Você está na página 1de 17

Networking no audiovisual:

o que você precisa saber para


fazer as conexões certas
Introdução.............................................................................................. 3
A importância do networking no audiovisual............................5
7 dicas para fazer networking no audiovisual............................ 7
Como ter diferencial no audiovisual............................................ 15
Conclusão............................................................................................. 16
Sobre a AIC........................................................................................... 17
3

Introdução

Se a ordem natural das coisas fosse sempre seguida à risca, o processo de


contratação no audiovisual começaria com a entrega de um currículo e
terminaria com uma entrevista. Ao final desta, você saberia se foi selecionado
ou não e por quê.

Se a ordem natural das coisas fosse sempre seguida à risca. Na prática, porém,
há diversas etapas sutis entre essas duas, e isso vale principalmente para uma
carreira no audiovisual. Regras tácitas eliminam candidatos sem que eles
sequer saibam que há uma seleção acontecendo.
INTRODUÇÃO 4

No campo do audiovisual, assim como no das artes em geral, o envolvimento


com o trabalho transcende uma relação profissional comum e assume
contornos emocionais. Claro, isso não é regra, mas acontece com frequência.

Assim, você ainda vai se ver fazendo amigos para a vida toda nas gravações de
curtas-metragens, por exemplo. Por essas e outras é que o networking existe:
ele é uma forma sutil e subjetiva de avaliar qualidades também subjetivas,
mas importantes.

Neste material, pretendemos esmiuçar esse processo para você. Daremos


recomendações que o ajudem a tirar o melhor de relações profissionais
e pessoais feitas nos locais mais diversos, cujo resultado pode ser a sua
participação em um próximo filme ou produção.

Boa leitura e bons contatos profissionais de agora em diante!


5

A importância do
networking no audiovisual

O networking deve ser construído tanto nas redes sociais quanto


presencialmente. Nesse sentido, é importante não dar excessiva importância a
relações construídas pela internet.

Afinal, embora sejam um ótimo ponto de partida, elas vão ser efêmeras e
líquidas se não forem desenvolvidas presencialmente.
A IMPORTÂNCIA DO NETWORKING NO AUDIOVISUAL 6

O historiador Sérgio Buarque de Holanda, em seu livro Raízes do Brasil (1936),


faz referência ao fato de que os brasileiros, mais do que qualquer outro povo,
estão muito mais propensos a fazer negócios com amigos e conhecidos.

E esse é o primeiro e mais forte argumento para defender a importância do


networking no audiovisual ou em qualquer meio artístico e empresarial.

Uma vez que os contatos começam a ser feitos, você deve se lembrar que, antes
de usufruir dos favores dessa nova rede que se inicia, é interessante oferecer-se
para ajudá-los em algo. Concorda que a melhor maneira de fazer amigos é dividir
necessidades e conhecimento?

Evite aproximar-se das pessoas por conveniência. Em vez disso, procure


artistas que você admira para compor sua rede de contatos e deixe as coisas
acontecerem naturalmente.
7

7 dicas para fazer


networking no audiovisual

Aprender a fazer networking é algo que demanda autoconhecimento e


conhecimento do mercado em que você quer atuar. Ou seja, são boas as chances
de que você demore um pouco para engrenar nesse sentido.

Aliás, a teia de relações que estabelecemos com outros profissionais da área


não serve apenas para arrumar emprego. Elas são a nossa maior fonte de
aprendizado do mercado audiovisual, e tudo fica muito mais simples se você
começar com espírito de aprendiz.

Aos poucos, perceberá que alguns caminhos são mais trilhados porque
apontam para destinos mais fáceis. Vai ver também que os passos devem ser
dados um de cada vez. Assim, quem aspira a ser diretor de cinema precisa
começar operando a câmera ou atuando no set, como assistente de produção
ou de direção.

A seguir você confere nossas melhores dicas para fazer networking no


audiovisual. Se segui-las à risca, você se verá cercado de gente competente que
discerne e reconhece o seu valor, incentivando-o.
7 DICAS PARA FAZER NETWORKING NO AUDIOVISUAL 8

1. Seja objetivo para criar referência

As pessoas se lembram tanto de você quanto daquilo que faz. Então, o primeiro
passo é não se colocar como um faz-tudo na área audiovisual, tentando
perseguir o maior número de trabalhos possível.

Mesmo que você tenha esse talento, é interessante que tente se destacar por
uma ou duas habilidades, no máximo. Pelo menos nos primeiros anos de
carreira, essas habilidades não precisam ser exatamente o seu objetivo final
no audiovisual.

Se você quer chegar a atuar como produtor-executivo audiovisual, por exemplo,


escolha tarefas que possam levar a esse caminho e se especialize nelas. Um bom
exemplo é se vender nos encontros como assistente de produção, por exemplo.
7 DICAS PARA FAZER NETWORKING NO AUDIOVISUAL 9

2. Crie redes de relações na internet

As redes sociais não devem ser encaradas como a única maneira de estabelecer
relações de trabalho. No entanto, não há dúvidas de que elas são muito
importantes para dar os primeiros passos na área de audiovisual.

Se souber se relacionar no LinkedIn, por exemplo, você vai criar as bases para
encontros profissionais presenciais, onde será reconhecido pelas discussões
que promove e pelo conteúdo que compartilha naquela rede social. Ou seja,
manifestar opiniões racionais e moderadas sobre temas da área é uma ótima
maneira de ser lembrado.

No entanto, é bom ter em mente que alguns processos seletivos para a área
artística são bem informais, e não são necessariamente divulgados em redes
sociais profissionais. É comum que o Facebook também seja usado para isso,
por exemplo.

Nossa última dica, nesse sentido, é que você evite restringir seu networking
online às redes sociais. Existem plataformas especializadas em promover a
convivência profissional no setor audiovisual — como é o caso da VAV, que
estende seus serviços a quem trabalha com jornalismo, televisão, comunicação
e publicidade — e da Tela Brasileira, importante portal de projetos de
audiovisual que publica vagas de emprego na área.
7 DICAS PARA FAZER NETWORKING NO AUDIOVISUAL 10

3. Participe de eventos presenciais

Como você deve ter percebido pelo que acabamos de explicar, a sua presença
em eventos é necessária a todo momento. Ela é um desdobramento natural
das conexões que a sua autoridade construiu nas redes sociais. Logo, deve ser
frequente e constante.

No entanto, todos sabemos que o tempo é um recurso escasso. Por isso, trate
de adotar bons critérios para selecionar os eventos dos quais vai participar.
Leve em conta aspectos qualitativos, em vez de quantitativos. Afinal, nem
sempre o maior evento é o melhor.

Pelo contrário, é em palestras e encontros menores que os membros do setor


audiovisual mais interagem e as conversas adquirem caráter mais próximo e
íntimo. Essas situações são o contexto ideal para todos se conhecerem melhor
e, muitas vezes, você vai encontrar equipes inteiras por lá, saídas diretamente
de um set de filmagem, por exemplo.

Se quiser conhecer também os eventos grandes, recomendamos os principais


festivais de cinema do Brasil, como o Rio2c e o Festival de Cinema de
Tiradentes. Esses eventos, com certeza, vão arejar sua criatividade e permitir
que você conheça muita gente interessante da sua área.
7 DICAS PARA FAZER NETWORKING NO AUDIOVISUAL 11

4. Saiba ser produtivo em conversas

Saber conversar é também cultivar a arte do meio-termo. Se você é uma


pessoa tímida, com certeza enfrenta dificuldades para falar sobre si mesmo e
do próprio trabalho. É natural que isso aconteça, mas convém desmistificar
alguns pontos.

O primeiro deles é que falar bem de si mesmo é algo aceitável e necessário.


No meio artístico, essa prática é muito comum, e não deve ser encarada como
sintoma de falta de modéstia. Afinal, é louvável e justificado que todos se
orgulhem dos bons resultados de projetos em que se envolveram.

No entanto, é polido ressaltar os aspectos coletivos desses trabalhos. Um filme,


por exemplo, é o resultado do esforço de uma equipe, e nenhuma obra se destaca
se não houver sinergia entre o time na sua produção.

Lembre-se, também, de ouvir mais do que falar. Esses momentos de se exaltar


o próprio trabalho são naturais e esperados, mas eles só vão fazer sentido
quando as pessoas perceberem que você está tão interessado nas qualidades
delas quanto elas nas suas.

E não se trata de uma competição entre quem tem o melhor relato a fazer.
É uma troca de experiências, em que é válido ressaltar pontos de aprendizado
vividos ao longo do processo, assim como aqueles em que o seu empenho
individual se fez sentir.
7 DICAS PARA FAZER NETWORKING NO AUDIOVISUAL 12

5. Seja produtivo e não tente impressionar

Essa dica é ótima para qualquer situação, mas é especialmente interessante


para as redes sociais. Em vez de emitir opiniões vazias sobre conceitos amplos
e genéricos, como acontece com muitos profissionais no LinkedIn, experimente
contar uma experiência.

E se você está desempregado ou atua em uma área diferente da que gostaria —


aliás, isso vale mesmo fazendo “bicos” para conseguir pagar estudos na área de
cinema, por exemplo — exalte o aprendizado que esses trabalhos proporcionam.

Seja humilde e não tente passar uma imagem de alguém que você não é.
Se agir dessa forma, todos vão saber que você tem projetos individuais de
cinema e que sua paixão é devotada a eles, mesmo que, no momento, precise
trabalhar com outras coisas.

Além disso, os profissionais responsáveis pelo recrutamento das equipes


de audiovisual querem verificar sua iniciativa e experiência, principalmente.
Para eles, não importa tanto como ela é adquirida.

Falar sobre os estudos também é ótimo, e abre espaço para conversas sobre
maneiras de pensar o fazer artístico, conectando pessoas que respeitam as
opiniões de outros profissionais, não importando se quem está do outro lado
pensa de modo parecido ou não.
7 DICAS PARA FAZER NETWORKING NO AUDIOVISUAL 13

6. Peça ajuda e discuta experiências

As afinidades profissionais no audiovisual, na maior parte das vezes, se


concentram em torno da solução de problemas. Produções com orçamento
curto e prazo apertado são comuns, e sempre são resolvidos com muito espírito
de equipe e criatividade.

Assim, é necessário pedir ajuda constantemente. Além do auxílio para


solucionar questões propriamente dito, nessas horas é que surgem ótimas
oportunidades para discutir experiências.

Praticamente qualquer momento de interação entre profissionais de uma


mesma área é uma situação que envolve networking. Então, o primeiro passo
para fazê-lo bem-feito é não engessar a visão sobre o que essa palavra significa.

Fazer networking é parte da realidade profissional de todos os artistas, e deve


ser encarado como uma prática natural. E, embora seja importante zelar pela
sua imagem, também não é necessário vestir a máscara de um personagem e
comportar-se de maneira forçada.

Se fizer isso, o máximo que vai conseguir são oportunidades de emprego que
não se encaixam no seu perfil, o que seria muito improdutivo para o início da
sua carreira.
7 DICAS PARA FAZER NETWORKING NO AUDIOVISUAL 14

7. Frequente cursos na área

Seguindo essa lógica, estudar presencialmente já é fazer networking. Afinal, muitos


dos seus colegas de curso vão se tornar parceiros de produção artística, ou podem
indicar você para vagas em processos cinematográficos que sejam compatíveis
com o seu perfil.

A seguir, vamos falar um pouco sobre essa relação entre a escola em que você
estuda e suas opções para começar na profissão.
15

Como ter diferencial


no audiovisual

Na Academia Internacional de Cinema, sabemos o quanto o networking é


importante para os primeiros passos nas profissões das áreas do audiovisual.

Quando não consegue começar no ramo, o estudante encontra uma barreira


para o desenvolvimento de suas habilidades. Como não consegue desenvolvê-
las, sente-se cada vez mais distante das oportunidades de emprego.

Porém, esse círculo vicioso pode ser quebrado com a ajuda de uma instituição
de ensino da área do audiovisual. Na AIC, sempre recebemos pedidos de
indicações para vagas nas mais variadas produções. Nossos alunos e ex-alunos
conseguem começar sua carreira rapidamente, graças a essa rede de relações
que os circunda.

Além disso, promovemos eventos com profissionais gabaritados nas áreas


mais diversas: roteiro, direção, produção-executiva, direção de fotografia
e outros. O contato com esses nomes representa, por si só, excelentes
oportunidades de fazer networking.
16

Conclusão

Selecionar membros para um processo na área do audiovisual não é um


processo tão óbvio quanto parece. Muitas vezes, há etapas sutis e atitudes
aparentemente banais que acabam permitindo conhecer um candidato em
situações cotidianas e inusitadas.

Todo esse processo não convencional é o que conhecemos como networking.


Existem técnicas e dicas que podem ajudar você a manter-se em contato com
profissionais da sua área e que são relevantes para a sua jornada profissional.

No entanto, elas visam a ajudar no contato com pessoas que tenham afinidade
com você, de maneira natural. Só assim vai ser possível criar laços significativos
com seus colegas, laços esses baseados em espírito de equipe e admiração mútua.
A Academia Internacional de Cinema (AIC) é uma escola
de cinema, com sedes em São Paulo e no Rio de Janeiro.
É reconhecida pela excelência, demonstrada pelos mais de
3200 filmes produzidos por seus alunos ao longo de 15 anos
de existência. A escola oferece cursos livres, de férias, online,
semestrais e de formação profissional em várias áreas
do audiovisual.

O curso principal é o Filmworks, um curso técnico em direção


cinematográfica com duração de 2 anos, que é reconhecido
pela Secretaria de Educação do Rio de Janeiro, assim como pela
Secretaria de Educação de São Paulo.

A metodologia combina teoria e prática, desenvolvendo nos


AIC alunos habilidades para atuar no mercado profissional de
audiovisual, com técnica e criatividade. O corpo docente é
formado por professores e cineastas reconhecidos. A escola
também abriga e realiza uma série de eventos e palestras,
proporcionando uma série de discussões sobre o audiovisual.