados


Doutor Honoris Causa novos Pró-
Reitores
pela A Politécnica Página 12
Página 5

ÍNDICE
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

2 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 3

Sumário LEIA NESTA EDIÇÃO 24


4 Narciso Matos substitui Lourenço do Rosário

5 Empossados novos Pró-reitores


Nota de abertura

E
6 ESA gradua pela primeira vez em Lichinga sta é a XXIV edição do jornal “O Académico”, que publica hoje os
acontecimentos que mais destaque tiveram na Universidade Po-
litécnica nos últimos seis meses do ano de 2017, prestes a findar.

7 Atribuído nome de Lourenço do Rosário


a Centro de Estudos Africanos em Portugal
Com efeito, encontrará na presente edição, entre outros aspec-
tos relevantes, a tomada de posse do Professor Doutor Narciso
Matos como novo Reitor da Universidade Politécnica, em substituição do

8 ESEUNA celebra dez anos a preparar-se para novos desafios


Professor Doutor Lourenço do Rosário, que dirigiu a instituição desde a sua
criação, em 1995.
Igualmente, nesta edição destaca-se o empossamento da Professora Douto-

9 IMEP introduz seis novos cursos em Tete e Nampula ra Rosânia da Silva e do mestre Augusto Jone como Pró-Reitores para a Área
de Pós-Graduação, Investigação Científica, Extensão Universitária e Coope-
ração e para Graduação Presencial e à Distância, respectivamente.

10 IMEP’s e ESDP vão crescer em qualidade e número de alunos Ainda na presente edição, “O Académico” inclui também a primeira gra-
duação da Escola Superior Aberta (ESA), ocorrida em Lichinga, Niassa, e a
cerimónia de atribuição do título de Doutor Honoris Causa ao académico
12 Carlos Lopes: Doutor Honoris Causa pela Universidade Politécnica guineense Carlos Lopes, na especialidade de Estudos de Desenvolvimento.
Em Novembro, a Escola Superior de Estudos Universitários (ESEUNA), de

13
Nampula, celebrou 10 anos de existência, enquanto o Instituto Superior de
Provedores privados de educação lançam associação em Maputo Humanidades, Ciências e Tecnologias (ISHCT), em Quelimane, vai comemo-
rar, no próximo ano, 20 anos da sua criação e instalação do Ensino Superior
na Zambézia, estando para isso a preparar-se para a efeméride.
14 Cidadãos têm má percepção sobre instituições do Estado Outro assunto destacável é o facto de o Instituto Médio Politécnico (IMEP)
introduzir, em 2018, seis novos cursos em Tete e Nampula, no quadro do

15
Programa de Reforma do Ensino Técnico-Profissional (REPTO), cuja vocação
Urge corrigir sistema nacional de ensino é formar e graduar técnicos profissionais de nível médio.
Salienta-se, igualmente, o facto de a Direcção da Escola Superior de Educa-

16 FUNDE organiza feira de assistência jurídica


ção de Santarém ter decidido atribuir o nome do académico moçambicano
Lourenço do Rosário ao seu Centro de Estudos Africanos, acto que aconte-
ceu em Portugal, durante o Simpósio Mundial de Estudos da Língua Portu-

17
guesa.
ISUTE: atingir a meta de estudantes é o grande desafio
Finalmente, foi recentemente empossada este mês a nova direcção da As-
sociação de Estudantes dos Universidade Politécnica (AEUPO), liderada por

18 “Queremos fazer da ESGCT o centro de excelência" Suneila Faquir, que venceu o escrutínio havido para a liderança da agremia-
ção com um total de 205 votos, contra 158 obtidos pela adversária.
Desejamos-lhe feliz Natal e um bom ano novo de 2018. n

19 Docentes formam-se em empreendedorismo

20 Politécnica imbatível em seniores masculinos

J O R N A L U N I V E R S I TÁ R I O D A P O L I T É C N I C A

REGISTO N.° 09/GABINFO-DEC/2013


Assessor: Lic. Leandro Paul - leandropaul@fimdesemana.co.mz
Textos: Prof. Doutor Lourenço do Rosário - lrosario@apolitecnica.ac.mz
Prof. Doutor João Mosca - jmosca@apolitecnica.ac.mz
Profª. Doutora Rosânia da Silva - rpsilva@apolitecnica.ac.mz
Propriedade: Universidade Politécnica
Endereço físico: Av. Paulo Samuel Kankhomba, nº 1011 | Email: de@apolitecnica.ac.mz
Directora: Profª. Doutora Rosânia da Silva
Telefone: +258 21 352 750 | Fax: +258 21 352 701
rpsilva@apolitecnica.ac.mz
Cel: +258 82 3285250 | +258 82 3133700 | +258 82 3126180
www.apolitecnica.ac.mz Layout: FDS www.fimdesemana.co.mz

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

4 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 5

em foco em foco

REITOR DA UNIVERSIDADE POLITÉCNICA


Empossados novos Pró-reitores
Narciso Matos substitui
Lourenço do Rosário
▶ O Professor Doutor
Narciso Matos tomou
posse, em Setembro
último, como novo
Reitor da Universidade
Politécnica, em

F
substituição do Professor oram empossados, em Silva e pelo mestre Augusto Jone, de Reitoria, Professor Doutor Carlos
Doutor Lourenço do Agosto último, em Maputo,
novos quadros do Conselho
respectivamente.
Na ocasião, o Professor Doutor
Sotomane; o Director-Adjunto da Uni-
dade de Extensão Universitária, Dr.
Rosário, que dirigiu a Directivo, no âmbito do pro- Lourenço do Rosário, então Reitor da Mateus Simbine; o Director da Escola
cesso de reestruturação da Universidade Politécnica, instou os Superior Aberta (ESA), Mestre Arnal-
instituição desde a sua Universidade Politécnica. empossados a “conduzir com zelo os do Nhavoto, entre outros quadros.
O empossamento resulta da in- destinos desta instituição, já con- Com o empossamento dos novos
criação, em 1995. trodução da figura de Pró-Reitor para solidada e com prestígio nacional e quadros, conforme explicou a chefe

N
a Área de Pós-Graduação, Investiga- internacional, visando o alcance dos do Gabinete de Relações Públicas e
ção Científica, Extensão Universitária pressupostos que nortearam a sua Protocolo, a Licenciada Alorna Langa,
arciso Matos, Doutorado e Cooperação e, igualmente, para criação”. espera-se manter o prestígio da
em Química pela Univer- a Área de Graduação Presencial e à Igualmente, foram empossados o Universidade Politécnica, consolidar
sidade de Humboldt, Ale- Distância, cargos a serem ocupados Director para Assuntos Científicos a investigação científica e melhorar a
manha, desempenhava, pela Professora Doutora Rosânia da e Pedagógicos junto do Conselho qualidade de ensino. n
até à data do seu empos- que tutela o relacionamento inter- pela pesquisa com rigor científico e Lourenço do Rosário, cujo esforço e
samento, a função de Pró-Reitor para -institucional do Grupo. pelo serviço comunitário”, asseve- dedicação foram reconhecidos pelo
o Desenvolvimento Institucional da No seu discurso, o novo Reitor rou Narciso Matos. Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho
Universidade Politécnica. comprometeu-se a consolidar e valo- Por seu turno, Lourenço do Rosário do Rosário, que testemunhou o acto.
Com esta passagem de testemu- rizar o legado deixado pelo seu ante- fez uma visita ao passado para falar “Manifestamos o nosso reconheci-
nho, o Professor Doutor Lourenço do cessor e a dar primazia à qualidade de do contexto em que foi criada a Uni- mento pela sua valiosa e inestimável
Rosário, fundador do então Instituto ensino, uma das marcas da Universi- versidade Politécnica, em 1995, um contribuição na formação do capital
Superior Politécnico e Universitário dade Politécnica. ano após a realização das primeiras humano em prol do desenvolvimen-
(ISPU), actual Universidade Poli- “Vamos pugnar sempre por eleições multipartidárias do País. to de Moçambique. Os seus feitos
técnica, deixou, 22 anos depois, a continuar a ser uma excelente uni- “Criar uma universidade privada são notáveis e foram determinantes
Reitoria da instituição, continuando, versidade, que dá ao país quadros naquele contexto foi um acto de co- para o crescimento e consolidação da
no entanto, a assumir funções de preparados para contribuírem para ragem e ousadia, dado que no país Universidade Politécnica”, considerou
Presidente do Conselho de Adminis- o bem-estar social, que participa e ainda dominava a ideia de que o Es- o Primeiro-Ministro, que participou,
tração do Grupo IPS, proprietário da intervém na reflexão e no debate tado é provedor de tudo. Para além igualmente, na XIX cerimónia de gra-
Universidade, para além de passar a das questões nacionais candentes e de que acabávamos de sair de uma duação de estudantes da Universidade
exercer a função de Chanceler, órgão que está enraizada em Moçambique guerra que durou 16 anos”, explicou Politécnica, na qual foram colocados no
mercado 272 quadros superiores, sendo
253 licenciados e 19 mestres.
Aos graduados, dos quais 62% são
do sexo feminino, Carlos Agostinho
do Rosário instou-os a aplicarem os
conhecimentos adquiridos ao serviço
do país, “com vista a elevarmos con-
tinuamente os níveis de produção e
produtividade e, desse modo, con-
tribuir para a melhoria das condições
de vida da população”.
Com esta cerimónia sobe para
8439 o número de graduados pela
Universidade Politécnica, muitos dos
quais especialistas e investigadores
que, em várias frentes, têm contribuí-
do com o seu talento para o desen-
volvimento do país. n

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

6 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 7

em foco em foco

Atribuído nome de Lourenço do Rosário


ESA gradua pela primeira a Centro de Estudos Africanos em Portugal
vez em Lichinga A direcção da Escola Superior de
Educação de Santarém decidiu
atribuir o nome do académico
moçambicano Professor Dou-

▶ A Escola Superior Aberta (ESA), Pólo de Lichinga, uma unidade orgânica da Univer- tor Lourenço do Rosário ao seu
Centro de Estudos Africanos.
O acto aconteceu durante o
sidade Politécnica, graduou, nos finais do mês de Outubro, um total de 23 estudantes, Simpósio Mundial de Estudos da
Língua Portuguesa, que decorreu
que passaram a estar habilitados profissionalmente para dar o seu contributo para o de 23 a 28 de Outubro último, na
cidade de Santarém, Portugal,
desenvolvimento da província do Niassa e não só. onde participaram cerca de 1500

N
delegados vindos de academias
desta área espalhadas pelo
a cerimónia, a primei- É expectativa da Universidade nica, um momento de júbilo e de dades laborais presencialmente mundo.
ra da Escola Superior Politécnica que os 23 graduados, satisfação, por ter contribuído para e as curriculares, virtualmente, A atribuição do nome de Lou-
Aberta, desde a ofi- dos quais 11 são homens e 12 a formação de profissionais com por meio de tecnologias de in- renço do Rosário ao Centro de
cialização das suas mulheres, dêem o seu contributo competências básicas em matérias formação e comunicação, com Estudos Africanos da Escola
actividades na cidade para o desenvolvimento socioe- de Administração Pública, Ciências horas presenciais para a troca de Superior de Educação de San-
de Lichinga, em 2013, foram gra- conómico da província do Niassa, da Educação e de Gestão de Recur- impressões com os respectivos tarém justifica-se, segundo os
duados estudantes formados nos através da aplicação dos conhe- sos Humanos. tutores. seus promotores, pelo facto de
cursos de Administração Pública, cimentos adquiridos durante a o académico, enquanto colab-
Ciências da Educação, Ciências Ju- Por outro lado, a cerimónia pro- Refira-se que com estes 23 estu-
formação. orador daquela instituição de mo estabelecimento de ensino, prestados na aproximação das rela- pelo governo português, com o grau
rídicas, Ensino de História e Geo- porcionou a graduação, a nível da dantes sobe para 8464 o número de
ensino superior de Portugal, nomeadamente nos cursos de ções académicas entre Moçambique de Oficial da Ordem de Santiago da
grafia, Gestão de Empresas, bem A cerimónia de graduação repre- província do Niassa, de estudan- graduados pela Universidade Poli-
de 1988 a 1992, "ter pro- pós-graduação". e Portugal e entre Moçambique e Espada, em 2008.
como de Recursos Humanos. senta, para a Universidade Politéc- tes que cumpriram as suas activi- técnica a nível do país. n
movido a aproximação das De recordar que Lourenço do Rosário Brasil, Lourenço do Rosário já foi Na cidade de Quelimane, capital
instituições africanas àquela é membro da Academia de Ciências condecorado pelo governo brasileiro da província da Zambézia, igual-
instituição e ter introduzido de Lisboa. com o Grau de Comendador da Or- mente, uma das ruas ostenta o seu
os estudos africanos no mes- Também pelos serviços relevantes dem do Cruzeiro do Sul, em 1999, e nome. n

ESA representada em Massangena Em termos de perspectivas para o


próximo semestre, Arnaldo Nhavoto
A ESA já está representada no dis- apostar ainda mais na qualidade das
disse que para além das actividades
trito de Massangena, província de tutorias, tanto à distância, quanto às sos: Gestão de Empresas, Gestão de de carácter permanente ineren-
Gaza, pois pretende, gradualmente, presenciais. Recursos Humanos, Ciências Jurídi- tes às inscrições dos estudantes,
atingir outros pontos do país através cas, Administração Pública, Ciências
Arnaldo Nhavoto realçou que a ESA, programação e gestão dos cursos,
da campanha de divulgação dos cur- da Educação e Ensino de História e
pela primeira vez, realizou a ceri- atendimento e apoio dos estudan-
sos que ministra. Geografia. A estratégia de inscrição
mónia de graduação em Lichinga, tes, tutoria e avaliação dos estudan-
Para colher mais informações sobre sedimentando, desta forma, a sua em blocos permite também que não tes, gestão da Plataforma Moodle,
as actividades desenvolvidas pela presença neste ponto do país. Com haja muita variação, em termos do participação nas cerimónias de
Escola Superior Aberta (ESA), em efeito, foram 23 graduados que se número de estudantes ao longo do graduação dos estudantes da ESA e
2017, “O Académico” conversou com juntaram aos de Maputo, Tete, Xai- ano. actividades da área administrativa,
o director da escola, Mestre Arnaldo -Xai e Quelimane, perfazendo um Acrescentou que em termos do a ESA se propõe a dar atenção a
Nhavoto, que confirmou o facto e, total de 591 graduados em 2017. número de estudantes a escola con- mais acções, como consolidar e di-
para exemplificar, anunciou que, no tinua a enfrentar desafios quanto namizar o uso da Plataforma Moo-
Abordando a questão das inscrições
presente ano, a unidade conseguiu às desistências. Até ao final de 2017 dle, passando desta forma de um
dos estudantes, programação e ges-
apetrechar o centro de recursos de a ESA conta com 741 estudantes, simples espaço para depositar ma-
tão dos cursos à distância, o direc-
Mueda. distribuídos do seguinte modo: 2º teriais de estudo para uma platafor-
tor da ESA esclareceu que a escola
Fazendo o balanço das actividades adoptou um modelo de ensino que semestre, 183 estudantes; 4º semes- ma que vai permitir uma interacção
desenvolvidas, Arnaldo Nhavoto envolve alguns momentos presen- tre, 177; 6º semestre, 209; 8º semes- pedagógica entre os usuários.
afirmou que, dum modo geral, o ba- ciais e outros à distância. tre, 172 estudantes. A ESA pretende, igualmente, con-
lanço é positivo, apesar de o efectivo “Quanto ao número de tutores, a solidar o projecto de abertura de
As disciplinas estão divididas por
de estudantes variar dum semestre ESA contou com 69, dos quais dois mais dois cursos, esperando realizar
semestres e em cada um deles há
para outro, devido às desistências. Professores Doutores, 23 Mestres e acções de formação dos elabora-
dois blocos. Esta estrutura de plano
44 Licenciados. Ainda prevalece o dores dos planos de estudo e dos
“Em termos de qualidade de ensino de estudos, dividida em blocos de Gestão da -se que com estas acções de capa-
materiais de estudo para os cursos
envolvimento da parte dos tutores com o incremento do número de desafio de elevar o nível académico citação se possa habilitá-los, cada
e aprendizagem, com a introdução
e estudantes”, explicou o director estudantes.
três disciplinas, cada, permite que
dos tutores, bem como capacitá-los Plataforma Moodle vez mais, no uso desta plataforma, de Contabilidade e Auditoria e Psi-
da Plataforma Moodle sentimos haja admissão de estudantes quatro
que houve uma melhoria ao nível da ESA. Referiu ainda que ao longo do ano, vezes ao ano, ou seja, qualquer inte- em matérias de Educação à Distân- Segundo informou, com a entrada havendo ainda a destacar o facto de cologia Organizacional. Também vai
de interacção entre os tutores e os Destacou o facto de os colaborado- com a revisão das normas e proce- ressado poderá matricular-se no iní- cia. Do total de tutores, 53 são do em funcionamento e uso da Plata- todos os usuários estarem inscritos, prosseguir com as acções de forma-
estudantes. Avaliando o grau de res da ESA estarem focados na me- dimentos de tutoria e avaliação, foi cio de cada bloco nos seguintes cur- sexo masculino e 16 do sexo femini- forma Moodle o foco foi mais para a o que vai possibilitar a incorporação ção de tutores e estudantes da ESA
acesso, que ronda os 70%, pode- lhoria da qualidade de oferta curricu- possível elevar o nível motivacional no, o que corresponde a 23% do uni- capacitação dos coordenadores dos e o acesso rápido aos materiais de sobre a utilização da Plataforma
lar, o que naturalmente vai culminar dos estudantes, pois passou-se a continua na pág. seguinte »» verso de tutores”, esclareceu. Pólos, tutores e estudantes. Espera- estudo. Moodle. n
mos dizer que se nota um grande

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

8 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 9

reportagem reportagem

Em 2018
ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz seis novos
a preparar-se para novos desafios cursos em Tete e Nampula
▶ A Escola Superior de Estudos Universitários de Nampula (ESEUNA), uma unidade ▶ O Instituto Médio Politécnico (IMEP), sob tutela De acordo com a nossa interlocutora,
o REPTO-IMEP constitui uma oportu-
cia de possíveis parceiros com quem
cooperar, franco crescimento económi-
orgânica da Universidade Politécnica, celebrou, a 5 de Novembro último, 10 anos de da Fundação Universitária para o Desenvolvimento nidade de quebrar a barreira, segun- co, procura crescente de mão-de-obra
existência, tendo como perspectivas o melhoramento do campo de jogos, o aumento do da Educação (FUNDE), vai introduzir, em 2018, do a qual os cursos do IMEP são diri- nas áreas de ensino dos cursos que já
gidos a candidatos de classe média se tem estado a ministrar, existência de
acervo bibliográfico, a continuação do apetrechamento do laboratório multifuncional de seis novos cursos em Tete e Nampula, no quadro ou alta, abrindo espaço para candida- instalações básicas adequadas e outros.
do Programa de Reforma do Ensino Técnico- tos financeiramente desfavorecidos, Portanto, dependendo dos resultados
engenharias, a construção de um bloco de sala de aulas para a ESDP, a consolidação dos Profissional (REPTO), cuja vocação é formar e
habilitando-os a elevar o seu nível de
vida e das suas famílias e, consequen-
desta iniciativa, que se espera sejam
positivos, poder-se-á replicar e melhor
cursos existentes e o ingresso de novos estudantes. graduar técnicos profissionais de nível médio. temente, desenvolver o país. apoiar os outros IMEP’s de Maputo,
“Os cursos do REPTO-IMEP vi- Quelimane e Nacala, que também es-

S A
sam, sobretudo, minimizar os tão a preparar-se para a reforma.
ssim, o IMEP de Tete vai vai contribuir para, paulatinamente, problemas relacionados com o
egundo a Prof.a Doutora Ana “Celebramos a contribuição da
Guina, Directora da ESEUNA, ESEUNA por intermédio da sua par-
passar a ministrar três cur- proceder-se com a conformação dos desemprego e minimizar a falta Sobre os cursos
sos, nomeadamente, o de actuais cursos do IMEP, como cumpri- de mão-de-obra qualificada, visto
pelos dez anos de existência ticipação activa nas actividades eco- que estes cursos serão de carácter
Estradas e Pontes, Manu- mento das orientações do Ministério Haverá oportunidade de se oferecer
foram realizadas diversas ac- nómicas, sociais, políticas e humani- eminentemente prático, sendo “kits” de iniciação de auto-emprego ou
tenção de Equipamentos da Ciência e Tecnologia, Ensino Supe-
ções comemorativas, desde tárias da província, interagindo com Hidráulicos e Construção Mecânica. rior e Técnico-Profissional (MCTESTP) que grande parte da formação vai negócios aos graduados com melhor
palestras, exposições fotográficas, o governo provincial, empresas, Por sua vez, o IMEP de Nampula vai e da Autoridade Nacional da Educação decorrer em laboratórios e ofici- aproveitamento e que apresentarem
actividades culturais e desportivas. organizações não-governamentais, também introduzir outros três, que Profissional (ANEP), que preconizam nas”, indicou. melhores projectos após conclusão dos
As diversas realizações incluíram can- entre outras instituições educacio- são, Mestre de Obras, Electricidade
to, dança, teatro, jogos de futebol e nais e de formação profissional”, Industrial e Medidores Orçamentistas.
culminaram com um jantar de gala acrescentou o Reitor. Cada um dos seis cursos tem a dura-
que juntou a comunidade académica Por fim, Narciso Matos encorajou a ção de três anos e cada ano de con-
e a sociedade civil e contou com a ESEUNA a perseguir a visão de “ser, clusão corresponde à aquisição de um
presença do Magno Chanceler, Pro- cada vez mais, a escola eleita pe- nível de competências com uma saída
fessor Doutor Lourenço do Rosário, los estudantes e suas famílias, por profissional, no quadro do Programa
do Magnífico Reitor da Universidade nela reconhecerem o compromisso de Reforma da Educação Técnico-
Politécnica, Professor Doutor Narciso permanente com a qualidade, o -Profissional (PIREP).
Matos e representantes do Governo rigor, o profissionalismo e com os Os formandos entram com 10ª classe
provincial. valores humanos e cívicos dos gra- ou equivalente e com idades entre 15
Na sua intervenção, dirigida à co- Dentre as várias actividades progra- também que foram graduados, em e 35 anos, com ou sem experiência
duados”.
munidade académica da ESEUNA, o madas para 2017 pode-se destacar 2017, um total de 31 estudantes, dis- profissional prévia, mas com vontade
Reitor da Universidade Politécnica, a reunião geral com alunos, reunião tribuídos da seguinte forma: AGE: 6; de melhorar a sua condição socioeco-
Narciso Matos, destacou o contributo
Balanço positivo geral com os docentes, as Jornadas CA: 6; EC:17; EE: 1 e IG: 1, salientando nómica, através da formação técnico-
desta unidade orgânica para o desen- Fazendo o balanço do corrente ano, Científicas e palestras, participação que para o presente ano, devido ao -profissional e vocacional, orientada
volvimento da província de Nampula, Ana Guina disse que as aulas decorre- em seminários, jornadas de saúde, número reduzido de estudantes, esta para a obtenção de emprego e gera-
bem como do país no geral. ram a um ritmo desejável e boa parte com principal destaque para a doa- unidade não realizou a habitual ceri- ção de auto-emprego, razão pela qual
das actividades programadas foram ção de sangue pela comunidade mónia de graduação. as aulas são predominantemente prá-
“Este contributo foi por intermédio ticas nos seis cursos, com uma parte que todas as instituições de formação Arcénia Chale apontou que, do ponto cursos.
realizadas segundo o programa e pla- académica, com o apoio do Hospital Acrescentou, igualmente, que a esco-
dos cerca de 900 graduados agora básica de teoria. técnico-profissional devem aderir à de vista da Universidade Politécnica”, Também haverá cooperação com
no traçados. “Naturalmente houve Central de Nampula (HCN), partici- la, a nível de licenciatura, ofereceu os
integrados no mercado de trabalho Para explanar melhor sobre o assunto, Reforma. a implementação deste programa, outras agências e instituições voca-
alguns aspectos menos bons, mas pação na Feira da CADE e na 11ª Fei- cursos de Administração e Gestão de
e na vida social, o que testemunha “O Académico” conversou com Licen- A coordenadora-geral do REPTO-IMEP, em parceria com o JOBA, veio ajudar cionadas para oferecer apoio para
nada digno de ser assinalado, e que ra Nacional de Ciência, Tecnologia e Empresas, Contabilidade e Auditoria,
as qualidades profissionais e huma- ciada Arcénia Chale, coordenadora- falando dos objectivos da iniciativa, a minimizar os custos da introdução a empregabilidade e auto-emprego
prontamente foram resolvidos”, HIV, entre outras realizações. Psicologia Clínica, Engenharias Civil,
nas transmitidas e reforçadas pela -geral do REPTO-IMEP, que disse acrescentou que a mesma vem esti- da Reforma, partindo das actuais dos graduados, através de programas
ESEUNA”, referiu. referiu. A directora da ESEUNA indicou Eléctrica, Mecânica e Informática e tratar-se de um Programa de Reforma mular também a expansão da reforma condições do IMEP e tendo em conta que vão incluir criação de núcleos de
Telecomunicações. A escola contou do Ensino Técnico-Profissional no Ins- nos restantes cursos do IMEP. “Esta que este processo implica um grande interesse, formação sobre empreende-
com uma média de 68 docentes, en- tituto Médio Politécnico (IMEP), cuja iniciativa prender-se-á, durante os investimento em várias áreas. dorismo, inglês técnico, higiene e segu-
tre a tempo inteiro, parcial, técnicos vocação será a de formar e graduar três anos de sua duração, em graduar Financiar a reforma nas condições rança no trabalho, como criar, registar
superiores e convidados. técnicos profissionais de nível médio. 744 técnicos médios, dos quais 45% exigidas pela Lei do Ensino Técnico- e gerir um negócio, acesso a fontes de
Segundo Ana Guina, a ESEUNA tem Esta iniciativa vai consistir na minis- mulheres, para além dos que pode- -Profissional seria quase que impossí- financiamento para micro e pequenas
como perspectivas para 2018 o me- tração de seis cursos de formação em rão sair para o mercado de trabalho, vel, a ter que depender, somente, dos empresas.
lhoramento do campo de jogos, o Construção Civil e Manutenção Indus- anualmente, antes de concluírem o recursos gerados por uma instituição Oferecer-se-á, igualmente, apoio à cria-
aumento do acervo bibliográfico, a trial nos Institutos Médios Politécnicos nível 5”, disse Arcénia Chale. privada como a Universidade Politéc- ção de associações de graduados com
de Tete e de Nampula, sob tutela da Sobre a importância da iniciativa, ela nica. outros profissionais para divulgação de
continuação do apetrechamento do
Fundação Universitária para o Desen- referiu que reside no facto de se poder Disse, igualmente, que a implemen- oportunidades de formação, emprego
laboratório multifuncional de en-
volvimento da Educação (FUNDE). criar condições, em termos de logística tação do REPTO-IMEP em Nampula e geração de auto-emprego.
genharias, construção de um bloco e Tete foi um caminho encontrado
Acrescentou que o REPTO, no quadro e de recursos humanos, para formar, Far-se-á tracer-studies de acompanha-
de sala de aulas para a ESDP. “E, para se iniciar com o processo de mento dos graduados após a conclusão
geral do IMEP, visa a introdução de profissionalmente, jovens homens e
naturalmente, perspectivamos a Reforma no IMEP, sendo que estas dos cursos, sendo os estudos focados
seis cursos, o que vai constituir uma mulheres. Ela pretende igualmente
consolidação dos cursos existentes oportunidade para a implementação promover a empregabilidade de jovens regiões foram escolhidas com base nas competências, empregabilidade,
e o ingresso de novos estudantes”, da fase-piloto da Reforma do Ensino desfavorecidos e desempregados, que na análise e observação de alguns iniciativa individual, entre outros atri-
concluiu. n Técnico-Profissional, exercício que estarão a frequentar os cursos. critérios, como a localização, existên- butos. n

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

10 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 11

reportagem reportagem

IMEP’s e ESDP vão crescer em qualidade e número de alunos


- projecta Isabel Humbane Zandamela
zar os exames nacionais nas próprias

▶ A Directora-geral-adjunta dos IMEP’s e das ESDP da Universidade Politécnica, Mestre


instalações, com excepção de Naca-
la que, por ser mais recente, ainda
não tem paralelismo pedagógico. O
Isabel Humbane Zandamela, disse que para o ano de 2018 perspectiva-se o crescimento IMEP também está a organizar-se
para a realização dos exames que,
destas instituições, quanto ao número de alunos, melhoramento cada vez mais das diferentemente do ESG, tem um ca-
rácter mais interno, porque as pro-
condições de trabalho, da qualidade de ensino e dos serviços prestados, “aspectos que estão vas são preparadas internamente,
mas observando os princípios esta-
profundamente relacionados com o nosso Plano Estratégico”. belecidos pela entidade de tutela.
- Que perspectivas deu para 2018

I
no IMEP e na ESG?
sabel Humbane Zandamela dis- nuam a ressentir-se da falta de alguns - Para o ano de 2018 perspectiva-
se que nas ESDP de Nampula e meios de trabalho (Laboratórios de -se o crescimento das escolas, em
de Maputo prevê-se a criação Física, Química e Biologia, Oficinas número de alunos, melhorar cada
de condições para o aumento de Informática, Hotelaria e Turismo, vez mais as condições de trabalho,
das salas de aula e a conclusão estaleiros para as práticas de Cons- a qualidade de ensino e de serviços
da construção de novas instalações trução Civil), facto que constrange a prestados, aspectos que estão pro-
da ESDA, respectivamente, pois as realização de algumas aulas práticas, fundamente relacionados com o
actuais não permitem mais cresci- tanto no IMEP, como nas ESDP. Con- nosso Plano Estratégico; nas ESDP
mento. No Instituto Médio e Politéc- tudo, estão a envidar-se esforços para de Nampula e de Maputo prevê-se a
nico (IMEP) prevê-se a introdução de suprir esta necessidade, sendo que criação de condições para o aumen-
alguns novos cursos. Há um grande as unidades de Quelimane, Nacala e to de salas de aula e a conclusão da
desafio de se preparar, em todas as de Nampula beneficiaram de apetre- construção das novas instalações da
unidades, a entrada na Reforma, que chamento e reforço em equipamento ESDA, respectivamente, pois as ac-
está basicamente relacionada com de laboratório, para algumas áreas mos o sentido de poupança a todos modalidade de futsal, participaram pedidos de apoio diversos. tuais não permitem mais crescimen-
a transição da formação no modelo de ensino. É de referir que o presente os níveis. do Torneio Inter-Escolar GO Sport´s, - Como está a decorrer o processo to; o IMEP prevê a introdução de
clássico para a formação em modelo ano foi atípico, dado que o Ensino Se- - Quais são as novidades assinalá- organizado pelo Ministério da Educa- de preparação dos exames no ESG alguns novos cursos e tem o grande
de competências (o saber fazer). cundário-Geral – ESG e o Ensino Téc- veis no IMEP e no ESG em 2017? ção e Desenvolvimento Humano; em e no IMEP? desafio de se preparar, em todas as
Siga a entrevista da Directora-geral- nico-Profissional (ETP) tiveram uma - Estava prevista e realizámos a for- todas as unidades celebrou-se a Se- - A preparação dos exames decorreu unidades, para entrar na Reforma,
-adjunta dos IMEP’s e das ESDP, Isa- interrupção por um período de um mação do CTA e dos Serventes, que mana do Ensino Técnico-Profissional, normalmente e, como de costume, que está basicamente relacionada
bel Humbane Zandamela, em discur- mês e uma semana de férias, o que não acontecia há já algum tempo; a evento que simbolizou, também, a os alunos de todas as Escolas Secun- com a transição da formação no
so directo, no sistema de pergunta- não foi de salutar para o processo de realização de visitas de estudo, mas abertura da época da Campanha de dárias da Universidade Politécnica modelo clássico para a formação
-resposta. ensino-aprendizagem. Os professores que não se concretizaram em todas Divulgação; as Escolas Secundárias estão, desde a última semana de em modelo de competências (o sa-
- Que balanço faz do ano prestes a e alunos tiveram que se reorientar, as unidades, principalmente nas duas das Acácias, da A Politécnica de Nam- aulas, a beneficiar de aulas de prepa- ber fazer). Este exercício depende
findar? estrategicamente, para compensar o técnica, em todas as unidades, o que total de 325 professores, em todas as que não possuem transporte escolar; pula e de Lourenço do Rosário reali- ração, para garantirmos uma maior muito de investimentos na área de
tempo perdido e minimizar o espírito perfaz um total de 2198 alunos nos unidades, sendo que, destes, 181 lec- quase todas as escolas participaram zaram as festas do baile de finalistas. percentagem de aprovações. Todas formação de professores, na criação
- O balanço das actividades desen-
de relaxamento que se havia insta- dois segmentos. cionaram no IMEP e 144 nas ESDP. em torneios desportivos, nas moda- As escolas envolveram-se ainda em as unidades têm estado a colaborar de condições (adequação das insta-
volvidas ao longo do ano lectivo de
lado entre os alunos e até nos pais/ - Qual é o número de estudan- - Quais foram os principais constran- lidades de basquetebol, futsal e an- actividades de solidariedade, através com as Direcções Provinciais de lações, apetrechamento dos labo-
2017 é positivo, uma avaliação que
encarregados de educação. tes graduados no IMEP e em que gimentos? debol, sendo que em Maputo, como da angariação de bens e alimentos, Educação e Desenvolvimento Hu- ratórios e criação de oficinas) para a
poderá ser mais completa quando
- Quantos alunos foram matricula- áreas? é habitual, realizou-se o Campeonato posteriormente doados às institui- mano locais neste processo, sendo realização de aulas predominante-
tivermos sistematizado o resultado - Os constrangimentos a destacar ao
dos este ano no IMEP e na ESG? Interno Lourenço do Rosário. Ainda na ções carenciadas e em resposta aos que elas estão preparadas para reali- mente práticas. n
do aproveitamento pedagógico, em - Ainda não temos compilados os longo de 2017 foram a superação da
finais de Dezembro. A maioria das es- - Ao longo do ano lectivo de 2017 números de todas as unidades, mas capacidade instalada (salas de aula),
colas conseguiu alcançar as metas de atingimos o máximo de 1008 alunos graduamos nos cursos de Constru- facto que limitou a entrada de novos
alunos por matricular, estabelecidas inscritos no IMEP e 1190 nas Escolas ção Civil, Contabilidade, Gestão, ingressos nas unidades de Maputo e
pela Administração. As escolas conti- Secundárias da Universidade Poli- Informática e Hotelaria e Turismo.
De referir que a cerimónia oficial só
aconteceu em Maputo. Estamos a
trabalhar para o evento acontecer
Nampula; a falta de transporte escolar,
em duas das cinco unidades, para a
realização de visitas de estudo e aulas
práticas fora da instituição; dificuldade
Graduação-2017
em todos os IMEP’s, mas a realidade em conseguir professores, com maior O Instituto Médio Politécnico (IMEP), uma unidade orgânica
das unidades fora de Maputo inspira disponibilidade, para algumas áreas da Universidade Politécnica, graduou, recentemente, um to-
pouco sucesso, dado que a maior técnicas de Construção Civil e de Infor- tal de 55 estudantes formados em vários cursos.
parte dos graduados, imediatamente mática, para o IMEP; a existência de Trata-se de 20 estudantes do curso de Construção Civil, 19 de
se dispersa, saindo das suas regiões um número de professores a tempo Contabilidade, 8 de Gestão, 3 de Hotelaria e Turismo e 5 de
de origem ou da cidade para traba- inteiro não proporcional ao total de Informática, que receberam os seus diplomas naquela que foi
lhar nos distritos ou grandes empre- alunos por unidade; a crise económica a XIII cerimónia de graduação do IMEP.
sas, geralmente, fora da cidade, logo que assolou e continua fazendo-se Intervindo na cerimónia, Isabel Zandamela, Directora-geral-
após a conclusão do curso. Existe sentir em todo o país e pelo mundo -adjunta dos IMEP’s e das ESDP, endereçou votos de sucessos
uma minoria que no ano seguinte que não nos permitiu concretizar parte na vida académica para os estudantes que irão prosseguir com
entra no ensino superior e prefere significativa dos objectivos planifica- a formação superior, assim como no percurso profissional aos
esperar pela graduação da licencia- dos, com implicação nas despesas de que vão exercer funções para as quais foram formados.
tura. capital e de investimento. Entretanto, “Com base na aprendizagem adquirida no IMEP esperamos
- Com quantos professores conta- algumas lições pudemos tirar do exer- que envidem todos os esforços para transformar, desenvol-
ram em 2017? cício, pois aprendemos ou aperfeiçoa- ver, inovar e conceber produtos e serviços de elevada qualidade Importa referir que durante a cerimónia foram igualmente premiados os
- No ano lectivo de 2017, nos IMEP’s dentro dos sectores em que actuarem profissionalmente”, referiu melhores alunos de cada curso, como também o estudante que mais se
continua na pág. 11 »» Isabel Zandamela. destacou a nível do instituto. n
e nas ESDP trabalhamos com um

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

12 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 13

em foco reportagem

Carlos Lopes: Doutor Honoris Provedores privados de educação


Causa pela Universidade Politécnica lançam associação em Maputo
• Já conta com 21 membros, sendo o IMEP um dos integrantes
• Sobre a atribuição do título honorífico, o académico não escondeu a sua emoção,
assumindo que é uma ocasião nobre, formal, ritualística, mas também cheia de conteúdo
▶ Foi criada em Março deste ano a Associação Moçambicana
▶ A Universidade Politécnica, primeira de Educação Profissional Privada (AMEPP), com o objectivo de
congregar provedores privados de ensino profissional e em conjunto
instituição privada de ensino superior no país, trabalharem em assuntos deste âmbito, atendendo e ajudando na
atribuiu, em Setembro último, o título de Doutor busca de respostas para as preocupações e necessidades que têm
Honoris Causa ao guineense Carlos Lopes, na enfrentado. Até finais do mês de Novembro a AMEPP já contava
especialidade de Estudos de Desenvolvimento. com um total de vinte e um membros, sendo que a meta é continuar
a angariar mais integrantes por todo o país.

P S
esou, para a atribuição do tí- política económica do nosso País.
egundo a Mestre Isabel Hum- profissional e empregabilidade; vai
tulo a este intelectual da lín- Num outro capítulo, Carlos Lopes fa- bane Zandamela, Directora- promover um ambiente propício para
gua portuguesa, académico, lou indirectamente da dívida pública -adjunta dos IMEP´s, falando o estabelecimento de parcerias que
cientista social e funcionário moçambicana e da relação do nosso sobre os objectivos da agre- permitam o intercâmbio, partilha
internacional superior da Or- país com as instituições financeiras miação, a AMEPP pretende de recursos diversos entre os asso-
ganização das Nações Unidas (ONU), internacionais, ao afirmar que “paí- estabelecer-se como uma entidade ciados; vai criar condições para o
a relevância dos serviços prestados, ses como Moçambique precisam ne- independente que representa os in- estabelecimento de procedimentos
em termos políticos, sociais e eco- gociar melhor as suas dívidas e de teresses dos provedores de formação e padrões de qualidade de formação,
nómicos para o desenvolvimento conhecer melhor os parâmetros que profissional não estatais, podendo assim como de sistemas de gestão
internacional, especialmente do Con- influenciam as políticas mundiais”. servir como um vector que facilita o eficazes; vai desenvolver acções de
tinente Africano. A seu ver, “estes países precisam de diálogo e a cooperação com o sector advocacia e lobbying junto de entida-
Na sua primeira aula que proferiu, saber que as instituições internacio- público, em parcerias público-priva- des governamentais e outras organi-
após a atribuição do título honorífico nais estão a fazer coisas diferentes das, dentro ou fora do país, para além zações; vai desenvolver instrumentos
de Doutor Honoris Causa em Desen- em países diferentes. Saber o que de servir de voz única dos associados, para a identificação das necessidades
volvimento, pela Universidade Poli- se está a passar à volta de si permi- para apresentar as preocupações e do mercado, em termos de educação
técnica, Carlos Lopes defendeu que te negociar melhor e obter melho- contribuições destes diante do Go- e formação, fazendo a ligação com os
depender apenas dos investimentos res resultados”, vincou. verno. empregadores.
externos, nas indústrias extractivas, No tocante à indústria extractiva do bem-estar dos moçambicanos”, tunidade e este reconhecimento. Falando sobre os associados, afir-
gera renda e, muitas vezes, tenta- em Moçambique, o académico é de explicou. Estou muito grato à Universidade mou que a base de membros deve Inserção da Associação
ções comportamentais que não são opinião de que não se pode ter um Sobre a atribuição do título hono- Politécnica por continuar nesta sua ser inclusiva e representativa das
amigas da protecção social e da redu- relação de profundo engajamento necessidades regionais e sectoriais Respondendo à questão sobre a in-
crescimento baseado apenas no in- rífico de Doutor Honoris Causa em
ção da pobreza. nas questões de actualidade que me de Moçambique, composta por or- serção da associação na Educação
vestimento externo, “mesmo quan- Estudos de Desenvolvimento, Carlos
De acordo com o antigo Secretário- ganizações de educação privada com Profissional em Moçambique, Isabel
do há crescimento, mesmo quando Lopes não escondeu a sua emoção, têm trazido à universidade várias
-geral-adjunto da Organização das uma presença enraizada de Norte a Zandamela destacou que a AMEPP
a dívida desaparecer”. assumindo que a ocasião é nobre, vezes”, disse.
Nações Unidas, Carlos Lopes, que Sul do país. contará com o apoio adicional do história de sucesso nesta área de en- tos na área de formação.
“Estas indústrias não geram empre- formal, ritualística, mas também Nascido na Guiné-Bissau, em 1960, Sobre os requisitos de aderência, JOBA, que é o Fundo de Aprendi- sino e possuir uma boa reputação na A finalizar, Isabel Zandamela defen-
falava durante a cerimónia, e diante go. Não são capazes de rentabilizar cheia de conteúdo. Carlos Lopes é, actualmente, docente ela disse que podem ser membros zagem, consistindo o mesmo num prestação de serviços de formação deu que a AMEPP deve tornar-se
de uma plateia repleta de académi- o tecido industrial do país e não “Na qualidade de homenageado, universitário nas universidades de da AMEPP as instituições privadas incentivo para melhorar a qualidade de qualidade. Por outro, sentindo- sustentável e autodeterminada até
cos, no anfiteatro da Universidade aumentam a produtividade agríco- só tenho a agradecer a todos aque- Cape Town, na África do Sul, e pro- que provêm a educação profissional. de formação oferecida pelos mem- -se que faz parte desta plataforma, o 2020, visto que o seu compromisso
Politécnica, Moçambique atravessa, la, que são factores determinantes les que apadrinharam esta opor- fessor visitante na Universidade de bros da AMEPP, através da promoção IMEP contribui para a promoção do de construir, desenvolver e consolidar
Fazem parte deste leque qualquer
actualmente, um período de dificul- Oxford, no Reino Unido. Foi pessoa jurídica que preste serviços das actividades formativas baseadas associativismo, um instrumento ou a sua posição, de agora em diante,
dades de ordem macroeco- Secretário-geral-adjunto das técnicos para a melhoria da quali- em competências, apelo ao governo recurso importante quando se perse- é extremamente importante, o que
nómica. Nações Unidas e Secretário dade da formação no âmbito do de- para, em tempo recorde, as institui- gue grandes objectivos de interesse será possível através do alargamento
No entanto, assegurou que Executivo da Comissão Eco- senvolvimento da formação técnica ções de ensino profissional se con- colectivo ou de massas. da base dos associados, com o desa-
este tipo de dificuldade nómica das Nações Unidas e profissional e instituições que pro- formarem com a Reforma do Ensino Para o IMEP, dentre várias vanta- fio de conseguir a representatividade
não é o mais profundo, ao para África, cargos que de- movem o empreendedorismo priva- Técnico-Profissional e estas, por sua gens a ter em atenção nesta inserção do país. Espera-se empreender e
considerar que, para ultra- sempenhou até Novembro de do. O interessado deverá preencher vez, poderão replicar e transferir a figura a possibilidade que antes era promover uma boa liderança de pen-
passar a crise económica, 2016. uma ficha de inscrição de membro, mesma formação para outros prove- remota, de se ter um fórum onde samento, firmamento de parcerias
Moçambique necessita de A Universidade Politécnica é acompanhada de uma carta de pedi- dores. Ainda no âmbito da Reforma, canalizar as preocupações e opiniões, estratégicas e mobilização de recur-
alterações significativas a uma instituição vocacionada do de adesão à Associação, devendo o JOBA poderá apoiar no melhora- que devidamente tratadas poderão sos para concretizar os objectivos tra-
nível da sua política econó- para três grandes domínios, apresentar os objectivos da admissão mento das condições logísticas ne- ser encaminhadas às entidades com- çados. De referir que no início do mês
mica. nomeadamente, Ciências Em- como membro, e deverá efectuar o cessárias para a intensificação da par- petentes; ter-se acesso à plataforma de Novembro foi realizada a primeira
“As verdadeiras altera- presariais, Ciências Sociais, pagamento da Jóia (quotas mensais) te prática do ensino nas instituições dos provedores de Ensino Profissional Assembleia Geral, onde foram eleitos
ções da política econó- Ciências Humanas e Tecno- e contribuir com ideias para o cresci- de ensino profissional. Privado, através da qual, facilmen- os órgãos sociais, direcção que con-
mica de Moçambique de- logias, cuja acção se desen- mento da associação. Destacou que o Instituto Médio Poli- te, se pode estabelecer parcerias de duzirá os destinos da Associação nos
vem ser operadas a nível volve através de um conjunto Falando do valor da agremiação na técnico (IMEP) é membro-fundador partilha de experiências, de recursos próximos anos. Posteriormente, foi
estrutural”, referiu Carlos resolução dos problemas que os as- da associação por direito e foi convi- humanos, de espaços laboratoriais, feito o lançamento oficial da AMEPP,
diversificado de actividades,
Lopes, esperando que as sociados têm, referiu que a Associa- dado por ser dos primeiros institutos de oficinas e até mesmo de salas de tendo os dois eventos representado
com permanente sentido de
análises deixadas nesta ção será importante, na medida em de formação técnico-profissional aula, de forma colectiva ou individual; momentos ímpares da mais recente
interdependência entre ensi- estando activo o programa de forma-
aula permitam uma dis- que criará oportunidades para que privado no país com uma experiência agremiação comprometida com a
no/formação, investigação e comprovada, por ser considerada ção de formadores, os professores do formação profissional, para melhor
cussão aberta à volta das os membros beneficiem de apoios
prestação de serviços à comu- diversos para o desenvolvimento uma das instituições provedoras de IMEP serão abrangidos, o que ajudará responder às exigências do sector
mudanças significativas na nidade. n de projectos em áreas de formação formação técnico-profissional com as instituições a minimizarem os cus- empresarial no nosso país. n

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

14 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 15

em foco em foco

Cidadãos têm má percepção Urge corrigir o sistema nacional de ensino


sobre instituições do Estado - Enalteceu Narciso Matos, Reitor da Universidade Politécnica

- Referiu o Magno Chanceler, Professor Doutor Lourenço do Rosário, no Fórum Mozefo ▶ O Reitor da Universidade Politécnica defendeu a necessidade premente de implementação de
iniciativas arrojadas no sector da educação para corrigir o sistema nacional de ensino, de modo a que
▶ O Magno Chanceler possa crescer com equilíbrio.

N
da Universidade arciso Matos fez este pro-
nunciamento em Novem-
Ressalvou que não pretende dizer
com isto que os engenheiros sejam
o secundário temos uma perda
enorme de talentos, acontecendo o
direito à educação. Mas têm direito
a uma boa educação. Não têm direi-
Politécnica, Professor bro último, em Maputo, ao muitos. Na verdade, segundo expli- mesmo ao passar do ensino secun- to apenas a poderem ir à escola. E
dissertar no painel sobre o cou, os 150 mil representam um em dário-geral para o ensino técnico- há consenso hoje na nossa socieda-
Doutor Lourenço do capital humano na educa- cada mil moçambicanos, enquanto -profissional e para o ensino univer- de de que há muitas fraquezas nos
Rosário, disse que um ção e economia do conhecimento, do
II Fórum MOZEFO, uma plataforma
que na região austral africana há cer-
ca de quatro em cada 100 cidadãos.
sitário, onde a situação se repete”,
afirmou, sugerindo a necessidade de
vários níveis de ensino”.
Em relação à qualidade do ensino
Estado, que tem dentro de debate em prol de um crescimento Disse ainda que no ensino secundário se corrigir esta situação, que levanta nacional, Narciso Matos asseverou
acelerado e inclusivo que reúne os pode-se constatar que existem cerca várias questões relacionadas com o que “não podemos estar a multipli-
de si instituições em que sectores público e privado e a socie- de um milhão e meio a dois milhões acesso universal e à equidade no país. car uma quimera, multiplicar uma
os cidadãos têm uma dade civil.
“Temos 17 milhões de crianças e
de jovens e no ensino primário temos
os restantes dez ou doze milhões.
Num outro desenvolvimento, o Reitor
da Universidade Politécnica apontou
mentira. Querer dar a ideia de que
há escola para todos, mas que essa
má percepção sobre jovens nos ensinos primário e se- “Ao passar do ensino primário para que “todos os moçambicanos têm escola não forma pessoas que de
cundário. Ao desagregar esses capi- facto podem transformar as nossas
elas, não pode de forma tais humanos e olharmos com mais vidas”.
alguma ser gestor do atenção vemos o que é que tem que
ser corrigido”, referiu.
Defendeu a necessidade de se alocar
mais recursos na educação, assim
desenvolvimento dum Actualmente, conforme indicou, ao como na saúde. “Tenho consciência
nível do ensino técnico-profissional, de que o bolo é pequeno. Mas será
país, “a não ser que no país existem cerca de 100 mil jo- que está a ser adequadamente dis-
mude de paradigma”. vens, um número em si muito reduzi-
do. No ensino superior, nível universi-
tribuído de acordo com essa nossa
convicção de que o capital humano

O
tário, existem cerca de 150 mil jovens, é determinante para o nosso cresci-
académico falava, em No- quando a liberdade dos cidadãos se dade não têm movimento contrário, pior percepção. Curiosamente, as um número que também é muito pe- mento?”, questionou.
vembro último, durante torna num instrumento extractivo naturalmente, que pode fazer com instituições religiosas eram vistas queno para as necessidades do país. Na sua opinião, o país devia desejar
o debate sobre o tema acaba por estrangular o princípio da que alguns sejam mais iguais que com a melhor percepção”, referiu, “Em termos comparativos, temos, ter algumas instituições educacionais
“Instituições como pilar de igualdade, gerando uma sociedade outros e alguns sejam mais livres acrescentando que “é extremamente por exemplo, 150 mil generais e que sejam um farol. “Pelo menos uma
desenvolvimento”, no MO- desigual, daí a necessidade de forti- que outros e a injustiça social torna- curioso, porque um Estado que tem 100 mil soldados: significa que este ou duas universidades públicas que
ZEFO, uma plataforma de debate em ficação das instituições num Estado -se, naturalmente, uma realidade dentro do seu próprio território ins- exército tem que ser corrigido”, sejam aquilo que nós aspiramos no
prol de um crescimento acelerado e de direito democrático: “O objectivo e o desenvolvimento possível uma tituições que os próprios cidadãos realçou Narciso Matos, ajuntando que nosso país e que seriam os viveiros
inclusivo, que reuniu os sectores pú- final é tornar possível que uns poucos miragem”. têm uma percepção muito má, é um “deveríamos ter muito mais elec- que formam cientistas e educadores.
blico e privado e a sociedade civil, em não esmaguem a maioria”, frisou. Na sua opinião, quando um Estado Estado com instituições fracas”. tricistas, carpinteiros, serralheiros Quando nós pensamos em boas es-
Maputo. Acrescentou que “um Estado demo- tem instituições fracas no seu terri- Num outro desenvolvimento, indicou e pedreiros do que os engenheiros colas primárias, hoje pensamos em
Lourenço do Rosário sustentou que crático, em que o direito e a igual- tório, os cidadãos não respeitam as que, em 2003, os países africanos, ao que estamos a formar”. escolas privadas”, concluiu. n
regras estabelecidas, os funcionários criarem a União Africana, definiram
públicos, a Polícia, nem as outras alguns parâmetros importantes que
as instituições que eventualmente plasmavam o princípio da boa go-
representam o poder, daí que “esse
Estado não pode de forma nenhuma
ser o gestor do desenvolvimento
vernação, não apenas por parte dos
governos, mas também no quadro ins-
titucional de cada país.
Moçambique precisa aprovar leis
sobre benefícios fiscais
dum país, a não ser que mude de Moçambique, segundo disse Lou-
paradigma”. renço do Rosário, é signatário desse
As várias instituições da sociedade processo e tem perseguido a sua au-
moçambicana que respondem ao toavaliação permanente, pois permite
poder, à sociedade civil e às organi- prevenir, inclusivamente, processos Em face da recente descoberta de “Os benefícios fiscais visam atrair “É necessário assegurar que uma De acordo com Rosânia da Silva, pre-
zações socioprofissionais, conforme fracturantes que acontecem ao longo enormes quantidades de recursos investimentos, só que estes ten- parte dos rendimentos resultantes tende-se, com este tipo de eventos,
realçou, devem desempenhar um da nossa história, nomeadamente, os naturais, com destaque para o gás dem a multiplicar-se, o que consti- da exploração dos recursos naturais que fazem parte do plano de activida-
papel de monitoria mútua, para que conflitos pós-eleitorais que têm a ver natural, Moçambique precisa de tui um problema”, considera Bruno fique efectivamente no país”, reco- des da ESAEN, “ampliar o conceito
se possa ter uma esperança no desen- com várias agendas de natureza polí- adoptar uma lei sobre os benefícios Santiago, que falava na primeira menda o especialista, que dissertou de sala de aulas e permitir que os
volvimento do país. tica, económica, segurança nacional e fiscais, para garantir que estes sejam Conferência sobre o Direito Fiscal sobre os acordos de dupla tributação estudantes interajam com especia-
Lembrou que a Ética Moçambique de identidade. aplicados de maneira uniforme. Internacional de Moçambique, orga- celebrados por Moçambique. listas de diversas áreas, desde os
desenvolveu um trabalho sobre a per- “Moçambique precisa de monitorar Quem assim o diz é Bruno Santiago, nizado pela Escola Superior de Altos A primeira Conferência sobre Direito nacionais aos estrangeiros”.
cepção da corrupção e da dignidade continuamente esses processos fractu- especialista português em Direito Estudos e Negócios (ESAEN) da Uni- Fiscal Internacional de Moçambique, Para o efeito, foram convidados Maria
institucional no país, “cujos inquéritos rantes, de modo a prevenir os instru- Fiscal, para quem a ausência de um versidade Politécnica. que teve lugar no mês de Outubro, da Graça Fumo, directora dos Assun-
realizados, quer na cidade, quer no mentos que fazem com que os aspec- quadro legal sobre a matéria abre Relativamente ao Direito Fiscal In- tinha como objectivo promover a in- tos Jurídicos e Notariais do Ministé-
campo, trouxeram resultados interes- tos fracturantes predominem sobre os espaço para que as negociações, ternacional de Moçambique, Bruno teracção entre os estudantes e espe- rio da Economia e Finanças; Daniel
santes. aspectos de coesão, quer do ponto de com potenciais investidores, sejam Santiago diz que o país tem uma cialistas na área, conforme explicou Tivane, da Autoridade Tributária de
“Algumas instituições do Estado, vista de disputa eleitoral, quer do pon- influenciadas por diversos factores, boa legislação, “embora ainda haja a Pró-Reitora para Pós-Graduação, Moçambique; Aboobacar Chang, Juiz
nomeadamente, a Polícia, os sec- to de vista de distribuição da riqueza”, dentre os quais a necessidade de o muito por fazer, como, por exem- Investigação Científica, Extensão Conselheiro do Tribunal Administra-
tores da justiça e da administração concluiu o Magno Chanceler da maior país atrair mais e maiores investi- plo, prestar atenção à questão dos Universitária e Cooperação, Profes- tivo; e Bruno Santiago, especialista
pública, eram vistas com índices de universidade privada do país. n mentos. recursos naturais”. sora Doutora Rosânia da Silva. português em Direito Fiscal. n

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

16 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 17

em foco em foco

FUNDE organiza feira de assistência jurídica ISUTE: atingir a meta de


A Fundação Universitária para o De-
senvolvimento da Educação (FUNDE)
organizou, no mês de Outubro, uma
feira de assistência jurídica e atendi-
Este projecto, conforme explicou
o representante da Universidade
Politécnica, Mateus Mondlane,
constitui um complemento às aulas
um apoio jurídico ou acompanha-
mento psicológico”.
Por seu turno, Amade Tajú, delegado
do IPAJ no distrito municipal KaCha-
Por seu turno, o secretário do bairro
de Chamanculo, José Cumbana, enal-
teceu a FUNDE por ter levado a “Ca-
ravana Jurídica” àquele local. “É uma
estudantes é o grande desafio
mento psicológico gratuito, que se
realizou na Escola Primária Completa
Unidade 10, localizada no distrito
teóricas, pois permite que os es-
tudantes tenham contacto com a
realidade que vão encontrar após a
manculo, destacou a importância
desta feira nas comunidades, que, na
sua opinião, ainda não têm o hábito
forma de ajudar o Estado a aproxi-
mar os seus serviços ao cidadão”.
Para além das equipas técnicas,
▶ A Directora do Instituto Superior Universitário de Tete (ISUTE), Mestre Maria Juliana Manuel, disse
municipal KaChamanculo, na capital formação. de consultar, por exemplo, um jurista compostas por juristas, psicólogos que esta unidade orgânica da Universidade Politécnica vai fazer todos os possíveis para atingir e/ou
do país. Num outro diapasão, Mateus Mon- ou um psicólogo. e estudantes finalistas dos cursos mesmo ultrapassar a meta de ingresso de estudantes estabelecida para 2018.
Denominada “Caravana Jurídica”, a dlane referiu-se também à compo- “Os juristas não existem somente de Ciências Jurídicas e de Psicologia
iniciativa, que contou com a parceria nente social da “Caravana Jurídica”, para tirar as pessoas da cadeia ou leccionados na Universidade Politéc-
do Conselho Municipal da Cidade de através da qual “renovamos a espe- ajudar a resolver um problema no nica, estiveram presentes no local ção com o núcleo da Associação dos
Maputo (CMM) e do Instituto de Pa- rança daqueles que têm os seus di- tribunal. Eles existem para isso, brigadas dos Serviços de Registo Civil Estudantes, realizou a cerimónia de
trocínio e Assistência Jurídica (IPAJ), reitos violados ou estão em conflito mas também para ajudar a evitar e da Autoridade Tributária de Mo- Baptismo de Caloiros-2017.
insere-se no âmbito das acções desen- com a Lei, dos que têm problemas que isso aconteça. Para tal, é ne- çambique para o registo de crianças “Nos dias 3, 4, 5 e 9 de Agosto
volvidas pela FUNDE visando a melho- com drogas, com o álcool e de tan- cessário que tenhamos o hábito e emissão de NUIT (Número Único decorreram no ISUTE as 4ªs Jorna-
ria das condições de vida das comuni- tos outros que estejam a passar por de os consultar”, disse Amade Tajú, de Identificação Tributária), respecti- das Científicas, que tinham como
dades e a promoção da cidadania. uma situação cuja solução passa por dirigindo-se aos presentes. vamente. n tema: Ensino, Pesquisa e Inovação
ao Serviço da Sociedade, tendo
como orador principal o Prof. Dr.
Pedro Muendane, membro do
grupo de pesquisa da unidade. O
evento teve um impacto positivo,
com o registo de participação de
estudantes e docentes de todos os
cursos”, contou a Mestre Maria Ju-
liana Manuel.
No que diz respeito às actividades
de extensão universitária, Maria
Juliana Manuel disse que continua
a ter lugar a distribuição de plan-
tas na comunidade. Desta vez é
a comunidade que vem ao ISUTE
buscá-las. Outro ponto a realçar
diz respeito a soluções internas, no
que tange à produção de mudas de
plantas para serem canalizadas à
comunidade. “Conseguiu-se criar
um viveiro experimental, onde fo-
ram plantadas várias mudas e que
neste momento estão a desen-
volver-se bem. O nosso propósito

ISHCT celebra A directora, que respondia à questão


sobre as perspectivas do ISUTE para
2018, afirmou que além de trabalhar
das foram cumpridas”.
Em relação às actividades no geral,
referiu que as aulas decorreram
ma eléctrico que faz funcionar todo
o sistema de bombeamento de água.
Os estudantes do curso de Psicologia
é apostar mais neste caminho de
produção interna, visto que todas
as plantas que têm sido distribuí-

20 anos de existência sobre as metas será necessário en- sem sobressaltos, “pese embora, foram aplicar testes psicotécnicos das à comunidade são doadas pelo
volver mais estudantes e docentes no decorrer dos semestres, alguns aos candidatos dos cursos de saúde, Conselho Municipal. Estamos,
nas actividades extracurriculares. “O docentes a tempo parcial tiveram a pedido da Direcção Provincial de igualmente, em fase experimen-
ISUTE vai materializar o projecto que renunciar os seus contratos por Saúde, e continuaram a fazer o apoio tal, a produzir plásticos para co-
O Instituto Superior de Humanidades, Ciências e Tecnologias (ISHCT), unidade orgânica da Universi- de separação de lixo, em parceria razões profissionais ou porque con- psico-social às vítimas da tragédia locar as mudas. É uma produção
dade Politécnica em Quelimane, celebra no próximo ano 20 anos de existência e instalação do Ensino com a Vale e o Conselho Municipal, seguiram bolsas para continuarem de Caphiridzange. Todas estas acti- artesanal”, detalhou.
Superior na Zambézia, estando para isso a preparar-se para a efeméride. em algumas ruas da cidade de Tete. a estudar fora da província ou do vidades foram desenvolvidas com o Sobre o desporto, o ISUTE partici-
Segundo Mestre Seana Daud, directora do ISHCT, por isso o ano de 2018 será de grandes comemo- Os tambores já foram cedidos pela país”. objectivo de aliar a teoria e a prática. pou, no mês de Abril, num torneio
rações. Falando ainda sobre as perspectivas para o próximo ano, ela disse que se projecta, no âmbito Vale, transportados pelo Conselho “Em 2017 houve, primeiro que tudo, Indicou que em 2017 o ISUTE matri- das universidades organizado pela
da consolidação da Unidade de Extensão Universitária (UEU), a inauguração das clínicas de Ciências Municipal e os estudantes do curso um encontro com os docentes, se- culou 336 estudantes e, em relação UP, na modalidade de futsal, tendo
Jurídicas e de Psicologia Clínica. de Engenharia Mecânica desenvol- guido de formação sobre o uso do à graduação, a unidade não realizou meritoriamente conquistado o se-
veram esta actividade como aula sistema Unimestre. Foi privilegiada, a respectiva cerimónia, devido ao gundo lugar.
Acrescentou que em 2017 o ISHCT iniciou o ano lectivo com 426 estudantes e terminou com 358, es-
tando prevista para Março próximo a efectivação da respectiva cerimónia de graduação e, para já, até prática. A divulgação do seu uso vai igualmente, a uniformização da número reduzido de estudantes com Na Semana do Enfermeiro, o ISUTE
estar a cargo dos estudantes do cur- estrutura dos trabalhos académicos trabalhos de fim de curso defendi- participou também em várias acti-
ao momento cerca de 90 estudantes já terminaram os seus cursos em diferentes áreas do saber.
so de Engenharia Ambiental, deven- e de trabalhos de fim-de-curso; a dos, tendo esta passado para o mês vidades, nomeadamente: vacinação
Em 2017, o ISHCT contou com 93 docentes, cinco dos quais a tempo inteiro e os restantes em tempo do os tambores ostentar os logóti- assistência às aulas; encontro dos de Maio de 2018. Neste momento o contra a cólera, medição da tensão
parcial, facto que constitui um constrangimento, segundo Seana Daud, por causa das substituições pos das três instituições”, realçou. coordenadores dos cursos com os ISUTE conta com cerca de 90 estu- arterial e despiste do cancro da
que a situação obriga. “Tivemos três substituições ao longo do 1º semestre”, revelou. Fazendo o balanço das actividades estudantes; Jornadas Científicas, dantes que já defenderam as suas mama e do útero, com uma partici-
Porém, disse que o balanço das actividades realizadas em 2017 “é positivo, pois iniciamos acima da desenvolvidas em 2017, a Mestre palestras, visitas de estudo às ins- monografias. pação de realce, corporizada tanto
meta prevista e, de forma geral, as aulas decorreram bem”. Maria Juliana Manuel disse que em- tituições, tendo, por exemplo, os Afirmou que para a leccionação, a por estudantes, colaboradores,
Das actividades realizadas em 2017 destacam-se a abertura do ano lectivo em Fevereiro; o lançamen- bora não se tenha cumprido com a estudantes de Engenharia Civil e unidade orgânica contou com 83 do- docentes e a comunidade, tendo o
to de livros em Agosto e Outubro; a realização de um festival cultural (vernissage) em Outubro; Jorna- meta de novos ingressos proposta Eléctrica visitado o FIPAG”, relatou. centes, dos quais 72 são Licenciados, evento terminado com um sarau cul-
das Científicas, em Setembro; efectivação de palestras relacionadas com a Psiquiatria, também em pela Administração, o ISUTE faz um Acrescentou que os estudantes de 10 Mestres e 1 Professor Doutor. tural no ISUTE, seguido de um fes-
Setembro; intercâmbios académicos entre docentes e estudantes nas Ilhas Maurícias, em Agosto; e balanço positivo deste ano lectivo. Engenharia Civil tiveram contacto Em relação a outras actividades de- tival de cultura inter-escolar, com a
celebração do Dia Aberto, em Junho. n “Consideramos positivo porque das com o sistema hidráulico e os de En- senvolvidas, a directora referiu que o participação das escolas secundárias
actividades programadas quase to- genharia Eléctrica foram ver o siste- departamento de CID, em coordena- e pré-universitárias da província. n

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz www.apolitecnica.ac.mz

18 o académico JulhO | dezembro-2017 EDIÇÃO n.° 24 o académico 19

em foco em foco

da A Politécnica” Docentes formam-se em empreendedorismo

O
“Queremos fazer da ESGCT primeiro curso de formação
de formadores em em-
No total foram seleccionados 10 do-
centes, sendo quatro da Universidade
o centro de excelência preendedorismo, orientado
pela Erasmus Centre for
Politécnica, três da Universidade
Eduardo Mondlane (UEM) e igual nú-
Entrepreneurship, da Ho- mero do Instituto Superior de Ciências
- Profa. Doutora Sandra Brito, Directora da Escola landa, abrangeu vários docentes das e Tecnologias de Moçambique (ISC-

A
universidades Politécnica, Eduardo TEM), que durante três dias beneficia-
Mondlane e do Instituto Superior de ram da formação.
Profª. Doutora Sandra Bri- fazer da ESGCT o centro de excelên-
Ciências e Tecnologias de Moçambi- Intervindo na cerimónia de encer-
to, nova Directora da Escola cia da Universidade Politécnica”.
que (ISCTEM). ramento e entrega de certificados,
Superior de Gestão, Ciên- Sandra Brito disse que gerir esta
O curso foi financiado pela Agência a embaixadora do Reino dos Países
cias e Tecnologias (ESGCT), Escola é um desafio, tendo em con-
em Maputo, disse, em ta que nunca tinha tido contacto Holandesa de Cooperação, no âmbito Baixos em Moçambique, Pascalle Gro-
contacto com “O Académico”, que as directo num contexto de iniciativa do Projecto-Piloto do Curso Modular tenhuis, referiu-se à importância do
perspectivas para o próximo ano são privada e, por isso, “precisei de em Empreendedorismo, que tem a du- empreendedorismo na promoção do
de investir na formação dos docentes fazer ajustes às minhas compe- ração de um ano e que envolve as três desenvolvimento inclusivo na socieda-
e corpo técnico-administrativo, pro- tências no que se refere à gestão instituições de ensino superior. de moçambicana.
mover a mitigação de fraudes acadé- universitária”.
micas, maximizar as parcerias institu- Falando das condições em que her- “A Holanda desenvolveu-se, em par- Cooperação da Universidade Politéc-
cionais “e continuar o meu empenho, dou a ESGCT, disse que encontrou te, graças ao empreendedorismo e é nica, Professora Doutora Rosânia da
como directora desta escola e em uma comunidade académica consti- uma experiência que nós queremos Silva, realçou¸ por um lado, a impor-
conjunto com a minha equipa, para tuída por cerca de 2000 estudantes, replicar em Moçambique. Em coorde- tância deste projecto no desenvolvi-
assistidos por 200 docentes e 30 de 2000 estudantes inscritos em Fe- nação com parceiros locais podemos mento de competências e formação
CTA´s, como também fracos meios vereiro transitaram para o Semestre capacitar jovens, estudantes univer- dos quadros das três instituições.
de segurança; condições materiais II cerca de 1900, entre reprovações e sitários e outros grupos sociais em Por outro, Rosânia da Silva referiu
para o processo de ensino-aprendiza- desistências. matérias de empreendedorismo, o que a formação constitui uma mais-
gem em estado de adequação e es- “Um total de 188 estudantes foram que nos vai permitir criar um ecossis- -valia para a Universidade Politécnica,
cassez de recursos financeiros, dado graduados, dos quais 131 são do tema capaz de dinamizar a economia na medida em que “vai fortalecer
o contexto actual do país. sexo feminino, nos cursos de Ad- e fortalecer o sector privado”, consi- as iniciativas que temos estado a
Em relação ao balanço das activida- ministração e Gestão de Empresas, derou a diplomata. desenvolver através da nossa Incu-
des desenvolvidas em 2017, a Profª. Assessoria de Direcção, Ciências de Por seu turno, a Pró-Reitora para a badora Tecnológica e de Empresas
Doutora Sandra Brito afirmou que o Comunicação, Ciências Jurídicas,
Área de Pós-Graduação, Investigação e do Centro de Estudos, Negócios e
mesmo era positivo. “Apesar das di- Contabilidade & Auditoria, Eco-
Científica, Extensão Universitária e Cooperação”. n
ficuldades, reconheço o esforço de nomia, Engenharia Civil, Gestão
toda a equipa na Escola e na Univer- Financeira e Bancária, Informática
sidade”, acrescentou, concluindo que de Gestão, Engenharia Ambiental,
as aulas correram bem. “Os planos Educação de Infância, Engenharia
temáticos foram cumpridos e o índice
de aprovações, no geral, foi positivo.
Segundo a directora, num universo
Informática e de Telecomunicações,
Psicologia e Turismo, assistidos por
200 docentes”, relatou a finalizar. n
Tomou posse a nova direcção da AEUPO
Foi empossada, recentemente, a legitimidade de nos queixarmos, legas, com os que votaram e com tinham assumido uma grande respon-

Odebrecht apoia bibliotecas


nova direcção da Associação dos Es- para dizer que nós queremos isto e os que não votaram. Eu estou con- sabilidade de trabalhar para os seus co-
tudantes da Universidade Politécnica não aquilo”, disse o Reitor. vencido de que se mantiverem este legas e fazerem da universidade o me-
(AEUPO), liderada por Suneila Faquir, Acrescentou que a Associação é uma espírito no nosso país, se formos ca- lhor possível, pois “a vossa causa é a

de instituições do ensino superior que concorreu pela Lista A, e venceu


o escrutínio do dia 2 de Novembro,
com um total de 205 votos, contra
escola onde se deve crescer. “Tam-
bém é importante saberem que a
lista que não ganhou não é para ser
pazes de aferir que quem perde, não
perde tudo. Quem ganha, não leva
tudo. Quando não tivermos confli-
nossa causa. A vossa Associação tem
que ser interventiva, ajudar a resolver
os problemas da A Politécnica. As
A Odebrecht Moçambique ofereceu, em Outu- A Universidade Politécnica tem uma unidade orgâ- Engenharia Civil, Informática e de Telecomunica- 158 obtidos pela Lista B. excluída. Aqueles que votaram na tos, vamos viver em paz”, asseverou. nossas portas estão abertas e ajudem
bro último, em Maputo, à Universidade Politéc- nica denominada Instituto Superior Politécnico e ções, Engenharia do Ambiente, entre outros. Na sua alocução sobre o acto, o outra lista estão interessados nos Dirigindo-se aos membros que toma- com ideias para encontrar soluções
nica e ao Instituto Superior de Ciências e Gestão Universitário de Nacala (ISPUNA), com cursos de Na ocasião, a directora da Biblioteca Central da Magnífico Reitor da Universidade destinos da Associação. Por isso, ram posse, o Reitor da Universidade dos problemas que afligem a nossa
(INSCIG), mais de 500 livros acadé- Universidade Politécnica, Prof. Dra. Politécnica, Professor Doutor Nar- sejam inclusivos com os vossos co- Politécnica começou por dizer que estes universidade. Não fiquem à espera
micos, para enriquecer o acervo das Sara Laísse, considerou que a oferta ciso Matos, disse que a que vos chamemos, batam
bibliotecas daquelas instituições de dos livros é muito bem-vinda, porque direcção da AEUPO, que à porta e apresentem os
ensino superior. "irá contribuir para a revitalização tomou posse, tem que fa- vossos questionamentos”.
A iniciativa faz parte de um conjunto do processo de ensino e dinamizar a zer história de democracia Por seu turno, o Director
de acções de responsabilidade social leitura entre os discentes". na universidade, não só Nacional dos Assuntos
levadas a cabo em Moçambique, nesta Por sua vez, o INSCIG tem a sua sede elegendo, como também da Juventude, Roy Tem-
fase, com instituições ligadas à cidade em Nacala, ministrando cursos de Ad- sendo eleita sem qualquer be, em representação da
de Nacala, na província de Nampula. ministração Pública, Ciências Jurídicas, conflito. Ministra da Juventude e
Para a Odebrecht, trata-se de um Gestão de Recursos Humanos, Conta- “É por isso mesmo que o Desportos, disse que a
pequeno mas significativo gesto para bilidade e Auditoria e Gestão Empre- vosso papel é importante tomada de posse do novo
apoiar os estudantes: “A educação é sarial, entre outros. O administrador-
para que cada um de nós elenco não estava a ser
o pilar do desenvolvimento e para a -geral desta instituição, Pedro Tualufo,
Odebrecht é gratificante poder dar o disse também que a oferta da Odebre- tenha a consciência de que feita para cumprir forma-
nosso pequeno contributo na cons- cht vai contribuir para "enriquecer o vamos ter as associações lidades, mas sim para rea-
trução de um futuro melhor”, se- acervo da biblioteca daquele instituto que queremos. Se votar- firmar que toda a missão
gundo afirmou o director de Relações superior, possibilitando um melhor mos pela ausência, ama- tem prazo, por isso, mãos
Institucionais da Odebrecht, Miguel processo de ensino-aprendizagem e nhã não nos queixemos. Se à obra nas novas tarefas
Paiva. boas práticas pedagógicas". n há eleição e não participa- de contribuir para o cresci-
mos, amanhã não temos mento da universidade. n

NOTA Narciso Matos Empossados ESA gradua pela ESA representada Atribuído nome de ESEUNA celebra dez anos IMEP introduz IMEP’s e ESDP vão crescer Carlos Lopes: Doutor Provedores privados Cidadãos têm má Urge corrigir o Moçambique precisa FUNDE organiza ISHCT celebra ISUTE: atingir a meta “Queremos fazer Odebrecht apoia Docentes A Aposta no desporto
ÍNDICE

DE substitui Lourenço novos Pró- primeira vez em em Massangena Lourenço do Rosário a preparar-se para seis novos cursos em qualidade e número Honoris Causa pela de educação lançam percepção sobre sistema nacional aprovar leis sobre feira de 20 anos de de estudantes é o da ESGCT o centro bibliotecas de insti- formam-se em fundamental para
ABERTURA do Rosário reitores Lichinga ao Centro de Estudos novos desafios em Tete e Nampula de alunos Universidade Politécnica associação em Maputo instituições do Estado de ensino benefícios fiscais assistência existência grande desafio de excelência tuições do ensino empreendedorismo a juventude
Africanos em Portugal jurídica superior
www.apolitecnica.ac.mz

EDIÇÃO n.° 24 o académico 21

J O R NA L U N I V E RS I TÁ R I O DA P O L I T É C N I C A Universidade PolitÉcnica

A PolitÉcnica
JULHO - DEZEMBRO - 2017

A Politécnica imbatível em seniores masculinos


▶ O Clube de Desportos da Universidade Politécnica está imbatível no Torneio de Abertura de
Basquetebol de Seniores Masculinos, em Maputo. Segundo o Mestre Hélio de Sousa, técnico
principal do clube, é estimulante notar a capacidade de resposta da equipa nesta fase em que se
encontra a trabalhar internamente.
“Perdemos quatro jogadores funda- Relativamente aos escalões de for- Fase Final do Campeonato Africano
mentais, mas com trabalho árduo mação, que as competições da pre- de Clubes, em Seniores Femininos,
vamos recompondo a nossa equipa, sente época ainda estão a decorrer, o em Novembro de 2016, na cidade de
sempre com a missão de competir clube conta atingir os objectivos defi- Maputo”, disse.
pelos três primeiros lugares, em nidos no início do ano, que consistem
todas as provas em que participa- em relançar as equipas a este nível, Constrangimentos
mos”, disse. de modo a que nos próximos anos e perspectivas
Hélio de Sousa acrescentou que, em recupere os primeiros lugares, como
num passado recente. Sobre os constrangimentos que o
femininos, apesar das derrotas em al-
clube enfrentou na presente época,
guns jogos, pode-se assinalar os ganhos
Hélio de Sousa revelou que em todas
Eventos em 2017
C
conseguidos pela A Politécnica. A equi-
as épocas A Politécnica perde atletas.
pa ficou sem seis das suas atletas que M
Falando dos eventos em que o clube Alguns porque conseguem ingressar
constituíam a base da formação. “Mes-
participou em 2017, o Mestre Hélio nas competições europeias ou ameri-
mo assim encontra-se a competir com Y
de Sousa descreveu as actividades canas, através da obtenção de bolsas
dignidade”, sustentou o técnico.
da seguinte forma: “na alta-com- de estudo, e outros transferem-se para CM
Conforme afirmou, “há dois anos petição participamos nas provas os clubes locais. “E, infelizmente, têm
que só estamos a movimentar o tivamente aos anos anteriores. Em organizadas pela Associação de saído as atletas que mais se desta- MY

basquetebol. Nesta modalidade, seniores femininos, por exemplo, Basquetebol da Cidade de Mapu- cam”, lamentou.
temos épocas diferentes para a ficou em 4º lugar no Campeonato to, nomeadamente, Torneio de
CY
Falando das perspectivas da equipa
formação e alta-competição. A da Cidade e em último no Nacional. Abertura, Taça da Cidade e no Cam- para a época, o Mestre Hélio de Sousa CMY
formação compete de Fevereiro a “Foi a pior época de todos os tem- peonato da Cidade. Nas provas disse que nos escalões de formação
Novembro ou Dezembro e a alta- pos. Em masculinos, foi o inverso. nacionais marcámos presença no “estamos num ano de relançamento. K

-competição inicia as provas de Se- Melhoramos a nossa prestação no Campeonato Nacional de Seniores Estamos a começar mesmo do princí-
tembro a Julho”. Campeonato da Cidade, onde fica- Femininos, que é da responsabili- pio. Na próxima época será possível
Fazendo o balanço da época mos em 2º lugar, pela primeira vez dade da Federação Moçambicana colher frutos. Nos escalões de com-
2016/2017, referiu que nas equipas de na nossa história, e baixamos na de Basquetebol, e na Liga Nacional petição vamos trabalhar para não nos
seniores da Universidade Politécnica Liga Nacional de 3º para o 4º pos- de Basquetebol, em seniores mas- posicionarmos abaixo do 3º lugar”,
tiveram ganhos e perdas, compara- to”, observou. culinos. Também participámos na concluiu. n

Aposta no desporto fundamental para a juventude


O Director Nacional para os As- “Pode não parecer, mas as vanta- da Juventude endereçou uma men- exemplo, a persistência demons-
suntos da Juventude, Roy Tembe, gens de apostar no desporto são sagem de apreço à Universidade trada no jogo da final.
considera que a aposta no des- várias. O desporto contribui, por Politécnica, por apostar em diversas “Tenho acompanhado alguns
porto, por parte das universida- exemplo, para a redução dos índi- actividades extracurriculares, o que treinos e jogos e posso afirmar
des, desempenha um papel im- ces de infecção pelo HIV/SIDA nos concorre para a formação de uma que temos potencial no des-
portante na redução dos índices jovens, que são, infelizmente, os juventude sã e consciente do seu pa- porto. Vocês são disso prova, à
de infecção pelo HIV/SIDA no seio mais afectados por esta pandemia”, pel na sociedade. semelhança das equipas de bas-
dos jovens. disse Roy Tembe, que também se re- “É gratificante saber que a direcção quetebol. Na final foram muito
Roy Tembe falava, recentemente, feriu à importância do desporto e do da Universidade Politécnica acari- persistentes. Não perderam a
na cerimónia de homenagem à associativismo estudantil na constru- nha várias actividades, entre elas a esperança e lutaram até o último
equipa sénior masculina de futsal ção da cidadania. cultura e o desporto. Não são todas momento”, considerou Narciso
da Universidade Politécnica, que “Há valores que são cultivados as universidades que têm esta for- Matos.
se sagrou vencedora da Taça Uni- quando fazemos parte de um mo- ma de ser e de estar”, afirmou Roy Para o treinador da equipa, Nas-
versitária, ao derrotar, na final, a vimento associativo juvenil, estu- Tembe. ser Momade, “este título é fruto
equipa da Universidade Eduardo dantil ou de uma equipa de futsal, Por seu turno, o Reitor da Universi- de muito trabalho e entrega.
Mondlane, por 3-1, na marcação como é o caso da unidade nacional, dade Politécnica, Professor Doutor Tínhamos a consciência da res-
de grandes penalidades, depois a solidariedade e o espírito de equi- Narciso Matos, felicitou a equipa ponsabilidade de representar a
de um empate a 4-4, no tempo pa”, acrescentou. de futsal e encorajou-a a manter o Universidade Politécnica nesta
regulamentar do jogo, que teve Num outro desenvolvimento, o Di- espírito competitivo que sempre a competição, na qual participaram
lugar no dia 17 de Novembro. rector Nacional para os Assuntos caracterizou, tendo apontado, como equipas muito fortes”. n

ÍNDICE