Você está na página 1de 6

LINGUAGENS, CÓDIGOS

E SUAS TECNOLOGIAS
Frente: Português I
EAD – MEDICINA
Professor(a): Ângelo Sampaio

AULA 06

Assunto: Charges, Cartuns e Tirinhas

Cartum
Resumo Teórico O cartum é uma piada gráfica da mesma forma que a charge.
Entretanto, enquanto a charge está presa a acontecimentos mais
recentes e cotidianos, o cartum é atemporal, seu tema é universal,
compreendido por todos, independente de tempo e lugar.
Charge
A charge é um gênero textual muito presente em jornais ou Tirinha
revistas de grande circulação. Geralmente, busca retratar fatos políticos É uma sequência de quadrinhos que, de modo geral, critica
e de conhecimento público utilizando-se do humor. os valores sociais.
Enem de 2010.
O termo charge tem origem francesa charger, e significa
carregar, exagerar o caráter de alguém ou de algo, tornando-o ridículo
ou caricatural.

CARACTERÍSTICAS
VERÍSSIMO, L.F. As cobras em: Se Deus existe que eu seja atingido por um raio.
• Associa a linguagem verbal e a linguagem não verbal. Porto Alegre: L&PM, 1997.
• Atrelada ao jornalismo.
• O retrato exagerado das personagens, objetiva a crítica política
ou social. Exercícios
• Apesar da natureza humorística da charge, seu objetivo não é
simplesmente provocar o riso, mas formar opinião ou reflexão
crítica sobre a temática que veicula. 01. (Enem/2012)

COMPONENTES

• Imagem: utiliza desenho com traços, cores e formas que


auxiliam na construção de sentido.
• Ironia: afirmando-se o contrário do que pensam, os chargistas
utilizam tal figura de linguagem como um recurso a provocar
humor.
• Personagem: em geral, parte de um modelo vivo a ser
caricaturado pelo chargista. Disponível em: <www.ivancabral.com>.
Acesso em: 27 fev. 2012.
• Estilo: os traços e pontos que revelam a habilidade do chargista
e são, portanto, variáveis. O efeito de sentido da charge é provocado pela combinação
de informações visuais e recursos linguísticos. No contexto da
ilustração, a frase proferida recorre à
A) polissemia, ou seja, aos múltiplos sentidos da expressão
“rede social” para transmitir a ideia que pretende veicular.
B) ironia para conferir um novo significado ao termo “outra coisa”.
C) homonímia para opor, a partir do advérbio de lugar, o espaço
da população pobre e o espaço da população rica.
D) personificação para opor o mundo real pobre ao mundo virtual
rico.
E) antonímia para comparar a rede mundial de computadores
Disponível em: <http://clubedamafalda.blogspot.com.br>. Acesso em: 21 set. 2011 com a rede caseira de descanso da família.

F B O NLINE.COM.BR OSG.: 118154/17

//////////////////
Módulo de Estudo

02. 04. (Enem)

La vie en rose é uma criação do cartunista Adão Iturrusgarai. Sua


principal característica é a abordagem bem-humorada sobre temas
do cotidiano
Os quadrinhos exemplificam que as Histórias em Quadrinhos Mafalda foi criada no ano de 1962 pelo cartunista argentino
constituem um gênero textual Quino. Suas opiniões ácidas e irônicas são sua principal
A) em que a imagem pouco contribui para facilitar a interpretação característica. Assinale a alternativa que melhor expresse o efeito
da mensagem contida no texto, como pode ser constatado no de humor contido na tirinha.
primeiro quadrinho. A) O discurso feminista de Susanita é responsável pelo efeito de
B) cuja linguagem se caracteriza por ser rápida e clara, que facilita a humor, já que o tema é tratado de forma irônica, denotando
compreensão, como se percebe na fala do segundo quadrinho:
certo machismo por parte do autor da tirinha.
“</DIV> </SPAN> <BR CLEAR = ALL> < BR> <BR> <SCRIPT>”.
C) em que o uso das letras com espessuras diversas está ligado B) Mafalda opõe-se ao discurso da amiga Susanita e, por meio de
a sentimentos expressos pelos personagens, como pode ser suas feições em todos os quadrinhos, percebe-se nitidamente
percebido no último quadrinho. seu descontentamento.
D) que possui em seu texto escrito características próximas a uma C) A linguagem verbal não contribui para o melhor entendimento
conversação face a face, como pode ser percebido no segundo da tirinha, pois todo efeito de humor está contido na linguagem
quadrinho. não verbal por meio da expressão exibida por Mafalda no último
E) que a localização casual dos balões nos quadrinhos expressa quadrinho.
com clareza a sucessão cronológica da história, como pode ser D) Susanita apresenta um discurso de acordo com as teorias
percebido no segundo quadrinho. feministas que pregam a libertação das práticas tradicionalmente
03. (Enem) atribuídas à mulher. Contudo, no último quadrinho,
a personagem defende o uso de uma tecnologia que apenas
reforça os padrões tradicionais.

05. (Enem)

As tirinhas de Mafalda são frequentemente utilizadas em provas


QUINO, J. L Mafalda. Tradução de Mônica S. M. de concursos e vestibulares.
da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
A conversa entre Mafalda e seus amigos
Mafalda é uma garotinha de seis anos que sempre lança perguntas A) revela a real dificuldade de entendimento entre posições que
desconcertantes para os adultos. O efeito de humor foi um recurso pareciam divergir.
utilizado pelo autor da tirinha para mostrar que o pai da Mafalda B) desvaloriza a diversidade social e cultural e a capacidade de
A) revelou desinteresse na leitura do dicionário. entendimento e respeito entre as pessoas.
B) tentava ler um dicionário, que é uma obra muito extensa. C) expressa o predomínio de uma forma de pensar e a possibilidade
C) causou surpresa em sua filha, ao se dedicar à leitura de um
de entendimento entre posições divergentes.
livro tão grande.
D) ilustra a possibilidade de entendimento e de respeito entre as
D) queria consultar o dicionário para tirar uma dúvida, e não ler
o livro, como sua filha pensava. pessoas a partir do debate político de ideias.
E) demonstrou que a leitura do dicionário o desagradou bastante, E) mostra a preponderância do ponto de vista masculino nas
fato que decepcionou muito sua filha. discussões políticas para superar divergências.

F B O NLINE.COM.BR 2 OSG.: 118154/17

//////////////////
Módulo de Estudo

06. (Enem) 08. (EBMSP/2017)

LAERTE. Longe de mim ter preconceito, mas...


Mafalda, apesar de ser uma criança, já apresenta certo Disponível em: <http://www.guiadasemana.com.br>.
entendimento sobre as principais questões que afligem a Levando em consideração os elementos verbais e não verbais da
sociedade. Sobre os efeitos de humor da tirinha, pode-se afirmar, charge e tomando como ponto de partida o discurso “longe de
exceto: mim ter preconceito, mas...”, o conectivo “mas” apresenta, como
A) Mafalda emprega o mesmo valor semântico para o vocábulo efeito de sentido,
A) o contrassenso dos questionamentos presentes no discurso da
“indicador” no primeiro e no último quadrinho. interlocutora do indivíduo, que defende sua tese quanto ao
B) Mafalda não sabe a importância do dedo indicador. que é transgressão das leis.
C) A expressão “dedo indicador” é utilizada de maneira metafórica B) uma restrição feita pela jovem ao ponto de vista explicitado
pelo autor da tirinha. pelo homem em relação ao tratamento dispensado aos
D) Mafalda ainda não sabe exatamente o significado da expressão homoafetivos ou aos heteroafetivos.
C) a contradição na própria lógica argumentativa do personagem que
“indicador de desemprego”. generaliza a ideia de crime, sem o encadeamento de premissas
E) Apesar de ser uma criança, Mafalda já percebe as injustas plausíveis para que delas se tire uma conclusão cabível.
relações de trabalho estabelecidas entre patrões e operários. D) uma ressalva apresentada pela mulher diante da opinião emitida
pelo falante que se pronunciou primeiro sobre a forma como
07. (Enem/2013) a sociedade vê a homoafetividade.
E) uma oposição ao conceito de gênero enunciado pela voz
masculina e o manifesto na contra-argumentação da ouvinte.

09. (Unifesp/2017) Examine a tira do cartunista argentino Quino (1932- )

O cartum faz uma crítica social. A figura destacada está em QUINO. A pequena filosofia da Mafalda. 2015.
oposição às outras e representa a
A) a opressão das minorias sociais. As frases citadas pela personagem Mafalda no início de sua fala
B) carência de recursos tecnológicos. foram extraídas de um(a)
A) anúncio publicitário.
C) falta de liberdade de expressão.
B) livro sobre culinária.
D) defesa da qualificação profissional. C) peça de teatro.
E) reação ao controle do pensamento coletivo. D) cartilha escolar.
E) guia turístico.

OSG.: 118154/17
3 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

10. (IFSC/2017) Marque a opção que apresenta correta interpretação da tirinha da


Texto I Mafalda, personagem presente no último quadrinho, de autoria do
cartunista argentino Quino, em que Felipe, no primeiro quadrinho,
mostra-se pensativo com a possibilidade de participar do serviço
militar.
A) O menino, receoso do que poderá enfrentar no quartel,
imagina situações complicadas a que se submeterá e reage
com a chegada de seu herói, de modo que seus gritos foram
escutados por Mafalda.
B) O jovem menino, com medo do que o quartel lhe reserva, cria
situações mentais em que, fatalmente, não consegue êxito,
conforme expresso no último quadrinho.
C) A possibilidade de poder contar com a presença física de seu
herói no quartel retira, desde o início, todo medo e ansiedade
do jovem que deseja servir às Forças Armadas de seu país.
D) Embora com desejo de servir às Forças Armadas, a presença
de Mafalda, no último quadrinho, reforça a ideia de que as
mulheres não concordam com o fato de o serviço militar
obrigatório ser exclusivo para homens.

Disponível em: <http://clubedamafalda.blogspot.com.br>. 12. (IFBA/2017)


Acesso em: 19 ago. 2016.
Texto II
Isto sabemos: a Terra não pertence ao homem; o homem pertence
à Terra. Isto sabemos: todas as coisas estão ligadas, como o sangue
que une uma família. Há uma ligação em tudo. O que ocorre
com a Terra recairá sobre os filhos da Terra. O homem não teceu
o tecido da vida: ele é simplesmente um de seus fios. Tudo o que
fizer ao tecido, fará a si mesmo.
Fragmento da Carta do Cacique americano ao Presidente dos Estados Unidos da
América em 1855. Disponível em: <http://comitepaz.org.br/chefe_seattle.htm>.
Acesso em: 19 ago. 2016.

Considerando os textos I e II , assinale a alternativa correta.


A) Os dois textos falam sobre doenças sanguíneas que atualmente
afetam as pessoas de uma mesma família.
B) Ambos os textos têm como tema a necessidade de cuidarmos
do nosso planeta.
C) Os dois textos têm como tema central as belezas naturais.
D) Os dois textos destacam os cuidados que o homem demonstra
ter com a natureza.
E) Em ambos os textos, o Presidente dos Estados Unidos é criticado
por suas atitudes contra a preservação do planeta.

11. (Eear/2017) Leia: Leia as afirmativas a seguir sobre a tira de Mafalda.


I. No primeiro quadro, o termo “propriedade” tem seu sentido
modificado pelo termo “privada”, de modo que assim fica
especificada a natureza particular e não pública de um
determinado bem;
II. No segundo quadro, a expressão “É para” poderia ser
substituída sem prejuízo ao sentido por “deve-se”, já que a
personagem Libertad pede uma orientação à Susanita, acerca
de qual deve ser o posicionamento correto diante da questão
da propriedade privada;
III. Com a expressão “de quem”, no terceiro quadro, Susanita
diz à Libertad que seu posicionamento depende de que se
especifique o verdadeiro detentor da posse da propriedade
privada;
IV. Susanita demonstra, com sua atitude de recolher o brinquedo,
que, apesar de ser a detentora da propriedade privada, sempre
seria contrária à sua existência.

Assinale a alternativa que corresponde às afirmativas verdadeiras.


A) I, II, III e IV B) I, II e IV
C) I, III e IV D) I, II e III
E) I, II e IV

F B O NLINE.COM.BR 4 OSG.: 118154/17

//////////////////
Módulo de Estudo

13. (ESPM/2017) Estão corretas apenas as afirmações contidas nas assertivas


HORA DO CAFÉ A) I, II e IV B) I, III e V
C) II, IV e V D) II, III e IV
E) III, IV e V

15. (UPE-SSA/2017)

A propósito do texto anterior e de seus recursos multimodais,


analise as proposições a seguir.
A graça da tira anterior se concentra no(a) I. Ao encobrir parte da cena, o primeiro quadrinho cria certa
A) desapontamento do presidente da reunião, ao constatar um expectativa sobre quem é o interlocutor de Mônica, o que só
“ruído” na comunicação interna da empresa, devido à limitada é mostrado no segundo quadrinho;
capacidade interpretativa por parte dos subordinados. II. No segundo quadrinho, a identidade da mulher (uma bruxa) é
B) fala irônica do superior de uma empresa, criticando a falta apresentada principalmente por meio de recursos não verbais;
de compreensão, por parte de seus funcionários, de uma III. Os traços em forma de semicírculo e ‘a poeira’ em movimento
linguagem figurada num memorando. em torno da vassoura indicam que esse objeto está ‘ligado’,
C) providência tomada por um dos participantes da reunião, é autônomo para se movimentar e, portanto, deve pertencer
depois de ter feito uma leitura literal de um memorando. a uma bruxa;
D) repreensão enérgica do dirigente, dirigida a um dos elementos IV. O humor da tira tem relação com o fato de Mônica interrogar
da palestra, por não entender mensagem ambígua utilizada a bruxa com muita seriedade, à procura de evidências de que
em informativo. ela é a dona da vassoura.
E) crítica subjacente no discurso do falante, direcionada a um
dos presentes na reunião, por desconhecer jargão comercial Estão corretas:
em aviso da empresa. A) I e III, apenas. B) I, II e III, apenas.
C) I e IV, apenas. D) II e IV, apenas.
14. (IFPE/2017) Leia a tirinha a seguir para responder à questão. E) I, II, III e IV.

Resoluções
01. No texto, a palavra “rede” assume múltiplos sentidos, o que
chamamos de polissemia. São esses diversos sentidos que
produzem o efeito de humor no texto, quando combinado ao
desenho que mostra uma rede de tecido repleta de pessoas.

Resposta: A

02. As histórias em quadrinhos possuem em seu texto escrito


características próximas a uma conversação face a face, como
pode ser percebido no segundo quadrinho ao expressar “Fala,
HTML...”.
Disponível em: <http://pibidbar.blogspot.com.br/2013/06/
historia-do-corde-e-variacao.html>. Acesso em: 08 nov. 2016. Resposta: D

Sobre a linguagem dos personagens da tirinha, retirada da página 03. Mafalda é uma garotinha de apenas seis anos que está sendo
do Facebook “Bode Gaiato”, avalie as assertivas a seguir. alfabetizada, portanto, não sabe que o livro sobre o qual ela
I. O texto verbal, embora escrito, revela aproximação com a se refere é um dicionário e que o pai queria apenas fazer uma
oralidade. A grafia da palavra “nãm” evidencia esse aspecto; consulta rápida sobre o significado de um vocábulo.
II. Os falantes se utilizam de uma linguagem com fortes marcas
regionais, como, por exemplo, a escolha da palavra “mainha”; Resposta: D
III. O diálogo entre mãe e filho revela o registro formal da
linguagem, como podemos perceber pela utilização das 04. Há um quebra de expectativa, o que ocasionou o efeito de
expressões “venha cá pra eu...” e “que nem...”; humor da tirinha. Susanita apresentou, até o terceiro quadrinho,
um discurso condizente com as teorias feministas em voga nos
IV. O vocábulo “boizin”, formado a partir da palavra inglesa boy,
anos 70, mas no último quadrinho ela demonstrou ter um
é uma marca linguística típica de grupos sociais de jovens e
conhecimento limitado sobre o assunto, elogiando o uso de uma
adolescentes;
tecnologia, a máquina de tricô, que apenas reforça os padrões
V. Visto que todas as línguas naturais são heterogêneas, podemos tradicionais do comportamento feminino.
afirmar que a fala de Júnio e sua mãe revelam preconceito
linguístico. Resposta: D

OSG.: 118154/17
5 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

05. No primeiro quadrinho, a opinião dos dois meninos parecia 12. As afirmativas III e IV estão incorretas, pois ao questionar
convergir, ambos acreditavam que a humanidade iria para frente. “de quem” enquanto recolhe seus brinquedos, Susanita revela
Contudo, nos quadrinhos seguintes, não houve consenso entre que não abriria mão da sua propriedade privada (no caso, os seus
eles sobre a direção correta, denotando que alguns conceitos são brinquedos). Desta maneira, não há nenhuma alternativa que
subjetivos e nem sempre apresentam a mesma significação para contenha apenas afirmativas corretas.
todas as pessoas e esse seria o fator responsável pela dificuldade
da humanidade de caminhar para frente. Resposta: Questão anulada no gabarito oficial.

Resposta: A 13. A graça da tira se concentra na providência tomada por um dos


participantes da reunião, que compareceu “preparado” para um
06. Mafalda, apesar de ser uma criança, já percebe as injustas congelamento literalmente, protegido por casaco, cachecol, luva,
relações de trabalho entre patrões e operários e faz uma analogia gorro.
interessante entre o uso do dedo indicador, que metaforicamente
Resposta: C
é símbolo de autoritarismo, e um elemento da análise da situação
econômica de um país, o indicador de desemprego.
14.
III. Incorreta. Na verdade, o diálogo é bastante informal, marcado
Resposta: B por gírias e pela oralidade.
V. Incorreta. Não há nenhuma expressão de preconceito
07. A crítica social expressa pelo cartum mostra reação ao controle do linguístico na tirinha.
pensamento coletivo ao mostrar um homem que segue caminho
diferente dos demais, de maneira independente. Resposta: A

Resposta: E 15.
I. Correta. Há expectativa quanto ao interlocutor de Mônica,
08. Em “longe de mim ter preconceito, mas...”, o conectivo “mas” uma vez que não está presente na cena.
apresenta, como efeito de sentido, a contradição na própria lógica II. Correta. A “bruxa” não se identifica verbalmente; recursos
argumentativa do personagem que generaliza a ideia de crime, gráficos partem de elementos culturalmente consagrados,
ao afirmar “Crime é crime! Se a vítima é gay ou hétero, dá no como a roupa preta, o chapéu pontudo e o nariz grande.
III. Correta. Os recursos gráficos citados conferem ideia de
mesmo!”, sem o encadeamento de premissas plausíveis para
movimento à vassoura, que magicamente funciona sem que
que delas se tire uma conclusão cabível. O personagem apenas alguém a manipule.
tece afirmações, sem que haja, em seu discurso, embasamento IV. Correta. As feições da Mônica indicam que ela aparentemente
para tais. Ao ouvir a argumentação da outra personagem, ele precisa de mais provas para se desfazer da vassoura. Para tanto,
não contra-argumenta, apenas afirma: “Dá sim! Dá sim!”, sem dissimula o susto que uma bruxa ocasionaria ao bater à porta
elencar nada que possa justificar seu ponto de vista. de sua casa.

Resposta: C Resposta: E

09. A crítica de Mafalda aos autores do livro de onde foram extraídas


as frases citadas no início do texto (“em vez de escreverem coisas
inteligentes preferem nos ensinar a ler”) revela que se trata de
uma cartilha escolar, como afirma-se em D.

Resposta: D

10. No texto I, Mafalda afirma que na sua casa há alguém doente.


Somente no último quadrinho sabemos quem é: o mundo,
representado sob a forma de um globo encostado numa cama.
Assim, há uma crítica à forma como o mundo se encontra e um
apelo à necessidade de cuidarmos melhor do nosso planeta.
O mesmo tema é encontrado no texto II, que afirma que qualquer
coisa que o homem faça no mundo pode ter consequências e,
assim, é preciso cuidar do planeta.

Resposta: B

11. No primeiro quadrinho, Felipe reflete sobre a obrigatoriedade do


serviço militar, mostrando-se receoso: “fico meio apavorado de
pensar que vou ter que fazer serviço militar”. No segundo, ele
imagina-se como um soldado, cuja prisão é decretada por um
superior. No terceiro, aparece a figura de seu herói, “o cavaleiro
solitário”, para salvá-lo da situação. O alívio é tão grande que
Mafalda ouve seus gritos de “viva”, a altas horas da noite, o que,
supomos, tenha atrapalhado seu sono.
SUPERVISOR/DIRETOR: Marcelo Pena – AUTOR: Ângelo Sampaio
Resposta: A DIG.: Renan Oliveira – REV.: Tatielly

F B O NLINE.COM.BR 6 OSG.: 118154/17

//////////////////