Você está na página 1de 48

ESTADO DO PARANÁ

POLÍCIA MILITAR
ESTADO MAIOR - 4a SEÇÃO

NORMAS DE ADMINISTRAÇÃO DO MATERIAL DA PMPR


Portaria do Comando Geral N.º 153/77

1. Conceitos
a. Administração Policial Militar
A Administração Policial Militar é o instrumento que ativa, dirige e controla uma Organização
Policial Militar, no sentido de realizar seus objetivos. É o emprego eficaz de pessoal, recursos
financeiros, equipamentos, materiais e métodos para realizar as atividades fim da polícia Militar.

b. Regulamentação da Administração de Material


A regulamentação da Administração visa determinar competências, definir atribuições,
estabelecer normas para a perfeita administração do material na PMPR, através da adoção de
critérios próprios a cada tipo de material.

2. Organização
a. O Comandante Geral da PMPR exerce a direção geral das atividades da Corporação.

b. O Comandante Geral da PMPR administra os negócios da Polícia Militar com a colaboração


e por intermédio de:

1) Órgãos de Assessoramento (Seções do EM e Aj. Geral);

2) Órgãos de Apoio (Diretorias e Centros).

c. A Administração Policial Militar, e responsável pelo planejamento em programa de nível


setorial. A ação do administrador é exercida por atos e fatos Administrativos.

1) Os atos administrativos não alteram ou atingem materialmente o patrimônio. Consistem


em providências gerais necessárias a boa marcha de Administração. São exemplos de
atos administrativos:
a) Organização de proposta de orçamento;
b) Realização de Licitação;
c) Tomada de Contas de um responsável;
d) Outros de natureza semelhante.
2) Os fatos administrativos alteram ou atingem materialmente o patrimônio. São exemplos
de fatos administrativos:
a) Recolhimento ou fornecimento;
b) Cargas ou descargas;
c) Transferências;
d) Aquisições;
e) Outros de natureza semelhante

d. A gestão do administrador traduz em sentido especial e restrito a duração do


desempenho de funções administrativas e abrange todas as operações de entrada e
saída, carga e descarga e outras por meio das quais se evidência a situação de cada
responsável.

e. Patrimônio é o conjunto de todos os bens, valores, direitos e obrigações apreciáveis


pecuniariamente.

- Incluem-se no Patrimônio da Corporação, os bens móveis e imóveis de propriedade do


Estado, que estão sob sua responsabilidade, mencionando-se na sua inclusão, o órgão
a que pertence o bem, devendo constar dos assentamentos.

f. Esta regulamentação estabelece regras para a vida patrimonial e logística da


Corporação, regula as atribuições dos administradores e define as responsabilidades
conseqüentes das funções de cada Policial Militar na esfera de suas atribuições na
escala hierárquica e, bem assim, a responsabilidade de todos os detentores de material
na Corporação.

3. OPM, SUA AÇÃO E DEPENDÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO MILITAR

a. A administração da PMPR tem como elemento básico as OPM;

b. Constituem OPM todas as organizações previstas em Lei de Organização Básica para


compor a PMPR, em autônomas ou semi-autônomas.

1) OPM autônoma é a que dispõe de organização e meios para exercer plena administração
própria e tem competência para praticar ou solicitar a prática de todos os atos e fatos
administrativos decorrentes da gestão de bens. São OPM autônomas na Corporação,
atualmente :
a) CPC
b) CPI
c) CCB
d) APMG
e) BPRv
f) BPFlo
2) OPM Semi-Autônoma é a que fica vinculada a uma OPM autônoma ou a um comando ou
chefia específico, para determinados fins administrativos tendo, porém, competência para
exercer autonomamente determinadas atividades de administração como, por exemplo, o
controle integral do material de sua carga.

c. A fiscalização e a inspeção administrativa competem:


1) A fiscalização direta à própria OPM, segundo preceitos e normas estabelecidas nesta
regulamentação ou em outros dispositivos regulamentares e instruções especiais.
2) A fiscalização indireta a DAL .
3) A inspeção ao EM, CPC, CPI e CCB.

Obs: os órgãos encarregados da fiscalização indireta estabelecerão normas e modelos a


serem observados pelas OPM, os quais deverão ser , assim, simples e objetivos, devendo a
exigência de mapas restringir-se ao estritamente indispensável.

d. Quando, por ocasião de uma inspeção, forem apuradas irregularidades administrativas


motivadas por desídia, complacência, dolo ou por má fé dos responsáveis pela
administração, a autoridade inspecionadora poderá determinar a imediata suspensão das
funções, em caráter provisório, dos implicados, até decisão final da autoridade competente.

e. Os responsáveis pela administração que forem suspensos de suas funções, ficarão sujeitos
a Inquéritos Policiais Militares e as sanções previstas na legislação.

4. ÓRGÃOS E RESPONSÁVEIS PELA ADMINISTRAÇÃO

a. A vida administrativa da Corporação é dirigida pelo Comandante Geral através dos órgãos
de assessoramento e de apoio.

b. A vida administrativa de cada OPM é dirigida pelo respectivo Comandante, Diretor ou chefe.

1) Essas autoridades terão auxiliares que poderão ser diretos ou indiretos:

a) O Sub Cmt (fiscal administrativo) .


b) O Almoxarife.
c) O Aprovisionador.

2) São auxiliares indiretos todos que, de alguma forma, contribuam para o desenvolvimento
da vida administrativa da OPM.
c. Nos corpos de tropa, destacamentos, estabelecimentos, repartições, serviços ou comissões
que não possuírem todos os auxiliares constantes da letra “b”, a administração far-se-á com
os existentes. Onde existir apenas um Oficial, este enfeixará todas as atribuições citadas.

5. FUNÇÕES, RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES DAS OPM E DOS


RESPONSÁVEIS PELO MATERIAL

a. 4a Seção
- A 4a Seção, como órgão de assessoramento, planejamento, controle e acompanhamento,
tem como responsabilidade:
1) Assessorar o Comandante Geral nos assuntos pertinentes à logística e administração do
material.
2) Planejar, controlar e coordenar os bens necessários a manutenção das atividades da
Corporação.
3) Estabelecer as prioridades, conforme as diretrizes do Comando.
4) Elaborar um cronograma de aquisições em concordância com o cronograma financeiro
elaborado pela 6a Seção.
5) Fornecer a 6a Seção os dados materiais para os planejamentos orçamentários, inclusive
FUNRESTRAN, FUNDO SAÚDE e CEF.
6) Manter todo o registro do Material Controlado.
7) Emitir parecer sobre os processos de carga e descarga de material.
8) Acompanhar o desenvolvimento das atividades da Corporação através da estatística
Militar.
9) Acompanhar o desenvolvimento dos planos de aquisição.

b. 6a Seção
- Órgão de assessoramento, planejamento administrativo e financeiro, tem por finalidade:
1) Assessorar o Comandante Geral nos assuntos referentes a orçamento e planejamento
administrativo através da constituição de Programas de Trabalho Anual e Plurianual.
2) Montar um plano de Aplicação dos diversos recursos financeiros.
3) Elaborar o cronograma financeiro das Unidades Orçamentárias.
4) Elaborar o controle e acompanhamento orçamentário de todas as fontes de recursos.

c. Diretoria de Apoio Logístico


- Como órgão de apoio, compete-lhe:
1) Executar o plano de aquisição de materiais, através dos centros em harmonia com o
cronograma financeiro.
2) Adquirir os materiais observando os dispositivos legais quanto a licitação.
3) Requisitar ao DEAM todo material de consumo, aplicação e transformação.
4) Receber todo material fornecido, adquirido ou requisitado, inclusive ao FUNRESTRAN,
bem como, atestar o recebimento.
5) Manter o controle do estoque e distribuir os materiais de acordo com os planos
existentes.
6) Compor o processo para pagamento das despesas realizadas com recursos de
Economia Administrativa.
7) Manter o controle de todo material, sujeito ou não, a fiscalização da 4a Seção.

d. Diretoria de Finanças
- A DF tem como responsabilidades:
1) Efetuar o pagamento de despesas e a contabilidade de todas as fontes de recursos.
2) Montar o processo e a prestação de contas junto ao Tribunal de Contas.
3) Assessorar o CEF nas prestações de contas das OPM.

e. Comandante, Chefe ou Diretor de OPM ( Ordenador de Despesa )


1) O Ordenador de Despesa, como Chefe Geral da Administração da OPM, tomará todas
as providências de caráter administrativo necessárias à vida material da mesma, dentro
dos limites das dotações normais próprias, sendo o único responsável pelos atos e fatos
administrativos resultantes de suas decisões pessoais.
a) Quando tais decisões forem tomadas em virtude de pedidos, solicitações e
conseqüentes informações ou pareceres dos auxiliares competentes, todos
compartilharão da responsabilidade respectiva.
b) No caso de ficar comprovado terem as informações ou pareceres, que nos referimos
acima, sido incompletos ou inverídicas, toda responsabilidade recairá tão somente nos
autores de tais.
2) Compete ao Ordenador de Despesa :
a) Superintender todos os serviços da OPM, facilitando, contudo, o livre exercício das
funções de seus subordinados para que desenvolvam o espírito de iniciativa
indispensável e sintam a responsabilidade decorrente.
b) Assinar os documentos de natureza administrativa de sua inteira competência e
autenticar os documentos cuja escrituração seja de alçada do fiscal administrativo.
c) Designar o auxiliar ou, quando for o caso, os membros que devam constituir as
comissões de recebimento, exame e averiguação.
d) Destinar material conforme as necessidades, determinando as transferências de carga,
quando for o caso de uma para outra fração da OPM.
e) Opinar pelo ressarcimento dos prejuízos causados a Fazenda Pública pelos seus
comandados, detentores efetivos ou temporários do material sem dispensar a sanção
disciplinar ou penal correspondente, quando for o caso.

f) Remeter aos órgãos competentes os mapas de material, inclusive os referentes aos


trabalhos de mobilização.
g) Remeter aos órgãos competentes, de acordo com as instruções especiais, os dados
relativos as necessidades da OPM para o exercício seguinte.
h) Comunicar, incontinente, à autoridade do escalão administrativo imediatamente superior,
qualquer irregularidade ou falta na marcha da administração, com indicação dos
responsáveis, quando for o caso, desde que as providências de ocasião não sejam de
sua alçada.
i) Prever tudo que se relaciona a administração da OPM, inclusive o que se relaciona com
a mobilização.
j) Autorizar a saída, em Boletim ou pedidos regulares, de material dos respectivos
depósitos.
k) Determinar a abertura dos inquéritos previstos no item 3.e. destas normas, sempre que
necessários para apurar as responsabilidades e irregularidades.
l) Examinar, pelo menos uma vez por ano, pessoalmente o material das frações e
dependências da OPM, mencionando em Boletim o resultado do exame, bem como as
medidas e providências que se impuserem.
m) Quando da passagem definitiva do Comando, declarar em Boletim da OPM e solicitar a
transcrição em Boletim Administrativo do QCG, dizendo que a carga está certa, em
ordem e em dia, ou em que estado se encontra face as partes dadas pelos almoxarife e
fiscal administrativo e respectivas providências.
n) Certificar-se, dentro dos primeiros 3 dias de seu comando, direção ou chefia, o estado
da carga.
o) Delegar competência ao Fiscal Administrativo, se assim o julgar para autorizar a saída
de material dos respectivos depósitos mediante pedidos regulamentares.

f. Sub Comandante (Fiscal Administrativo)


- O fiscal administrativo é assessor do Comandante da OPM nos assuntos referentes a
material e patrimônio, como tal, compete-lhe:
1) Coadjuvar o Comandante da OPM no planejamento, na coordenação e no controle
administrativo, de acordo com as disposições vigentes.
2) Receber todos os documentos referentes às suas atribuições, estudá-los e fazer o
respectivo expediente, submetendo-o diretamente, à consideração e assinatura do
Ordenador de Despesa.
3) Informar imediatamente, ao Cmt, a respeito de qualquer abuso, desídia ou irregularidade
que descobrir ou chegar ao seu conhecimento, para que este tome as providências
julgadas desnecessárias, tendo em vista, principalmente, evitar danos e prejuízos à
Fazenda Pública.
4) Zelar pela fiel execução das deliberações do Cmt .
5) Dirimir as dúvidas ou contestações que houver entre os auxiliares, ressalvando o direito
de recurso ao Cmt .

6) Redigir ou coordenar os artigos para o Boletim, no que se refere aos serviços


administrativos.
7) Transmitir aos auxiliares ordens e instruções relativas aos serviços administrativos.
8) Requisitar, receber e planejar a distribuição de todo o material necessário a OPM.
9) Providenciar para que o fornecimento de material às frações da OPM seja feito com
eqüidade, prontidão e regularidade.
10) Verificar, no mínimo trimestralmente, o estado de conservação do material em uso em
depósito a cargo dos diversos detentores, participando ao Comandante qualquer
irregularidade encontrada.
11) Ter sob sua responsabilidade, em ordem e em dia, a escrituração referente ao controle
do material da OPM.
12) Organizar e assinar os mapas ou inventários referentes ao patrimônio da OPM.
13) Prestar informações e dar pareceres sobre assuntos de sua inteira competência.

g. Almoxarife
- Sendo o principal encarregado do material da OPM, compete-lhe :
1) A gestão e contabilidade do material a seu cargo, mantendo em ordem e em dia a
respectiva escrituração, de acordo com as instruções e modelos em vigor.
2) Fazer o levantamento de necessidade de material, submetendo-os à apreciação do
fiscal administrativo.
3) Distribuição às frações e dependências da OPM o material mandado fornecer mediante
ordem, Boletim ou pedido regulamentar .
4) Não entregar material algum de sua carga sem pedido legalizado ou ordem da
autoridade competente.
5) Levar, imediatamente, ao conhecimento do fiscal, o dano ou avaria de qualquer material
que estiver sob sua guarda, prestando os necessários esclarecimentos.
6) Receber, passando recibo nos documentos que lhe forem apresentados, o material
destinado à OPM, cuja a entrega lhe seja feita, assumindo, individualmente, toda
responsabilidade, quer sob o ponto de vista quantitativo, quer sob o aspecto qualitativo.
7) Possuir uma relação de todo o material distribuído com designação dos lugares em que
esse material se encontre.
8) Receber e conferir toda a carga no âmbito da OPM, no prazo de 30 dias, em conjunto
com seu antecessor.
9) Prestar informações e dar pareceres sobre assuntos de sua inteira competência.
10) O almoxarife é especialmente responsável :
a) Pelas saídas e distribuição de material .
b) Pela existência, em bom estado, asseio e conservação, do material a seu cargo .
c) Pela entrada do material.
d) Pela escrituração que deve ser mantida em ordem e em dia.

h. Comandante da Subunidade Incorporada


- Ao Comandante da Subunidade incorporada compete :
1) Velar pelo bom andamento da administração e contabilidade do material distribuído seja
conservado em boas condições e a escrituração represente a expressão exata da
existência do material.
2) Mandar entregar às frações da Subunidade, o material para seu uso corrente, desde que
as referidas frações disponham de instalações próprias com as condições de segurança
e de acondicionamento adequado para o material distribuído. Os comandantes dessas
frações, ficarão, neste caso, com a responsabilidade de detentores indiretos da carga
distribuída.
3) Pedir pelos trâmites legais, à autoridade competente, o material indispensável à
instrução e serviço da Subunidade.
4) Verificar, pelo menos mensalmente, as condições da carga da Subunidade.
5) Quando tiver de deixar, em caráter definitivo, o Comando da Subunidade, comunicar por
escrito ao Fiscal Administrativo se a carga sob sua responsabilidade está certa e em
dia, em caso negativo, as causas e os responsáveis pelas irregularidades, apresentando
as cópias ao seu substituto que oporá o seu ciente ( o prazo para estas operações é de
8 dias ).

i. Responsabilidade Pessoal
- Todo o pessoal investido de funções administrativas na PMPR deverá ter completa
iniciativa dentro da esfera de suas atribuições, sendo responsável :
1) Pelo não desempenho das funções que lhe são peculiares.
2) Pelos atos ilegais de auxiliares seus se previamente avisado, não tiver providenciado,
em tempo, para evitá-los, corrigi-los e punir os responsáveis pelas irregularidades.
3) Pelos atos que praticar no exercício de suas funções.
4) Pelas conseqüências que resultarem da inobservância de disposições legais ou ordens
emanadas de autoridades competentes.
5) Por qualquer distribuição, descarga ou saída de material que ordenar, solicitar ou
efetuar.
6) Pelo cumprimento de ordens administrativas reconhecida e visivelmente ilegais, sem a
necessária ponderação escrita na forma dos regulamentos e instruções especiais.
7) Pela observância de qualquer disposição destas normas.
8) Somente haverá isenção dessas responsabilidades nos casos de força maior
devidamente comprovada. Quando, porém, se tratar de roubo ou incêndio, o detentor
direto só ficará isento de responsabilidade no caso de ter tomado todas as providências
para evitá-los.
a) A responsabilidade será pecuniária, disciplinar ou penal.
b) A responsabilidade será pecuniária sempre que houver prejuízo para o Estado, OPM ou
pessoa, em virtude de falta de cuidado, interesse e vigilância sua ou de seus auxiliares.
c) A responsabilidade pecuniária não exonerará da responsabilidade disciplinar que no
caso couber.
d) O fato de uma inspeção, verificação, ter considerado regular a situação de qualquer
administrador, não impede que o mesmo se torne responsável por irregularidades
apuradas posteriormente.
Obs.: Nesse caso, os encarregados da inspeção compartilharão da responsabilidade em que
tiver incorrido a pessoa, se verificar que dispunham de elementos para tornar efetiva a
responsabilidade desse.

6. PROCEDIMENTOS NA ADMINISTRAÇÃO DO MATERIAL


a. Genéricos
1) Requisição de Material
a) Interna
- As requisições de material devem partir do fiscal administrativo. Essas requisições são
diretas :
(1) A DAL quando se tratar de material de consumo, aplicação ou transformação .
(2) Quando se tratar de material permanente ou controlado, as requisições serão
encaminhadas diretamente à 4a Seção, para emitir parecer e controle .

b) Externa
- As requisições que saem desta Corporação para outros órgãos deverão partir da DAL,
através do Centro respectivo.
(1) Quando estas requisições se referirem a material permanente ou controlado, deverão
ser acompanhadas de um parecer da 4a Seção .
(2) Todas as requisições de material deverão Ter cópias encaminhadas para a 4 a e 6a
Seções (carbonadas).

2) Recebimento pela Corporação


a) Todo o material com origem dos órgãos provedores externos a Corporação, serão
recebidos, estocados e distribuídos pela DAL.
b) Mesmo no caso de material adquirido através das Economias Administrativas, compete
a DAL o recebimento, estocagem e distribuição.

3) Recebimento pela OPM


a) Se a aquisição de material for pela OPM, com seus próprios recursos (ouvida a DAL) ou
no caso de doações , compete ao fiscal administrativo o recebimento.
b) Também ao fiscal administrativo da OPM compete o recebimento do material distribuído
pelo órgão provedor da Corporação.
c) O material que der entrada na OPM, será recebida e examinado:
(1) Individualmente, pelo almoxarife ou qualquer auxiliar designado pelo Cmt, com a
supervisão do fiscal administrativo.
(2) Por comissão nomeada para esse fim .
Obs: Será nomeada comissão nos casos previstos pelos regulamentos e instruções
especiais, ou na sua falta, a critério do Cmt, considerando o alto custo do material ou sua
complexidade técnica.
d) Quando se tratar de material fornecido pelo órgão provedor (sem indenização) e, não for
encontrada qualquer irregularidade, o elemento que procederem o recebimento e
exame do material consignarão tal fato em recibo passado nas respectivas guias de
remessa.
(1) As guias de remessa, quitadas, tomarão os seguintes destinos:
(a) Uma via acompanhará a parte de recebimento.
(b) Uma via será remetida ao órgão que forneceu o material.
(2) As cargas publicadas em Boletim Administrativo do QCG deverão ser transcritas em
Boletim da OPM.
e) Quando for encontrada qualquer irregularidade no recebimento do material fornecido
pelos órgãos provedores, o Fiscal Administrativo e o auxiliar ou membro da Comissão,
previstos respectivamente nos números (1) e (2) do ítem 6.a.3)c), lavrarão um termo de
recebimento e exame segundo modelo anexo.
(1) Os termos mencionarão apenas as irregularidades encontradas e os materiais rejeitados,
com a declaração dos motivos de rejeição.
(2) Esse termo deverá ser em 3 (três) vias, devendo uma ser encaminhada a 4a Seção, uma
à unidade provedora e uma ficará arquivada na OPM recebedora.

f) A comissão de recebimento e exame será constituída por três Oficiais; o almoxarife e o


provável detentor direto do material em causa, deverão, em princípio, integrar a
comissão.
(1) A comissão ou o auxiliar encarregado do recebimento e exame terá o prazo de 05
(cinco) dias úteis para apresentar ao fiscal administrativo o termo ou parte de
recebimento, podendo este prazo ser prorrogado pelo Cmt, mediante solicitação
fundamentada e em casos excepcionais.
(2) Nos casos de comissão, a designação poderá ser feita para cada recebimento
específico ou poderá haver comissão para os recebimentos num período determinado,
nunca superior a 90 (noventa) dias.

g) O material será classificado do seguinte modo :

(1) Material Permanente Comum, o que se destinar aos serviços, não controlado pela 4a
Seção.
(2) Material Permanente Especial, também destinado aos diversos serviços, porém
controlado pela 4 Seção.
a

(3) Material de aplicação, o que se destinar a integração da construção de edifício,


máquinas e equipamentos.
(4) Material de transformação, o que se destinar a confecção de qualquer artigo.
(5) Material de consumo, o que se destinar a empregos diversos não especificados no itens
anteriores.
(6) Material controlado, todo aquele, permanente ou de consumo, cuja distribuição é
calcada em uma dotação prefixada face a dificuldade de sua obtenção, quer pela
escassez, quer pela restrição de órgãos superiores, merecendo um controle efetivo.
Obs.: A classificação de um material como controlado poderá ser temporária e obedecer a
conjuntura do momento, por essa razão as relações deverão estar sempre atualizadas.

b. Específicos

- O objetivo destas instruções é firmar doutrina quanto aos procedimentos administrativos,


proporcionar condições favoráveis a um acompanhamento que permita a avaliação
segura das atividades e/ou projetos, envolvendo a Corporação como Unidade
Orçamentária, devendo ser utilizadas nas demais Unidades Orçamentárias, com a
necessária adaptação as peculiaridades de cada uma delas, após aprovação das
normas respectivas.

1) Do Material de Consumo, Transformação e Aplicação

a) Órgãos Provedores
(1) O órgão provedor de toda a Corporação e a DAL.
(2) Nas OPM que possuem orçamento próprio o órgão provedor ainda será a DAL, devendo
estas executarem os orçamentos relativos a alimentação e pessoal.
(3) Se considerarmos a Corporação em sua totalidade, enquadrada no sistema estadual, o
órgão provedor é o DEAM.

b) Requisição
- Na requisição destes materiais, deverá ser observado o seguinte:

(1) Cada OPM deverá encaminhar o seu pedido de material de acordo com o modelo e nos
prazos constantes dos cronogramas anexos diretamente a DAL.
(2) A DAL, por sua vez, fará a distribuição das requisições aos Centros respectivos.
(3) Os Centros, de posse das requisições, farão a compatibilização com os meios
disponíveis em estoque. Não havendo possibilidade do atendimento, o pedido será
devolvido a DAL.
(4) A DAL de posse das requisições, fará a compatibilização das necessidades com os
recursos financeiros repassados ao DEAM.
(5) Feita esta compatibilização, a DAL encaminhará ao órgão de compras do Estado o
pedido.

c) Aquisição
- Na aquisição deve-se observar :
(1) Será feita pelo DEAM, quando se tratar de despesas orçamentária.
(2) Pela DAL quando se tratar de despesas extra orçamentária.
(3) Não poderá ser adquirido material sem disponibilidade financeira e, as despesas que
envolvam pagamento parcelado devem ser autorizadas pela Diretoria de Finanças .

d) Recebimento
- O recebimento deste material se dará da seguinte forma :

(1) Na Corporação, o responsável pelo recebimento é o Diretor da DAL.


(2) Na OPM será o Fiscal Administrativo.

e) Controle, Fiscalização, Estocagem ,e Distribuição


- Nestes casos deverão ser observados os seguintes requisitos :
(1) O Almoxarife Geral da DAL e o da OPM são responsáveis pelo material estocado na
Corporação e OPM, respectivamente, como também serão responsáveis pela
observância dos níveis de materiais .
(2) Na Corporação, a distribuição é realizada pela DAL mediante as requisições das OPM.
(3) Na OPM, após registrado nas contas de crédito, será, distribuído pelo almoxarife.
(4) O controle e fiscalização deste tipo de material é de responsabilidade do Fiscal
Administrativo e do órgão provedor através de fichas, conforme modelo anexo.
(5) Para efeito e controle de avaliação remeter ao setor estatístico da 4a Seção, os relatórios
de gastos de material, conforme cronograma constante do documento “Instrução de
Estatística Militar”.

2) Do Material Permanente Comum e do Material Permanente Especial


a) Requisição
- Ao se requisitar este material, deve-se observar:
(1) A requisição do material permanente comum e especial é encaminhada pelo fiscal
administrativo diretamente a DAL que verificará da sua existência nos planos de aquisição.
(2) Não estando programada, a requisição será encaminhada a 4a Seção que catalogará
o pedido, para inclusão em futura programação, informando a OPM tal fato.

b) Aquisição
- A DAL irá adquirir o material de acordo com a programação e fonte de recurso (no caso
específico do FUNRESTRAN, deverá solicitar a aquisição por ofício).

c) Recebimento, Estocagem e Distribuição


- Aplica-se a este material os mesmos procedimentos do material de consumo.

d) Controle
- Para o controle deve-se observar :
(1) Todo Material Permanente Comum será controlado através de requisições, ficando o
mesmo a cargo da DAL e fiscal administrativo.
(2) Todo material permanente especial será controlado através de fichas individuais e
plaquetas, ficando o mesmo a cargo da DAL e OPM.

3) Do Material Controlado
a) O material controlado, face as características especiais que desenvolvem terão, os
mesmos procedimentos regulados por NI especial.
b) Aplica-se ao material controlado, quando couber, as disposições constantes destas
normas.
c) São considerados material controlado, atualmente na Corporação:
(1) Material Bélico.
(2) Equipamentos em geral (guerra química, controle de tumultos e serviços).
(3) Combustível.

7. DA CARGA DE MATERIAIS
a. O material permanente comum será incluído na carga da OPM mediante nota para
Boletim Interno desta, a cargo do Fiscal Administrativo.
b. O material permanente especial será incluído na carga da OPM mediante nota para
Boletim Administrativo do QCG e transcrita em Boletim da OPM, a carga da DAL, nota
esta que poderá Ter origem por solicitação da OPM interessada, pelo órgão provedor ou
pela DAL.
c. Os pedidos de inclusão em carga devem ser através de parte. São componentes do
pedido de carga :
1) Solicitação de carga (modelo anexo).
2) Comunicação de recebimento do material.
3) Nota fiscal ou termo de entrega (anexo).
d. Observar-se-ão as normas acima para os demais tipos de materiais, quando for o caso.

8. DA DESCARGA DE MATERIAIS
a. A descarga do material permanente comum é de competência do Cmt da OPM, mediante
solicitação por escrito do Fiscal Administrativo e publicado em Boletim Interno da OPM.
b. A descarga do material permanente especial é solicitada a DAL pelo Cmt da OPM, em
face dos termos das comissões, pareceres do Fiscal Administrativo, e relatórios de
Sindicância ou Inquérito.
c. São os seguintes os documentos que instruem a descarga de material:
1) Solicitação de descarga (anexo).
2) Termo de exame e averiguação do material ou relatórios.
3) Ficha de controle do material.

4) Guia de recolhimento ao almoxarife geral, quando for o caso.


d. Os motivos gerais para a descarga são :
1) Inservibilidade para o fim a que se destina, não sendo susceptível de reparação ou
recuperação;
2) Perda ou extravio;
3) Furto ou roubo;
4) Outros motivos (transferências, etc.).

e. A descarga do material pelos motivos a que se refere o item anterior será solicitado pelo
detentor direto ao fiscal administrativo, declarando se há matéria prima aproveitável.
f. O Fiscal Administrativo encaminhará a solicitação ao Cmt da OPM com o seu parecer.
g. O Cmt da OPM examinará o documento a que se refere os itens e. e f. e determinará as
providências constantes abaixo :
1) Nos casos de inservibilidade
a) Descarga, quando o material preencher simultaneamente, as três condições abaixo:
(1) For de tempo de duração indeterminada ou tiver atingido o tempo mínimo de duração
previsto.
(2) For de valor inferior a Unidade Padrão de Capital (UPC).
(3) Não for especial ou controlado.
b) Nomeação do comissão de exame e averiguação, quando ocorrer com o material
qualquer uma das condições abaixo :
(1) Não tiver atingido o tempo mínimo de duração.
(2) For de valor superior a UPC.
(3) For especial ou controlado.
c. Abertura de sindicância, sempre que houver indício de imperícia, imprudência ou
negligência, devendo tal situação ser categoricamente destacada, mesmo negativamente.
d. Instrução de Inquérito Policial Militar (IPM), sempre que houver indícios de crime.

2) Nos casos de perda ou extravio


a) Descarga, quando de tratar de material que preencha simultaneamente as três
condições referidas no item 8.g.1)a) acima, e tenha sido indicado, em partes
circunstanciadas do respectivo detentor direto, o responsável pelo ressarcimento do
prejuízo ou a existência de causa que justifique sua imputação ao Estado.
b) Abertura de sindicância, quando ocorrer uma das condições abaixo em relação ao
material:
(1) Não tiver atingido o tempo mínimo de duração previsto.
(2) Não estiver caracterizada a responsabilidade pelo ressarcimento do prejuízo.
(3) For de valor superior a UPC.
(4) For especial.

3) Nos casos de furto ou roubo


- Instauração de IPM.

4) Outro motivos
- Descarga do material, após autorização ou determinação do escalão superior para :
a) Recolhimento ao órgão provedor.
b) Transferência para nivelamento de estoque.
c) Recolhimento ao DEAM.

h. Quando houver necessidade de nomeação de comissão de exame e averiguação, será


nomeada e composta de três Oficiais.
1) Quando o exame, a comissão verificará a causa dos estragos, danos, inutilização e
imputação dos prejuízos aos detentores, usuários ou Estado, conforme o caso. Verificará
ainda se houver ou não motivo de força maior.
2) Deverá verificar o estado do material e, principalmente, se ele é suscetível de reparação
ou recuperação.
3) O prazo para a realização dos trabalhos da comissão de exame e averiguação será de
oito dias, podendo se prorrogado uma única vez e até igual período pela autoridade que
a nomeou.

i. Também observar-se-ão as normas acima para todos os tipos de materiais, quando o caso
exigir.

9. DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS
- Para equacionamento do problema atual da carga da Corporação, deverão ser tomadas
de imediato as seguintes medidas administrativas pelos diversos órgãos da PMPR.
a. Reformular o sistema atual, dando início a implantação do sistema anteriormente
proposto.
b. A 4a Seção deverá designar uma Comissão de Inventário composta de (três) Oficiais,
para início do levantamento.
c. A medida que forem sendo publicados os novos dados, deverão ser anulados os
anteriores, independente das medidas administrativas cabíveis.
d. A DAL deverá providenciar a confecção do seguinte material:
1) 50.000 fichas conforme modelo do anexo 06.
2) 25.000 plaquetas conforme modelo do anexo 06.
e. As OPM deverão providenciar, em cada sala, a afixação de um quadro com a carga
existente naquele recinto.
f. Estas normas entram em vigor com a Portaria nº 153/77, publicada em Boletim do CG.
g. Qualquer alteração nestas normas também será através Portaria exarada ao Comando
Geral.

FLUXOGRAMA
Não há
estoque

OPM DAL FORNECEDOR

MATERIAL PERMANENTE E CONTROLADO

OPM 4a SEÇÃO

Pedido não há
estoque

DAL FORNECEDOR

ANEXO 01

FORMULÁRIO PARA REQUISIÇÃO DE MATERIAL DE CONSUMO,


TRANSFORMAÇÃO OU APLICAÇÃO .
POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO PARANÁ

OPM : ___________________________________
VISTO : CURITIBA, __________ de ___________________ de 200____ .

REQUISIÇÃO N.º ____________________________ .


_________________ AO : _______________________________________ .
Fiscal Administrativo
Em Estoque Solicitada
N.º QUANTIDADE
Unidade
Especificação
ORDEM
Medida Recebida

____________________________________
Almoxarife

A N E X O 01

O cabeçalho do formulário é de preenchimento exclusivo da OPM requisitante.


- O número da requisição será dado em ordem crescente, de acordo com a quantidade de
pedidos no ano, devendo o primeiro de cada ano ser o de n.º 1 .

- N.º de ordem
Nesta coluna, os artigos serão numerados em ordem crescente, de acordo com o número de
itens solicitados.
- Especificação
A coluna destina-se a nomear o artigo com aquela denominação pela qual ele é comumente
conhecido.

- Unidade de Medida
Destina-se a coluna para especificar a medida mais comum que o artigos utiliza. Ex.: litro,
centímetro, quilo, quantidade unitária, etc. (deverão ser abolidas medidas que não ofereçam uma
identificação da quantidade ou suscitem dúvidas. Ex.: lata, barril, caixa.).

- Em estoque
Nesta coluna a OPM deverá fazer constar o quanto ainda possui do material solicitado, em
estoque, não considerando o distribuído e em uso nas diversas repartições.

- Solicitada
Coluna destinada a conter o pedido da OPM.

- Recebida
Destina-se o seu preenchimento ao órgão provedor, aquele que fornecer o material.
Obs.: A requisição será feita em duas vias, sendo uma para arquivo da OPM e outra para
arquivo do órgão provedor.
O encarregado de receber o material deverá colocar o recibo nas costas da via que ficará com o
órgão provedor.

ANEXO 02

Formulário para requisição de material permanente

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO PARANÁ

OPM____________________________________

Autoriza :
Visto : _________________________________________

Cmt da OPM
_________________________
Dir da DAL

Observação
ExistenteQUANTIDADE Pedido
ESPECIFICAÇÃO

Informação da DAL : Quartel em __________,


_________________________________ .
Em _____/_____/______

Diretor Fiscal Administrativo

PM / 6 PM / 4

A N E X O 02

- Especificação
A coluna destina-se a nomear o artigo com aquela denominação pela qual ele é comumente
conhecido.

- Existente
Destina-se a quantidade de todo o material similar existente no âmbito da OPM.

- Pedido
Destina-se a quantidade solicitada.

- Observações
Coluna destinada a colocar determinadas características do artigo que facilitem uma melhor
identificação (ex.: se é solicitada uma máquina, indicar na coluna o n.º de espaços ,tipo , etc).

- As quadrículas colocadas ao pé do pedido, destinam-se aos casos em que não haja material
disponível, nem esteja prevista a sua aquisição para o ano, sendo que a DAL encaminhará o pedido à
6a Seção e 4a Seção .

- A 4a Seção enquadrará o pedido nos próximos planos de aquisição, devolvendo à OPM que ficará
ciente das medidas tomadas.

Obs.: O enquadramento da 4a Seção não significa, obrigatoriamente, que o material será adquirido
no exercício seguinte, pois tal dependerá das prioridades atribuídas pelo Comandante-Geral.

- A requisição será feita em duas vias, sendo uma para arquivo da OPM e outra para arquivo do
órgão provedor.

ANEXO 03

Formulário para remessa de material


POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO PARANÁ

____________________
Órgão Provedor

Guia de remessa n.º _________/__________ End. ____________________________________


destinatário
Especificação Quantidade N.º Fab. N.º PMPR Observações

OPM ____________________________ Quartel em : _____________________________

Recebi os materiais acima, sem/com citar


irregularidades.

Em _____________________________

__________________________ _______________________________________________
Recebedor Autoridade provedora

A N E X O 03

- Este formulário será preenchido pelo órgão provedor, quando encaminhar materiais a uma OPM

ou esta vier recebê-los diretamente.

- Sempre acompanhará os materiais, sendo devolvido após a entrega destes .

- Será elaborado em 3 vias, sendo:

- uma para a OPM a qual acompanhará a parte de recebimento que terá andamento no âmbito

da OPM e posteriormente arquivada.

- uma será encaminhada à 4a Seção.

PREENCHIMENTO

- Especificação
Na coluna o artigo será nomeado com aquela denominação pela qual é comumente conhecido.

- Quantidade

Esta coluna destina-se a indicar a quantidade fornecida.

- Número de fabricação

Destina-se ao número de fabricação do artigo quando este o possuir.

- Número da PMPR

Destina-se ao número a ser fornecido pela Corporação e constante da plaqueta de identificação.

- Observações

Destina-se a indicar determinadas características de material que facilitem a sua identificação.

- Recibo

Será assinado quando o material recebido não apresentar irregularidades, ou então, apontando

as irregularidades encontradas.

ANEXO 04

Formulário para termo de recebimento e anexo.

OPM______________________________

Termo de recebimento e exame de material n.º ______________/ _________.

1. Nomeação da Comissão Bol OPM n.º ________, de __________/ ____________/ 2.00___.

2. Procedência do material _____________________________________________________

3. Documentação que relaciona o material _________________________________________


4. Alterações encontradas __________________________________________________________________

5. Observações : _________________________________________________________________________

Local e data___________________________________

Assinaturas_________________________________

___________________________________

___________________________________

Encaminha-se ____________________________.

Em _________ / ___________ / _____________.


______________________________________
Cmt da OPM

A N E X O 04

Este formulário será elaborado quando o material apresentar irregularidades .

- Será elaborado em 3 vias, sendo:

a. uma será anexada à via do termo de remessa encaminhado a 4a Seção .

b. uma será anexada à via do termo de remessa encaminhado ao órgão provedor .

c. uma para arquivo.

Deverá ser elaborado ainda, quando o material tiver sido fornecido por qualquer órgão externo à

Corporação (doações), sendo então elaborado em duas vias, indo:

a. uma para arquivo da OPM.

b. uma acompanhará a parte que solicita a carga do material.

- Em se tratando de material de consumo, aplicação ou transformação, é dispensado o termo,

quando o material tiver origem externa.

PREENCHIMENTO

- O item n.º 1 deverá mencionar o Boletim que designou a comissão.

- O item n.º 2 deverá indicar o órgão provedor.


- O item n.º 3 a documentação será : - notas fiscais, guia de remessa, termo de doarão, etc.

No item n.º 4 deverá ser indicado o estado de conservação do material, diferenças quantitativas,

estado de embalagem e violação (se for o caso).

No item n.º 5 deverá ser discriminada qualquer outra informação julgada útil .

ANEXO 05

Ficha para controle de material de consumo, aplicação e transformação

OPM ________________________ Ficha n.º _________________________

Ficha de estoque____________________ Nomenclatura ______________________

Nível mínimo _________________ Nível médio ___________________ Nível máximo ____________________

Quantidade Custo Custo


Observações
Data Unit. Total
Ent Saída Dest. Saldo
Obs.: O verso será igual, não existindo o cabeçalho .

A N E X O 05

- Onde diz nomenclatura deverá ser colocada a designação do artigo a ser controlado.

Obs.: Deverá ser uti1izada uma ficha para cada artigo.

- C nível mínimo será estabelecido pelo fiscal administrativo levando em conta o consumo diário e o

tempo decorrido entre a saída da requisição e a data de chegada do material.

- C nível máximo será estabelecido pelo fiscal administrativo, considerando o consumo diário

multiplicado pelo número de dias do mês mais 10% de margem de segurança .

- C nível médio é o nível ideal de existência do material.

- A coluna da data será sempre preenchida quando houver movimentação.

- A coluna de saída será alterada sempre que alguém requisitar o artigo .

- A coluna de destino será para indicar quem recebeu o material .

- A coluna do saldo será sempre alterada considerando-se a diferença entre o saldo anterior e a

saída do material.

- C custo unitário será alterado quando da entrada do material.

- C custo total igualmente ao unitário.

- A coluna observações é destinada a qualquer informação complementar .


ANEXO 06

Modelo para ficha de controle de material permanente e da plaqueta de identificação

PMPR PM/4
PATRIMÔNIO
Ficha de Material Permanente

Espécie

Características

Fornecedor

Custo

Data de aquisição

Recurso

MOVIMENTAÇÃO

DESTINO BOLETIM DATA


VERSO

Observação : _____________________________________________________________________________________

ANEXO O6

- O preenchimento desta ficha será exclusivamente da Seção de Patrimônio .

- A especificação será a denominação do artigo.

- O número será o constante da plaqueta de identificação.

- Na característica descrever-se-á o artigo sucintamente.

- O fornecedor será quem vendeu o material.

- O custo será o constante da nota fiscal.

- O recurso é a fonte onde foi originada a verba.

- A coluna destino é para designar a OPM em que o material se encontra.

- O boletim é aquele que publicou a carga.

- O item descarga será preenchido quando o material der baixa da PMPR.

- As observações serão preenchidas quando se quiser anotar alguma informação útil julgada
necessária.
ANEXO 07
OPM : _________________________

Termo de Exame e Averiguação de Material n.º ___________________/ __________________.

1. Nomeação da comissão Bol OPM n.º ______________, de _________________/ _________________ 2.00____.

2. Material pertencente a carga ____________________________________________________________________.

3. Discriminação do material, seu estado , sua aproveitabilidade ou não e causa presumível de sua inservibilidade :
a . ___________________________________________.
b . ___________________________________________.
c . __________________________________________.

4. Valor total do material julgado inservível : R$ _____________________________.


5. Observações :
________________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________

Local e data : ______________________________________________

Comissão: ________________________________________________
Presidente
________________________________________________
Membro
________________________________________________
Membro
DESPACHO :

- Encaminha-se à _____________________________.

Em ____________/______________/_____________.

______________________
Assinatura Cmt OPM

ANEXO 07

- Este termo será elaborado em duas vias devendo uma ser arquivada pela e uma ser anexada ao

pedido de descarga.

- item n.º 1 deverá mencionar o boletim que designou a comissão.

- item n.º 2 refere-se ao detentor do material .

- item n.º 3 conterá todas as indicações que permitam a análise para comissão de descarga.

- item n.º 4 será preenchido com valor estimado do material, constante na ficha individual.

- item n.º 5 conterá outras informações consideradas úteis.


ANEXO 08

Modelo de relatório de material permanente especial a ser encaminhado pelas OPM .

Visto Relatório n.º __________/_________ .

Inventário do Material Permanente existente no(a) _____________________________.

Levantamento para fins de ________________________________________________.

Valor

Registro Nomenclatura Quant Recurso OBSERVAÇÃO

Unit. Total

Local , data ____________________________________________.


_____________________________________________
FISCAL ADMINISTRATIVO

ANEXO 08

O relatório do material permanente comum deverá ser encaminhado a Seção de Patrimônio

trimestralmente nos meses de janeiro, abril , julho e outubro.

- O relatório de material permanente especial deverá ser encaminhado nos meses de janeiro e

julho (semestralmente).

- A coluna registro deverá ser deixada em branco pois destina-se a preenchimento pela Seção de

Patrimônio. (grupos de material).

- A coluna nomenclatura destina-se a especificar o material com a sua denominação comum.

- A coluna quantidade destina-se a dar o existente no âmbito da OPM.

- Recurso é a origem da verba de aquisição.

- Se for possível, o valor será o real, senão, o estimado.

- Na coluna observação fazer constar informações úteis sobre e material.


ANEXO 09

Modelo de inventário de material permanente (formulário) a ser realizado por comissão a ser designada .

Visto : Inventário do Material permanente existente na ______________________

______________________________________________________________
Inventário nº _______/______.

______________________________________________________________

Levantamento para fins de atualização de carga .

Reg Nomenclatura N.º Fab. Destino Recurso Valor Venal OBS.

CONFERE :
________________________________________
Fiscal Administrativo
Local, data _____________________________________.

Pres. Comissão __________________________________


ANEXO 09

Normas para preenchimento do inventário a serem adotadas pelas Comissões :

- A coluna registro destina-se à Seção de Patrimônio.

- A coluna nomenclatura destina-se à designação do artigo.

- A coluna do n.º de fabricação deverá ser preenchida com o mesmo, quando existir.

- Na coluna destino será indicado qual o setor que o artigo se encontra.

- O recurso indicará a verba de aquisição.

- O valor será, se possível, o real, senão, o estimado.

- A coluna observação deverá conter informações sobre o estado do material , se deve ou não ser
descarregado, e outra de utilidade.
ANEXO 10

Modelo de formulário para controle de cargas e descargas mensais.

SEÇÃO DE PATRIMÔNIO

Mês: ___________Ficha n.º ____________

Ficha de alteração de Boletim Administrativo

Carga Descarga
Histórico Grupo OBS
Quant. Data N.º Bol Quant. Data N.º Bol
D M A D M A

G 1 - madeira

G 2 - aço
Obs.: O verso é idêntico
G 3 - máquinas e aparelhos
Para uso da Seção de Patrimônio
G 4 - Diversos

G 5 - rádio

G 6 - veículos

G 7 - armas e munições

G 8 - cirúrgico

G 9 - imóveis
ANEXO 11

Formulário para controle de entrada de materiais pela


SEÇÃO DE PATRIMÔNIO

SEÇÃO DE PATRIMÔNIO

Ficha de controle de entrada de materiais n.º ________________

Valor
N.º DATA Quant N.º empenho Verba Fornecedor Unit Total Nomen. OBS

ANEXO 12
Modelo de relatório a ser encaminhado pela Seção de Patrimônio da PMPR,
à Seção de Patrimônio da SESP, relativo as cargas e descargas

PMPR SEÇÃO DE PATRIMÔNIO

Relatório das ___________________, relativas ao período de ___________________a ____________________.

Material Quantidade OPM N.º Fab. N.º PMPR Preço Observação

Q/ Em Curitiba, _____________de _______________de 2.0________.

______________________________________________
Chefe da Seção Patrimônio da PMPR

ANEXO 13
PMPR - SEÇÃO DE PATRIMÔNIO

Relatório de tombamento de bens patrimoniais

Aproveitamento Conservação Valores


Marca Modelo Natureza N.º PM OPM OBS
Real Est
Uso Desuso Bom Sof Pes

ANEXO 14

CRONOGRAMA PARA ENTRADA DA REQUISIÇÃO


Até 28 do mês

- Artigos de expediente, desenho...

- Combustível e lubrificantes...

- Material de limpeza e conservação...

- Produtos químicos e farmacêuticos...

Até 10 do mês

- Materialde aplicação...

- Gêneros de alimentação ...

- Material de transformação...

Obs.:O atendimento deste cronograma implica na impossibilidade de entrada das requisições, no

DEAM, em prazo hábil, acarretando prejuízos ao atendimento.

ANEXO 1 5

LISTA PADRÃO DO MATERIAL DE APLICAÇÃO

1. Material elétrico e de iluminação, rádio e eletrônico:


- fios, soquetes, tomadas chaves, lâmpadas, pilhas, velas.

- lanternas, lampiões, válvulas, transístores.

- condensadores, ampolas de raio-x.

2. Placas, letreiros e similares:

- placas para veículos.

- plaquetas.

- letreiros indicativos de repartição e serviços.

- placas comemorativas e honoríficas.

3. Matérias-primas e material para serviços diversos:

- filmes para fotografias, cinematografia e raio-x.

- fibras, amianto, borracha, cabos metálicos ou não.

- arame farpado, condutores elétricos e materiais isolantes, cimento, cal, areia, ,materiais de

construção civil, fechaduras, ferragens, cadeados, material de fundição, lixas, corantes, tintas solventes,

parafusos e pregos.

4. Material utilizado em oficina, acessórios e peças de máquinas, de viaturas, de aparelhos e


instalações:

- pneus, câmara de ar, sinaleiros, frades, correias, tapetes, capas para máquinas, encerados,

espelhos, parafusos, porcas, caldeiras, fios, chaves, velas de ignição, baterias, molas de segmentos,

macacos, limas, brocas, esmeris, tubos de cola, lixas, extintores.

LISTA PADRÃO DE MATERIAL DE TRANSFORMAÇÃO

- madeira, compensados, f6rmica, couro, peles, tecidos.

ANEXO 16

LISTA PADRÃO DE MATERIAL DE CONSUMO

1. Material de expediente, desenho, ensino e instrução:

- Alfinetes, almofadas para carimbo, apontadores.


- Bobina para máquina de calcular.

- Borrachas.

- Calendários, carimbos, cartões, cartolina, cinzeiros.

- Cola, cesta para papéis, clips.

- Escovas, espátulas, estêncil.

- Fichas , fitas para máquinas de escrever e calcular , fios metálicos , fitas adesivas , fluído e

papel para duplicador.

- Grampeadores, grampos, goma.

- Impressos, livros em branco, lápis e canetas.

- Mata-borrão, papel (timbrado ou não), papel carbono, papel para desenho, penas, percevejos

perfuradores.

- Réguas e esquadros , tintas para escrever , para desenhar e para carimbo , tinteiros , vidros

para mesa.

- Material didático de ensino, esportivo e de recreação.

2. Material de limpeza, conservação e desinfecção:

- ácidos, capachos, cera, esfregões, espanadores, estopa, flanela, inseticidas, lixas, pasta para

limpeza (líquida), sabão, saponáceo, soda cáustica, sabonete, toalha de papel, vassouras.

3. Combustíveis e lubrificantes:

- Álcool para queimar, carvão, gás engarrafado, graxas, gasolina, (controlado até 2a ordem),

lenha, óleo lubrificante, óleo diesel, oxigênio, querosene.

4. Forragens e outros alimentos para animais:

- Milho, alfafa, aveia, farinha de amendoim, sais, vitaminas.

5. Gêneros de alimentação e dieta em geral:

- além dos gêneros alimentícios.

- café, açúcar, os de dieta, manufaturados ou não.

- animais para corte, artigos para fumantes, (cigarro, charutos, fumos, fósforo). (+)

(+) Somente para uso em hospitais, penitenciária.

6. Material de cama, mesa e banho:


- Lençol, fronha, colcha, colchão comum, travesseiros.

- Toalhas para mesa, guardanapo, toalha de rosto e de banho.

7. Material de copa e cozinha :

- louças em geral, não integrantes de aparelhos.

- panelas, talheres avulsos, conchas, espumadeiras, rolo de macarrão toalhas de prato.

8. Objetos de toillete e uso pessoal :

- navalhas, tesouras, máquinas de cortar cabelo, lâminas para barbear, pincéis para barba,

escovas de dente, cachimbos.

9. Produtos químicos, farmacêuticos e odontológicos, artigos cirúrgicos e outros de uso laboratório

- tubos de ensaio, copos de vidro, garrafas de laboratório.

- pipetas, tubos de sedimentação, tubos de absorção, garrafas de purificação, tubos de

fermentação, frascos destiladores.

- sais, oxigênio, algodão, gases, esparadrapo, ligaduras.

- desinfetante, fio para ponto, grampos, álcool beneficiado, iodo, brocas, lixas, borrachas,

cera, cimento, porcelana, amálgama para dentes, fungicida, inseticidas, óleo, pás, medicamentos.

ANEXO 17

1. Material Bélico:

- Armamento, munição, rádio, engenharia, armamento e munição químicos, viaturas.

2. Equipamentos

3. Combustível

4. Equipamento telefônico e teletipo


ANEXO 18

LISTA PADRAO DE MATERIAL PERMANENTE COMUM

- Alicates, ferramentas em geral.

- Butijões.

- Banquetas, bancos e similares, baterias de cozinha.

- Cortinas, carrinho de mão.

- Extintores, espadas, espátulas, enxadas e similares.


- Fogareiros.

- Grampeadores, furadores e demais materiais de escritório.

- Jogos de halteres e outros para prática de educação física e desportos em geral.

- Lanterna, liquinho.

- Máquina de cortar manual, moedor de carne manual, máquina de descascar, macacos, material

médico cirúrgico.

- Material de cozinha e mesa (copos, talheres, pratos).

- Prateleiras.

- Jogos de desenho e material em geral.

ANEXO 19

LISTA PADRAO DE MATERIAL PERMANENTE ESPECIAL

- Arquivos (aço, madeira, outros).

- Aquecedor (elétrico, gás).

- Armários em geral.
- Aspirador de pó.

- Balcão.

- Biombo.

- Balanças.

- Batedeira elétrica.

- Bidês.

- Beliches.

- Bufê.

- Bomba elétrica e aparelhos motores em geral.

- Bicicleta.

- Cadeira (inclusive de barbeiro, dentista, etc.).

- Carteira escolar.

- Camas.

- Congelador.

- Caldeira.

- Carrinho-bandeja.

- Cafeteira elétrica.

- Cortador de frios.

- Cofres.

- Condicionador de ar.

- Duplicadores.

- Exaustores.
- Estantes.

- Escrivaninha.

- Fichário.

- Fogão.

- Ferro elétrico.

- Fotocopiadora.

- Geladeira.

- Guarda-roupa.

- Gravador.

- Liquidificador.

- Mesas.

- Máquina de cortar grama.

- Mesa de bilhar.

- Moedor de carne elétrico.

- Máquina de escrever.

- Máquina de calcular.

- Máquina autentificadora.

- Máquina de costura.

- Máquina de lavar roupa, registradora, platificadora.

- Poltronas.

- Projetores.

- Relógios.
- Rádio eletrolas.

- Televisor.

- Sofás.

- Ventiladores.

Obs.: Não constam dos anexos 18 e 19 materiais específicos de determinadas OPM, tais como :

Banda de Música, Hospital Central, Serviço Odontológico, Corpo de Bombeiros, Museu, Serviços de

Manutenção de Armamento, Manutenção, Transportes e Comunicações e demais serviços da DAL .

- Esses materiais (aparelhos cirúrgicos, instrumentos musicais, tornos, medidores, bancadas, etc) terão o seu

controle regulado de acordo com as normas estabelecidas, cujos critérios serão adotados pela 4a Seção.

ANEXO 20

NORMAS PARA PREENCHIMENTO E UTILIZAÇÃO DA FICHA CONTROLE

- Esta ficha será utilizada pela Seção de Patrimônio podendo ser também utilizada pelas OPM.

- Na coluna N.º PMPR o preenchimento será feito em ordem crescente , iniciando no nº 00.001 a infinito. Os
números serão atribuídos pela Seção de Patrimônio levando em conta as entradas de materiais e os
levantamentos efetuados.

- OBS.: Desde que um número seja atribuído a um determinado artigo passará a ser parte integrante do mesmo,
exaurindo-se quando da descarga do artigo, não devendo mais ser utilizado.

- A coluna descrição será preenchida de maneira objetiva, com a denominação pela qual o artigo é comumente
conhecido.

- A coluna Modelo será preenchida de acordo com a denominação constante da padronização oficial constante
do Decreto nº 3.818/76.

- O número de fabricação é o número atribuído ao artigo pelo seu fabricante.

- O recurso é a denominação da verba pela qual o artigo foi adquirido.

- O preço será o constante das notas fiscais ou atribuídos a critério da Seção de Patrimônio.

- Será a coluna OPM preenchida com a denominação de sua detentora atual.

- Na coluna Observação deverá constar qualquer informação útil.

- O verso da ficha será idêntico a sua frente.


ANEXO 20

Modelo de formulário a ser utilizado pela Seção de Patrimônio para controle da carga geral da Corporação

PMPR - SEÇÃO DE PATRIMÔNIO FICHA DE CONTROLE N.º __________________

ESPECIFICAÇÃO CARGA DESCARGA


OBS
N.º PMPR N.º FÁBR. RECURSO PREÇO OPM
Descriç. Modelo Dia Mês Ano Bol Dia Mês Ano Bol

PM / 6
PM / 4