Você está na página 1de 4

Data do estudo Lição 13

Texto base: Jeremias 29.11

Certeza do
Amanhã
Por Vanderlei Batista Marins

Tempos de restrições são sem- a Deus, Ele não o abandonou, por


pre inquietantes, cheios de especu- isso, mais uma vez lhe estendeu a
lações e de muitas novidades. Por mão. O Senhor revela seus propó-
outro lado, também podem ser vis- sitos através de uma carta enviada
tos como preciosas oportunidades pelo profeta Jeremias. Todo sofri-
para revermos muitas coisas: con- mento vai passar. Existe um ama-
sertos, tomada de atitudes ou per- nhã garantido dentro da vontade e
manecermos céticos e revoltados. da bondade do Senhor. É o alvore-
O povo de Israel, no contexto do cer da esperança, mas enquanto o
capítulo 29 do livro de Jeremias, dia da vitória não chega, algumas
deixou de honrar ao Deus Todo atitudes precisavam ser tomadas.
Poderoso; menosprezou a Palavra O conteúdo da carta que o povo re-
do Eterno na voz dos seus profe- cebeu na Babilônia desafiava-os à
tas, serviu e adorou falsos deuses, certeza do amanhã.
prostituiu a fé, por isso a disciplina
veio em forma de dominação es- 1. Certeza que motiva
trangeira, cativeiro e humilhação investimentos no presente
“internacional”. (v.4-7)
Em meio a toda essa desolação, Independente das situações vi-
apesar do povo ter abandonado vidas, não podemos perder “o trem

64
do futuro”. O desafio é focar além a mensagem dos Evangelhos (Mt
dos problemas, investir no presen- 5.44). A Babilônia era apenas uma
te e confiar verdadeiramente no vara com a qual Deus estava dis-
Senhor (Sl 125.1). O povo precisava ciplinando o seu povo. Disciplina é
reagir, construir a partir da sua reali- diferente de castigo.
dade as bases para o futuro revela- Os exilados deveriam adquirir o
do por Deus. conhecimento das coisas impor-
O profeta Jeremias fala ao seu tantes que a vida na Babilônia po-
povo que estava exilado, vivendo deria proporcionar. Deus não queria
as durezas do cativeiro e marcado que o seu povo ficasse à margem
por revolta e ausência de expec- do progresso, vivendo apenas
tativa (Sl 137), para que agisse com como escravos inúteis, mas que
normalidade. Aquela agora era a aprendessem a lidar com os negó-
realidade deles, um novo dia iria cios, com o comércio. Chegaria o
raiar, mas enquanto não acontecia, tempo do retorno e então levariam
era preciso VIVER. O que isso sig- com eles as experiências adquiri-
nificava naquele momento? A res- das. Deus estava preparando o seu
posta está em Jeremias 29.5-7, con- povo para um novo tempo.
selhos preciosos para o povo não Quando investimos na vida espi-
agir como se estivesse arruinado, ritual, conseguimos vencer o medo
mas que tudo era uma questão de e afirmar como Neemias, um dos
tempo. O povo conheceria o poder exilados: “Um homem como eu fugi-
restaurador de Deus, que utiliza o ria?” (Ne 16.11). Não importa a situa-
resultado de todas as coisas e apli- ção que temos vivido; aprendamos
ca para o bem dos seus (Rm 8.28). com as circunstâncias, com os nos-
E o investimento continua. Preci- sos erros, para não mais repeti-los;
sava também se estender ao plano e tiremos o melhor de cada situa-
espiritual de forma ampla e até inu- ção. Levantemos e nos firmemos de
sitada. Investir numa vida de oração pé!
e, mais desafiador ainda, orar por
aquela terra de servidão, pelos ad- 2. Certeza que previne
versários e promover a paz daquela quanto aos proclamadores
cidade. Tinham que entender que de mensagens falidas (v.8-9)
aquela cidade era o que eles tinham
Desde o Éden mensagens fali-
no momento, era o lugar onde a vida
das, Fake News, são divulgadas (Gn
teria prosseguimento e não seria
3.4-6). O tentador sabia que a pro-
possível ter um amanhã diferente
posta feita ao primeiro casal não
se ainda continuassem como pes-
funcionaria. Não deu certo para ele,
soas presas ao passado de revolta,
que fora expulso da presença de
ódio e vingança. Jeremias antecipa

65
Deus, assim como não deu para as do pelos lobos vestidos de ovelhas
vítimas de sua falsa mensagem (Gn (Mt 7.15) e pelos contadores de “so-
3.23-24). nhos”, mensageiros irresponsáveis.
Quando Jeremias profetizou que Em todos os tempos, para quem
Jerusalém seria devastada e o povo crê na intervenção divina e tem
levado cativo pelo exército babilô- certeza do amanhã, só existe uma
nico, as reações agressivas, contrá- fórmula para se proteger desses
rias ao profeta e à profecia foram falsificadores da Palavra: o conhe-
imediatas (Jr 19.3-8; 20.1-5). Nesse cimento da suficiente e eterna Pa-
tempo, vários impostores se levan- lavra de Deus. Façamos como os
taram com mensagens atraentes bereanos, conferindo todas as coi-
ao povo, dizendo que não era bem sas na Palavra para ver se estavam
assim conforme o dito profético. conforme (At 17.11). Assim sendo,
Como proclamadores de mensa- permaneçamos firmes na lealdade
gens falidas, destaco: Hananias (Jr ao Senhor e à sua Palavra. Mesmo
28.1-4), que recebeu a devida puni- que a Palavra do Senhor nos pareça
ção (Jr 28.15-17) e, também, Acabe, dura, Ele sabe o que diz e porque
Zedequias e Semaías (Jr 29.21, 31- diz. Verdadeiramente Ele sabe o
32). que eu e você precisamos ouvir.
A mensagem do falso profeta 3. Certeza que conscientiza
parece ser verdadeira. É atraente, a nos firmarmos no Deus da
agradável e cheia de aparente es-
promessa (v.10-11)
perança, mas não passa de cilada,
veneno para a alma e deformação Deus garantiu ao seu povo que
para a fé (Jr 23.32). Foi por isso que o o conduziria no retorno à sua ter-
Senhor preveniu o seu povo quan- ra. Seria maravilhoso e consolador
to ao perigo das coisas fáceis, por poder viver o amanhã sob um novo
parte de alguns que se levantaram olhar: a guerra absorvida pela paz;
para contrapor à vontade de Deus a tristeza do cativeiro suplantada
anunciada pelo profeta. Quanto a pela alegria da liberdade, a terra es-
esses, a recomendação foi: “...não tranha substituída pela terra de ori-
deis ouvidos...” (Jr 23.16). gem e as noites sombrias de sofri-
O povo precisava aprender a fi- mento pela aurora de um novo dia.
car atento, voltar-se para o Senhor Como bem afirmou o poeta sacro
e não se deixar levar pelos impos- num dos mais belos hinos do nosso
tores do ofício profético. Precisava hinário: “Jerusalém! Jerusalém! Teu
também ter os pés no chão, firmeza dia vai raiar!”
na fé e certeza no amanhã (Cl 2.6- Podemos crer nesse Deus de
8), para não ser enganado, devora- promessas e crer nas promessas de

66
Deus, pois Ele cumpriu, cumpre e Quando em nossa vida tudo pa-
cumprirá cada uma delas (Nm 23.19). recer impossível, lembremo-nos da
Sabemos que naquele momento de promessa do Senhor, pois Ele diz:
dor e de vergonha cada um do povo “Só eu conheço os planos que tenho
era levado a pensar em muitas coi- para vocês: prosperidade e não des-
sas: uns ouviam os falsos profetas, graça e um futuro cheio de esperan-
outros não queriam ouvir nada, mas ça. Sou eu, o Senhor, quem está fa-
havia também aqueles que neces- lando” (Jr 29.11).
sitavam ouvir que, embora em terra
estranha, não estariam sozinhos (Sl Para pensar e agir
145.18-19). O Senhor estaria atento 1. Em tempos de restrições o me-
aos lamentos do seu povo e velaria lhor caminho é: revisar as práticas
sob a Sua Palavra para cumpri-la. de vida, manter a esperança e as-
Os que edificam suas vidas, fir- sumir um novo compromisso com o
mados nas promessas do Senhor, Senhor.
nunca terão seus sonhos frustrados. 2. O momento está difícil? Não
Deus via a angústia do seu povo? desanime. Não se deixe levar por
Estamos certos que sim, mas o ob- mensagens falidas e nem se es-
jetivo era disciplinar e não destruir. conda da vida. Viva a normalidade
Só quem ama é capaz de disciplinar! e procure retirar o melhor de cada
Deus assim diz ao seu povo: Quando situação.
os setenta anos da Babilônia passa-
rem eu mostrarei que me interesso 3. Depois da tempestade sempre
por vocês e cumprirei a minha pro- vem a bonança, mas até para viver-
messa de levá-los de volta à pátria. mos os dias de bonança é preciso
Quando a saudade “de casa” apertar ânimo, força e fé, a fim de “recons-
ou se sentirem desamparados, lem- truirmos os muros caídos, o templo
brem-se: há uma promessa de Deus destruído, edificar casas, arar e se-
para cada um de nós, o seu povo. mear a terra para novas colheitas”.
Não somos tão diferentes do
Leitura Diária
povo do Senhor no passado. Tam-
bém temos pecado, andado por ca- SEG Isaías 46.3-13
minhos tortuosos e algumas vezes TER Salmos 130.1-8
até distantes do Senhor. É certo que
QUA Salmos 31.14-24
também fomos disciplinados por
Ele, mas temos a certeza de que so- QUI Salmos 40.1-5
mos filhos e, como tais, somos her- SEX Romanos 12.9-21
deiros de suas promessas. Quem
SÁB 2 Timóteo 1.7-12
viveu e sobreviveu à Babilônia pôde
ver a promessa cumprida (Ed 1.1-3)! DOM Apocalipse 21.1-7

67