Você está na página 1de 4

ESCOLA SECUNDÁRIA DE PINHEIRO E ROSA

FILOSOFIA – 10ºANO

1ºTESTE DE AVALIAÇÃO
Duração: 90 minutos Ano lectivo: 2010/2011

Versão A
GRUPO I
1. Como se caracteriza, de acordo com o autor do texto seguinte, a atitude daqueles que
estudam Filosofia?
Explique, por palavras suas, as ideias presentes no texto.

“Aquele que deseje filosofar deve antes de mais duvidar de todas as coisas. Não pode
tomar parte num debate antes de ter escutado as diversas opiniões, nem antes de
avaliar e comparar as diversas opiniões, nem antes de avaliar e comparar as razões
contrárias e a favor. Jamais deve julgar ou censurar um enunciado apenas pelo que
ouviu, pela opinião da maioria, pela idade pelo mérito ou pelo prestígio do orador,
devendo por consequência agir de acordo com (…) uma verdade que pode ser entendida
à luz da razão.” Giordano Bruno, in Michael White “Giordano Bruno: O Filósofo Maldito”, Planeta, 2008.

2. A partir da análise do texto, responda às questões a seguir apresentadas:

“O que pode justificar que se subtraia a liberdade a alguém como forma de castigo? Por
outras palavras, que razões podem dar-se para se exercer a coerção sobre as pessoas,
tirando-lhes a liberdade (…)?
Na sua forma mais simples, o retributivismo é a perspectiva segundo a qual aqueles que
violam a lei merecem o seu castigo, independentemente de existirem ou não quaisquer
consequências benéficas para eles ou para a sociedade. Aqueles que violam
intencionalmente a lei merecem sofrer (…). Além disso, a severidade do castigo deve
reflectir a severidade do crime.”
Nigel Warburton, Elementos básicos de Filosofia, Edições Gradiva, 2007, pág. 135-136.

2.1. Indique qual é a tese defendida pelos retributivistas em relação à pena de morte.
Esclareça, por palavras suas, quais são os argumentos apresentados no texto para
defender essa tese.

2.2. Apresente duas objecções (ou críticas) aos argumentos referidos no texto.

2.3. Concorda com as ideias defendidas no texto?


Apresente dois argumentos que permitam justificar o seu ponto de vista.

GRUPO II
1. Analise os seguintes exemplos:
A. Alguns navios desapareceram numa área denominada por triângulo das Bermudas. Os jornais
sensacionalistas concluíram que qualquer navio que por lá passe desaparecerá.

B. Dado que alguns filósofos, como Sartre e Nietzsche, defendem que Deus não existe, todos os
filósofos são ateístas.

C. Todos os democratas são ditadores. Hitler foi democrata. Portanto, Hitler foi um ditador.

D. Tenho um gato gordo e cego. Um dia caiu na piscina e começou a nadar de costas.

E. O réu não é culpado de assassínio, devido ao facto de ser deficiente mental.

1
F. “O astrónomo Simon Driver, da Universidade Nacional da Austrália usou um dos telescópios
mais potentes do mundo e contou 70.000 milhões de milhões de milhões de estrelas. É esse o
número total de estrelas do Universo, afirma.” (Público, 28 de Agosto de 2003)

1.1. Indique a alínea ou alíneas que correspondem a argumentos.

1.2. Identifique qual é a conclusão do argumento ou argumentos assinalados na alínea


anterior.

1.3. Indique qual é o valor lógico das proposições expressas nas frases da alínea C.

1.4. O exemplo da alínea E poderá se considerado um entimema? Justifique.

2. Seleccione a alternativa correcta. Indique apenas o número e a letra correspondente.

2.1. Um exemplo de uma questão filosófica é:


A. Que alimentos devo ingerir para ter uma alimentação saudável?
B. Quanto é 999X99?
C. Quais são as transformações hormonais ocorridas na adolescência?
D. Qual é a velocidade de propagação do som?
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.2. Um argumento é constituído por:


A. premissas;
B. conclusão;
C. uma proposição;
D. premissa(s) e conclusão.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.3. As premissas correspondem:


A. à tese defendida no argumento;
B. a proposições, que não têm qualquer relação entre si, e constituem o ponto de partida do
argumento;
C. à conclusão do argumento;
D. às proposições apresentadas para justificar a conclusão.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.4. As expressões: “logo”, “por conseguinte” e “portanto” são:


A. indicadores de premissa;
B. indicadores de proposição;
C. indicadores de conclusão;
D. premissas.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.5. Um indivíduo ao argumentar tem de:


A. expressar uma opinião sem justificar;
B. apresentar razões para defender uma determinada tese;
C. concordar com uma determinada tese;
D. discordar de uma determinada tese.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.6. A proposição: “Todos os alunos da escola Pinheiro e Rosa gostam de realizar testes
diagnósticos no primeiro dia de aulas” é:
A. uma opinião de que é difícil duvidar;
B. correcta e não precisa de justificação;
C. verdadeira, pois aquilo que é dito não necessita de ser comprovado na realidade;
D. verdadeira, se corresponder à realidade, ou falsa se não corresponder.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.7. Uma proposição é:


A. uma frase declarativa com sentido;
B. uma frase declarativa sem sentido a que se pode atribuir um determinado valor de verdade;
C. um pensamento expresso numa frase declarativa com sentido, a que se pode atribuir um
valor de verdade; 2
D. uma ordem ou um pedido.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.8. Há quem diga que a astrologia é uma ciência e há quem diga que não. A verdade é que a
astrologia não é uma ciência, porque, se fosse uma ciência, as teorias dos astrólogos seriam
submetidas a testes. Mas as teorias dos astrólogos não são submetidas a testes.
Qual é a conclusão deste argumento?

A. Há quem diga que a astrologia é uma ciência e há quem diga que não.
B. A astrologia não é uma ciência.
C. As teorias dos astrólogos não são submetidas a testes.
D. Se a astrologia fosse uma ciência, as teorias dos astrólogos seriam submetidas a testes.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

2.9. A frase que não expressa uma proposição é a seguinte:


A. Deus não existe.
B. O homem não é livre.
C. Prometi à minha mãe que estudava para o teste de Matemática.
D. A realidade é uma ilusão.
E. Nenhuma das alternativas anteriores é correcta.

2.10. A frase que expressa uma proposição é a seguinte:


A. Fecha a porta!
B. Quem me dera que chovesse!
C. Gostas de literatura?
D. Prometo não faltar à aula de Filosofia.
E. Nenhuma das respostas anteriores é correcta.

GRUPO III
1. Classifique as proposições que se seguem, indicando se são: universais afirmativas
(UA); universais negativas (UN); particulares afirmativas (PA); particulares negativas
(PN); singulares afirmativas (SA); singulares negativas (SN) ou condicionais (C).
A. Platão foi um discípulo de Sócrates.

B. Caso o Jesualdo tenha uma atitude crítica, então não se julga na posse da verdade.

C. Os filósofos não são cientistas.

D. As teorias filosóficas estão sujeitas à controvérsia.

E. Certas proposições são universais.

F. Se não filosofares, não podes perceber o valor da Filosofia.

G. Não há nenhuma teoria filosófica que não seja discutível.

H. Qualquer filósofo justifica racionalmente as suas ideias.

I. Nem todos os filósofos defendem os direitos dos animais.

J. Há pessoas dogmáticas.

2. Formule a negação (utilizando, sempre que possível, proposições com quantificadores)


de todas as proposições expressas nas frases da questão anterior.

GRUPO IV
1. Indique se as frases a seguir apresentadas são verdadeiras (V) ou falsas (F).

A. O estudo experimental permite aos filósofos provar as suas teorias e alcançar um saber unânime.

B. Filosofar implica espírito crítico, ou seja, recusar sempre as opiniões dos outros e aceitar só as
minhas.
3
C. A filosofia implica espírito crítico relativamente àquilo que os outros dizem e fazem, mas também
em relação a nós próprios: saberemos efectivamente aquilo que julgamos saber? Não será preciso
reflectirmos mais?

D. Os problemas filosóficos nada têm a ver com a vida humana. Só dizem respeito a quem estuda
filosofia na Universidade.

E. A frase “A relva é azul” não expressa uma proposição.

F. Em Filosofia o termo “subjectivo” é o contrário de “objectivo”.

G. “É preferível dizer sempre a verdade ou mentir em certas circunstâncias?” – esta questão


corresponde a um problema conceptual.

H. O tipo de pensamento introduzido pela Filosofia nos séculos VII-VI a.C designa-se como racional.

I. Os contra-exemplos podem ser utilizados em Filosofia para refutar proposições particulares.

J. As diferentes ciências particulares, como a Biologia e a Química, ao contrário da filosofia, têm um


objecto de estudo específico.

2. Considere o quadro a seguir apresentado.


2.1. Faça a correspondência entre as duas colunas. Escreva apenas as letras das alíneas
(da coluna B) e o número (da coluna A) correspondente a cada uma delas.

2.2. Indique quais são as disciplinas que estudam os problemas filosóficos referidos em
cada uma das alíneas da resposta anterior. Escreva apenas a alínea e o nome da
disciplina.

Coluna A Coluna B

A. Quem foi o último rei de Portugal?

B. Quais são as hormonas responsáveis pelo desenvolvimento das


1. Problema características sexuais secundárias?
filosófico
C. Que argumentos podemos apresentar para defender a existência de Deus?

D. A Segunda Guerra Mundial principiou em 1939 e terminou em 1945?

E. A soma dos ângulos internos de um triângulo é 180 graus?

F. O que é a verdade? Como podemos alguma vez saber que a alcançamos?


2. Problema não
filosófico G. Como se enuncia a lei de Lavoisier?

H. É necessário os cidadãos submeterem-se à autoridade do Estado? Porquê?

I. Qual é a montanha mais alta de Portugal continental?

J. É moralmente errado aplicar a pena de morte, como castigo, a um


homicida?

K. Como se formula o teorema de Pitágoras?

L. Se todas as vidas terminam com a morte, que sentido faz viver?

Cotações:
Grupo I – 1. 15 Pontos; 2. 2.1. 23 Pontos; 2.2. 20 Pontos; 2.3. 20 Pontos
Grupo II – 1. 1.1. 06 Pontos; 1.2. 08 Pontos; 1.3. 06 Pontos; 1.4. 10 Pontos; 2. 20 Pontos
Grupo III– 1. 20 Pontos; 2. 20 Pontos
Grupo IV – 1. 10 Pontos; 2. 2.1. 10 Pontos; 2.2. 12 Pontos /Total: 200 Pontos
Bom trabalho! A professora: Sara Raposo.