Você está na página 1de 21

Auditoria Financeira I

Contabilidade Fiscalidade e Auditoria

 Unidade 6

Relatórios de Auditoria

Gláucia M. Pedro Lic, C.A


Objectivos da Aula

 Saber quais são as componentes que fazem parte de

um relatório de Auditoria,
 Saber preparar um relatório de auditoria

 Conhecer os tipos de relatórios relevantes no

trabalho do Auditor/Revisor.
Relatório de Auditoria
 Normas de auditoria aplicáveis:
ISA 510 – Trabalhos de Auditoria iniciais – saldo de
Abertura
ISA 700 – Formar uma opinião e relatar sobre Demonstrações
Financeiras
ISA 805 – Considerações especiais – Auditorias de
Demonstrações financeiras isoladas e de elementos, contas
ou itens de uma Demonstração financeira.
ISA 810 – Trabalhos para relatar sobre Demonstrações
financeiras resumidas.
Relatório do Auditor
sobre demonstrações
financeira
ELEMENTOS BÁSICOS DO
RELATÓRIO DE AUDITORIA
NATUREZA E TIPOS DE RELATÓRIOS DE AUDITORIA

Relatório do Auditor Independente/Relatório em forma curta

 A função essencial é expressar, na base da prova de auditoria

obtida, a opinião do Auditor Independente sobre as DF da


Entidade auditada;

 Deve conter uma expressão clara e por escrito da opinião

sobre as Demonstrações financeiras tomadas como um todo;


NATUREZA E TIPOS DE RELATÓRIOS DE AUDITORIA

Relatório em forma longo/Carta de Recomendações ou


Management Letter

 Aborda todas as excepções identificadas pelo Auditor ao

longo do seu trabalho.


 Este relatório é de uso exclusivo da alta Administração da

Entidade ou seja da empresa.


Título
Relatório dos Auditores Independentes

O título serve para o distinguir de outros relatórios


emitidos por peritos ou outras Autoridades Científicas
ou Administrativas que não estejam sujeitos às
mesmas exigências éticas dos Auditores Externos;
DESTINATÁRIO

Aos

Accionistas/Sócios

Membros do Conselho de Administração


 Deve ser apropriadamente dirigido como exigido pelas

circunstâncias do compromisso e os regulamentos locais.


Geralmente o relatório é dirigido aos accionistas e ao Conselho
de Administração da Entidade cujas DF estão a ser auditadas;
PARÁGRAFO ABERTURA OU INTRODUTÓRIO

Identifica as Demonstrações Financeiras da entidade


que tenham sido auditadas, incluindo a data e o
período coberto.
A redacção típica é:

 Auditámos as demonstrações financeiras anexas da CFA,

LDA, que compreendem o balanço relativo a 31 de Dezembro


de 2017, a Demonstração de Resultados, o Mapa de Alterações
ao Capital e Fundos Próprios, a Demonstração de Fluxos de
Caixa referentes ao ano então findo e um resumo das políticas
contabilísticas significativas e outras notas explicativas.
PARAGRAFO DE RESPONSABILIDADE DE
ADMINISTRAÇÃO

 Inclui uma declaração de que as Demonstrações


Financeiras são da responsabilidade da Gerência, e indica
o conjunto de tarefas que cabem à Administração nesse
âmbito.
PARAGRAFO DE RESPONSABILIDADE DE
ADMINISTRAÇÃO
Redacção típica
A Administração é responsável pela preparação e apresentação
apropriada destas demonstrações financeiras de acordo com as Normas
Internacionais de Relato Financeiro (de acordo com as normas de
contabilidade geralmente aceites em Moçambique”).

Esta responsabilidade inclui:


• concepção, implementação e manutenção do controlo interno relevante
para a apresentação apropriada de demonstrações financeiras que estejam
isentas de distorções materiais, quer devidas a fraude ou erro;
• selecção e aplicação de políticas contabilísticas apropriadas; e
• elaboração de estimativas contabilísticas que sejam razoáveis nas
circunstâncias.
PARAGRAFO DE RESPONSABILIDADE DOS
AUDITORES

 Este parágrafo descreve o âmbito da auditoria e declara

que a mesma foi conduzida de acordo com as Normas


Internacionais de Auditoria ou Nacionais/ práticas
relevantes, acrescenta o trabalho desenvolvido pelos
Auditores e declara que a auditoria proporcionou uma
base razoável para a opinião, se for o caso.
PARÁGRAFO DE RESPONSABILIDADE DOS
AUDITORES

Redação típica
 É nossa responsabilidade expressar uma opinião sobre estas
demonstrações financeiras baseada na nossa auditoria. Excepto
quanto às limitações abaixo indicadas (esta excepção só se usa
se houver limitações de âmbito), conduzimos a nossa auditoria
de acordo com as Normas Internacionais de Auditoria.

 Estas normas exigem o cumprimento de requisitos éticos, de


planeamento e de execução de auditoria a fim de obter segurança
razoável sobre se as demonstrações financeiras estão isentas de
distorção material.
PARÁGRAFO DE RESPONSABILIDADE
DOS AUDITORES
Uma auditoria envolve:
 a execução de procedimentos para obter evidências de auditoria
sobre os valores e seus detalhes divulgados nas demonstrações
financeiras. Os procedimentos seleccionados dependem do
julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de
distorção material das demonstrações financeiras, devidos a
fraude ou erro.
 Ao fazer essas avaliações de risco, o auditor considera o controlo
interno relevante para a preparação e apresentação apropriada das
demonstrações financeiras pela entidade a fim de conceber
procedimentos de auditoria que sejam apropriados nas
circunstâncias, mas não com a finalidade de expressar uma
opinião sobre a eficácia do controlo interno da entidade
PARÁGRAFO DE RESPONSABILIDADE
DOS AUDITORES
Redacção típica

 a avaliação da adequação das políticas contabilísticas usadas e da

razoabilidade das estimativas contabilísticas feitas pela


administração,
 a avaliação da apresentação global das demonstrações financeiras.

 Consideramos que a evidência de auditoria que obtivemos é

suficiente e apropriada para proporcionar uma base para a nossa


opinião de auditoria
Parágrafo de Opinião

 Este parágrafo deve de uma forma clara declarar a


opinião do auditor quanto a se as DF dão ou não uma
imagem verdadeira e apropriada de acordo com a
estrutura conceptual de relato financeiro e, se obedece os
requisitos oficiais, caso existam;

 A estrutura conceptual de relato financeiro é determinada


pelas Normas Internacionais de Relato Financeiro, pelas
regras emitidas pelas organizações profissionais, e pelo
desenvolvimento da prática geral dentro de um país;
Parágrafo de Opinião
A redacção típica é:

 Em nossa opinião, as referidas demonstrações financeiras,


contidas nas páginas de xx a xx, apresentam de forma
verdadeira e apropriada, em todos os aspectos
materialmente relevantes, a posição financeira da CFA,
LDA em 31 de Dezembro de 2017, e do seu desempenho
financeiro e de fluxos de caixa do ano findo nessa data, em
conformidade com as Normas Internacionais de Relato
Financeiro (ou normas de contabilidade geralmente aceites
em Moçambique).
Data do Relatório

 O auditor deve editar o relatório com referência à data da

conclusão da auditoria e em circunstâncias nenhumas esta


data poderá ser anterior à data das Demonstrações
Financeiras;
Domicílio do Auditor

 O auditor deve indicar uma localização específica, que é

ordinariamente a cidade em que o auditor mantém o


escritório que tem a responsabilidade pela auditoria;
Por fim assinatura do Auditor

 O relatório deve ser assinado em nome da firma de

auditoria, em nome pessoal do auditor ou ambos, como


apropriado;
Referências Bibliográficas
Almeida, B.J.M (2014). Manual de Auditoria Financeira.
Uma análise íntegra baseada no risco. Escolar
editora. Lisboa.
Costa, C. B. (2010). Auditoria financeira: Teoria e
prática. (9ª ed.) Lisboa: Rei dos Livros.
Attie, W (2010). Auditoria: Conceito e Aplicações. (5ª
ed.) São Paulo. Editora Atlas.