Você está na página 1de 5

Povo Preto, Pan-Africanismo e Poder Preto

Publicado por X · 26 de agosto, 2019 · Diáspora Afrikana ·

Procure por mim na Tempestade. De Pé, Raça Poderosa!1

Não há futuro para um povo que nega o seu passado. Meus antepassados, meus
avós, minha mãe, meu pai não sofreram e morreram para me dar uma educação
para eu diminuir, oprimir ou desencorajar o meu povo. Qualquer educação que eu
tenha adquirido, foi graças ao seus sacrifícios por mais de 300 anos, e devo usá-la
para a salvação dos 400 milhões de pessoas pretas do mundo. E no dia em que eu
abandonar o meu povo, que Deus Todo-Poderoso diga: “Não haverá mais vida para
você!”
Eu inequivocamente rejeitei a hipótese racista do cristianismo branco
americano. Ou seja, que Deus haveria criado o homem preto como inferior; que Ele
pretendia que os Negros fossem uma raça de servos, carregadores de lenha e
aguadeiros.2
Bem, eu baseio meu ponto de vista sobre o Homem na doutrina de E.
Margo de E.: Todos os Homens, independente da cor, são criados à imagem de
Deus. Dessa premissa vem a igualdade de todos os Homens e a Fraternidade entre
todos os Homens. A injunção bíblica de Atos 17:26 nos lembra que Ele criou, de um
só sangue, todas as nações dos Homens para habitar a face da Terra, e se interessa
mais pela Fraternidade do que pela raça de alguém. Porque, se Negros são criados
à imagem de Deus, e Negros são Pretos, então Deus deve, em algum sentido, ser
Preto. Se o homem branco tem a Ideia de um Deus branco, deixe que ele adore seu
Deus, como desejar. Nós encontramos um Novo Ideal.
Porque Deus não tem cor, e ainda assim, é Humano para ver tudo através
da ótica do outro, e já que os brancos veem seus deuses através de suas óticas, nós
apenas voltamos a ver nosso Deus através da nossa própria ótica.
Mas nós acreditamos no Deus da Etiópia, o Deus Eterno, Deus Pai, Deus
Filho, Deus Espirito Santo, o Deus Único de todas as Eras. Esse é o Deus no qual nós
acreditamos, mas iremos adorá-lo através da ótica da Etiópia.
Por 250 anos, temos lutado sob o fardo e rigor da escravidão. Fomos
mutilados, brutalizados, devastados – e de todas as formas. Somos Homens! Temos
esperanças, paixões, sentimentos e desejos – assim como qualquer outra raça. O

1
Título inspirado no livro homônimo publicado pelo coletivo Ciclos de Formação Marcus Garvey.
Organização do texto feita a partir da síntese das traduções da Afrocentricidade BA e OSH1 Autoimagem
para esse discurso – ambas estão disponíveis no YouTube, e viabilizadas através de link ativo por aqui.
2
Kwame Nkrumah, um Garveyista convicto, mais tarde meio que atualizaria esta analogia: “Os milhões
de habitantes da África e Ásia se cansaram de ser carregadores de lenha e aguadeiros, e estão se rebelando
contra a falsa crença de que a providência criou a uns para ser os servos de outros”. Um artigo intitulado
O mestre subterrâneo: as afinidades eletivas entre Marcus Garvey e Kwame Nkrumah, por Felipe Paiva,
faz-se uma tentativa de contextualizar essa frase, é o que segue: “A expressão lenhadores e aguadeiros –
Hewers of Wood and Drawers of Water, no original – possui uma longa história, que entrelaça em um
mesmo nó paradoxal a bíblia inglesa, o pensamento conservador britânico (Tory), os grupos subversivos
da origem do capitalismo (negros escravizados, indígenas, além do proletariado europeu) e.... o pan-
africanismo. Logo, não foi gratuitamente que Nkrumah a utilizou.” – obviamente que não. Essa
(re)apropriação do cristianismo por parte de Marcus Garvey – tal como a adaptação do Islã aos pretos nos
Estados Unidos, “a tribo perdida de Shabazz” – isso é possível graças ao Nacionalismo Preto – do qual,
segundo Kwame Ture, o Pan-Africanismo é a maior aspiração – “Essa é uma filosofia que elimina a
necessidade de divisão e discussão” – Malcolm X mesmo fala, ele disse: “Se nós trouxermos religião, nós
vamos entrar numa discussão, e a melhor maneira de nos mantermos longe de discussões e diferenças,
como eu já disse antes, é deixar a religião em casa – no armário.”
clamor das raças está por todo o Mundo: Canadá para os canadenses, América para
os americanos, Inglaterra para os ingleses, França para os franceses, Alemanha
para os alemães; eles pensam que não é razoável que nós, os Negros do Mundo,
levantemos nosso clamor de África para os Africanos?
O Negro é um Homem, nós representamos o Novo Negro. Ele ainda não
está encurralado, não o queremos encurralado, pois essa seria uma posição
estranha e desesperada. Não o queremos assim.
É por isso que exigimos um acordo justo. Bem, os belgas têm controle
sobre o Congo Belga, que eles não podem usar. Eles não têm os recursos para
desenvolvê-lo, nem a inteligência. Os franceses têm mais território do que podem
desenvolver3, há certas partes de África onde eles sequer podem viver. Por isso,
cabe a você unir-se a nós para construirmos um Estados Unidos da África.
Não seremos uma raça sem país. Deus nunca planejou isso e não
decepcionaremos a confiança de Deus em nós como Homens. Somos Homens,
Seres Humanos capazes dos mesmos atos, como qualquer outra raça. Possuindo,
sob condições justas, a mesma inteligência, como qualquer outra raça.

A África tem dormido, não está morta, apenas dormindo.


A África de hoje perambula, não só com os nossos pés, mas com nossas
mentes. Você pode escravizar por 300 anos os corpos dos Homens, pode algemar
as mãos, amarrar os pés dos Homens, pode aprisionar os corpos dos Homens, mas
VOCÊ NÃO PODE ACORRENTAR E APRISIONAR AS SUAS MENTES.
Ergam-se, Homens Pretos!
E posicionem-se!
Alcancem, os Homens e as Mulheres Pretas, e absorvam todo o
Conhecimento da Natureza para vocês. Retornem e Conquistem tudo, de Norte a
Sul, Oriente e Ocidente. E então, quando tiverem trabalhado bem, terão merecido a
Bênção de Deus, se tornarão o Povo Escolhido de Deus e naturalmente se tornarão
Líderes do Mundo.4 E, assim como você se curva diante do branco hoje, outras
raças reverenciarão vocês, e chamarão de Raça de Mestres devido a superioridade
de suas mentes e suas realizações. Porque nenhuma raça tem a palavra final sobre
Cultura e Civilização.
Eles não sabem do que somos capazes, eles não sabem o que estamos
pensando; eles pensam em termos de navios de guerra, aviões e submarinos. Sabe
o que nós pensamos? Isso é só da nossa conta.
Então, nos dê crédito por sermos capazes de usar nossas mentes. E
quando as pessoas se tornam Conscientes de si, determinadas a usar suas mentes,
não se sabe até onde podem ir. Liberte as mentes dos Homens e finalmente
libertarão seus corpos. Deixemos a raça branca, não por comunhão social, mas pelo
bem comum de Deus, pelo qual deveriam viver.
Que satisfação alguém pode ter em ser feliz e ver seu irmão chafurdando
na imundície, morte e doença? Como você pode ser feliz vivendo no luxo e seu
irmão vivendo na doença? Então, quando você tenta ajudar alguém a curar da
doença, surgem discursos de deslealdade.

3
Na atualidade, a França continua a explorar – diretamente – pelo menos uns 15 países Africanos, e a isso
chamamos neocolonialismo.
4
Moisés diz o seguinte, que “Deus não muda o destino de um povo até que o povo mude o que tem na
alma”. À propósito, Homens e Mulheres da nossa raça, como Marcus Garvey e Harriet Tubman o foram,
já foram chamados por “Moisés”, em alusão ao profeta e líder dos judeus.
Os Povos Negros de Cartago, os Povos Negros da Etiópia, de Timbuktu à
Alexandria, deram a Luz da Civilização a este Mundo.
Etiópia estenderá as suas mãos para Deus, e Príncipes sairão do Egito.5

Essas classes, nações, raças, têm estado bem quietas durante mais de 4
séculos. Aqueles que apenas suportaram a visão da auto-humilhação, cuja
tolerância só pode ser comparada a do profeta Jó – que igualmente levantou a
cabeça que curvava, e a ergueu perante o clamor de Deus, e gritou: Eu sou um
homem6 e exijo as chances e tratamento de Homem neste Mundo. Assim, eu
deverei ensinar ao Homem Preto, deverei ensinar ao Homem Preto a enxergar a
beleza em sua própria espécie – e pare de branquear sua pele, ou de outra forma,
parecer ser o que não é!
Na época da escravidão, sempre que a mistura da Raça, a miscigenação
racial ocorria, era porque a Mulher Africana não tinha nenhuma proteção contra o
senhor de escravos. Portanto, não há necessidade hoje para as pessoas Pretas
continuarem desenfreadamente uma prática que cheira tanto à escravidão.
Nossos críticos dizem que o problema racial será resolvido através de
ensino superior: “Através de uma melhor educação, Preto e branco vão se reunir.”
Este dia nunca acontecerá, até que a África seja redimida. Aqueles como W.E.B. Du
Bois que acreditam que o problema racial será resolvido na América através de
ensino superior – vão trabalhar de agora até a eternidade, sem nunca ver o
problema resolvido.
Deus fez o Homem senhor da Sua Criação; deu-lhe posse e propriedade do
Mundo. E você tem sido tão malditamente preguiçoso que permitiu que o outro
irmão fugisse com o Mundo inteiro, e agora ele está blefando, dizendo que o Mundo
pertence a ele, e que você não tem parte nisto. Eu não tenho de pedir desculpas a
ninguém por ser Preto, porque Deus Todo-Poderoso sabia exatamente o que
estava fazendo quando Ele me fez Preto. Se o Povo Preto conhecesse seu passado
Glorioso estariam mais inclinados a se respeitar.
Sim, você já ouviu falar do Johnny Walker Red [Label]? E do Black?... Bem,
ele teve suas adversidades, mas continua ficando mais FORTE!

Bem, eu pretendo continuar, com a sua ajuda e a graça de Deus, porque


meu trabalho apenas começou. As gerações futuras devem ter em suas mãos o guia
pelo qual conhecerão os pecados do Século XX.
Eu sei, e sei que você confia no Tempo, mas devemos esperar
pacientemente por 200 anos se necessário for para enfrentar nossos inimigos pela
nossa prosperidade. Quando os meus inimigos estiverem satisfeitos, eu devo
retornar em vida, ou mesmo na morte, para servir à vocês, assim como o fiz antes.7
5
Salmo 68:31, Bíblia King James.
6
Estudando Garvey, nota-se uma influência, de tímida à acentuada, do poeta Terêncio – em frases como
“Se os outros riem de você, devolva o riso a eles. se eles te imitam, devolva o “elogio”, com a mesma
força. eles não têm mais o direito de desonrar, desrespeitar ou desconsiderar seus sentimentos, na mesma
proporção do que você tem para com eles, honre-os quando eles o honrarem; desrespeite-os e ignore-os
quando eles te tratarem de forma vil.” (Terêncio, por sua vez, diz – “Só os cordiais merecem ser tratados
com cordialidade.”) – no trecho em nota, Garvey dizendo “Eu sou um homem” – Publius Terentius Afer
(do latim) dizia “Homo sum: humani nil a me alienum puto.” Também, a própria Amy Jacques Garvey
afirmava que o dramaturgo era leitura recorrente de Marcus Garvey. A saber, Públio Terêncio Afro
nasceu em Cartago. Outra curiosidade: Machado de Assis também o tinha – a Terêncio – em alta estima...
7
Essa perspectiva deve ser entendida corretamente, e a perspectiva é a seguinte: dentro da cosmovisão
Garveyista – baseada em parte na própria Bíblia – Jesus Cristo foi um Homem Preto.
Em vida eu serei o mesmo, e na morte eu serei o TERROR dos inimigos da
Liberdade Africana. Se a morte tem poder, então conquiste-me para eu ser o
verdadeiro Marcus Garvey que eu gostaria de ser. Se eu puder vir em forma de
terremoto, ou de uma praga, ou uma peste, ou se Deus me tiver, então tenha
certeza de que eu nunca vou te abandonar ou deixar seus inimigos triunfarem
sobre você.
Eu não iria para o inferno um milhão de vezes por vocês?
Se eu morrer, meu trabalho estará apenas começando. Para que eu viva
física ou espiritualmente para ver o dia da Glória da África.
Quando eu morrer, enrole o manto do Vermelho, Preto e Verde em volta
de mim para que em uma Nova Vida eu me erga, com a Graça e Bênçãos de Deus,
para levar os milhões às alturas do Triunfo, que vocês bem conhecem.
Procure por mim no ciclone ou numa tempestade, procure por mim em
tudo ao seu redor, com a Graça de Deus, eu voltarei com incontáveis milhões de
Homens e Mulheres Pretas que morreram na América, aqueles que morreram nas
Índias Ocidentais e aqueles que morreram na África, para ajudar vocês na luta pela
Libertação, Liberdade e Vida.

Qualquer liderança que te ensine a depender de outra raça é uma


liderança que vai escravizá-los. QUALQUER LIDERANÇA que lhe ensina a depender
de outra raça é uma liderança que vai escravizar você! Eles deram a liderança para
nossos Ancestrais, e essa liderança os escravizou. Mas decidimos encontrar uma
liderança entre a nossa própria [raça] para fazer-nos Homens Livres.
Nossos grandes intelectuais têm avançado por Academias e as
universidades têm apagado os registros Pretos. Babilônia fez isso, a Assíria fez isso,
a França de Napoleão fez isso, a Alemanha do príncipe von-Bismarck fez isso, a
Inglaterra fez, a América de George Washington fez. A África, com 400 milhões de
pessoas, consegue.
Se não conseguem, se não estão preparados, então, VOCÊS MORRERÃO!
Raça de covardes, raça de imbecis, raça de inúteis! Se não conseguem
fazer o que outros fizeram, o que outras nações fizeram, o que outras raças
fizeram, ENTÃO É MELHOR VOCÊS MORREREM!

Podemos fazer?
Nós podemos?
Devemos fazer?

Rezamos a Deus por Visão e pela Liderança, e Ele nos deu Visão Universal.
Uma visão que não limitará nossas possibilidades à América, uma visão que não
nos limitará às Índias Ocidentais, mas uma visão que diz que deve haver uma
África livre e redimida.

***
tradução por Zaus Kush; organização/adaptação e notas do texto por Abibiman Shaka Touré.
[link ativo, abaixo; clique sobre o negrito]

 Filosofia e opiniões, instruções e ensinamentos da doutrina Garveyista:


Conhece a Ti Mesmo! (discurso completo)

 Marcus Garvey: ‘Eduque a Ti Mesmo’ (discurso completo)

Marcus Garvey – ‘Procure por mim na Tempestade’ (versão da OSH1 Autoimagem


– versão da AI-BA)

 Marcus Garvey – Procure por mim na Tempestade (documentário completo)