Você está na página 1de 6

Estudo Clínico

Um Aparelho de Intrusão Rápida


do Molar para o Tratamento
“Sem Cooperação”
A Rapid Molar Intruder for ‘Non-Compliance’ Treatment

Aldo Carano, DO, MS *


Willian C. Machata, DDS **

Novas mecânicas e técnicas clínicas que não com aparelhos removíveis9. Nenhuma dessas
necessitam da cooperação especial do paciente mecânicas foi sugerida para o tratamento
têm atingido o controle do arco superior em duas de excesso vertical durante o crescimento,
dimensões – sagital e transversa. Entretanto, entretanto, sugerindo que não são eficazes
um importante movimento ortodôntico ainda quando mais de um molar necessita ser intruído
está ausente – a intrusão molar para o controle ou quando a ação bilateral é necessária.
vertical. A maxila posterior constitui a área mais
Diversos autores apresentaram a possibili- importante no controle do crescimento
dade de intrusão de um molar extruido, embora vertical10, 11, como visto em resultados estáveis
as quantidades de intrusão real relatadas têm demonstrados com o reposicionamento cirúrgico
sido bastante modestas. Demonstrou-se de superior da maxila posterior12-15. Uma irrupção
forma conclusiva que uma força de 25g é maxilar posterior de 1⁄2-1/3 mm produzirá um
suficiente para a intrusão de um único dente, aumento de 1mm na altura da face anterior caso
que o mesmo pode ser intruído no osso com nenhuma outra compensação seja realizada. As
ganho significante de inserção e que o seio faces longas tendem a alongar mais com o
maxilar não constitui um obstáculo para a tratamento porque há uma menor ancoragem
movimentação dentária1. disponível do que com os tipos ortognáticos ou
Alguns autores preferem desgastar a braquicefálicos. Ao contrário, caso os molares
coroa antes de realizarem uma reconstrução possam ser intruídos, então parecerá que o
com cobertura completa2 ou recomendam mento foi translado para a frente, oferecendo
uma osteotomia subapical para evitar efeitos o mesmo efeito de perfil do crescimento
colaterais indesejáveis de mecânicas intrusivas3. mandibular.
Outros ilustraram casos nos quais a intrusão do Desde que Schudy evidenciou o
molar foi obtida com splins de cobertura para e papel do excesso vertical no desenvol-
aparelhos fixos1,4, com mecânicas intramaxilares vimento de discrepâncias sagitais 10 ,
vestibulo-linguais1, 5, 6, com a força exercida diversos métodos foram sugeridos para
pela língua nos arcos transpalatinos,7, 8 ou a correção de molares super irrompidos.

* Ortodontista clínico em Lungomare – Taranto/Itália e, conforme explicitado pela JCO tem interesse financeiro na aplicação descrita por esse artigo.
** Diretor de Aplicações Clínicas da American Orthodontics em Sheboygan, WI – USA.

Tradução: Rosemary Piancó Gulla; Revisão: Dra. Rosely Suguino

Este artigo foi publicado originalmente no Journal Clinical of Orthodontics, volume XXXVI, número 3. A Dental Press gostaria de agradecer a autorização para tradução e
publicação desse artigo, gentilmente cedida pelos autores e pelo Editor da JCO David Vogels.

R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 85-90 - ago./set. 2002 • 85


Um Aparelho de Intrusão Rápida do Molar para o Tratamento “Sem Cooperação”

Inicialmente, forças direcionais foram aos tubos molares com pinos em forma de L;
utilizadas para se controlar o excesso vertical as extremidades retas permanecem nos tubos
e o aumento do comprimento mandibular superiores, as extremidades anguladas nos
efetivo. A combinação da ancoragem extrabucal tubos inferiores (Fig. 2). Estes pinos guiam
de tração alta e de aparelhos funcionais automaticamente os módulos em posições
demonstrou resultados impressivos,16-20 porém paralelas ao plano oclusal.
faz-se necessário um alto nível de cooperação do Quando o paciente fecha a boca, os módulos
paciente durante um longo período. são dobrados para liberar uma força intrusiva de
Mais recentemente, sugeriu-se o uso 900g contra os molares superiores e inferiores.
de magnetos para a correção de problemas Caso seja necessária uma correção sagital, um
esqueléticos verticais21-27. Em estudos clínicos controle mais direcional pode ser alcançado
e com animais, comparando-se blocos simplesmente alterando-se a localização de
magnéticos e não magnéticos, as correções da inserção nos tubos molares (Fig. 3).
mordida aberta foram mais pronunciadas ao se O aparelho IRM gera um equilíbrio
utilizar os magnetos, porém as tendências de biomecânico favorável no qual o único
recidiva também foram maiores. É difícil de se movimento contrário ao controle é a
alcançar o controle tridimensional quando se inclinação da coroa vestibular causada por
ultiliza magnetos com forças próximas a 1,500g, forças direcionadas lateralmente para o centro
porque quando estes desviam-se do contato de resistência dos molares (Fig. 4). Para se
completamente centrado, tendem a empurrar controlar essa tendência, o aparelho IRM deve
um ao outro na direção do desvio27. Algumas ser aplicado apenas em combinação com os
vezes ocorreram mordidas cruzadas durante o arcos linguais superior e inferior.
tratamento devido à ausência de guia. O aparelho IRM pode ser facilmente
Os aparelhos removíveis deixam o instalado, ativado e removido. Não interfere
ortodontista totalmente dependente do no tratamento com extração ou sem extração
paciente, e os aparelhos funcionais colados ou na consolidação do espaço, e intensifica o
apresentam problemas de higiene e de limpeza. nivelamento mandibular.
Há a necessidade de um aparelho fixo que tire a A aceitação do paciente é excelente porque
responsabilidade do paciente e deixe o controle a única responsabilidade dele é manter o
do caso nas mãos do ortodontista. Esse artigo aparelho limpo e evitar fratura. A flexibilidade
ilustra uma abordagem à intrusão molar. do aparelho IRM facilita a higiene bucal, e visto
que o aparelho curva-se da superficie oclusal no
Design do Aparelho fechamento, não interfere na mastigação.
O Aparelho para Intrusão Rápida do Molar
(IRM) trata-se de uma modificação do Jasper Relato de Caso
Jumper, um auxiliar capaz de produzir uma Um indivíduo do gênero masculino com 11
alteração rápida na relação oclusal. O IRM, anos de idade na dentadura mista apresentou
um aparelho flexível e fixo que libera força como principais queixas a mordida aberta
leve e contínua, pode ser utilizado para mover anterior e dificuldade para fechar os lábios.
um único dente, unidades de dentes ou um O exame clínico demonstrou uma face longa
arco inteiro. Pode liberar forças funcionais e e incompetência labial em repouso (Fig. 5).
de “saltar a mordida” (bite-jumping), forças O paciente apresentava má-oclusão Classe I
semelhantes à ancoragem extrabucal, forças do com um mordida aberta severa de 5mm e uma
tipo elásticas ou um combinação dessas28. mordida cruzada posterior bilateral. Apresentava
Os elementos do aparelho IRM são cavidades extensas nos molares decíduos e no
basicamente os mesmos do Jasper Jumper, primeiro molar direito superior.
exceto que para o Jumper e suas extremidades A análise cefalométrica revelou um perfil
são anguladas de forma diferenciada (Fig. 1). As esquelético reto e uma mandíbula severamente
extremidades terminais dos módulos são fixadas rotacionada no sentido horário. A maxila estava

86 • R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 85-90 - ago./set. 2002


Aldo Carano, Willian C. Machata

posicionada para baixo e o ângulo do plano O arco superior foi tratado com um
mandibular apresentava dois desvios padrão expansor palatino Spring Jet*30. O arco inferior
acima do normal, sugerindo um padrão de foi preparado com ancoragem utilizando-se um
crescimento vertical. arco lingual simples e soldado. Os módulos do
Os objetivos do tratamento foram expandir aparelho IMR foram, em seguida, estendidos
o arco superior e corrigir a mordida aberta bilateralmente dos tubos bucais das bandas dos
esquelética sem a necessidade de cooperação molares superiores para os tubos bucais das
especial do paciente. bandas dos molares inferiores (Fig. 6).

FIGURA 1 - O aparelho para Intrusão Rápida do Molar pode FIGURA 2 - As extremidades terminais de módulos fixados
apresentar um ou dois módulos. Os módulos idênticos direito aos tubos molares com pinos em forma de L.
e esquerdo são menores do que os módulos regulares do
Jasper Jumper.

A B C
FIGURA 3 - A alteração da localização de inserção nos tubos molares proporciona um controle mais direcional para a correção sagital. A. Controle
vertical. B. Controle Vertical e correção da Classe II. C. Controle Vertical e correção da Classe III.

FIGURA 4 - Visto que as forças intrusivas na vestibular dos molares gera momentos que
inclinam a coroa vestibularmente, o aparelho IRM deve ser combinado sempre com os arcos
linguais superior e inferior.

R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 85-90 - ago./set. 2002 • 87


Um Aparelho de Intrusão Rápida do Molar para o Tratamento “Sem Cooperação”

FIGURA 5 -Indivíduo do gênero masculino com 11 anos de idade com mordida aberta anterior e incompetência labial.

FIGURA 6 - Os módulos do aparelho IRM estendem bilateralmente dos tubos vestibulares das bandas superiores para os tubos vestibulares
das bandas inferiores.

Embora as forças produzidas por esse Discussão


aparelho apresentem a tendência de criar uma A intrusão vertical dos molares é um objetivo
inclinação mesiobucal dos molares, isto foi do tratamento pré-protético de pacientes com
controlado por meio dos arcos estabilizadores altura vertical esquelética excessiva. Em casos em
linguais e palatinos, e ocorreu apenas uma que um único molar precisa ser intruído para
rotação minima (Fig. 7). A intrusão do molar se obter uma reabilitação protética correta, o
e uma rotação significante da mandíbula no arco oposto é utilizado como ancoragem, com
sentido anti-horário foram alcançadas em um arco lingual soldado em duas bandas. Caso
menos de seis meses. a intrusão dos molares superiores e inferiores

88 • R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 85-90 - ago./set. 2002


Aldo Carano, Willian C. Machata

AA
FIGURA 7A - Paciente depois de menos que seis meses de intrusão.

seja indicada, a ancoragem é intensificada por


meio do uso de arcos palatinos e linguais. Os
implantes bucais constituem outra fonte em
potencial de ancoragem.
A experiência clínica inicial com o aparelho
IRM tem sido promissora. Embora um projeto
de pesquisa mais estruturado seja necessário para
demonstrar de forma conclusiva sua eficiência,
acreditamos que esse aparelho “sem cooperação”
para a intrusão do molar abre novas possibilidades
no complexo tratamento de excesso vertical.
Palavras-chave: Intrusão. Cooperação do Paciente. Excesso
Vertical. Mordida Aberta Anterior. Aparelho para Intrusão
Rápida do Molar.

REFERÊNCIAS
1 - MELSEN, B.; FIORELLI, G. Upper molar intrusion.
J Clin Orthod, Boulder, v. 30, p. 91-96, 1996.
2 - NORTON, L. A.; LOPES, I. Specific mechanics for
abutment uprighting. Austral Dent J, Sydney, v. 25, p.
273-278, 1980.
3 - MOSTAFA, Y. A.; TAWFIK, K. M. E.; MANGOURY, N. B
H. Surgical-orthodontic treatment for overerupted maxillary FIGURA 7B - A sobreposição de traçados cefalométricos demonstra uma
molars. J Clin Orthod, Boulder, v. 19, p. 350-351, 1985. rotação anti-horária signficante da mandíbula.

R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 85-90 - ago./set. 2002 • 89


Um Aparelho de Intrusão Rápida do Molar para o Tratamento “Sem Cooperação”

4 - ABELSON, M. N. Molar uprighting. Dent Clin N Am, 18 - PFEIFFER, J. P.; GROBETY, D. A philosophy of com-
Philadelphia, v. 16, p. 539- 548, 1972. bined orthopedic-orthodontic treatment. Am J Orthod,
5 - MILLER, T. E. Orthodontic therapy for the restorative Boulder, v. 81, p. 185-201, 1982.
patient, Part I: The biomechanic aspects. J Prosthet 19 - TEUSCHER, U. A growth related concept for skeletal Class
Dent, St. Louis, v. 61, p. 268-276, 1989. II treatment. Am J Orthod, Boulder, v. 74, p. 258-275,
6 - JACOBS, S. G. The uprighting of tilted molar teeth and 1978.
the intrusion of over-erupted posterior teeth. Austral 20 - LEVRINI, A. New types of elastic functional appliances. J
Orthod J, Sidney, no. 9, p. 329- 334, 1986. Clin Orthod. Boulder, v. 30, p. 507-515, 1996.
7 - CETLIN, N. M.; TEN HOEVE, A. Nonextraction treat- 21 - WOODS, M. G.; NANDA, R. S. Intrusion of posterior
ment. J Clin Orthod, Boulder, v. 17, p. 396-413, 1983. teeth with magnets: An experiment in growing baboons.
8 - CORBETT, M. C. Molar rotation and beyond. J Clin Angle Orthod, Appleton, v. 58, p. 136-150, 1988.
Orthod, Boulder, v. 30, p. 272-275, 1996. 22 - KILIARIDIS, S.; EGERMARK, I.; THILANDER, B.
9 - BONETTI, G. A.; GIUNTA, D. Molar intrusion with a Anterior open bite treatment with magnets. Eur J Or-
removable appliance. J Clin Orthod, Boulder, v. 30, p. thod, London, v. 12, p. 447-457, 1990.
434-437, 1996. 23 - BARBRE, R. E.; SINCLAIR, P.M. A cephalometric evalu-
10 - SCHUDY, F. E. The rotation of the mandible resulting ation of anterior openbite correction with the magnetic
from growth: Its implications in orthodontic treatment. Active Vertical Corrector. Angle Orthod, Appleton, v. 61,
Angle Orthod, Appleton, v. 35, p. 36-50, 1965. p. 93-102, 1991.
11 - CREEKMORE, T. D. Inhibition or stimulation of the verti- 24 - KUSTER, R.; INGERVALL, B. The effect of treatment
cal growth of the facial complex: Its significance to treatment. of skeletal open bite with two types of bite-blocks. Eur J
Angle Orthod, Appleton, v. 37, p. 285-297, 1967. Orthod, London, v. 14, p. 489- 499, 1992.
12 - CROSS, J. J. Facial growth: Before, during, and following 25 - MOSS, J. P.; LINNEY, A. D.; GOODWIN, P.; SHAW, I.
orthodontic treatment. Am J Orthod, St. Louis, v. 71, p. A. A three- dimensional study of treatment with magnet
68-78, 1977. and non-magnet twin blocks (abstr.). Eur J Orthod,
13 - EPKER, B. N.; FISH, L. C. The surgical-orthodontic London, v. 15, p. 342, 1993.
correction of mandibular deficiency, part II. Am J Or- 26 - JOHO, J. P.; DARENDELILER, M. A. Correction of
thod, St. Louis, v. 84, p. 491- 507, 1983. Class II/1 malocclusions with the help of a magnetic
14 - BELL, W. H.; PROFFIT, W. R.; WHITE, R. P. Surgical field. In: HÕSLI, E.; BALDAUF, H. Mechanical and
Correction of Dentofacial Deformities. Philadelphia: Biological basics in Orthodontic Therapy. Germany:
W. B. Saunders, 1980. Heidelberg, 1991. p. 185-198.
15 - SCHENDEL, S. A.; EISENFELD, J. H.; BELL, W. H.; 27 - DARENDELILER, M.; YUKSEL, S.; MERAL. O.
EPKER, B. N. Superior repositioning of the maxilla: Open-bite correction with the Magnetic Activator Device
Stability and soft tissue osseous relations. Am J Orthod, IV. J Clin Orthod, Boulder, v. 29, p. 569-576, 1995.
St. Louis, v. 70, p. 663-674, 1976. 28 - BLACKWOOD, H. O. III: clinical management of the Jasper
16 - OWEN, A. H. III. Modified function regulator for verti- Jumper. J Clin Orthod, Boulder, v. 25, p. 755-760, 1991.
cal maxillary excess. J Clin Orthod, Boulder, v. 19, p. 29 - CARANO, A.; TESTA, M.; SICILIANI, G. The Distal
733-749, 1985. Jet for uprighting lower molars. J Clin Orthod, Boulder,
17 - PFEIFFER, J. P.;GROBETY, D. Simultaneous use of v. 30, p. 707-710, 1996.
cervical appliances and activator: An orthopedic approach 30 - CARANO, A.; TESTA, M. The Spring Jet for slow palatal
to fixed appliance therapy. Am J Orthod, St. Louis, v. 61, expansion. J Clin Orthod, Boulder, v. 33, p. 527-531,
p. 353-373, 1972. 1999.

Endereço para correspondência:


Aldo Carano
Lungomare 15, 74100 Taranto, Italy
a.carano@libero.it

90 • R Clín Ortodon Dental Press, Maringá, v. 1, n. 4, p. 85-90 - ago./set. 2002