Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos


Departamento de Engenharia de Alimentos
Bioquímica dos Alimentos – ZEA0561

Relatório de Aula prática

Preparo de Solução Tampão

Prof. Dr. Rodrigo Petrus

Caio Pratta

Diego Henrique Prezoto Coutinho

Fabio Okagawa

Sabrina Batista

Vitor Henrique Contel de Farias Reche

Vitor Rodrigues Bertoni

Pirassununga

2019
Sumário
Resumo......................................................................................................................................1
1. Introdução..........................................................................................................................2
2. Objetivos............................................................................................................................3
3. Materiais e métodos.........................................................................................................3
4. Resultados e Discussão..................................................................................................5
5. Conclusão..........................................................................................................................7

ii
Relatório de ZEA0561 – Solução tampão 1

Resumo

Uma solução tampão tem muitos usos e são de grande importância para a
manutenção do pH. Assim, o experimento tem o intuito de estudar a capacidade
tamponante do fosfato de sódio, calculando-se teoricamente e medindo
experimentalmente a variação do pH da solução ao ser adicionado ácido a esses
reagentes, assim como verificar alimentos que possuem eficiência em ações
tamponantes. Ao final dos testes, pode-se constatar que o fosfato de sódio e
alimentos como a água de coco e leite integral possuem efeitos tamponantes,
mantendo os seu pH praticamente estáveis após a adição de ácido clorídrico.
Relatório de ZEA0561 – Solução tampão 2

1. Introdução

Os tampões têm uma atribuição enorme em processos físicos, químicos e


bioquímicos, nos quais é de extrema importância que haja a preservação do pH.
Com isso, muitos processos industriais e fisiológicos requerem um pH fixado para
que uma determinada função seja obtida. Por exemplo, o método tampão
HCO3 /H2CO3- é importante fisiologicamente, uma vez que esse estabelece o
transporte de CO2 no sangue e o pH do mesmo.

Nas indústrias alimentícias, ocorrem diversos procedimentos químicos e


físicos para se chegar a um produto, dentre vários pode-se citar diluições ou
acréscimo de ácidos (H+) e bases (OH-), fazendo com que haja alteração do pH no
produto final. Para sanar essa alta amplitude, são utilizadas soluções tampão, que
além desse benefício, ajudam na conservação do alimento e evitam ação de alguns
agentes deteriorantes com relação à faixa de H que se encontra. Alguns exemplos
de alimentos constituídos por procedimentos tampão contem a água de coco ou
leite.

Uma solução tampão é definida tendo como sua característica primordial a


resistência da mesma a variações de pH quando há o acréscimo de ácidos ou
bases. Tal resistência ocorre devido ao equilíbrio dos constituintes da reação, que
podem ser um ácido fraco com sua base conjugada ou uma base fraca com seu
respectivo ácido conjugado. (Skoog, West, Holler e Crouch) que é chamada de
capacidade tamponante, quando ela for rompida a solução tampão não é capaz de
absorver os íons H+ ou OH- , com isso a solução sofrerá alterações. Assim, existe um
limite para adição de ácido ou base na solução tampão.

Os sistemas de tampões são escolhidos de acordo com a faixa de pH que


deseja tamponar, assim, para se calcular a concentração necessária para produzir
certo tampão com pH específico deve-se seguir a expressão matemática dada pela
equação Henderson-Hasselbalch.
Relatório de ZEA0561 – Solução tampão 3

2. Objetivos

O objetivo do experimento foi realizar a análise da capacidade tamponante do


tampão fosfato, assim como de alimentos como leite integral e água de coco,
comparando-se os cálculos teóricos com os resultados obtidos em pHmetro.
Também tem como objetivo observar a diferença da variação de pH em soluções
tamponantes e não tamponantes, como a água destilada.

3. Materiais e métodos

Preparou-se 100mL de solução de fosfato de sódio monobásico (NaH 2PO4)


0,12M e 100mL de solução de fosfato de sódio dibásico (Na 2HPO4) 0,12M com
auxílio da proveta. Para o preparo de tais soluções, utilizou-se a equação 1 para
realizar cálculo da massa a ser pesada de cada reagente. Sendo C a concentração
molar, m a massa em gramas da substância, MM a massa molar e V o volume da
solução.

m
C= → m=C . MM .V
MM . V

Equação 1

Sendo assim, a massa a ser pesada de fosfato de sódio monobásico (MM =


137,99 g/mol) seria m = 0,12*137,99*0,1 = 1,6559g e a massa de fosfato de sódio
dibásico (MM = 177,99 g/mol) seria m = 0,12*177,99*0,1 = 2,1359 g. As massas
mais próximas pesadas em balança analítica foram 1,650g de fosfato de sódio
monobásico e 2,1374g de fosfato de sódio dibásico.

Em seguida, calculou-se a molaridade de cada solução por meio da equação


1 para posteriormente realizar cálculos do pH.

1,650 mol
Fosfato de sódio monobásico: C= =0,1196
137,99× 0,1 L

2,1374 mol
Fosfato de sódio dibásico: C= =0,1201
177,99× 0,1 L
Relatório de ZEA0561 – Solução tampão 4

Com isso, transferiu-se 40mL de cada solução preparada para um béquer de


100mL, mediu-se o pH (prático) e o pH (teórico) para realizar comparação. A
equação 2 demonstra o equilíbrio da reação entre os reagentes. O pH teórico foi
calculado por meio da equação 3 de Hendersson-Hasselbalch, sendo Ka a
constante de dissociação do ácido, pKa o pH no qual 50% da molécula encontra-se
dissociada, [HA] a concentração do ácido e [ A−¿¿] a concentração de base
conjugada.

NaH2PO4 + Na2HPO4 H́ 2 O H2PO4- + HPO42-

Equação 2

pH= pKa+log ¿ ¿ ¿

Equação 3

Dando continuidade ao experimento, foi adicionado 2mL de solução de HCl


0,05M e mediu-se novamente o pH através do pHmetro, para verificar a capacidade
tamponante. Também calculou-se teoricamente o pH por meio da equação 3, para
efeito de comparação.

Em seguida, mediu-se novamente o pH de 80 mL de água destilada antes e


depois da adição de HCl, realizando também os cálculos teóricos, por meio da
equação 4.

C1.V1 = C2.V2

Equação 4

Sendo C1 e V1 a concentração molar e volume de HCl adicionado e C 2 e V2


a concentração e volume total da solução de água e HCl, respectivamente.

Então, mediu-se o pH de 80 mL de leite fluido integral antes e depois da


adição de HCl. Não calculou-se teoricamente, pois não se sabe especificamente os
íons da reação.

Por último, mediu-se também o pH de 80 mL de água de coco antes e depois


da adição de HCl, da mesma forma que não calculou-se teoricamente.
Relatório de ZEA0561 – Solução tampão 5

4. Resultados e Discussão

Para a solução tampão de fosfato, foi preparada uma solução de 100 mL de


fosfato de sódio monobásico (NaH2PO4) 0,12M e 100 ml de solução de fosfato de
sódio dibásico (Na2HPO4) 0,12M. O cálculo da massa teórica de ambos foi realizado
por meio da equação 1, de forma que as massas pesadas para fosfato de sódio
monobásico e dibásico foram respectivamente 1,6500g e 2,1374g.

Após realizar os cálculos de molaridade de cada solução, obteve-se o valor


de 0,1196M para fosfato de sódio monobásico e 0,1201M para fosfato de sódio
dibásico. Após misturar ambas as soluções, mediu-se o pH prático, obtendo-se o
valor de 6,72. Pela equação 3, como os valores de concentração de ácido e base
conjugada são muito próximos, o pH = pKa (O valor utilizado é da equação 5 de
equilíbrio do H2PO4-). Sendo assim, o valor de pH esperado seria de 7,2, conforme
demonstrado pela equação 6.

H2PO4- H+ + HPO42-, pKa2= 7,2

Equação 5

pH= pKa 2+ log ⁡¿ ¿

Equação 6

Após a adição de HCl na solução, este libera íons H +, conforme a equação 7.


Dessa forma, o pH medido foi de aproximadamente 6,8146, conforme indica a
equação 8.

HCl H+ + Cl-

Equação 7

Tabela 1. Concentração molar antes e após adição de ácido.

HPO42- H2PO4-
Antes da adição de acido 0,12M 0,12M
Depois da adição de acido 0,12+0,05 = 0,17M 0,12-0,05 = 0,07M
Fonte: Própria autoria.

pH= pKa2+ log ⁡¿ ¿


Relatório de ZEA0561 – Solução tampão 6

Equação 8

Ao adicionar o ácido (íons H +), HPO42- vira H2PO4- deslocando o equilíbrio da


reação para a esquerda, de forma a manter o pH mais próximo do constante,
conforme indica a equação 10. Como o pH não variou muito, verifica-se a
capacidade tamponante da solução.

H3PO4 H+ + H2PO4-, pKa1= 2,1

Equação 9

H2PO4- H+ + HPO42-, pKa2= 7,2

Equação 10

HPO42- H+ + PO43-, pKa3= 12,4

Equação 11

Na medição de pH de 80 mL de água, obteve-se o valor de 6,11. Após a


adição de 2 ml de HCl 0,05 M, o pH obtido foi de 3,01. Tal valor se deve pela
concentração de íons hidrogênio livres na água, de forma a diminuir o pH. Para
calcular o valor esperado não se utiliza a equação de Henderson-Hasselbalch, pois
a água destilada não é uma solução tampão, calculando-se pela equação 4
0,05*2=C2*82→ C2= 0,00121951 mol/L. Então, como pH = -log[H +], obteve-se o valor
de 2,9138, conforme indicado pela equação 12.

1
pH=log
¿¿

Equação 12

O valor de pH de 80mL de água de coco e 80mL de leite fluido integral


foram medidos separadamente, obtendo-se, respectivamente, os valores 5,08 e
6,93, conforme indica a tabela 2. Após a adição de 2 ml de HCl 0,05 M em ambas as
soluções, o pH da água de coco foi para 5,00, sendo assim verifica-se que a solução
tem ação tamponante, visto que o pH sofreu pouca alteração. O pH de leite fluido
integral foi para 6,61, caracterizando um efeito tamponante, porém menor do que a
água de coco, uma vez que o pH variou mais.
Relatório de ZEA0561 – Solução tampão 7

Tabela 2. Dados de pH experimental e calculado.

pH pH calculado
Solução tampão de fosfato 6,72 7,2
Solução tampão de fosfato 6,80 6,8146
+ HCl
Água 6,11
Água + HCl 3,01 2,9138
Água de coco 5,08
Leite integral 6,93
Agua de coco + HCl 5,00
Leite integral + HCl 6,61

Fonte: Própria autoria

5. Conclusão

A solução de tampão fosfato mostrou capacidade tamponante pois, como mostra no


experimento, houve uma variação muito pequena no pH ao ser adicionado HCl,
diferentemente do controle (água destilada) em que houve uma variação de pH de
6,11 para 3,01. Já em relação aos alimentos, a água de coco e o leite integral
apresentaram ter eficácia como tamponante, já que apresentou uma variação
irrisória no seu pH ao ser adicionado HCl em comparação a água destilada.