Você está na página 1de 16

O Que é a Mente?

Mente, Cérebro e Cognição

O Que é a mente?   De que forma a vida mental se relaciona com
O Que é a mente?
 
De que forma a vida mental se
relaciona com o mundo?
  O que significa pensar?
  Será
que
a
mente
é
uma
entidade física?
Psicologia)12º) Ano| ))Antes)de)mim:)Cérebro)Joana)Inês)Pontes)

A

Apercebimento (awarness) e consciência.

mente

são

CRENÇAS

QUALIA.

e

I. O que são crenças?

As crenças são de natureza representativa e envolvem a dimensão psicológica/mental. São estados mentais com conteúdo, estados dirigidos (sobretudo, mas não apenas) para fora da mente;

sua

Intencionalidade (=aboutness), que distingue o mental por entre as coisas que existem;

Esta

característica

das

crenças

é

a

As crenças são atitudes proposicionais, permitem- nos tomar uma proposição, como verdadeira. Algo em que, justificadamente se acredita;

São pretensões de verdade (truth claims) e dão as razões para a acção: por exemplo, “se eu não creio que esta mão é minha não me servirei dela para escrever”. As crenças guiam as opções do agente cognitivo - sem elas jamais seria possível viver e agir.

Todavia, para as nossas crenças funcionarem, como crenças, não necessitam de ser explícitas ou justificadas. Ter uma crença não é igual ao saber reflexivo de saber que se tem uma crença”;

Não são idênticas aos objectos “intencionados”, nem ao suporte físico no agente cognitivo (ex. cérebro). O pensamento que eu tenho de cadeira é acerca da cadeira, não é análogo à cadeira. Não se trata de identidade/posse dos objectos “exteriores”, mas de um interface entre o nosso mundo e o mundo exterior.

Só tenho acesso à minha própria mente o que permite constatar a existência do pensamento e a minha natureza mental. Existe pensamento e esse pensamento é o meu pensamento. Tal como wittgenstein poderia dizer “ o meu mundo é o MEU mundo mas – estranhamente – o sujeito não pertence ao mundo”;

São estados a que temos acesso directo e privado mas não são incorrigíveis. Teríamos um acesso incorrigível se fosse totalmente impossível enganar-me acerca da existência ou da natureza das coisas pelo facto de ter acesso directo aos conteúdos mentais que são acerca dessas coisas.

De onde vem as nossas crenças?

FONTES DE CRENÇA:

1) Percepção (ex. vejo uma cadeira azul; rebuçado doce; a sala é fria, etc.) 2) Memória (fui a Roma; cortei o cabelo; recordo a matéria etc.) 3) Raciocínio (à priori; o móvel é mais alto que a cadeira, logo a cadeira é mais baixa, etc.) 4) Inteligência ou introspecção (imaginação; estou na praia, etc.) 5) Testemunho (intermediários, vi o arguido empurrar a vitima, etc.)

PROBLEMA MENTE E MUNDO: Conhecimento do mundo para além das nossas mentes.

De que forma a vida mental se relaciona com o mundo?

Embora as nossas crenças sejam na sua maioria acerca do mundo exterior, se pensarmos veremos que nós temos acesso directo ao interior da nossa própria mente.

“Como sabemos seja o que for?” (T. Nagel)

“Se pensares nisso, verás que o interior da tua mente é a única coisa de que podes estar certo”

Isto significa que: i)   Apenas existem as minhas experiências; ii)   O que existe
Isto significa que:
i)  
Apenas existem as minhas experiências;
ii)   O que existe é de natureza mental;
iii)   Conta com a existência de um mundo exterior.
MUNDO REAL EXTERIOR: fundamentar a crença na
realidade do mundo exterior.
Psicologia)12º) Ano| ))Antes)de)mim:)Cérebro)Joana)Inês)Pontes)

Se for possível argumentar plausivelmente que nada me parecia diferente se tudo existisse apenas na minha mente, então está dado um passo essencial para defender que a realidade é toda ela, ilusória, um sonho gigante. Supondo isto estamos a acreditar que numa outra perspectiva estará o verdadeiro ‘mundo real exterior’, o qual não temos acesso.

PROBLEMA MENTE-CORPO

Contemporaneamente, a discussão deste problema parte do seguinte ponto: o que acontece na consciência depende do que acontece no corpo e nomeadamente no cérebro. Isto é tomado como certo.

A dúvida esta em saber se a mente consciente é o cérebro ou é diferente dele, pois o facto é que temos consciência do que acontece na mente mas não do que acontece no cérebro.

A questão não é agora a natureza última da realidade,

se

relaciona com o mundo físico (considerando que ambos existem).

mas

a

forma

como

a

mente

(a

consciência)

DUALISMO

Consciência e mundo físico são duas realidades inacreditavelmente diferentes. Os humanos são constituídos por essas duas naturezas distintas (´corpo` e ´alma`) e a sua vida mental passa-se na alma. Interioridade mental diferente de interioridade física.

FISICALISMO

Tudo o que existe no mundo é de uma só natureza:

Física. Todos os estados mentais também são físicos.

TEORIA DO ASPECTO DUAL

A realidade é uma, mas tem propriedades mentais e propriedades físicas. A mente não pode ser ´reduzida` a uma realidade concebida como total exterioridade.

O que é ser EU?” - Thomas Nagel = Realista

Nós e a nossa vida mental somos PARTE da realidade. A realidade não depende do facto de ser pensada, portanto, o mundo é independente das nossas mentes. (concebe que o mundo depende do pensamento).

É verdade que não é possível deixarmos inteiramente para trás o ponto de vista sem deixarmos de existir, (“não há view from nowhere”) mesmo perante o pensamento mais objectivo (não deixa de ser pensado pelo ser).

PROBLEMA DA IDENTIDADE: EU E OUTRAS MENTES

(Nagel, Cap.III)

Há um tipo especial de Cepticismo – acerca das outras mentes – que continua a ser um problema, mesmo que se admita que a nossa mente é a única coisa que existe.

A ideia central do problema das outras mentes é que apenas num caso (o meu), tenho acesso directo à correlação entre corpo, comportamento e qualia. A crença na interioridade mental dos outros seres resulta sempre de uma inferência, nunca de um acesso directo.

Que razões têm para acreditar que os outros ser se sentem ser?

Só temo acesso ao interior físico do corpo do outro:

observação de corpos; comportamentos; do interior anatómico, mas nunca à sua ‘interioridade mental’: não há acesso à experiência, pensamentos e sentimentos (tais como os meus).

Possibilidades cépticas quanto a outras mentes: os qualia só existem em primeira pessoa, são inacessíveis em terceira pessoa, o que coloca vários problemas (variações sobre outras mentes):

PROBLEMAS:

Problema do aspectro invertido: uma pessoa pode ter um comportamento absolutamente indistinguível de todas as outras pessoas, e ser totalmente despromovida de qualia, sem que se saiba.

Zombie: uma criatura sem consciência que se comporta de tal forma que é indistinguível de um ser consciente. (Descartes: animal-máquina capaz de movimentos complexos sem consciência)

Forma como atribuímos consciência a outros pontos do mundo [animais, plantas, máquinas]: Será) possível) que) haja)muito)menos)vida)consciente)do)que)se)supõe)(nenhuma) para)além)da)minha:) solipsismo ))ou)muita)mais)(até)nas)coisas) que)se)supões)serem)inconscientes:)pampsiquismo )?)

PROBLEMAS:

Pampsiquismo: a posição que sustenta que todas as partes da matéria implicam consciência ou a posição mais holista segundo a qual o mundo inteiro não é mais do que um reino infinito da vida mental, o que não de todo absurda.

Justificação

mente”

noutros seres)

psicológica

à

(crenças

cerca

acerca

de

da

existência

“teoria

de

da

crenças

Hipótese: Um módulo mental em cada um de nós, para atribuição de mente (se for assim, esta não é uma crença justificada, mas algo para que estamos biologicamente desenhados.

Realizado por:

Joana Inês Pontes